SlideShare uma empresa Scribd logo
+




    Estado, poder e
    dominação.
    RMJ
+
    Em relação ao Estado Moderno e
    suas diversa versões:
       Estado Absolutista tinha como uma de suas características a forte
        intervenção nas atividades econômicas, tal como na possibilidade do rei
        conceder monopólios.

       No Estado capitalista, na sua versão clássica liberal, as fronteiras
        políticas entre o que é público e o que é privado devem estar bem
        definidas.

       Ainda no modelo de Estado liberal, tem-se o respeito à propriedade
        privada e ao livre mercado como marca central.

       Nos Estados nacionais

       O Estado neoliberal pode ser compreendido como um modelo de Estado
        mínimo que ganhou força depois da crise fiscal iniciada nos anos 1970
        como o Choque do Petróleo e que creditou a instabilidade política ao
        déficit orçamentário que gerava aumento de impostos e inflação.
+
    Absolutismo
     “direito   de natureza”.

     “O direito de natureza, a que os autores
     geralmente chamam jus naturale, é a
     liberdade que cada homem possui de usar
     seu próprio poder, da maneira que quiser,
     para a preservação de sua própria
     natureza, ou seja, de sua vida; e
     consequentemente de fazer tudo aquilo
     que seu próprio julgamento e razão lhe
     indiquem como meios adequados a esse
     fim.”
                 (Hobbes, T. Leviatã. São Paulo: Nova Cultural, p. 78)
+
    Absolutismo

       Para Hobbes,[...] o poder soberano, quer resida num homem, como numa
        monarquia, quer numa assembléia, como nos estados populares e
        aristocráticos, é o maior que é possível imaginar que os homens possam
        criar. E, embora seja possível imaginar muitas más conseqüências de um
        poder tão ilimitado, apesar disso as conseqüências da falta dele, isto é, a
        guerra perpétua de todos homens com os seus vizinhos, são muito
        piores.



       (HOBBES, T. Leviatã. Tradução de João Paulo Monteiro e Maria Beatriz Nizza da Silva. São Paulo: Nova Cultural, 1988. capítulo XX,
        p.127.)




       O que o Hobbes está dizendo é que as vantagens da sociedade civil são
        expressivamente superiores às imagináveis vantagens de um estado de
        natureza.
+
    Absolutismo segundo Maquiavel


    “   Os fins justificam os meios”


    O florentino Nicolau Maquiavel (1469-
     1527) – O princípe – Uma nova
     concepção, na qual o novo homem
     moderno deve separar ética de política.
+
    Como os Clássicos se posicionam:

       Marx: o Estado é necessário para garantir a unidade de uma
        sociedade dividida em classes sociais, submetendo os
        interesses das classes dominadas aos das classes
        dominantes.

       Weber: o que diferencia o Estado das demais instituições é o
        fato de ele ter o direito legítimo e exclusivo do uso da força.

       Durkheim: Em sociedades complexas, o Estado é uma
        instituição fundamental para garantir a coesão social,
        sobrepondo-se às demais instituições e regulando sua
        coexistência.
+
    Sociologia e o Estado Moderno

       Estado não é um fenômeno exclusivamente ocidental e próprio
        do modo de produção capitalista. Nas demais sociedades, se
        encontram instituições que assumam funções correlatas.



       Ao contrário do que os liberais acham o Estado é fundamental
        para assegurar as próprias condições de funcionamento da
        economia de mercado.
+
    Sociologia e o Estado Moderno

       centralização e a concentração de poderes, de forma a evitar o
        surgimento de grupos que disputem com ele o monopólio da
        violência legítima.

       Mesmo passando por um processo de centralização e
        concentração em termos militares, pode-se afirmar que outras
        atividades, como a regulação da Justiça, estão inseridas nesse
        mesmo processo.

       O processo de centralização e concentração da cobrança de
        impostos esteve presente na configuração dos Estados
        Modernos, pois, afinal, essa atividade evidencia a proposta de
        tornar o Estado como a única fonte de autoridade política
        sobre os cidadãos.
+
    Sociologia e o Estado Moderno
       O Estado Moderno segurança nacional (como a organização das
        forças armadas nacionais) posso entregar a instituições de caráter
        privado, visto que essa estratégia permite a redução dos gastos
        públicos. Nem os Neoliberais propõe

       Apesar da centralização e da concentração serem processos políticos
        básicos na formação dos Estados Modernos, pode-se afirmar que o
        arranjo dos poderes e das instituições desses Estados assumiu
        diferentes formas até hoje.

        A cobrança de impostos e a aplicação de multas são atividades
        tipicamente estatais, pode até dividir com instituições financeiras e
        bancárias a realização desse tipo de procedimento, mas nunca vai
        abrir mão.

       Nos Estados Modernos a busca pelos chamados poderes paralelos,
        milícia, ou terceirização de serviços (Ex: Justiça, TCU) é uma
        disfunção uma vez que a manutenção de um corpo burocrático para
        administrar o patrimônio público.
+
    Weber: três formas de dominação
    legítima
       O tipo de dominação carismático tende a ser instável e não duradoura , pois a
        relação de dominação está baseada em critérios irracionais.

