Projeto Fábulas

2.291 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.291
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
38
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto Fábulas

  1. 1. ESCOLA MUNICIPAL GOV. PEDRO IVO CAMPOS FÁBULAS Diretor(a): Anelise Terezinha Poffo Supervisor(a): Elisabete Regina T. Sell Alunos envolvidos: 5º Ano A, B e C Disciplina: Lingua Portuguesa Professora Responsável: Mara Lúcia A. de Azevedo Sirlei Jagielski Nass Professora Informática Educacional: Lourdes Grasel Barbosa Período de realização: Setembro e Outubro/2010 Joinville 2010
  2. 2. INTRODUÇÃO Contextualização: Em consonância com o programa “O Caráter Conta”, durante o ano letivo/2010 os alunos dos 5os anos A, B e C, da Escola Municipal Gov. Pedro Ivo Campos desenvolveu trabalhos a partir do gênero literário fábula. Fábula é um gênero que sempre atraiu a atenção de adultos e crianças. Os primeiros acabam por utilizá-las numa tentativa de transmitir lições de moral enquanto que as crianças são atraídas pelo lado lúdico e fantástico que estão contidos nessas histórias. Os atores são na maioria animais, que se comportam como seres humanos e representam hábitos e vícios de sua classe. Por meio dela, os alunos poderão reconhecer ensinamentos e lições de moral, refletindo sobre vícios e virtudes humanas. Desta forma, o estudo da fábula ocorrerá em um contexto significativo, o que possibilitará que os alunos desenvolvam a leitura e a escrita de textos com a intenção de ensinar, aconselhar, convencer, divertir ou criticar. Em Língua portuguesa a proposta foi conhecer alguns fabulistas e a importância de suas produções literárias para a Lígua Portuguesa. Dos fabulistas pesquisados foram Esopo, La Fontaine, Monteiro Lobato, Olavo Bilac dentre outros. Espera-se, ainda, que os alunos possam identificar as características composicionais do gênero e reconhecê-los em outras circunstâncias. A produção final consistirá na realização de atividades na Sala de Informática Educacional e sala de aula. http://sites.google.com/site/gostodefabulas/
  3. 3. Justificativa: A fim de formar seres humanos pensantes, críticos, autônomos criativos, justos, solidários, sensíveis e éticos, se faz necessário apresentar uma literatura diversificada e gêneros distintos. O gênero fábulas acreditamos levar os alunos a pensar, ler, discutir, saborear e analisar o que está por trás de cada uma delas. - Quem de nós, dependendo do contexto e da situação já, não se colocou na pele do lobo e/ou do cordeiro? - Qual seria nossa reação se alguém (a cigarra) batesse a nossa porta (nós=formigas) e nos pedisse ajuda? -Como reagiríamos diante da esperteza das raposas que tanto gostam de levar vantagem em tudo? Será que os elogios que recebemos ou fazemos são sempre verdadeiros?(O corvo e a raposa). E assim há uma infinidade de exemplos vivenciados no nosso dia a dia que podem ser resgatados por meio de fabulosas fábulas e dos sábios provérbios. Perceber as mensagens nas entrelinhas, estabelecer relações, criticar e descobrir quem são os verdadeiros lobos, raposas, águias e formigas da nossa sociedade. Analisar se as ações e atitudes dessas personagens (cidadãos) são éticas e justas. Discutir, debater, trocar idéias sempre e sempre. Se isto puder ser feito, com certeza, estaremos exercitando a cidadania de uma maneira lúdica e gostosa. Objetivos: Geral – Conhecer o gênero literário fábula e seus criadores em consonância com o programa “Caráter Conta” visando desenvolver o senso crítico e valores éticos.
  4. 4. Específicos: • Pesquisar os prováveis criadores de Fábulas; • Ampliar a capacidade de análise literária; • Conhecer o gênero literário fábula e os elementos que a compõe: o lúdico e o pedagógico; • Esclarecer o contexto histórico em que as fábulas foram produzidas; • Transformar uma fábula em teatro. (Informática Educacional) • Dramatizar, as fábulas lidas. (Informática Educacional) • Elaborar uma história em quadrinhos (HQ) a partir de uma fábula (Informática Educacional) • Trabalhar a gramática conceitual a partir das Fábulas; • Reescrever uma fábula em poesia (Informática Educacional) • Relacionar as Fábulas lidas com os Seis Pilares/Caráter Conta; • Elaborar cartazes expressando sua reflexão referente aos Pilares do Programa “Caráter Conta”: Zelo, Cidadania, Respeito, Responsabilidade, Sinceridade e Senso de justiça
  5. 5. DESENVOLVIMENTO 1 . ETAPAS: • 1ª ETAPA - Construção de uma WEBQUEST com a proposição das tarefas: O que é fábula? Transformação de textos em prosa para peça de teatro, poema , história em quadrinhos e criação de uma fábula a partir da Moral; (Informática Educacional) • 2ª ETAPA – Preparatório para leitura de fábulas em sala de aula e Informática Educacional. Pesquisa de sites específicos sobre fabulistas. 2 . Após a leitura de algumas fábulas na informática educacional, biblioteca, na sala de aula foi realizada uma análise literária, estrutura, enredo, personagens, linguagem (elementos temporais, espaciais, recursos expressivos...) 3 . - Leitura da fábula escolhida pela equipe; - Distribuição pela professora de peças de teatro para leitura e análise; - Características do texto de peça de teatro; - Transformação dos textos em prosa para teatro (Informática Educacional); - Elaboração de cartazes com temas específicos: respeito, sinceridade, responsabilidade, zelo, cidadania e senso de justiça; - Ensaios e filmagem de dramatização – 5º ano A/C (informatica educacional)
  6. 6. - Ver WEBQUEST Sequencia Didática: 1. No primeiro momento, diálogo com os alunos sobre o trabalho a ser realiza- do, com base no gênero fábula. Após este esclarecimento, foi proporcionado a eles a contextualização com o tipo de texto a ser estudado. Como estágio preparatório para o estudo, a primeira atividade a ser desenvolvida consistiu em estabelecer contato entre esse tipo de texto e os alunos. Questionamentos: . Você sabe o que é uma fábula? . Como se originaram as fábulas? . Você já leu ou ouviu alguma fábula? Qual? . Se já leu, em que tipo de material? (livro, jornal, revista...) . Se já ouviu, quem a contou? . Você gosta de ler ou ouvir fábula? . Que outro tipo de texto gosta de ler? Após essa discussão, os alunos expuseram para a turma fábulas que leram ou ouvi- ram. Em síntese, a primeira atividade ocorreu por meio de troca de experiências e conhecimentos sobre o tema.
  7. 7. 2. Realizada esta primeira etapa do trabalho, segue-se a seqüência didática, que será desenvolvida como descritos a seguir. SD1: Neste momento, a fim de reforçar o primeiro contato dos alunos com o tema, bem como desenvolver ainda mais a expressão oral, realizou-se um trabalho dirigi- do, escrevendo no quadro títulos de fábulas que são socialmente mais comuns e co- nhecidas. Em seguida, fez-se a seguinte abordagem: - Dessas fábulas, quais vocês conhecem? - Quem lembra a história de pelo menos uma dessas fábulas? - Quem são os personagens? - Como termina a história? Anotou-se, no quadro, as colocações dos alunos, para verificação dos conhecimen- tos prévios acerca do gênero. Solicitou-se uma pesquisa na Sala Informatizada sobre fábulas, e qualidades que são atribuídas aos animais (simbologia). Esclareceu-se que os dados coletados por eles seriam utilizados na próxima SD.
  8. 8. SD 2: Leitura para apropriação das características típicas do gênero discursivo fábu- la, visando levar os alunos a tomarem contato com o gênero e a observarem suas características por meio de uma seqüência de atividades desenvolvidas: − Apresentação aos alunos na Sala Informatizada em sites específicos de fábulas de diversos fabulistas e livros em sala de aula. - Promoveu-se uma conversa sobre a origem das fábulas e as mudanças estruturais e ideológicas entre os autores. - Leitura silenciosa e oral de uma fábula, junto com os alunos, ajudando-os a perceber as características que compõe este gênero: personagens (animais com comportamentos, qualidades e características,as quais são freqüentemente comparadas às dos homens); vício ou defeito de caráter e virtude que a fábula aborda; local (espaço) da história, moral e mensagem que ela traz; SD 3:Conversação sobre a Moral da História comparando com os comportamentos e atitudes vivenciados hoje em dia. Conversação sobre a simbologia dos animais em consonância aos Pilares do Pro- grama Caráter Conta: Zelo, Cidadania, Responsabilidade, Respeito e Sinceridade. SD 4: Na Sala Informatizada foi realizado a transformação de texto em prosa para História em Quadrinhos. Transformação de texto em prosa em poema. Transforma- ção de texto em prosa em teatro. Reescrita de fábula com troca de personagens a partir da Moral de História. SD 5: Socialização dos trabalhos
  9. 9. Descriçao e fundamentação teorica O Projeto Fábulas foi idealizado a partir da proposta pedagógica dos seis pilares do “Caráter Conta”. Para melhor situar-se, o “Programa Caráter Conta” é baseado no Programa (Character Counts!) americano que pretende, principalmente, contribuir para a formação do caráter de crianças, jovens e adolescentes. O programa foi implantado em diversas escolas das redes municipal e estadual de Joinville e região, desde 2004 e os docentes desenvolvem oficinas e dinâmicas com os alunos que norteiam os temas dos seis pilares: Zelo, Sinceridade, Responsabilidade, Cidadania, Respeito e Senso de Justiça. Diante disso apresentar, estudar, promover reflexoes, tomada de decisões,e promover a convivência pacífica e justa no ambiente escolar e comunitário, encontramos no gênero literário Fábulas o melhor meio para trabalhar as ações propostas pelo “Caráter Conta”. Através de pesquisas realizadas, no entanto, concluiu-se que a maioria dos estudiosos de fábulas não encontram neste gênero específico o aspecto crítico da leitura. Exemplo disso é o artigo da professora Clarice Fortkamp Caldin, que não explicita a diferença entre livros pedagógicos voltados para crianças com objetivos específicos e livros de literatura infantil, que levam a uma reflexão crítica e favorecem no seu desenvolvimento intelectual, cultural, educacional e social. Apesar disso, percebemos que a autora revela a importância do papel social da leitura na literatura infantil. Já no livro de Góes (1991), Introdução à Literatura infantil e juvenil, observamos exercer o gênero fábula um papel fundamental para a aprendizagem de cunho moral e reflexivo para as crianças e ser a fábula um gênero pouco inserido no meio literário infantil. Se antigamente as crianças tinham uma educação rígida, sem nenhuma oportunidade questionar sobre fatos sociais, os educadores modernos precisam dispor de atividades produtivas, utilizando-se do processo de aprendizagem dinâmica através de leituras como as fábulas.
  10. 10. Enfim, organizamos as idéias desses trabalhos analisados e as aplicamos no nosso trabalho, justamente, com a proposta de valorização do gênero no meio educacional. Considerações finais A partir dos trabalhos realizados os alunos puderam: • Ampliar a capacidade de análise literária; • Adquirir o gosto pela leitura de textos considerados difíceis e refinados; • Ler buscando marcas das leituras que procederam a nosssa e as marcas que deixaram na cultura ou culturas que atravessaram; • Exercitar o trabalho em equipe (comprometimento, responsabilidade e organização); • Pesquisar a partir de diferentes mídias: Internet, vídeos, livros, textos e revistas; • Diferenciar texto em prosa para de peça de teatro; • Produzir textos diversos; • Exercitar postura e expressividade adequada para narrar oralmente os contos; • Exercitar a desinibição, memória, expressividade aos dramatizarrem os contos; • Revisar textos buscando utilizar a pontuação correta, ortografia, legibilidade; • Usar e ampliar o uso de tecnologias; Computador, máquina digital, montar vídeos no movie maker; • Aprender a produzir e publicar seus próprios trablhos em programas da Intenet como a das Histórias em Quadrinhos ( www. Toondoo.com)

×