SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
A Primavera Árabe e a
                     revolução semântica




Inês Amaral – Instituto Superior Miguel Torga / CECS (Centro de Estudos
       de Comunicação e Sociedade da Universidade do Minho)

   XXXIII Colóquios de Relações Internacionais da Universidade do Minho
                                Março 2012
Revolução Social @ curso


               Sociedades infoincluídas e infoexcluídas

                Dinâmicas próprias: novos espaços
                 sociotecnológicos

                Potencial de disseminação de informação e
                 conhecimento através das tecnologias

                Geografia sóciotecnológica de redes e nós
                 interligados por fluxos de informação
A rede em números


             Os números das sociedades infoincluídas

              2010: 28.7% da população mundial tem
              acesso à Internet

              2000 a 2010: projecção de crescimento de
              444.8%

              31 de Dezembro de 2011: 32.7% da
              população mundial tem acesso à Internet

              Twitter: 1 milhão de tweets por semana
              Facebook: 845 milhões de utilizadores
A Internet como espaço de espaços
Web Social


             Mudança social e comunicacional

              Comunicação e interacção em modelo
               colectivo

              Modelo alternativo e emergente de
               comunicação

              Esferas “tecnosociais” na vida quotidiana
              Alterações no panorama da comunicação
A era da cultura da convergência


                 Novos [velhos] rótulos para a Internet

                  A sabedoria das multidões (Surowiecki)
                  Inteligência colectiva (Lévy)
                  Inteligência conectiva (Kerchove)
                  Intercriatividade (Berners-Lee)
Modelação pela técnica


                 Comunicação orientada à sociabilização

                  Plataformas participativas
                  Reformulação do processo tradicional de
                   comunicação

                  Mutação do conceito de esfera pública
                  Novas formas de sociabilidade
                  Novas práticas e relações sociais
                  Perspectiva multi-canal da comunicação
Mudança de perspectiva




          BEING EVERYWHERE
Novas palavras-chave


                Era da velocidade

                 Mobilidade
                 Interacção
                 Convergência
                 Intersecção
                 Multimédia
                 Multi-canais
                 Multi-plataformas
Novo ecossistema


                   Espaço de convivência e convergência

                    Audiências
                    Media profissionais
                    Fontes de informação
                    Novos gatekeepers
“We the Media”?


                  Evidências

                   Aparecimento de novos gatekeepers,
                    maioritariamente profissionais

                   Fortalecimento da centralidade dos
                    media profissionais

                   Espaço público complexo e multifacetado
Participação em rede


                Media Sociais

                 Consumers 2.0
                 Prosumers
                 User-generated media
Novas plataformas


                Acção colectiva baseada em práticas
                  sociais

                 Streamings múltiplos
                 Utilizadores como filtro
                 Utilizadores como amplificadores
Modelo de comunicação em rede


               Informação distribuída em rede

                Distribuição descontextualizada
                Produção distribuída
                Consumo colectivo e em mobilidade
Primavera Árabe


                  O fenómeno da glocalização

                   Assunto na agenda mediática mundial
                   Media sociais como determinantes
                    enquanto veículo de mensagens

                   Credibilização pelos media profissionais
                   Aparecimento de novos gatekeepers com
                    poder de influência e acesso directo aos
                    meios e audiências
A Primavera Árabe na rede


                Revoluções com vários actores sociais

                 Forma de exercer pressão sobre as
                  esferas de poder

                 Complemento à participação cívica
                 2 momentos: i). Utilização das redes
                  para veicular a mensagem e procurar
                  credibilização pelos media profissionais;
                  ii). Gerar conversação viral em torno dos
                  assuntos à escala mundial

                 Comunicação com o exterior: o papel
                  crucial dos dispositivos móveis e satélites
O meio já não é a mensagem?


                Do fenómeno Wikileaks à Primavera
                 Árabe

                 Repositórios de informação
                  contextualizada pouco atractiva para o
                  público

                 O jornalista como curador de conteúdo?
                 Necessidade de tratamento da
                  informação, distribuição e credibilização
                  do produto final
A Primavera Árabe em números


               Revolução Facebook?

                Tunísia: acesso à rede = 33.9%
                 (Março.2010) > 22.2% no Facebook
                 (Março.2011)

                Egipto: acesso à rede = 24.5%
                 (Março.2010) > 8% no Facebook
                 (Março.2011)

                Líbia: acesso à rede = 5.4% (Junho.2010)
                 > 1.1% no Facebook (Março.2011)
Revolução dos media sociais?


