29 crise, união ibérica, restauração

1.715 visualizações

Publicada em

Crise do Império Português
Ascensão do Império espanhol
União Ibérica
Ascensão dos império do Norte da Europa
Capitalismo Comercial
Restauração

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.715
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
99
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
89
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

29 crise, união ibérica, restauração

  1. 1. História 8º ano Prof. Carla Freitas
  2. 2.  "Se a um ladrão, a um salteador, por mais publico e conhecido que seja, sendo-lhe necessarias quatro ou seis testemunhas que o abonem, lhes não faltam: como faltarão a um viso-rei da India, famosissimo, não pelas batalhas que venceu ou provincias que conquistou, se não pela grande copia de dinheiro e peças ricas que traz, tudo tão mal adquirido ? Que fortaleza poderá haver tão inexpugnavel que esta terrivel machina não arrase ?  Tenha-se por coisa indubitavel que, por mais diligenciais que se façam para alcançar a verdade, se não vem nunca a saber a sexta parte dos excessos que muitos destes senhores viso-reis em seu governo acommettem. Por onde fôra muita justiça castigarem-se irremissivel-mente esse poucos de que se tem noticia."  Silveira F. Rodrigues 1987. - Memórias de um Soldado da Índia Crise do Império Português
  3. 3.  Dificuldade no comércio com o Oriente:  Naufrágios frequentes devido a:  Frota naval velha e com falta de manutenção  Pirataria  Excesso de carga nos navios  Concorrência internacional de Holandeses, Ingleses e Franceses  Recuperação das Rotas do Levante pelos muçulmanos  Corrupção dos funcionários portugueses  Política de transporte levada a cabo por Portugal que torna o país dependente da importação externa, pois não investia no desenvolvimento interno.  Dificuldade de administração de um território tão extenso e tão longínquo devido a:  Pouca população  Falta de recursos económicos  Inexistência de exército para controlar tanto território Crise do Império Português
  4. 4.  Apogeu do Império Espanhol Filipe II (1556 -1598) «Ao Rei de Espanha, grande Filipe II A quem Deus deu para governar A maior parte do mundo (…) No Império Mexicano Mesmo o lugar mais esquecido (…) Tudo os Espanhóis povoaram… E até ao Perú chegaram De onde partem cada ano Frotas cheias de riqueza, Ouro e Prata sem ter conta. (…)» Canção anónima espanhola do século XVI. Adaptado
  5. 5.  Extensão dos territórios de Carlos V e de Filipe II  Entrada de carregamentos de ouro e prata provenientes dos territórios espanhóis na América.  Domínio de um vasto Império colonial e Marítimo. Apogeu do Império Espanhol Carlos V (1500-1558) Filipe II (1556 -1598)
  6. 6.  1557 - D. João III morre sucedendo-lhe no trono o neto D. Sebastião, com três anos.  A regência foi atribuída a sua avó, D. Catarina, e ao cardeal D. Henrique.  1568 – D. Sebastião sobe ao poder com catorze anos e com a ideia de organizar uma expedição militar ao Norte de África  4 de Agosto de 1578 - Os exércitos comandados por D. Sebastião são derrotados em Alcácer-Quibir. O rei morre sem descendentes.  Sucede-lhe o tio-avô, o Cardeal D. Henrique já com 66 anos.  1580 – Morre o Cardeal D. Henrique sem deixar herdeiros Crise de Sucessão Cristóvão Lopes: D. João III; 1545 – 50; MNAA Oficina de Alonso Coello, D. Sebastião de Portugal,,Kunsthistorisches Museum, Viena Cardeal Rei D. Henrique 1512 - 1580
