SlideShare uma empresa Scribd logo
Fátima Caiado




A eficácia da comunicação

Embora pareça tremendamente simples o processo comunicacional é afectado por um
conjunto de barreiras, cujo impacto nas organizações é significativo.

A eficácia nos processos comunicacionais passa necessariamente pelo reconhecimento
da existência dessas barreiras e também pela atitude pessoal que possa favorecer o seu
derrubar.
No quadro abaixo referem-se, de modo sintético, as principais barreiras ao sucesso
comunicacional.

Barreiras à comunicação




Atitudes pessoais que favorecem a comunicação

A auto-estima

Corresponde à imagem que temos de nós próprios, ao valor que reconhecemos em nós e
é muito influenciada por aquilo que o nosso meio mais próximo nos devolveu como
Fátima Caiado




imagem durante a nossa infância, período privilegiado de constituição da nossa
personalidade.

A auto-estima está muito dependente dos fenómenos de percepção (já tratados
anteriormente): entre as características que possuímos, a qual delas vamos conceder
maior importância e o que é que vamos daí deduzir? Alguém que possui poucas
vantagens no plano atlético vai sentir-se um fracassado, pensar que está acima disso ou
não dar importância?
Os indivíduos que apresentam baixos níveis de auto-estima, terão dificuldade em
estabelecer e desenvolver relações com os outros, em admitir críticas construtivas da
parte de que os rodeia, em exprimir posições diferentes relativamente a uma opinião
dominante. Estas pessoas mostram-se muitas vezes passivas e adoptam uma postura
defensiva nas relações interpessoais.

Pelo contrário, as pessoas que possuem um bom nível de auto-estima vão dar provas de
um à-vontade apreciável nas relações que estabelecem. Saberão tomar iniciativas nos
contactos desenvolvidos, dar informações sobre si próprias, expressar claramente a sua
posição procurando compreender os pontos de vista diferentes. Aceitam a crítica
fundamentada e procuram de uma maneira positiva extrair algo de cada situação.

Assim, é manifesta a forte correlação existente entre auto-estima e estilo de
comunicação. De que maneira vai uma organização contribuir para o desenvolvimento
dos elementos que a constituem? Quais os estilos de mensagens que são mais
frequentemente dirigidas aos seus membros?

A nossa experiência leva-nos a verificar nas ligações funcionais uma frequência muito
mais elevada de relações baseadas na constatação “do que não está bem”, e isto quer no
sentido da hierarquia – colaboradores quer no sentido inverso. Muitas vezes o que está
bem é considerado como normal e por isso, julga-se que nada há a dizer. É bom saber
que uma tal atitude ignora o fenómeno do reforço positivo.

A capacidade de escutar

Escutar é uma atitude profunda de disponibilidade de uma pessoa àquilo que alguém lhe
dirige como mensagem para compreender o que esta significa. Estamos muito para além
do simples facto de ouvir! Como já sublinhamos, a comunicação é um fenómeno
complexo e só pode ter sucesso se pusermos em prática uma atitude activa.

Se alguém se nos dirige, devemos esforçar-nos por compreender exactamente o
sentido da sua tentativa e só o conseguiremos…ouvindo!

Se nós nos dirigimos a alguém para lhe transmitir uma mensagem, temos de nos
certificar de que foi bem compreendida e só poderemos adquirir esta certeza ouvindo
por nossa vez o que a pessoa nos pode dizer. Para melhorarmos a nossa capacidade de
escutar devemos observar os seguintes princípios:
•Saber deixar de falar: em certos momentos é impossível ouvir falando ao mesmo
tempo.
•Colocar-se em empatia com o outro: esforçar-se por se pôr no lugar daquele que se
exprime afim de situar as informações em relação ao seu ponto de vista.
•Concentrar-se no que é dito: concentrar activamente a sua atenção nas palavras, nas
ideias e nos sentimentos expressos.
Fátima Caiado




