SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
Baixar para ler offline
Cuidar do Idoso Dependente FT  Ana Márcia Borges Magalhães Coordenadora da Equipe de Fisioterapia Hospital Albert Sabin. Especialista Pneumofuncional e Cardio-Respiratória Universidade Castelo Branco.
Cuidar do Idoso Dependente Caros colegas,  A idéia de falar para vocês partiu da coordenação deste curso, do nosso estimado Dr. Márcio Borges a quem tenho uma grande admiração pessoal e profissional, e há mais de dez anos trabalhando ao seu lado testemunho seu empenho no trabalho interdisciplinar. Minha perspectiva é clínica, peço licença a todos vocês para apresentar um olhar clínico nesta importante questão que é do cuidar do idoso dependente.
[object Object],[object Object]
Causas de Incapacidade Funcional ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Sendo assim, nós fisioterapeutas temos um importante papel no tratamento do idoso dependente: ,[object Object],[object Object],[object Object]
Segundo a OMS os profissionais que atuam com idosos com doenças crônicas devem basear sua avaliação, objetivos e conduta, dentro do novo modelo para classificação internacional de funcionalidade, incapacidade e saúde ( CIF), que preconiza as conseqüências funcionais não apenas relacionadas às doenças e suas implicações na estrutura corporal, há outras dimensões, como a própria atividade que está sendo executada pelo individuo, os aspectos psicológicos, sociais e ambientais.
Alterações  no  P rocesso de  E nvelhecimento Normal ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Kluger e col. (1997) relatam que a presença destas alterações no envelhecimento fisiológico, pode ser um preditor para a ocorrência de declínios cognitivos e de demência.
Subdimensões das  Atividades de   Vida Diária Utilizar caixa eletrônico e computador Preparar uma refeição Vestimenta Freqüentar um curso Lidar com dinheiro e contas Continência Buscar o neto na escola Fazer compras Higiene pessoal Trabalhar voluntariamente Atender ao telefone Banho Apresentar-se em publico Dirigir um carro Alimentação Avançadas Instrumentais Básicas
Essa diminuição das atividades funcionais, é multifatorial: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Nas demências, as perdas funcionais ocorrem inicialmente nas atividades mais complexas progredindo para a mais básica. Na fase terminal da demência, o paciente passa a depender totalmente dos cuidadores para a transferência, higiene e alimentação, nesta fase sua capacidade   funcional  é  nula.
Quando trabalhamos com o idoso dependente, uma situação importantíssima é sabermos distinguir autonomia de independência funcional: ,[object Object],[object Object]
Com freqüência observamos indivíduos com limitações funcionais importantes, porém motivados com sua recuperação,ao contrário observamos indivíduos com pequenas limitações porém não motivados. E o fisioterapeuta, como intervir ?
[object Object],[object Object]
Para nós profissionais que trabalhamos com reabilitação,  aprendizagem   é uma palavra de extrema importância, implica em mudança de um comportamento por meio da experiência, a aprendizagem modifica programas inatos pré determinados geneticamente a partir da interação com o meio ambiente requerendo esforço da parte do individuo que aprende; assim depende de motivação e treino e só pode ser efetiva se houver memória ou seja, a capacidade de estocar conhecimento adquirido.
Como a motivação é um processo interno diferente do incentivo, sendo este externo, cabe à nós, fisioterapeutas através de criatividades palavras de incentivos, estabelecer metas, assim como envolver o cuidado r  para   conseguir o progresso durante as sessões.
Em gerontologia, a fisioterapia tem sua intervenção baseada no preceito de que mesmo doenças crônico-degenerativas incuráveis apresentam potenciais de investimento em reabilitação. Vejam como a atividade física e a fisioterapia trazem benefícios aos idosos:
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Cuidados na Conduta Fisioterápica. ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object]
Objetivos e Tratamento ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Bibliografia ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

64068316 atividade-fisica-e-terceira-idade
64068316 atividade-fisica-e-terceira-idade64068316 atividade-fisica-e-terceira-idade
64068316 atividade-fisica-e-terceira-idadeLari Jacovenco
 
Ativida fisica na terceira idade1
Ativida fisica na terceira idade1Ativida fisica na terceira idade1
Ativida fisica na terceira idade1tecnologianoesporte
 
