SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
PEDAGOGIA DE PROJETOS
Prof. Me. Rafael C. Lima
rafaclimarte@gmail.com
São Paulo-SP, 17 de fevereiro de 2018.
CONCEITO
 De acordo com o dicionário Houaiss (2001), a palavra projeto tem etimologia do
latim projectus,us ‘ação de lançar para a frente, de se estender, extensão’, do rad. de
projectum, supn. de projicĕre ‘lançar para a frente’; ver jact-; f.hist. 1680 projecto.
Pode-se definir projeto como “Representação oral, escrita, desenhada, gráfica ou
modelada que, a partir de um motivo gera a intenção numa pessoa de realizar certa
atividade usando meios adequados para alcançar determinada finalidade” (MARTINS,
2007, p.34).
 A partir da realização de projetos, pode-se buscar a solução de problemas e agregar
conhecimento no processo de construção do saber. Os projetos extrapolam os
limites da sala de aula e favorecem a interdisciplinaridade como abordagem de
ensino e pesquisa (SILVA, 2011).
 Segundo Buck Institute for Education (2008), a Pedagogia de projetos pode
favorecer o trabalho do professor para conseguir um alto desempenho junto com
seus alunos, com foco na aprendizagem de qualidade e possibilitando uma possível
interferência junto à comunidade. Para Martins (2007), o projeto deve estimular nos
alunos a necessidade de busca de soluções para as questões propostas,
considerando seus saberes prévios proporcionando assim um aprimoramento e o
desenvolvimento das próprias competências como instrumentos de aprendizagem e
compreensão da realidade.
HISTÓRICO
 A denominação “Método de Projetos”, projeto como método
didático, foi instituída pela primeira vez pelo norte-americano
William Kilpatrick (1871-1965), baseado nas idéias de John Dewey
(1859-1952).
 No Brasil, a partir de 1930, teve início o movimento “ensino para
todos”. Anísio Teixeira foi o responsável por resgatar a proposta da
Escola Nova e introduzi-la como de filosofia da educação e da
prática pedagógica, adequando-a à situação da escola pública
brasileira.
HISTÓRICO DA PEDAGOGIA POR
PROJETOS (POR HELOISA
DAMASCENO DINIZ)
JEAN PIAGET (1896-1980) as
crianças não pensam como os
adultos e constroem o próprio
aprendizado.
FRÖEBEL (1782-1852) as
brincadeiras são o primeiro recurso
no caminho rumo à aprendizagem.
OVIDE DECROLY (1871-1932) a
escola centrada no aluno, e não no
professor, preparando-o para viver
em sociedade.
KILPATRICK (1871-1965) todas as
atividades escolares realizam-se
através de projetos, sem
necessidade de uma organização
especial.
MARIA MONTESSORI (1870-1952)
defendeu o respeito às
necessidades e interesses de cada
estudante.
LEV VYGOTSKY (1896-1934) o saber
que não vem da experiência não é
realmente saber.
CELESTIAN FREINET (1896-1966)
valorização do trabalho e da
atividade em grupo.
PEDAGOGIA POR PROJETO E
APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA
A aprendizagem significativa é o processo pelo qual uma nova informação se
relaciona, de maneira substantiva e não arbitrária, a um aspecto relevante da
estrutura cognitiva do aprendiz (AUZUBEL, 2003; MOREIRA, 2011).
A condição mais forte que propicia a aprendizagem significativa depende do
conhecimento prévio do aprendiz, não deixando de lado a predisposição que
ele tem para aprender novos conhecimentos (HERNANDEZ e VENTURA, 1998;
PELIZZARI et al., 2002; MOREIRA, 2011).
Projetos escolares de pesquisa são trabalhos formais e científicos, porque
seguem as normas e os procedimentos da metodologia científica, visando
alcançar certo resultado pela realização de um estudo, de uma busca de
informações (MARTINS, 2007; SILVA, 2011).
A aprendizagem baseada em projetos como método de pesquisa
estimula os alunos a adquirir conhecimentos e habilidades,
possibilitando a interdisciplinaridade em torno de investigação
de questões complexas. Os estudantes além de aprender têm a
oportunidade de trabalhar em equipe e desenvolver valores.
Nesse processo de construção do conhecimento, desenvolvem-
se competências e habilidades para o mercado de trabalho
(SANTOS, 2006; BUCK INSTITUTE FOR EDUCATION, 2008; LIMA
JÚNIOR, 2009, FERNANDEZ, 2012).
Segundo Fagundes et al. (1999), o projeto deve ser do aluno ou do
grupo, portanto diversificado, pois os componentes são
diferentes, pensam diferente, e não possuem os mesmos
interesses ou as mesmas necessidades.
As questões são mais bem pesquisadas quando parte das dúvidas
e da curiosidade do aluno ou do grupo de interessados; a
motivação é fator propulsor para essa indagação de querer
saber mais , porque ela é intrínseca, e própria do indivíduo
(LEITE, 1996; BULEGON, 2011).
 O aprender a aprender passa a ter conotação de aquisição do
significado das coisas, raciocínio lógico e a capacidade de
compreensão, tornando-se necessário motivar o aluno para querer
aprender e saber mais (ANTUNES, 2010; MARTINS, 2013).
 Por isso, a ênfase na Pedagogia por Projetos enquanto uma
alternativa didática que propicia, por meio de dinâmica, condições
favoráveis a aprendizagem (OLIVEIRA e GONZAGA, 2009; SILVA,
2011; ALMEIDA, 2012).
 Na metodologia de projetos, os resultados obtidos devem ser
socializados oralmente ou escritos em jornais ou murais, de
maneira que permitam a interdisciplinaridade através destes
registros, que fazem o uso de linguagens, reconstrução teórica e
tecnologias variadas. A avaliação do projeto deve der feita ao
longo do percurso de forma a permitir julgamento, análise dos
resultados, ações corretivas, pontos de referência o que possibilita
intervenções e adequações para se atingir os resultados esperados
(MARTINS, 2005; TURRA, 2011).
JUSTIFICATIVA
 Segundo Hernandes (1998), Ramal (1999), Araújo (2009), Martins
(2013), o trabalho com projetos justifica-se pelo desenvolvimento
nos alunos de capacidades como a autonomia, criatividade,
capacidade analítica e de síntese além do poder de decisão. O
aluno deve saber buscar, selecionar e utilizar a informação de
modo criativo, consciente e crítico. O trabalho por projeto deve ir
além da sala de aula, sendo assim uma oportunidade para a escola
repensar o seu modo de operação.
 Pedagogia de Projetos pode ser definida como um
método no qual a classe se ocupa em atividades
proveitosas e com propósitos definidos. Em outras
palavras, é o ensino através da experiência. Este método
coloca o aluno em contato com algum projeto concreto
em que esteja interessado e em que planeje o
empreendimento, colha as informações, e finalmente,
leve a efeito os seus planos.
No trabalho com projetos o próprio aluno constrói o
conhecimento. O professor apenas propõe situações de
ensino baseadas nas descobertas espontâneas e
significativas dos alunos.
 Nessa postura, todo conhecimento é construído em estreita
relação com o contexto em que é utilizado, sendo, por isso
mesmo, impossível separar os aspectos cognitivos, emocionais
e sociais presentes nesse processo. A formação dos alunos não
pode ser pensada apenas como uma atividade intelectual.
É um processo global e complexo, onde conhecer e intervir no
real não se encontram dissociados. “Aprende-se participando,
vivenciando sentimentos, tomando atitudes diante dos fatos,
escolhendo procedimentos para atingir determinados objetivos.
Ensina-se não só pelas respostas dadas, mas principalmente
pelas experiências proporcionadas, pelos problemas criados,
pela ação desencadeada.”
OBJETIVOS
Em virtude de as atividades educativas serem
elaboradas por alunos e professores, um dos
principais objetivos da Pedagogia de Projetos é
promover a integração e a cooperação entre
docentes e discentes em sala de aula.
Os projetos devem visar também a resolução de
algum problema ou algum empreendimento que
esteja em harmonia com os interesses dos alunos, e
relacionados às suas próprias experiências.
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS
Uma das principais características de um trabalho educativo realizado por
projetos é a intencionalidade. Todo projeto deve ser orientado por
objetivos claros e bem definidos. O que pretendo com a realização deste
trabalho? Quais resultados posso esperar? Em que sentido meus alunos
serão modificados?
A flexibilidade é outra característica importante.
O planejamento de trabalho deve ser flexível, de modo que o tempo e as
condições para desenvolvê-lo sejam sempre reavaliados em função dos
objetivos inicialmente propostos, dos recursos à disposição do grupo e das
circunstâncias que envolvem o projeto.
A originalidade do projeto demonstra que cada grupo é único, isto é,
possui características próprias. Seus participantes têm ritmos e estilos
diferentes. Portanto, o trabalho de um grupo não deve ser comparado
com o de outro ou contestado. A resolução do problema proposto pelo
projeto de trabalho, se dará em função das experiências e expectativas dos
componentes de cada grupo. O projeto de trabalho deve se desenvolver
apoiado na realidade de cada grupo.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
 https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos
/educacao/mas-o-que-e-pedagogia-de-
projetos/25952

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Correntes Pedagógicas
Correntes PedagógicasCorrentes Pedagógicas
Correntes Pedagógicas
 
Apresentação planejamento e avaliação
Apresentação   planejamento e avaliaçãoApresentação   planejamento e avaliação
Apresentação planejamento e avaliação
 
Introdução a Pedagogia
Introdução a PedagogiaIntrodução a Pedagogia
Introdução a Pedagogia
 
Avaliação Escolar
Avaliação EscolarAvaliação Escolar
Avaliação Escolar
 
Planejamento Educacional
Planejamento EducacionalPlanejamento Educacional
Planejamento Educacional
 
Semana Pedagógica. 13 dicas valiosas
Semana Pedagógica. 13 dicas valiosasSemana Pedagógica. 13 dicas valiosas
Semana Pedagógica. 13 dicas valiosas
 
Metodologias Ativas
Metodologias AtivasMetodologias Ativas
Metodologias Ativas
 
Tendência crítico social dos conteúdos
Tendência crítico social dos conteúdosTendência crítico social dos conteúdos
Tendência crítico social dos conteúdos
 
Slides sobre planejamento
Slides sobre planejamentoSlides sobre planejamento
Slides sobre planejamento
 
Saberes Docentes final
Saberes Docentes finalSaberes Docentes final
Saberes Docentes final
 
Metodologias ativas e Inovadoras
Metodologias ativas e InovadorasMetodologias ativas e Inovadoras
Metodologias ativas e Inovadoras
 
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicasSlides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
 
Planejamento de Ensino
Planejamento de EnsinoPlanejamento de Ensino
Planejamento de Ensino
 
Metodologias Ativas
Metodologias AtivasMetodologias Ativas
Metodologias Ativas
 
4.relacao professor aluno
4.relacao professor aluno4.relacao professor aluno
4.relacao professor aluno
 
O curriculo
O curriculoO curriculo
O curriculo
 
Formação de professor
Formação de professorFormação de professor
Formação de professor
 
Slide tendências pedagógicas
Slide   tendências pedagógicasSlide   tendências pedagógicas
Slide tendências pedagógicas
 
Piaget x Vygotsky
Piaget x VygotskyPiaget x Vygotsky
Piaget x Vygotsky
 
Currículo escolar
Currículo escolarCurrículo escolar
Currículo escolar
 

Semelhante a pedagogia de projetos

Semelhante a pedagogia de projetos (20)

Matematica e o meio ambiente
Matematica e o meio ambienteMatematica e o meio ambiente
Matematica e o meio ambiente
 
Matematica e o meio ambiente
Matematica e o meio ambienteMatematica e o meio ambiente
Matematica e o meio ambiente
 
PITEC Elaboração de Projetos - Beti Prado
PITEC Elaboração de Projetos - Beti PradoPITEC Elaboração de Projetos - Beti Prado
PITEC Elaboração de Projetos - Beti Prado
 
Slide do pitec
Slide do pitecSlide do pitec
Slide do pitec
 
Texto18
Texto18Texto18
Texto18
 
Educação 5.0 e as Metodologias Ativas e Inovadoras: encantando e engajando o ...
Educação 5.0 e as Metodologias Ativas e Inovadoras: encantando e engajando o ...Educação 5.0 e as Metodologias Ativas e Inovadoras: encantando e engajando o ...
Educação 5.0 e as Metodologias Ativas e Inovadoras: encantando e engajando o ...
 
Projetos e interdisciplinaridade
Projetos e interdisciplinaridadeProjetos e interdisciplinaridade
Projetos e interdisciplinaridade
 
Metodologias ativas e tecnologias
Metodologias ativas e tecnologiasMetodologias ativas e tecnologias
Metodologias ativas e tecnologias
 
Projetos
ProjetosProjetos
Projetos
 
Aprender por projetos
Aprender por projetosAprender por projetos
Aprender por projetos
 
Aula 08 projetos 2010
Aula 08 projetos 2010Aula 08 projetos 2010
Aula 08 projetos 2010
 
2º encontro presencial
2º encontro presencial2º encontro presencial
2º encontro presencial
 
Metodologias Ativas, Imersivas e Inovadoras
Metodologias Ativas, Imersivas e InovadorasMetodologias Ativas, Imersivas e Inovadoras
Metodologias Ativas, Imersivas e Inovadoras
 
Aula 1 unidade 1
Aula 1 unidade 1Aula 1 unidade 1
Aula 1 unidade 1
 
Projetos
ProjetosProjetos
Projetos
 
São João do Polêsine - Ivelize Liara Flesch
São João do Polêsine - Ivelize Liara FleschSão João do Polêsine - Ivelize Liara Flesch
São João do Polêsine - Ivelize Liara Flesch
 
Pedagogiade projetos
Pedagogiade projetosPedagogiade projetos
Pedagogiade projetos
 
PROJETO PEDAGOGICO
PROJETO PEDAGOGICOPROJETO PEDAGOGICO
PROJETO PEDAGOGICO
 
Pedagogiade projetos
Pedagogiade projetosPedagogiade projetos
Pedagogiade projetos
 
Pedagogia de projetos
Pedagogia de projetosPedagogia de projetos
Pedagogia de projetos
 

Mais de Governo do Estado de São Paulo

Proyecto portuñol en una escuela brasilera de educación infantil
Proyecto portuñol en una escuela brasilera de educación infantilProyecto portuñol en una escuela brasilera de educación infantil
Proyecto portuñol en una escuela brasilera de educación infantilGoverno do Estado de São Paulo
 
O perfil da educação de jovens e adultos na cidade de Ferraz de Vasconcelos
O perfil da educação de jovens e adultos na cidade de Ferraz de VasconcelosO perfil da educação de jovens e adultos na cidade de Ferraz de Vasconcelos
O perfil da educação de jovens e adultos na cidade de Ferraz de VasconcelosGoverno do Estado de São Paulo
 
El perfil de la educación de jóvenes y adultos en la ciudad de Ferraz de Vasc...
El perfil de la educación de jóvenes y adultos en la ciudad de Ferraz de Vasc...El perfil de la educación de jóvenes y adultos en la ciudad de Ferraz de Vasc...
El perfil de la educación de jóvenes y adultos en la ciudad de Ferraz de Vasc...Governo do Estado de São Paulo
 
O perfil dos alunos do ensino médio frente à sexualidade
O perfil dos alunos do ensino médio frente à sexualidadeO perfil dos alunos do ensino médio frente à sexualidade
O perfil dos alunos do ensino médio frente à sexualidadeGoverno do Estado de São Paulo
 

Mais de Governo do Estado de São Paulo (20)

escola leitora
escola leitoraescola leitora
escola leitora
 
dislexia
dislexiadislexia
dislexia
 
dificuldades de aprendizagem escolar
dificuldades de aprendizagem escolardificuldades de aprendizagem escolar
dificuldades de aprendizagem escolar
 
Literatura brasileira
Literatura brasileiraLiteratura brasileira
Literatura brasileira
 
1 de dezembro Dia mundial da luta contra a AIDS
1 de dezembro Dia mundial da luta contra a AIDS1 de dezembro Dia mundial da luta contra a AIDS
1 de dezembro Dia mundial da luta contra a AIDS
 
A relação íntima entre opressores e oprimidos
A relação íntima entre opressores e oprimidosA relação íntima entre opressores e oprimidos
A relação íntima entre opressores e oprimidos
 
Proyecto portuñol en una escuela brasilera de educación infantil
Proyecto portuñol en una escuela brasilera de educación infantilProyecto portuñol en una escuela brasilera de educación infantil
Proyecto portuñol en una escuela brasilera de educación infantil
 
Linguagem do Corpo e Linguagem Pictórica
Linguagem do Corpo e Linguagem PictóricaLinguagem do Corpo e Linguagem Pictórica
Linguagem do Corpo e Linguagem Pictórica
 
Linguagem do Corpo
Linguagem do CorpoLinguagem do Corpo
Linguagem do Corpo
 
Linguagem Pictórica: estéticas
Linguagem Pictórica: estéticasLinguagem Pictórica: estéticas
Linguagem Pictórica: estéticas
 
linguagem pictórica: elementos visuais
linguagem pictórica: elementos visuaislinguagem pictórica: elementos visuais
linguagem pictórica: elementos visuais
 
Escritos de educação por Pierre Bourdieu
Escritos de educação por Pierre BourdieuEscritos de educação por Pierre Bourdieu
Escritos de educação por Pierre Bourdieu
 
Pedagogia hospitalar formação e trabalho docente
Pedagogia hospitalar formação e trabalho docentePedagogia hospitalar formação e trabalho docente
Pedagogia hospitalar formação e trabalho docente
 
O perfil da educação de jovens e adultos na cidade de Ferraz de Vasconcelos
O perfil da educação de jovens e adultos na cidade de Ferraz de VasconcelosO perfil da educação de jovens e adultos na cidade de Ferraz de Vasconcelos
O perfil da educação de jovens e adultos na cidade de Ferraz de Vasconcelos
 
El perfil de la educación de jóvenes y adultos en la ciudad de Ferraz de Vasc...
El perfil de la educación de jóvenes y adultos en la ciudad de Ferraz de Vasc...El perfil de la educación de jóvenes y adultos en la ciudad de Ferraz de Vasc...
El perfil de la educación de jóvenes y adultos en la ciudad de Ferraz de Vasc...
 
O perfil dos alunos do ensino médio frente à sexualidade
O perfil dos alunos do ensino médio frente à sexualidadeO perfil dos alunos do ensino médio frente à sexualidade
O perfil dos alunos do ensino médio frente à sexualidade
 
Posse do grêmio estudantil 2017
Posse do grêmio estudantil 2017Posse do grêmio estudantil 2017
Posse do grêmio estudantil 2017
 
orientações tcc facab 18 03 2017
orientações tcc facab 18 03 2017orientações tcc facab 18 03 2017
orientações tcc facab 18 03 2017
 
O que se fala, (não) se escreve
O que se fala, (não) se escreveO que se fala, (não) se escreve
O que se fala, (não) se escreve
 
Citações na Pesquisa Científica
Citações na Pesquisa CientíficaCitações na Pesquisa Científica
Citações na Pesquisa Científica
 

Último

Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADOcarolinacespedes23
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.keislayyovera123
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaAula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaaulasgege
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 

Último (20)

Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaAula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 

pedagogia de projetos

  • 1. PEDAGOGIA DE PROJETOS Prof. Me. Rafael C. Lima rafaclimarte@gmail.com São Paulo-SP, 17 de fevereiro de 2018.
  • 2. CONCEITO  De acordo com o dicionário Houaiss (2001), a palavra projeto tem etimologia do latim projectus,us ‘ação de lançar para a frente, de se estender, extensão’, do rad. de projectum, supn. de projicĕre ‘lançar para a frente’; ver jact-; f.hist. 1680 projecto. Pode-se definir projeto como “Representação oral, escrita, desenhada, gráfica ou modelada que, a partir de um motivo gera a intenção numa pessoa de realizar certa atividade usando meios adequados para alcançar determinada finalidade” (MARTINS, 2007, p.34).  A partir da realização de projetos, pode-se buscar a solução de problemas e agregar conhecimento no processo de construção do saber. Os projetos extrapolam os limites da sala de aula e favorecem a interdisciplinaridade como abordagem de ensino e pesquisa (SILVA, 2011).  Segundo Buck Institute for Education (2008), a Pedagogia de projetos pode favorecer o trabalho do professor para conseguir um alto desempenho junto com seus alunos, com foco na aprendizagem de qualidade e possibilitando uma possível interferência junto à comunidade. Para Martins (2007), o projeto deve estimular nos alunos a necessidade de busca de soluções para as questões propostas, considerando seus saberes prévios proporcionando assim um aprimoramento e o desenvolvimento das próprias competências como instrumentos de aprendizagem e compreensão da realidade.
  • 3. HISTÓRICO  A denominação “Método de Projetos”, projeto como método didático, foi instituída pela primeira vez pelo norte-americano William Kilpatrick (1871-1965), baseado nas idéias de John Dewey (1859-1952).  No Brasil, a partir de 1930, teve início o movimento “ensino para todos”. Anísio Teixeira foi o responsável por resgatar a proposta da Escola Nova e introduzi-la como de filosofia da educação e da prática pedagógica, adequando-a à situação da escola pública brasileira.
  • 4. HISTÓRICO DA PEDAGOGIA POR PROJETOS (POR HELOISA DAMASCENO DINIZ) JEAN PIAGET (1896-1980) as crianças não pensam como os adultos e constroem o próprio aprendizado. FRÖEBEL (1782-1852) as brincadeiras são o primeiro recurso no caminho rumo à aprendizagem. OVIDE DECROLY (1871-1932) a escola centrada no aluno, e não no professor, preparando-o para viver em sociedade. KILPATRICK (1871-1965) todas as atividades escolares realizam-se através de projetos, sem necessidade de uma organização especial. MARIA MONTESSORI (1870-1952) defendeu o respeito às necessidades e interesses de cada estudante. LEV VYGOTSKY (1896-1934) o saber que não vem da experiência não é realmente saber. CELESTIAN FREINET (1896-1966) valorização do trabalho e da atividade em grupo.
  • 5. PEDAGOGIA POR PROJETO E APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA A aprendizagem significativa é o processo pelo qual uma nova informação se relaciona, de maneira substantiva e não arbitrária, a um aspecto relevante da estrutura cognitiva do aprendiz (AUZUBEL, 2003; MOREIRA, 2011). A condição mais forte que propicia a aprendizagem significativa depende do conhecimento prévio do aprendiz, não deixando de lado a predisposição que ele tem para aprender novos conhecimentos (HERNANDEZ e VENTURA, 1998; PELIZZARI et al., 2002; MOREIRA, 2011). Projetos escolares de pesquisa são trabalhos formais e científicos, porque seguem as normas e os procedimentos da metodologia científica, visando alcançar certo resultado pela realização de um estudo, de uma busca de informações (MARTINS, 2007; SILVA, 2011).
  • 6. A aprendizagem baseada em projetos como método de pesquisa estimula os alunos a adquirir conhecimentos e habilidades, possibilitando a interdisciplinaridade em torno de investigação de questões complexas. Os estudantes além de aprender têm a oportunidade de trabalhar em equipe e desenvolver valores. Nesse processo de construção do conhecimento, desenvolvem- se competências e habilidades para o mercado de trabalho (SANTOS, 2006; BUCK INSTITUTE FOR EDUCATION, 2008; LIMA JÚNIOR, 2009, FERNANDEZ, 2012). Segundo Fagundes et al. (1999), o projeto deve ser do aluno ou do grupo, portanto diversificado, pois os componentes são diferentes, pensam diferente, e não possuem os mesmos interesses ou as mesmas necessidades. As questões são mais bem pesquisadas quando parte das dúvidas e da curiosidade do aluno ou do grupo de interessados; a motivação é fator propulsor para essa indagação de querer saber mais , porque ela é intrínseca, e própria do indivíduo (LEITE, 1996; BULEGON, 2011).
  • 7.  O aprender a aprender passa a ter conotação de aquisição do significado das coisas, raciocínio lógico e a capacidade de compreensão, tornando-se necessário motivar o aluno para querer aprender e saber mais (ANTUNES, 2010; MARTINS, 2013).  Por isso, a ênfase na Pedagogia por Projetos enquanto uma alternativa didática que propicia, por meio de dinâmica, condições favoráveis a aprendizagem (OLIVEIRA e GONZAGA, 2009; SILVA, 2011; ALMEIDA, 2012).  Na metodologia de projetos, os resultados obtidos devem ser socializados oralmente ou escritos em jornais ou murais, de maneira que permitam a interdisciplinaridade através destes registros, que fazem o uso de linguagens, reconstrução teórica e tecnologias variadas. A avaliação do projeto deve der feita ao longo do percurso de forma a permitir julgamento, análise dos resultados, ações corretivas, pontos de referência o que possibilita intervenções e adequações para se atingir os resultados esperados (MARTINS, 2005; TURRA, 2011).
  • 8. JUSTIFICATIVA  Segundo Hernandes (1998), Ramal (1999), Araújo (2009), Martins (2013), o trabalho com projetos justifica-se pelo desenvolvimento nos alunos de capacidades como a autonomia, criatividade, capacidade analítica e de síntese além do poder de decisão. O aluno deve saber buscar, selecionar e utilizar a informação de modo criativo, consciente e crítico. O trabalho por projeto deve ir além da sala de aula, sendo assim uma oportunidade para a escola repensar o seu modo de operação.
  • 9.  Pedagogia de Projetos pode ser definida como um método no qual a classe se ocupa em atividades proveitosas e com propósitos definidos. Em outras palavras, é o ensino através da experiência. Este método coloca o aluno em contato com algum projeto concreto em que esteja interessado e em que planeje o empreendimento, colha as informações, e finalmente, leve a efeito os seus planos. No trabalho com projetos o próprio aluno constrói o conhecimento. O professor apenas propõe situações de ensino baseadas nas descobertas espontâneas e significativas dos alunos.
  • 10.  Nessa postura, todo conhecimento é construído em estreita relação com o contexto em que é utilizado, sendo, por isso mesmo, impossível separar os aspectos cognitivos, emocionais e sociais presentes nesse processo. A formação dos alunos não pode ser pensada apenas como uma atividade intelectual. É um processo global e complexo, onde conhecer e intervir no real não se encontram dissociados. “Aprende-se participando, vivenciando sentimentos, tomando atitudes diante dos fatos, escolhendo procedimentos para atingir determinados objetivos. Ensina-se não só pelas respostas dadas, mas principalmente pelas experiências proporcionadas, pelos problemas criados, pela ação desencadeada.”
  • 11. OBJETIVOS Em virtude de as atividades educativas serem elaboradas por alunos e professores, um dos principais objetivos da Pedagogia de Projetos é promover a integração e a cooperação entre docentes e discentes em sala de aula. Os projetos devem visar também a resolução de algum problema ou algum empreendimento que esteja em harmonia com os interesses dos alunos, e relacionados às suas próprias experiências.
  • 12. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS Uma das principais características de um trabalho educativo realizado por projetos é a intencionalidade. Todo projeto deve ser orientado por objetivos claros e bem definidos. O que pretendo com a realização deste trabalho? Quais resultados posso esperar? Em que sentido meus alunos serão modificados? A flexibilidade é outra característica importante. O planejamento de trabalho deve ser flexível, de modo que o tempo e as condições para desenvolvê-lo sejam sempre reavaliados em função dos objetivos inicialmente propostos, dos recursos à disposição do grupo e das circunstâncias que envolvem o projeto. A originalidade do projeto demonstra que cada grupo é único, isto é, possui características próprias. Seus participantes têm ritmos e estilos diferentes. Portanto, o trabalho de um grupo não deve ser comparado com o de outro ou contestado. A resolução do problema proposto pelo projeto de trabalho, se dará em função das experiências e expectativas dos componentes de cada grupo. O projeto de trabalho deve se desenvolver apoiado na realidade de cada grupo.