•Olhar com atenção para a outra pessoa: O rosto, olhos, gestos permitirão compreender
melhor a sua mensagem. Ajuda à nossa concentração permitindo, ao mesmo tempo – ao
emissor constatar a nossa atenção.
•Eliminar qualquer juízo imediato: um juízo muito rápido não permite uma
disponibilidade real ao que é dito
•Não interromper o outro: arranjar tempo para ouvir até ao fim, o que o outro exprime à
sua maneira. Não convém interrompê-lo pretendendo adivinhar o que ele quer dizer.
•Eliminar provisoriamente as nossas emoções pessoais: as nossas preocupações, os
nossos cuidados são substituídos pelo que o outro nos transmite.
•Reagir ás ideias expressas e não à própria pessoa: as ideias podem ser de um grande
interesse, mesmo que venham de uma pessoa em relação à qual temos pouca simpatia.
•Reformular: quando a mensagem se pode prestar à ambiguidade, é importante voltar a
expor com as nossas próprias palavras o que percebemos.
•Utilizar as nossas capacidades cerebrais: o ritmo médio de fala de uma pessoa é da
ordem das 120 palavras por minuto, enquanto a velocidade de pensamento é da ordem
das 400 palavras por minuto. A diferença permite conciliar o tempo da compreensão.
Estes diferentes pontos estão na sua maioria em inter-relação.

Seria absurdo menosprezar a dificuldade de um verdadeiro escutar. Ele constitui, pois, a
passagem obrigatória para uma comunicação mais conseguida e traduz uma grande
prova de interesse em relação ao outro.É uma fase de recolha privilegiada de
informações perante o nosso interlocutor (a sua linguagem, as suas referências, as suas
expressões verbais e não verbais) que serão úteis quando tivermos por nossa vez de nos
expressar diante dele. Na verdade ouvimos com os nossos ouvidos, mas não
esqueçamos os nossos olhos e de modo mais geral, todo o nosso corpo.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 3 - Comunicação, linguagem e relacionamento interpessoal
Aula 3 - Comunicação, linguagem e relacionamento interpessoalAula 3 - Comunicação, linguagem e relacionamento interpessoal
Aula 3 - Comunicação, linguagem e relacionamento interpessoal
Renata Conversani
 
Psicologia aula 3 comunicação
Psicologia aula 3 comunicaçãoPsicologia aula 3 comunicação
Psicologia aula 3 comunicação
Cintia Colotoni
 
Atendimento e teoria_das_relações_humanas
Atendimento e teoria_das_relações_humanasAtendimento e teoria_das_relações_humanas
Atendimento e teoria_das_relações_humanas
Rodrigo Ribeiro
 
Palestra - Acamps MAS 2011
Palestra - Acamps MAS 2011Palestra - Acamps MAS 2011
Palestra - Acamps MAS 2011
Luis Henrique Santana
 
Aula 3 projovem trabalhador 14.04
Aula 3 projovem trabalhador  14.04Aula 3 projovem trabalhador  14.04
Aula 3 projovem trabalhador 14.04
ROMARIO600
 
Comunicação assertiva
Comunicação assertivaComunicação assertiva
Comunicação assertiva
Marcos Soares Soares
 
Comunicação interpessoal e comunicação assertiva
Comunicação interpessoal e comunicação assertivaComunicação interpessoal e comunicação assertiva
Comunicação interpessoal e comunicação assertiva
fernandosantos7272
 
13460250 aula-1-relacionamento-interpessoal-1
13460250 aula-1-relacionamento-interpessoal-113460250 aula-1-relacionamento-interpessoal-1
13460250 aula-1-relacionamento-interpessoal-1
Valeria Reani
 
Relacionamento Interpessoal 20h
Relacionamento Interpessoal 20hRelacionamento Interpessoal 20h
Relacionamento Interpessoal 20h
UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO
 
Comportamento Assertivo
Comportamento AssertivoComportamento Assertivo
Comportamento Assertivo
Grupo E. Fabris
 
Powerpoint assertividade
Powerpoint assertividade  Powerpoint assertividade
Powerpoint assertividade
juliaoliveira1965
 
