SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
As reformAs
protestAntes e A ContrA-
reformA Prof. Douglas Barraqui
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Contexto dAs reformAs
 Conflito Religioso:
Agostinianismo x Tomismo
São Tomás de Aquino (1225-1274),Aurélio Agostinho (354 – 430)
Fé Fé + Boas Obras
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Contexto dAs reformAs
 Luxo do alto Clero:
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Contexto dAs reformAs
 Não obediência ao celibato clerical
Alexandre VI teve várias amantes,
em particular Vanozza Catanei, com
quem teve quatro filhos. Teve ainda
por amante Giulia Farnese, mulher
de Orsino Orsini.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Contexto dAs reformAs
 Venda de
Indulgências
 "Assim que uma
moeda tilinta no
cofre, uma alma
sai do
purgatório".
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Contexto dAs reformAs
 Prática de simonia:
- Simonia é a venda de
favores divinos,
bençãos, cargos
eclesiásticos,
prosperidade material,
bens espirituais, coisas
sagradas, objetos
ungidos Leite de Maria
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
O Santo Graal Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Contexto das reformas
 Conflito de interesses entre reis (Estado)
e da Igreja:
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Contexto das reformas
 Desenvolvimento do
espírito capitalista;
 Ascensão da Burguesia;
Lucro
Usura
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
martinho Lutero (1483 —
1546)
 Lutero nasceu na Alemanha em 10 de novembro de 1483;
 Filho de Hans Luther e Margarethe Lindemann, integrantes
de uma pequena burguesia ascendente;
 1501, aos 17 anos, ingressou na Universidade de Erfurt. Se
formou em bacharel e posteriormente mestre.
 1505, ao voltar de uma visita à casa dos pais, em meio a uma
tempestade, teria feito uma promessa à Santa Ana;
 Aderiu à ordem dos agostinianos.
 1507, foi ordenado sacerdote. No ano seguinte começou a
lecionar teologia na Universidade de Wittenberg.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
martinho Lutero (1483 —
1546)
 1515 Lutero passaria pela chamada “experiência da Torre”: no alto da
torre da Catedral do Castelo de Wittenberg;
Salmo 30: “liberta-me em tua justiça”
 conta Lutero em sua autobiografia: 
“me senti renascido, entrando no paraíso por suas portas abertas”.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
martinho Lutero (1483 —
1546)
 1517 Lutero
escreve as 95
teses –
95 críticas à
postura e a moral
da Igreja
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
martinho Lutero (1483 —
1546)
 1520 – Lutero é excomungado pelo papa Leão
X. Passa a ser perseguido como herege.
Franz von Sickingen Tradução da Bíblia
Aquele que professa uma heresia ou pratica
doutrinas contrárias aos dogmas concebidos pela
igreja.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
doutrina de Lutero
 Salvação pela fé;
 Sacerdócio universal – para Lutero
“pelo batismo somos todos
sacerdotes”;
 Negou da infalibilidade da Igreja: a
única fonte da verdade é a Bíblia, e não
a tradição ensinada pela instituição
religiosa;
 Negou a infalibilidade do papa: e a
existência de uma hie-rarquia dentro
da Igreja.
 Fim dos sacramentos: exceto batismo
e a eucaristia;
 Fim do culto aos santos
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
João Calvino (1509 —1564)
 Nasceu na França em 10 de
julho de 1509;
 Aderiu as idéias de Lutero;
 1536, aos 26 anos, após ser
perseguido na França foge
para Genebra, na Suíça.   
João Calvino Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
DoUTRina CalvinisTa
 Salvação pela Predestinação;
 Todo homem é pecador por
natureza;
 Fim do culto aos santos;
 Infalibilidade da Bíblia;
 Fim dos sacramentos: com exceção
à eucaristia e o batismo;
 Separação entre Igreja e Estado;
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
HenRiqUe viii(1491-1547)
 Nascido em 28 de junho de 1491 em
Greenwich, no Palácio de Placentia.
 Foi o sexto filho de Henrique VII e
Isabel de Iorque (Dinastia dos
Tudor).
 1509 - foi coroado rei de
Inglaterra.
 Foi o governante absoluto da
Inglaterra.
 Excêntrico pelos seus 6 casamentos
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
HenRiqUe viii(1491-1547)
 Conflito entre Estado Inglês e a Igreja;
 Motivos Pessoais:
 Queria a anulação de seu casamento
com Catarina de Aragão,
 Desejava um novo matrimônio com Ana
Bolena.
 Conflito com o Papa Clemente VII.
 Catarina foi formalmente despojada do
seu título de rainha, e Ana foi coroada
rainha consorte em 1 de junho de 1533.
 Clemente VII excomungou Henrique
VIII;
Ana Bolena
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