       Mesmo com seu perfil emotivo e personalizado, uma liderança carismática tem
        dificuldades em de reformular as bases de um tipo de dominação tradicional.

       O tipo de dominação tradicional apresenta um alto grau de instabilidade dentre
        os três tipos de dominação concebidos por Max Weber, já que as tradições
        tendem a ser reformuladas de tempos em tempos.

       O tipo de dominação tradicional é pouco efetivo na manutenção de dominação
        porque, de uma forma ou de outra, leis e regras escritas são sempre
        necessárias para que uma relação desse tipo se mantenha ao longo dos anos

       O tipo de dominação racional-legal está presente em governos cujas
        lideranças políticas permanecem por uma período delimitado no poder.
+
    Poder e dominação

       Poder e dominação podem ser considerados diferenciados dentro
        do pensamento sociológico.

       Na Sociologia, toda relação social é, em alguma medida, uma
        relação de poder. Sendo assim, podemos afirmar que as relações
        políticas, econômicas, de gênero, etc, sempre apresentam
        disputas de poder.

       O conceito de poder diferencia-se do conceito de dominação na
        medida em que a dominação se dá quando a obediência às
        normas impostas por alguma pessoa ou grupo é vista como
        legítima por quem obedece.

       Poder e dominação são conceitos que podem ser aplicados antes
        do surgimento do Estado Moderno, já que todo o período histórico
        anterior estava baseado em relações sociais que pressupunha o
        conflito.
+
    Populismo (cap.12)

       Na visão de Jaguaribe e Guerreiro Ramos, o populismo
        Varguista tinha um traço marcante na liderança carismática.
        (p.116)

       Já para Weffort, tratava-se de um fenômeno de massas e de
        classes, com certo traço manipulador. (p.116)

       Já para Otávio Ianni, foi um fenômeno ideologicamente
        baseado no nacionalismo, com uma política que envolvia todas
        as classes sociais, portanto um movimento policlassista.
        (p.116)
+
    A democracia no Brasil (cap.13)

       A política do favor, o clientelismo.

       Pressupõe troca     de    favores   políticos   por   benefícios
        econômicos.

       Pode ser observada através da distribuição pelo poder público
        de concessões de emissoras de rádio e canais de televisão ou
        financiamentos para empresas, sempre na busca de apoio e
        sustentação política de um partido, de uma organização ou de
        uma família no poder.
+
    A democracia no Brasil (cap.13)


     Nãoocorre só nos setores mais atrasados,
     mas também nos modernos.
     Capitalismo   sem risco. (Brasil)
    A economia e outros setores se modernizam
     mas as práticas políticas, com raríssimas
     exceções, se mantém atrasados.
+
    A democracia no Brasil (cap.13)

     Elatambém aparece no cotidiano, nas relações
     dos indivíduos com o poder público.
     Ela acontece na busca de ajuda para resolver
     problemas, emergência de trabalho, saúde, etc.
     Expressa-se ainda na distribuição de verbas
     assistenciais e nas promessas de construção de
     escolas, postos de saúde e de doação de
     ambulâncias, feitas às pessoas ou às instituições
     por Vereadores, deputados e senadores. Tudo
     para render votos futuros.
+
    A democracia no Brasil. (cap.13)

     Nepotismo   e Corrupção

     Profissionalismo   e impessoalidade. (Weber)

     Manipulação   de concursos públicos.

     Emprego  ou favorecimento de parente em cargos
     públicos, ainda que seja proibido por lei.

     Corrupção  é sistêmica e não um problema moral
     pessoal. (tráfico de influências).
+
    A democracia no Brasil (cap.13)


    A  despolitização e economia como
     foco.
    A  política se resume a tentativa de
     estabilização monetária, na qual o
     mercado está acima do Estado, o
     econômico acima do político, o
     especulativo acima do produtivo, e o
     particular acima do geral.
+
    Política Brasileira

     Problema    da complexidade da realidade, como é
     difícil analisar o cenário político Brasileiro, segundo
     dos blocos homogêneos, como na política
     americana (Democratas e Republicanos) ou na
     Europa (Liberais e Socialistas), aqui a fidelidade
     partidária pode mudar de tempos em tempos. Os
     políticos trocam de partido de acordo com a
     conveniência, muitas vezes desrespeitando as
     ideologias e posições políticas. Por que alguns
     trocam tanto de partido? Como isso afeta a
     democracia?
+
    Cinema e ditadura militar :

       Ex:

    Iracema e Terra em Transe

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estado liberal
Estado liberalEstado liberal
Estado liberal
Alexandre Ramos
 
Formas de governos
Formas de governosFormas de governos
Formas de governos
Alex Cabral Rabelo
 
Estado & direito
Estado & direitoEstado & direito
Estado & direito
Alberto Rocha
 
Formacao estado moderno
Formacao estado modernoFormacao estado moderno
Formacao estado moderno
Loredana Ruffo
 
