SlideShare uma empresa Scribd logo
O PROTOCOLO 
DO VINHO. 
Etiqueta, Cerimonial e Protocolo 
Artur Filipe dos Santos, Comunicação e Protocolo artursantosdocente@gmail.com
Artur Filipe dos Santos – www.artursantos.no.sapo.pt 
PROTOCOLO DO VINHO | Conselhos úteis para organizar um jantar 
Escolher vinhos para acompanhar um jantar nem sempre é fácil, e tudo se complica quando se trata de determinar a ordem dos mesmos. A operação pode acabar por constituir um verdadeiro quebra-cabeças. Aqui ficam alguns conselhos para fazer honra ao paladar dos convidados
Artur Filipe dos Santos – www.artursantos.no.sapo.pt 
A IMPORTÂNCIA CRUCIAL DO APERITIVO 
Para o amante de vinhos, o aperitivo é crucial: este primeiro vinho dará o tom a uma boa refeição. É útil para despertar os sentidos e o apetite dos convidados, sem comprometer o que vem a seguir. O ideal é champanhe ou espumante, bruto, já que a sua frescura, elegância e exuberância contribuem para criar uma entrada agradável – embora não se deva esquecer um Porto branco seco ou um Madeira Terrantez. Pode também optar-se por um branco ou por um tinto suave jovem. Em qualquer dos casos, devem evitar-se os vinhos excessivamente doces, que poderiam prejudicar a prova posterior dos vinhos secos.
CUIDADOS A TER PARA ATINGIR A HARMONIA PERFEITAPERFEITA Podemos prosseguir a refeição com vinhos ligeiros e suaves, que não devem ser, obrigatoriamente, muito jovens. No momento do primeiro prato, tenha em conta o seu perfil aromático e a sua estrutura, e não hesite em rejeitar vinhos demasiado encorpados. 
Artur Filipe dos Santos – www.artursantos.no.sapo.pt
QuantoQuanto aos vinhosvinhos doces licorososlicorosos e generosos, sublinhamsublinham os saboressabores das sobremesassobremesas. ComCom frutasfrutas vermelhasvermelhas ou brancas, deve inclinarinclinar-se parapara vinhosvinhos frutados, escolhendoescolhendo um queque reforcereforce um aromaaroma particularparticular – ou entãoentão queque se oponha, em buscabusca do contraste, parapara criarcriar uma relaçãorelação originaloriginal entreentre pratoprato e vinhovinho. Em qualquerqualquer caso, a regraregra é a de preservarpreservar o equilíbrioequilíbrio do açúcar: quantoquanto mais doce for a sobremesa, menos deve sê-lo o vinhovinho. MasMas não cheguechegue ao pontoponto de servirservir um vinhovinho secoseco com sobremesassobremesas docesdoces. 
Etiqueta, Cerimonial e Protocolo
Artur Filipe dos Santos – www.artursantos.no.sapo.ptwww.pt 
PROPOSTA DE EMENTA E SELEÇÃO DE VINHOS 
Se querquer organizarorganizar um jantarjantar com os amigos ou a família, aceiteaceite como basebase a seguinteseguinte refeiçãorefeição: com o primeiro pratoprato – entradaentrada de friosfrios defumadosdefumados – podepode servirservir um brancobranco secoseco estagiadoestagiado em madeiramadeira e encorpado, comcom saboressabores a baunilhabaunilha. PorPor exemplo, um vinhovinho argentinoargentino da castacasta TorrontésTorrontés. 
Para segundo prato – uma carne de vitela, de preferência assada –, devemos arranjar um vinho que mostre personalidade. Escolha um vinho com algum tempo de garrafa, em que se vislumbra um carácter de especiarias, com uma boca um pouco taninosa.
Artur Filipe dos Santos – www.artursantos.no.sapo.ptwww.pt 
Um bom tintotinto do DouroDouro ou do Alentejo, tambémtambém com estágioestágio em madeira, serãoserão adequadosadequados. De seguida, comcom uma tábuatábua de queijosqueijos (de vaca, de cabra, de ovelha, etcetc.), o melhormelhor é continuarcontinuar com o vinhovinho do pratoprato anterioranterior. Se decidirdecidir mudar, não sirvasirva um vinhovinho mais velhovelho. E se quiserquiser tornartornar sublimesublime o momento, entãoentão mudemude parapara um Vinho do PortoPorto das categoriascategorias especiaisespeciais LateLate BottledBottled VintageVintage ou VintageVintage – e veráverá como o queijoqueijo agradeceagradece.
A terminar, com umauma sobremesasobremesa de chocolatechocolate ou de frutosfrutos vermelhos, a uniãounião é delicada, poispois o cacau, com o seuseu saborsabor forteforte e aromaaroma penetrante, anulaanula quase todostodos os vinhosvinhos – ou, pelopelo menos, desvirtuadesvirtua-os. Só um PortoPorto dasdas categoriascategorias anteriormenteanteriormente mencionadasmencionadas brilharábrilhará nesteneste momentomomento. Mas poderápoderá atreveratrever- se com um MoscatelMoscatel de Setúbal, ou comcom um PortoPorto ColheitaColheita ou um TawnyTawny datadodatado. De certezacerteza queque serãoserão magníficosmagníficos acompanhantesacompanhantes da sobremesasobremesa. 
Artur Filipe dos Santos – www.artursantos.no.sapo.ptwww.pt
HÁ QUE SERVIR “BEM” O VINHOO VINHO Como é natural, o anfitriãoanfitrião é quem se ocupa do serviçoserviço do vinho, salvosalvo se quiserquiser honrar uma pessoapessoa queque pensepense estarestar mais habilitadahabilitada parapara issoisso. PrimeiroPrimeiro – e quantoquanto mais não sejaseja porpor elementarelementar boaboa educaçãoeducação – devedeve servirservir-se as senhoras, começandocomeçando porpor aquelaaquela que se encontraencontra à direitadireita do anfitriãoanfitrião. 
Artur Filipe dos Santos – www.artursantos.no.sapo.ptwww.pt
Depois, prossegueprossegue-se pelapela esquerdaesquerda. A seguir, serveserve-se os cavalheiros, começandocomeçando pelopelo que se encontraencontra à direitadireita da anfitriã, antesantes de prosseguirprosseguir no sentidosentido dosdos ponteirosponteiros do relógiorelógio. Os copos, que devemdevem serser apropriados, só se enchemenchem atéaté um terçoterço da sua capacidade, parapara conservarconservar os aromas. 
Etiqueta, Cerimonial e Protocolo 
Artur Filipe dos Santos – www.artursantos.no.sapo.ptwww.pt
ALGUMAS REGRAS BÁSICAS: 
■ Um vinho branco deve ser servido antes de um tinto. A ser de outro modo, o tinto deve ser ligeiro e o branco bem estruturado. ■ Um vinho ligeiro deve ser proposto antes de um vinho encorpado. ■ Um vinho jovem deverá preceder um vinho mais amadurecido. Se os vinhos forem da mesma colheita, o mais fino e elegante deverá ser servido em último lugar.
ligeirosligeiros devemdevem acompanharacompanhar particularmenteparticularmente ligeiros. encorpadosencorpados deverãodeverão serser os pratospratos maismais pesadospesados e condimentadoscondimentados. 
acidezacidez notórianotória casamcasam bembem de saboressabores aciduladosacidulados. suaves ligam muitomuito bembem com agridoces, molhos cremososcremosos e com exóticosexóticos. 
descuidardescuidar a temperaturatemperatura o termómetrotermómetro subir, sirvasirva e frescosfrescos. 
Artur Filipe dos Santos – www.artursantos.no.sapo.ptwww.pt 
Boa degustação 
Beba com moderação. 
Artur 
Filipe Dos Santos
AUTOR 
Artur Filipe dos Santos 
artursantosdocente@gmail.com 
artursantos.no.sapo.pt 
politicsandflags.wordpress.com 
Artur Filipe dos Santos, Doutorado em Comunicação, Publicidade Relações Públicas e Protocolo, pela Universidade de Vigo, Galiza, Espanha, Professor Universitário, consultor e investigador em Comunicação Institucional e Património, Protocolista, Sociólogo. 
Director Académico e Professor Titular na Universidade Sénior Contemporânea, membro da Direção do OIDECOM-Observatório Iberoamericano de Investigação e Desenvolvimento em Comunicação, membro da APEP-Associacao Portuguesa de Estudos de Protocolo. Membro do ICOMOS (International Counsil on Monuments and Sites), consultor da UNESCO para o Património Mundial, membro do Grupo de Investigação em Comunicação (ICOM-X1) da Faculdade de Ciências Sociais e da Comunicação da Universidade de Vigo, membro do Grupo de Investigação em Turismo e Comunicação da Universidade de Westminster. Orador e palestrante convidado em várias instituições de ensino superior. Formador em Networking e Sales Communication no Network Group +Negócio Portugal.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