HenRiqUe viii(1491-1547)
 Ato de Supremacia:
 Confiscou todas as terras da
Igreja Católica na Inglaterra;
 formou uma nova Igreja a
Anglicana ;
 Se declarou líder supremo da
nova Religião.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
DoUTRina anGliCana
  É uma Igreja Católica Reformada;
 Importância da Bíblia: Adora a Deus e entende que
a Bíblia e a chave para compreender a revelação de
Deus aos homens;
 É uma Igreja Democrática onde todos tem direito
de se expressar mesmo sendo minoria.
 Aceitação do divorcio;
 Reconhecemos os cinco Ritos Sacramentais:
Confirmação, Confissão, Sagradas
Ordens, Matrimonio e Unção dos Enfermos e dois
Sacramentos: Santa Comunhão e Santo Batismo
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
ConTRa ReFoRMas
 Contra Reforma, também conhecida
por Reforma Católica;
 Resposta e reação da Igreja Católica
ao avanço do protestantismo;
 Papa Leão X, organizou a Igreja no
Concílio de Trento entre 1545 a
1563;
Papa Leão X ( 1475 –1521)
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
CONCÍLIO DE TRENTO - 1545
 Reafirmar os dogmas da Igreja;
 Negou as mudanças doutrinárias realizadas pelos reformistas,
 Confirmando os sete sacramentos (batismo, confirmação ou
crisma, eucaristia, penitência ou confissão, ordem sacerdotal,
casamento e unção dos enfermos);
 Reafirmou o culto à Virgem Maria e aos santos;
 Reafirmou que um bom católico é julgado por sua fé e pelas
obras que faz;
 Estabeleceu a supremacia dos papas, revalidou o celibato clerical
e a indissolubilidade do matrimônio.
 Confirmou que as fontes da doutrina católica são a Bíblia e a
tradição da Igreja.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
CONCÍLIO DE TRENTO - 1545
 Moralizar a Igreja;
 condenou a corrupção interna ligada à venda de cargos
eclesiásticos, relíquias e indulgências.
 A venda de indulgências não foi proibida, mas devia ser
controlada pelas autoridades da instituição.
 Exigiu-se que o clero voltasse a ter uma vida simples e espiritual,
com a obrigação de ter conduta moral exemplar e boa formação
intelectual.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
CONCÍLIO DE TRENTO - 1545
 Determinou-se a criação de seminários para a formação de
sacerdotes. Deveria haver um seminário em cada diocese,
 Crio a Companhia de Jesus;
 Criou o INDEX (lista de livros proibidos)
 Reabriu o tribunal da Santa Inquisição;
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
REfERêNCIas AZEVEDO, Gislane Campos; SERIACOPI, Reinaldo. Projeto Teláris: história 7 ano. São
Paulo: Ática, 1º ed., 2012.
 CAPELLARI, Marcos Alexandre; NOGUEIRA, Fausto Henrique Gomes. História: ser
protagonista - Volume único. Ensino Médio. 1ª Ed. São Paulo: SM. 2010.
 COTRIM, Gilberto. História Global – Brasil e Geral. Volume Único. Ensino Médio. 8ª Ed.
São Paulo: Saraiva 2005.
 Projeto Araribá: História – 7º ano. /Obra coletiva/ São Paulo: Editora Moderna, 2010.
Editora Responsável: Maria Raquel Apolinário Melani.
 Uno: Sistema de Ensino – História – 6º ano. São Paulo: Grupo Santillana, 2011. Editor
Responsável: Angélica Pizzutto Pozzani.
 http://dougnahistoria.blogspot.com.br/2013/03/um-olhar-sobre-reforma-luterana.html;
 http://www.historiadomundo.com.br/idade-moderna/a-reforma-religiosa.htm
 http://www.historiadomundo.com.br/idade-moderna/a-reforma-religiosa.htm
 http://educacao.uol.com.br/disciplinas/historia/reformas-religiosas-1-causas-e-contexto-
historico.htm
 FERNÁNDEZ-ARMESTO, Felipe; WILSON, Derek A. Reforma: o cristianismo e o mundo
1500-2000 . Rio de Janeiro: Record, 1997. 416 p.
 COLLINSON, Patrick. A reforma. Rio de Janeiro: Objetiva, 2006. 277 p. (Historia
essencial )
 LÉONARD, Émile G. O Protestantismo Brasileiro. Rio de Janeiro / São Paulo:
JUERP/ASTE. 1981.
 SKINNER, Quentin. A formação do pensamento político moderno. São Paulo,
Companhia das Letras, 1996. Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
 Muitos dos slides aqui postados estão disponíveis para dowloading.
Outros, porém, por questões de direitos autorais e direitos de
imagens, não estão disponíveis para serem baixados gratuitamente.
 Caso você queira algum desses arquivos, ou mesmo encomendar
alguma apresentação com um tema em especial, entre em contato
comigo pelo E-mail (ambientalhistoria@gmail.com).
 Visite minha página na internet:
www.dougnahistoria.blogspot.com.br
Prof. Douglas Barraqui
_______________________
PROF. DE HISTÓRIA
(ENSINO FUNDAMENTAL / MÉDIO / PREPARATÓRIOS PARA CONCURSO,
PRÉ-VESTIBULAR E PRÉ-IFES)
TEL: (27) 99732-1315 / (27) 98889-1622
E-Mail: ambientalhistoria@gmail.com
Páginas na internet:
www.dougnahistoria.blogspot.com
www.ambietalhistoria.blogspot.com
NOTa DO auTOR:

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Resumo reforma protestante
Resumo   reforma protestanteResumo   reforma protestante
Resumo reforma protestante
 
Reforma religiosa
Reforma religiosaReforma religiosa
Reforma religiosa
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
 
Idade moderna
Idade modernaIdade moderna
Idade moderna
 
Reformas religiosas
Reformas religiosasReformas religiosas
Reformas religiosas
 
A Reforma Protestante
A Reforma Protestante A Reforma Protestante
A Reforma Protestante
 
8. reforma e contra reforma
8. reforma e contra reforma8. reforma e contra reforma
8. reforma e contra reforma
 
Reforma e contrarreforma
Reforma e contrarreformaReforma e contrarreforma
Reforma e contrarreforma
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
 
Igreja Católica na Idade Média
Igreja Católica na Idade MédiaIgreja Católica na Idade Média
Igreja Católica na Idade Média
 
Brasil Colônia
Brasil ColôniaBrasil Colônia
Brasil Colônia
 
Cruzadas
CruzadasCruzadas
Cruzadas
 
As Grandes Navegações
As Grandes NavegaçõesAs Grandes Navegações
As Grandes Navegações
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
O declínio do Imperio Romano
O declínio do Imperio RomanoO declínio do Imperio Romano
O declínio do Imperio Romano
 
A Reforma Protestante e a Contra Reforma Católica
A Reforma Protestante e a Contra Reforma CatólicaA Reforma Protestante e a Contra Reforma Católica
A Reforma Protestante e a Contra Reforma Católica
 
Reforma e contrarreforma
Reforma e contrarreformaReforma e contrarreforma
Reforma e contrarreforma
 
O Calvinismo
O CalvinismoO Calvinismo
O Calvinismo
 
Reformas Religiosas - Século XVI
Reformas Religiosas - Século XVIReformas Religiosas - Século XVI
Reformas Religiosas - Século XVI
 

Destaque

A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisDouglas Barraqui
 
Fenícios, hebreus e persas
Fenícios, hebreus e persasFenícios, hebreus e persas
Fenícios, hebreus e persasDouglas Barraqui
 
