SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 40
Os castelos
 
[object Object],[object Object]
Numa época de guerras e grande insegurança , os castelos assumiram-se como fortificações militares de  carácter defensivo. A sua localização, em  zonas elevadas , permitia uma  melhor defesa do inimigo . Muitos deles eram cercados por água, para dificultar a entrada dos inimigos.
Castelo de Guimarães
Castelo de Óbidos
Castelo da Feira
O Castelo de Almourol, também conhecido como o  Castelo dos Templários
Torre de Menagem
As fortalezas constru í am-se para proteger o territ ó rio, sendo esse o papel do castelo e, por isso, a escolha do local  é  essencial.  O castelo pode erguer-se em vastos espa ç os para se  aproveitar  um grande ângulo de visão, vigiar-se as estradas. Tamb é m pode  ser constru í do sobre uma pequena colina para dominar melhor o territ ó rio e  se poder defender mais facilmente.  Antes de se construir o edif í cio ser á  preciso pensar nos materiais necess á rios para a sua  constru ç ão, de maneira a que não seja muito dif í cil obter madeira, pedra, cânhamo. Para se poderem defender do inimigo abre-se estradas um pouco por todo o lado. Nos caminhos das rondas, situado na sacada criam-se os mata ç ões, buracos de onde se pode atirar todo o tipo de proj é cteis.  Tamb é m se constroem as seteiras, recortes que envolvem as muralhas e  permitem simultaneamente a protec ç ão dos ataques  dos inimigos e contra-atacar. O cerco de um castelo  é  uma opera ç ão bastante longa e dif í cil  cujo resultado  é  sempre incerto: se o castelo  é  tomado,  é  pilhado e  por vezes,  é   at é  mesmo destru í do.
Muralhas Porta  d e Entrada  Torre Adarve Ameias e Merlões  Torre de Menagem
[object Object]
A Torre de Menagem
[object Object]
[object Object]
A entrada do Castelo
[object Object],Castelo de Trancoso
[object Object]
 
[object Object],Merlões Ameias
[object Object]
[object Object]
 
Na época dos castelos as guerras eram muito comuns.
[object Object],[object Object]
 
 
Catapultas
 
 
[object Object]
[object Object]
O mobiliário rústico limitava-se geralmente a uma mesa arrumada sobre cavaletes e a um grande baú, no qual se guardava quase tudo (roupas, armas e outros objectos).
 
 
 
 
 
 
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Arquitetura românica
Arquitetura românicaArquitetura românica
Arquitetura românica
Ana Barreiros
 
O gótico em portugal
O gótico em portugalO gótico em portugal
O gótico em portugal
Ana Barreiros
 
Arte Gótica e Arte Românica
Arte Gótica e Arte Românica   Arte Gótica e Arte Românica
Arte Gótica e Arte Românica
Filipa Silva
 
Arquitectura privada romana
Arquitectura privada romanaArquitectura privada romana
Arquitectura privada romana
nita2000
 
A cultura do palacio
A cultura do palacioA cultura do palacio
A cultura do palacio
Ana Barreiros
 

Mais procurados (20)

Cultura do mosteiro
Cultura do mosteiroCultura do mosteiro
Cultura do mosteiro
 
A escultura gótica
A escultura góticaA escultura gótica
A escultura gótica
 
Arquitetura românica
Arquitetura românicaArquitetura românica
Arquitetura românica
 
Módulo 2 contexto histórico regular
Módulo 2   contexto histórico regularMódulo 2   contexto histórico regular
Módulo 2 contexto histórico regular
 
Módulo 3 - Arte Islâmica e Moçárabe
Módulo 3 - Arte Islâmica e MoçárabeMódulo 3 - Arte Islâmica e Moçárabe
Módulo 3 - Arte Islâmica e Moçárabe
 
Módulo 3 a arte românica
Módulo 3   a arte românicaMódulo 3   a arte românica
Módulo 3 a arte românica
 
O gótico em portugal
O gótico em portugalO gótico em portugal
O gótico em portugal
 
Cultura da catedral
Cultura da catedralCultura da catedral
Cultura da catedral
 
Módulo 7 contexto histórico
Módulo 7   contexto históricoMódulo 7   contexto histórico
Módulo 7 contexto histórico
 
