SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 37
Baixar para ler offline
CRIAP
inSTITUTO
▼
Curso Avangado em Terapias Cognitivo
Comportamentais de Terceira Geragao para
Criangas e Adolescentes [E-learning]
Modulo: Modelos teoricos da ACT
Formador: Margarida Gaspar de Matos 1
A
T
T
A Wm
CRIAP
inSTITUTD
A Terceira vaga TCC nao suprime as anteriores
- Os principios gerais sao identicos
- Apoia-se nos mecanismos da APRENDIZAGEM
(o comportamento no sentido lato incorpora movimento, linguagem,
pensamentos, emogoes, relagoes, respostas fisiologicas,
valores...)
2
CRIAP
inSTITUTD
Primeira Vaga TCC- a aprendizagem e a mudanga de
comportamento, no seu sentido restrito
Comportamento visivel ou aberto (publico) - comportamento motor e comportamento verbal
Teorias da Aprendizagem:
• Aprendizagem por Associagao (modelo Pavlov)
• Aprendizagem pelas contingencias de reforgo (modelo Skinner)
• Aprendizagem Social / Aprendizagem sociocognitiva/ Aprendizagem por imitagao de modelos / reforgo vicariante (modelo
Bandura)
CRIAP
inSTITUTD
Segunda Vaga TCC- a aprendizagem e a mudanga de
comportamento no seu sentido lato
• Comportamento nao visivel ou coberto (privado) - cognigoes, emogoes, respostas fisiologicas
(Modelo Beck; Modelo Ellis)
Segue as mesmas regras :
Teorias da Aprendizagem:
• Aprendizagem por Associagao
• Aprendizagem pelas contingencias de reforgo
• Aprendizagem Social / Aprendizagem socio cognitiva/ Aprendizagem socioemocional/ Aprendizagem por
imitagao de modelos / reforgo vicariante
CRIAP
TerceiraVagaTCC- a aprendizagem e a mudanga de
comportamento relacional
A Aprendizagem relacional e a importancia dos contextos - Modelo Hayes (Hayes, 2005; Harris, 2009)
Teoria dos Enquadramentos Relacionais (RFT em ingles) /
Ciencia Comportamental Contextual (Behavioral Contextual Science)
• As palavras tem conotagoes diferentes para cada um de nos - rede de significados
• As palavras podem assumir conotagoes diferentes em fungao dos contextos
• O pensamento e uma linguagem interiorizada
• A relagao das pessoas com os seus pensamentos e com as suas emogoes, mais do que com o seu
conteudo
• A mudanga tem a ver mais com a fungao que os pensamentos e emogoes tem nas nossas vidas
• Mudar os comportamentos (em sentido lato)?
• Mudar a nossa relagao com eles, em contextos especificos
• Mudar a sua fungao nas nossas vidas?
CRIAP
inSTITUTD
A Terceira vaga TCC nao suprime as anteriores vagas de TCC
- Compreensao da aprendizagem relacional e da flexibilidade
psicoloqica
-A linguagem e um comportamento interno e interpessoal
O pensamento e o nosso “ discurso interior”
- Enquadramento relacional / contextualizagao/ relagao com os
ambientes/
(Terapia da Aceitagao e do Compromisso - ACT - na ACBS -
Association for Contextual Behavioral Science)
As TCC - visam uma "mudanga ativa"
A mudanga e possfvel?
A possibilidade depende de si, dos outros, dos
contextos?
A mudanga e desejavel?
A mudanga e prioritaria?
A melhor mudanga pode ser a mudanga da
nossa relagao com os comportamentos
ou com as situagdes A melhor mudanga
pode ser a da fungao dos pensamentos e
emogoes
CRIAP
inSTITUT
D
Mas implica sempre uma mudanga
O Modelo ACT
Modelo Hexaflex (Hayes, 2005)
Aceitagao
CIsao
Contato com o
momento presente
(Hayes, 2005;)
O que valorize/ o
que e
importante
Agao util, passo a
passo
CRIAP
IflSTITUTD
"Eu como
contexto”
Modelo Hexaflex (Hayes, 2005)
O Modelo ACT
(Hayes, 2005)
CRIAP
inSTITUTD
Contato com o
momento presente
Atengao plena (being “mind full" / Mindfulness)
• Aqui e agora:
• Ancorar
• Atender
• Gerir a atengao, o pensamento e a emogao
Nao nos perdermos, entre o futuro que nao conhecemos, e o passado que nao se muda
( mas pode mudar a nossa relagao com ele, a sua fungao na nossa vida)
(exercfcio: observar e registar todos os objetos verdes a sua volta; todos os sons; “cheiros";
sensagoes corporais)
O Modelo ACT
Modelo Hexaflex (Hayes, 2005)
Aceitagao
CIsao
Contato com o
momento presente
(Hayes, 2005)
O que valorize/ o
que e
importante
Agao util, passo a
passo
CRIAP
IflSTITUTD
"Eu como
contexto”
Modelo Hexaflex (Hayes, 2005)
O Modelo ACT
(Hayes, 2005)
CRIAP
inSTITUTD
O que valorize/ o
que e
importante
• (Os meus valores ) - O que valorizo / o que e importante
• As aspirates pessoais que justificam os meus atos
• Por tras “do que eu quero"...
