Sociedade e
Comunidades 2.0:
uma proposta para
equacionar modelos
de comunicação num
“alvo” em movimento
Inês Amaral – CEC...
Palavras-chave
Agenda
 Introdução
 Novo ecossistema
 Perspectiva: Sociabilidade sem território
 Reflexões inerentes
 “Alvo em movime...
Introdução [1]
Pressuposto: mudança de paradigma social e
comunicacional introduzida pela Internet.
- “BEING” ONLINE > as ...
Introdução [2]
Objectivo: reflectir sobre um novo paradigma da
comunicação orientado à socialização que se baseia
nas plat...
Novo ecossistema
– Modelo de comunicação dinâmico: a
possibilidade do receptor ser simultaneamente
emissor e elemento dinâ...
Perspectiva: Sociabilidade
sem território
– Comunidades e Sociedade: conceitos actualizados
face à ideia de sociabilidade ...
Reflexões inerentes
- As redes sociais são um fenómeno que se traduz numa
nova forma de cultura e que implica uma
(re)conf...
“Alvo em movimento”
 A nova sociabilidade desterritorializada
 A técnica ao serviço da comunicação
 Os social media com...
Proposta
Modelo (aberto) de comunicação centrado no
utilizador e orientado à sociabilização
Pressupostos:
Baseado na acçã...
Novas palavras-chave
Notas finais
 A nova sociedade tem por base a exclusão do
determinismo territorial e pode operacionalizar
uma divisão soc...
Inês Amaral
Helena Sousa
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sociedade e Comunidades 2.0: uma proposta para equacionar modelos de comunicação num “alvo” em movimento

1.731 visualizações

Publicada em

Comunicação apresentada no III Seminário Internacional Media, Jornalismo e Democracia.
08 de Novembro de 2010 - Faculdade de Ciências Sociais e Humanas das Universidade Nova de Lisboa

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.731
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sociedade e Comunidades 2.0: uma proposta para equacionar modelos de comunicação num “alvo” em movimento

  1. 1. Sociedade e Comunidades 2.0: uma proposta para equacionar modelos de comunicação num “alvo” em movimento Inês Amaral – CECS (Universidade do Minho) / Instituto Superior Miguel Torga Helena Sousa – CECS (Universidade do Minho)
  2. 2. Palavras-chave
  3. 3. Agenda  Introdução  Novo ecossistema  Perspectiva: Sociabilidade sem território  Reflexões inerentes  “Alvo em movimento”  Proposta  Novas palavras-chave  Notas finais
  4. 4. Introdução [1] Pressuposto: mudança de paradigma social e comunicacional introduzida pela Internet. - “BEING” ONLINE > as pessoas estão a alterar os seus comportamentos: trabalham, vivem e pensam colectivamente. - INTELIGÊNCIA COLECTIVA > o novo ambiente digital promove a acção colectiva, os consumidores 2.0 e os “prosumers”. - ‘GLOCALIZAÇÃO’ > globalizar o local através da Internet.
  5. 5. Introdução [2] Objectivo: reflectir sobre um novo paradigma da comunicação orientado à socialização que se baseia nas plataformas sociais e no conteúdo criado pelo utilizador, potenciando a emergência de uma nova sociabilidade. Pergunta de partida: Os ambientes na rede (baseados na acção e inteligência colectivas) promovem uma nova sociabilidade e, consequentemente, novas relações e práticas sociais? Hipótese: o potencial colaborativo da Internet estabelece novos espaços para a participação e envolvimento público.
  6. 6. Novo ecossistema – Modelo de comunicação dinâmico: a possibilidade do receptor ser simultaneamente emissor e elemento dinâmico do processo de comunicação. – Novo ecossistema: individualização da comunicação (centrada no utilizador) mas maximizando a dimensão social. – Ideia metamórfica de território: o conceito de espaço é resultado da construção partilhada de sistemas de representação de dinâmicas sociais. O Ciberespaço é a desterritorialização da sociabilidade onde a inteligência colectiva é promovida pelo novo ecossistema de comunicação.
  7. 7. Perspectiva: Sociabilidade sem território – Comunidades e Sociedade: conceitos actualizados face à ideia de sociabilidade sem território. – Web Social: ausência de território + prosumers + novas formas de agregação de indivíduos = redes sociais e comunidades online – Web 2.0 como um ‘amplificador social’: participação, mobilidade e poder. A Sociedade e as Comunidades entram na dinâmica 2.0.
  8. 8. Reflexões inerentes - As redes sociais são um fenómeno que se traduz numa nova forma de cultura e que implica uma (re)configuração do espaço social e novas formas de sociabilidade. - A metamorfose do conceito de território: a desterritorialização da sociedade – o virtual enquanto metáfora de presença. - Mudança de paradigma sócio-comunicacional (a individualização/personalização da comunicação e o colectivo como elemento formador social) - Sociedade 2.0 e Comunidade 2.0 como a actualização dos conceitos de Ferdinand Tönies à técnica social (a realidade da Web Social)
  9. 9. “Alvo em movimento”  A nova sociabilidade desterritorializada  A técnica ao serviço da comunicação  Os social media como suporte técnico da Comunidade 2.0  A realidade dos “Prosumers”
  10. 10. Proposta Modelo (aberto) de comunicação centrado no utilizador e orientado à sociabilização Pressupostos: Baseado na acção e inteligência colectivas  Suportado pelos objectos sociais nos social media  Materializado em novas relações e práticas sociais Concretizado em redes sociais e comunidades virtuais que compõem a Sociedade 2.0 Centrado no Consumidor 2.0 – actualização do conceito de utilizador tradicional
  11. 11. Novas palavras-chave
  12. 12. Notas finais  A nova sociedade tem por base a exclusão do determinismo territorial e pode operacionalizar uma divisão social e cultural de indivíduos (no offline também?).  A nova sociabilidade desterritorializada, assente num modelo de comunicação que está em permanente mutação, transformou o conceito de utilizador em “Consumer 2.0” e criou a possibilidade do receptor ser agora produtor para uma audiência global.  Com a massificação dos media sociais estaremos no início da era dos “prosumers” em larga escala?
  13. 13. Inês Amaral Helena Sousa

×