Módulo 3 - Escultura e pintura românicas
Módulo 3 - Escultura e pintura românicasMódulo 3 - Escultura e pintura românicas
Módulo 3 - Escultura e pintura românicas
 
Convento de mafra 11º ano
Convento de mafra 11º anoConvento de mafra 11º ano
Convento de mafra 11º ano
 
Cultura do mosteiro_3_escultura_pintura
Cultura do mosteiro_3_escultura_pinturaCultura do mosteiro_3_escultura_pintura
Cultura do mosteiro_3_escultura_pintura
 
Arte Gótica e Arte Românica
Arte Gótica e Arte Românica   Arte Gótica e Arte Românica
Arte Gótica e Arte Românica
 
Módulo 2 arquitetura romana
Módulo 2   arquitetura romanaMódulo 2   arquitetura romana
Módulo 2 arquitetura romana
 
Arquitectura privada romana
Arquitectura privada romanaArquitectura privada romana
Arquitectura privada romana
 
A cultura do palacio
A cultura do palacioA cultura do palacio
A cultura do palacio
 
Arquitetura romana ii
Arquitetura romana iiArquitetura romana ii
Arquitetura romana ii
 
Arte gótica
Arte gótica Arte gótica
Arte gótica
 
Módulo 2 a cultura do senado
Módulo 2   a cultura do senadoMódulo 2   a cultura do senado
Módulo 2 a cultura do senado
 
Cultura do senado resumos
Cultura do senado   resumosCultura do senado   resumos
Cultura do senado resumos
 

Destaque

Ficha 4 arquitectura civil
Ficha 4  arquitectura civilFicha 4  arquitectura civil
Ficha 4 arquitectura civil
Carla Teixeira
 
A sociedade medieval parte 3
A sociedade medieval parte 3A sociedade medieval parte 3
A sociedade medieval parte 3
Carla Teixeira
 
A sociedade medieval parte 1
A sociedade medieval parte 1A sociedade medieval parte 1
A sociedade medieval parte 1
Carla Teixeira
 
Cultura medieval parte 2
Cultura medieval parte 2Cultura medieval parte 2
Cultura medieval parte 2
Carla Teixeira
 
O desevolvimento cmoercial parte 2
O desevolvimento cmoercial parte 2O desevolvimento cmoercial parte 2
O desevolvimento cmoercial parte 2
Carla Teixeira
 
Crescimento económico parte 1
Crescimento económico  parte 1Crescimento económico  parte 1
Crescimento económico parte 1
Carla Teixeira
 
Ficha 1 cultura do mosteiro
Ficha 1  cultura do mosteiroFicha 1  cultura do mosteiro
Ficha 1 cultura do mosteiro
Carla Teixeira
 
Ficha 1 cultura da catedral- sociedade e cruzadas
Ficha 1  cultura da catedral- sociedade e cruzadasFicha 1  cultura da catedral- sociedade e cruzadas
Ficha 1 cultura da catedral- sociedade e cruzadas
Carla Teixeira
 
A crise do século xiv parte 1
A crise do século xiv parte 1A crise do século xiv parte 1
A crise do século xiv parte 1
Carla Teixeira
 
A crise do século xiv parte 2
A crise do século xiv parte 2A crise do século xiv parte 2
A crise do século xiv parte 2
Carla Teixeira
 
A sociedade medieval parte 2
A sociedade medieval parte 2A sociedade medieval parte 2
A sociedade medieval parte 2
Carla Teixeira
 
A cultura monástica, cortesã e popular parte 1
A cultura monástica, cortesã e popular parte 1A cultura monástica, cortesã e popular parte 1
A cultura monástica, cortesã e popular parte 1
Carla Teixeira
 
Ficha de trabalho cultura do salão
Ficha de trabalho  cultura do salãoFicha de trabalho  cultura do salão
Ficha de trabalho cultura do salão
Carla Teixeira
 

Destaque (20)

Cultura popular
Cultura popularCultura popular
Cultura popular
 
Ficha 4 arquitectura civil
Ficha 4  arquitectura civilFicha 4  arquitectura civil
Ficha 4 arquitectura civil
 