E book-6-passos-para-se-tornar-um-expert-em-vinhos
E book-6-passos-para-se-tornar-um-expert-em-vinhosE book-6-passos-para-se-tornar-um-expert-em-vinhos
E book-6-passos-para-se-tornar-um-expert-em-vinhos
Maryana Moreira
 
Curso de etiqueta social parte 3/4
Curso de etiqueta  social   parte 3/4Curso de etiqueta  social   parte 3/4
Curso de etiqueta social parte 3/4
ABCursos OnLine
 
Eventos Culturais
Eventos CulturaisEventos Culturais
Eventos Culturais
Vila Libania
 
Cardapio de sobremesas maio14
Cardapio de sobremesas maio14Cardapio de sobremesas maio14
Cardapio de sobremesas maio14
Vinícius Schmitz
 
Portugal imagens deliciosas/MANUEL CARLOS
Portugal imagens deliciosas/MANUEL CARLOSPortugal imagens deliciosas/MANUEL CARLOS
Portugal imagens deliciosas/MANUEL CARLOS
Ceyça Lima
 
Sommelier de Cervejas - Proposta de Carta de Cervejas
Sommelier de Cervejas - Proposta de Carta de CervejasSommelier de Cervejas - Proposta de Carta de Cervejas
Sommelier de Cervejas - Proposta de Carta de Cervejas
Nicholas Bittencourt
 
Harmonizando conhecimento com prazer - Cervejas Especiais.
Harmonizando conhecimento com prazer - Cervejas Especiais.Harmonizando conhecimento com prazer - Cervejas Especiais.
Harmonizando conhecimento com prazer - Cervejas Especiais.
Chiara Martini
 
Portugal em Imagens Deliciosas
Portugal   em Imagens DeliciosasPortugal   em Imagens Deliciosas
Portugal em Imagens Deliciosas
Oracy Filho
 
Receitas Recebendo Amigos
Receitas  Recebendo  AmigosReceitas  Recebendo  Amigos
Receitas Recebendo Amigos
Medusa Fabula
 
Cepas Emblemáticas
Cepas EmblemáticasCepas Emblemáticas
Cepas Emblemáticas
Danny Cecília Bosquesi
 
Programa de Natal - Português - 2014
Programa de Natal - Português - 2014Programa de Natal - Português - 2014
Programa de Natal - Português - 2014
Quintinha São João Madeira
 
Portugal imagens deliciosas
Portugal   imagens deliciosasPortugal   imagens deliciosas
Portugal imagens deliciosas
Pelo Siro
 
Vinhos
VinhosVinhos
Agenda agosto 2012
Agenda agosto 2012Agenda agosto 2012
Agenda agosto 2012
pbrentzel
 
Confraria19.06.10 queijoe vinho
Confraria19.06.10 queijoe vinhoConfraria19.06.10 queijoe vinho
Confraria19.06.10 queijoe vinho
Tais de Souza
 
Vinho
VinhoVinho
VINHOS E MITOS
VINHOS E MITOSVINHOS E MITOS
Simonsig apresentação de slide
Simonsig apresentação de slideSimonsig apresentação de slide
Simonsig apresentação de slide
Pacific Importados
 
Cabazes de Natal 2015 Pimenta Rosa
Cabazes de Natal 2015 Pimenta RosaCabazes de Natal 2015 Pimenta Rosa
Cabazes de Natal 2015 Pimenta Rosa
Pimenta Rosa
 
PDF do livro "1002 coisas pra se fazer no RS antes de morrer"
PDF do livro "1002 coisas pra se fazer no RS antes de morrer"PDF do livro "1002 coisas pra se fazer no RS antes de morrer"
PDF do livro "1002 coisas pra se fazer no RS antes de morrer"
ambev
 

Mais procurados (20)

