Capítulo 6 a economia na américa portuguesa

2.036 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.036
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
29
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
84
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Capítulo 6 a economia na américa portuguesa

  1. 1. A ECONOMIA NA AMÉRICA PORTUGUESA
  2. 2. 1. A PARTIR DO SÉCULO XVI, PORTUGAL COMEÇA A EXPLORAÇÃO DO BRASIL (SUA PRINCIPAL COLÔNIA). 2. O BRASIL ENTÃO SE TORNA O PRINCIPAL PRODUTOR DE AÇÚCAR NO MUNDO DURANTE O SÉCULO XVI. 3. O SENTIDO DA COLONIZAÇÃO PORTUGUESA NO BRASIL FOI EXPLORAR AO MÁXIMO OS RECURSOS NATURAIS (AÇÚCAR, OURO, PAU-BRASIL, ALGODÃO, TABACO, ETC).
  3. 3. O PACTO COLONIAL
  4. 4. 1. A ECONOMIA PORTUGUESA NA AMÉRICA SE FEZ PRINCIPALMENTE ATRAVÉS DO SISTEMA DE PLANTATION: 2. ESCRAVIDÃO 3. GRANDE PROPRIEDADE DE TERRA (LATIFÚNDIO) 4. MONOCULTURA 5. ATENDER ÀS NECESSIDADES DO MERCADO EXTERNO
  5. 5. 1. O AÇÚCAR FOI O PRIMEIRO PRODUTO ESCOLHIDO PELOS PORTUGUESES PARA INICIAR A EXPLORAÇÃO DO BRASIL: 2. O AÇÚCAR ERA UMA ESPECIARIA 3. TINHA ALTO VALOR NO MERCADO EUROPEU 4. A REGIÃO NORDESTE TINHA CONDIÇÕES IDEAIS PARA O PLANTIO DA CANA-DE-AÇÚCAR (SOLO E CLIMA). 5. A FABRICAÇÃO DO AÇÚCAR TAMBÉM ESTAVA LIGADA COM O INTERESSE PORTUGUÊS EM PROMOVER A EFETIVA OCUPAÇÃO DO BRASIL.
  6. 6. 1. O ENGENHO ERA O LOCAL ONDE SE TRANSFORMAVA A CANA-DE-AÇÚCAR EM AÇÚCAR E SEUS DERIVADOS (CACHAÇA E MELAÇO). 2. A MAIOR PARTE DO AÇÚCAR PRODUZIDO NO BRASIL ERA EXPORTADO PARA A HOLANDA, QUE DISTRIBUÍA O PRODUTO NA EUROPA. 3. COM O PASSAR DO TEMPO, A PALAVRA ENGENHO PASSOU A SIGNIFICAR TANTO A FAZENDA QUANTO O LOCAL ONDE O AÇÚCAR ERA PRODUZIDO.
  7. 7. O ENGENHO
  8. 8. OS ESCRAVOS AFRICANOS 1. A MAIOR PARTE DO TRABALHO NA PRODUÇÃO DO AÇÚCAR ERA FEITO PELOS AFRICANOS ESCRAVIZADOS. 2. OS PORTUGUESES CONSEGUIAM OS ESCRAVOS NA ÁFRICA TROCANDO POR TABACO, AÇÚCAR, CACHAÇA, PÓLVORA OU TECIDOS DE ALGODÃO. 3. DE CADA 100 ESCRAVOS QUE SAÍAM DA ÁFRICA, APENAS 45 CHEGAVAM COM VIDA NO
  9. 9. A VIAGEM PARA O BRASIL 1. OS ESCRAVOS VINHAM PARA O BRASIL NOS NAVIOS NEGREIROS (TUMBEIROS). 2. A VIAGEM DEMORAVA EM MÉDIA 35 À 76 DIAS, DEPENDENDO DA REGIÃO AFRICANA ONDE OS ESCRAVOS ERAM CAPTURADOS. 4. A TAXA DE MORTALIDADE NESSAS VIAGENS ERA ALTA: CERCA DE 20% DOS AFRICANOS MORRIAM DURANTE A VIAGEM PARA O BRASIL. 5. POUCA COMIDA E ÁGUA, SUPERLOTAÇÃO, CALOR E FALTA DE HIGIENE ERAM AS CAUSAS DA MORTALIDADE.
  10. 10. 1. NO BRASIL (EM VALORES ATUAIS) UM ESCRAVO ADULTO VALIA CERCA DE 10 MIL REAIS (CERCA DE 40 LIBRAS ESTERLINAS DA ÉPOCA). 2. UMA ESCRAVA ADULTA VALIA CERCA DE 8 MIL REAIS (CERCA DE 32 LIBRAS). 3. UM ESCRAVO JOVEM VALIA CERCA DE 5 MIL REAIS (20 LIBRAS ESTERLINAS). (FONTE: LAURENTINO GOMES, 1808)
  11. 11. NÃO SE ESQUEÇA: ALÉM DA LAVOURA DA CANA, O BRASIL TAMBÉM CULTIVAVA OUTROS GÊNEROS AGRÍCOLAS, EM MENOR ESCALA: ALGODÃO, TABACO, CHARQUE E COURO. ESSES PRODUTOS FAZIAM PARTE DA CHAMADA ECONOMIA SECUNDÁRIA.

×