Desporto e velhice
Desporto e velhiceDesporto e velhice
Desporto e velhicetyrey
 
Adaptações Físicas e Exercício físico
Adaptações Físicas e Exercício físico  Adaptações Físicas e Exercício físico
Adaptações Físicas e Exercício físico JoanaMartins7
 
Componentes da aptidão física
Componentes da aptidão físicaComponentes da aptidão física
Componentes da aptidão físicafabioalira
 
Abordagem corporal para idosos
Abordagem corporal para idososAbordagem corporal para idosos
Abordagem corporal para idososPaulino Costa
 
Actividade física no idoso
Actividade física no idosoActividade física no idoso
Actividade física no idosoAna Luísa Neves
 
Atividade física para melhor idade
Atividade física para melhor idadeAtividade física para melhor idade
Atividade física para melhor idadeMatheus Oliveira
 
Exercício resistido e idosos
Exercício resistido e idososExercício resistido e idosos
Exercício resistido e idososfelipethoaldo
 
Atividade FíSica E SaúDe
Atividade FíSica E SaúDeAtividade FíSica E SaúDe
Atividade FíSica E SaúDeSilvia Arrelaro
 
Apostila ensino médio atividades fisicas
Apostila ensino médio atividades fisicasApostila ensino médio atividades fisicas
Apostila ensino médio atividades fisicasReginaldo Pazinatto
 
Aptidão física
Aptidão físicaAptidão física
Aptidão físicasirgmoraes
 
Atividade física e saúde na infância e adolescência
Atividade física e saúde na infância e adolescênciaAtividade física e saúde na infância e adolescência
Atividade física e saúde na infância e adolescênciaSilvia Arrelaro
 
Aptidão física
Aptidão físicaAptidão física
Aptidão físicaMarCamila
 
Atividade Física e Qualidade de Vida
Atividade Física e Qualidade de VidaAtividade Física e Qualidade de Vida
Atividade Física e Qualidade de VidaThelsy
 

Mais procurados (20)

64068316 atividade-fisica-e-terceira-idade
64068316 atividade-fisica-e-terceira-idade64068316 atividade-fisica-e-terceira-idade
64068316 atividade-fisica-e-terceira-idade
 
FISIOTERAPIA PREVENTIVA
FISIOTERAPIA PREVENTIVAFISIOTERAPIA PREVENTIVA
FISIOTERAPIA PREVENTIVA
 
Ativida fisica na terceira idade1
Ativida fisica na terceira idade1Ativida fisica na terceira idade1
Ativida fisica na terceira idade1
 
Desporto e velhice
Desporto e velhiceDesporto e velhice
Desporto e velhice
 
Adaptações Físicas e Exercício físico
Adaptações Físicas e Exercício físico  Adaptações Físicas e Exercício físico
Adaptações Físicas e Exercício físico
 
Conteúdo
ConteúdoConteúdo
Conteúdo
 
Componentes da aptidão física
Componentes da aptidão físicaComponentes da aptidão física
Componentes da aptidão física
 
Abordagem corporal para idosos
Abordagem corporal para idososAbordagem corporal para idosos
Abordagem corporal para idosos
 
Actividade física no idoso
Actividade física no idosoActividade física no idoso
Actividade física no idoso
 
Atividade física para melhor idade
Atividade física para melhor idadeAtividade física para melhor idade
Atividade física para melhor idade
 
Exercício resistido e idosos
Exercício resistido e idososExercício resistido e idosos
Exercício resistido e idosos
 
Atividade FíSica E SaúDe
Atividade FíSica E SaúDeAtividade FíSica E SaúDe
Atividade FíSica E SaúDe
 
Apostila ensino médio atividades fisicas
Apostila ensino médio atividades fisicasApostila ensino médio atividades fisicas
Apostila ensino médio atividades fisicas
 
Queda do idoso
Queda do idosoQueda do idoso
Queda do idoso
 
Sandra Pereira
Sandra PereiraSandra Pereira
Sandra Pereira
 
Aptidão física
Aptidão físicaAptidão física
Aptidão física
 
Atividade física e saúde na infância e adolescência
Atividade física e saúde na infância e adolescênciaAtividade física e saúde na infância e adolescência
Atividade física e saúde na infância e adolescência
 