A importância da boa comunicação
A importância da boa comunicaçãoA importância da boa comunicação
A importância da boa comunicação
Projeto Ações Preventivas na Escola
 
gestão de comunicação
gestão de comunicaçãogestão de comunicação
gestão de comunicação
Sergio Padua
 
EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...
EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...
EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...
Rafael Almeida
 
Relacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoalRelacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoal
Alexandre Siqueira
 
nicolas quebra galho
nicolas quebra galhonicolas quebra galho
nicolas quebra galho
nikiin
 
Relacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoalRelacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoal
edumm001
 
1. relações interpessoais (1)
1. relações interpessoais (1)1. relações interpessoais (1)
1. relações interpessoais (1)
Carlos Pires
 
Assertividade
AssertividadeAssertividade
Assertividade
Marcelrh2009
 
Barreiras ao processo de comunicação
Barreiras ao processo de comunicaçãoBarreiras ao processo de comunicação
Barreiras ao processo de comunicação
Leonor Alves
 

Mais procurados (20)

Aula 3 - Comunicação, linguagem e relacionamento interpessoal
Aula 3 - Comunicação, linguagem e relacionamento interpessoalAula 3 - Comunicação, linguagem e relacionamento interpessoal
Aula 3 - Comunicação, linguagem e relacionamento interpessoal
 
Psicologia aula 3 comunicação
Psicologia aula 3 comunicaçãoPsicologia aula 3 comunicação
Psicologia aula 3 comunicação
 
Atendimento e teoria_das_relações_humanas
Atendimento e teoria_das_relações_humanasAtendimento e teoria_das_relações_humanas
Atendimento e teoria_das_relações_humanas
 
Palestra - Acamps MAS 2011
Palestra - Acamps MAS 2011Palestra - Acamps MAS 2011
Palestra - Acamps MAS 2011
 
Aula 3 projovem trabalhador 14.04
Aula 3 projovem trabalhador  14.04Aula 3 projovem trabalhador  14.04
Aula 3 projovem trabalhador 14.04
 
Comunicação assertiva
Comunicação assertivaComunicação assertiva
Comunicação assertiva
 
Comunicação interpessoal e comunicação assertiva
Comunicação interpessoal e comunicação assertivaComunicação interpessoal e comunicação assertiva
Comunicação interpessoal e comunicação assertiva
 
13460250 aula-1-relacionamento-interpessoal-1
13460250 aula-1-relacionamento-interpessoal-113460250 aula-1-relacionamento-interpessoal-1
13460250 aula-1-relacionamento-interpessoal-1
 
Relacionamento Interpessoal 20h
Relacionamento Interpessoal 20hRelacionamento Interpessoal 20h
Relacionamento Interpessoal 20h
 
Comportamento Assertivo
Comportamento AssertivoComportamento Assertivo
Comportamento Assertivo
 
Powerpoint assertividade
Powerpoint assertividade  Powerpoint assertividade
Powerpoint assertividade
 
A importância da boa comunicação
A importância da boa comunicaçãoA importância da boa comunicação
A importância da boa comunicação
 
gestão de comunicação
gestão de comunicaçãogestão de comunicação
gestão de comunicação
 
EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...
EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...
EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...
 
Relacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoalRelacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoal
 
nicolas quebra galho
nicolas quebra galhonicolas quebra galho
nicolas quebra galho
 
Relacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoalRelacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoal
 
1. relações interpessoais (1)
1. relações interpessoais (1)1. relações interpessoais (1)
1. relações interpessoais (1)
 
Assertividade
AssertividadeAssertividade
Assertividade
 
Barreiras ao processo de comunicação
Barreiras ao processo de comunicaçãoBarreiras ao processo de comunicação
Barreiras ao processo de comunicação
 

Destaque

Planejamento de Marketing Digital Atualizado.
Planejamento de Marketing Digital Atualizado.Planejamento de Marketing Digital Atualizado.
Planejamento de Marketing Digital Atualizado.
JODI TECNOLOGIAS INDUSTRIAIS
 
Branding | Construção e Gestão de Marcas
Branding | Construção e Gestão de MarcasBranding | Construção e Gestão de Marcas
Branding | Construção e Gestão de Marcas
Valente Branding
 
