SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 62
Estado e Governo 
O que é e quais suas diferenças
• Os atos políticos e as ações do Estado fazem parte de 
nossa vida, e é atuando politicamente que entendemos e 
assumimos nosso papel na sociedade. 
• Os famosos conceitos negativos resultantes de uma ideia 
preconceituosa a respeito da política e do papel do 
Estado, e servem de argumento para justificar a omissão e 
recusa à participação nos assuntos públicos. 
Entendendo o Estado
• Por Estado entende-se a unidade administrativa de um 
território. 
• Não existe Estado sem território. 
• O Estado é formado pelo conjunto de instituições 
públicas que representam, organizam e atendem (ao 
menos em tese) os anseios da população que habita o seu 
território. Entre essas instituições, podemos citar o 
governo, as escolas, as prisões, os hospitais públicos, o 
exército, dentre outras. 
Entendendo o Estado
• As primeiras formas do Estado surgiram quando se 
tornou possível para centralizar o poder em uma forma 
duradoura. 
• Alguns filósofos acreditam que a origem do Estado 
reside, em última instância, a cultura tribal que 
desenvolveu com sensibilidade humana, o modelo para o 
qual foi concedido o alegado "macho alfa" primata das 
micro-sociedades dos nossos antepassados, que eram 
baseadas na coação dos fracos pelo forte. 
Entendendo o Estado
Cidade da Grécia Antiga
• A história do Estado no Ocidente geralmente começa 
com Antiguidade clássica. 
• Houve monarquias cujo poder (tal como o 
do Egito dos Faraós) foi baseado na função religiosa do 
rei e do seu controle de um exército centralizado. 
• Houve também grande, quase burocratizados impérios, 
como o Império Romano, que dependia menos da função 
religiosa e mais centralizada sobre militares e 
organizações legais e de uma coesão da aristocracia. 
Estado na 
Antiguidade Clássica
• Também vieram na Antiguidade clássica inovações como 
na cidade-estados e a República Romana. 
• A Grécia Antiga, durante o século IV AC, 
concedeu cidadania à população livre, e em Atenas esses 
direitos foram combinadas com uma democrática forma de 
governo embrionária. 
• Em contrapartida, Roma desenvolveu logo após o fim 
da monarquia e a posterior república, que era regida por 
um senado e dominado pela aristocracia romana. 
• O sistema político romano contribuiu para o desenvolvimento 
das leis e para a distinção entre a esfera privada e a pública. 
Estado na 
Antiguidade Clássica
Faraó como Representante absoluto de um Estado Egípcio antigo.
Pirâmide da Hierarquia Egípcia
Cidade da Grécia Antiga - Ilustração
Cidade da Grécia Antiga - Hoje
Uma Assembleia Política
• No período medieval, o poder do Estado ficava nas mãos 
dos senhores feudais. 
• Pois estes tinham o poder das terras e da sociedade. 
• A sociedade medieval era formada pela nobreza, que 
apenas combatiam, podendo, muitas vezes exercer 
funções como administradoras, juízes ou até pessoas da 
Igreja. 
• O Direito neste período assume valor de favorecimento a 
classe possuidora de terras, encontrava-se esfacelado, 
favorecendo a nobreza. 
Estado na 
Idade Medieval
O Estado no Período Medieval
• O Estado moderno surgiu da desintegração do mundo 
feudal e das relações políticas até então dominantes na 
Europa. 
• Paralelamente, a partir do século XIV, ocorreu um 
processo de centralização e concentração: 
Nosso Estado, 
O Estado Moderno
• As Forças Armadas e do monopólio da violência; 
• As Estruturas Jurídica, isto é, dos juízes dos tribunais em 
várias instâncias; 
• As cobranças de Impostos – Um signo do Poder e, ao 
mesmo tempo, o meio de assegurar a manutenção das 
Forças Armadas, da burocracia e do corpo jurídico; 
• Um Corpo Burocrático para administrar o patrimônio 
público, como as estradas, os portos, o sistema 
educacional, a saúde, o transporte, as comunicações e 
outros tantos setores. 
Nosso Estado, 
O Estado Moderno
Força Armada - Antes
Força Armada - Depois
