SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Baixar para ler offline
Escrever para
crianças e
jovens: o quê
e porquê?
Raquel Ramos
Vila Nova de Famalicão, 04 de
dezembro de 2015
Crescer a ler, ler para crescer
Ideias…
Escrever para crianças e jovens: o quê
e porquê?
1. A criança/ o jovem: ser humano em construção que
precisa de vitamina P
2. O escritor: uma figura comprometida
3. O mediador: um especialista que ama a leitura
• A leitura ajuda a criança/o jovem a formar-
se enquanto ser humano: ajuda a cimentar
valores como a amizade, a solidariedade, a
compreensão, a fraternidade, a paz.
Vitamina P
• A criança/ o jovem tem interrogações
metafísicas: pergunta-se sobre a morte, o
divórcio, as diferenças, o bem, o mal, etc.
• O texto literário permite um questionar
múltiplo e “violento”. A consciência aberta,
o gosto pelo desconhecido, a preocupação
com o outro educa-se, desenvolve-se e
cuida-se.
O leitor
• Até meados do século XIX não
exista literatura para a infância e a
juventude; mesmo os contos e As
Fábulas de La Fontaine eram
escritos para um público adulto.
• Não existia a noção de “teenager”.
É já no século XX que surge uma
cultura dos e para o jovens
(cinema, música, roupa, literatura)
• Literatura infantil e juvenil
• Todos os textos narrativos, poéticos
ou dramáticos que utilizam uma
linguagem literária, que tencionam
abordar assuntos da vida, emoções,
e que não precisam de referentes
reais (Rechou, 2013).
Henriette Bicchonnier
O termo genérico “literatura para crianças”
recobre duas realidades contraditórias: o
mundo da literatura e o mundo das crianças.
Por literatura, entende-se geralmente escrita
livre inspirada, uma estratégia pessoal do
autor, não tendo a preocupação em agradar
a ninguém em especial. É o mundo da
literatura.
Quando escrevemos para crianças, a
estratégia é forçosamente muito diferente,
uma vez que nos dirigimos a um público
preciso, relativamente conhecido.
Acrescentar “para crianças” à palavra
literatura acaba, de certa maneira, por
evocar um outro género literário, uma outra
forma de escrita, adaptada a um público.
Porquê?
• O escritor é uma pessoa comprometida;
põe a literatura ao serviço da sociedade
• Ajuda na aquisição e desenvolvimento da
linguagem
• Influencia a formação do “gosto estético” e
a formação literária
• É um meio de socialização
• Conduz à identificação com uma variedade
grande de personagens e de situações
• Ajuda a criança/o jovem a formar-se como
ser humano
• Promove a literacia
• Inspira a criatividade
O escritor
O quê?
• Para que o livro infantil e juvenil cumpra a sua
função é necessário agradar à criança e ao jovem
• Conhecimento do mundo deles; estar alerta;
conhecê-los (Os Cinco) identificação com as
personagens, criação de laços, ligação com a
literatura
• Escrever sobre a realidade local de uma forma
universal
• Escrever textos que penetrem no espírito humano
com fins estéticos e éticos
• Escrever livros que conduzam a perguntas ( e não o
politicamente correto)
TEMAS: amizade, a família, racismo, sexualidade,
guerra, doença, divórcio, morte, poder,
crescimento, violência, tolerância, etc.
Judith Hillman
Como? Contéudo
• Experiências típicas da infância/jovens,
escritas na perspetiva da criança/jovem
• Personagens infantis ou similares
• Intrigas simples e diretas, centradas na
ação
• Um sentimento de otimismo e inocência
(o final feliz é a norma)
• Uma tendência para combinar a
realidade e a fantasia
Qualidade
• Poder para satisfazer, explicar, convidar
a ler
Algumas questões
1. Literatura infantil portuguesa percorre um caminho de inovação,
experimentalismo e qualidade (à semelhança do que ocorre noutros países)
2. Faixas etárias/papéis que o leitor assume (Appleyard):
a) “Leitor como player” – ouvinte de histórias
b) “Leitor como herói” – 1.º e 2.º ciclos
c) “Leitor como pensador” – adolescentes procuram descobrir o sentido da vida
3. Fantasia e realidade: as obras para crianças tanto podem transportá-la para
universos imaginários como dar-lhes a conhecer a História; a criança não se desorienta
com a intervenção do imaginário e do fantástico
4. Menos é mais: tratamento simples (mas não simplista) tem um resultado
eficaz;
5. “Literatura crossover”: um bom livro para crianças e jovens deve agradar
também aos adultos
Na literatura infantil e juvenil os destinatários
e os recetores não coincidem.
Ao mediador (um especialista) cabe:
1. Conhecer bons textos (cânone literário +
textos contemporâneos de qualidade); a
escola tem de ter uma certa abertura,
porque o único contacto de muitas crianças
com a leitura é feito na escola.
2. Saber desenvolver atividades de promoção
da leitura:
• Ensinar a inferir, jogar com as palavras, as
frases, as ideias
• Despertar para o desconhecido
• Desenvolver atitudes múltiplas em torno da
leitura
3. Dedicar tempo; discutir à volta do livro
4. Ter uma postura aberta face a novos
suportes e formas de motivação
O mediador
Savater
Obrigada!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 2 biblioteca escolar
Aula 2 biblioteca escolarAula 2 biblioteca escolar
Aula 2 biblioteca escolarBiblio 2010
 
