SlideShare uma empresa Scribd logo
Liderança e
Comunicação
Viver é comunicar.
É impossível não comunicar.
Todo comportamento
é comunicação.
Comunicar é uma necessidade vital.
A boa comunicação
é vital a qualquer pessoa
e instituição.
É preciso entender cada
vez mais
o sentido e a importância
da comunicação.
Para realizar um ato comunicativo, o ser humano
pode empregar duas formas de comunicação:
• Verbal: que pode ser oral ou escrita.
• Não-verbal: compreende várias linguagens.
ENTRE AS DUAS FORMAS DE COMUNICAÇÃO
A NÃO VERBAL É MAIS INFLUENTE
Elementos de
comunicação
Quando nos relacionamos
desenvolvemos um
complexo movimento que
supõe:

EMISSOR-RECEPTOR
MENSAGEM-LINGUAGEM
CODIFICAÇÃODECODIFICAÇÃO
AMBIENTE FÍSICO E CULTURAL
RUIDO
CONTEXTO

RESPOSTA - RETORNO
Competência
Comunicativa
Nosso comportamento possui
basicamente 3 aspectos

1. Cognitivo – pensar
2. Afetivo – sentir
3. Psicomotor - agir
Questões

da

Comunicação

- O que comunicar? Conteúdo
- Como comunicar? Linguagem
- Para que comunicar? Sentido
Como nos
comunicamos
São necessários
cerca de 4 minutos
para se ter a impressão
de alguém ou de alguma coisa,
para se decidir
se gostamos ou não
do que estamos presenciando.
Nossa decisão tem como base os
seguintes critérios:
87% - o que vemos - Visão
7% - o que ouvimos - Audição
3,5% - o que cheiramos - Olfato
1,5% - o que tocamos - Tato
1,0% - o que saboreamos - Paladar
Como reagimos
• 55% das pessoas reagem à linguagem
do corpo
• 38% ao tom da voz
• 7% ao que a outra pessoa diz
•

O tempo médio de atenção é de 7%

•

Em média, por minuto falamos 150 palavras,
mas pensamos 600 palavras por minuto
As formas de
comunicação humana
As formas de comunicação
Quatro diferentes formas de comunicação
expressam situações:
PESSOAIS
INTERPESSOAIS
GRUPAIS
SOCIAIS
Modelos de
comunicação humana
1. A comunicação aparente
•Processo de comunicação em que as pessoas
falam e respondem sem prestar verdadeira
atenção ao outro e ao que ele está dizendo.
•Essa comunicação transforma-se num canal de
mão única. Há uma interação aparente. Esse
tipo de comunicação é muito comum.
2. A comunicação superficial
•Há uma interação limitada. Há trocas
previsíveis sobre temas socialmente definidos
dentro de limites pré- estabelecidos, sem
expor muito a intimidade de cada um. Propicia
processos úteis de manutenção de vínculos
dentro de um grupo ou comunidade.
•Essa forma de comunicação, ocupa, entretém
mas não preenche as necessidades de uma
comunicação mais autêntica, mais rica.
3. A comunicação autoritária
•É a troca ou interação dentro de um sistema
fechado expressa através de relações de
poder, de dominação.
•Sua base é o poder: econômico, político,
cultural,
social,
intelectual,
emocional,
ideológico.
4. A comunicação real
•

Nessa forma de comunicação entre
emissor
e
receptor
há
abertura,
enriquecimento
mútuo,
crescimento
pessoal.
• Essa comunicação é franca, objetiva,
participativa. É um discurso onde a fala do
outro tem repercussão em nós. Há uma
profunda interação entre as pessoas.
• Tanto emissor quanto receptor devem
querer se comunicar, aprender, crescer,
partilhar.
Graus
da comunicação humana
Graus da Comunicação
1o grau – Duas pessoas que falam e se ouvem de
forma animada e aberta numa conversa ocasional.
2o grau – Comunicação aberta entre duas ou mais
pessoas que interagem habitualmente.
3o grau – Interação entre pessoas que se comunicam
profundamente. É um nível de comunicação
geralmente desenvolvido por pessoas bem
amadurecidas, abertas, flexíveis.
Qualidades para uma
boa comunicação
QUALIDADES PARA UMA BOA COMUNICAÇÃO
• EMPATIA - Colocar-se no lugar do outro.
• DETERMINAÇÃO - Saber fazer, compromisso.
• CONVICÇÃO

-

Acreditar

no

conteúdo

que

transmite.
• CREDIBILIDADE – Coerência entre o diz, vive e é.
• EFICIÊNCIA – Fazer bem o que se está fazendo.
Qualidade e resultados coerentes.
• EFICÁCIA – Atingir os objetivos propostos
• MATURIDADE – Equilíbrio espiritual – intelectual –
Requisitos para uma
boa comunicação
•O que realmente prende a atenção de um
ouvinte não é tanto o que se diz, mas como
se diz.