As Forças Armadas são o poder do Estado
O Poder Judiciário anda lado a lado com o Sistema do Estado.
Os Impostos são o combustível do Estado.
Burocratização é administração de Estado.
• Surgido no contexto da expansão do mercantilismo, o 
Estado absolutista foi implantado primeiro em Portugal, 
no final do século XIV, com a Revolução de Avis. 
• Assumindo o controle das atividades econômicas, o 
Estado intervinha nas concessões dos monopólios, fixava 
preço e tarifas, administrava a moeda e os metais 
preciosos. 
• O Estado absolutista assumia também a responsabilidade 
de centralizar e praticar a justiça e de cuidar do 
contingente militar, criando exércitos profissionais. 
Nosso Estado, 
O Estado Moderno: Absolutismo
Ilustração da Revolução de Avis.
Luiz XVI.
Ilustração do Estado Absolutista.
• O Liberalismo emergiu no século XVIII como reação ao 
absolutismo, tendo como valores primordiais o individualismo, 
a liberdade e a propriedade privada. 
• Nessa fase do capitalismo, os resquícios feudais foram sendo 
extintos, enquanto o capital industrial se implantava e o 
trabalho assalariado tornava-se fundamental para o 
desenvolvimento da indústria. 
• O Estado Liberal apresentava-se como representante de toda a 
sociedade tendo o papel de “guardião da ordem”; não lhe 
caberia intervir nas relações entre os indivíduos, mas manter a 
segurança para que todos pudessem desenvolver livremente 
suas atividades. Com o Estado liberal, estabeleceu-se a 
separação entre o público e o privado. 
Nosso Estado, 
O Estado Moderno: Liberalismo
• Politicamente, Estado liberal se fundamenta na ideia de 
soberania popular. 
• Exemplo disso é na constituição do Brasil art. 1º: “Todo poder 
emana do povo que exerce por meio de representantes eleitos 
ou diretamente, nos termos desta Constituição” 
• O Parlamento é, assim, a instituição central do Estado Liberal. 
• De acorod com o pensamento liberal, o Estado não deve 
intervir nas atividades econômicas. A Famosa fórmula laissez-faire, 
laissez-passer (deixai fazer, deixai passar). 
Nosso Estado, 
O Estado Moderno: Liberalismo
• A Ruina desse Estado foi no final do século XIX, junto 
com a Primeira Guerra Mundial. 
• Isso aconteceu porque a intensa concorrência entre as 
empresas foi provocando o desaparecimento das 
pequenas firmas, que faliam ou eram compradas pelas 
maiores. 
Nosso Estado, 
O Estado Moderno: Liberalismo
Ilustração de reunião liberalista.
Adam Smith.
Charge Liberalista.
O Famoso Dizer: “Deixa Fazer, Deixar Passar!”.
O Estado Fascista e o Estado Soviética 
• No século XX, esgotado pelas próprias condições sociais 
e econômicas que o geraram, o Estado Liberal não dava 
mais conta da realidade e dos interesses da burguesia. A 
partir da Primeira Guerra Mundial, surgiram duas novas 
formas de organização estatal: o Estado fascista e o 
Estado soviético. 
Nosso Estado, 
O Estado Moderno: Nacionalismo
• O Estado Fascista foi organizado nas décadas de 1920 e 
1930, primeiro na Itália e depois na Alemanha (com o 
Nazismo) e em vários países europeus, com pequenas 
diferenças. O Estado soviético decorreu da primeira 
experiência socialista, iniciada em 1917, na Rússia. 
• Por meio dela procurava-se fazer frente às condições 
precárias de vida das classes trabalhadores. 
Nosso Estado, 
O Estado Moderno: Nacionalismo
• No Estado Fascista, a participação política significava 
plena adesão ao regime e a seu líder máximo, ou seja, 
ninguém podia fazer qualquer crítica ou oposição ao 
governo. 
• Na Rússia pós-revolucionaria, o desafio era criar 
mecanismos efetivos de participação dos camponeses, 
operários e soldados, desde que fossem organizados no 
interior do Partido Comunistas, que era a estrutura 
política dominante. 
Nosso Estado, 
O Estado Moderno: Nacionalismo
• A URSS organizava-se como um Estado planificado e 
centralizado, cujos órgão estavam ligados ao Partido 
Comunista. 
• Não havia possibilidade de participar politicamente se não 