Formação da ideia atual de Estado Democrático
Formação da ideia atual de Estado DemocráticoFormação da ideia atual de Estado Democrático
Formação da ideia atual de Estado Democrático
Ro Bischoff
 
O estado e o pensamento político liberal
O estado e o pensamento político liberalO estado e o pensamento político liberal
O estado e o pensamento político liberal
Davi Islabao
 
Evolução histórica do estado
Evolução histórica do estadoEvolução histórica do estado
Evolução histórica do estado
Marcelo Alencar
 
Capítulo 11 - Política, Poder e Estado
Capítulo 11 - Política, Poder e EstadoCapítulo 11 - Política, Poder e Estado
Capítulo 11 - Política, Poder e Estado
Marcos Antonio Grigorio de Figueiredo
 
República e Democracia - Formas de Governo I - Prof. Doutor Rui Teixeira Santos
República e Democracia - Formas de Governo I - Prof. Doutor Rui Teixeira SantosRepública e Democracia - Formas de Governo I - Prof. Doutor Rui Teixeira Santos
República e Democracia - Formas de Governo I - Prof. Doutor Rui Teixeira Santos
A. Rui Teixeira Santos
 
Liberalismo 2° Fase (Eja)
Liberalismo 2° Fase (Eja)Liberalismo 2° Fase (Eja)
Liberalismo 2° Fase (Eja)
guest147da1
 
O Estado Moderno (aula 01)
O Estado Moderno (aula 01)O Estado Moderno (aula 01)
O Estado Moderno (aula 01)
Carlos Benjoino Bidu
 
Elementos constirutivos do estado
Elementos constirutivos do estadoElementos constirutivos do estado
Elementos constirutivos do estado
Direito Nabuco
 
Concepções do Estado....
Concepções do Estado.... Concepções do Estado....
Concepções do Estado....
Charles Rogers Souza Da Silva (Messer)
 
Estado
EstadoEstado
Estado
darcy arruda
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 10 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 10 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 10 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 10 do Tomazi
pascoalnaib
 
Estado liberal e contratualismo
Estado liberal e contratualismo  Estado liberal e contratualismo
Estado liberal e contratualismo
Lucio Braga
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 11 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 11 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 11 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 11 do Tomazi
pascoalnaib
 
Estado e mercado power point
Estado e mercado power pointEstado e mercado power point
Estado e mercado power point
saaah10
 
Liberalismo Inglês
Liberalismo InglêsLiberalismo Inglês
Liberalismo Inglês
Mari Anny Souza
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE ESTADO - Simulado 3º ano - Sociologia ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE ESTADO - Simulado 3º ano - Sociologia  ...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE ESTADO - Simulado 3º ano - Sociologia  ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE ESTADO - Simulado 3º ano - Sociologia ...
Prof. Noe Assunção
 

Mais procurados (20)

Estado liberal
Estado liberalEstado liberal
Estado liberal
 
Formas de governos
Formas de governosFormas de governos
Formas de governos
 
Estado & direito
Estado & direitoEstado & direito
Estado & direito
 
Formacao estado moderno
Formacao estado modernoFormacao estado moderno
Formacao estado moderno
 
Formação da ideia atual de Estado Democrático
Formação da ideia atual de Estado DemocráticoFormação da ideia atual de Estado Democrático
Formação da ideia atual de Estado Democrático
 
O estado e o pensamento político liberal
O estado e o pensamento político liberalO estado e o pensamento político liberal
O estado e o pensamento político liberal
 
Evolução histórica do estado
Evolução histórica do estadoEvolução histórica do estado
Evolução histórica do estado
 
Capítulo 11 - Política, Poder e Estado
Capítulo 11 - Política, Poder e EstadoCapítulo 11 - Política, Poder e Estado
Capítulo 11 - Política, Poder e Estado
 
República e Democracia - Formas de Governo I - Prof. Doutor Rui Teixeira Santos
República e Democracia - Formas de Governo I - Prof. Doutor Rui Teixeira SantosRepública e Democracia - Formas de Governo I - Prof. Doutor Rui Teixeira Santos
República e Democracia - Formas de Governo I - Prof. Doutor Rui Teixeira Santos
 
Liberalismo 2° Fase (Eja)
Liberalismo 2° Fase (Eja)Liberalismo 2° Fase (Eja)
Liberalismo 2° Fase (Eja)
 
O Estado Moderno (aula 01)
O Estado Moderno (aula 01)O Estado Moderno (aula 01)
O Estado Moderno (aula 01)
 
Elementos constirutivos do estado
Elementos constirutivos do estadoElementos constirutivos do estado
Elementos constirutivos do estado
 
Concepções do Estado....
Concepções do Estado.... Concepções do Estado....
Concepções do Estado....
 