BIBLIOTECA ESCOLAR COMO ESPAÇO DE OPORTUNIDADES E POSSIBILIDADE, de Katty Ann...
BIBLIOTECA ESCOLAR COMO ESPAÇO DE OPORTUNIDADES E POSSIBILIDADE, de Katty Ann...BIBLIOTECA ESCOLAR COMO ESPAÇO DE OPORTUNIDADES E POSSIBILIDADE, de Katty Ann...
BIBLIOTECA ESCOLAR COMO ESPAÇO DE OPORTUNIDADES E POSSIBILIDADE, de Katty Ann...bibliocampsp
 
Cbbd 2015 biblioteca escolar e projeto pedagogico
Cbbd 2015 biblioteca escolar e projeto pedagogicoCbbd 2015 biblioteca escolar e projeto pedagogico
Cbbd 2015 biblioteca escolar e projeto pedagogicoTatyanne Valdez
 
O texto literário e o leitor do século XXI
O texto literário e o leitor do século XXIO texto literário e o leitor do século XXI
O texto literário e o leitor do século XXIAntónio Pires
 
Projeto de incentivo a leitura e escrita atividade 1.3 e 1.4
Projeto de incentivo a leitura e escrita    atividade 1.3 e 1.4Projeto de incentivo a leitura e escrita    atividade 1.3 e 1.4
Projeto de incentivo a leitura e escrita atividade 1.3 e 1.4fla20mu
 
Proposta de atividades para uma biblioteca dinâmica
Proposta de atividades para uma biblioteca dinâmicaProposta de atividades para uma biblioteca dinâmica
Proposta de atividades para uma biblioteca dinâmicaArmanda Ribeiro
 
Projeto leitura escrita séries iniciais 2014
Projeto leitura escrita séries iniciais  2014Projeto leitura escrita séries iniciais  2014
Projeto leitura escrita séries iniciais 2014Franciscosouto6
 
Biblioteca escolar
Biblioteca escolarBiblioteca escolar
Biblioteca escolarelzirene
 
Planejamento 2015 - proposta de trabalho para sala de leitura
Planejamento 2015 - proposta de trabalho para sala de leituraPlanejamento 2015 - proposta de trabalho para sala de leitura
Planejamento 2015 - proposta de trabalho para sala de leituraLuciane tonete
 