Branding: como construir marcas fortes através da identidade
Branding: como construir marcas fortes através da identidadeBranding: como construir marcas fortes através da identidade
Branding: como construir marcas fortes através da identidade
Endrigo Ramos
 
TéCnicas De Pesquisas De Mercado
TéCnicas De Pesquisas De MercadoTéCnicas De Pesquisas De Mercado
TéCnicas De Pesquisas De Mercado
Unipinhal
 
Planejamento publicitario aula cadeia de comunicação
Planejamento publicitario  aula cadeia de comunicaçãoPlanejamento publicitario  aula cadeia de comunicação
Planejamento publicitario aula cadeia de comunicação
Romuleque Rômulo Rangel
 
Medir a eficácia publicitária: importância da análise do discurso e da avalia...
Medir a eficácia publicitária: importância da análise do discurso e da avalia...Medir a eficácia publicitária: importância da análise do discurso e da avalia...
Medir a eficácia publicitária: importância da análise do discurso e da avalia...
NEPPUFBA
 
3 tipos-de-planejamento
3 tipos-de-planejamento3 tipos-de-planejamento
3 tipos-de-planejamento
Valdivino Rocha
 
Planner e planejamento de campanha
Planner e planejamento de campanhaPlanner e planejamento de campanha
Planner e planejamento de campanha
Ciro Gusatti
 
Tecnicas de Planejamento
Tecnicas de PlanejamentoTecnicas de Planejamento
Tecnicas de Planejamento
Kenneth Corrêa
 
Campanha Publicitária
Campanha PublicitáriaCampanha Publicitária
Campanha Publicitária
Breno Brito
 
Apresentação:: Pesquisa WAW-RJ Março de 2012
Apresentação:: Pesquisa WAW-RJ Março de 2012Apresentação:: Pesquisa WAW-RJ Março de 2012
Apresentação:: Pesquisa WAW-RJ Março de 2012
IABBrasil - Comitê Web Analytics
 
Branding - Gestão de Marcas
Branding - Gestão de MarcasBranding - Gestão de Marcas
Branding - Gestão de Marcas
Breno Brito
 
Planejamento em Ambientes Digitais
Planejamento em Ambientes DigitaisPlanejamento em Ambientes Digitais
Planejamento em Ambientes Digitais
Mariana Ruggeri
 
Engaje-se ao usuário para que ele se engaje a você - World Usability Day SP 2014
Engaje-se ao usuário para que ele se engaje a você - World Usability Day SP 2014Engaje-se ao usuário para que ele se engaje a você - World Usability Day SP 2014
Engaje-se ao usuário para que ele se engaje a você - World Usability Day SP 2014
Paulo Floriano
 
O que é branding?
O que é branding?O que é branding?
O que é branding?
Valente Branding
 
Defesa da campanha plano comunicação
Defesa da campanha   plano comunicaçãoDefesa da campanha   plano comunicação
Defesa da campanha plano comunicação
Luiza Lucky
 
Gerenciamento campanhas
Gerenciamento campanhasGerenciamento campanhas
Gerenciamento campanhas
Gil Castillo
 
Tipos de Planejamento
Tipos de PlanejamentoTipos de Planejamento
Tipos de Planejamento
Doisnovemeia Publicidade
 
Planejamento estrategico, tático e operacional
Planejamento estrategico, tático e operacionalPlanejamento estrategico, tático e operacional
Planejamento estrategico, tático e operacional
PMY TECNOLOGIA LTDA
 
As10 Coisas Que Todas as Campanhas Vitoriosas Fazem
As10 Coisas Que Todas as Campanhas Vitoriosas FazemAs10 Coisas Que Todas as Campanhas Vitoriosas Fazem
As10 Coisas Que Todas as Campanhas Vitoriosas Fazem
Justino Pereira
 

Destaque (20)

Planejamento de Marketing Digital Atualizado.
Planejamento de Marketing Digital Atualizado.Planejamento de Marketing Digital Atualizado.
Planejamento de Marketing Digital Atualizado.
 