fosse nesse partido, pois somente ele era permitido. 
• Com os problemas interno na URSS e com crescente 
movimento da Globalização o sistema de Estado Soviético 
começou a ruir, primeiros em países que tinham adotado. 
• Em 1989, com o Acontecimento da Queda do Muro de Berlim, 
de forma simbólica e conclusiva o Estado soviético na atual 
Rússia foi selado. 
Nosso Estado, 
O Estado Moderno: Nacionalismo
Símbolo Fascista
Benedito Mussolini
Suástica Nazista
Adolf Hitler
Símbolo da URSS
Josef Stalin
O Estado do Bem-Estar Social 
• Ou Estado Social é um modelo criado pelos países 
capitalistas para que se permitam enfrentar, por um lado, 
os movimentos de trabalhadores que exigem melhores 
condições de vida e por outro lado, as necessidades do 
capital, que buscava alternativas para a construção de 
uma nova ordem econômica mundial diante de um bloco 
socialista. 
• O Estado do bem-estar social tinha como finalidade e 
característica básica a intervenção estatal nas atividades 
econômicas. 
Nosso Estado, 
O Estado Moderno: Estado Social
• A ideia era romper com o centenário principio do 
liberalismo, que rejeitava qualquer função 
intervencionista do estado. 
• Isso foi feito com investimentos maciços por parte do 
Estado, que redimensionava suas prioridades para 
proporcionar trabalha e algum rendimento â maior parte 
da população, a fim de que ela se tornasse consumidora e, 
assim, possibilitasse a manutenção da produção sempre 
elevada. “Cidadania do Consumidor”. 
Nosso Estado, 
O Estado Moderno: Estado Social
Ilustração do Estado Social.
Homo Cosumens
Globalização
Globalização
• A partir da década de 1970, após a crise do petróleo. O 
Capitalismo enfrentava então vários desafios. 
• As empresas multinacionais precisavam expandir-se, ao 
mesmo tempo em que havia um desemprego crescente 
nos Estados Unidos e nos países europeus; 
• Os movimentos grevistas se intensificavam em quase 
toda a Europa; 
• Aumentava o endividamento dos países em 
desenvolvimentos; 
Nosso Estado, 
O Estado Moderno: Neoliberalismo
• Os Analistas, atribuíram a crise aos gastos dos Estados 
com políticas sociais, o que gerava déficits 
orçamentários, mais impostos e, portanto, aumento da 
inflação. 
• Por causa disso, o bem-estar dos cidadãos deveria ficar 
por conta deles mesmos, já que se gastava muito com 
saúde e educação pública, com previdência e o apoio aos 
desempregados idosos. 
• O Estado Mínimo, com o mínimo de participação do 
Estado nas vidas das pessoas. 
Nosso Estado, 
O Estado Moderno: Neoliberalismo
• O Estado Neoliberal ficou sendo pioneiro com Margareth 
Thatcher, na Inglaterra, e de Ronald Reagan, no E.U.A. 
• Entretanto o Estado não deixou de intervir em vários aspectos, 
mantendo orçamentos militares altíssimos e muitos gastos para 
amparar as grandes empresas e o sistema financeiro. 
• Os Neoliberais diziam que era necessário ter mais rapidez para 
tomar decisões no mundo dos negócios e que o capital privado 
precisava de mais espaço para crescer. 
• Reforçavam assim os valores e o modo de vida capitalistas, o 
individualismo como elemento fundamental, a livre iniciativa, 
o livre mercado, a empresa privada e o poder de consumo 
como forma de realização pessoal. 
Nosso Estado, 
O Estado Moderno: Neoliberalismo
Ilustração do Neoliberalismo.
Ilustração do Neoliberalismo.
Friedrick von Hayek. Analista para imposição do Neoliberalismo.
Milton Friedman. Analista para imposição do Neoliberalismo.
Margareth Thatcher, pioneira do Neoliberalismo na Inglaterra.
“A Dama de Ferro” conta a vida de Margareth Thatcher.
Ronald Reagan, pioneiro do Neoliberalismo nos E.U.A.
George W. Bush, percursor do Neoliberalismo nos E.U.A.
Fernando Collor de Melo, pioneiro do Neoliberalismo no Brasil.
Fernando Henrique Cardoso, percursor do Neoliberalismo no Brasil.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistema De Governo
Sistema De GovernoSistema De Governo
Sistema De Governo
ecsette
 