Estado
EstadoEstado
Estado
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 10 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 10 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 10 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 10 do Tomazi
 
Estado liberal e contratualismo
Estado liberal e contratualismo  Estado liberal e contratualismo
Estado liberal e contratualismo
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 11 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 11 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 11 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 11 do Tomazi
 
Estado e mercado power point
Estado e mercado power pointEstado e mercado power point
Estado e mercado power point
 
Liberalismo Inglês
Liberalismo InglêsLiberalismo Inglês
Liberalismo Inglês
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE ESTADO - Simulado 3º ano - Sociologia ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE ESTADO - Simulado 3º ano - Sociologia  ...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE ESTADO - Simulado 3º ano - Sociologia  ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE ESTADO - Simulado 3º ano - Sociologia ...
 

Destaque

Gab cap.20
Gab cap.20Gab cap.20
Sociologia brasileira
Sociologia brasileiraSociologia brasileira
Sociologia brasileira
roberto mosca junior
 
Questionário 01
Questionário 01Questionário 01
Questionário 01
roberto mosca junior
 
Positivismo
PositivismoPositivismo
Resolução uerj
Resolução uerjResolução uerj
Resolução uerj
roberto mosca junior
 
Texto deleuze
Texto deleuze Texto deleuze
Texto deleuze
roberto mosca junior
 
Aula durkheim
Aula durkheimAula durkheim
Aula durkheim
roberto mosca junior
 
Estado contemporâneo_02 (atualizado)
Estado contemporâneo_02 (atualizado)Estado contemporâneo_02 (atualizado)
Estado contemporâneo_02 (atualizado)
roberto mosca junior
 
Industria cultural
Industria culturalIndustria cultural
Industria cultural
roberto mosca junior
 
Uerj 2013
Uerj 2013Uerj 2013
Questionário 02
Questionário 02Questionário 02
Questionário 02
roberto mosca junior
 
Foucault & deleuze
Foucault & deleuzeFoucault & deleuze
Foucault & deleuze
roberto mosca junior
 
Mundo do trabalho
Mundo do trabalhoMundo do trabalho
Mundo do trabalho
roberto mosca junior
 
Ideologia (8º ano CPII)
Ideologia (8º ano CPII)Ideologia (8º ano CPII)
Ideologia (8º ano CPII)
roberto mosca junior
 
Germinal
GerminalGerminal
Instituição religiosa
Instituição religiosaInstituição religiosa
Instituição religiosa
roberto mosca junior
 
Socialização (CPII)
Socialização (CPII)Socialização (CPII)
Socialização (CPII)
roberto mosca junior
 
Cap.7
Cap.7Cap.7
Surgimento da sociologia_2014
Surgimento da sociologia_2014Surgimento da sociologia_2014
Surgimento da sociologia_2014
roberto mosca junior
 

Destaque (20)

Gab cap.20
Gab cap.20Gab cap.20
Gab cap.20
 
Sociologia brasileira
Sociologia brasileiraSociologia brasileira
Sociologia brasileira
 
Questionário 01
Questionário 01Questionário 01
Questionário 01
 
Positivismo
PositivismoPositivismo
Positivismo
 
Resolução uerj
Resolução uerjResolução uerj
Resolução uerj
 
Democracia
DemocraciaDemocracia
Democracia
 
Texto deleuze
Texto deleuze Texto deleuze
Texto deleuze
 
Aula durkheim
Aula durkheimAula durkheim
Aula durkheim
 
Estado contemporâneo_02 (atualizado)
Estado contemporâneo_02 (atualizado)Estado contemporâneo_02 (atualizado)
Estado contemporâneo_02 (atualizado)
 
Industria cultural
Industria culturalIndustria cultural
Industria cultural
 
Uerj 2013
Uerj 2013Uerj 2013
Uerj 2013
 
Questionário 02
Questionário 02Questionário 02
Questionário 02
 
Foucault & deleuze
Foucault & deleuzeFoucault & deleuze
Foucault & deleuze
 
Mundo do trabalho
Mundo do trabalhoMundo do trabalho
Mundo do trabalho
 
Ideologia (8º ano CPII)
Ideologia (8º ano CPII)Ideologia (8º ano CPII)
Ideologia (8º ano CPII)
 
Germinal
GerminalGerminal
Germinal
 
Instituição religiosa
Instituição religiosaInstituição religiosa
Instituição religiosa
 
Socialização (CPII)
Socialização (CPII)Socialização (CPII)
Socialização (CPII)
 
Cap.7
Cap.7Cap.7
Cap.7
 
Surgimento da sociologia_2014
Surgimento da sociologia_2014Surgimento da sociologia_2014
Surgimento da sociologia_2014
 

Semelhante a Aula estado dominação_poder

Estado 02
Estado 02Estado 02
Aula 15 - Estado e Governo
Aula 15 - Estado e GovernoAula 15 - Estado e Governo
Aula 15 - Estado e Governo
Claudio Henrique Ramos Sales
 
5.. formas do poder político
5.. formas do poder político5.. formas do poder político
5.. formas do poder político
Luiz-Salvador Miranda-Sa
 
Slides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdf
Slides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdfSlides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdf
Slides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdf
LeandroBrando21
 