  7. 7. D. Manuel I 1496 - 1521 2º 1500 D. Maria 1482 - 1517 Carlos I 1516 - 1556 1526 D. Isabel 1502 - 1539 1525 D. Catarina 1507 - 1578 D. João III 1521 - 1557 Carlos III de Sabóia 1486 - 1553 Beatriz 1504 - 1538 1521 Manuel Felisberto 1528 - 1580 D. Luís 1506 - 1555 D. António Prior do Crato 1531-1595 D. Henrique 1512-1580 D. Fernando:1507 – 1534, duque da Guarda e Trancoso D. Afonso: 1509 – 1540, cardeal D. Maria: 1511- 1513 D. Isabel de Bragança D. António 1516 D. João 1537-1554 D. Joana 1535-1573 D. Sebastião 1557-1578 Filipe II 1580-1598 D. Maria 1538-1577 Alexandre Farnese 1542-1592 Ranuccio I Farnese 1569 -1622 Catarina de Bragança 1540 - 1614 D. João de Bragança D. Duarte 1514-1540
  8. 8.  D. António, Prior do Crato - apoiado pelo povo.  Filipe II, Rei de Espanha – apoiado pelos mais importantes sectores da nobreza, do alto clero e da burguesia.  1581 - Filipe II aclamado Rei de Portugal, nas Cortes de Tomar, com o título de Filipe I de Portugal. Dinastia Filipina Crise Dinástica Filipe I de Portugal Filipe II de Portugal Filipe III de Portugal
  9. 9.  União Ibérica Promessas de Filipe II Nas Cortes de Tomar (1581)  Respeitar as leis e os costumes do país;  Atribuir cargos administrativos em Portugal e no Império somente a Portugueses;  Manter a língua portuguesa como oficial;  Continuar a cunhar e a usar moeda portuguesa;  Manter a coroa e os direitos e privilégios de Portugal separados dos de Espanha. MONARQUIA DUALISTA No primeiro quarto as armas de Castela e Leão , no segundo as armas de Aragão e das Duas Sicílias, com as armas de Portugal sobrepostas e na base uma romã representando o Reino de Granada; no 3.º quarto as armas de Áustria e Borgonha antiga e no 4.º quarto as armas de Borgonha moderna e de Brabante, com um brasão com as armas da Flandres e do Tirol sobreposto.
  10. 10.  A Ascensão do Império Holandês 1ª metade do século XVII  Frota marítima organizada e poderosa, fazia o transporte mais barato das mercadorias entre o Norte e o Sul da Europa;  Tolerância política e religiosa; atraiu os judeus expulsos de Portugal e Espanha  Burguesia forte e empreendedora, que investia os lucros em novos negócios;  Crise do Império Espanhol, devido à redução da quantidade de prata americana que chegava a Sevilha.  Conquista de algumas colónias portuguesas, aproveitando o envolvimento de Espanha em guerras europeias;  Criação de companhias de comércio: Companhia Holandesa das Índias Orientais (1602) e Companhia Holandesa das Índias Ocidentais (1621);  Criação de outras instituições importantes: Banco de Transferências de Amesterdão (1605) e Bolsa Geral de Amesterdão (1609) Na 1ª metade do século XVII, Amesterdão tornou-se o centro da economia mundial
  11. 11.  A Ascensão do Império Inglês 2ª metade do século XVII  séc. XVI - Isabel I apoia actos de pirataria contra navios portugueses e espanhois.  Francis Drake, o mais famoso dos corsários ingleses, atacava barcos e portos peninsulares com o apoio da rainha.  Frota naval eficiente e numerosa (vence a Invencível Armada Espanhola)  1600 - Fundação da Companhia Inglesa das Índias Orientais;  Conquista de cidades e fundação de feitorias no Oriente (Bombaim, Calcutá e Madastra)  1621 – Fundação da Companhia Inglesa das Índias Ocidentais;  Ocupação de todo o litoral da América do Norte entre o Canadá e a Florida e conquista de ilhas das Caraíbas aos espanhois. Isabel I (1533-1603)
  12. 12.  A Ascensão do Império Inglês 2ª metade do século XVII Na 2ª metade do século XVII, Londres substitui Amesterdão como centro da economia mundial  1651 – Acto de navegação (Oliver Cromwell)- estipulava que os produtos das colónias inglesas só podiam ser transportados para Inglaterra em navios ingleses e que os navios estrangeiros só podiam transportar para Inglaterra mercadorias produzidas nos respectivos países.  Vitória na Guerra dos Sete Anos contra a França (Séc. XVIII) e apropriação de alguns territórios coloniais franceses. Oliver Cromwell – chefe do governo inglês entre 1649 e 1658 Antes da Guerra Depois da Guerra