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTOATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
 
Aptidão física
Aptidão físicaAptidão física
Aptidão física
 
Atividade Física e Qualidade de Vida
Atividade Física e Qualidade de VidaAtividade Física e Qualidade de Vida
Atividade Física e Qualidade de Vida
 

Semelhante a Fisioterapia - As Várias Maneiras de Cuidar

Funcional para Idosos.pptx
Funcional para Idosos.pptxFuncional para Idosos.pptx
Funcional para Idosos.pptxCoachClaumerson
 
Ficha de Trabalho: IKIGAI
Ficha de Trabalho: IKIGAIFicha de Trabalho: IKIGAI
Ficha de Trabalho: IKIGAIGrupo OT5
 
Trabalhos associados a um estilo de vida saudável
Trabalhos associados a um estilo de vida saudávelTrabalhos associados a um estilo de vida saudável
Trabalhos associados a um estilo de vida saudávelAdriana Duarte
 
Fundamentos reabilitacao
Fundamentos reabilitacaoFundamentos reabilitacao
Fundamentos reabilitacaodramariademello
 
Simulado Enem 2013 - Educação Física
Simulado Enem 2013 - Educação FísicaSimulado Enem 2013 - Educação Física
Simulado Enem 2013 - Educação FísicaSavioCesarB
 
Apresentação saude do idoso coletiva
Apresentação saude do idoso coletivaApresentação saude do idoso coletiva
Apresentação saude do idoso coletivaCarla Couto
 
Ocupação e saúde relatórios
Ocupação e saúde relatóriosOcupação e saúde relatórios
Ocupação e saúde relatóriosOTutorial2
 
Técnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energiaTécnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energiaresenfe2013
 
Atividades motoras-e-esportivas-na-deficiencia-fisica
Atividades motoras-e-esportivas-na-deficiencia-fisicaAtividades motoras-e-esportivas-na-deficiencia-fisica
Atividades motoras-e-esportivas-na-deficiencia-fisicaIvone Reges
 
Atividades motoras-e-esportivas-na-deficiencia-fisica[1]
Atividades motoras-e-esportivas-na-deficiencia-fisica[1]Atividades motoras-e-esportivas-na-deficiencia-fisica[1]
Atividades motoras-e-esportivas-na-deficiencia-fisica[1]Elisabeth Mattos
 
Estudo onde mostra tabela prochaska
Estudo onde mostra tabela prochaskaEstudo onde mostra tabela prochaska
Estudo onde mostra tabela prochaskaSandro Lucas
 

Semelhante a Fisioterapia - As Várias Maneiras de Cuidar (20)

Saúde
SaúdeSaúde
Saúde
 
Funcional para Idosos.pptx
Funcional para Idosos.pptxFuncional para Idosos.pptx
Funcional para Idosos.pptx
 
CIF em Pediatria
CIF em PediatriaCIF em Pediatria
CIF em Pediatria
 
Ficha de Trabalho: IKIGAI
Ficha de Trabalho: IKIGAIFicha de Trabalho: IKIGAI
Ficha de Trabalho: IKIGAI
 
Trabalhos associados a um estilo de vida saudável
Trabalhos associados a um estilo de vida saudávelTrabalhos associados a um estilo de vida saudável
Trabalhos associados a um estilo de vida saudável
 
Fundamentos reabilitacao
Fundamentos reabilitacaoFundamentos reabilitacao
Fundamentos reabilitacao
 
Exercícios físicos e saude- 1C
Exercícios físicos e saude- 1CExercícios físicos e saude- 1C
Exercícios físicos e saude- 1C
 
Simulado Enem 2013 - Educação Física
Simulado Enem 2013 - Educação FísicaSimulado Enem 2013 - Educação Física
Simulado Enem 2013 - Educação Física
 
Atividade física e o transtorno psiquiátrico | Espaco Holos
Atividade física e o transtorno psiquiátrico   | Espaco HolosAtividade física e o transtorno psiquiátrico   | Espaco Holos
Atividade física e o transtorno psiquiátrico | Espaco Holos
 
A+prática..
A+prática..A+prática..
A+prática..
 