Plano de incentivo à leitura CEPE FRANÇA 2014/ 2015
Plano de incentivo à leitura   CEPE FRANÇA  2014/ 2015 Plano de incentivo à leitura   CEPE FRANÇA  2014/ 2015
Plano de incentivo à leitura CEPE FRANÇA 2014/ 2015 Magda Borges
 
Apresentação eproinf projeto de leitura
Apresentação eproinf  projeto de leituraApresentação eproinf  projeto de leitura
Apresentação eproinf projeto de leituraveraluciarottini
 
Concurso um mapa de ideias regulamento
Concurso um mapa de ideias   regulamentoConcurso um mapa de ideias   regulamento
Concurso um mapa de ideias regulamentoFilomena Claudino
 
Projeto Final do Curso Mediadores de Leitura
Projeto Final do Curso Mediadores de LeituraProjeto Final do Curso Mediadores de Leitura
Projeto Final do Curso Mediadores de Leiturabboldrini
 
Projeto: Despertar o prazer da leitura
Projeto: Despertar o prazer da leituraProjeto: Despertar o prazer da leitura
Projeto: Despertar o prazer da leiturasimonha
 

Mais procurados (20)

Aula 2 biblioteca escolar
Aula 2 biblioteca escolarAula 2 biblioteca escolar
Aula 2 biblioteca escolar
 
BIBLIOTECA ESCOLAR COMO ESPAÇO DE OPORTUNIDADES E POSSIBILIDADE, de Katty Ann...
BIBLIOTECA ESCOLAR COMO ESPAÇO DE OPORTUNIDADES E POSSIBILIDADE, de Katty Ann...BIBLIOTECA ESCOLAR COMO ESPAÇO DE OPORTUNIDADES E POSSIBILIDADE, de Katty Ann...
BIBLIOTECA ESCOLAR COMO ESPAÇO DE OPORTUNIDADES E POSSIBILIDADE, de Katty Ann...
 
Cbbd 2015 biblioteca escolar e projeto pedagogico
Cbbd 2015 biblioteca escolar e projeto pedagogicoCbbd 2015 biblioteca escolar e projeto pedagogico
Cbbd 2015 biblioteca escolar e projeto pedagogico
 
Atv_8 PROJETO BIBLIOTECA
Atv_8  PROJETO BIBLIOTECAAtv_8  PROJETO BIBLIOTECA
Atv_8 PROJETO BIBLIOTECA
 
Projeto de leitura
Projeto de leituraProjeto de leitura
Projeto de leitura
 
O texto literário e o leitor do século XXI
O texto literário e o leitor do século XXIO texto literário e o leitor do século XXI
O texto literário e o leitor do século XXI
 
Projeto de incentivo a leitura e escrita atividade 1.3 e 1.4
Projeto de incentivo a leitura e escrita    atividade 1.3 e 1.4Projeto de incentivo a leitura e escrita    atividade 1.3 e 1.4
Projeto de incentivo a leitura e escrita atividade 1.3 e 1.4
 
Proposta de atividades para uma biblioteca dinâmica
Proposta de atividades para uma biblioteca dinâmicaProposta de atividades para uma biblioteca dinâmica
Proposta de atividades para uma biblioteca dinâmica
 
Ler com olhos de ver
Ler com olhos de verLer com olhos de ver
Ler com olhos de ver
 
Projeto leitura escrita séries iniciais 2014
Projeto leitura escrita séries iniciais  2014Projeto leitura escrita séries iniciais  2014
Projeto leitura escrita séries iniciais 2014
 
Biblioteca escolar
Biblioteca escolarBiblioteca escolar
Biblioteca escolar
 
Planejamento 2015 - proposta de trabalho para sala de leitura
Planejamento 2015 - proposta de trabalho para sala de leituraPlanejamento 2015 - proposta de trabalho para sala de leitura
Planejamento 2015 - proposta de trabalho para sala de leitura
 
