Aula 04 - Teorias do Jornalismo - Newsmaking

845 visualizações

Publicada em

Perguntas que definem a abrangência e expõem os problemas de que se ocupa a abordagem do newsmaking:
Que imagem do mundo os noticiários televisivos fornecem?
Como se associa essa imagem às exigências quotidianas da produção de notícias, nos organismos radiotelevisivos?”

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
845
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
65
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 04 - Teorias do Jornalismo - Newsmaking

  1. 1. TEORIAS DO JORNALISMO Aula 04 – Newsmaking Prof. Ms. Elizeu N. Silva
  2. 2. Newsmaking Perguntas que definem a abrangência e expõem os problemas de que se ocupa a abordagem do newsmaking: • Que imagem do mundo os noticiários televisivos fornecem? • Como se associa essa imagem às exigências quotidianas da produção de notícias, nos organismos radiotelevisivos?” (Golding - Elliott, 1979, 1).
  3. 3. Newsmaking Pesquisas baseadas no newsmaking desenvolvem-se em duas direções: a) a cultura profissional dos jornalistas; b) a organização do trabalho e dos processos produtivos.
  4. 4. Newsmaking Parte do princípio de que o objetivo de qualquer órgão de informação é fornecer relatos dos acontecimentos significativos e interessantes. Apesar de ser um propósito claro, este objetivo aparentemente simples é também altamente complexo.
  5. 5. Newsmaking O mundo da vida quotidiana – a fonte das notícias – é constituído por uma superabundância de acontecimentos [...]. São entre esses acontecimentos que o órgão de informação deve selecionar alguns para noticiar.
  6. 6. Newsmaking Identificação da notícia: A seleção implica, pelo menos, o reconhecimento de um acontecimento como tal, e não meramente uma casual sucessão de coisas cuja forma e cujo tipo se subtraem ao registo.
  7. 7. Newsmaking Cada um [dos acontecimentos] tende a exigir ser único, fruto de uma conjunção específica de forças sociais, econômicas, políticas e psicológicas, que o transformam num acontecimento particular. Do ponto de vista do órgão de informação, é impossível atribuir esse status a todos os acontecimentos. Obriga-se, portanto, a reduzir todos os fenômenos a classificações pré-elaboradas.
  8. 8. Newsmaking Para dar conta do desafio, os órgãos de informação devem cumprir três obrigações: 1. Tornar possível o reconhecimento de um fato desconhecido como acontecimento notável.
  9. 9. Newsmaking 2. Elaborar formas padronizadas para relatar. Desconsiderar as idiossincrasias dos acontecimentos.
  10. 10. Newsmaking 3. Organizar o trabalho temporal e espacialmente, de modo que os acontecimentos possam afluir e ser trabalhados.
  11. 11. Newsmaking Na produção de informações de massa, temos, portanto: • A cultura profissional, entendida como “um inextricável emaranhado de retóricas de fachada e astúcias táticas, de códigos, estereótipos, símbolos, tipificações latentes, representações de papéis, rituais e convenções, relativos às funções dos mass media e dos jornalistas na sociedade, à concepção do produto-notícia e às modalidades que superintendem à sua confecção. (Gatekeeping)
  12. 12. Newsmaking • As restrições ligadas à organização do trabalho, sobre as quais se criam convenções profissionais “que determinam a definição de notícia, legitimam o processo produtivo, desde a utilização das fontes até à seleção dos acontecimentos e às modalidades de confecção, e contribuem para se precaver contra as críticas do público”. (Newsmaking)
  13. 13. Newsmaking Estabelece-se, assim, um conjunto de critérios de relevância que definem a noticiabilidade de cada acontecimento, isto é, a sua “aptidão” para ser transformado em notícia.
  14. 14. Newsmaking A noticiabilidade é constituída pelo conjunto de requisitos que se exigem dos acontecimentos - do ponto de vista da estrutura do trabalho nos órgãos de informação e do ponto de vista do profissionalismo dos jornalistas - para adquirirem a existência pública de notícias.
  15. 15. Newsmaking “As notícias são aquilo que os jornalistas definem como tal”. Este assunto raramente é explicitado, visto que parte do modus operandi dos jornalistas é que as coisas acontecem “lá fora” e eles limitam-se simplesmente a relatá-las. Afirmar que fazem ou selecionam arbitrariamente as notícias seria contrário à sua posição epistemológica.
  16. 16. Newsmaking Segundo esta perspectiva, “torna-se notícia” aquilo que, depois de tornado pertinente pela cultura profissional dos jornalistas, é susceptível de ser “trabalhado” pelo órgão informativo sem demasiadas alterações e subversões do ciclo produtivo normal. Em casos excepcionais, o órgão de informação tem a flexibilidade necessária para adaptar os seus procedimentos à contingência da situação.
  17. 17. Newsmaking A definição e a escolha daquilo que é noticiável - em relação àquilo que, pelo contrário, não o é – são sempre orientadas pragmaticamente, isto é, em primeiro lugar, pela “exequibilidade” do produto informativo em face das limitações de tempos e recursos.
  18. 18. Newsmaking Essa “exequibilidade” contribui para “descontextualizar ou para remover um acontecimento do contexto em que se verificou, para o poder recontextualizar dentro das dimensões do noticiário”.
  19. 19. HOHLFELDT, A.; MARTINO, L. C.; FRANÇA, V. V. Teorias da comunicação: conceitos, escolas e tendências. Petrópolis, 11ª edição, Ed. Vozes, 2011 RÜDIGER, Francisco. As teorias da comunicação. Porto Alegre, Ed. Penso, 2011 WOLF, Mauro. Teorias da comunicação. Lisboa, 5ª edição, Ed. Presença, 1999 Bibliografia

×