Absenteísmo

779 visualizações

Publicada em

Publicada em: Carreiras
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
779
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Absenteísmo

  1. 1. AbsenteísmoOs temas saúde e segurança merecem a atenção dos gestores dentro de umambiente de trabalho. A retomada das obras de infraestrutura e construçãoimobiliária elevou o número de acidentes de trabalho que resultam emmutilações ou mortes no Brasil. Entre janeiro e outubro de 2012, pelo menos40.779 trabalhadores foram vítimas de acidentes graves de trabalho, das quais1.143 morreram, segundo o Ministério da Saúde. O número total é 10% maiordo que o de igual período do ano anterior (37.035). Por isso, proteção eprevenção no ambiente de trabalho estão ganhando maior visibilidade nomercado.Entre o ranking das doenças que mais afastam os trabalhadores, estão asdorsopatias, mais conhecidas como dores nas costas, tendinites etenossinovites, relacionadas a movimentos repetitivos das mãos e dos punhos,traumatismos de joelho e perna e transtornos de humor. Essas doençasresultam em dores, fadiga, estresse e declínio do desempenho profissional.Tais problemas podem estar diretamente ligados ao absenteísmo, termoutilizado para especificar ausência frequente no trabalho. “A desmotivaçãopode até ser uma razão para o absenteísmo, mas não é desculpa”. Enquantoas pessoas dependerem que algo mude no trabalho para se sentiremmotivadas, continuarão vivendo a mesma situação! Porque a motivaçãoprovocada por fatores externos é fogo que apaga logo, não dura muito tempo.A única forma de motivação que se sustenta é a que se origina do nossointerior, da paixão por um objetivo de vida, da vontade de superar desafios, dagratidão ao Universo pelo ganha-pão de cada dia “Por isso, a pessoa que sesente desmotivada no emprego tem duas saídas: mudar de trabalho para fazeraquilo que a apaixona ou criar formas de se auto motivar e continuar fazendo omesmo trabalho”.Para evitar o absenteísmo, é indicada a ergonomia. Essa ciência tem comoobjetivo alcançar o bem-estar do ser humano no ambiente de trabalho,mantendo a segurança e a organização. A ergonomia pode ser compreendidacomo a ciência que estuda a adaptação do trabalho ao homem, e não dohomem ao trabalho. Ela tem-se tornado uma preocupação constante nasempresas, visto que já foi comprovado que um funcionário saudável e feliz comseu ambiente de trabalho produz mais e melhor, o que reflete em menosretrabalho, menos afastamentos por licença-saúde, menos substituições e,consequentemente, mais lucro para a empresa. Fornecer ao trabalhadorcondições ideais não requer um grande investimento. indica-se estratégiassimples como a prática regular de exercícios físicos, alimentação equilibrada esaudável, bastante ingestão de líquidos e sono regular. Além disso, a boaconvivência com os amigos e colega de trabalho também contribuem paraaumentar o bem-estar e melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores,permitindo mais saúde e menos ausência no trabalho.
  2. 2. As pequenas ações podem ser bastante úteis para evitar o absenteísmo.Pessoas que trabalham sentadas devem levantar a cada duas horas, e setrabalham muito tempo em pé, devem sentar-se no mesmo intervalo. Quemtrabalha no computador, a cada hora e meia, deve realizar alongamentos dosbraços, aconselha. Para os colaboradores que carregam peso constantemente,vale ficar atento ao peso. O limite do peso da carga está relacionado à posturae ao peso. Por exemplo, para um homem que for carregar um peso de umamesa para outra mesa, a carga deve ser de no máximo 23 kg, mas se forcarregada do chão para uma mesa, deve pesar até 15 kg. O peso depende decomo você vai manuseá-la. Além disso, vale lembrar que devemos evitar andarmais de 10 passos carregando cargas pesadas.Pessoas desmotivadas tendem a instintivamente criar mais motivos