Plano de incentivo à leitura CEPE FRANÇA 2014/ 2015
Plano de incentivo à leitura   CEPE FRANÇA  2014/ 2015 Plano de incentivo à leitura   CEPE FRANÇA  2014/ 2015
Plano de incentivo à leitura CEPE FRANÇA 2014/ 2015
 
Apresentação eproinf projeto de leitura
Apresentação eproinf  projeto de leituraApresentação eproinf  projeto de leitura
Apresentação eproinf projeto de leitura
 
Bibliotecas 2010-11
Bibliotecas   2010-11Bibliotecas   2010-11
Bibliotecas 2010-11
 
Todos @ ler
Todos @ ler Todos @ ler
Todos @ ler
 
Projeto baú dos sonhos
Projeto            baú dos sonhosProjeto            baú dos sonhos
Projeto baú dos sonhos
 
Concurso um mapa de ideias regulamento
Concurso um mapa de ideias   regulamentoConcurso um mapa de ideias   regulamento
Concurso um mapa de ideias regulamento
 
Projeto Final do Curso Mediadores de Leitura
Projeto Final do Curso Mediadores de LeituraProjeto Final do Curso Mediadores de Leitura
Projeto Final do Curso Mediadores de Leitura
 
Projeto: Despertar o prazer da leitura
Projeto: Despertar o prazer da leituraProjeto: Despertar o prazer da leitura
Projeto: Despertar o prazer da leitura
 

Destaque (9)

Redes de saber fazer
Redes de saber fazerRedes de saber fazer
Redes de saber fazer
 
Potencialidades da biblioteca escolar no Agrupamento
Potencialidades da biblioteca escolar no AgrupamentoPotencialidades da biblioteca escolar no Agrupamento
Potencialidades da biblioteca escolar no Agrupamento
 
Revista cienciaelementar v3n4
Revista cienciaelementar v3n4Revista cienciaelementar v3n4
Revista cienciaelementar v3n4
 
Ler em múltiplos ecrans
Ler em múltiplos ecransLer em múltiplos ecrans
Ler em múltiplos ecrans
 
Pato lógico
Pato lógicoPato lógico
Pato lógico
 
Escola Sementes de Leitura
Escola Sementes de LeituraEscola Sementes de Leitura
Escola Sementes de Leitura
 
Ciencia em linha
Ciencia em linhaCiencia em linha
Ciencia em linha
 
Hora da leitura na biblioteca
Hora da leitura na bibliotecaHora da leitura na biblioteca
Hora da leitura na biblioteca
 
Tutorial QUIZIZZ
Tutorial QUIZIZZTutorial QUIZIZZ
Tutorial QUIZIZZ
 

Semelhante a Escrever para crianças e jovens: o quê e porquê?

Tessituras literatura infantil
Tessituras   literatura infantilTessituras   literatura infantil
Tessituras literatura infantilAna Paula Cecato
 
Livros e Infância
Livros e InfânciaLivros e Infância
Livros e Infânciaeducadores
 
Literatura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenilLiteratura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenilSusanne Messias
 
leitura-e-literatura-na-infancia.ppt
leitura-e-literatura-na-infancia.pptleitura-e-literatura-na-infancia.ppt
leitura-e-literatura-na-infancia.pptSoniaMaia18
 
Va literatura infantojuvenil aula_01_impressao
Va literatura infantojuvenil aula_01_impressaoVa literatura infantojuvenil aula_01_impressao
Va literatura infantojuvenil aula_01_impressaoEberson Luz
 
Literatura infantil.narrativa
Literatura infantil.narrativaLiteratura infantil.narrativa
Literatura infantil.narrativaAna Paula Cecato
 
Trabalho de portuques
Trabalho de portuquesTrabalho de portuques
Trabalho de portuquesDymas2011
 
Congresso Internacional de Promoção da Leitura - Notas soltas
Congresso Internacional de Promoção da Leitura - Notas soltasCongresso Internacional de Promoção da Leitura - Notas soltas
Congresso Internacional de Promoção da Leitura - Notas soltasCarlos Pinheiro
 