                 A necessidade de desmistificar

                  Os media sociais não foram o principal
                   impulso das revoluções no mundo árabe

                  A utilização dos media sociais, em
                   particular do Twitter, ocorreu numa
                   perspectiva externa

                  A massa crítica do Twitter e os media
                   profissionais foram audiência de uma
                   utilização perfeita da técnica pelos novos
                   gatekeepers
#arabspring
A apropriação da técnica


                 Novas práticas sociais ao serviço da
                  mensagem: WEB SEMÂNTICA - #

                  Novos meios para difundir informação
                  Potencial disseminação viral de
                   conteúdos

                  Os media profissionais como audiência
                  Evolução dos grafos sociais para os grafos
                   de interesses, actividades e conversação
Uma revolução semântica


                O papel das hashtags na Primavera
                  Árabe
                 Promover a adesão a movimentos sociais
                  e políticos
                 Publicitar as revoluções como um todo
                  organizado
                 Assegurar streamings de informação
                 Indexar mensagens a conteúdos
                 Disseminar informação por canais de
                  comunicação que promovem a acção
                  colectiva
Do-It-Yourself Media = Power to the
People


                 A utilização perfeita de ferramentas
                   para disseminar informação

                  Canais de comunicação para promover a
                   acção colectiva através de interacções
                   sociais

                  Perspectiva de esfera pública refugiada
                   de eventuais censuras

                  Criação de comunidades de laços que
                   sustentam e mobilização a acção cívica e
                   política
A rede não é uma arma directa do povo


                 Revoluções com vários actores sociais –
                  a apropriação da técnica como forma
                  de propaganda

                  A técnica não é uma arma directa do povo
                  A utilização dos media sociais não pode
                   ser interpretada como uma causa directa
                   nas mudanças políticas

                  As revoluções foram feitas pelas pessoas
                  O ciberespaço foi o elo de ligação entre
                   diferentes redes
A rede é um mundo de incertezas




                   A questão não será se as
                   revoluções aconteceriam
                  sem a Internet mas antes se
                   teriam o mesmo impacto
                          no mundo.
Inês Amaral - inesamaral@ismt.pt

                  ciberesfera.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Convergência de Mídias no blog Brainstorm#9
Convergência de Mídias no blog Brainstorm#9Convergência de Mídias no blog Brainstorm#9
Convergência de Mídias no blog Brainstorm#9guesta08be6
 
“UM PANORAMA GERAL DA CONVERGÊNCIA MIDIÁTICA”
“UM PANORAMA GERAL DA CONVERGÊNCIA MIDIÁTICA”“UM PANORAMA GERAL DA CONVERGÊNCIA MIDIÁTICA”
“UM PANORAMA GERAL DA CONVERGÊNCIA MIDIÁTICA”Rodrigo Galhano
 
Teorias da Comunicação Digital 01
Teorias da Comunicação Digital 01Teorias da Comunicação Digital 01
Teorias da Comunicação Digital 01Pablo Moreno
 
Redes e midias_sociais
Redes e midias_sociaisRedes e midias_sociais
Redes e midias_sociaisUNB
 
Convergência midiática e comunicação:cenários, atores e práticas
Convergência midiática e comunicação:cenários, atores e práticasConvergência midiática e comunicação:cenários, atores e práticas
Convergência midiática e comunicação:cenários, atores e práticasGrupo COMERTEC
 
Jornalismo cidadão na internet
Jornalismo cidadão na internetJornalismo cidadão na internet
Jornalismo cidadão na internetmichelemitsue
 
Bases de dados como dispositivo para o jornalismo colaborativo
Bases de dados como dispositivo  para o jornalismo colaborativo Bases de dados como dispositivo  para o jornalismo colaborativo
Bases de dados como dispositivo para o jornalismo colaborativo Yuri Almeida
 
Transformações no jornalismo em rede: sobre pessoas comuns, jornalistas e org...
Transformações no jornalismo em rede: sobre pessoas comuns, jornalistas e org...Transformações no jornalismo em rede: sobre pessoas comuns, jornalistas e org...
Transformações no jornalismo em rede: sobre pessoas comuns, jornalistas e org...Alex Primo
 
Jornalismo e mídias sociais digitais
Jornalismo e mídias sociais digitaisJornalismo e mídias sociais digitais
Jornalismo e mídias sociais digitaisLuciana Carvalho
 
Jornalismo online e redes sociais na internet
Jornalismo online e redes sociais na internetJornalismo online e redes sociais na internet
Jornalismo online e redes sociais na internetTiago Nogueira
 
Redes Sociais e Jornalismo Online
Redes Sociais e Jornalismo OnlineRedes Sociais e Jornalismo Online
Redes Sociais e Jornalismo OnlineVirgínia Andrade
 
Aula 1 introdução ao tema
Aula 1 introdução ao temaAula 1 introdução ao tema
Aula 1 introdução ao temaCarolina Terra
 
Mídias Digitais - Apresentação da aula 02 (11/08/2012)
Mídias Digitais - Apresentação da aula 02 (11/08/2012)Mídias Digitais - Apresentação da aula 02 (11/08/2012)
Mídias Digitais - Apresentação da aula 02 (11/08/2012)Talita Moretto
 
Cibercultura em tempos de mobilidade e Redes Sociais
Cibercultura em tempos de mobilidade e Redes SociaisCibercultura em tempos de mobilidade e Redes Sociais
Cibercultura em tempos de mobilidade e Redes SociaisRosemary Santos
 

Mais procurados (20)

Convergência de Mídias no blog Brainstorm#9
Convergência de Mídias no blog Brainstorm#9Convergência de Mídias no blog Brainstorm#9
Convergência de Mídias no blog Brainstorm#9
 