Branding | Construção e Gestão de Marcas
Branding | Construção e Gestão de MarcasBranding | Construção e Gestão de Marcas
Branding | Construção e Gestão de Marcas
 
Branding: como construir marcas fortes através da identidade
Branding: como construir marcas fortes através da identidadeBranding: como construir marcas fortes através da identidade
Branding: como construir marcas fortes através da identidade
 
TéCnicas De Pesquisas De Mercado
TéCnicas De Pesquisas De MercadoTéCnicas De Pesquisas De Mercado
TéCnicas De Pesquisas De Mercado
 
Planejamento publicitario aula cadeia de comunicação
Planejamento publicitario  aula cadeia de comunicaçãoPlanejamento publicitario  aula cadeia de comunicação
Planejamento publicitario aula cadeia de comunicação
 
Medir a eficácia publicitária: importância da análise do discurso e da avalia...
Medir a eficácia publicitária: importância da análise do discurso e da avalia...Medir a eficácia publicitária: importância da análise do discurso e da avalia...
Medir a eficácia publicitária: importância da análise do discurso e da avalia...
 
3 tipos-de-planejamento
3 tipos-de-planejamento3 tipos-de-planejamento
3 tipos-de-planejamento
 
Planner e planejamento de campanha
Planner e planejamento de campanhaPlanner e planejamento de campanha
Planner e planejamento de campanha
 
Tecnicas de Planejamento
Tecnicas de PlanejamentoTecnicas de Planejamento
Tecnicas de Planejamento
 
Campanha Publicitária
Campanha PublicitáriaCampanha Publicitária
Campanha Publicitária
 
Apresentação:: Pesquisa WAW-RJ Março de 2012
Apresentação:: Pesquisa WAW-RJ Março de 2012Apresentação:: Pesquisa WAW-RJ Março de 2012
Apresentação:: Pesquisa WAW-RJ Março de 2012
 
Branding - Gestão de Marcas
Branding - Gestão de MarcasBranding - Gestão de Marcas
Branding - Gestão de Marcas
 
Planejamento em Ambientes Digitais
Planejamento em Ambientes DigitaisPlanejamento em Ambientes Digitais
Planejamento em Ambientes Digitais
 
Engaje-se ao usuário para que ele se engaje a você - World Usability Day SP 2014
Engaje-se ao usuário para que ele se engaje a você - World Usability Day SP 2014Engaje-se ao usuário para que ele se engaje a você - World Usability Day SP 2014
Engaje-se ao usuário para que ele se engaje a você - World Usability Day SP 2014
 
O que é branding?
O que é branding?O que é branding?
O que é branding?
 
Defesa da campanha plano comunicação
Defesa da campanha   plano comunicaçãoDefesa da campanha   plano comunicação
Defesa da campanha plano comunicação
 
Gerenciamento campanhas
Gerenciamento campanhasGerenciamento campanhas
Gerenciamento campanhas
 
Tipos de Planejamento
Tipos de PlanejamentoTipos de Planejamento
Tipos de Planejamento
 
Planejamento estrategico, tático e operacional
Planejamento estrategico, tático e operacionalPlanejamento estrategico, tático e operacional
Planejamento estrategico, tático e operacional
 
As10 Coisas Que Todas as Campanhas Vitoriosas Fazem
As10 Coisas Que Todas as Campanhas Vitoriosas FazemAs10 Coisas Que Todas as Campanhas Vitoriosas Fazem
As10 Coisas Que Todas as Campanhas Vitoriosas Fazem
 

Semelhante a A eficácia da comunicação

Relacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoalRelacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoal
Leandro Lopes
 
Mbm qualidade no-atendimento
Mbm qualidade no-atendimentoMbm qualidade no-atendimento
Mbm qualidade no-atendimento
ajspires79
 
Webinar como se tornar um comunicador eficiente
Webinar como se tornar um comunicador eficienteWebinar como se tornar um comunicador eficiente
Webinar como se tornar um comunicador eficiente
Maria Angelica Castellani
 
relacionalmentointerpessoal-110530140603-phpapp01.pptx
relacionalmentointerpessoal-110530140603-phpapp01.pptxrelacionalmentointerpessoal-110530140603-phpapp01.pptx
relacionalmentointerpessoal-110530140603-phpapp01.pptx
ProfYasminBlanco
 