O poder e o estado
O poder e o estadoO poder e o estado
O poder e o estado
Lucas Castro
 
Evolução histórica do estado
Evolução histórica do estadoEvolução histórica do estado
Evolução histórica do estado
Marcelo Alencar
 
Teoria Geral do Estado - Aula 5
Teoria Geral do Estado - Aula 5Teoria Geral do Estado - Aula 5
Teoria Geral do Estado - Aula 5
Carlagi Gi
 

Mais procurados (19)

Regimes Políticos a Democracia
Regimes Políticos a DemocraciaRegimes Políticos a Democracia
Regimes Políticos a Democracia
 
Formas de governos
Formas de governosFormas de governos
Formas de governos
 
Elementos constirutivos do estado
Elementos constirutivos do estadoElementos constirutivos do estado
Elementos constirutivos do estado
 
Sistema De Governo
Sistema De GovernoSistema De Governo
Sistema De Governo
 
Formas de governo
Formas de governoFormas de governo
Formas de governo
 
Estado
EstadoEstado
Estado
 
Aula estado dominação_poder
Aula estado dominação_poderAula estado dominação_poder
Aula estado dominação_poder
 
Política e poder
Política e poderPolítica e poder
Política e poder
 
Sistemas e formas de governo
Sistemas e formas de governoSistemas e formas de governo
Sistemas e formas de governo
 
O poder e o estado
O poder e o estadoO poder e o estado
O poder e o estado
 
Formas de governo
Formas de governoFormas de governo
Formas de governo
 
Estado e direito
Estado e direitoEstado e direito
Estado e direito
 
Filosofia Política
Filosofia PolíticaFilosofia Política
Filosofia Política
 
Concepções do Estado....
Concepções do Estado.... Concepções do Estado....
Concepções do Estado....
 
O CONCEITO DE ESTADO - Prof. Noe Assunção
O CONCEITO DE ESTADO - Prof. Noe AssunçãoO CONCEITO DE ESTADO - Prof. Noe Assunção
O CONCEITO DE ESTADO - Prof. Noe Assunção
 
Evolução histórica do estado
Evolução histórica do estadoEvolução histórica do estado
Evolução histórica do estado
 
Introdução à teoria geral do estado
Introdução à teoria geral do estadoIntrodução à teoria geral do estado
Introdução à teoria geral do estado
 
Poder, política e estado
Poder, política e estadoPoder, política e estado
Poder, política e estado
 
Teoria Geral do Estado - Aula 5
Teoria Geral do Estado - Aula 5Teoria Geral do Estado - Aula 5
Teoria Geral do Estado - Aula 5
 

Semelhante a Estado e governo blog

Constitucionalismo
ConstitucionalismoConstitucionalismo
Constitucionalismo
Debora Rocha
 
Sociologia e filosofia
Sociologia e filosofiaSociologia e filosofia
Sociologia e filosofia
Silvana
 
áRea De IntegraçãO
áRea De IntegraçãOáRea De IntegraçãO
áRea De IntegraçãO
Rita
 
Estado, políticas públicas e gestão
Estado, políticas públicas e gestãoEstado, políticas públicas e gestão
Estado, políticas públicas e gestão
Espaco_Pedagogia
 
Historia tema10-estadonovo intervencionismo
Historia tema10-estadonovo intervencionismoHistoria tema10-estadonovo intervencionismo
Historia tema10-estadonovo intervencionismo
Ana Cristina F
 

Semelhante a Estado e governo blog (20)

Estado 02
Estado 02Estado 02
Estado 02
 
Estado
EstadoEstado
Estado
 
Estado 02
Estado 02Estado 02
Estado 02
 
Constitucionalismo
ConstitucionalismoConstitucionalismo
Constitucionalismo
 
Sociologia e filosofia
Sociologia e filosofiaSociologia e filosofia
Sociologia e filosofia
 
áRea De IntegraçãO
áRea De IntegraçãOáRea De IntegraçãO
áRea De IntegraçãO
 
Formacao estado moderno
Formacao estado modernoFormacao estado moderno
Formacao estado moderno
 
Capitulo 10 como surgiu o estado moderno
Capitulo 10   como surgiu o estado modernoCapitulo 10   como surgiu o estado moderno
Capitulo 10 como surgiu o estado moderno
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 10 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 10 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 10 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 10 do Tomazi
 
Sociologia Capítulo 10 - Como surgiu o Estado moderno
Sociologia Capítulo 10 - Como surgiu o Estado modernoSociologia Capítulo 10 - Como surgiu o Estado moderno
Sociologia Capítulo 10 - Como surgiu o Estado moderno
 
Liberalismo (1)
Liberalismo (1)Liberalismo (1)
Liberalismo (1)
 
O estado contemporaneo
O estado contemporaneoO estado contemporaneo
O estado contemporaneo
 
Políticas Públicas de Educação
Políticas Públicas de EducaçãoPolíticas Públicas de Educação
Políticas Públicas de Educação
 