“UM PANORAMA GERAL DA CONVERGÊNCIA MIDIÁTICA”
“UM PANORAMA GERAL DA CONVERGÊNCIA MIDIÁTICA”“UM PANORAMA GERAL DA CONVERGÊNCIA MIDIÁTICA”
“UM PANORAMA GERAL DA CONVERGÊNCIA MIDIÁTICA”
 
Aula1 2012-2
Aula1   2012-2Aula1   2012-2
Aula1 2012-2
 
Teorias da Comunicação Digital 01
Teorias da Comunicação Digital 01Teorias da Comunicação Digital 01
Teorias da Comunicação Digital 01
 
Redes e midias_sociais
Redes e midias_sociaisRedes e midias_sociais
Redes e midias_sociais
 
Convergência midiática e comunicação:cenários, atores e práticas
Convergência midiática e comunicação:cenários, atores e práticasConvergência midiática e comunicação:cenários, atores e práticas
Convergência midiática e comunicação:cenários, atores e práticas
 
Jornalismo cidadão na internet
Jornalismo cidadão na internetJornalismo cidadão na internet
Jornalismo cidadão na internet
 
Bases de dados como dispositivo para o jornalismo colaborativo
Bases de dados como dispositivo  para o jornalismo colaborativo Bases de dados como dispositivo  para o jornalismo colaborativo
Bases de dados como dispositivo para o jornalismo colaborativo
 
Transformações no jornalismo em rede: sobre pessoas comuns, jornalistas e org...
Transformações no jornalismo em rede: sobre pessoas comuns, jornalistas e org...Transformações no jornalismo em rede: sobre pessoas comuns, jornalistas e org...
Transformações no jornalismo em rede: sobre pessoas comuns, jornalistas e org...
 
Apostila 02 / Novas Profissões: O Papel do Analista de Mídias Sociais
Apostila 02 / Novas Profissões: O Papel do Analista de Mídias SociaisApostila 02 / Novas Profissões: O Papel do Analista de Mídias Sociais
Apostila 02 / Novas Profissões: O Papel do Analista de Mídias Sociais
 
Jornalismo e mídias sociais digitais
Jornalismo e mídias sociais digitaisJornalismo e mídias sociais digitais
Jornalismo e mídias sociais digitais
 
Apresentação trabalho sincult 2015 salvador
Apresentação trabalho sincult 2015 salvadorApresentação trabalho sincult 2015 salvador
Apresentação trabalho sincult 2015 salvador
 
Redes Sociais e Jornalismo
Redes Sociais e JornalismoRedes Sociais e Jornalismo
Redes Sociais e Jornalismo
 
Jornalismo online e redes sociais na internet
Jornalismo online e redes sociais na internetJornalismo online e redes sociais na internet
Jornalismo online e redes sociais na internet
 
Redes Sociais e Jornalismo Online
Redes Sociais e Jornalismo OnlineRedes Sociais e Jornalismo Online
Redes Sociais e Jornalismo Online
 
Cultura da Convergência
Cultura da ConvergênciaCultura da Convergência
Cultura da Convergência
 
Prova cibercultura 1 anab
Prova cibercultura 1 anabProva cibercultura 1 anab
Prova cibercultura 1 anab
 
Aula 1 introdução ao tema
Aula 1 introdução ao temaAula 1 introdução ao tema
Aula 1 introdução ao tema
 
Mídias Digitais - Apresentação da aula 02 (11/08/2012)
Mídias Digitais - Apresentação da aula 02 (11/08/2012)Mídias Digitais - Apresentação da aula 02 (11/08/2012)
Mídias Digitais - Apresentação da aula 02 (11/08/2012)
 
Cibercultura em tempos de mobilidade e Redes Sociais
Cibercultura em tempos de mobilidade e Redes SociaisCibercultura em tempos de mobilidade e Redes Sociais
Cibercultura em tempos de mobilidade e Redes Sociais
 

Destaque (20)

Primavera árabe
Primavera árabePrimavera árabe
Primavera árabe
 
Primavera Árabe
Primavera ÁrabePrimavera Árabe
Primavera Árabe
 
Primavera árabe
Primavera árabePrimavera árabe
Primavera árabe
 
Guerra na Síria
Guerra na SíriaGuerra na Síria
Guerra na Síria
 
Primavera árabe
Primavera árabePrimavera árabe
Primavera árabe
 
Primavera árabe
Primavera árabePrimavera árabe
Primavera árabe
 
Primavera árabe.PDF
Primavera árabe.PDFPrimavera árabe.PDF
Primavera árabe.PDF
 
Palestra - Primavera Árabe
Palestra - Primavera ÁrabePalestra - Primavera Árabe
Palestra - Primavera Árabe
 
