O slideshow foi denunciado.

introdução à psicologia

9.724 visualizações

Publicada em

.

Publicada em: Espiritual
  • Seja o primeiro a comentar

introdução à psicologia

  1. 1. PSICOLOGIA PASTORAL
  2. 2. A disciplina de Psicologia é de fundamental importância para o futuro profissional das Ciências Humanas e Sociais, uma vez que fornece informações importantes sobre as características do humano, levando à compreensão ampla, profunda e dinâmica dos aspectos tanto individuais quanto inter-relacionais do homem. PSICOLOGIA PASTORAL
  3. 3. Estudando Psicologia Geral, é possível vislumbrar um caminho bem-humorado às nossas características humanas e tornar mais apreensíveis e compreensíveis muitos dos nossos estranhamentos cotidianos, no mundo das relações pessoais, sociais, entre outras. PSICOLOGIA PASTORAL
  4. 4. O termo foi criado em 1550, por Melanchton, enquanto lecionava na Universidade de Wittenberg, na Alemanha, sendo que psique, proveniente do grego, significa alma e logos, proveniente do latim, significa estudo. PSICOLOGIA PASTORAL
  5. 5. A Psicologia como ciência vai se configurando em diferentes concepções, com as seguintes abordagens: PSICOLOGIA PASTORAL
  6. 6. O funcionalismo, de William James (1842- 1910): corrente americana para a qual importa responder “o que fazem e por que fazem os homens”, na qual a consciência surge como centro das preocupações e da compreensão dos funcionamentos, de acordo com as necessidades humanas de adaptação ao meio ambiente (pragmatismo americano a serviço do desenvolvimento econômico da época); PSICOLOGIA PASTORAL
  7. 7. O estruturalismo, de Edward Titchner (1867-1927): tal qual o funcionalismo, ocupou-se com a compreensão da consciência, porém com enfoque aos aspectos mais intrínsecos, ou seja, mais estruturais do sistema nervoso central, utilizando o método introspectivo para a observação experiencial em laboratório; PSICOLOGIA PASTORAL
  8. 8. O associacionismo, de Edward L. Thorndike (1874-1949): basicamente formulou a primeira abordagem da aprendizagem para a Psicologia, na qual o processo se daria das associações entre ideias simples até as mais complexas entre os conteúdos. PSICOLOGIA PASTORAL
  9. 9. Todas essas abordagens anteriormente descritas vão dar estruturação e embasamento científico preciosos para o que viria a ser as Psicologias mais contemporâneas (Behaviorismo, Gestalt e Psicanálise). PSICOLOGIA PASTORAL
  10. 10. A Psicologia estuda o comportamento, os processos mentais, a experiência humana e, de um modo especial, a personalidade. Com técnicas metódicas próprias, a Psicologia procura não só descobrir novos fatos, nessas áreas, mas tenta também medi-los. PSICOLOGIA PASTORAL
  11. 11. A ciência é um instrumento de conhecimento, de controle e de medida dos fatos. É, a um tempo, conhecimento e poder, por dar a explicação adequada e permitir tanta previsão quanto controle. PSICOLOGIA PASTORAL
  12. 12. Pelo fato de se poder aplicar, na prática, muitos de seus conhecimentos, confere poder a quem os aplica. O método científico é algo simples, mas não é uma atividade que se apresenta espontaneamente. PSICOLOGIA PASTORAL
  13. 13. Para ser utilizado, é preciso que a pessoa esteja predisposta ou treinada. Por exemplo, as experiências de Galileu estudando a queda dos corpos (que está na origem da Física tradicional) poderiam ter sido feitas no Egito Antigo, nas Muralhas de Creta ou em qualquer período da Grécia ou de Roma. PSICOLOGIA PASTORAL
  14. 14. O espírito da época, contudo, não predispunha as pessoas para essa atividade mais rigorosa do saber. O método científico pode ser empregado para a descoberta tanto de grandes quanto de simples fatos da vida ou da ciência. PSICOLOGIA PASTORAL
  15. 15. A maneira mais eficiente de se chegar às causas de um fenômeno é utilizar o método científico. São os seguintes os passos desse método: PSICOLOGIA PASTORAL
  16. 16. • Identificação do problema (observação do fenômeno a pesquisar); • Antecedentes históricos; PSICOLOGIA PASTORAL
  17. 17. • Formulação de uma hipótese que explique o fenômeno. Esta serve para orientar o trabalho da pesquisa e é, ao mesmo tempo, uma garantia de objetividade. Toda experimentação tem como objetivo ver como a hipótese se manifesta; PSICOLOGIA PASTORAL
  18. 18. • Experimentação da hipótese; • Comprovação da hipótese; • Comunicação dos resultados para conhecimento do mundo científico; PSICOLOGIA PASTORAL
  19. 19. • Análise estatística; • Conclusões; • Sugestões para nova pesquisa; • Crítica. PSICOLOGIA PASTORAL
  20. 20. Portanto, a tarefa dos cientistas consiste em criar teorias que viabilizem níveis comprovadamente válidos, para garantir rigor aos aspectos e variáveis analisados, conforme dita o método científico. Assim, podemos pensar em formas de análise do comportamento humano. PSICOLOGIA PASTORAL
  21. 21. Os autores costumam dividir os métodos usados pelos psicólogos em três grandes grupos: • Introspecção ou método de observação interna; • Extrospecção ou método de observação externa; • Experimentação. PSICOLOGIA PASTORAL
  22. 22. A introspecção é um método subjetivo de observação interior. A pessoa observa suas próprias experiências e as relata (a pessoa relata suas emoções, percepções, interesses, recordações etc.). PSICOLOGIA PASTORAL
  23. 23. Um exemplo: aumentamos nosso conhecimento da mente humana lendo diários íntimos, autobiografias ou memórias. PSICOLOGIA PASTORAL
  24. 24. O psicólogo procura conhecer as reações externas dos organismos. Ao observar, por exemplo, uma pessoa, procura conhecer seu modo de agir, seus gestos, suas expressões fisionômicas, suas realizações etc. PSICOLOGIA PASTORAL
  25. 25. Sempre que possível, os psicólogos dão preferência à extrospecção e procuram torná-la mais exata, usando aparelhos para melhor documentar suas observações: máquinas fotográficas e de filmar, cronômetros, gravadores de som etc. PSICOLOGIA PASTORAL
  26. 26. A experimentação consiste em um observador controlando a situação e verificando os diferentes níveis de reações do sujeito. PSICOLOGIA PASTORAL

×