Estado, políticas públicas e gestão
Estado, políticas públicas e gestãoEstado, políticas públicas e gestão
Estado, políticas públicas e gestão
 
Estado novo ana machado
Estado novo  ana machadoEstado novo  ana machado
Estado novo ana machado
 
1. DIREITO E CIDADANIA.ppt
1. DIREITO E CIDADANIA.ppt1. DIREITO E CIDADANIA.ppt
1. DIREITO E CIDADANIA.ppt
 
1. DIREITO E CIDADANIA.ppt
1. DIREITO E CIDADANIA.ppt1. DIREITO E CIDADANIA.ppt
1. DIREITO E CIDADANIA.ppt
 
Norberto Bobbio Estado, Governo, Sociedade BC&H UFABC 2010 Estado e Relações ...
Norberto Bobbio Estado, Governo, Sociedade BC&H UFABC 2010 Estado e Relações ...Norberto Bobbio Estado, Governo, Sociedade BC&H UFABC 2010 Estado e Relações ...
Norberto Bobbio Estado, Governo, Sociedade BC&H UFABC 2010 Estado e Relações ...
 
Cidadania e democracia
Cidadania e democraciaCidadania e democracia
Cidadania e democracia
 
Historia tema10-estadonovo intervencionismo
Historia tema10-estadonovo intervencionismoHistoria tema10-estadonovo intervencionismo
Historia tema10-estadonovo intervencionismo
 

Mais de dinicmax

Símbolos blog
Símbolos   blogSímbolos   blog
Símbolos blog
dinicmax
 
O que nos une blog
O que nos une   blogO que nos une   blog
O que nos une blog
dinicmax
 
O trabalho nas nossas vidas blog
O trabalho nas nossas vidas   blogO trabalho nas nossas vidas   blog
O trabalho nas nossas vidas blog
dinicmax
 
O povo e suas manifestações
O povo e suas manifestaçõesO povo e suas manifestações
O povo e suas manifestações
dinicmax
 
A cultura do homem
A cultura do homemA cultura do homem
A cultura do homem
dinicmax
 
O jovem na sociedade
O jovem na sociedadeO jovem na sociedade
O jovem na sociedade
dinicmax
 
A sociologia e a sociedade
A sociologia e a sociedadeA sociologia e a sociedade
A sociologia e a sociedade
dinicmax
 
Cidadão e cidadania
Cidadão e cidadaniaCidadão e cidadania
Cidadão e cidadania
dinicmax
 
Diversidades no brasil
Diversidades no brasilDiversidades no brasil
Diversidades no brasil
dinicmax
 
Redemocratização e neoliberalismo
Redemocratização e  neoliberalismoRedemocratização e  neoliberalismo
Redemocratização e neoliberalismo
dinicmax
 
Reforma agrária no brasil
Reforma agrária no brasilReforma agrária no brasil
Reforma agrária no brasil
dinicmax
 
Redemocratização
RedemocratizaçãoRedemocratização
Redemocratização
dinicmax
 
Manifestações culturais no brasil durante a ditadura
Manifestações culturais no brasil durante a ditaduraManifestações culturais no brasil durante a ditadura
Manifestações culturais no brasil durante a ditadura
dinicmax
 
Direitos humanos
Direitos humanosDireitos humanos
Direitos humanos
dinicmax
 
Ditadura militar e direitos humanos
Ditadura militar e direitos humanosDitadura militar e direitos humanos
Ditadura militar e direitos humanos
dinicmax
 
Década de 60
Década de 60Década de 60
Década de 60
dinicmax
 
História 2º ano 3º
História   2º ano 3ºHistória   2º ano 3º
História 2º ano 3º
dinicmax
 
Independencias
IndependenciasIndependencias
Independencias
dinicmax
 
Movimentos políticos na década 50
Movimentos políticos na década 50Movimentos políticos na década 50
Movimentos políticos na década 50
dinicmax
 

Mais de dinicmax (20)

Símbolos blog
Símbolos   blogSímbolos   blog
Símbolos blog
 
O que nos une blog
O que nos une   blogO que nos une   blog
O que nos une blog
 
O trabalho nas nossas vidas blog
O trabalho nas nossas vidas   blogO trabalho nas nossas vidas   blog
O trabalho nas nossas vidas blog
 
O povo e suas manifestações
O povo e suas manifestaçõesO povo e suas manifestações
O povo e suas manifestações
 