Aula 02 auxiliar de escritório
Aula 02 auxiliar de escritórioAula 02 auxiliar de escritório
Aula 02 auxiliar de escritório
Homero Alves de Lima
 
Lideranca pe.jose alem
Lideranca pe.jose alemLideranca pe.jose alem
Lideranca pe.jose alem
conage2013
 
Comunicação assertiva
Comunicação assertivaComunicação assertiva
Comunicação assertiva
Antonio Uchoa
 
Comunicacao assertiva
Comunicacao assertivaComunicacao assertiva
Comunicacao assertiva
Daniela Anjos
 
Revisões teste teca 1ºa no 2º periodo -1º teste
Revisões teste teca 1ºa no  2º periodo -1º testeRevisões teste teca 1ºa no  2º periodo -1º teste
Revisões teste teca 1ºa no 2º periodo -1º teste
Leonor Alves
 
Técnicas de atendimento 2
Técnicas de atendimento 2Técnicas de atendimento 2
Técnicas de atendimento 2
jammescabral96
 
Curso de chefia e liderança parte 3/6
Curso de chefia e liderança   parte 3/6Curso de chefia e liderança   parte 3/6
Curso de chefia e liderança parte 3/6
ABCursos OnLine
 
Rit relaçoes interpessoais
Rit relaçoes interpessoaisRit relaçoes interpessoais
Rit relaçoes interpessoais
Paulo Ramos
 
Rit relaçoes interpessoais
Rit relaçoes interpessoaisRit relaçoes interpessoais
Rit relaçoes interpessoais
Paulo Ramos
 
Apostila Auxiliar Administrativo
Apostila Auxiliar AdministrativoApostila Auxiliar Administrativo
Apostila Auxiliar Administrativo
kaveyinf
 
Relacionamento Interpessoal
Relacionamento InterpessoalRelacionamento Interpessoal
Relacionamento Interpessoal
Allan Almeida de Araújo
 
Comunicação Assertiva.pptx
Comunicação Assertiva.pptxComunicação Assertiva.pptx
Comunicação Assertiva.pptx
NunoRibeiro903833
 
Comunicação Assertiva - Karime Kamel
Comunicação Assertiva  - Karime KamelComunicação Assertiva  - Karime Kamel
Comunicação Assertiva - Karime Kamel
Karime Kamel
 
Autoconhecimento- Encontro formativo BNCC lagedo.pptx
Autoconhecimento- Encontro formativo BNCC  lagedo.pptxAutoconhecimento- Encontro formativo BNCC  lagedo.pptx
Autoconhecimento- Encontro formativo BNCC lagedo.pptx
AuriceliaRosa
 
2020 07 -_arley_perfis_comportamentais
2020 07 -_arley_perfis_comportamentais2020 07 -_arley_perfis_comportamentais
2020 07 -_arley_perfis_comportamentais
Thayane Victoriano
 
Apostila aux administrativo
Apostila aux administrativoApostila aux administrativo
Apostila aux administrativo
INTEC CURSOS PROFISSIONALIZANTES
 

Semelhante a A eficácia da comunicação (20)

Relacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoalRelacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoal
 
Mbm qualidade no-atendimento
Mbm qualidade no-atendimentoMbm qualidade no-atendimento
Mbm qualidade no-atendimento
 
Webinar como se tornar um comunicador eficiente
Webinar como se tornar um comunicador eficienteWebinar como se tornar um comunicador eficiente
Webinar como se tornar um comunicador eficiente
 
relacionalmentointerpessoal-110530140603-phpapp01.pptx
relacionalmentointerpessoal-110530140603-phpapp01.pptxrelacionalmentointerpessoal-110530140603-phpapp01.pptx
relacionalmentointerpessoal-110530140603-phpapp01.pptx
 
Aula 02 auxiliar de escritório
Aula 02 auxiliar de escritórioAula 02 auxiliar de escritório
Aula 02 auxiliar de escritório
 