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução IndustrialDas Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução IndustrialDouglas Barraqui
 
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?Douglas Barraqui
 
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraPeríodo Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraDouglas Barraqui
 
Releitura das obras de Nice Nascimento Avanza
Releitura das obras de Nice Nascimento AvanzaReleitura das obras de Nice Nascimento Avanza
Releitura das obras de Nice Nascimento AvanzaDouglas Barraqui
 
HIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINA
HIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINAHIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINA
HIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINADouglas Barraqui
 
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudalCrise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudalDouglas Barraqui
 
Reforma e contra reforma
Reforma e contra reformaReforma e contra reforma
Reforma e contra reformavr1a2011
 
Reforma e contra reforma da igreja
Reforma e contra reforma da igrejaReforma e contra reforma da igreja
Reforma e contra reforma da igrejahuguex99
 
A vida humana no paleolítico
A vida humana no paleolíticoA vida humana no paleolítico
A vida humana no paleolíticoDouglas Barraqui
 
Revolução Socialista na China e a Guerra do Vietnã
Revolução Socialista na China e a Guerra do VietnãRevolução Socialista na China e a Guerra do Vietnã
Revolução Socialista na China e a Guerra do VietnãDouglas Barraqui
 
Capítulo 16 reforma religiosa
Capítulo 16 reforma religiosaCapítulo 16 reforma religiosa
Capítulo 16 reforma religiosaAuxiliadora
 

Destaque (20)

A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
 
Fenícios, hebreus e persas
Fenícios, hebreus e persasFenícios, hebreus e persas
Fenícios, hebreus e persas
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
 
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução IndustrialDas Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
 
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?
 
Polo centro reforma religiosa - ppt
Polo centro   reforma religiosa - pptPolo centro   reforma religiosa - ppt
Polo centro reforma religiosa - ppt
 
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraPeríodo Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
 
Mesopotâmia
MesopotâmiaMesopotâmia
Mesopotâmia
 
Grandes Navegações
Grandes NavegaçõesGrandes Navegações
Grandes Navegações
 
Releitura das obras de Nice Nascimento Avanza
Releitura das obras de Nice Nascimento AvanzaReleitura das obras de Nice Nascimento Avanza
Releitura das obras de Nice Nascimento Avanza
 
HIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINA
HIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINAHIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINA
HIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINA
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Idade Média
Idade MédiaIdade Média
Idade Média
 
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudalCrise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
 
Reforma e contra reforma
Reforma e contra reformaReforma e contra reforma
Reforma e contra reforma
 
O tempo das reformas
O tempo das reformasO tempo das reformas
O tempo das reformas
 
Reforma e contra reforma da igreja
Reforma e contra reforma da igrejaReforma e contra reforma da igreja
Reforma e contra reforma da igreja
 
A vida humana no paleolítico
A vida humana no paleolíticoA vida humana no paleolítico
A vida humana no paleolítico
 
Revolução Socialista na China e a Guerra do Vietnã
Revolução Socialista na China e a Guerra do VietnãRevolução Socialista na China e a Guerra do Vietnã
Revolução Socialista na China e a Guerra do Vietnã
 
Capítulo 16 reforma religiosa
Capítulo 16 reforma religiosaCapítulo 16 reforma religiosa
Capítulo 16 reforma religiosa
 

Semelhante a As reformas protestantes e a Contra-reforma

Reformas religiosas 2010
Reformas religiosas 2010Reformas religiosas 2010
Reformas religiosas 2010BriefCase
 
A reforma & a contra reforma religiosa
A reforma & a contra reforma religiosaA reforma & a contra reforma religiosa
A reforma & a contra reforma religiosaKelly Delfino
 
18° reforma e contra-reforma
18° reforma e contra-reforma18° reforma e contra-reforma
18° reforma e contra-reformaAjudar Pessoas
 
Reforma e contra reforma
Reforma e contra reformaReforma e contra reforma
Reforma e contra reformaMaida Marciano
 