A sociedade medieval parte 3
A sociedade medieval parte 3A sociedade medieval parte 3
A sociedade medieval parte 3
 
A sociedade medieval parte 1
A sociedade medieval parte 1A sociedade medieval parte 1
A sociedade medieval parte 1
 
Cultura medieval parte 2
Cultura medieval parte 2Cultura medieval parte 2
Cultura medieval parte 2
 
O desevolvimento cmoercial parte 2
O desevolvimento cmoercial parte 2O desevolvimento cmoercial parte 2
O desevolvimento cmoercial parte 2
 
Crescimento económico parte 1
Crescimento económico  parte 1Crescimento económico  parte 1
Crescimento económico parte 1
 
O românico
O românicoO românico
O românico
 
Ficha 4 módulo 4
Ficha 4  módulo 4Ficha 4  módulo 4
Ficha 4 módulo 4
 
Os muçulmanos
Os muçulmanosOs muçulmanos
Os muçulmanos
 
Ficha 2 módulo 4
Ficha 2  módulo 4Ficha 2  módulo 4
Ficha 2 módulo 4
 
Ficha 1 cultura do mosteiro
Ficha 1  cultura do mosteiroFicha 1  cultura do mosteiro
Ficha 1 cultura do mosteiro
 
Ficha 3 islamismo
Ficha 3  islamismoFicha 3  islamismo
Ficha 3 islamismo
 
Ficha 1 cultura da catedral- sociedade e cruzadas
Ficha 1  cultura da catedral- sociedade e cruzadasFicha 1  cultura da catedral- sociedade e cruzadas
Ficha 1 cultura da catedral- sociedade e cruzadas
 
Ficha 3 módulo 4
Ficha 3  módulo 4Ficha 3  módulo 4
Ficha 3 módulo 4
 
A crise do século xiv parte 1
A crise do século xiv parte 1A crise do século xiv parte 1
A crise do século xiv parte 1
 
A crise do século xiv parte 2
A crise do século xiv parte 2A crise do século xiv parte 2
A crise do século xiv parte 2
 
A sociedade medieval parte 2
A sociedade medieval parte 2A sociedade medieval parte 2
A sociedade medieval parte 2
 
A cultura monástica, cortesã e popular parte 1
A cultura monástica, cortesã e popular parte 1A cultura monástica, cortesã e popular parte 1
A cultura monástica, cortesã e popular parte 1
 
Ficha de trabalho cultura do salão
Ficha de trabalho  cultura do salãoFicha de trabalho  cultura do salão
Ficha de trabalho cultura do salão
 

Semelhante a A arquitectura civil românica

Os Castelos Da Minha RegiãO 2ºPeriodo
Os Castelos Da Minha RegiãO 2ºPeriodoOs Castelos Da Minha RegiãO 2ºPeriodo
Os Castelos Da Minha RegiãO 2ºPeriodo
guestcb09a4
 
Panfleto da Beatriz e da Diana Carneiro
Panfleto da Beatriz e da Diana CarneiroPanfleto da Beatriz e da Diana Carneiro
Panfleto da Beatriz e da Diana Carneiro
sofiasimao
 
Castelo De Almourol
Castelo De AlmourolCastelo De Almourol
Castelo De Almourol
Ivone Lage
 

Semelhante a A arquitectura civil românica (12)

Castelos medievais
Castelos medievaisCastelos medievais
Castelos medievais
 
Os Castelos Da Minha RegiãO 2ºPeriodo
Os Castelos Da Minha RegiãO 2ºPeriodoOs Castelos Da Minha RegiãO 2ºPeriodo
Os Castelos Da Minha RegiãO 2ºPeriodo
 
Castelos templarios em Portugal
Castelos templarios  em Portugal Castelos templarios  em Portugal
Castelos templarios em Portugal
 
Castelos
CastelosCastelos
Castelos
 
Slide Castelos e curiosidades
Slide   Castelos e curiosidadesSlide   Castelos e curiosidades
Slide Castelos e curiosidades
 