Problemas do Estado Contemporâneo
Problemas do Estado ContemporâneoProblemas do Estado Contemporâneo
Problemas do Estado Contemporâneo
MarcosAlexandre201864
 
Filosofia Política
Filosofia PolíticaFilosofia Política
Filosofia Política
Paulo Alexandre
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ
 
Constituicao e concretizacao da democracia
Constituicao e concretizacao da democraciaConstituicao e concretizacao da democracia
Constituicao e concretizacao da democracia
Thiago Almeida
 
Edd conceito,historiaecontemporaneidade
Edd conceito,historiaecontemporaneidadeEdd conceito,historiaecontemporaneidade
Edd conceito,historiaecontemporaneidade
direitouniube
 
Bobbio
BobbioBobbio
Bobbio
UNICAP
 
sociologia
sociologiasociologia
sociologia
BIANCA WILD
 
O poder e o estado
O poder e o estadoO poder e o estado
O poder e o estado
Lucas Castro
 
Aula 14 - Estado Nacional e Poder Político
Aula 14 - Estado Nacional e Poder PolíticoAula 14 - Estado Nacional e Poder Político
Aula 14 - Estado Nacional e Poder Político
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Resumo ciências politicas - 1ºs pdf
Resumo   ciências politicas - 1ºs pdfResumo   ciências politicas - 1ºs pdf
Resumo ciências politicas - 1ºs pdf
Sos Financeira
 
Poder, Política e Estado.
Poder, Política e Estado.Poder, Política e Estado.
Poder, Política e Estado.
Paula Raphaela
 
Pensamento político de Montesquieu
Pensamento político de MontesquieuPensamento político de Montesquieu
Pensamento político de Montesquieu
Rogerio Terra
 
Politica poder estado
Politica poder  estadoPolitica poder  estado
Politica poder estado
Loredana Ruffo
 
Revisão de filosofia politica
Revisão de filosofia politicaRevisão de filosofia politica
Revisão de filosofia politica
Felipe Serra
 
Estado, políticas públicas e gestão
Estado, políticas públicas e gestãoEstado, políticas públicas e gestão
Estado, políticas públicas e gestão
Espaco_Pedagogia
 
Esta 'esquerda' é a tranquilidade da direita
Esta 'esquerda' é a tranquilidade da direitaEsta 'esquerda' é a tranquilidade da direita
Esta 'esquerda' é a tranquilidade da direita
GRAZIA TANTA
 

Semelhante a Aula estado dominação_poder (20)

Estado 02
Estado 02Estado 02
Estado 02
 
Aula 15 - Estado e Governo
Aula 15 - Estado e GovernoAula 15 - Estado e Governo
Aula 15 - Estado e Governo
 
5.. formas do poder político
5.. formas do poder político5.. formas do poder político
5.. formas do poder político
 
Slides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdf
Slides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdfSlides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdf
Slides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdf
 
Problemas do Estado Contemporâneo
Problemas do Estado ContemporâneoProblemas do Estado Contemporâneo
Problemas do Estado Contemporâneo
 
Filosofia Política
Filosofia PolíticaFilosofia Política
Filosofia Política
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
Constituicao e concretizacao da democracia
Constituicao e concretizacao da democraciaConstituicao e concretizacao da democracia
Constituicao e concretizacao da democracia
 
Edd conceito,historiaecontemporaneidade
Edd conceito,historiaecontemporaneidadeEdd conceito,historiaecontemporaneidade
Edd conceito,historiaecontemporaneidade
 
Bobbio
BobbioBobbio
Bobbio
 
sociologia
sociologiasociologia
sociologia
 
O poder e o estado
O poder e o estadoO poder e o estado
O poder e o estado
 
Aula 14 - Estado Nacional e Poder Político
Aula 14 - Estado Nacional e Poder PolíticoAula 14 - Estado Nacional e Poder Político
Aula 14 - Estado Nacional e Poder Político
 
Resumo ciências politicas - 1ºs pdf
Resumo   ciências politicas - 1ºs pdfResumo   ciências politicas - 1ºs pdf
Resumo ciências politicas - 1ºs pdf
 
Poder, Política e Estado.
Poder, Política e Estado.Poder, Política e Estado.
Poder, Política e Estado.
 
Pensamento político de Montesquieu
Pensamento político de MontesquieuPensamento político de Montesquieu
Pensamento político de Montesquieu
 
Politica poder estado
Politica poder  estadoPolitica poder  estado
Politica poder estado
 
Revisão de filosofia politica
Revisão de filosofia politicaRevisão de filosofia politica
Revisão de filosofia politica
 
Estado, políticas públicas e gestão
Estado, políticas públicas e gestãoEstado, políticas públicas e gestão
Estado, políticas públicas e gestão
 
Esta 'esquerda' é a tranquilidade da direita
Esta 'esquerda' é a tranquilidade da direitaEsta 'esquerda' é a tranquilidade da direita
Esta 'esquerda' é a tranquilidade da direita
 

Mais de roberto mosca junior

Trabalho e sociedade fordismo e toyotismo
Trabalho e sociedade   fordismo e toyotismoTrabalho e sociedade   fordismo e toyotismo
Trabalho e sociedade fordismo e toyotismo
roberto mosca junior
 