Literatura Infantil Slides
Literatura Infantil   SlidesLiteratura Infantil   Slides
Literatura Infantil Slidesestercotrim
 
Constituição de acervo para bibliotecas
Constituição de acervo para bibliotecasConstituição de acervo para bibliotecas
Constituição de acervo para bibliotecasAna Paula Cecato
 
A importância da literatura na educação infantil
A importância da literatura na educação infantilA importância da literatura na educação infantil
A importância da literatura na educação infantilKeilita Igor Fabrine
 
Folhetim do Estudante - Ano VII - Núm. 59
Folhetim do Estudante - Ano VII - Núm. 59Folhetim do Estudante - Ano VII - Núm. 59
Folhetim do Estudante - Ano VII - Núm. 59Valter Gomes
 
Hubia literatura ok
Hubia literatura okHubia literatura ok
Hubia literatura okMarcia Silva
 
A literatura infantil na escola
A literatura infantil na escolaA literatura infantil na escola
A literatura infantil na escolaUESPI - PI
 
A LITERATURA DE MONTEIRO LOBATO E SUAS CONTRIBUIÇÕES - apresentação .pptx
A LITERATURA DE MONTEIRO LOBATO E SUAS CONTRIBUIÇÕES - apresentação .pptxA LITERATURA DE MONTEIRO LOBATO E SUAS CONTRIBUIÇÕES - apresentação .pptx
A LITERATURA DE MONTEIRO LOBATO E SUAS CONTRIBUIÇÕES - apresentação .pptxKARINEVONEYVIEIRABAR
 
Formação literatura agosto
Formação literatura agostoFormação literatura agosto
Formação literatura agostoDyone Andrade
 

Semelhante a Escrever para crianças e jovens: o quê e porquê? (20)

Contos na educação infantil
Contos na educação infantilContos na educação infantil
Contos na educação infantil
 
Tessituras literatura infantil
Tessituras   literatura infantilTessituras   literatura infantil
Tessituras literatura infantil
 
Livros e Infância
Livros e InfânciaLivros e Infância
Livros e Infância
 
Literatura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenilLiteratura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenil
 
leitura-e-literatura-na-infancia.ppt
leitura-e-literatura-na-infancia.pptleitura-e-literatura-na-infancia.ppt
leitura-e-literatura-na-infancia.ppt
 
Literatura infantil
Literatura infantilLiteratura infantil
Literatura infantil
 
Va literatura infantojuvenil aula_01_impressao
Va literatura infantojuvenil aula_01_impressaoVa literatura infantojuvenil aula_01_impressao
Va literatura infantojuvenil aula_01_impressao
 
Literatura infantil.narrativa
Literatura infantil.narrativaLiteratura infantil.narrativa
Literatura infantil.narrativa
 
Trabalho de portuques
Trabalho de portuquesTrabalho de portuques
Trabalho de portuques
 
Congresso Internacional de Promoção da Leitura - Notas soltas
Congresso Internacional de Promoção da Leitura - Notas soltasCongresso Internacional de Promoção da Leitura - Notas soltas
Congresso Internacional de Promoção da Leitura - Notas soltas
 
Literatura Infantil Slides
Literatura Infantil   SlidesLiteratura Infantil   Slides
Literatura Infantil Slides
 
Constituição de acervo para bibliotecas
Constituição de acervo para bibliotecasConstituição de acervo para bibliotecas
Constituição de acervo para bibliotecas
 
A importância da literatura na educação infantil
A importância da literatura na educação infantilA importância da literatura na educação infantil
A importância da literatura na educação infantil
 
Atps lite (2)
Atps lite (2)Atps lite (2)
Atps lite (2)
 
Folhetim do Estudante - Ano VII - Núm. 59
Folhetim do Estudante - Ano VII - Núm. 59Folhetim do Estudante - Ano VII - Núm. 59
Folhetim do Estudante - Ano VII - Núm. 59
 