Escrita
EscritaEscrita
Escrita
 
Primavera arabe
Primavera arabePrimavera arabe
Primavera arabe
 
LA PRIMAVERA ARABE
LA PRIMAVERA ARABELA PRIMAVERA ARABE
LA PRIMAVERA ARABE
 
La primavera árabe
La primavera árabeLa primavera árabe
La primavera árabe
 
A primavera árabe
A primavera árabeA primavera árabe
A primavera árabe
 
Primavera árabe
Primavera árabePrimavera árabe
Primavera árabe
 
historia
historia historia
historia
 
Primavera árabe 2013
Primavera árabe 2013Primavera árabe 2013
Primavera árabe 2013
 
Globalizacao
GlobalizacaoGlobalizacao
Globalizacao
 
Conflito oriente medio
Conflito oriente medioConflito oriente medio
Conflito oriente medio
 
China e as relações internacionais
China e as relações internacionaisChina e as relações internacionais
China e as relações internacionais
 
Primavera Arabe
Primavera ArabePrimavera Arabe
Primavera Arabe
 

Semelhante a A Primavera Árabe e a Revolução Semântica

Discurso e redes sociais: o caso “Voz da comunidade
Discurso e redes sociais: o caso “Voz da  comunidadeDiscurso e redes sociais: o caso “Voz da  comunidade
Discurso e redes sociais: o caso “Voz da comunidadeFlávia Lopes
 
Medindo influência nas mídias sociais: estudo de caso do Índice TA
Medindo influência nas mídias sociais: estudo de caso do Índice TAMedindo influência nas mídias sociais: estudo de caso do Índice TA
Medindo influência nas mídias sociais: estudo de caso do Índice TAErika Heidi
 
Planejamento de comunicação aplicado às mídias sociais prof carolina terra
Planejamento de comunicação aplicado às mídias sociais prof carolina terraPlanejamento de comunicação aplicado às mídias sociais prof carolina terra
Planejamento de comunicação aplicado às mídias sociais prof carolina terraCarolina Terra
 
Apresentacao teias atualizada
Apresentacao teias atualizadaApresentacao teias atualizada
Apresentacao teias atualizadaminasinvest
 
Novas Mídias: A tecnologia como plataforma da comunicação digital
Novas Mídias: A tecnologia como plataforma da comunicação digitalNovas Mídias: A tecnologia como plataforma da comunicação digital
Novas Mídias: A tecnologia como plataforma da comunicação digitalPaulo Milreu
 
Apresentacao redes sociais e movimentos de rua
Apresentacao redes sociais e movimentos de ruaApresentacao redes sociais e movimentos de rua
Apresentacao redes sociais e movimentos de ruaTatiana Couto
 
Jornalismo, self media, media sociais e a realidade dos “prosumers”
Jornalismo, self media, media sociais e a realidade dos “prosumers”Jornalismo, self media, media sociais e a realidade dos “prosumers”
Jornalismo, self media, media sociais e a realidade dos “prosumers”Inês Amaral
 
Rede cidadao digital
Rede cidadao digitalRede cidadao digital
Rede cidadao digitalcidadaoemrede
 
Cultura convergencia upe antropologia geografia
Cultura convergencia upe antropologia geografiaCultura convergencia upe antropologia geografia
Cultura convergencia upe antropologia geografiaItalo Alan
 
“Quanto custa mudar o mundo?” análise da dimensão discursiva do ciberativismo...
“Quanto custa mudar o mundo?” análise da dimensão discursiva do ciberativismo...“Quanto custa mudar o mundo?” análise da dimensão discursiva do ciberativismo...
“Quanto custa mudar o mundo?” análise da dimensão discursiva do ciberativismo...Willian Araújo
 
Web, mídia social e administração pública
Web, mídia social e administração públicaWeb, mídia social e administração pública
Web, mídia social e administração públicaGerson Penha
 
Política 2.0 e as eleições
Política 2.0 e as eleiçõesPolítica 2.0 e as eleições
Política 2.0 e as eleiçõesComunicarte
 
Mídias Sociais e Jornalismo Colaborativo
Mídias Sociais e Jornalismo ColaborativoMídias Sociais e Jornalismo Colaborativo
Mídias Sociais e Jornalismo ColaborativoYuri Almeida
 
Compartilhar: um estudo sobre os usos da tecnologia entre os jovens
Compartilhar: um estudo sobre os usos da tecnologia entre os jovensCompartilhar: um estudo sobre os usos da tecnologia entre os jovens
Compartilhar: um estudo sobre os usos da tecnologia entre os jovensAlberto Pereira
 
Quando o virtual transforma-se em real: as Redes Sociais como Ferramentas da ...
Quando o virtual transforma-se em real: as Redes Sociais como Ferramentas da ...Quando o virtual transforma-se em real: as Redes Sociais como Ferramentas da ...
Quando o virtual transforma-se em real: as Redes Sociais como Ferramentas da ...Viviane de Carvalho
 
O futuro da internet Cap. 3
O futuro da internet Cap. 3O futuro da internet Cap. 3
O futuro da internet Cap. 3Rosemary Santos
 
A mutação das Mídias*
A mutação das Mídias*A mutação das Mídias*
A mutação das Mídias*Rosemary Santos
 