Hh8 powerpoint e2_reforma_contrarreforma
Hh8 powerpoint e2_reforma_contrarreformaHh8 powerpoint e2_reforma_contrarreforma
Hh8 powerpoint e2_reforma_contrarreformaLuisa Jesus
 
Sit 2 vol 1 reforma religiosa europeia e contrarreforma catolica
Sit 2 vol 1   reforma religiosa europeia e contrarreforma catolicaSit 2 vol 1   reforma religiosa europeia e contrarreforma catolica
Sit 2 vol 1 reforma religiosa europeia e contrarreforma catolicaAprendendoHistoriacomNemeis
 
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdfVítor Santos
 
Reforma-Protestante-movimentos-e-solas.ppt
Reforma-Protestante-movimentos-e-solas.pptReforma-Protestante-movimentos-e-solas.ppt
Reforma-Protestante-movimentos-e-solas.pptvarjaomelo
 
04 a renovacao da espiritualidade e da religiosidade
04 a renovacao da espiritualidade e da religiosidade04 a renovacao da espiritualidade e da religiosidade
04 a renovacao da espiritualidade e da religiosidadeVítor Santos
 
Aula 11 reformas e reformadores
Aula 11   reformas e reformadoresAula 11   reformas e reformadores
Aula 11 reformas e reformadoresProfdaltonjunior
 
As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.
As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.
As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.Jose Ribamar Santos
 
Reforma e contra reforma
Reforma e contra reformaReforma e contra reforma
Reforma e contra reformaIsabel Aguiar
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestanteSilmei Petiz
 

Semelhante a As reformas protestantes e a Contra-reforma (20)

Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
 
Reformas e Reformadores
Reformas e ReformadoresReformas e Reformadores
Reformas e Reformadores
 
Reformas religiosas 2010
Reformas religiosas 2010Reformas religiosas 2010
Reformas religiosas 2010
 
A Reforma
A ReformaA Reforma
A Reforma
 
A reforma & a contra reforma religiosa
A reforma & a contra reforma religiosaA reforma & a contra reforma religiosa
A reforma & a contra reforma religiosa
 
18° reforma e contra-reforma
18° reforma e contra-reforma18° reforma e contra-reforma
18° reforma e contra-reforma
 
Reforma e contra reforma
Reforma e contra reformaReforma e contra reforma
Reforma e contra reforma
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
 
Hh8 powerpoint e2_reforma_contrarreforma
Hh8 powerpoint e2_reforma_contrarreformaHh8 powerpoint e2_reforma_contrarreforma
Hh8 powerpoint e2_reforma_contrarreforma
 
Trabalho de história
Trabalho de históriaTrabalho de história
Trabalho de história
 
Reforma Protestante e Contrarreforma
Reforma Protestante e ContrarreformaReforma Protestante e Contrarreforma
Reforma Protestante e Contrarreforma
 
Sit 2 vol 1 reforma religiosa europeia e contrarreforma catolica
Sit 2 vol 1   reforma religiosa europeia e contrarreforma catolicaSit 2 vol 1   reforma religiosa europeia e contrarreforma catolica
Sit 2 vol 1 reforma religiosa europeia e contrarreforma catolica
 
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
 
Reforma-Protestante-movimentos-e-solas.ppt
Reforma-Protestante-movimentos-e-solas.pptReforma-Protestante-movimentos-e-solas.ppt
Reforma-Protestante-movimentos-e-solas.ppt
 
04 a renovacao da espiritualidade e da religiosidade
04 a renovacao da espiritualidade e da religiosidade04 a renovacao da espiritualidade e da religiosidade
04 a renovacao da espiritualidade e da religiosidade
 
Aula 11 reformas e reformadores
Aula 11   reformas e reformadoresAula 11   reformas e reformadores
Aula 11 reformas e reformadores
 
As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.
As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.
As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.
 