Castelos e fortificações da raia
Castelos e fortificações da raiaCastelos e fortificações da raia
Castelos e fortificações da raia
 
Panfleto da Beatriz e da Diana Carneiro
Panfleto da Beatriz e da Diana CarneiroPanfleto da Beatriz e da Diana Carneiro
Panfleto da Beatriz e da Diana Carneiro
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
A Guerra na Idade Média - História - IFSUL
A Guerra na Idade Média - História - IFSULA Guerra na Idade Média - História - IFSUL
A Guerra na Idade Média - História - IFSUL
 
O Ricardo e o castelo de Silves
O Ricardo e o castelo de SilvesO Ricardo e o castelo de Silves
O Ricardo e o castelo de Silves
 
Castelo De Almourol
Castelo De AlmourolCastelo De Almourol
Castelo De Almourol
 
Castelo de Silves
Castelo de SilvesCastelo de Silves
Castelo de Silves
 

Mais de Carla Teixeira

O tempo das reformas religiosas parte 1
O tempo das reformas religiosas parte 1O tempo das reformas religiosas parte 1
O tempo das reformas religiosas parte 1
Carla Teixeira
 
Arte renascentista parte 3
Arte renascentista  parte 3Arte renascentista  parte 3
Arte renascentista parte 3
Carla Teixeira
 
A reforma religiosa parte 2
A reforma religiosa  parte 2A reforma religiosa  parte 2
A reforma religiosa parte 2
Carla Teixeira
 
A reforma católica e a contra reforma- parte 1
A reforma católica e a contra  reforma- parte 1A reforma católica e a contra  reforma- parte 1
A reforma católica e a contra reforma- parte 1
Carla Teixeira
 
A contra reforma parte 3
A contra reforma  parte 3A contra reforma  parte 3
A contra reforma parte 3
Carla Teixeira
 
A contra reforma parte 2
A contra reforma   parte 2A contra reforma   parte 2
A contra reforma parte 2
Carla Teixeira
 
A arte renascentista parte 2
A arte renascentista parte 2A arte renascentista parte 2
A arte renascentista parte 2
Carla Teixeira
 
O rococó e o neoclássico parte 1
O rococó e o neoclássico parte 1O rococó e o neoclássico parte 1
O rococó e o neoclássico parte 1
Carla Teixeira
 
Revolução francesa módulo 7
Revolução francesa  módulo 7Revolução francesa  módulo 7
Revolução francesa módulo 7
Carla Teixeira
 
Ficha de trabalho nº 1
Ficha de trabalho nº 1Ficha de trabalho nº 1
Ficha de trabalho nº 1
Carla Teixeira
 
Revolução francesa módulo 7
Revolução francesa  módulo 7Revolução francesa  módulo 7
Revolução francesa módulo 7
Carla Teixeira
 
Revolução francesa 2
Revolução francesa 2Revolução francesa 2
Revolução francesa 2
Carla Teixeira
 
Revolução francesa parte 3
Revolução francesa parte 3Revolução francesa parte 3
Revolução francesa parte 3
Carla Teixeira
 
Revolução francesa 2
Revolução francesa 2Revolução francesa 2
Revolução francesa 2
Carla Teixeira
 

Mais de Carla Teixeira (20)

A civilização industrial no séc XIX.ppt
A civilização industrial no séc XIX.pptA civilização industrial no séc XIX.ppt
A civilização industrial no séc XIX.ppt
 
1-guerra-mundial-esic.ppt
1-guerra-mundial-esic.ppt1-guerra-mundial-esic.ppt
1-guerra-mundial-esic.ppt
 
a polis no mundo grego.ppt
a polis no mundo grego.ppta polis no mundo grego.ppt
a polis no mundo grego.ppt
 
O tempo das reformas religiosas parte 1
O tempo das reformas religiosas parte 1O tempo das reformas religiosas parte 1
O tempo das reformas religiosas parte 1
 
Arte renascentista parte 3
Arte renascentista  parte 3Arte renascentista  parte 3
Arte renascentista parte 3
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
 
A reforma religiosa parte 2
A reforma religiosa  parte 2A reforma religiosa  parte 2
A reforma religiosa parte 2
 