Trabalho e sociedade
Trabalho e sociedadeTrabalho e sociedade
Trabalho e sociedade
roberto mosca junior
 
Cultura, ideologia e indústria cultural
Cultura, ideologia e indústria culturalCultura, ideologia e indústria cultural
Cultura, ideologia e indústria cultural
roberto mosca junior
 
Questões de Antropologia (livro)
Questões de Antropologia (livro)Questões de Antropologia (livro)
Questões de Antropologia (livro)
roberto mosca junior
 
Questões de antropologia_01
Questões de antropologia_01Questões de antropologia_01
Questões de antropologia_01
roberto mosca junior
 
Antropologia alteridade
Antropologia alteridadeAntropologia alteridade
Antropologia alteridade
roberto mosca junior
 
Aula de revisão de conteúdo – 8º ano
Aula de revisão de conteúdo – 8º anoAula de revisão de conteúdo – 8º ano
Aula de revisão de conteúdo – 8º ano
roberto mosca junior
 
Aula de revisão de conteúdo – 7º ano
Aula de revisão de conteúdo – 7º anoAula de revisão de conteúdo – 7º ano
Aula de revisão de conteúdo – 7º ano
roberto mosca junior
 
RASCISMO CIENTIFICO
RASCISMO CIENTIFICORASCISMO CIENTIFICO
RASCISMO CIENTIFICO
roberto mosca junior
 
Racismo e miscigenação, democracia racial.
Racismo e miscigenação, democracia racial.Racismo e miscigenação, democracia racial.
Racismo e miscigenação, democracia racial.
roberto mosca junior
 
Aula preconceito e discriminação
Aula preconceito e discriminaçãoAula preconceito e discriminação
Aula preconceito e discriminação
roberto mosca junior
 
Revisão 3º tri
Revisão 3º triRevisão 3º tri
Revisão 3º tri
roberto mosca junior
 
Direitos humanos
Direitos humanosDireitos humanos
Direitos humanos
roberto mosca junior
 
Discussão doc. "Atrásdaporta"
Discussão doc. "Atrásdaporta"Discussão doc. "Atrásdaporta"
Discussão doc. "Atrásdaporta"
roberto mosca junior
 
Mosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociais
Mosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociaisMosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociais
Mosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociais
roberto mosca junior
 
Etnocentrismo e relativismo
Etnocentrismo e relativismoEtnocentrismo e relativismo
Etnocentrismo e relativismo
roberto mosca junior
 
Constituição da república federativa do brasil
Constituição da república federativa do brasilConstituição da república federativa do brasil
Constituição da república federativa do brasil
roberto mosca junior
 
texto de apoio movimentos sociais e correção do ED
texto de apoio movimentos sociais e correção do EDtexto de apoio movimentos sociais e correção do ED
texto de apoio movimentos sociais e correção do ED
roberto mosca junior
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
roberto mosca junior
 
Aula 25 09_14
Aula 25 09_14Aula 25 09_14
Aula 25 09_14
roberto mosca junior
 

Mais de roberto mosca junior (20)

Trabalho e sociedade fordismo e toyotismo
Trabalho e sociedade   fordismo e toyotismoTrabalho e sociedade   fordismo e toyotismo
Trabalho e sociedade fordismo e toyotismo
 
Trabalho e sociedade
Trabalho e sociedadeTrabalho e sociedade
Trabalho e sociedade
 
Cultura, ideologia e indústria cultural
Cultura, ideologia e indústria culturalCultura, ideologia e indústria cultural
Cultura, ideologia e indústria cultural
 
Questões de Antropologia (livro)
Questões de Antropologia (livro)Questões de Antropologia (livro)
Questões de Antropologia (livro)
 
Questões de antropologia_01
Questões de antropologia_01Questões de antropologia_01
Questões de antropologia_01
 
Antropologia alteridade
Antropologia alteridadeAntropologia alteridade
Antropologia alteridade
 
Aula de revisão de conteúdo – 8º ano
Aula de revisão de conteúdo – 8º anoAula de revisão de conteúdo – 8º ano
Aula de revisão de conteúdo – 8º ano
 
Aula de revisão de conteúdo – 7º ano
Aula de revisão de conteúdo – 7º anoAula de revisão de conteúdo – 7º ano
Aula de revisão de conteúdo – 7º ano
 
RASCISMO CIENTIFICO
RASCISMO CIENTIFICORASCISMO CIENTIFICO
RASCISMO CIENTIFICO
 
Racismo e miscigenação, democracia racial.
Racismo e miscigenação, democracia racial.Racismo e miscigenação, democracia racial.
Racismo e miscigenação, democracia racial.
 