•Antes mesmo de falar, já se transmite uma
imagem através da postura.
• O corpo é veículo de comunicação.

• A expressão facial é fonte de informações
não-verbais.
O que se deve evitar
O QUE PRIVILEGIAR NA COMUNICAÇÃO

•
•
•
•
•
•
•
•
•

Conhecer o destinatário
Saber o que e como dizer
Coerência racional, emocional, factual
Ênfase, Entoação,Ritmo
Voz, fala e corpo
Clareza, objetividade, factualidade
Nível de linguagem;
Saber utilizar o tempo;
Precisão e atualização.
O QUE EVITAR NA COMUNICAÇÃO
PARE

•
Falta de postura,
• Falta de expressão corporal condizente com os
conteúdos verbais;
• Falta de empatia com os participantes;
• Ausência de entusiasmo;
• Demonstração de falta de atenção.
• Falta de Eficiência e Eficácia
EM CONCLUSÃO
•Através da comunicação, todos vamos
construindo uma rede complexa
de
interações pessoais, grupais e sociais.
•As interações ricas e produtivas tornam
essa rede sempre mais complexa.
•Objetivo da Comunicação é a Comunhão.
Nos comunicamos para viver a vida como
uma missão.
•Nos comunicamos para gerar Comunhão.
É IMPOSSÍVEL
NÃO COMUNICAR.

TODO COMPORTAMENTO
É COMUNICAÇÃO.
COMUNICAÇÃO

É COMUNHÃO.
Competência
Comunicativa
Comunicação Essencial
Fases do processo de aprendizagem

36
Competência
Competência é definida como o
conjunto de conhecimentos,
habilidades e características pessoais,
demonstrado através do
comportamento, o qual suporta e gera
um desempenho superior.
Competências
Posturas

Incompetência inconsciente
Incompetência consciente
Competência consciente
Competência inconsciente

Características
“Competência profissional
é a capacidade de
mobilizar,
articular e colocar em ação
valores, conhecimentos e
habilidades necessários
para o desempenho
eficiente e eficaz
de atividades requeridas
pelo trabalho”.
Gestão e
Competência
•Receba ideias, dicas que lhe ajudarão na
organização, e não deixe de dar retorno a tudo
que você receber;
•Estabeleça um bom ambiente de trabalho, no
qual todos recebam informações claras em
relação aos objetivos, divulgando os prazos e os
resultados;
• Anime sua equipe e encontre forma de
aprimorar ideias;
•Demonstre que gosta de trabalhar com equipes;
•Agradeça sempre a ajuda que sua equipe lhe
proporciona, com palavras e atitudes sinceras;
•Procure seu próprio aprimoramento como
pessoa e esclareça o que você gostaria que a
equipe adquirisse em atitudes, habilidades ou
conhecimentos;
•Instaure um clima de aprendizado, aproveitando
todas as oportunidades possíveis para o
aprendizado, e considerando também as
experiências de fracasso.
• Perceba o que ocasiona queixas constantes e
tente resolver a questão.
• Nunca aceite
imediata.

um

“não”

como

resposta

• Fixe objetivos que impulsionam a equipe a
atuar melhor.
• Aborde logo os problemas ligados ao trabalho,
para evitar que fiquem mais sérios.
•Valorize a responsabilidade e o potencial de
contribuição, não o cargo e tempo de serviço.
•Avalie se as condições são compatíveis com as
exigências do trabalho.
•Delegue tarefas completas para estimular os
colaboradores.
•Se uma ideia for aceita, deixe sua execução a
cargo do autor, se possível.
Lideranca pe.jose alem
Lideranca pe.jose alem
“Não podemos fazer muito
pela extensão de nossas
vidas,
mas podemos fazer muito
pela largura e profundidade
delas”
Agradeço sua atenção e
participação neste encontro
e desejo que lhe seja útil.
José Alem, pe.
Nós acreditamos no Amor (1 João, 4,16)

josealem@bol.com.br
(11) 998 44 90 21
(19) 998 05 68 67

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Comunicaoassertivaetcnicasdeprocuradeemprego
ComunicaoassertivaetcnicasdeprocuradeempregoComunicaoassertivaetcnicasdeprocuradeemprego
Comunicaoassertivaetcnicasdeprocuradeemprego
Daniela Anjos
 