E book-6-passos-para-se-tornar-um-expert-em-vinhos
E book-6-passos-para-se-tornar-um-expert-em-vinhosE book-6-passos-para-se-tornar-um-expert-em-vinhos
E book-6-passos-para-se-tornar-um-expert-em-vinhos
 
Curso de etiqueta social parte 3/4
Curso de etiqueta  social   parte 3/4Curso de etiqueta  social   parte 3/4
Curso de etiqueta social parte 3/4
 
Eventos Culturais
Eventos CulturaisEventos Culturais
Eventos Culturais
 
Cardapio de sobremesas maio14
Cardapio de sobremesas maio14Cardapio de sobremesas maio14
Cardapio de sobremesas maio14
 
Portugal imagens deliciosas/MANUEL CARLOS
Portugal imagens deliciosas/MANUEL CARLOSPortugal imagens deliciosas/MANUEL CARLOS
Portugal imagens deliciosas/MANUEL CARLOS
 
Sommelier de Cervejas - Proposta de Carta de Cervejas
Sommelier de Cervejas - Proposta de Carta de CervejasSommelier de Cervejas - Proposta de Carta de Cervejas
Sommelier de Cervejas - Proposta de Carta de Cervejas
 
Harmonizando conhecimento com prazer - Cervejas Especiais.
Harmonizando conhecimento com prazer - Cervejas Especiais.Harmonizando conhecimento com prazer - Cervejas Especiais.
Harmonizando conhecimento com prazer - Cervejas Especiais.
 
Portugal em Imagens Deliciosas
Portugal   em Imagens DeliciosasPortugal   em Imagens Deliciosas
Portugal em Imagens Deliciosas
 
Receitas Recebendo Amigos
Receitas  Recebendo  AmigosReceitas  Recebendo  Amigos
Receitas Recebendo Amigos
 
Cepas Emblemáticas
Cepas EmblemáticasCepas Emblemáticas
Cepas Emblemáticas
 
Programa de Natal - Português - 2014
Programa de Natal - Português - 2014Programa de Natal - Português - 2014
Programa de Natal - Português - 2014
 
Portugal imagens deliciosas
Portugal   imagens deliciosasPortugal   imagens deliciosas
Portugal imagens deliciosas
 
Vinhos
VinhosVinhos
Vinhos
 
Agenda agosto 2012
Agenda agosto 2012Agenda agosto 2012
Agenda agosto 2012
 
Confraria19.06.10 queijoe vinho
Confraria19.06.10 queijoe vinhoConfraria19.06.10 queijoe vinho
Confraria19.06.10 queijoe vinho
 
Vinho
VinhoVinho
Vinho
 
VINHOS E MITOS
VINHOS E MITOSVINHOS E MITOS
VINHOS E MITOS
 
Simonsig apresentação de slide
Simonsig apresentação de slideSimonsig apresentação de slide
Simonsig apresentação de slide
 
Cabazes de Natal 2015 Pimenta Rosa
Cabazes de Natal 2015 Pimenta RosaCabazes de Natal 2015 Pimenta Rosa
Cabazes de Natal 2015 Pimenta Rosa
 
PDF do livro "1002 coisas pra se fazer no RS antes de morrer"
PDF do livro "1002 coisas pra se fazer no RS antes de morrer"PDF do livro "1002 coisas pra se fazer no RS antes de morrer"
PDF do livro "1002 coisas pra se fazer no RS antes de morrer"
 

Destaque

Gastronomia
GastronomiaGastronomia
Guia Conceito Divina Cozinha 2011
Guia Conceito Divina Cozinha 2011Guia Conceito Divina Cozinha 2011
Guia Conceito Divina Cozinha 2011
ogourmet
 
Enologia 1
Enologia 1Enologia 1
Enologia 1
progressoretec
 
Culinaria da africa do sul
Culinaria da africa do sulCulinaria da africa do sul
Culinaria da africa do sul
gabriella1409
 
Ervas aromaticas
Ervas aromaticasErvas aromaticas
Ervas aromaticas
Vitor Menas
 
Especiarias de áfrica e ásia
Especiarias de áfrica e ásiaEspeciarias de áfrica e ásia
Especiarias de áfrica e ásia
catarinasoares7a
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Especiarias
EspeciariasEspeciarias
Especiarias
Paula Morgado
 
Ervas e especiarias
Ervas e especiariasErvas e especiarias
Ervas e especiarias
NutriMistura
 
1ºAula De Vinhos Oficial
1ºAula De Vinhos Oficial1ºAula De Vinhos Oficial
1ºAula De Vinhos Oficial
Anderson Silva
 
Slides comidas tipicas lucilene
Slides comidas tipicas lucileneSlides comidas tipicas lucilene
Slides comidas tipicas lucilene
Patrick Quaresma
 
Vinhos
VinhosVinhos
Guia de especiarias
Guia de especiariasGuia de especiarias
Guia de especiarias
Ana Margarida Feio
 
160 receitas de molhos
160 receitas de molhos160 receitas de molhos
160 receitas de molhos
Ronan Tocafundo
 
Culinária afro brasileira
Culinária afro brasileiraCulinária afro brasileira
Culinária afro brasileira
pratesclaudio
 
Culinária da áfrica
Culinária da áfricaCulinária da áfrica
Culinária da áfrica
Marta Baldez
 
Vinhos Itália - Enologia / Enogastronomia
Vinhos Itália - Enologia / EnogastronomiaVinhos Itália - Enologia / Enogastronomia
Vinhos Itália - Enologia / Enogastronomia
Murilo Gagliardi
 
Técnicas de empratamento - plating tecnics
Técnicas de empratamento - plating tecnicsTécnicas de empratamento - plating tecnics
Técnicas de empratamento - plating tecnics
Carlos Barbosa
 

Destaque (18)

Gastronomia
GastronomiaGastronomia
Gastronomia
 
Guia Conceito Divina Cozinha 2011
Guia Conceito Divina Cozinha 2011Guia Conceito Divina Cozinha 2011
Guia Conceito Divina Cozinha 2011
 
Enologia 1
Enologia 1Enologia 1
Enologia 1
 
Culinaria da africa do sul
Culinaria da africa do sulCulinaria da africa do sul
Culinaria da africa do sul
 
Ervas aromaticas
Ervas aromaticasErvas aromaticas
Ervas aromaticas
 
Especiarias de áfrica e ásia
Especiarias de áfrica e ásiaEspeciarias de áfrica e ásia
Especiarias de áfrica e ásia
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Especiarias
EspeciariasEspeciarias
Especiarias
 