Aula02 arq usabilidade_senac_maio012
Aula02 arq usabilidade_senac_maio012Aula02 arq usabilidade_senac_maio012
Aula02 arq usabilidade_senac_maio012Thais Campas
 

Semelhante a A Primavera Árabe e a Revolução Semântica (20)

Discurso e redes sociais: o caso “Voz da comunidade
Discurso e redes sociais: o caso “Voz da  comunidadeDiscurso e redes sociais: o caso “Voz da  comunidade
Discurso e redes sociais: o caso “Voz da comunidade
 
Medindo influência nas mídias sociais: estudo de caso do Índice TA
Medindo influência nas mídias sociais: estudo de caso do Índice TAMedindo influência nas mídias sociais: estudo de caso do Índice TA
Medindo influência nas mídias sociais: estudo de caso do Índice TA
 
Planejamento de comunicação aplicado às mídias sociais prof carolina terra
Planejamento de comunicação aplicado às mídias sociais prof carolina terraPlanejamento de comunicação aplicado às mídias sociais prof carolina terra
Planejamento de comunicação aplicado às mídias sociais prof carolina terra
 
Apresentacao teias atualizada
Apresentacao teias atualizadaApresentacao teias atualizada
Apresentacao teias atualizada
 
Novas Mídias: A tecnologia como plataforma da comunicação digital
Novas Mídias: A tecnologia como plataforma da comunicação digitalNovas Mídias: A tecnologia como plataforma da comunicação digital
Novas Mídias: A tecnologia como plataforma da comunicação digital
 
Aula1 2012-1
Aula1   2012-1Aula1   2012-1
Aula1 2012-1
 
Apresentacao redes sociais e movimentos de rua
Apresentacao redes sociais e movimentos de ruaApresentacao redes sociais e movimentos de rua
Apresentacao redes sociais e movimentos de rua
 
Jornalismo, self media, media sociais e a realidade dos “prosumers”
Jornalismo, self media, media sociais e a realidade dos “prosumers”Jornalismo, self media, media sociais e a realidade dos “prosumers”
Jornalismo, self media, media sociais e a realidade dos “prosumers”
 
Rede cidadao digital
Rede cidadao digitalRede cidadao digital
Rede cidadao digital
 
Cultura convergencia upe antropologia geografia
Cultura convergencia upe antropologia geografiaCultura convergencia upe antropologia geografia
Cultura convergencia upe antropologia geografia
 
“Quanto custa mudar o mundo?” análise da dimensão discursiva do ciberativismo...
“Quanto custa mudar o mundo?” análise da dimensão discursiva do ciberativismo...“Quanto custa mudar o mundo?” análise da dimensão discursiva do ciberativismo...
“Quanto custa mudar o mundo?” análise da dimensão discursiva do ciberativismo...
 
Web, mídia social e administração pública
Web, mídia social e administração públicaWeb, mídia social e administração pública
Web, mídia social e administração pública
 
Política 2.0 e as eleições
Política 2.0 e as eleiçõesPolítica 2.0 e as eleições
Política 2.0 e as eleições
 
Aula02 midia digital
Aula02 midia digitalAula02 midia digital
Aula02 midia digital
 
Mídias Sociais e Jornalismo Colaborativo
Mídias Sociais e Jornalismo ColaborativoMídias Sociais e Jornalismo Colaborativo
Mídias Sociais e Jornalismo Colaborativo
 
Compartilhar: um estudo sobre os usos da tecnologia entre os jovens
Compartilhar: um estudo sobre os usos da tecnologia entre os jovensCompartilhar: um estudo sobre os usos da tecnologia entre os jovens
Compartilhar: um estudo sobre os usos da tecnologia entre os jovens
 
Quando o virtual transforma-se em real: as Redes Sociais como Ferramentas da ...
Quando o virtual transforma-se em real: as Redes Sociais como Ferramentas da ...Quando o virtual transforma-se em real: as Redes Sociais como Ferramentas da ...
Quando o virtual transforma-se em real: as Redes Sociais como Ferramentas da ...
 
O futuro da internet Cap. 3
O futuro da internet Cap. 3O futuro da internet Cap. 3
O futuro da internet Cap. 3
 
A mutação das Mídias*
A mutação das Mídias*A mutação das Mídias*
A mutação das Mídias*
 
Aula02 arq usabilidade_senac_maio012
Aula02 arq usabilidade_senac_maio012Aula02 arq usabilidade_senac_maio012
Aula02 arq usabilidade_senac_maio012
 

Mais de Inês Amaral

Exclusão digital: “grupos desfavorecidos” numa Europa a 27
Exclusão digital: “grupos desfavorecidos” numa Europa a 27Exclusão digital: “grupos desfavorecidos” numa Europa a 27
Exclusão digital: “grupos desfavorecidos” numa Europa a 27Inês Amaral
 
Mapeamento das representações sociais da velhice no espaço digital
Mapeamento das representações sociais da velhice no espaço digitalMapeamento das representações sociais da velhice no espaço digital
Mapeamento das representações sociais da velhice no espaço digitalInês Amaral
 