FORMAÇÃO FORMADORES comunicação interpessoal
FORMAÇÃO FORMADORES comunicação interpessoal FORMAÇÃO FORMADORES comunicação interpessoal
FORMAÇÃO FORMADORES comunicação interpessoal
Roberto baruc Gomes de Andrade
 
Encontro 2 - 2016 - comunicação assertiva e relacionamento interpessoal
Encontro 2 - 2016 - comunicação assertiva e relacionamento interpessoalEncontro 2 - 2016 - comunicação assertiva e relacionamento interpessoal
Encontro 2 - 2016 - comunicação assertiva e relacionamento interpessoal
adanipalma
 
Relacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoalRelacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoal
Fernando Pinheiro
 
Comunicação Assertiva - Karime Kamel
Comunicação Assertiva  - Karime KamelComunicação Assertiva  - Karime Kamel
Comunicação Assertiva - Karime Kamel
Karime Kamel
 
A comunicação interpessoal
A comunicação interpessoalA comunicação interpessoal
A comunicação interpessoal
Euniverso
 
Comunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no TrabalhoComunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no Trabalho
Francielle Hilbert
 
Comunicação interpessoal
Comunicação interpessoalComunicação interpessoal
Comunicação interpessoal
Patricia Silva
 
Comunicacao interpessoal (1)
Comunicacao interpessoal (1)Comunicacao interpessoal (1)
Comunicacao interpessoal (1)
damaceno87
 
Treinamento comunicação
Treinamento comunicaçãoTreinamento comunicação
Treinamento comunicação
Elisama Lopes
 
Capítulo 2 - A comunicação e a negociação
Capítulo 2 - A comunicação e a negociaçãoCapítulo 2 - A comunicação e a negociação
Capítulo 2 - A comunicação e a negociação
Julio Kyosen Nakatani
 
Comunicação eficaz
Comunicação eficazComunicação eficaz
Comunicação eficaz
Oficina Psicologia
 
Barreiras ao processo de comunicação
Barreiras ao processo de comunicaçãoBarreiras ao processo de comunicação
Barreiras ao processo de comunicação
Leonor Alves
 
Comunicação interpessoal comunicação assertiva
Comunicação interpessoal comunicação assertivaComunicação interpessoal comunicação assertiva
Comunicação interpessoal comunicação assertiva
Gabi1994Dinis
 
Comunicação interpessoal e comunicação assertiva
Comunicação interpessoal e comunicação assertivaComunicação interpessoal e comunicação assertiva
Comunicação interpessoal e comunicação assertiva
fernandosantos7272
 
Comunicação interpessoal
Comunicação interpessoalComunicação interpessoal
Comunicação interpessoal
tiagom171
 
Comunicação e Relações Interpessoais
Comunicação e Relações InterpessoaisComunicação e Relações Interpessoais
Comunicação e Relações Interpessoais
Jorge Barbosa
 
Comunicação assertiva
Comunicação assertivaComunicação assertiva
Comunicação assertiva
Marcos Soares Soares
 

Mais procurados (18)

Comunicaoassertivaetcnicasdeprocuradeemprego
ComunicaoassertivaetcnicasdeprocuradeempregoComunicaoassertivaetcnicasdeprocuradeemprego
Comunicaoassertivaetcnicasdeprocuradeemprego
 
FORMAÇÃO FORMADORES comunicação interpessoal
FORMAÇÃO FORMADORES comunicação interpessoal FORMAÇÃO FORMADORES comunicação interpessoal
FORMAÇÃO FORMADORES comunicação interpessoal
 
Encontro 2 - 2016 - comunicação assertiva e relacionamento interpessoal
Encontro 2 - 2016 - comunicação assertiva e relacionamento interpessoalEncontro 2 - 2016 - comunicação assertiva e relacionamento interpessoal
Encontro 2 - 2016 - comunicação assertiva e relacionamento interpessoal
 
Relacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoalRelacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoal
 