Lideranca pe.jose alem
Lideranca pe.jose alemLideranca pe.jose alem
Lideranca pe.jose alem
 
Comunicação assertiva
Comunicação assertivaComunicação assertiva
Comunicação assertiva
 
Comunicacao assertiva
Comunicacao assertivaComunicacao assertiva
Comunicacao assertiva
 
Revisões teste teca 1ºa no 2º periodo -1º teste
Revisões teste teca 1ºa no  2º periodo -1º testeRevisões teste teca 1ºa no  2º periodo -1º teste
Revisões teste teca 1ºa no 2º periodo -1º teste
 
Técnicas de atendimento 2
Técnicas de atendimento 2Técnicas de atendimento 2
Técnicas de atendimento 2
 
Curso de chefia e liderança parte 3/6
Curso de chefia e liderança   parte 3/6Curso de chefia e liderança   parte 3/6
Curso de chefia e liderança parte 3/6
 
Rit relaçoes interpessoais
Rit relaçoes interpessoaisRit relaçoes interpessoais
Rit relaçoes interpessoais
 
Rit relaçoes interpessoais
Rit relaçoes interpessoaisRit relaçoes interpessoais
Rit relaçoes interpessoais
 
Apostila Auxiliar Administrativo
Apostila Auxiliar AdministrativoApostila Auxiliar Administrativo
Apostila Auxiliar Administrativo
 
Relacionamento Interpessoal
Relacionamento InterpessoalRelacionamento Interpessoal
Relacionamento Interpessoal
 
Comunicação Assertiva.pptx
Comunicação Assertiva.pptxComunicação Assertiva.pptx
Comunicação Assertiva.pptx
 
Comunicação Assertiva - Karime Kamel
Comunicação Assertiva  - Karime KamelComunicação Assertiva  - Karime Kamel
Comunicação Assertiva - Karime Kamel
 
Autoconhecimento- Encontro formativo BNCC lagedo.pptx
Autoconhecimento- Encontro formativo BNCC  lagedo.pptxAutoconhecimento- Encontro formativo BNCC  lagedo.pptx
Autoconhecimento- Encontro formativo BNCC lagedo.pptx
 
2020 07 -_arley_perfis_comportamentais
2020 07 -_arley_perfis_comportamentais2020 07 -_arley_perfis_comportamentais
2020 07 -_arley_perfis_comportamentais
 
Apostila aux administrativo
Apostila aux administrativoApostila aux administrativo
Apostila aux administrativo
 