Cuidados paliativos em pacientes oncológicos
Cuidados paliativos em pacientes oncológicos Cuidados paliativos em pacientes oncológicos
Cuidados paliativos em pacientes oncológicos
 
CIF em Reabilitação Infantil
CIF em Reabilitação InfantilCIF em Reabilitação Infantil
CIF em Reabilitação Infantil
 
364411401 livro-cinesioterapia
364411401 livro-cinesioterapia364411401 livro-cinesioterapia
364411401 livro-cinesioterapia
 
Apresentação saude do idoso coletiva
Apresentação saude do idoso coletivaApresentação saude do idoso coletiva
Apresentação saude do idoso coletiva
 
Ocupação e saúde relatórios
Ocupação e saúde relatóriosOcupação e saúde relatórios
Ocupação e saúde relatórios
 
Técnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energiaTécnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energia
 
Atividades motoras-e-esportivas-na-deficiencia-fisica
Atividades motoras-e-esportivas-na-deficiencia-fisicaAtividades motoras-e-esportivas-na-deficiencia-fisica
Atividades motoras-e-esportivas-na-deficiencia-fisica
 
Atividades motoras-e-esportivas-na-deficiencia-fisica[1]
Atividades motoras-e-esportivas-na-deficiencia-fisica[1]Atividades motoras-e-esportivas-na-deficiencia-fisica[1]
Atividades motoras-e-esportivas-na-deficiencia-fisica[1]
 
Aula cetrata 2
Aula cetrata 2Aula cetrata 2
Aula cetrata 2
 
Estudo onde mostra tabela prochaska
Estudo onde mostra tabela prochaskaEstudo onde mostra tabela prochaska
Estudo onde mostra tabela prochaska
 

Mais de Márcio Borges

O COMPROMISSO DE TODOS POR UM ENVELHECIMENTO MAIS DIGNO - 2º ENCONTRO DE FAMI...
O COMPROMISSO DE TODOS POR UM ENVELHECIMENTO MAIS DIGNO - 2º ENCONTRO DE FAMI...O COMPROMISSO DE TODOS POR UM ENVELHECIMENTO MAIS DIGNO - 2º ENCONTRO DE FAMI...
O COMPROMISSO DE TODOS POR UM ENVELHECIMENTO MAIS DIGNO - 2º ENCONTRO DE FAMI...Márcio Borges
 
CREAS IDOSO-MULHER - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPENDE...
CREAS IDOSO-MULHER - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPENDE...CREAS IDOSO-MULHER - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPENDE...
CREAS IDOSO-MULHER - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPENDE...Márcio Borges
 
A FAMÍLIA DO IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDO...
A FAMÍLIA DO IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDO...A FAMÍLIA DO IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDO...
A FAMÍLIA DO IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDO...Márcio Borges
 
CUIDAR DE IDOSOS EM CASA - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS D...
CUIDAR DE IDOSOS EM CASA - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS D...CUIDAR DE IDOSOS EM CASA - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS D...
CUIDAR DE IDOSOS EM CASA - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS D...Márcio Borges
 
O IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPEND...
O IDOSO DEPENDENTE -  2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPEND...O IDOSO DEPENDENTE -  2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPEND...
O IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPEND...Márcio Borges
 
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS ...
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS ...CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS ...
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS ...Márcio Borges
 
OS NOVOS RUMOS DA FILANTROPIA E OS IDOSOS DEPENDENTES - 2º ENCONTRO DE FAMILI...
OS NOVOS RUMOS DA FILANTROPIA E OS IDOSOS DEPENDENTES - 2º ENCONTRO DE FAMILI...OS NOVOS RUMOS DA FILANTROPIA E OS IDOSOS DEPENDENTES - 2º ENCONTRO DE FAMILI...
OS NOVOS RUMOS DA FILANTROPIA E OS IDOSOS DEPENDENTES - 2º ENCONTRO DE FAMILI...Márcio Borges
 