Aula preconceito e discriminação
Aula preconceito e discriminaçãoAula preconceito e discriminação
Aula preconceito e discriminação
 
Revisão 3º tri
Revisão 3º triRevisão 3º tri
Revisão 3º tri
 
Direitos humanos
Direitos humanosDireitos humanos
Direitos humanos
 
Discussão doc. "Atrásdaporta"
Discussão doc. "Atrásdaporta"Discussão doc. "Atrásdaporta"
Discussão doc. "Atrásdaporta"
 
Mosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociais
Mosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociaisMosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociais
Mosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociais
 
Etnocentrismo e relativismo
Etnocentrismo e relativismoEtnocentrismo e relativismo
Etnocentrismo e relativismo
 
Constituição da república federativa do brasil
Constituição da república federativa do brasilConstituição da república federativa do brasil
Constituição da república federativa do brasil
 
texto de apoio movimentos sociais e correção do ED
texto de apoio movimentos sociais e correção do EDtexto de apoio movimentos sociais e correção do ED
texto de apoio movimentos sociais e correção do ED
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Aula 25 09_14
Aula 25 09_14Aula 25 09_14
Aula 25 09_14
 

Último

Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
menesabi
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
IsaiasJohaneSimango
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdfLEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LucliaMartins5
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 

Último (20)

Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdfLEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 