paraestarem faltando ao trabalho.Cerca de 80% dos colaboradores de empresas e organizações no Brasil nãofaz exatamente aquilo o que gosta ou não tem um ambiente de trabalho dosmais propícios. Desses, quase a totalidade tende a faltar ao trabalho dado omínimo sinal de necessidade pessoal. A conclusão foi colocada recentementepelo consultor e mestre em Liderança, Maurício Werner em uma palestra doprojeto RH Debates. Mas este ponto revela outro ponto estarrecedor: quemalega desmotivação para faltar ao trabalho não conhece o real significado esentido da palavra motivação. Motivação, de acordo com modernos gestores,não deve vir de fora, mas de dentro da pessoa.Temos escutado reclamações de amigos empresários sobre alguns de seuscolaboradores. Muitos deles alegam que essas pessoas se ausentamconstantemente do trabalho no horário de expediente. Para justificar essassaídas, alegam desmotivação, além de afirmarem que esse sentimento sobre otrabalho acaba afetando também sua vida pessoal. Mas o que isso significa?Existe uma maneira desses colaboradores se auto motivarem?A desmotivação pode até ser uma razão para o absenteísmo, mas não édesculpa. Enquanto as pessoas dependerem que algo mude no trabalho parase sentirem motivadas, continuarão vivendo a mesma situação! Porque amotivação provocada por fatores externos é fogo que apaga logo, não duramuito tempo. A única forma de motivação que se sustenta é a que se origina donosso interior, da paixão por um objetivo de vida, da vontade de superardesafios, da gratidão ao Universo pelo ganha-pão de cada dia. Por isso, apessoa que se sente desmotivada no emprego tem duas saídas: mudar detrabalho para fazer aquilo que a apaixona ou criar formas de se auto motivar econtinuar fazendo o mesmo trabalho.Algumas pessoas podem achar que mudar de trabalho é uma atitude radical.Mudar para o quê, para onde? E se não der certo? O mercado está difícil, estáem crise, tenho que sustentar mulher e filho. Tudo isso é frequentementeouvido nesses casos. Mas esse tipo de dúvida só ocorre para quem ainda não
  3. 3. reconheceu seu propósito de vida – ou seja, aquilo que veio fazer nestemundo. Propósito é algo que todo ser humano sobre a face da Terra possui,sem exceção, e duas coisas que ajudam a identificá-lo são oautoquestionamento e o autoconhecimento. Autoquestionar-se é perguntar-secoisas como se eu não tivesse que me preocupar em pagar as contas, com oque gostaria de trabalhar? ou qual é minha meta? Já o autoconhecimentosignifica, entre outras coisas, identificar seus talentos, as habilidadesindividuais que possuímos para fazer determinada coisa de uma maneira que ésó nossa.Para quem escolher a segunda saída, que é auto motivar-se para continuarfazendo o mesmo trabalho, um bom começo é reconhecer a relevância daquiloque faz. Todo trabalho, por mais aborrecido que pareça, tem importância, temvalor, faz diferença para a vida de alguém – a começar pela pessoa que querealiza o trabalho! Consultores de carreira sugerem também que o funcionáriocrie desafios para si mesmo, como melhorar a produtividade, a rapidez ou aqualidade com que exerce suas funções, propor novos projetos e buscar novastarefas. Essas são atitudes que podemos ter por nós mesmos, em benefício denossa autoestima, sem esperar recompensas ou reconhecimentos imediatos.Nada muda se a gente não mudar. Colocar-se como vítima da falta demotivação não leva a nada; é preciso que a gente assuma a responsabilidadepor nossa vida e tome as iniciativas necessárias para mudá-la, torná-la maisdesafiadora, interessante e prazerosa. Isso é auto motivar-se!Além disso, pessoas com alta capacidade de motivar-se dificilmente ficamdoentes, pois se sabe que boa parte dos males físicos tem origem psíquica, ouseja, vem da mente, do chamado estado de espírito. Médicos do trabalho, emgeral costumam investigar a origem de afastamentos por doença.

×