O QUE SE PASSA COM VOVÔ?
O QUE SE PASSA COM VOVÔ?O QUE SE PASSA COM VOVÔ?
O QUE SE PASSA COM VOVÔ?Márcio Borges
 
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - VISÃO DA GERIATRIA
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - VISÃO DA GERIATRIACUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - VISÃO DA GERIATRIA
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - VISÃO DA GERIATRIAMárcio Borges
 
ENVELHECIMENTO POPULACIONAL
ENVELHECIMENTO POPULACIONALENVELHECIMENTO POPULACIONAL
ENVELHECIMENTO POPULACIONALMárcio Borges
 
Benefícios do Exercício Físico e da Reabilitação Cardíaca em Indivíduos Idosos
Benefícios do Exercício Físico e da Reabilitação Cardíaca em Indivíduos IdososBenefícios do Exercício Físico e da Reabilitação Cardíaca em Indivíduos Idosos
Benefícios do Exercício Físico e da Reabilitação Cardíaca em Indivíduos IdososMárcio Borges
 
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIA CUIDANDO DE IDOSOS EM UNIDADE DE TER...
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIACUIDANDO DE IDOSOS EM UNIDADE DE TER...ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIACUIDANDO DE IDOSOS EM UNIDADE DE TER...
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIA CUIDANDO DE IDOSOS EM UNIDADE DE TER...Márcio Borges
 
ASPECTOS SOCIAIS E PSICOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTO
ASPECTOS SOCIAIS E PSICOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTOASPECTOS SOCIAIS E PSICOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTO
ASPECTOS SOCIAIS E PSICOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTOMárcio Borges
 
ASSISTÊNCIA E ORIENTAÇÃO ÀS FAMÍLIAS DE IDOSOS
ASSISTÊNCIA E ORIENTAÇÃO ÀS FAMÍLIAS DE IDOSOSASSISTÊNCIA E ORIENTAÇÃO ÀS FAMÍLIAS DE IDOSOS
ASSISTÊNCIA E ORIENTAÇÃO ÀS FAMÍLIAS DE IDOSOSMárcio Borges
 
Biologia Do Envelhecimento
Biologia Do EnvelhecimentoBiologia Do Envelhecimento
Biologia Do EnvelhecimentoMárcio Borges
 
OBSTINAÇÃO TERAPÊUTICA: POR QUE NOSSAS UTIs ESTÃO CHEIAS DE IDOSOS TERMINAIS?
OBSTINAÇÃO TERAPÊUTICA: POR QUE NOSSAS UTIs ESTÃO CHEIAS DE IDOSOS TERMINAIS?OBSTINAÇÃO TERAPÊUTICA: POR QUE NOSSAS UTIs ESTÃO CHEIAS DE IDOSOS TERMINAIS?
OBSTINAÇÃO TERAPÊUTICA: POR QUE NOSSAS UTIs ESTÃO CHEIAS DE IDOSOS TERMINAIS?Márcio Borges
 
Coronariopatia No Idoso - Como indicar estudo hemodinâmico?
Coronariopatia No Idoso - Como indicar estudo hemodinâmico?Coronariopatia No Idoso - Como indicar estudo hemodinâmico?
Coronariopatia No Idoso - Como indicar estudo hemodinâmico?Márcio Borges
 
CUIDADOS PALIATIVOS NA TERCEIRA IDADE
CUIDADOS PALIATIVOS NA TERCEIRA IDADECUIDADOS PALIATIVOS NA TERCEIRA IDADE
CUIDADOS PALIATIVOS NA TERCEIRA IDADEMárcio Borges
 

Mais de Márcio Borges (20)

O COMPROMISSO DE TODOS POR UM ENVELHECIMENTO MAIS DIGNO - 2º ENCONTRO DE FAMI...
O COMPROMISSO DE TODOS POR UM ENVELHECIMENTO MAIS DIGNO - 2º ENCONTRO DE FAMI...O COMPROMISSO DE TODOS POR UM ENVELHECIMENTO MAIS DIGNO - 2º ENCONTRO DE FAMI...
O COMPROMISSO DE TODOS POR UM ENVELHECIMENTO MAIS DIGNO - 2º ENCONTRO DE FAMI...
 
CREAS IDOSO-MULHER - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPENDE...
CREAS IDOSO-MULHER - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPENDE...CREAS IDOSO-MULHER - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPENDE...
CREAS IDOSO-MULHER - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPENDE...
 