Ervas e especiarias
Ervas e especiariasErvas e especiarias
Ervas e especiarias
 
1ºAula De Vinhos Oficial
1ºAula De Vinhos Oficial1ºAula De Vinhos Oficial
1ºAula De Vinhos Oficial
 
Slides comidas tipicas lucilene
Slides comidas tipicas lucileneSlides comidas tipicas lucilene
Slides comidas tipicas lucilene
 
Vinhos
VinhosVinhos
Vinhos
 
Guia de especiarias
Guia de especiariasGuia de especiarias
Guia de especiarias
 
160 receitas de molhos
160 receitas de molhos160 receitas de molhos
160 receitas de molhos
 
Culinária afro brasileira
Culinária afro brasileiraCulinária afro brasileira
Culinária afro brasileira
 
Culinária da áfrica
Culinária da áfricaCulinária da áfrica
Culinária da áfrica
 
Vinhos Itália - Enologia / Enogastronomia
Vinhos Itália - Enologia / EnogastronomiaVinhos Itália - Enologia / Enogastronomia
Vinhos Itália - Enologia / Enogastronomia
 
Técnicas de empratamento - plating tecnics
Técnicas de empratamento - plating tecnicsTécnicas de empratamento - plating tecnics
Técnicas de empratamento - plating tecnics
 

Semelhante a Etiqueta, Cerimonial e Protocolo - O Protocolo do Vinho - Artur Filipe dos Santos

Catalogue – Pão de Açúcar hypermarket
Catalogue – Pão de Açúcar hypermarketCatalogue – Pão de Açúcar hypermarket
Catalogue – Pão de Açúcar hypermarket
Fernando Roveri
 
Uma nova historia da Allegro Vivace Vinhos.
Uma nova historia da Allegro Vivace Vinhos.Uma nova historia da Allegro Vivace Vinhos.
Uma nova historia da Allegro Vivace Vinhos.
Nella Cerino
 
Guia de vinhos para iniciantes .pdf
Guia de vinhos para iniciantes .pdfGuia de vinhos para iniciantes .pdf
Guia de vinhos para iniciantes .pdf
CATTAWINES
 
Harmonizando vinhos com a Bueno Wines.pdf
Harmonizando vinhos com a Bueno Wines.pdfHarmonizando vinhos com a Bueno Wines.pdf
Harmonizando vinhos com a Bueno Wines.pdf
xymenaaguiar
 
Vinhos
VinhosVinhos
Falando de vinho parte 1
Falando de vinho parte 1Falando de vinho parte 1
Falando de vinho parte 1
Antonio Souto
 
Uma inesquecível noite de queijos e vinhos
Uma inesquecível noite de queijos e vinhosUma inesquecível noite de queijos e vinhos
Uma inesquecível noite de queijos e vinhos
Bruna Barbosa
 
Curso basicodevinhos
Curso basicodevinhosCurso basicodevinhos
Curso basicodevinhos
Joe Superb
 
Encarte final 3 12-06
Encarte final 3   12-06Encarte final 3   12-06
Encarte final 3 12-06
Costi Bebidas
 
Molho de mostarda
Molho de mostardaMolho de mostarda
Molho de mostarda
ceciliazanotti
 
Treinamento chandon 2009
Treinamento chandon 2009Treinamento chandon 2009
Treinamento chandon 2009
dandypiracicaba
 
Guia The Beer Planet da Cerveja - 002
Guia The Beer Planet da Cerveja - 002Guia The Beer Planet da Cerveja - 002
Guia The Beer Planet da Cerveja - 002
Alline Leão
 
Depois de produzir o vídeo sobre leveduras comerciais eu continuei a juntar i...
Depois de produzir o vídeo sobre leveduras comerciais eu continuei a juntar i...Depois de produzir o vídeo sobre leveduras comerciais eu continuei a juntar i...
Depois de produzir o vídeo sobre leveduras comerciais eu continuei a juntar i...
jomaris
 
Como fazer francesinhas
Como fazer francesinhasComo fazer francesinhas
Como fazer francesinhas
Jorge Santos
 
Catálogo de vinhos natal (versão web)
Catálogo  de vinhos natal (versão web)Catálogo  de vinhos natal (versão web)
Catálogo de vinhos natal (versão web)
Walther Freitas
 
Serra Catarinense: good wines and fine landscapes
Serra Catarinense: good wines and fine landscapes  Serra Catarinense: good wines and fine landscapes
Serra Catarinense: good wines and fine landscapes
Gil Karlos Ferri
 
Gastronomia de portugal prezentare
Gastronomia de portugal prezentareGastronomia de portugal prezentare
Gastronomia de portugal prezentare
Sinziana Socol
 
Recebendo amigos
Recebendo amigosRecebendo amigos
Recebendo amigos
Autonoma
 
ENOLOGIA
ENOLOGIAENOLOGIA
ENOLOGIA
nuno2305
 
Quinta Vale De Fornos
Quinta Vale De FornosQuinta Vale De Fornos
Quinta Vale De Fornos
guest0aba35
 

Semelhante a Etiqueta, Cerimonial e Protocolo - O Protocolo do Vinho - Artur Filipe dos Santos (20)

Catalogue – Pão de Açúcar hypermarket
Catalogue – Pão de Açúcar hypermarketCatalogue – Pão de Açúcar hypermarket
Catalogue – Pão de Açúcar hypermarket
 
Uma nova historia da Allegro Vivace Vinhos.
Uma nova historia da Allegro Vivace Vinhos.Uma nova historia da Allegro Vivace Vinhos.
Uma nova historia da Allegro Vivace Vinhos.
 