A eficácia da comunicação

  • 1. Fátima Caiado A eficácia da comunicação Embora pareça tremendamente simples o processo comunicacional é afectado por um conjunto de barreiras, cujo impacto nas organizações é significativo. A eficácia nos processos comunicacionais passa necessariamente pelo reconhecimento da existência dessas barreiras e também pela atitude pessoal que possa favorecer o seu derrubar. No quadro abaixo referem-se, de modo sintético, as principais barreiras ao sucesso comunicacional. Barreiras à comunicação Atitudes pessoais que favorecem a comunicação A auto-estima Corresponde à imagem que temos de nós próprios, ao valor que reconhecemos em nós e é muito influenciada por aquilo que o nosso meio mais próximo nos devolveu como
  • 2. Fátima Caiado imagem durante a nossa infância, período privilegiado de constituição da nossa personalidade. A auto-estima está muito dependente dos fenómenos de percepção (já tratados anteriormente): entre as características que possuímos, a qual delas vamos conceder maior importância e o que é que vamos daí deduzir? Alguém que possui poucas vantagens no plano atlético vai sentir-se um fracassado, pensar que está acima disso ou não dar importância? Os indivíduos que apresentam baixos níveis de auto-estima, terão dificuldade em estabelecer e desenvolver relações com os outros, em admitir críticas construtivas da parte de que os rodeia, em exprimir posições diferentes relativamente a uma opinião dominante. Estas pessoas mostram-se muitas vezes passivas e adoptam uma postura defensiva nas relações interpessoais. Pelo contrário, as pessoas que possuem um bom nível de auto-estima vão dar provas de um à-vontade apreciável nas relações que estabelecem. Saberão tomar iniciativas nos contactos desenvolvidos, dar informações sobre si próprias, expressar claramente a sua posição procurando compreender os pontos de vista diferentes. Aceitam a crítica fundamentada e procuram de uma maneira positiva extrair algo de cada situação. Assim, é manifesta a forte correlação existente entre auto-estima e estilo de comunicação. De que maneira vai uma organização contribuir para o desenvolvimento dos elementos que a constituem? Quais os estilos de mensagens que são mais frequentemente dirigidas aos seus membros? A nossa experiência leva-nos a verificar nas ligações funcionais uma frequência muito mais elevada de relações baseadas na constatação “do que não está bem”, e isto quer no sentido da hierarquia – colaboradores quer no sentido inverso. Muitas vezes o que está bem é considerado como normal e por isso, julga-se que nada há a dizer. É bom saber que uma tal atitude ignora o fenómeno do reforço positivo. A capacidade de escutar Escutar é uma atitude profunda de disponibilidade de uma pessoa àquilo que alguém lhe dirige como mensagem para compreender o que esta significa. Estamos muito para além do simples facto de ouvir! Como já sublinhamos, a comunicação é um fenómeno complexo e só pode ter sucesso se pusermos em prática uma atitude activa. Se alguém se nos dirige, devemos esforçar-nos por compreender exactamente o sentido da sua tentativa e só o conseguiremos…ouvindo! Se nós nos dirigimos a alguém para lhe transmitir uma mensagem, temos de nos certificar de que foi bem compreendida e só poderemos adquirir esta certeza ouvindo por nossa vez o que a pessoa nos pode dizer. Para melhorarmos a nossa capacidade de escutar devemos observar os seguintes princípios: •Saber deixar de falar: em certos momentos é impossível ouvir falando ao mesmo tempo. •Colocar-se em empatia com o outro: esforçar-se por se pôr no lugar daquele que se exprime afim de situar as informações em relação ao seu ponto de vista. •Concentrar-se no que é dito: concentrar activamente a sua atenção nas palavras, nas ideias e nos sentimentos expressos.
  • 3. Fátima Caiado •Olhar com atenção para a outra pessoa: O rosto, olhos, gestos permitirão compreender melhor a sua mensagem. Ajuda à nossa concentração permitindo, ao mesmo tempo – ao emissor constatar a nossa atenção. •Eliminar qualquer juízo imediato: um juízo muito rápido não permite uma disponibilidade real ao que é dito •Não interromper o outro: arranjar tempo para ouvir até ao fim, o que o outro exprime à sua maneira. Não convém interrompê-lo pretendendo adivinhar o que ele quer dizer. •Eliminar provisoriamente as nossas emoções pessoais: as nossas preocupações, os nossos cuidados são substituídos pelo que o outro nos transmite. •Reagir ás ideias expressas e não à própria pessoa: as ideias podem ser de um grande interesse, mesmo que venham de uma pessoa em relação à qual temos pouca simpatia. •Reformular: quando a mensagem se pode prestar à ambiguidade, é importante voltar a expor com as nossas próprias palavras o que percebemos. •Utilizar as nossas capacidades cerebrais: o ritmo médio de fala de uma pessoa é da ordem das 120 palavras por minuto, enquanto a velocidade de pensamento é da ordem das 400 palavras por minuto. A diferença permite conciliar o tempo da compreensão. Estes diferentes pontos estão na sua maioria em inter-relação. Seria absurdo menosprezar a dificuldade de um verdadeiro escutar. Ele constitui, pois, a passagem obrigatória para uma comunicação mais conseguida e traduz uma grande prova de interesse em relação ao outro.É uma fase de recolha privilegiada de informações perante o nosso interlocutor (a sua linguagem, as suas referências, as suas expressões verbais e não verbais) que serão úteis quando tivermos por nossa vez de nos expressar diante dele. Na verdade ouvimos com os nossos ouvidos, mas não esqueçamos os nossos olhos e de modo mais geral, todo o nosso corpo.