A cultura do homem
A cultura do homemA cultura do homem
A cultura do homem
 
O jovem na sociedade
O jovem na sociedadeO jovem na sociedade
O jovem na sociedade
 
A sociologia e a sociedade
A sociologia e a sociedadeA sociologia e a sociedade
A sociologia e a sociedade
 
Cidadão e cidadania
Cidadão e cidadaniaCidadão e cidadania
Cidadão e cidadania
 
Diversidades no brasil
Diversidades no brasilDiversidades no brasil
Diversidades no brasil
 
Redemocratização e neoliberalismo
Redemocratização e  neoliberalismoRedemocratização e  neoliberalismo
Redemocratização e neoliberalismo
 
Reforma agrária no brasil
Reforma agrária no brasilReforma agrária no brasil
Reforma agrária no brasil
 
Redemocratização
RedemocratizaçãoRedemocratização
Redemocratização
 
Manifestações culturais no brasil durante a ditadura
Manifestações culturais no brasil durante a ditaduraManifestações culturais no brasil durante a ditadura
Manifestações culturais no brasil durante a ditadura
 
Direitos humanos
Direitos humanosDireitos humanos
Direitos humanos
 
História
HistóriaHistória
História
 
Ditadura militar e direitos humanos
Ditadura militar e direitos humanosDitadura militar e direitos humanos
Ditadura militar e direitos humanos
 
Década de 60
Década de 60Década de 60
Década de 60
 
História 2º ano 3º
História   2º ano 3ºHistória   2º ano 3º
História 2º ano 3º
 
Independencias
IndependenciasIndependencias
Independencias
 
Movimentos políticos na década 50
Movimentos políticos na década 50Movimentos políticos na década 50
Movimentos políticos na década 50
 