Comunicação Assertiva - Karime Kamel
Comunicação Assertiva  - Karime KamelComunicação Assertiva  - Karime Kamel
Comunicação Assertiva - Karime Kamel
 
A comunicação interpessoal
A comunicação interpessoalA comunicação interpessoal
A comunicação interpessoal
 
Comunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no TrabalhoComunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no Trabalho
 
Comunicação interpessoal
Comunicação interpessoalComunicação interpessoal
Comunicação interpessoal
 
Comunicacao interpessoal (1)
Comunicacao interpessoal (1)Comunicacao interpessoal (1)
Comunicacao interpessoal (1)
 
Treinamento comunicação
Treinamento comunicaçãoTreinamento comunicação
Treinamento comunicação
 
Capítulo 2 - A comunicação e a negociação
Capítulo 2 - A comunicação e a negociaçãoCapítulo 2 - A comunicação e a negociação
Capítulo 2 - A comunicação e a negociação
 
Comunicação eficaz
Comunicação eficazComunicação eficaz
Comunicação eficaz
 
Barreiras ao processo de comunicação
Barreiras ao processo de comunicaçãoBarreiras ao processo de comunicação
Barreiras ao processo de comunicação
 
Comunicação interpessoal comunicação assertiva
Comunicação interpessoal comunicação assertivaComunicação interpessoal comunicação assertiva
Comunicação interpessoal comunicação assertiva
 
Comunicação interpessoal e comunicação assertiva
Comunicação interpessoal e comunicação assertivaComunicação interpessoal e comunicação assertiva
Comunicação interpessoal e comunicação assertiva
 
Comunicação interpessoal
Comunicação interpessoalComunicação interpessoal
Comunicação interpessoal
 
Comunicação e Relações Interpessoais
Comunicação e Relações InterpessoaisComunicação e Relações Interpessoais
Comunicação e Relações Interpessoais
 
Comunicação assertiva
Comunicação assertivaComunicação assertiva
Comunicação assertiva
 

Semelhante a Lideranca pe.jose alem

Comunicação interpessoal.pptx
Comunicação interpessoal.pptxComunicação interpessoal.pptx
Comunicação interpessoal.pptx
VandaOliveira44
 
Autogerenciamento na atividade profissional
Autogerenciamento na atividade profissionalAutogerenciamento na atividade profissional
Autogerenciamento na atividade profissional
Angprr
 
Apostila comun e_relac_interpess
Apostila comun e_relac_interpessApostila comun e_relac_interpess
Apostila comun e_relac_interpess
Patrícia Nantes
 
A eficácia da comunicação
A eficácia da comunicaçãoA eficácia da comunicação
A eficácia da comunicação
Fátima Bordalo Caiado
 
Direito - Comunicação e Expressão II - 1 modulo unidade I
Direito - Comunicação e Expressão II - 1 modulo unidade IDireito - Comunicação e Expressão II - 1 modulo unidade I
Direito - Comunicação e Expressão II - 1 modulo unidade I
Romeu Godoi
 
Gestão e Comunicação Intercultural
Gestão e Comunicação InterculturalGestão e Comunicação Intercultural
Gestão e Comunicação Intercultural
AnaMargaridaAtayde
 
5-Izildinha-CAPACITACAO-PONTA-PORA (1).pdf
5-Izildinha-CAPACITACAO-PONTA-PORA (1).pdf5-Izildinha-CAPACITACAO-PONTA-PORA (1).pdf
5-Izildinha-CAPACITACAO-PONTA-PORA (1).pdf
profleticiamouraesco
 
ETICA NO TRABALHO COMO LIDAR COM CERTAS SITUAÇÕES
ETICA NO TRABALHO COMO LIDAR COM CERTAS SITUAÇÕESETICA NO TRABALHO COMO LIDAR COM CERTAS SITUAÇÕES
ETICA NO TRABALHO COMO LIDAR COM CERTAS SITUAÇÕES
RobertoRodrigues545984
 
Webinar como se tornar um comunicador eficiente
Webinar como se tornar um comunicador eficienteWebinar como se tornar um comunicador eficiente
Webinar como se tornar um comunicador eficiente
Maria Angelica Castellani
 
Relacionamento Interpessoal e Ética.pptx
Relacionamento  Interpessoal e Ética.pptxRelacionamento  Interpessoal e Ética.pptx
Relacionamento Interpessoal e Ética.pptx
SheilaCortes2
 