Guia de vinhos para iniciantes .pdf
Guia de vinhos para iniciantes .pdfGuia de vinhos para iniciantes .pdf
Guia de vinhos para iniciantes .pdf
 
Harmonizando vinhos com a Bueno Wines.pdf
Harmonizando vinhos com a Bueno Wines.pdfHarmonizando vinhos com a Bueno Wines.pdf
Harmonizando vinhos com a Bueno Wines.pdf
 
Vinhos
VinhosVinhos
Vinhos
 
Falando de vinho parte 1
Falando de vinho parte 1Falando de vinho parte 1
Falando de vinho parte 1
 
Uma inesquecível noite de queijos e vinhos
Uma inesquecível noite de queijos e vinhosUma inesquecível noite de queijos e vinhos
Uma inesquecível noite de queijos e vinhos
 
Curso basicodevinhos
Curso basicodevinhosCurso basicodevinhos
Curso basicodevinhos
 
Encarte final 3 12-06
Encarte final 3   12-06Encarte final 3   12-06
Encarte final 3 12-06
 
Molho de mostarda
Molho de mostardaMolho de mostarda
Molho de mostarda
 
Treinamento chandon 2009
Treinamento chandon 2009Treinamento chandon 2009
Treinamento chandon 2009
 
Guia The Beer Planet da Cerveja - 002
Guia The Beer Planet da Cerveja - 002Guia The Beer Planet da Cerveja - 002
Guia The Beer Planet da Cerveja - 002
 
Depois de produzir o vídeo sobre leveduras comerciais eu continuei a juntar i...
Depois de produzir o vídeo sobre leveduras comerciais eu continuei a juntar i...Depois de produzir o vídeo sobre leveduras comerciais eu continuei a juntar i...
Depois de produzir o vídeo sobre leveduras comerciais eu continuei a juntar i...
 
Como fazer francesinhas
Como fazer francesinhasComo fazer francesinhas
Como fazer francesinhas
 
Catálogo de vinhos natal (versão web)
Catálogo  de vinhos natal (versão web)Catálogo  de vinhos natal (versão web)
Catálogo de vinhos natal (versão web)
 
Serra Catarinense: good wines and fine landscapes
Serra Catarinense: good wines and fine landscapes  Serra Catarinense: good wines and fine landscapes
Serra Catarinense: good wines and fine landscapes
 
Gastronomia de portugal prezentare
Gastronomia de portugal prezentareGastronomia de portugal prezentare
Gastronomia de portugal prezentare
 
Recebendo amigos
Recebendo amigosRecebendo amigos
Recebendo amigos
 
ENOLOGIA
ENOLOGIAENOLOGIA
ENOLOGIA
 
Quinta Vale De Fornos
Quinta Vale De FornosQuinta Vale De Fornos
Quinta Vale De Fornos
 

Mais de Artur Filipe dos Santos

Ciências da Natureza e do Homem - Aula 6 - Como funciona o Sol - Como funci...
Ciências da Natureza e do Homem - Aula 6 - Como funciona o Sol  - Como funci...Ciências da Natureza e do Homem - Aula 6 - Como funciona o Sol  - Como funci...
Ciências da Natureza e do Homem - Aula 6 - Como funciona o Sol - Como funci...
Artur Filipe dos Santos
 
Ciências da Natureza e do Homem - Como surgiram os insetos
Ciências da Natureza e do Homem - Como surgiram os insetosCiências da Natureza e do Homem - Como surgiram os insetos
Ciências da Natureza e do Homem - Como surgiram os insetos
Artur Filipe dos Santos
 
Ciências da natureza e do Homem - os limites do Sistema Solar - Aula 5 - os ...
Ciências da natureza e do Homem - os limites do Sistema Solar - Aula 5 - os ...Ciências da natureza e do Homem - os limites do Sistema Solar - Aula 5 - os ...
Ciências da natureza e do Homem - os limites do Sistema Solar - Aula 5 - os ...
Artur Filipe dos Santos
 
ciências da natureza e do homem - As placas Tectónicas, os vulcões e os terr...
ciências da natureza e do homem - As placas Tectónicas, os vulcões e os terr...ciências da natureza e do homem - As placas Tectónicas, os vulcões e os terr...
ciências da natureza e do homem - As placas Tectónicas, os vulcões e os terr...
Artur Filipe dos Santos
 
Ciências da Natureza e do Homem - o fim dos dinossauros - o fim dos dinossa...
Ciências da Natureza e do Homem - o fim dos dinossauros -  o fim dos dinossa...Ciências da Natureza e do Homem - o fim dos dinossauros -  o fim dos dinossa...
Ciências da Natureza e do Homem - o fim dos dinossauros - o fim dos dinossa...
Artur Filipe dos Santos
 
Ciências da Natureza e do Homem- o mundo dos dinossauros - aula 2 -
Ciências da Natureza e do Homem- o mundo dos dinossauros - aula 2 -Ciências da Natureza e do Homem- o mundo dos dinossauros - aula 2 -
Ciências da Natureza e do Homem- o mundo dos dinossauros - aula 2 -
Artur Filipe dos Santos
 
Ciências da Natureza e do Homem - Aula 4 - O Sistema Solar - Artur Filipe do...
Ciências da Natureza e do Homem - Aula 4 - O Sistema Solar - Artur Filipe do...Ciências da Natureza e do Homem - Aula 4 - O Sistema Solar - Artur Filipe do...
Ciências da Natureza e do Homem - Aula 4 - O Sistema Solar - Artur Filipe do...
Artur Filipe dos Santos
 
ciências da natureza e do homem - Aula 6 - Formação do Planeta Terra - Fo...
ciências da natureza e do homem - Aula 6 - Formação do Planeta Terra  - Fo...ciências da natureza e do homem - Aula 6 - Formação do Planeta Terra  - Fo...
ciências da natureza e do homem - Aula 6 - Formação do Planeta Terra - Fo...
Artur Filipe dos Santos
 
Ciências da Natureza e do Homem - Os descendentes dos dinossauros
Ciências da Natureza e do Homem - Os descendentes dos dinossaurosCiências da Natureza e do Homem - Os descendentes dos dinossauros
Ciências da Natureza e do Homem - Os descendentes dos dinossauros
Artur Filipe dos Santos
 
Artur Filipe dos Santos - A Capela dos Reis Magos ou dos Gaiteiros
Artur Filipe dos Santos - A Capela dos Reis Magos ou dos GaiteirosArtur Filipe dos Santos - A Capela dos Reis Magos ou dos Gaiteiros
Artur Filipe dos Santos - A Capela dos Reis Magos ou dos Gaiteiros
Artur Filipe dos Santos
 
Artur Filipe dos Santos - história dos Transportes do Porto.pdf
Artur Filipe dos Santos - história dos Transportes do Porto.pdfArtur Filipe dos Santos - história dos Transportes do Porto.pdf
Artur Filipe dos Santos - história dos Transportes do Porto.pdf
Artur Filipe dos Santos
 