Estado e governo blog

  • 1. Estado e Governo O que é e quais suas diferenças
  • 2. • Os atos políticos e as ações do Estado fazem parte de nossa vida, e é atuando politicamente que entendemos e assumimos nosso papel na sociedade. • Os famosos conceitos negativos resultantes de uma ideia preconceituosa a respeito da política e do papel do Estado, e servem de argumento para justificar a omissão e recusa à participação nos assuntos públicos. Entendendo o Estado
  • 3. • Por Estado entende-se a unidade administrativa de um território. • Não existe Estado sem território. • O Estado é formado pelo conjunto de instituições públicas que representam, organizam e atendem (ao menos em tese) os anseios da população que habita o seu território. Entre essas instituições, podemos citar o governo, as escolas, as prisões, os hospitais públicos, o exército, dentre outras. Entendendo o Estado
  • 4. • As primeiras formas do Estado surgiram quando se tornou possível para centralizar o poder em uma forma duradoura. • Alguns filósofos acreditam que a origem do Estado reside, em última instância, a cultura tribal que desenvolveu com sensibilidade humana, o modelo para o qual foi concedido o alegado "macho alfa" primata das micro-sociedades dos nossos antepassados, que eram baseadas na coação dos fracos pelo forte. Entendendo o Estado
  • 6. • A história do Estado no Ocidente geralmente começa com Antiguidade clássica. • Houve monarquias cujo poder (tal como o do Egito dos Faraós) foi baseado na função religiosa do rei e do seu controle de um exército centralizado. • Houve também grande, quase burocratizados impérios, como o Império Romano, que dependia menos da função religiosa e mais centralizada sobre militares e organizações legais e de uma coesão da aristocracia. Estado na Antiguidade Clássica
  • 7. • Também vieram na Antiguidade clássica inovações como na cidade-estados e a República Romana. • A Grécia Antiga, durante o século IV AC, concedeu cidadania à população livre, e em Atenas esses direitos foram combinadas com uma democrática forma de governo embrionária. • Em contrapartida, Roma desenvolveu logo após o fim da monarquia e a posterior república, que era regida por um senado e dominado pela aristocracia romana. • O sistema político romano contribuiu para o desenvolvimento das leis e para a distinção entre a esfera privada e a pública. Estado na Antiguidade Clássica
  • 8. Faraó como Representante absoluto de um Estado Egípcio antigo.
  • 10. Cidade da Grécia Antiga - Ilustração
  • 11. Cidade da Grécia Antiga - Hoje
  • 13. • No período medieval, o poder do Estado ficava nas mãos dos senhores feudais. • Pois estes tinham o poder das terras e da sociedade. • A sociedade medieval era formada pela nobreza, que apenas combatiam, podendo, muitas vezes exercer funções como administradoras, juízes ou até pessoas da Igreja. • O Direito neste período assume valor de favorecimento a classe possuidora de terras, encontrava-se esfacelado, favorecendo a nobreza. Estado na Idade Medieval
  • 14. O Estado no Período Medieval
  • 15. • O Estado moderno surgiu da desintegração do mundo feudal e das relações políticas até então dominantes na Europa. • Paralelamente, a partir do século XIV, ocorreu um processo de centralização e concentração: Nosso Estado, O Estado Moderno
  • 16. • As Forças Armadas e do monopólio da violência; • As Estruturas Jurídica, isto é, dos juízes dos tribunais em várias instâncias; • As cobranças de Impostos – Um signo do Poder e, ao mesmo tempo, o meio de assegurar a manutenção das Forças Armadas, da burocracia e do corpo jurídico; • Um Corpo Burocrático para administrar o patrimônio público, como as estradas, os portos, o sistema educacional, a saúde, o transporte, as comunicações e outros tantos setores. Nosso Estado, O Estado Moderno
  • 18. Força Armada - Depois
  • 19. As Forças Armadas são o poder do Estado
  • 20. O Poder Judiciário anda lado a lado com o Sistema do Estado.
  • 21. Os Impostos são o combustível do Estado.
  • 23. • Surgido no contexto da expansão do mercantilismo, o Estado absolutista foi implantado primeiro em Portugal, no final do século XIV, com a Revolução de Avis. • Assumindo o controle das atividades econômicas, o Estado intervinha nas concessões dos monopólios, fixava preço e tarifas, administrava a moeda e os metais preciosos. • O Estado absolutista assumia também a responsabilidade de centralizar e praticar a justiça e de cuidar do contingente militar, criando exércitos profissionais. Nosso Estado, O Estado Moderno: Absolutismo
  • 26. Ilustração do Estado Absolutista.
  • 27. • O Liberalismo emergiu no século XVIII como reação ao absolutismo, tendo como valores primordiais o individualismo, a liberdade e a propriedade privada. • Nessa fase do capitalismo, os resquícios feudais foram sendo extintos, enquanto o capital industrial se implantava e o trabalho assalariado tornava-se fundamental para o desenvolvimento da indústria. • O Estado Liberal apresentava-se como representante de toda a sociedade tendo o papel de “guardião da ordem”; não lhe caberia intervir nas relações entre os indivíduos, mas manter a segurança para que todos pudessem desenvolver livremente suas atividades. Com o Estado liberal, estabeleceu-se a separação entre o público e o privado. Nosso Estado, O Estado Moderno: Liberalismo
  • 28. • Politicamente, Estado liberal se fundamenta na ideia de soberania popular. • Exemplo disso é na constituição do Brasil art. 1º: “Todo poder emana do povo que exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição” • O Parlamento é, assim, a instituição central do Estado Liberal. • De acorod com o pensamento liberal, o Estado não deve intervir nas atividades econômicas. A Famosa fórmula laissez-faire, laissez-passer (deixai fazer, deixai passar). Nosso Estado, O Estado Moderno: Liberalismo