Comunicação Interpessoal e Corporativa@profrandes.pptx
Comunicação Interpessoal e Corporativa@profrandes.pptxComunicação Interpessoal e Corporativa@profrandes.pptx
Comunicação Interpessoal e Corporativa@profrandes.pptx
Prof. Randes Enes, M.Sc.
 
ufcd_9835 comunicação interpessoal e instituicional.pdf
ufcd_9835 comunicação interpessoal e instituicional.pdfufcd_9835 comunicação interpessoal e instituicional.pdf
ufcd_9835 comunicação interpessoal e instituicional.pdf
ClaudiaBrito73
 
Comunicacao e feedback
Comunicacao e feedbackComunicacao e feedback
Comunicacao e feedback
Claudia Hofart Guzzo
 
Técnicas de atendimento 2
Técnicas de atendimento 2Técnicas de atendimento 2
Técnicas de atendimento 2
jammescabral96
 
Oralidade
OralidadeOralidade
Oralidade
Talita Novaes
 
2-submodulo7relacoesinterpessoais.ppt
2-submodulo7relacoesinterpessoais.ppt2-submodulo7relacoesinterpessoais.ppt
2-submodulo7relacoesinterpessoais.ppt
MENTORAMONIZEALMEIDA
 
Relações interpessoais
Relações interpessoaisRelações interpessoais
Relações interpessoais
PedroLinno1
 
Comunicacao empresarial
Comunicacao empresarialComunicacao empresarial
Comunicacao empresarial
jfustaino
 
Comunicacao empresarial
Comunicacao empresarialComunicacao empresarial
Comunicacao empresarial
jfustaino
 
RA2 - ETAC -Aplicar técnicas de comunicação interpessoal.pptx
RA2 - ETAC -Aplicar técnicas de comunicação interpessoal.pptxRA2 - ETAC -Aplicar técnicas de comunicação interpessoal.pptx
RA2 - ETAC -Aplicar técnicas de comunicação interpessoal.pptx
PedroMuendane1
 

Semelhante a Lideranca pe.jose alem (20)

Comunicação interpessoal.pptx
Comunicação interpessoal.pptxComunicação interpessoal.pptx
Comunicação interpessoal.pptx
 
Autogerenciamento na atividade profissional
Autogerenciamento na atividade profissionalAutogerenciamento na atividade profissional
Autogerenciamento na atividade profissional
 
Apostila comun e_relac_interpess
Apostila comun e_relac_interpessApostila comun e_relac_interpess
Apostila comun e_relac_interpess
 
A eficácia da comunicação
A eficácia da comunicaçãoA eficácia da comunicação
A eficácia da comunicação
 
Direito - Comunicação e Expressão II - 1 modulo unidade I
Direito - Comunicação e Expressão II - 1 modulo unidade IDireito - Comunicação e Expressão II - 1 modulo unidade I
Direito - Comunicação e Expressão II - 1 modulo unidade I
 
Gestão e Comunicação Intercultural
Gestão e Comunicação InterculturalGestão e Comunicação Intercultural
Gestão e Comunicação Intercultural
 
5-Izildinha-CAPACITACAO-PONTA-PORA (1).pdf
5-Izildinha-CAPACITACAO-PONTA-PORA (1).pdf5-Izildinha-CAPACITACAO-PONTA-PORA (1).pdf
5-Izildinha-CAPACITACAO-PONTA-PORA (1).pdf
 
ETICA NO TRABALHO COMO LIDAR COM CERTAS SITUAÇÕES
ETICA NO TRABALHO COMO LIDAR COM CERTAS SITUAÇÕESETICA NO TRABALHO COMO LIDAR COM CERTAS SITUAÇÕES
ETICA NO TRABALHO COMO LIDAR COM CERTAS SITUAÇÕES
 
Webinar como se tornar um comunicador eficiente
Webinar como se tornar um comunicador eficienteWebinar como se tornar um comunicador eficiente
Webinar como se tornar um comunicador eficiente
 
Relacionamento Interpessoal e Ética.pptx
Relacionamento  Interpessoal e Ética.pptxRelacionamento  Interpessoal e Ética.pptx
Relacionamento Interpessoal e Ética.pptx
 