A FAMÍLIA DO IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDO...
A FAMÍLIA DO IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDO...A FAMÍLIA DO IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDO...
A FAMÍLIA DO IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDO...
 
CUIDAR DE IDOSOS EM CASA - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS D...
CUIDAR DE IDOSOS EM CASA - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS D...CUIDAR DE IDOSOS EM CASA - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS D...
CUIDAR DE IDOSOS EM CASA - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS D...
 
O IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPEND...
O IDOSO DEPENDENTE -  2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPEND...O IDOSO DEPENDENTE -  2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPEND...
O IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPEND...
 
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS ...
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS ...CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS ...
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS ...
 
OS NOVOS RUMOS DA FILANTROPIA E OS IDOSOS DEPENDENTES - 2º ENCONTRO DE FAMILI...
OS NOVOS RUMOS DA FILANTROPIA E OS IDOSOS DEPENDENTES - 2º ENCONTRO DE FAMILI...OS NOVOS RUMOS DA FILANTROPIA E OS IDOSOS DEPENDENTES - 2º ENCONTRO DE FAMILI...
OS NOVOS RUMOS DA FILANTROPIA E OS IDOSOS DEPENDENTES - 2º ENCONTRO DE FAMILI...
 
O QUE SE PASSA COM VOVÔ?
O QUE SE PASSA COM VOVÔ?O QUE SE PASSA COM VOVÔ?
O QUE SE PASSA COM VOVÔ?
 
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - VISÃO DA GERIATRIA
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - VISÃO DA GERIATRIACUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - VISÃO DA GERIATRIA
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - VISÃO DA GERIATRIA
 
Gigantes Da Geriatria
Gigantes Da GeriatriaGigantes Da Geriatria
Gigantes Da Geriatria
 
ENVELHECIMENTO POPULACIONAL
ENVELHECIMENTO POPULACIONALENVELHECIMENTO POPULACIONAL
ENVELHECIMENTO POPULACIONAL
 
Benefícios do Exercício Físico e da Reabilitação Cardíaca em Indivíduos Idosos
Benefícios do Exercício Físico e da Reabilitação Cardíaca em Indivíduos IdososBenefícios do Exercício Físico e da Reabilitação Cardíaca em Indivíduos Idosos
Benefícios do Exercício Físico e da Reabilitação Cardíaca em Indivíduos Idosos
 
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIA CUIDANDO DE IDOSOS EM UNIDADE DE TER...
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIACUIDANDO DE IDOSOS EM UNIDADE DE TER...ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIACUIDANDO DE IDOSOS EM UNIDADE DE TER...
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIA CUIDANDO DE IDOSOS EM UNIDADE DE TER...
 
ASPECTOS SOCIAIS E PSICOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTO
ASPECTOS SOCIAIS E PSICOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTOASPECTOS SOCIAIS E PSICOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTO
ASPECTOS SOCIAIS E PSICOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTO
 
ASSISTÊNCIA E ORIENTAÇÃO ÀS FAMÍLIAS DE IDOSOS
ASSISTÊNCIA E ORIENTAÇÃO ÀS FAMÍLIAS DE IDOSOSASSISTÊNCIA E ORIENTAÇÃO ÀS FAMÍLIAS DE IDOSOS
ASSISTÊNCIA E ORIENTAÇÃO ÀS FAMÍLIAS DE IDOSOS
 
Biologia Do Envelhecimento
Biologia Do EnvelhecimentoBiologia Do Envelhecimento
Biologia Do Envelhecimento
 
O CORAÇÃO DO IDOSO
O CORAÇÃO DO IDOSOO CORAÇÃO DO IDOSO
O CORAÇÃO DO IDOSO
 
OBSTINAÇÃO TERAPÊUTICA: POR QUE NOSSAS UTIs ESTÃO CHEIAS DE IDOSOS TERMINAIS?
OBSTINAÇÃO TERAPÊUTICA: POR QUE NOSSAS UTIs ESTÃO CHEIAS DE IDOSOS TERMINAIS?OBSTINAÇÃO TERAPÊUTICA: POR QUE NOSSAS UTIs ESTÃO CHEIAS DE IDOSOS TERMINAIS?
OBSTINAÇÃO TERAPÊUTICA: POR QUE NOSSAS UTIs ESTÃO CHEIAS DE IDOSOS TERMINAIS?
 