A reforma católica e a contra reforma- parte 1
A reforma católica e a contra  reforma- parte 1A reforma católica e a contra  reforma- parte 1
A reforma católica e a contra reforma- parte 1
 
A contra reforma parte 3
A contra reforma  parte 3A contra reforma  parte 3
A contra reforma parte 3
 
A contra reforma parte 2
A contra reforma   parte 2A contra reforma   parte 2
A contra reforma parte 2
 
A arte renascentista parte 2
A arte renascentista parte 2A arte renascentista parte 2
A arte renascentista parte 2
 
O rococó e o neoclássico parte 1
O rococó e o neoclássico parte 1O rococó e o neoclássico parte 1
O rococó e o neoclássico parte 1
 
Neoclássico parte 2
Neoclássico parte 2Neoclássico parte 2
Neoclássico parte 2
 
Neoclássico parte3
Neoclássico parte3Neoclássico parte3
Neoclássico parte3
 
Revolução francesa módulo 7
Revolução francesa  módulo 7Revolução francesa  módulo 7
Revolução francesa módulo 7
 
Ficha de trabalho nº 1
Ficha de trabalho nº 1Ficha de trabalho nº 1
Ficha de trabalho nº 1
 
Revolução francesa módulo 7
Revolução francesa  módulo 7Revolução francesa  módulo 7
Revolução francesa módulo 7
 
Revolução francesa 2
Revolução francesa 2Revolução francesa 2
Revolução francesa 2
 
Revolução francesa parte 3
Revolução francesa parte 3Revolução francesa parte 3
Revolução francesa parte 3
 
Revolução francesa 2
Revolução francesa 2Revolução francesa 2
Revolução francesa 2
 

A arquitectura civil românica

  • 2.  
  • 3.
  • 4. Numa época de guerras e grande insegurança , os castelos assumiram-se como fortificações militares de carácter defensivo. A sua localização, em zonas elevadas , permitia uma melhor defesa do inimigo . Muitos deles eram cercados por água, para dificultar a entrada dos inimigos.
  • 8. O Castelo de Almourol, também conhecido como o Castelo dos Templários
  • 10. As fortalezas constru í am-se para proteger o territ ó rio, sendo esse o papel do castelo e, por isso, a escolha do local é essencial. O castelo pode erguer-se em vastos espa ç os para se aproveitar um grande ângulo de visão, vigiar-se as estradas. Tamb é m pode ser constru í do sobre uma pequena colina para dominar melhor o territ ó rio e se poder defender mais facilmente. Antes de se construir o edif í cio ser á preciso pensar nos materiais necess á rios para a sua constru ç ão, de maneira a que não seja muito dif í cil obter madeira, pedra, cânhamo. Para se poderem defender do inimigo abre-se estradas um pouco por todo o lado. Nos caminhos das rondas, situado na sacada criam-se os mata ç ões, buracos de onde se pode atirar todo o tipo de proj é cteis. Tamb é m se constroem as seteiras, recortes que envolvem as muralhas e permitem simultaneamente a protec ç ão dos ataques dos inimigos e contra-atacar. O cerco de um castelo é uma opera ç ão bastante longa e dif í cil cujo resultado é sempre incerto: se o castelo é tomado, é pilhado e por vezes, é at é mesmo destru í do.
  • 11. Muralhas Porta d e Entrada Torre Adarve Ameias e Merlões Torre de Menagem
  • 12.
  • 13. A Torre de Menagem
  • 14.
  • 15.
  • 16. A entrada do Castelo
  • 17.
  • 18.
  • 19.  
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.  
  • 24. Na época dos castelos as guerras eram muito comuns.
  • 25.
  • 26.  
  • 27.  
  • 29.  
  • 30.  
  • 31.
  • 32.
  • 33. O mobiliário rústico limitava-se geralmente a uma mesa arrumada sobre cavaletes e a um grande baú, no qual se guardava quase tudo (roupas, armas e outros objectos).
  • 34.  
  • 35.  
  • 36.  
  • 37.  
  • 38.  
  • 39.  
  • 40.  

Notas do Editor

  1. Castillo de los templarios. España