Aula estado dominação_poder

  • 1. + Estado, poder e dominação. RMJ
  • 2. + Em relação ao Estado Moderno e suas diversa versões:  Estado Absolutista tinha como uma de suas características a forte intervenção nas atividades econômicas, tal como na possibilidade do rei conceder monopólios.  No Estado capitalista, na sua versão clássica liberal, as fronteiras políticas entre o que é público e o que é privado devem estar bem definidas.  Ainda no modelo de Estado liberal, tem-se o respeito à propriedade privada e ao livre mercado como marca central.  Nos Estados nacionais  O Estado neoliberal pode ser compreendido como um modelo de Estado mínimo que ganhou força depois da crise fiscal iniciada nos anos 1970 como o Choque do Petróleo e que creditou a instabilidade política ao déficit orçamentário que gerava aumento de impostos e inflação.
  • 3. + Absolutismo  “direito de natureza”.  “O direito de natureza, a que os autores geralmente chamam jus naturale, é a liberdade que cada homem possui de usar seu próprio poder, da maneira que quiser, para a preservação de sua própria natureza, ou seja, de sua vida; e consequentemente de fazer tudo aquilo que seu próprio julgamento e razão lhe indiquem como meios adequados a esse fim.” (Hobbes, T. Leviatã. São Paulo: Nova Cultural, p. 78)
  • 4. + Absolutismo  Para Hobbes,[...] o poder soberano, quer resida num homem, como numa monarquia, quer numa assembléia, como nos estados populares e aristocráticos, é o maior que é possível imaginar que os homens possam criar. E, embora seja possível imaginar muitas más conseqüências de um poder tão ilimitado, apesar disso as conseqüências da falta dele, isto é, a guerra perpétua de todos homens com os seus vizinhos, são muito piores.  (HOBBES, T. Leviatã. Tradução de João Paulo Monteiro e Maria Beatriz Nizza da Silva. São Paulo: Nova Cultural, 1988. capítulo XX, p.127.)  O que o Hobbes está dizendo é que as vantagens da sociedade civil são expressivamente superiores às imagináveis vantagens de um estado de natureza.
  • 5. + Absolutismo segundo Maquiavel “ Os fins justificam os meios” O florentino Nicolau Maquiavel (1469- 1527) – O princípe – Uma nova concepção, na qual o novo homem moderno deve separar ética de política.
  • 6. + Como os Clássicos se posicionam:  Marx: o Estado é necessário para garantir a unidade de uma sociedade dividida em classes sociais, submetendo os interesses das classes dominadas aos das classes dominantes.  Weber: o que diferencia o Estado das demais instituições é o fato de ele ter o direito legítimo e exclusivo do uso da força.  Durkheim: Em sociedades complexas, o Estado é uma instituição fundamental para garantir a coesão social, sobrepondo-se às demais instituições e regulando sua coexistência.
  • 7. + Sociologia e o Estado Moderno  Estado não é um fenômeno exclusivamente ocidental e próprio do modo de produção capitalista. Nas demais sociedades, se encontram instituições que assumam funções correlatas.  Ao contrário do que os liberais acham o Estado é fundamental para assegurar as próprias condições de funcionamento da economia de mercado.
  • 8. + Sociologia e o Estado Moderno  centralização e a concentração de poderes, de forma a evitar o surgimento de grupos que disputem com ele o monopólio da violência legítima.  Mesmo passando por um processo de centralização e concentração em termos militares, pode-se afirmar que outras atividades, como a regulação da Justiça, estão inseridas nesse mesmo processo.  O processo de centralização e concentração da cobrança de impostos esteve presente na configuração dos Estados Modernos, pois, afinal, essa atividade evidencia a proposta de tornar o Estado como a única fonte de autoridade política sobre os cidadãos.
  • 9. + Sociologia e o Estado Moderno  O Estado Moderno segurança nacional (como a organização das forças armadas nacionais) posso entregar a instituições de caráter privado, visto que essa estratégia permite a redução dos gastos públicos. Nem os Neoliberais propõe  Apesar da centralização e da concentração serem processos políticos básicos na formação dos Estados Modernos, pode-se afirmar que o arranjo dos poderes e das instituições desses Estados assumiu diferentes formas até hoje.  A cobrança de impostos e a aplicação de multas são atividades tipicamente estatais, pode até dividir com instituições financeiras e bancárias a realização desse tipo de procedimento, mas nunca vai abrir mão.  Nos Estados Modernos a busca pelos chamados poderes paralelos, milícia, ou terceirização de serviços (Ex: Justiça, TCU) é uma disfunção uma vez que a manutenção de um corpo burocrático para administrar o patrimônio público.
  • 10. + Weber: três formas de dominação legítima  O tipo de dominação carismático tende a ser instável e não duradoura , pois a relação de dominação está baseada em critérios irracionais.  Mesmo com seu perfil emotivo e personalizado, uma liderança carismática tem dificuldades em de reformular as bases de um tipo de dominação tradicional.  O tipo de dominação tradicional apresenta um alto grau de instabilidade dentre os três tipos de dominação concebidos por Max Weber, já que as tradições tendem a ser reformuladas de tempos em tempos.  O tipo de dominação tradicional é pouco efetivo na manutenção de dominação porque, de uma forma ou de outra, leis e regras escritas são sempre necessárias para que uma relação desse tipo se mantenha ao longo dos anos  O tipo de dominação racional-legal está presente em governos cujas lideranças políticas permanecem por uma período delimitado no poder.
  • 11. + Poder e dominação  Poder e dominação podem ser considerados diferenciados dentro do pensamento sociológico.  Na Sociologia, toda relação social é, em alguma medida, uma relação de poder. Sendo assim, podemos afirmar que as relações políticas, econômicas, de gênero, etc, sempre apresentam disputas de poder.  O conceito de poder diferencia-se do conceito de dominação na medida em que a dominação se dá quando a obediência às normas impostas por alguma pessoa ou grupo é vista como legítima por quem obedece.  Poder e dominação são conceitos que podem ser aplicados antes do surgimento do Estado Moderno, já que todo o período histórico anterior estava baseado em relações sociais que pressupunha o conflito.
  • 12. + Populismo (cap.12)  Na visão de Jaguaribe e Guerreiro Ramos, o populismo Varguista tinha um traço marcante na liderança carismática. (p.116)  Já para Weffort, tratava-se de um fenômeno de massas e de classes, com certo traço manipulador. (p.116)  Já para Otávio Ianni, foi um fenômeno ideologicamente baseado no nacionalismo, com uma política que envolvia todas as classes sociais, portanto um movimento policlassista. (p.116)
  • 13. + A democracia no Brasil (cap.13)  A política do favor, o clientelismo.  Pressupõe troca de favores políticos por benefícios econômicos.  Pode ser observada através da distribuição pelo poder público de concessões de emissoras de rádio e canais de televisão ou financiamentos para empresas, sempre na busca de apoio e sustentação política de um partido, de uma organização ou de uma família no poder.
  • 14. + A democracia no Brasil (cap.13)  Nãoocorre só nos setores mais atrasados, mas também nos modernos.  Capitalismo sem risco. (Brasil) A economia e outros setores se modernizam mas as práticas políticas, com raríssimas exceções, se mantém atrasados.
  • 15. + A democracia no Brasil (cap.13)  Elatambém aparece no cotidiano, nas relações dos indivíduos com o poder público.  Ela acontece na busca de ajuda para resolver problemas, emergência de trabalho, saúde, etc. Expressa-se ainda na distribuição de verbas assistenciais e nas promessas de construção de escolas, postos de saúde e de doação de ambulâncias, feitas às pessoas ou às instituições por Vereadores, deputados e senadores. Tudo para render votos futuros.
  • 16. + A democracia no Brasil. (cap.13)  Nepotismo e Corrupção  Profissionalismo e impessoalidade. (Weber)  Manipulação de concursos públicos.  Emprego ou favorecimento de parente em cargos públicos, ainda que seja proibido por lei.  Corrupção é sistêmica e não um problema moral pessoal. (tráfico de influências).
  • 17. + A democracia no Brasil (cap.13) A despolitização e economia como foco. A política se resume a tentativa de estabilização monetária, na qual o mercado está acima do Estado, o econômico acima do político, o especulativo acima do produtivo, e o particular acima do geral.
  • 18. + Política Brasileira  Problema da complexidade da realidade, como é difícil analisar o cenário político Brasileiro, segundo dos blocos homogêneos, como na política americana (Democratas e Republicanos) ou na Europa (Liberais e Socialistas), aqui a fidelidade partidária pode mudar de tempos em tempos. Os políticos trocam de partido de acordo com a conveniência, muitas vezes desrespeitando as ideologias e posições políticas. Por que alguns trocam tanto de partido? Como isso afeta a democracia?
  • 19. + Cinema e ditadura militar :  Ex: Iracema e Terra em Transe