Coronariopatia No Idoso - Como indicar estudo hemodinâmico?
Coronariopatia No Idoso - Como indicar estudo hemodinâmico?Coronariopatia No Idoso - Como indicar estudo hemodinâmico?
Coronariopatia No Idoso - Como indicar estudo hemodinâmico?
 
CUIDADOS PALIATIVOS NA TERCEIRA IDADE
CUIDADOS PALIATIVOS NA TERCEIRA IDADECUIDADOS PALIATIVOS NA TERCEIRA IDADE
CUIDADOS PALIATIVOS NA TERCEIRA IDADE
 

Fisioterapia - As Várias Maneiras de Cuidar

  • 1. Cuidar do Idoso Dependente FT Ana Márcia Borges Magalhães Coordenadora da Equipe de Fisioterapia Hospital Albert Sabin. Especialista Pneumofuncional e Cardio-Respiratória Universidade Castelo Branco.
  • 2. Cuidar do Idoso Dependente Caros colegas, A idéia de falar para vocês partiu da coordenação deste curso, do nosso estimado Dr. Márcio Borges a quem tenho uma grande admiração pessoal e profissional, e há mais de dez anos trabalhando ao seu lado testemunho seu empenho no trabalho interdisciplinar. Minha perspectiva é clínica, peço licença a todos vocês para apresentar um olhar clínico nesta importante questão que é do cuidar do idoso dependente.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6. Segundo a OMS os profissionais que atuam com idosos com doenças crônicas devem basear sua avaliação, objetivos e conduta, dentro do novo modelo para classificação internacional de funcionalidade, incapacidade e saúde ( CIF), que preconiza as conseqüências funcionais não apenas relacionadas às doenças e suas implicações na estrutura corporal, há outras dimensões, como a própria atividade que está sendo executada pelo individuo, os aspectos psicológicos, sociais e ambientais.
  • 7.
  • 8. Kluger e col. (1997) relatam que a presença destas alterações no envelhecimento fisiológico, pode ser um preditor para a ocorrência de declínios cognitivos e de demência.
  • 9. Subdimensões das Atividades de Vida Diária Utilizar caixa eletrônico e computador Preparar uma refeição Vestimenta Freqüentar um curso Lidar com dinheiro e contas Continência Buscar o neto na escola Fazer compras Higiene pessoal Trabalhar voluntariamente Atender ao telefone Banho Apresentar-se em publico Dirigir um carro Alimentação Avançadas Instrumentais Básicas
  • 10.
  • 11. Nas demências, as perdas funcionais ocorrem inicialmente nas atividades mais complexas progredindo para a mais básica. Na fase terminal da demência, o paciente passa a depender totalmente dos cuidadores para a transferência, higiene e alimentação, nesta fase sua capacidade funcional é nula.
  • 12.
  • 13. Com freqüência observamos indivíduos com limitações funcionais importantes, porém motivados com sua recuperação,ao contrário observamos indivíduos com pequenas limitações porém não motivados. E o fisioterapeuta, como intervir ?
  • 14.
  • 15. Para nós profissionais que trabalhamos com reabilitação, aprendizagem é uma palavra de extrema importância, implica em mudança de um comportamento por meio da experiência, a aprendizagem modifica programas inatos pré determinados geneticamente a partir da interação com o meio ambiente requerendo esforço da parte do individuo que aprende; assim depende de motivação e treino e só pode ser efetiva se houver memória ou seja, a capacidade de estocar conhecimento adquirido.
  • 16. Como a motivação é um processo interno diferente do incentivo, sendo este externo, cabe à nós, fisioterapeutas através de criatividades palavras de incentivos, estabelecer metas, assim como envolver o cuidado r para conseguir o progresso durante as sessões.
  • 17. Em gerontologia, a fisioterapia tem sua intervenção baseada no preceito de que mesmo doenças crônico-degenerativas incuráveis apresentam potenciais de investimento em reabilitação. Vejam como a atividade física e a fisioterapia trazem benefícios aos idosos:
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.