Reforma e contra reforma
Reforma e contra reformaReforma e contra reforma
Reforma e contra reforma
 
A reforma aula
A reforma aulaA reforma aula
A reforma aula
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
 

Mais de Douglas Barraqui

FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?Douglas Barraqui
 
INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLAINDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLADouglas Barraqui
 
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADESOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADEDouglas Barraqui
 
A BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃO
A BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃOA BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃO
A BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃODouglas Barraqui
 
OS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGA
OS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGAOS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGA
OS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGADouglas Barraqui
 
FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTAS
FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTASFORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTAS
FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTASDouglas Barraqui
 
SOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBER
SOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBERSOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBER
SOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBERDouglas Barraqui
 
MÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
MÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIALMÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
MÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIALDouglas Barraqui
 
História da américa anglo saxônica
História da américa anglo saxônicaHistória da américa anglo saxônica
História da américa anglo saxônicaDouglas Barraqui
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilDouglas Barraqui
 
Neolítico revolução agrícola e as primeiras cidades
Neolítico   revolução agrícola e as primeiras cidadesNeolítico   revolução agrícola e as primeiras cidades
Neolítico revolução agrícola e as primeiras cidadesDouglas Barraqui
 
Imperialismo, Belle Époque e Primeira Guerra Mundial
Imperialismo, Belle Époque e Primeira Guerra MundialImperialismo, Belle Époque e Primeira Guerra Mundial
Imperialismo, Belle Époque e Primeira Guerra MundialDouglas Barraqui
 

Mais de Douglas Barraqui (16)

FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?
 
INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLAINDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLA
 
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADESOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE
 
A BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃO
A BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃOA BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃO
A BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃO
 
OS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGA
OS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGAOS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGA
OS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGA
 
FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTAS
FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTASFORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTAS
FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTAS
 
SOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBER
SOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBERSOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBER
SOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBER
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
MÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
MÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIALMÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
MÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
 
SEGUNDA GRANDE GUERRA
SEGUNDA GRANDE GUERRASEGUNDA GRANDE GUERRA
SEGUNDA GRANDE GUERRA
 
História da américa anglo saxônica
História da américa anglo saxônicaHistória da américa anglo saxônica
História da américa anglo saxônica
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasil
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 
Neolítico revolução agrícola e as primeiras cidades
Neolítico   revolução agrícola e as primeiras cidadesNeolítico   revolução agrícola e as primeiras cidades
Neolítico revolução agrícola e as primeiras cidades
 
Imperialismo, Belle Époque e Primeira Guerra Mundial
Imperialismo, Belle Époque e Primeira Guerra MundialImperialismo, Belle Époque e Primeira Guerra Mundial
Imperialismo, Belle Époque e Primeira Guerra Mundial
 

Último

19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 

Último (20)