  13. 13.  Capitalismo Comercial Séculos XVII e XVIII  Abertura de novas rotas comerciais  Das especiarias  Dos escravos  Do Pacífico  Desenvolvimento do comércio colonial  Mercadorias ultramarinas invadem a Europa  Aumento da Circulação monetária  Cunhagem de mais moeda com a entrada de ouro e prata  Novos instrumentos Comerciais  Companhias de Comércio  Bancos  Bolsas
  14. 14.  Capitalismo Comercial Séculos XVII e XVIII  Abertura de novas rotas comerciais  Das especiarias  Dos escravos  Do Pacífico  Desenvolvimento do comércio colonial  Mercadorias ultramarinas invadem a Europa  Aumento da Circulação monetária  Cunhagem de mais moeda com a entrada de ouro e prata  Novos instrumentos Comerciais  Companhias de Comércio  Bancos  Bolsas
  15. 15.  Prosperidade dos Tráfegos Atlânticos  Crise do comércio do Oriente  Viragem para o Atlântico  Exploração do Brasil e das Colónias africanas  Comércio Triangular  Aumento da exportação de açúcar  Aumento do tráfego de escravos para os engenhos.  Descoberta de ouro pelos bandeirantes no Brasil no final do século XVII
  16. 16.  Restauração da Independência  Crise do Império Espanhol  Redução das remessas de ouro e prata provenientes da América, depois de 1620  Envolvimento da Espanha em guerras, como a Guerra dos Trinta Anos (1618-1648) com a França  Concorrência dos Holandeses e Ingleses pelo controlo do comércio marítimo
  17. 17.  Restauração da Independência  Descontentamento da População Portuguesa:  Os inimigos de Espanha passaram a ser inimigos de Portugal;  Os territórios orientais eram conquistados por Holandeses e Ingleses;  Os Holandeses fixaram-se no litoral Nordeste do Brasil, prejudicando a nossa burguesia;  A nobreza estava descontente com a entrega de cargos e títulos a espanhóis;  O agravamento de impostos levou a revoltas populares Restauração 1 de dezembro de 1640
  18. 18.  Restauração da Independência 40 fidalgos invadem o Paço da Ribeira, onde estava a duquesa de Mântua, prima do rei de Espanha, e o seu secretário Miguel de Vasconcelos, um português que se colocara às ordens dos espanhóis. Após a rendição da duquesa, o povo de Lisboa vibrou de alegria gritando: Liberdade! Liberdade! Viva El-rei D. João IV de Portugal!
  19. 19.  Restauração da Independência D. João IV sobe ao trono e funda a quarta dinastia Dinastia de Bragança D. João IV e sua esposa D. Luísa de Gusmão
  20. 20.  União Ibérica - Foi a união dinástica entre as coroas de Portugal e Espanha  Monarquia dualista – Dois reinos com um mesmo rei.  Companhia de Comércio – Grandes sociedades comerciais, geralmente com muitos sócios e muito capital que dinamizaram o comércio ultramarino.  Capitalismo Comercial - Sistema económico através do qual os lucros obtidos por meio da atividade mercantil eram reinvestidos proporcionando novos lucros.  Engenho – Unidade industrial especializada na produção de açúcar a partir da cana de açúcar.  Bandeirantes - Participantes de uma bandeira ou expedição destinada a explorar minas ou apresar índios. Conceitos a Reter
  21. 21.  Metas O que deves saber desta matéria 1. Justificar a crise do império português 2. Justificar o apogeu do império espanhol 3. Descrever o processo que conduziu à União Ibérica 4. Explicar a ascensão do império Holandês 5. Explicar a ascensão do império Inglês 6. Definir capitalismo comercial 7. Explicar o aparecimento do capitalismo comercial. 8. Justificar o desenvolvimento dos tráfegos atlãnticos 9. Descrever o comércio triangular 10. Justificar o descontentamento português perante a União Ibérica 11. Localizar no tempo a Restauração da Independência. 12. Identificar o rei que sobe ao trono e a dinastia que inicia.
  22. 22.  Não percas a seguir...

×