A Itália Romana e Pontifícia - aula 2 - Artur Filipe dos Santos.pptx
A Itália Romana e Pontifícia - aula 2 - Artur Filipe dos Santos.pptxA Itália Romana e Pontifícia - aula 2 - Artur Filipe dos Santos.pptx
A Itália Romana e Pontifícia - aula 2 - Artur Filipe dos Santos.pptx
Artur Filipe dos Santos
 
A Itália Romana e Pontifícia - Aual 1 - Artur Filipe dos Santos .pptx
A Itália Romana e Pontifícia - Aual 1 - Artur Filipe dos Santos .pptxA Itália Romana e Pontifícia - Aual 1 - Artur Filipe dos Santos .pptx
A Itália Romana e Pontifícia - Aual 1 - Artur Filipe dos Santos .pptx
Artur Filipe dos Santos
 
A Itália Romana e Pontifícia - aula 3 - Artur Filipe dos Santos.pptx
A Itália Romana e Pontifícia - aula 3 - Artur Filipe dos Santos.pptxA Itália Romana e Pontifícia - aula 3 - Artur Filipe dos Santos.pptx
A Itália Romana e Pontifícia - aula 3 - Artur Filipe dos Santos.pptx
Artur Filipe dos Santos
 
À descoberta do património dos Alpes Orientais1
À descoberta do património dos Alpes Orientais1À descoberta do património dos Alpes Orientais1
À descoberta do património dos Alpes Orientais1
Artur Filipe dos Santos
 
Património Cultural Português -O Património Cultural das Romarias Portugu...
 Património Cultural Português -O Património Cultural das Romarias Portugu... Património Cultural Português -O Património Cultural das Romarias Portugu...
Património Cultural Português -O Património Cultural das Romarias Portugu...
Artur Filipe dos Santos
 
Património Cultural Português -Origem das Festas de Santo António de Lisbo...
Património Cultural Português -Origem das Festas de Santo António de Lisbo...Património Cultural Português -Origem das Festas de Santo António de Lisbo...
Património Cultural Português -Origem das Festas de Santo António de Lisbo...
Artur Filipe dos Santos
 
Património Cultural Português -Festa das Cruzes- Artur Filipe dos Santos.pdf
Património Cultural Português -Festa das Cruzes-  Artur Filipe dos Santos.pdfPatrimónio Cultural Português -Festa das Cruzes-  Artur Filipe dos Santos.pdf
Património Cultural Português -Festa das Cruzes- Artur Filipe dos Santos.pdf
Artur Filipe dos Santos
 
Os mais incriveis castelos do mundo-Artur Filipe dos Santos.pdf
Os mais incriveis castelos do mundo-Artur Filipe dos Santos.pdfOs mais incriveis castelos do mundo-Artur Filipe dos Santos.pdf
Os mais incriveis castelos do mundo-Artur Filipe dos Santos.pdf
Artur Filipe dos Santos
 
Artur Filipe dos Santos - patrimonio cultural - Arte Chapeleira.pdf
Artur Filipe dos Santos - patrimonio cultural - Arte Chapeleira.pdfArtur Filipe dos Santos - patrimonio cultural - Arte Chapeleira.pdf
Artur Filipe dos Santos - patrimonio cultural - Arte Chapeleira.pdf
Artur Filipe dos Santos
 

Mais de Artur Filipe dos Santos (20)

Ciências da Natureza e do Homem - Aula 6 - Como funciona o Sol - Como funci...
Ciências da Natureza e do Homem - Aula 6 - Como funciona o Sol  - Como funci...Ciências da Natureza e do Homem - Aula 6 - Como funciona o Sol  - Como funci...
Ciências da Natureza e do Homem - Aula 6 - Como funciona o Sol - Como funci...
 
Ciências da Natureza e do Homem - Como surgiram os insetos
Ciências da Natureza e do Homem - Como surgiram os insetosCiências da Natureza e do Homem - Como surgiram os insetos
Ciências da Natureza e do Homem - Como surgiram os insetos
 
Ciências da natureza e do Homem - os limites do Sistema Solar - Aula 5 - os ...
Ciências da natureza e do Homem - os limites do Sistema Solar - Aula 5 - os ...Ciências da natureza e do Homem - os limites do Sistema Solar - Aula 5 - os ...
Ciências da natureza e do Homem - os limites do Sistema Solar - Aula 5 - os ...
 
ciências da natureza e do homem - As placas Tectónicas, os vulcões e os terr...
ciências da natureza e do homem - As placas Tectónicas, os vulcões e os terr...ciências da natureza e do homem - As placas Tectónicas, os vulcões e os terr...
ciências da natureza e do homem - As placas Tectónicas, os vulcões e os terr...
 
Ciências da Natureza e do Homem - o fim dos dinossauros - o fim dos dinossa...
Ciências da Natureza e do Homem - o fim dos dinossauros -  o fim dos dinossa...Ciências da Natureza e do Homem - o fim dos dinossauros -  o fim dos dinossa...
Ciências da Natureza e do Homem - o fim dos dinossauros - o fim dos dinossa...
 
Ciências da Natureza e do Homem- o mundo dos dinossauros - aula 2 -
Ciências da Natureza e do Homem- o mundo dos dinossauros - aula 2 -Ciências da Natureza e do Homem- o mundo dos dinossauros - aula 2 -
Ciências da Natureza e do Homem- o mundo dos dinossauros - aula 2 -
 
Ciências da Natureza e do Homem - Aula 4 - O Sistema Solar - Artur Filipe do...
Ciências da Natureza e do Homem - Aula 4 - O Sistema Solar - Artur Filipe do...Ciências da Natureza e do Homem - Aula 4 - O Sistema Solar - Artur Filipe do...
Ciências da Natureza e do Homem - Aula 4 - O Sistema Solar - Artur Filipe do...
 
ciências da natureza e do homem - Aula 6 - Formação do Planeta Terra - Fo...
ciências da natureza e do homem - Aula 6 - Formação do Planeta Terra  - Fo...ciências da natureza e do homem - Aula 6 - Formação do Planeta Terra  - Fo...
ciências da natureza e do homem - Aula 6 - Formação do Planeta Terra - Fo...
 