19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 

As reformas protestantes e a Contra-reforma

  • 1. As reformAs protestAntes e A ContrA- reformA Prof. Douglas Barraqui Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 2. Contexto dAs reformAs  Conflito Religioso: Agostinianismo x Tomismo São Tomás de Aquino (1225-1274),Aurélio Agostinho (354 – 430) Fé Fé + Boas Obras Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 3. Contexto dAs reformAs  Luxo do alto Clero: Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 4. Contexto dAs reformAs  Não obediência ao celibato clerical Alexandre VI teve várias amantes, em particular Vanozza Catanei, com quem teve quatro filhos. Teve ainda por amante Giulia Farnese, mulher de Orsino Orsini. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 5. Contexto dAs reformAs  Venda de Indulgências  "Assim que uma moeda tilinta no cofre, uma alma sai do purgatório". Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 6. Contexto dAs reformAs  Prática de simonia: - Simonia é a venda de favores divinos, bençãos, cargos eclesiásticos, prosperidade material, bens espirituais, coisas sagradas, objetos ungidos Leite de Maria Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 9. O Santo Graal Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 10. Contexto das reformas  Conflito de interesses entre reis (Estado) e da Igreja: Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 11. Contexto das reformas  Desenvolvimento do espírito capitalista;  Ascensão da Burguesia; Lucro Usura Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 12. martinho Lutero (1483 — 1546)  Lutero nasceu na Alemanha em 10 de novembro de 1483;  Filho de Hans Luther e Margarethe Lindemann, integrantes de uma pequena burguesia ascendente;  1501, aos 17 anos, ingressou na Universidade de Erfurt. Se formou em bacharel e posteriormente mestre.  1505, ao voltar de uma visita à casa dos pais, em meio a uma tempestade, teria feito uma promessa à Santa Ana;  Aderiu à ordem dos agostinianos.  1507, foi ordenado sacerdote. No ano seguinte começou a lecionar teologia na Universidade de Wittenberg. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 13. martinho Lutero (1483 — 1546)  1515 Lutero passaria pela chamada “experiência da Torre”: no alto da torre da Catedral do Castelo de Wittenberg; Salmo 30: “liberta-me em tua justiça”  conta Lutero em sua autobiografia:  “me senti renascido, entrando no paraíso por suas portas abertas”. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 14. martinho Lutero (1483 — 1546)  1517 Lutero escreve as 95 teses – 95 críticas à postura e a moral da Igreja Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 15. martinho Lutero (1483 — 1546)  1520 – Lutero é excomungado pelo papa Leão X. Passa a ser perseguido como herege. Franz von Sickingen Tradução da Bíblia Aquele que professa uma heresia ou pratica doutrinas contrárias aos dogmas concebidos pela igreja. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 16. doutrina de Lutero  Salvação pela fé;  Sacerdócio universal – para Lutero “pelo batismo somos todos sacerdotes”;  Negou da infalibilidade da Igreja: a única fonte da verdade é a Bíblia, e não a tradição ensinada pela instituição religiosa;  Negou a infalibilidade do papa: e a existência de uma hie-rarquia dentro da Igreja.  Fim dos sacramentos: exceto batismo e a eucaristia;  Fim do culto aos santos Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 17. João Calvino (1509 —1564)  Nasceu na França em 10 de julho de 1509;  Aderiu as idéias de Lutero;  1536, aos 26 anos, após ser perseguido na França foge para Genebra, na Suíça.    João Calvino Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 18. DoUTRina CalvinisTa  Salvação pela Predestinação;  Todo homem é pecador por natureza;  Fim do culto aos santos;  Infalibilidade da Bíblia;  Fim dos sacramentos: com exceção à eucaristia e o batismo;  Separação entre Igreja e Estado; Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 19. HenRiqUe viii(1491-1547)  Nascido em 28 de junho de 1491 em Greenwich, no Palácio de Placentia.  Foi o sexto filho de Henrique VII e Isabel de Iorque (Dinastia dos Tudor).  1509 - foi coroado rei de Inglaterra.  Foi o governante absoluto da Inglaterra.  Excêntrico pelos seus 6 casamentos Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 21. HenRiqUe viii(1491-1547)  Conflito entre Estado Inglês e a Igreja;  Motivos Pessoais:  Queria a anulação de seu casamento com Catarina de Aragão,  Desejava um novo matrimônio com Ana Bolena.  Conflito com o Papa Clemente VII.  Catarina foi formalmente despojada do seu título de rainha, e Ana foi coroada rainha consorte em 1 de junho de 1533.  