Comunicação Interpessoal e Corporativa@profrandes.pptx
Comunicação Interpessoal e Corporativa@profrandes.pptxComunicação Interpessoal e Corporativa@profrandes.pptx
Comunicação Interpessoal e Corporativa@profrandes.pptx
 
ufcd_9835 comunicação interpessoal e instituicional.pdf
ufcd_9835 comunicação interpessoal e instituicional.pdfufcd_9835 comunicação interpessoal e instituicional.pdf
ufcd_9835 comunicação interpessoal e instituicional.pdf
 
Comunicacao e feedback
Comunicacao e feedbackComunicacao e feedback
Comunicacao e feedback
 
Técnicas de atendimento 2
Técnicas de atendimento 2Técnicas de atendimento 2
Técnicas de atendimento 2
 
Oralidade
OralidadeOralidade
Oralidade
 
2-submodulo7relacoesinterpessoais.ppt
2-submodulo7relacoesinterpessoais.ppt2-submodulo7relacoesinterpessoais.ppt
2-submodulo7relacoesinterpessoais.ppt
 
Relações interpessoais
Relações interpessoaisRelações interpessoais
Relações interpessoais
 
Comunicacao empresarial
Comunicacao empresarialComunicacao empresarial
Comunicacao empresarial
 
Comunicacao empresarial
Comunicacao empresarialComunicacao empresarial
Comunicacao empresarial
 
RA2 - ETAC -Aplicar técnicas de comunicação interpessoal.pptx
RA2 - ETAC -Aplicar técnicas de comunicação interpessoal.pptxRA2 - ETAC -Aplicar técnicas de comunicação interpessoal.pptx
RA2 - ETAC -Aplicar técnicas de comunicação interpessoal.pptx
 

Mais de conage2013

Gestao conage 2013_kerigma_scj
Gestao conage 2013_kerigma_scjGestao conage 2013_kerigma_scj
Gestao conage 2013_kerigma_scj
conage2013
 
Gestaoparoquial carlos conage
Gestaoparoquial carlos conageGestaoparoquial carlos conage
Gestaoparoquial carlos conage
conage2013
 
Gestao de-si eniobrito-conage
Gestao de-si eniobrito-conageGestao de-si eniobrito-conage
Gestao de-si eniobrito-conage
conage2013
 
Gestão para a renovação paroquial.pe.jose carlos
Gestão para a renovação paroquial.pe.jose carlosGestão para a renovação paroquial.pe.jose carlos
Gestão para a renovação paroquial.pe.jose carlos
conage2013
 
Secretariado paroquial aristides
Secretariado paroquial aristidesSecretariado paroquial aristides
Secretariado paroquial aristides
conage2013
 
Conage dizimo andre
Conage dizimo andreConage dizimo andre
Conage dizimo andre
conage2013
 
Convesao pastoral edson-oriolo
Convesao pastoral edson-orioloConvesao pastoral edson-oriolo
Convesao pastoral edson-oriolo
conage2013
 
Convesao pastoral edson-oriolo
Convesao pastoral edson-orioloConvesao pastoral edson-oriolo
Convesao pastoral edson-oriolo
conage2013
 
Administracao diac domingues
Administracao diac dominguesAdministracao diac domingues
Administracao diac domingues
conage2013
 
Inovação na gestão eclesial murad
Inovação na gestão eclesial muradInovação na gestão eclesial murad
Inovação na gestão eclesial murad
conage2013
 

Mais de conage2013 (10)

Gestao conage 2013_kerigma_scj
Gestao conage 2013_kerigma_scjGestao conage 2013_kerigma_scj
Gestao conage 2013_kerigma_scj
 
Gestaoparoquial carlos conage
Gestaoparoquial carlos conageGestaoparoquial carlos conage
Gestaoparoquial carlos conage
 
Gestao de-si eniobrito-conage
Gestao de-si eniobrito-conageGestao de-si eniobrito-conage
Gestao de-si eniobrito-conage
 
Gestão para a renovação paroquial.pe.jose carlos
Gestão para a renovação paroquial.pe.jose carlosGestão para a renovação paroquial.pe.jose carlos
Gestão para a renovação paroquial.pe.jose carlos
 
Secretariado paroquial aristides
Secretariado paroquial aristidesSecretariado paroquial aristides
Secretariado paroquial aristides
 
Conage dizimo andre
Conage dizimo andreConage dizimo andre
Conage dizimo andre
 
Convesao pastoral edson-oriolo
Convesao pastoral edson-orioloConvesao pastoral edson-oriolo
Convesao pastoral edson-oriolo
 