A literatura infantil e seu poder de formar leitores
A literatura infantil e seu poder de formar leitoresA literatura infantil e seu poder de formar leitores
A literatura infantil e seu poder de formar leitores
 
Hubia literatura ok
Hubia literatura okHubia literatura ok
Hubia literatura ok
 
A literatura infantil na escola
A literatura infantil na escolaA literatura infantil na escola
A literatura infantil na escola
 
A LITERATURA DE MONTEIRO LOBATO E SUAS CONTRIBUIÇÕES - apresentação .pptx
A LITERATURA DE MONTEIRO LOBATO E SUAS CONTRIBUIÇÕES - apresentação .pptxA LITERATURA DE MONTEIRO LOBATO E SUAS CONTRIBUIÇÕES - apresentação .pptx
A LITERATURA DE MONTEIRO LOBATO E SUAS CONTRIBUIÇÕES - apresentação .pptx
 
Formação literatura agosto
Formação literatura agostoFormação literatura agosto
Formação literatura agosto
 

Mais de António Pires

A utilização de aplicações na educação
A utilização de aplicações na educação A utilização de aplicações na educação
A utilização de aplicações na educação António Pires
 
Como colocar um filme no blogue
Como colocar um filme no blogueComo colocar um filme no blogue
Como colocar um filme no blogueAntónio Pires
 
Realidade aumentada - Ricardo Monteiro
Realidade aumentada - Ricardo MonteiroRealidade aumentada - Ricardo Monteiro
Realidade aumentada - Ricardo MonteiroAntónio Pires
 
Tecnologias emergentes na sala de aula - Carlos Pinheiro
Tecnologias emergentes na sala de aula - Carlos PinheiroTecnologias emergentes na sala de aula - Carlos Pinheiro
Tecnologias emergentes na sala de aula - Carlos PinheiroAntónio Pires
 
Programa da semana da leitura 2019
Programa da semana da leitura 2019Programa da semana da leitura 2019
Programa da semana da leitura 2019António Pires
 
Contributos para a biblioteca digital (2018)
Contributos para a biblioteca digital  (2018)Contributos para a biblioteca digital  (2018)
Contributos para a biblioteca digital (2018)António Pires
 
Um olhar... Roteiro para o uso da biblioteca escolar
Um olhar... Roteiro para o uso da biblioteca escolarUm olhar... Roteiro para o uso da biblioteca escolar
Um olhar... Roteiro para o uso da biblioteca escolarAntónio Pires
 
Construção de sites educativos - Wix
Construção de sites educativos - WixConstrução de sites educativos - Wix
Construção de sites educativos - WixAntónio Pires
 
Avaliação X Encontro
Avaliação X EncontroAvaliação X Encontro
Avaliação X EncontroAntónio Pires
 
Boletim informativo das BE AE da Trofa 1º periodo 2017-18
Boletim informativo das BE AE da Trofa   1º periodo 2017-18Boletim informativo das BE AE da Trofa   1º periodo 2017-18
Boletim informativo das BE AE da Trofa 1º periodo 2017-18António Pires
 
Formação de utilizadores
Formação de utilizadoresFormação de utilizadores
Formação de utilizadoresAntónio Pires
 
Marketing biblioteca na biblioteca escolar
Marketing biblioteca  na biblioteca escolarMarketing biblioteca  na biblioteca escolar
Marketing biblioteca na biblioteca escolarAntónio Pires
 

Mais de António Pires (20)

A utilização de aplicações na educação
A utilização de aplicações na educação A utilização de aplicações na educação
A utilização de aplicações na educação
 
Como colocar um filme no blogue
Como colocar um filme no blogueComo colocar um filme no blogue
Como colocar um filme no blogue
 