Ciências da Natureza e do Homem - Os descendentes dos dinossauros
Ciências da Natureza e do Homem - Os descendentes dos dinossaurosCiências da Natureza e do Homem - Os descendentes dos dinossauros
Ciências da Natureza e do Homem - Os descendentes dos dinossauros
 
Artur Filipe dos Santos - A Capela dos Reis Magos ou dos Gaiteiros
Artur Filipe dos Santos - A Capela dos Reis Magos ou dos GaiteirosArtur Filipe dos Santos - A Capela dos Reis Magos ou dos Gaiteiros
Artur Filipe dos Santos - A Capela dos Reis Magos ou dos Gaiteiros
 
Artur Filipe dos Santos - história dos Transportes do Porto.pdf
Artur Filipe dos Santos - história dos Transportes do Porto.pdfArtur Filipe dos Santos - história dos Transportes do Porto.pdf
Artur Filipe dos Santos - história dos Transportes do Porto.pdf
 
A Itália Romana e Pontifícia - aula 2 - Artur Filipe dos Santos.pptx
A Itália Romana e Pontifícia - aula 2 - Artur Filipe dos Santos.pptxA Itália Romana e Pontifícia - aula 2 - Artur Filipe dos Santos.pptx
A Itália Romana e Pontifícia - aula 2 - Artur Filipe dos Santos.pptx
 
A Itália Romana e Pontifícia - Aual 1 - Artur Filipe dos Santos .pptx
A Itália Romana e Pontifícia - Aual 1 - Artur Filipe dos Santos .pptxA Itália Romana e Pontifícia - Aual 1 - Artur Filipe dos Santos .pptx
A Itália Romana e Pontifícia - Aual 1 - Artur Filipe dos Santos .pptx
 
A Itália Romana e Pontifícia - aula 3 - Artur Filipe dos Santos.pptx
A Itália Romana e Pontifícia - aula 3 - Artur Filipe dos Santos.pptxA Itália Romana e Pontifícia - aula 3 - Artur Filipe dos Santos.pptx
A Itália Romana e Pontifícia - aula 3 - Artur Filipe dos Santos.pptx
 
À descoberta do património dos Alpes Orientais1
À descoberta do património dos Alpes Orientais1À descoberta do património dos Alpes Orientais1
À descoberta do património dos Alpes Orientais1
 
Património Cultural Português -O Património Cultural das Romarias Portugu...
 Património Cultural Português -O Património Cultural das Romarias Portugu... Património Cultural Português -O Património Cultural das Romarias Portugu...
Património Cultural Português -O Património Cultural das Romarias Portugu...
 
Património Cultural Português -Origem das Festas de Santo António de Lisbo...
Património Cultural Português -Origem das Festas de Santo António de Lisbo...Património Cultural Português -Origem das Festas de Santo António de Lisbo...
Património Cultural Português -Origem das Festas de Santo António de Lisbo...
 
Património Cultural Português -Festa das Cruzes- Artur Filipe dos Santos.pdf
Património Cultural Português -Festa das Cruzes-  Artur Filipe dos Santos.pdfPatrimónio Cultural Português -Festa das Cruzes-  Artur Filipe dos Santos.pdf
Património Cultural Português -Festa das Cruzes- Artur Filipe dos Santos.pdf
 
Os mais incriveis castelos do mundo-Artur Filipe dos Santos.pdf
Os mais incriveis castelos do mundo-Artur Filipe dos Santos.pdfOs mais incriveis castelos do mundo-Artur Filipe dos Santos.pdf
Os mais incriveis castelos do mundo-Artur Filipe dos Santos.pdf
 
Artur Filipe dos Santos - patrimonio cultural - Arte Chapeleira.pdf
Artur Filipe dos Santos - patrimonio cultural - Arte Chapeleira.pdfArtur Filipe dos Santos - patrimonio cultural - Arte Chapeleira.pdf
Artur Filipe dos Santos - patrimonio cultural - Arte Chapeleira.pdf
 

Último

Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 

Último (20)

Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 

Etiqueta, Cerimonial e Protocolo - O Protocolo do Vinho - Artur Filipe dos Santos