Convesao pastoral edson-oriolo
Convesao pastoral edson-orioloConvesao pastoral edson-oriolo
Convesao pastoral edson-oriolo
 
Administracao diac domingues
Administracao diac dominguesAdministracao diac domingues
Administracao diac domingues
 
Inovação na gestão eclesial murad
Inovação na gestão eclesial muradInovação na gestão eclesial murad
Inovação na gestão eclesial murad
 

Último

Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
marcos oliveira
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 

Último (20)

Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 

Lideranca pe.jose alem

  • 2. Viver é comunicar. É impossível não comunicar. Todo comportamento é comunicação. Comunicar é uma necessidade vital.
  • 3. A boa comunicação é vital a qualquer pessoa e instituição. É preciso entender cada vez mais o sentido e a importância da comunicação.
  • 4. Para realizar um ato comunicativo, o ser humano pode empregar duas formas de comunicação: • Verbal: que pode ser oral ou escrita. • Não-verbal: compreende várias linguagens. ENTRE AS DUAS FORMAS DE COMUNICAÇÃO A NÃO VERBAL É MAIS INFLUENTE
  • 6. Quando nos relacionamos desenvolvemos um complexo movimento que supõe: EMISSOR-RECEPTOR MENSAGEM-LINGUAGEM CODIFICAÇÃODECODIFICAÇÃO
  • 7. AMBIENTE FÍSICO E CULTURAL RUIDO CONTEXTO RESPOSTA - RETORNO
  • 9. Nosso comportamento possui basicamente 3 aspectos 1. Cognitivo – pensar 2. Afetivo – sentir 3. Psicomotor - agir
  • 10. Questões da Comunicação - O que comunicar? Conteúdo - Como comunicar? Linguagem - Para que comunicar? Sentido
  • 12. São necessários cerca de 4 minutos para se ter a impressão de alguém ou de alguma coisa, para se decidir se gostamos ou não do que estamos presenciando.
  • 13. Nossa decisão tem como base os seguintes critérios: 87% - o que vemos - Visão 7% - o que ouvimos - Audição 3,5% - o que cheiramos - Olfato 1,5% - o que tocamos - Tato 1,0% - o que saboreamos - Paladar
  • 15. • 55% das pessoas reagem à linguagem do corpo • 38% ao tom da voz • 7% ao que a outra pessoa diz • O tempo médio de atenção é de 7% • Em média, por minuto falamos 150 palavras, mas pensamos 600 palavras por minuto
  • 17. As formas de comunicação Quatro diferentes formas de comunicação expressam situações: PESSOAIS INTERPESSOAIS GRUPAIS SOCIAIS
  • 19. 1. A comunicação aparente •Processo de comunicação em que as pessoas falam e respondem sem prestar verdadeira atenção ao outro e ao que ele está dizendo. •Essa comunicação transforma-se num canal de mão única. Há uma interação aparente. Esse tipo de comunicação é muito comum.
  • 20. 2. A comunicação superficial •Há uma interação limitada. Há trocas previsíveis sobre temas socialmente definidos dentro de limites pré- estabelecidos, sem expor muito a intimidade de cada um. Propicia processos úteis de manutenção de vínculos dentro de um grupo ou comunidade. •Essa forma de comunicação, ocupa, entretém mas não preenche as necessidades de uma comunicação mais autêntica, mais rica.
  • 21. 3. A comunicação autoritária •É a troca ou interação dentro de um sistema fechado expressa através de relações de poder, de dominação. •Sua base é o poder: econômico, político, cultural, social, intelectual, emocional, ideológico.
  • 22. 4. A comunicação real • Nessa forma de comunicação entre emissor e receptor há abertura, enriquecimento mútuo, crescimento pessoal. • Essa comunicação é franca, objetiva, participativa. É um discurso onde a fala do outro tem repercussão em nós. Há uma profunda interação entre as pessoas. • Tanto emissor quanto receptor devem querer se comunicar, aprender, crescer, partilhar.
  • 24. Graus da Comunicação 1o grau – Duas pessoas que falam e se ouvem de forma animada e aberta numa conversa ocasional. 2o grau – Comunicação aberta entre duas ou mais pessoas que interagem habitualmente. 3o grau – Interação entre pessoas que se comunicam profundamente. É um nível de comunicação geralmente desenvolvido por pessoas bem amadurecidas, abertas, flexíveis.