Projeto QRbook
Projeto  QRbookProjeto  QRbook
Projeto QRbook
 
Realidade aumentada - Ricardo Monteiro
Realidade aumentada - Ricardo MonteiroRealidade aumentada - Ricardo Monteiro
Realidade aumentada - Ricardo Monteiro
 
Tecnologias emergentes na sala de aula - Carlos Pinheiro
Tecnologias emergentes na sala de aula - Carlos PinheiroTecnologias emergentes na sala de aula - Carlos Pinheiro
Tecnologias emergentes na sala de aula - Carlos Pinheiro
 
Boa Prática
Boa PráticaBoa Prática
Boa Prática
 
Programa da semana da leitura 2019
Programa da semana da leitura 2019Programa da semana da leitura 2019
Programa da semana da leitura 2019
 
Contributos para a biblioteca digital (2018)
Contributos para a biblioteca digital  (2018)Contributos para a biblioteca digital  (2018)
Contributos para a biblioteca digital (2018)
 
Um olhar... Roteiro para o uso da biblioteca escolar
Um olhar... Roteiro para o uso da biblioteca escolarUm olhar... Roteiro para o uso da biblioteca escolar
Um olhar... Roteiro para o uso da biblioteca escolar
 
Um olhar... MABE
Um olhar... MABEUm olhar... MABE
Um olhar... MABE
 
Construção de sites educativos - Wix
Construção de sites educativos - WixConstrução de sites educativos - Wix
Construção de sites educativos - Wix
 
Boa prática
Boa práticaBoa prática
Boa prática
 
Reis na Biblioteca
Reis na BibliotecaReis na Biblioteca
Reis na Biblioteca
 
Noites na BE
Noites na BENoites na BE
Noites na BE
 
Monitores
MonitoresMonitores
Monitores
 
Avaliação X Encontro
Avaliação X EncontroAvaliação X Encontro
Avaliação X Encontro
 
Boletim informativo das BE AE da Trofa 1º periodo 2017-18
Boletim informativo das BE AE da Trofa   1º periodo 2017-18Boletim informativo das BE AE da Trofa   1º periodo 2017-18
Boletim informativo das BE AE da Trofa 1º periodo 2017-18
 
Formação de utilizadores
Formação de utilizadoresFormação de utilizadores
Formação de utilizadores
 
Marketing biblioteca na biblioteca escolar
Marketing biblioteca  na biblioteca escolarMarketing biblioteca  na biblioteca escolar
Marketing biblioteca na biblioteca escolar
 
Biblioterapia
BiblioterapiaBiblioterapia
Biblioterapia
 

Último

Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persafelipescherner
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitlerhabiwo1978
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxmariiiaaa1290
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteIpdaWellington
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfandreaLisboa7
 

Último (20)

Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 

Escrever para crianças e jovens: o quê e porquê?