  • 1. O PROTOCOLO DO VINHO. Etiqueta, Cerimonial e Protocolo Artur Filipe dos Santos, Comunicação e Protocolo artursantosdocente@gmail.com
  • 2. Artur Filipe dos Santos – www.artursantos.no.sapo.pt PROTOCOLO DO VINHO | Conselhos úteis para organizar um jantar Escolher vinhos para acompanhar um jantar nem sempre é fácil, e tudo se complica quando se trata de determinar a ordem dos mesmos. A operação pode acabar por constituir um verdadeiro quebra-cabeças. Aqui ficam alguns conselhos para fazer honra ao paladar dos convidados
  • 3. Artur Filipe dos Santos – www.artursantos.no.sapo.pt A IMPORTÂNCIA CRUCIAL DO APERITIVO Para o amante de vinhos, o aperitivo é crucial: este primeiro vinho dará o tom a uma boa refeição. É útil para despertar os sentidos e o apetite dos convidados, sem comprometer o que vem a seguir. O ideal é champanhe ou espumante, bruto, já que a sua frescura, elegância e exuberância contribuem para criar uma entrada agradável – embora não se deva esquecer um Porto branco seco ou um Madeira Terrantez. Pode também optar-se por um branco ou por um tinto suave jovem. Em qualquer dos casos, devem evitar-se os vinhos excessivamente doces, que poderiam prejudicar a prova posterior dos vinhos secos.
  • 4. CUIDADOS A TER PARA ATINGIR A HARMONIA PERFEITAPERFEITA Podemos prosseguir a refeição com vinhos ligeiros e suaves, que não devem ser, obrigatoriamente, muito jovens. No momento do primeiro prato, tenha em conta o seu perfil aromático e a sua estrutura, e não hesite em rejeitar vinhos demasiado encorpados. Artur Filipe dos Santos – www.artursantos.no.sapo.pt
  • 5. QuantoQuanto aos vinhosvinhos doces licorososlicorosos e generosos, sublinhamsublinham os saboressabores das sobremesassobremesas. ComCom frutasfrutas vermelhasvermelhas ou brancas, deve inclinarinclinar-se parapara vinhosvinhos frutados, escolhendoescolhendo um queque reforcereforce um aromaaroma particularparticular – ou entãoentão queque se oponha, em buscabusca do contraste, parapara criarcriar uma relaçãorelação originaloriginal entreentre pratoprato e vinhovinho. Em qualquerqualquer caso, a regraregra é a de preservarpreservar o equilíbrioequilíbrio do açúcar: quantoquanto mais doce for a sobremesa, menos deve sê-lo o vinhovinho. MasMas não cheguechegue ao pontoponto de servirservir um vinhovinho secoseco com sobremesassobremesas docesdoces. Etiqueta, Cerimonial e Protocolo
  • 6. Artur Filipe dos Santos – www.artursantos.no.sapo.ptwww.pt PROPOSTA DE EMENTA E SELEÇÃO DE VINHOS Se querquer organizarorganizar um jantarjantar com os amigos ou a família, aceiteaceite como basebase a seguinteseguinte refeiçãorefeição: com o primeiro pratoprato – entradaentrada de friosfrios defumadosdefumados – podepode servirservir um brancobranco secoseco estagiadoestagiado em madeiramadeira e encorpado, comcom saboressabores a baunilhabaunilha. PorPor exemplo, um vinhovinho argentinoargentino da castacasta TorrontésTorrontés. Para segundo prato – uma carne de vitela, de preferência assada –, devemos arranjar um vinho que mostre personalidade. Escolha um vinho com algum tempo de garrafa, em que se vislumbra um carácter de especiarias, com uma boca um pouco taninosa.
  • 7. Artur Filipe dos Santos – www.artursantos.no.sapo.ptwww.pt Um bom tintotinto do DouroDouro ou do Alentejo, tambémtambém com estágioestágio em madeira, serãoserão adequadosadequados. De seguida, comcom uma tábuatábua de queijosqueijos (de vaca, de cabra, de ovelha, etcetc.), o melhormelhor é continuarcontinuar com o vinhovinho do pratoprato anterioranterior. Se decidirdecidir mudar, não sirvasirva um vinhovinho mais velhovelho. E se quiserquiser tornartornar sublimesublime o momento, entãoentão mudemude parapara um Vinho do PortoPorto das categoriascategorias especiaisespeciais LateLate BottledBottled VintageVintage ou VintageVintage – e veráverá como o queijoqueijo agradeceagradece.
  • 8. A terminar, com umauma sobremesasobremesa de chocolatechocolate ou de frutosfrutos vermelhos, a uniãounião é delicada, poispois o cacau, com o seuseu saborsabor forteforte e aromaaroma penetrante, anulaanula quase todostodos os vinhosvinhos – ou, pelopelo menos, desvirtuadesvirtua-os. Só um PortoPorto dasdas categoriascategorias anteriormenteanteriormente mencionadasmencionadas brilharábrilhará nesteneste momentomomento. Mas poderápoderá atreveratrever- se com um MoscatelMoscatel de Setúbal, ou comcom um PortoPorto ColheitaColheita ou um TawnyTawny datadodatado. De certezacerteza queque serãoserão magníficosmagníficos acompanhantesacompanhantes da sobremesasobremesa. Artur Filipe dos Santos – www.artursantos.no.sapo.ptwww.pt
  • 9. HÁ QUE SERVIR “BEM” O VINHOO VINHO Como é natural, o anfitriãoanfitrião é quem se ocupa do serviçoserviço do vinho, salvosalvo se quiserquiser honrar uma pessoapessoa queque pensepense estarestar mais habilitadahabilitada parapara issoisso. PrimeiroPrimeiro – e quantoquanto mais não sejaseja porpor elementarelementar boaboa educaçãoeducação – devedeve servirservir-se as senhoras, começandocomeçando porpor aquelaaquela que se encontraencontra à direitadireita do anfitriãoanfitrião. Artur Filipe dos Santos – www.artursantos.no.sapo.ptwww.pt
  • 10. Depois, prossegueprossegue-se pelapela esquerdaesquerda. A seguir, serveserve-se os cavalheiros, começandocomeçando pelopelo que se encontraencontra à direitadireita da anfitriã, antesantes de prosseguirprosseguir no sentidosentido dosdos ponteirosponteiros do relógiorelógio. Os copos, que devemdevem serser apropriados, só se enchemenchem atéaté um terçoterço da sua capacidade, parapara conservarconservar os aromas. Etiqueta, Cerimonial e Protocolo Artur Filipe dos Santos – www.artursantos.no.sapo.ptwww.pt
  • 11. ALGUMAS REGRAS BÁSICAS: ■ Um vinho branco deve ser servido antes de um tinto. A ser de outro modo, o tinto deve ser ligeiro e o branco bem estruturado. ■ Um vinho ligeiro deve ser proposto antes de um vinho encorpado. ■ Um vinho jovem deverá preceder um vinho mais amadurecido. Se os vinhos forem da mesma colheita, o mais fino e elegante deverá ser servido em último lugar.
  • 12. ligeirosligeiros devemdevem acompanharacompanhar particularmenteparticularmente ligeiros. encorpadosencorpados deverãodeverão serser os pratospratos maismais pesadospesados e condimentadoscondimentados. acidezacidez notórianotória casamcasam bembem de saboressabores aciduladosacidulados. suaves ligam muitomuito bembem com agridoces, molhos cremososcremosos e com exóticosexóticos. descuidardescuidar a temperaturatemperatura o termómetrotermómetro subir, sirvasirva e frescosfrescos. Artur Filipe dos Santos – www.artursantos.no.sapo.ptwww.pt Boa degustação Beba com moderação. Artur Filipe Dos Santos
  • 13. AUTOR Artur Filipe dos Santos artursantosdocente@gmail.com artursantos.no.sapo.pt politicsandflags.wordpress.com Artur Filipe dos Santos, Doutorado em Comunicação, Publicidade Relações Públicas e Protocolo, pela Universidade de Vigo, Galiza, Espanha, Professor Universitário, consultor e investigador em Comunicação Institucional e Património, Protocolista, Sociólogo. Director Académico e Professor Titular na Universidade Sénior Contemporânea, membro da Direção do OIDECOM-Observatório Iberoamericano de Investigação e Desenvolvimento em Comunicação, membro da APEP-Associacao Portuguesa de Estudos de Protocolo. Membro do ICOMOS (International Counsil on Monuments and Sites), consultor da UNESCO para o Património Mundial, membro do Grupo de Investigação em Comunicação (ICOM-X1) da Faculdade de Ciências Sociais e da Comunicação da Universidade de Vigo, membro do Grupo de Investigação em Turismo e Comunicação da Universidade de Westminster. Orador e palestrante convidado em várias instituições de ensino superior. Formador em Networking e Sales Communication no Network Group +Negócio Portugal.