Redes dentro de Redes: dinâmicas sociais baseadas na técnica
Redes dentro de Redes: dinâmicas sociais baseadas na técnicaRedes dentro de Redes: dinâmicas sociais baseadas na técnica
Redes dentro de Redes: dinâmicas sociais baseadas na técnicaInês Amaral
 
Análise de Redes Sociais
Análise de Redes SociaisAnálise de Redes Sociais
Análise de Redes SociaisInês Amaral
 
Análise de Redes Sociais de Conteúdos
Análise de Redes Sociais de ConteúdosAnálise de Redes Sociais de Conteúdos
Análise de Redes Sociais de ConteúdosInês Amaral
 
Processos de Pesquisa e Utilização de Novas Tecnologias via Internet
Processos de Pesquisa e Utilização de Novas Tecnologias via InternetProcessos de Pesquisa e Utilização de Novas Tecnologias via Internet
Processos de Pesquisa e Utilização de Novas Tecnologias via InternetInês Amaral
 
Redes Sociais na Internet: Sociabilidades Emergentes
Redes Sociais na Internet: Sociabilidades EmergentesRedes Sociais na Internet: Sociabilidades Emergentes
Redes Sociais na Internet: Sociabilidades EmergentesInês Amaral
 
"Idosos de todo o mundo, uni-vos pela rede!"
"Idosos de todo o mundo, uni-vos pela rede!""Idosos de todo o mundo, uni-vos pela rede!"
"Idosos de todo o mundo, uni-vos pela rede!"Inês Amaral
 
A lupa do Twitter ou o mundo em 140 caracteres
A lupa do Twitter ou o mundo em 140 caracteresA lupa do Twitter ou o mundo em 140 caracteres
A lupa do Twitter ou o mundo em 140 caracteresInês Amaral
 
Redes Sociais no Twitter
Redes Sociais no TwitterRedes Sociais no Twitter
Redes Sociais no TwitterInês Amaral
 
Sociedade e Comunidades 2.0: uma proposta para equacionar modelos de comunica...
Sociedade e Comunidades 2.0: uma proposta para equacionar modelos de comunica...Sociedade e Comunidades 2.0: uma proposta para equacionar modelos de comunica...
Sociedade e Comunidades 2.0: uma proposta para equacionar modelos de comunica...Inês Amaral
 
Mapping social networks on a new communication ecosystem
Mapping social networks on a new communication ecosystemMapping social networks on a new communication ecosystem
Mapping social networks on a new communication ecosystemInês Amaral
 
Análise de Redes Sociais na Internet
Análise de Redes Sociais na InternetAnálise de Redes Sociais na Internet
Análise de Redes Sociais na InternetInês Amaral
 
Redes Sociais na Internet: a desterritorialização da sociedade?
Redes Sociais na Internet: a desterritorialização da sociedade?Redes Sociais na Internet: a desterritorialização da sociedade?
Redes Sociais na Internet: a desterritorialização da sociedade?Inês Amaral
 
Sociedade 2.0: a emergência de uma nova sociabilidade?
Sociedade 2.0: a emergência de uma nova sociabilidade?Sociedade 2.0: a emergência de uma nova sociabilidade?
Sociedade 2.0: a emergência de uma nova sociabilidade?Inês Amaral
 
Um modelo conceptual para o Design da Interacção na esfera do Ciberjornalismo
Um modelo conceptual para o Design da Interacção na esfera do CiberjornalismoUm modelo conceptual para o Design da Interacção na esfera do Ciberjornalismo
Um modelo conceptual para o Design da Interacção na esfera do CiberjornalismoInês Amaral
 
Ambientes sociais em rede
Ambientes sociais em redeAmbientes sociais em rede
Ambientes sociais em redeInês Amaral
 
Web 2.0 e o novo paradigma sócio-comunicacional
Web 2.0 e o novo paradigma sócio-comunicacionalWeb 2.0 e o novo paradigma sócio-comunicacional
Web 2.0 e o novo paradigma sócio-comunicacionalInês Amaral
 
Mundos virtuais, espaços reais
Mundos virtuais, espaços reaisMundos virtuais, espaços reais
Mundos virtuais, espaços reaisInês Amaral
 
O universo das fontes anonimas no jornalismo de investigação
O universo das fontes anonimas no jornalismo de investigaçãoO universo das fontes anonimas no jornalismo de investigação
O universo das fontes anonimas no jornalismo de investigaçãoInês Amaral
 

Mais de Inês Amaral (20)

Exclusão digital: “grupos desfavorecidos” numa Europa a 27
Exclusão digital: “grupos desfavorecidos” numa Europa a 27Exclusão digital: “grupos desfavorecidos” numa Europa a 27
Exclusão digital: “grupos desfavorecidos” numa Europa a 27
 
Mapeamento das representações sociais da velhice no espaço digital
Mapeamento das representações sociais da velhice no espaço digitalMapeamento das representações sociais da velhice no espaço digital
Mapeamento das representações sociais da velhice no espaço digital
 
Redes dentro de Redes: dinâmicas sociais baseadas na técnica
Redes dentro de Redes: dinâmicas sociais baseadas na técnicaRedes dentro de Redes: dinâmicas sociais baseadas na técnica
Redes dentro de Redes: dinâmicas sociais baseadas na técnica
 