  • 1. Escrever para crianças e jovens: o quê e porquê? Raquel Ramos Vila Nova de Famalicão, 04 de dezembro de 2015
  • 2.
  • 3. Crescer a ler, ler para crescer
  • 4.
  • 6. Escrever para crianças e jovens: o quê e porquê? 1. A criança/ o jovem: ser humano em construção que precisa de vitamina P 2. O escritor: uma figura comprometida 3. O mediador: um especialista que ama a leitura
  • 7. • A leitura ajuda a criança/o jovem a formar- se enquanto ser humano: ajuda a cimentar valores como a amizade, a solidariedade, a compreensão, a fraternidade, a paz. Vitamina P • A criança/ o jovem tem interrogações metafísicas: pergunta-se sobre a morte, o divórcio, as diferenças, o bem, o mal, etc. • O texto literário permite um questionar múltiplo e “violento”. A consciência aberta, o gosto pelo desconhecido, a preocupação com o outro educa-se, desenvolve-se e cuida-se. O leitor
  • 8. • Até meados do século XIX não exista literatura para a infância e a juventude; mesmo os contos e As Fábulas de La Fontaine eram escritos para um público adulto. • Não existia a noção de “teenager”. É já no século XX que surge uma cultura dos e para o jovens (cinema, música, roupa, literatura) • Literatura infantil e juvenil • Todos os textos narrativos, poéticos ou dramáticos que utilizam uma linguagem literária, que tencionam abordar assuntos da vida, emoções, e que não precisam de referentes reais (Rechou, 2013).
  • 9. Henriette Bicchonnier O termo genérico “literatura para crianças” recobre duas realidades contraditórias: o mundo da literatura e o mundo das crianças. Por literatura, entende-se geralmente escrita livre inspirada, uma estratégia pessoal do autor, não tendo a preocupação em agradar a ninguém em especial. É o mundo da literatura. Quando escrevemos para crianças, a estratégia é forçosamente muito diferente, uma vez que nos dirigimos a um público preciso, relativamente conhecido. Acrescentar “para crianças” à palavra literatura acaba, de certa maneira, por evocar um outro género literário, uma outra forma de escrita, adaptada a um público.
  • 10. Porquê? • O escritor é uma pessoa comprometida; põe a literatura ao serviço da sociedade • Ajuda na aquisição e desenvolvimento da linguagem • Influencia a formação do “gosto estético” e a formação literária • É um meio de socialização • Conduz à identificação com uma variedade grande de personagens e de situações • Ajuda a criança/o jovem a formar-se como ser humano • Promove a literacia • Inspira a criatividade O escritor
  • 11. O quê? • Para que o livro infantil e juvenil cumpra a sua função é necessário agradar à criança e ao jovem • Conhecimento do mundo deles; estar alerta; conhecê-los (Os Cinco) identificação com as personagens, criação de laços, ligação com a literatura • Escrever sobre a realidade local de uma forma universal • Escrever textos que penetrem no espírito humano com fins estéticos e éticos • Escrever livros que conduzam a perguntas ( e não o politicamente correto) TEMAS: amizade, a família, racismo, sexualidade, guerra, doença, divórcio, morte, poder, crescimento, violência, tolerância, etc.
  • 12. Judith Hillman Como? Contéudo • Experiências típicas da infância/jovens, escritas na perspetiva da criança/jovem • Personagens infantis ou similares • Intrigas simples e diretas, centradas na ação • Um sentimento de otimismo e inocência (o final feliz é a norma) • Uma tendência para combinar a realidade e a fantasia Qualidade • Poder para satisfazer, explicar, convidar a ler
  • 13. Algumas questões 1. Literatura infantil portuguesa percorre um caminho de inovação, experimentalismo e qualidade (à semelhança do que ocorre noutros países) 2. Faixas etárias/papéis que o leitor assume (Appleyard): a) “Leitor como player” – ouvinte de histórias b) “Leitor como herói” – 1.º e 2.º ciclos c) “Leitor como pensador” – adolescentes procuram descobrir o sentido da vida 3. Fantasia e realidade: as obras para crianças tanto podem transportá-la para universos imaginários como dar-lhes a conhecer a História; a criança não se desorienta com a intervenção do imaginário e do fantástico 4. Menos é mais: tratamento simples (mas não simplista) tem um resultado eficaz; 5. “Literatura crossover”: um bom livro para crianças e jovens deve agradar também aos adultos
  • 14. Na literatura infantil e juvenil os destinatários e os recetores não coincidem. Ao mediador (um especialista) cabe: 1. Conhecer bons textos (cânone literário + textos contemporâneos de qualidade); a escola tem de ter uma certa abertura, porque o único contacto de muitas crianças com a leitura é feito na escola. 2. Saber desenvolver atividades de promoção da leitura: • Ensinar a inferir, jogar com as palavras, as frases, as ideias • Despertar para o desconhecido • Desenvolver atitudes múltiplas em torno da leitura 3. Dedicar tempo; discutir à volta do livro 4. Ter uma postura aberta face a novos suportes e formas de motivação O mediador