Paradigma midiológico tecnológico

1.711 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.711
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Paradigma midiológico tecnológico

  1. 1. PARADIGMA MIDIOLÓGICO TECNOLÓGICO
  2. 2. McLUHAN E A ESCOLA CANADENSE  Abordagem que entende que o desenvolvimento humano é consequência ou está diretamente ligado ao domínio das ferramentas tecnológicas  Seu maior representante é o pensador canadense Marshall McLuhan
  3. 3.  Ainda na década de 1960, um professor de literatura canadense, Marshall Mcluhan, celebrado pelo meio publicitário, inovou as pesquisas de comunicação ao colocar como foco de objeto de estudo ao invés das mensagens, como vinha sendo estudo até então, o meio em que essas mensagens eram produzidas.
  4. 4. Para o teórico canadense, a evolução humana pode ser dividida em três estágios: 1) Primitiva: fase pré-tecnológica caracterizada pelo inter- relacionamento dos sentidos 2) Tipográfica: fase pós-renascentista, quando é valorizada a razão (pensamento linear) 3) Reenvolvimento Verbivocovisual: fase marcada pela evolução tecnológica e pela era eletrônica
  5. 5.  Para McLuhan, na primeira etapa evolutiva, o homem necessitava utilizar todos os seus sentidos para poder se inter- relacionar com seus pares. Após o advento da imprensa, o homem passa a intensificar o uso da visão, e posteriormente, com a era da eletrônica, o homem pode se desenvolver tecnologicamente, criando os meios eletrônicos de comunicação
  6. 6. McLuhan enunciou então alguns princípios da comunicação:  Os meios de comunicação são extensões dos sentidos do homem – para o teórico, a tentativa humana de se comunicar resulta numa experiência redutora e ruidosa. No entanto, algumas formas obtém melhores resultados.
  7. 7. A GALÁXIA DE GUTENBERG  A galáxia de Gutenberg – o advento da imprensa fomentou no homem o desenvolvimento da visão, em detrimento de outros canais sensoriais. Logo, o homem ficou mais lógico, racional e fechado. O aprendizado a partir do livro impresso dispensou a intermediação do ser humano, causando o desaparecimento do debate de idéias e a forma linear de entender o mundo.
  8. 8. ALDEIA GLOBAL  Aldeia global – o desenvolvimento dos meios eletrônicos devolveu ao homem a relação social que ele tinha antes da era tipográfica, só que, desta vez, o homem voltou a fazer parte de uma tribo global, de uma aldeia global, interconectado pelos meios eletrônicos de comunicação. Para ele, com a aldeia global, a experiência comunicativa permitiu o compartilhamento de diversas culturas.
  9. 9. O MEIO É A MENSAGEM  O meio é a mensagem – para McLuhan, “toda tecnologia gradualmente cria um ambiente humano totalmente novo” e a era eletrônica já criou o seu. Para o autor, o “o novo ambiente reprocessa o velho tão radicalmente quanto a tevê está processando o cinema, pois o “conteúdo” da tevê é o cinema”. O mais importante para o ser humano então, destaca McLuhan, é o novo ambiente criado,e não suas mensagens (“o meio é a mensagem”). E para ele, a mensagem de um meio é o outro meio (da imprensa é a palavra escrita, ta televisão é o cinema, e assim por diante). A importância de um meio está na capacidade de intervir em maior ou menor grau na sociedade.
  10. 10. MEIOS QUENTES E MEIOS FRIOS  Meios quentes e meios frios – o autor faz uma distinção entre os efeitos dos meios de comunicação: aqueles que prolongam um sentido em alta saturação de dados, são considerados os meios quentes (rádio, fotografia); já os que permitem maior participação dos receptores no entendimento de seus enunciados são considerados os meios frios (tevê)
  11. 11. BIBLIOGRAFIA  TEMER, Ana Carolina Rocha Pessoa e NERY, Vanda Cunha Albieri. Para entender as Teorias da Cmunicação. 2. ed. Revista e atualizada. Goiânia: EDFU, 2009.

×