Clemente VII excomungou Henrique VIII; Ana Bolena Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 22. HenRiqUe viii(1491-1547)  Ato de Supremacia:  Confiscou todas as terras da Igreja Católica na Inglaterra;  formou uma nova Igreja a Anglicana ;  Se declarou líder supremo da nova Religião. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 23. DoUTRina anGliCana   É uma Igreja Católica Reformada;  Importância da Bíblia: Adora a Deus e entende que a Bíblia e a chave para compreender a revelação de Deus aos homens;  É uma Igreja Democrática onde todos tem direito de se expressar mesmo sendo minoria.  Aceitação do divorcio;  Reconhecemos os cinco Ritos Sacramentais: Confirmação, Confissão, Sagradas Ordens, Matrimonio e Unção dos Enfermos e dois Sacramentos: Santa Comunhão e Santo Batismo Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 24. ConTRa ReFoRMas  Contra Reforma, também conhecida por Reforma Católica;  Resposta e reação da Igreja Católica ao avanço do protestantismo;  Papa Leão X, organizou a Igreja no Concílio de Trento entre 1545 a 1563; Papa Leão X ( 1475 –1521) Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 25. CONCÍLIO DE TRENTO - 1545  Reafirmar os dogmas da Igreja;  Negou as mudanças doutrinárias realizadas pelos reformistas,  Confirmando os sete sacramentos (batismo, confirmação ou crisma, eucaristia, penitência ou confissão, ordem sacerdotal, casamento e unção dos enfermos);  Reafirmou o culto à Virgem Maria e aos santos;  Reafirmou que um bom católico é julgado por sua fé e pelas obras que faz;  Estabeleceu a supremacia dos papas, revalidou o celibato clerical e a indissolubilidade do matrimônio.  Confirmou que as fontes da doutrina católica são a Bíblia e a tradição da Igreja. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 26. CONCÍLIO DE TRENTO - 1545  Moralizar a Igreja;  condenou a corrupção interna ligada à venda de cargos eclesiásticos, relíquias e indulgências.  A venda de indulgências não foi proibida, mas devia ser controlada pelas autoridades da instituição.  Exigiu-se que o clero voltasse a ter uma vida simples e espiritual, com a obrigação de ter conduta moral exemplar e boa formação intelectual. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 27. CONCÍLIO DE TRENTO - 1545  Determinou-se a criação de seminários para a formação de sacerdotes. Deveria haver um seminário em cada diocese,  Crio a Companhia de Jesus;  Criou o INDEX (lista de livros proibidos)  Reabriu o tribunal da Santa Inquisição; Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 28. REfERêNCIas AZEVEDO, Gislane Campos; SERIACOPI, Reinaldo. Projeto Teláris: história 7 ano. São Paulo: Ática, 1º ed., 2012.  CAPELLARI, Marcos Alexandre; NOGUEIRA, Fausto Henrique Gomes. História: ser protagonista - Volume único. Ensino Médio. 1ª Ed. São Paulo: SM. 2010.  COTRIM, Gilberto. História Global – Brasil e Geral. Volume Único. Ensino Médio. 8ª Ed. São Paulo: Saraiva 2005.  Projeto Araribá: História – 7º ano. /Obra coletiva/ São Paulo: Editora Moderna, 2010. Editora Responsável: Maria Raquel Apolinário Melani.  Uno: Sistema de Ensino – História – 6º ano. São Paulo: Grupo Santillana, 2011. Editor Responsável: Angélica Pizzutto Pozzani.  http://dougnahistoria.blogspot.com.br/2013/03/um-olhar-sobre-reforma-luterana.html;  http://www.historiadomundo.com.br/idade-moderna/a-reforma-religiosa.htm  http://www.historiadomundo.com.br/idade-moderna/a-reforma-religiosa.htm  http://educacao.uol.com.br/disciplinas/historia/reformas-religiosas-1-causas-e-contexto- historico.htm  FERNÁNDEZ-ARMESTO, Felipe; WILSON, Derek A. Reforma: o cristianismo e o mundo 1500-2000 . Rio de Janeiro: Record, 1997. 416 p.  COLLINSON, Patrick. A reforma. Rio de Janeiro: Objetiva, 2006. 277 p. (Historia essencial )  LÉONARD, Émile G. O Protestantismo Brasileiro. Rio de Janeiro / São Paulo: JUERP/ASTE. 1981.  SKINNER, Quentin. A formação do pensamento político moderno. São Paulo, Companhia das Letras, 1996. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 29.  Muitos dos slides aqui postados estão disponíveis para dowloading. Outros, porém, por questões de direitos autorais e direitos de imagens, não estão disponíveis para serem baixados gratuitamente.  Caso você queira algum desses arquivos, ou mesmo encomendar alguma apresentação com um tema em especial, entre em contato comigo pelo E-mail (ambientalhistoria@gmail.com).  Visite minha página na internet: www.dougnahistoria.blogspot.com.br Prof. Douglas Barraqui _______________________ PROF. DE HISTÓRIA (ENSINO FUNDAMENTAL / MÉDIO / PREPARATÓRIOS PARA CONCURSO, PRÉ-VESTIBULAR E PRÉ-IFES) TEL: (27) 99732-1315 / (27) 98889-1622 E-Mail: ambientalhistoria@gmail.com Páginas na internet: www.dougnahistoria.blogspot.com www.ambietalhistoria.blogspot.com NOTa DO auTOR: