Exercício resistido e idosos

8.950 visualizações

Publicada em

2 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.950
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
289
Comentários
2
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Exercício resistido e idosos

  1. 1. 11/06/2011 Introdução Exercício resistido e Segundo dados do IBGE o Brasil conta com idosos contingente 15 milhões de idosos. Projeções para 2050 indicam que a população idosa mundial será 19 milhões. Prof. Dr. Luis Paulo Mascarenhas Desde a década de 1980 a maioria dos idosos vivem no terceiro mundo (Veras,Murphy,1991)Aumento da Expectativa de vida Avanço da idade: 72,6 anos para mulheres Acompanhado de várias mudanças 64,8 anos para homens morfofisiológicas da concentração de hormôniosIdosos constituíam 8,6% da população em 2001 - (testoste o a, GH, (testosterona, G , etc); segundo o Anuário Estatístico do Brasil (2001) gradativa do número e do volume de células musculares (sarcopenia); da produção de força (fator mais da preocupação com a diretamente relacionado com a independência saúde e qualidade de vida. funcional em pessoas idosas);Avanço da idade: Mudanças fisiológicas na velhice da co-ativação da musculatura antagonista; Envelhecimento Inatividade da funcionalidade dos Física Inatividade Física tendões; Ansiedade e da densidade mineral óssea depressão Diminuição do (atinge principalmente mulheres Condicionamento pós-menopausa, podendo leva à Baixa Motivação + osteoporose); Baixa auto-estima Perda do estilo de Fragilidade vida independente músculo- esquelética 1
  2. 2. 11/06/2011 Mudanças fisiológicas na velhice-Alguns dos efeitos do Envelhecimento: cardiovasculares Aumento da massa muscular cardíaca de 1-1,5 g/ano Perda de 10 a 20% da força muscular Diminuição da densidade óssea Espessamento da parede ventricular esquerda e do Diminuição da flexibilidade Di i i ã d fl ibilid d septo intraventricular Diminuição da agilidade Rigidez da aorta Diminuição da coordenação Diminuição da mobilidade articular Rigidez do músculo cardíaco por infiltração de colágeno Alterações músculo - esqueléticas Alteração de Força e Envelhecimento Redução da massa óssea Alterações mio-mecânicas Degenerações múltiplas Prejuízo da locomoção Redução da flexibilidade Aumento do risco de acidentes Atividades da Vida Diária classificadas deFatores positivos e negativos para a acordo com a American Geriatricshipertrofia Society Básicas (ABVD): São as atividades de Auto- Atrofia Cuidado; Muscular Intermediárias (AIVD): Englobam as ABVD eEstado Hipertrofia incluem tarefas essenciais para a manutenção da Célulasanabólico Muscular independência; Satélites Avançadas (AAVD):Referem-se às funções necessárias para se viver sozinho, sendo específica Miostatina para cada indivíduo. Elas incluem a manutenção Glicocorticóides das funções ocupacionais, recreacionais e TNF- IL-1 , IL-6 prestação de serviços comunitários. 2
  3. 3. 11/06/2011 Nível Classificação Características Fisicamente Não realiza nenhuma AVD e tem total dependência dos outros. Incapaz ABVD AIVD I Realiza algumas ABVD:caminha pouco, banha-se, veste-se Fisicamente alimenta-se, transfere-se de um lugar para outro; necessita de Dependente cuidados de terceiros. Faz tarefas domésticas leves: prepara comida; faz compras leves; II Fisicamente Frágil pode realizar algumas AIVD e todas as ABVD, pode fazerCUIDADOS Comer DENTRO DE Preparar a comida atividades domésticas.PESSOAIS CASA Serviço doméstico Banho Vestir-se Lavar e cuidar do É capaz de realizar todas as AIVD. Realiza trabalhos físicos Ir ao banheiro vestuário leves;é capaz de cuidar da casa e ter "hobbies"e atividades que Trabalhos manuais demandem baixo gasto de energia (caminhadas jardinagem, (caminhadas, jardinagem dança social, viagens, dirigir automóveis). Está sujeito a passar Manuseio da FisicamenteMOBILIDADE Andar com ou medicação III Independente para o nível II se houver alguma intercorrência na saúde, pois tem b aixas reservas físicas. Neta categoria estão incluídos idosos sem ajuda Manuseio do telefone que vão desde os que mantém um estilo de vida que demanda Passar da cama Manuseio de dinheiro muito pouco da condição física até aqueles muito ativos, mas para a cadeira sedentários. FORA DE CASA Fazer compras Mover-se na cama (alimentos, roupas Realiza trabalho físico moderado, esportes de resistência e jogos. Usar os meios de Fisicamente Capaz de fazer todas as AAVD e a maioria dos hobbies. Tem transporte IV Ápto/Ativo aparência física mais jovem que seus pares da mesma faixaCONTINÊNCIA Urinária Deslocar-se (ir ao etária. médico, compromissos Fecal Realiza atividades competitivas, podendo competir em nível sociais e religiosos V Atletas internacional e praticar esportes de alto risco. COSTA et al., 2001 Idosos Fisicamente Dependentes Idosos Fisicamente Frágeis Eles necessitam melhorar as funções que Necessitam melhorar as funções que permitam permitam realizar as tarefas de auto-cuidado, realizar as ABVD e as AIVD, tais como cozinhar, como alimentar-se, banhar-se, vestir-se, usar o limpar a casa, fazer compras, sair de casa. banheiro, transferir-se de um lugar p , g para outro e caminhar. Requerem força muscular e flexibilidade para Requerem força muscular de tronco, braços, melhorar o padrão da marcha, estabilizar pernas, quadris, mãos e dedos; Flexibilidade de articulações e melhorar a postura, que influencia ombros, quadris, joelhos, punhos e tornozelos; e no equilíbrio (Matsudo, 1997) destreza de mãos (Matsudo, 1997) Idosos Fisicamente Independentes Idosos Fisicamente Ativos/ Atletas Necessitam melhorar e manter as funções físicas Necessitam manter em nível ótimo a aptidão que lhes permitem independência e previnem física e funcional, ou seja, a força e resistência doenças, incapacidades ou lesões que possam muscular, a flexibilidade, a endurance levar ao nível de fragilidade. g cardiovascular, o equilíbrio, o tempo de reação e , q , p ç de movimento, a agilidade e a coordenação. Requer força e resistência muscular, flexibilidade, endurance cardiovascular, equilíbrio, tempo de Necessitam de treinamento que mantenha o nível reação e de movimento, agilidade e coordenação. de aptidão física e condições de performance (Matsudo, 1997) máximas específicas das atividades competitivas ou recreativas. 3
  4. 4. 11/06/2011 Atividade física na terceira idade Efeitos do exercício físico no idoso (Astrand) A melhor promoção de saúde na velhice é a Aumento do consumo máximo de oxigênio e do prevenção de problemas comuns : volume sistólico. doença cardiovascular Redução da taxa de batimentos cardíacos ç sedentarismo Diminuição da pressão arterial acidente vascular cerebral Melhor vascularização muscular e tecidual fraturas Melhor trabalho cardíaco doenças reumáticas, dentre outrasEfeitos do exercício físico no idoso Efeitos do exercício físico no idoso Aumento da vascularização do miocárdio. Melhora na função e na estrutura dos músculos. Redução na produção de lactato numa Aumento da força muscular. p percentagem de volume máximo. g Melhora da fibra nervosa muscular muscular. Melhor utilização de ácidos graxos como energia Redução da agregação plaquetária. preservando o glicogênio. Ação contra a osteoporose. Aumento na concentração de HDL. Normalização da tolerância à glicose.Treinamento de Força (TF) em Recomendações para o treinamentoidosos: resistido em idosos retardamento da sarcopenia ( da velocidade O ACSM (2007) recomenda o treino de de perda da massa muscular) resistência como suplementar ao da força cardiorrespiratório. na secreção hormonal (a longo prazo), Prescrição voltada a melhora na qualidade de vida. da densidade mineral óssea, As primeiras sessões devem ser supervisionadas com atenção. 4
  5. 5. 11/06/2011Recomendações para o treinamento Recomendações para o treinamentoresistido em idosos resistido em idosos Começar com resistência mínima. Preferencialmente realizar exercícios multiarticulares. Instruir a manter o padrão respiratório. Se possível utilizar maquinas ou invés de pesos Executar exercícios de maneira a controlar a livres. velocidade. Em caso de manifestação da artrite (dor ou Realizar exercícios dentro do arco indolor de inflamação) não permitir a prática. movimento.Resistência muscular localizada (RML ) Relação idoso vs. osteoporose 8 a 10 exercícios condicionando os Evidencias sugerem que a intensidade dos estímulos é mais importante do que a freqüência. 8 a 12 repetições principais grupos musculares. Estudo com 84 indivíduos, homens e mulheres indivíduos mulheres, + 2x na semana entre 60 e 83 anos (Vincent, K. R. e Braith, R. W., 2002). 50 a 80% de uma RM Com sessões de treinamento de três vezes por Obs : evitar MANOBRA DE VALSALVA semana durante seis meses. Três grupos: controle "COM","AI" alta intensidade, "BI" baixa intensidade. Alta resistência X resistência variada deRelação idoso vs. osteoporose treinamento em idosos O grupo AI treinava a 80% de 1RM realizava 1 Estudo desenvolvido por Gary R. H, et al. (2001), série para cada exercício efetuando 8 repetições, teve como objetivo comparar um treino de alta o grupo BI treinava a 50% de 1RM, 1 série para resistência de 3 vezes na semana à 80% de um cada exercício efetuando 13 repetições. p ç 1RM , com um treino de resistência variável sendo 3 vezes na semana porém um a 50%, Os resultados obtidos no final desta pesquisa 65% e 80% de um 1RM em adultos velhos. demonstraram que o aumento da força não se diferencia muito entre BI e AI, que homens e Os resultados sustentam o uso do treino de mulheres têm os mesmos ganhos de DMO, que o resistência variável em adultos velhos pois treinamento em AI aumenta a DMO diminuíram a massa livre de gordura, a percepção de esforço cardíaco para as atividades de vida diária e aumentaram a força. 5
  6. 6. 11/06/2011Amostra: 61 idosos (60 e os 75 anos). 2 grupos Equilíbrio Agilidadeexercício e controle.Treino 3 sessões por semana em dias alternados,com a duração de uma hora cada, durante 6meses.A carga do treinamento foi de 80% de 1RM,tendo sido utilizado o modelo alternado porseguimento com 2 séries de 8 repetições paracada uma, com intervalos de descanso de 1minuto e 30 segundos entre elas e de 3 minutosentre cada aparelho. Conclusão Treinamento de resistência a 80% de 1 RM, durante 24 semanas, mostrou-se favorável na semanas melhora do equilíbrio, da coordenação e da agilidade nos idosos. 6
  7. 7. 11/06/2011Conclusão Os resultados desses estudos indicam boa confiabilidade dos testes de 1RM e nRM porém nRM, os de número máximo de repetições a determinada percentagem de 1RM merecem maior investigação. A predição de 1RM a partir de variáveis antropométricas tem poder fraco. 7
  8. 8. 11/06/2011Conclusão: “Os resultados disponíveis na literatura não dão respaldo para inferências seguras quanto ao melhor delineamento de programas de treinamento que aliem, ao mesmo tempo, efetividade e segurança.” 8
  9. 9. 11/06/2011 Recomendação do ACSM(2007)Series Repetições Intensidade Freqüência Duração1 série 8-10 Iniciar 50%, 2 x por 60 Grande exercícios. seguir semana minutos grupos aumento musculare gradual s1 série 10-15 rep. Iniciar 50%, Alternar 48 20 a 30 PSE = 12 seguir horas de minutos ou 13 aumento repouso gradual 10-15 rep. 40% de 1RM, 2 x por seguir semana aumento gradual 9

×