O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Aula 2 SER REPÓRTER

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 2 Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Diapositivos para si (20)

Quem viu também gostou (20)

Anúncio

Semelhante a Aula 2 SER REPÓRTER (20)

Mais de aulasdejornalismo (20)

Anúncio

Mais recentes (20)

Aula 2 SER REPÓRTER

  1. 1. AULA 1 - SER REPÓRTER Publicismo 1609 – primeiros jornais, ligados à burguesia Orientações e interpretação política O jornal versava sobre temas econômicos, trivialidades da corte, acidentes, tragédias e o tempo. Porém, o que mais interessava era o artigo de fundo, que é onde se fazia a interpretação política Séc. 19 O publicismo nasceu com o jornalismo, tomou uma dimensão menor, a partir do momento em que ele foi desenvolvido nos EUA e, no voltou a ganhar ares publicistas na nossa contemporaneidade. As características básicas no jornalismo nessa época eram: - tom publicista - predomínio do jornalismo opinativo - artigo de fundo como tipo textual jornalístico principal - dependência financeira de grupos - ataques pessoais, difamações, calúnias - sensacionalista - literário - sentimentalista (Ex. no Brasil: pasquins) Esse tipo de jornalismo é obrigado a se desenvolver para acompanhar o desenvolvimento do capitalismo e da Revolução Industrial.
  2. 2. NASCIMENTO DA REPORTAGEM - Para atender um novo público e uma nova demanda, o jornalismo teve que se transformar - importância dos títulos - importância do furo (notícia em primeira mão) - novas versões para um fato que só tinha a visão oficial - a luta de classes ganha o jornal - o repórter ganha destaque na sociedade, pois é teoricamente a pessoa mais informada - surgem novas discussões: público x privado; quais os limites éticos? JORNALISMO COMO TÉCNICA (Séc 19-20) - aumento nas tiragens (proporcionado pela técnica) - formação do jornalismo industrial (surgem os primeiros magnatas Joseph Pulitzer (1847- 1911), William Randolph Hearst (1863-1951). - furo ganha importância maior ainda - os repórteres ganham espaço no mercado de trabalho (e a relação ética entre jornalista e fonte se deteriora mais ainda) - reação ao jornalismo amarelo (sensacionalista) - divisão do trabalho (taylorismo) - surge o jornalismo como técnica (quase que uma ciência) - lei das três fontes - a relação com a fonte deve basear-se na mera troca de informações - ouvir o outro lado - a narrativa passa a ser mais oralizada - lead, pirâmidade invertida - construção de estereótipos e preconceito (luta operária associada ao banditismo) - implantação do hard News Todas as técnicas acima descrita ganharam espaço nos países industrializados. No Brasil, levou mais de 50 anos para chegar e duas décadas para serem implantadas

×