Análise de Redes Sociais
Análise de Redes SociaisAnálise de Redes Sociais
Análise de Redes Sociais
 
Análise de Redes Sociais de Conteúdos
Análise de Redes Sociais de ConteúdosAnálise de Redes Sociais de Conteúdos
Análise de Redes Sociais de Conteúdos
 
Processos de Pesquisa e Utilização de Novas Tecnologias via Internet
Processos de Pesquisa e Utilização de Novas Tecnologias via InternetProcessos de Pesquisa e Utilização de Novas Tecnologias via Internet
Processos de Pesquisa e Utilização de Novas Tecnologias via Internet
 
Redes Sociais na Internet: Sociabilidades Emergentes
Redes Sociais na Internet: Sociabilidades EmergentesRedes Sociais na Internet: Sociabilidades Emergentes
Redes Sociais na Internet: Sociabilidades Emergentes
 
"Idosos de todo o mundo, uni-vos pela rede!"
"Idosos de todo o mundo, uni-vos pela rede!""Idosos de todo o mundo, uni-vos pela rede!"
"Idosos de todo o mundo, uni-vos pela rede!"
 
A lupa do Twitter ou o mundo em 140 caracteres
A lupa do Twitter ou o mundo em 140 caracteresA lupa do Twitter ou o mundo em 140 caracteres
A lupa do Twitter ou o mundo em 140 caracteres
 
Redes Sociais no Twitter
Redes Sociais no TwitterRedes Sociais no Twitter
Redes Sociais no Twitter
 
Sociedade e Comunidades 2.0: uma proposta para equacionar modelos de comunica...
Sociedade e Comunidades 2.0: uma proposta para equacionar modelos de comunica...Sociedade e Comunidades 2.0: uma proposta para equacionar modelos de comunica...
Sociedade e Comunidades 2.0: uma proposta para equacionar modelos de comunica...
 
Mapping social networks on a new communication ecosystem
Mapping social networks on a new communication ecosystemMapping social networks on a new communication ecosystem
Mapping social networks on a new communication ecosystem
 
Análise de Redes Sociais na Internet
Análise de Redes Sociais na InternetAnálise de Redes Sociais na Internet
Análise de Redes Sociais na Internet
 
Redes Sociais na Internet: a desterritorialização da sociedade?
Redes Sociais na Internet: a desterritorialização da sociedade?Redes Sociais na Internet: a desterritorialização da sociedade?
Redes Sociais na Internet: a desterritorialização da sociedade?
 
Sociedade 2.0: a emergência de uma nova sociabilidade?
Sociedade 2.0: a emergência de uma nova sociabilidade?Sociedade 2.0: a emergência de uma nova sociabilidade?
Sociedade 2.0: a emergência de uma nova sociabilidade?
 
Um modelo conceptual para o Design da Interacção na esfera do Ciberjornalismo
Um modelo conceptual para o Design da Interacção na esfera do CiberjornalismoUm modelo conceptual para o Design da Interacção na esfera do Ciberjornalismo
Um modelo conceptual para o Design da Interacção na esfera do Ciberjornalismo
 
Ambientes sociais em rede
Ambientes sociais em redeAmbientes sociais em rede
Ambientes sociais em rede
 
Web 2.0 e o novo paradigma sócio-comunicacional
Web 2.0 e o novo paradigma sócio-comunicacionalWeb 2.0 e o novo paradigma sócio-comunicacional
Web 2.0 e o novo paradigma sócio-comunicacional
 
Mundos virtuais, espaços reais
Mundos virtuais, espaços reaisMundos virtuais, espaços reais
Mundos virtuais, espaços reais
 
O universo das fontes anonimas no jornalismo de investigação
O universo das fontes anonimas no jornalismo de investigaçãoO universo das fontes anonimas no jornalismo de investigação
O universo das fontes anonimas no jornalismo de investigação
 

Último

Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................mariagrave
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )MayaraDaSilvaAssis
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docxSílvia Carneiro
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptorlando dias da silva
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 

Último (20)

Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 

A Primavera Árabe e a Revolução Semântica

  • 1. A Primavera Árabe e a revolução semântica Inês Amaral – Instituto Superior Miguel Torga / CECS (Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade da Universidade do Minho) XXXIII Colóquios de Relações Internacionais da Universidade do Minho Março 2012
  • 2. Revolução Social @ curso Sociedades infoincluídas e infoexcluídas  Dinâmicas próprias: novos espaços sociotecnológicos  Potencial de disseminação de informação e conhecimento através das tecnologias  Geografia sóciotecnológica de redes e nós interligados por fluxos de informação
  • 3. A rede em números Os números das sociedades infoincluídas  2010: 28.7% da população mundial tem acesso à Internet  2000 a 2010: projecção de crescimento de 444.8%  31 de Dezembro de 2011: 32.7% da população mundial tem acesso à Internet  Twitter: 1 milhão de tweets por semana  Facebook: 845 milhões de utilizadores
  • 4. A Internet como espaço de espaços
  • 5. Web Social Mudança social e comunicacional  Comunicação e interacção em modelo colectivo  Modelo alternativo e emergente de comunicação  Esferas “tecnosociais” na vida quotidiana  Alterações no panorama da comunicação
  • 6. A era da cultura da convergência Novos [velhos] rótulos para a Internet  A sabedoria das multidões (Surowiecki)  Inteligência colectiva (Lévy)  Inteligência conectiva (Kerchove)  Intercriatividade (Berners-Lee)
  • 7. Modelação pela técnica Comunicação orientada à sociabilização  Plataformas participativas  Reformulação do processo tradicional de comunicação  Mutação do conceito de esfera pública  Novas formas de sociabilidade  Novas práticas e relações sociais  Perspectiva multi-canal da comunicação
  • 8. Mudança de perspectiva BEING EVERYWHERE
  • 9. Novas palavras-chave Era da velocidade  Mobilidade  Interacção  Convergência  Intersecção  Multimédia  Multi-canais  Multi-plataformas
  • 10. Novo ecossistema Espaço de convivência e convergência  Audiências  Media profissionais  Fontes de informação  Novos gatekeepers
  • 11. “We the Media”? Evidências  Aparecimento de novos gatekeepers, maioritariamente profissionais  Fortalecimento da centralidade dos media profissionais  Espaço público complexo e multifacetado
  • 12. Participação em rede Media Sociais  Consumers 2.0  Prosumers  User-generated media
  • 13. Novas plataformas Acção colectiva baseada em práticas sociais  Streamings múltiplos  Utilizadores como filtro  Utilizadores como amplificadores
  • 14. Modelo de comunicação em rede Informação distribuída em rede  Distribuição descontextualizada  Produção distribuída  Consumo colectivo e em mobilidade
  • 15. Primavera Árabe O fenómeno da glocalização  Assunto na agenda mediática mundial  Media sociais como determinantes enquanto veículo de mensagens  Credibilização pelos media profissionais  Aparecimento de novos gatekeepers com poder de influência e acesso directo aos meios e audiências
  • 16. A Primavera Árabe na rede Revoluções com vários actores sociais  Forma de exercer pressão sobre as esferas de poder  Complemento à participação cívica  2 momentos: i). Utilização das redes para veicular a mensagem e procurar credibilização pelos media profissionais; ii). Gerar conversação viral em torno dos assuntos à escala mundial  Comunicação com o exterior: o papel crucial dos dispositivos móveis e satélites
  • 17. O meio já não é a mensagem? Do fenómeno Wikileaks à Primavera Árabe  Repositórios de informação contextualizada pouco atractiva para o público  O jornalista como curador de conteúdo?  Necessidade de tratamento da informação, distribuição e credibilização do produto final
  • 18. A Primavera Árabe em números Revolução Facebook?  Tunísia: acesso à rede = 33.9% (Março.2010) > 22.2% no Facebook (Março.2011)  Egipto: acesso à rede = 24.5% (Março.2010) > 8% no Facebook (Março.2011)  Líbia: acesso à rede = 5.4% (Junho.2010) > 1.1% no Facebook (Março.2011)
  • 19. Revolução dos media sociais? A necessidade de desmistificar  Os media sociais não foram o principal impulso das revoluções no mundo árabe  A utilização dos media sociais, em particular do Twitter, ocorreu numa perspectiva externa  A massa crítica do Twitter e os media profissionais foram audiência de uma utilização perfeita da técnica pelos novos gatekeepers
  • 21. A apropriação da técnica Novas práticas sociais ao serviço da mensagem: WEB SEMÂNTICA - #  Novos meios para difundir informação  Potencial disseminação viral de conteúdos  Os media profissionais como audiência  Evolução dos grafos sociais para os grafos de interesses, actividades e conversação
  • 22. Uma revolução semântica O papel das hashtags na Primavera Árabe  Promover a adesão a movimentos sociais e políticos  Publicitar as revoluções como um todo organizado  Assegurar streamings de informação  Indexar mensagens a conteúdos  Disseminar informação por canais de comunicação que promovem a acção colectiva
  • 23. Do-It-Yourself Media = Power to the People A utilização perfeita de ferramentas para disseminar informação  Canais de comunicação para promover a acção colectiva através de interacções sociais  Perspectiva de esfera pública refugiada de eventuais censuras  Criação de comunidades de laços que sustentam e mobilização a acção cívica e política
  • 24. A rede não é uma arma directa do povo Revoluções com vários actores sociais – a apropriação da técnica como forma de propaganda  A técnica não é uma arma directa do povo  A utilização dos media sociais não pode ser interpretada como uma causa directa nas mudanças políticas  As revoluções foram feitas pelas pessoas  O ciberespaço foi o elo de ligação entre diferentes redes
  • 25. A rede é um mundo de incertezas A questão não será se as revoluções aconteceriam sem a Internet mas antes se teriam o mesmo impacto no mundo.
  • 26. Inês Amaral - inesamaral@ismt.pt ciberesfera.com