  • 25. Qualidades para uma boa comunicação
  • 26. QUALIDADES PARA UMA BOA COMUNICAÇÃO • EMPATIA - Colocar-se no lugar do outro. • DETERMINAÇÃO - Saber fazer, compromisso. • CONVICÇÃO - Acreditar no conteúdo que transmite. • CREDIBILIDADE – Coerência entre o diz, vive e é. • EFICIÊNCIA – Fazer bem o que se está fazendo. Qualidade e resultados coerentes. • EFICÁCIA – Atingir os objetivos propostos • MATURIDADE – Equilíbrio espiritual – intelectual –
  • 27. Requisitos para uma boa comunicação
  • 28. •O que realmente prende a atenção de um ouvinte não é tanto o que se diz, mas como se diz. •Antes mesmo de falar, já se transmite uma imagem através da postura. • O corpo é veículo de comunicação. • A expressão facial é fonte de informações não-verbais.
  • 29. O que se deve evitar
  • 30. O QUE PRIVILEGIAR NA COMUNICAÇÃO • • • • • • • • • Conhecer o destinatário Saber o que e como dizer Coerência racional, emocional, factual Ênfase, Entoação,Ritmo Voz, fala e corpo Clareza, objetividade, factualidade Nível de linguagem; Saber utilizar o tempo; Precisão e atualização.
  • 31. O QUE EVITAR NA COMUNICAÇÃO PARE • Falta de postura, • Falta de expressão corporal condizente com os conteúdos verbais; • Falta de empatia com os participantes; • Ausência de entusiasmo; • Demonstração de falta de atenção. • Falta de Eficiência e Eficácia
  • 32. EM CONCLUSÃO •Através da comunicação, todos vamos construindo uma rede complexa de interações pessoais, grupais e sociais. •As interações ricas e produtivas tornam essa rede sempre mais complexa. •Objetivo da Comunicação é a Comunhão. Nos comunicamos para viver a vida como uma missão. •Nos comunicamos para gerar Comunhão.
  • 33. É IMPOSSÍVEL NÃO COMUNICAR. TODO COMPORTAMENTO É COMUNICAÇÃO.
  • 36. Comunicação Essencial Fases do processo de aprendizagem 36
  • 37. Competência Competência é definida como o conjunto de conhecimentos, habilidades e características pessoais, demonstrado através do comportamento, o qual suporta e gera um desempenho superior.
  • 39. “Competência profissional é a capacidade de mobilizar, articular e colocar em ação valores, conhecimentos e habilidades necessários para o desempenho eficiente e eficaz de atividades requeridas pelo trabalho”.
  • 41. •Receba ideias, dicas que lhe ajudarão na organização, e não deixe de dar retorno a tudo que você receber; •Estabeleça um bom ambiente de trabalho, no qual todos recebam informações claras em relação aos objetivos, divulgando os prazos e os resultados; • Anime sua equipe e encontre forma de aprimorar ideias;
  • 42. •Demonstre que gosta de trabalhar com equipes; •Agradeça sempre a ajuda que sua equipe lhe proporciona, com palavras e atitudes sinceras; •Procure seu próprio aprimoramento como pessoa e esclareça o que você gostaria que a equipe adquirisse em atitudes, habilidades ou conhecimentos; •Instaure um clima de aprendizado, aproveitando todas as oportunidades possíveis para o aprendizado, e considerando também as experiências de fracasso.
  • 43. • Perceba o que ocasiona queixas constantes e tente resolver a questão. • Nunca aceite imediata. um “não” como resposta • Fixe objetivos que impulsionam a equipe a atuar melhor. • Aborde logo os problemas ligados ao trabalho, para evitar que fiquem mais sérios.
  • 44. •Valorize a responsabilidade e o potencial de contribuição, não o cargo e tempo de serviço. •Avalie se as condições são compatíveis com as exigências do trabalho. •Delegue tarefas completas para estimular os colaboradores. •Se uma ideia for aceita, deixe sua execução a cargo do autor, se possível.
  • 47. “Não podemos fazer muito pela extensão de nossas vidas, mas podemos fazer muito pela largura e profundidade delas”
  • 48. Agradeço sua atenção e participação neste encontro e desejo que lhe seja útil.
  • 49. José Alem, pe. Nós acreditamos no Amor (1 João, 4,16) josealem@bol.com.br (11) 998 44 90 21 (19) 998 05 68 67