  • 29. • A Ruina desse Estado foi no final do século XIX, junto com a Primeira Guerra Mundial. • Isso aconteceu porque a intensa concorrência entre as empresas foi provocando o desaparecimento das pequenas firmas, que faliam ou eram compradas pelas maiores. Nosso Estado, O Estado Moderno: Liberalismo
  • 30. Ilustração de reunião liberalista.
  • 33. O Famoso Dizer: “Deixa Fazer, Deixar Passar!”.
  • 34. O Estado Fascista e o Estado Soviética • No século XX, esgotado pelas próprias condições sociais e econômicas que o geraram, o Estado Liberal não dava mais conta da realidade e dos interesses da burguesia. A partir da Primeira Guerra Mundial, surgiram duas novas formas de organização estatal: o Estado fascista e o Estado soviético. Nosso Estado, O Estado Moderno: Nacionalismo
  • 35. • O Estado Fascista foi organizado nas décadas de 1920 e 1930, primeiro na Itália e depois na Alemanha (com o Nazismo) e em vários países europeus, com pequenas diferenças. O Estado soviético decorreu da primeira experiência socialista, iniciada em 1917, na Rússia. • Por meio dela procurava-se fazer frente às condições precárias de vida das classes trabalhadores. Nosso Estado, O Estado Moderno: Nacionalismo
  • 36. • No Estado Fascista, a participação política significava plena adesão ao regime e a seu líder máximo, ou seja, ninguém podia fazer qualquer crítica ou oposição ao governo. • Na Rússia pós-revolucionaria, o desafio era criar mecanismos efetivos de participação dos camponeses, operários e soldados, desde que fossem organizados no interior do Partido Comunistas, que era a estrutura política dominante. Nosso Estado, O Estado Moderno: Nacionalismo
  • 37. • A URSS organizava-se como um Estado planificado e centralizado, cujos órgão estavam ligados ao Partido Comunista. • Não havia possibilidade de participar politicamente se não fosse nesse partido, pois somente ele era permitido. • Com os problemas interno na URSS e com crescente movimento da Globalização o sistema de Estado Soviético começou a ruir, primeiros em países que tinham adotado. • Em 1989, com o Acontecimento da Queda do Muro de Berlim, de forma simbólica e conclusiva o Estado soviético na atual Rússia foi selado. Nosso Estado, O Estado Moderno: Nacionalismo
  • 44. O Estado do Bem-Estar Social • Ou Estado Social é um modelo criado pelos países capitalistas para que se permitam enfrentar, por um lado, os movimentos de trabalhadores que exigem melhores condições de vida e por outro lado, as necessidades do capital, que buscava alternativas para a construção de uma nova ordem econômica mundial diante de um bloco socialista. • O Estado do bem-estar social tinha como finalidade e característica básica a intervenção estatal nas atividades econômicas. Nosso Estado, O Estado Moderno: Estado Social
  • 45. • A ideia era romper com o centenário principio do liberalismo, que rejeitava qualquer função intervencionista do estado. • Isso foi feito com investimentos maciços por parte do Estado, que redimensionava suas prioridades para proporcionar trabalha e algum rendimento â maior parte da população, a fim de que ela se tornasse consumidora e, assim, possibilitasse a manutenção da produção sempre elevada. “Cidadania do Consumidor”. Nosso Estado, O Estado Moderno: Estado Social
  • 50. • A partir da década de 1970, após a crise do petróleo. O Capitalismo enfrentava então vários desafios. • As empresas multinacionais precisavam expandir-se, ao mesmo tempo em que havia um desemprego crescente nos Estados Unidos e nos países europeus; • Os movimentos grevistas se intensificavam em quase toda a Europa; • Aumentava o endividamento dos países em desenvolvimentos; Nosso Estado, O Estado Moderno: Neoliberalismo
  • 51. • Os Analistas, atribuíram a crise aos gastos dos Estados com políticas sociais, o que gerava déficits orçamentários, mais impostos e, portanto, aumento da inflação. • Por causa disso, o bem-estar dos cidadãos deveria ficar por conta deles mesmos, já que se gastava muito com saúde e educação pública, com previdência e o apoio aos desempregados idosos. • O Estado Mínimo, com o mínimo de participação do Estado nas vidas das pessoas. Nosso Estado, O Estado Moderno: Neoliberalismo
  • 52. • O Estado Neoliberal ficou sendo pioneiro com Margareth Thatcher, na Inglaterra, e de Ronald Reagan, no E.U.A. • Entretanto o Estado não deixou de intervir em vários aspectos, mantendo orçamentos militares altíssimos e muitos gastos para amparar as grandes empresas e o sistema financeiro. • Os Neoliberais diziam que era necessário ter mais rapidez para tomar decisões no mundo dos negócios e que o capital privado precisava de mais espaço para crescer. • Reforçavam assim os valores e o modo de vida capitalistas, o individualismo como elemento fundamental, a livre iniciativa, o livre mercado, a empresa privada e o poder de consumo como forma de realização pessoal. Nosso Estado, O Estado Moderno: Neoliberalismo
  • 55. Friedrick von Hayek. Analista para imposição do Neoliberalismo.
  • 56. Milton Friedman. Analista para imposição do Neoliberalismo.
  • 57. Margareth Thatcher, pioneira do Neoliberalismo na Inglaterra.
  • 58. “A Dama de Ferro” conta a vida de Margareth Thatcher.
  • 59. Ronald Reagan, pioneiro do Neoliberalismo nos E.U.A.
  • 60. George W. Bush, percursor do Neoliberalismo nos E.U.A.
  • 61. Fernando Collor de Melo, pioneiro do Neoliberalismo no Brasil.
  • 62. Fernando Henrique Cardoso, percursor do Neoliberalismo no Brasil.