• “um emprego fantastico": dinheiro; desafio, seguranqa, conforto; tempo livre;
admiraqao dos outros, poder ...
(exercfcio: 3 coisas que que gostava que Ihe dissessem num discurso de homenagem;
Ou 3 coisas que mais valoriza/ “ da valor" ... fazer)
O Modelo ACT
Modelo Hexaflex (Hayes, 2005)
Aceitagao
CIsao
Contato com o
momento presente
(Hayes, 2005)
O que valorize/ o
que e
importante
Agao util, passo a
passo ,
CRIAP
IflSTITUTD
"Eu como
contexto”
Modelo Hexaflex (Hayes, 2005)
O Modelo ACT
(Hayes, 2005)
CRIAP
inSTITUTD
• E util para me aproximar do que valorizo?
• E Importante para me aproximar do que e importante?
• Pequenos passos
• Aqao deliberada, e guiada pelo que se valoriza
• A pergunta:
“ e util para o que eu valorizo?"
(exercfcio: ontem “ 1 dos 3" a que da valor)
Agao util, passo a
passo
O Modelo ACT
Modelo Hexaflex (Hayes, 2005)
Aceitagao
CIsao
Contato com o
momento presente
(Hayes, 2005)
O que valorize/ o
que e
importante
Agao util, passo a
passo
CRIAP
IflSTITUTD
"Eu como
contexto”
O Modelo ACT
(Hayes, 2005)
CRIAP
inSTITUTD
Modelo Hexaflex (Hayes, 2005)
• Eu sou o “ eu" que ja passou por isto / que ja ultrapassou aquilo/ que fracassou naquilo...
• Eu sou o “eu" que permanece (“eu") ao longo da minha vida
• Eu sou o “ eu" que ja teve esta boa experiencia e esta ma experiencia
• Eu sou o “contexto" onde se passam todas as minhas experiencias pessoais.
• Eu sou o sentido de “mim" ao longo de varios contextos, pensamentos, emoqoes, comportamentos)
• (“ o jogo de futebol do ponto de vista dos jogadores, do arbitro, dos adeptos ...do campo")- perspetiva
• Eu sou o lugar onde “as minhas coisas" se passam...
• Eu ... sempre estou, estive, e estarei la...
• O mesmo acontece com “os outros" ( “por-se nos sapatos dos outros"; “ por-se nos seus sapatos")- tomar a sua
perspetiva
(exercfcio: um evento bem sucedido (“ fazer um bolo") - recente e com 16 anos.
O ponto de vista de mim agora, pelos olhos dos 16 anos; O meu ponto de vista agora, face meus 16 anos . O igual e
o
diferente: o mesmo “ EU")
O Modelo ACT
Contato com o
momento presente
Modelo Hexaflex (Hayes, 2005)
(Hayes, 2005)
O que valorize/ o
que e
importante
Agao util, passo a
passo
CRIAP
IflSTITUTD
"Eu como
contexto”
Modelo Hexaflex (Hayes, 2005)
O Modelo ACT
(Hayes, 2005)
CRIAP
inSTITUTD
• Isto nao e a "realidade" em si, e o meu pensamento sobre ela..
• " regras" e " previsoes "pessoais: “ se eu falar, vou gaguejar"
• " fusao" com as ideias, por " etiquetas" : “ sou feio" ; “ sou timido"
• Nao e preciso evitar, mas englobar / incorporar e...
• Se e importante para o que me e importante ... incorporo e avango
• Se nao e importante.. Nao e importante deixar ir. ( cindir/ (“desfundir;
desfusionar", “difundir")
• Incorporar, englobar.. criando uma distancia de observador atento,
de investigador curioso
• exercfcio : “ eu tenho o pensamento que."; “ tonta,..taton"
O Modelo ACT
Modelo Hexaflex (Hayes, 2005)
Aceitagao
CIsao
Contato com o
momento presente
(Hayes, 2005)
O que valorize/ o
que e
importante
Agao util, passo a
passo
CRIAP
IflSTITUTD
"Eu como
contexto”
Modelo Hexaflex (Hayes, 2005)
Aceitagao
(exerci'cio-w alegre e tenso": observar-se,
de fora, com curiosidade, atenqao e
afeto e seguir...)
CRIAP
. „ inSTITUTD
O Modelo ACT
(Hayes, 2005)
A aceitagao e um processo ativo de mudanga
Nao e um ato passivo de resignagao
Observador, curioso e distanciado; investigador curioso e
atento.
"Desespero criativo": nao lutar contra, incorporar e seguir...
Aceita-se o que nao se pode mudar, para seguir em frente,
Em diregao ao que valorizamos Ao que e importante
Valorizagao pessoal/" gostar de si"
Hexaflex (Hayes, 2005)
Aceitagao
Menos- "Evitar o que traz sofrimento
Relagao com os acontecimentos
Observar
Contato com o
momento presente
"Eu como
contexto”
O Modelo ACT
(Hayes, 2005)
CRIAP
inSTITUTQ
Mais -"Aproximar do que e importante"
Cisao
Agao util, passo
a passo
Observar
Agao util e transformadora
CRIAP
inSTITUTD
(AFTCC, 2006)
CRIAP
inSTITUTD
(Mandil, et al, 2017)
Kidflex, Black 2022
CRIAP
inSTITUTD
Black, 2022
Observar
O Modelo ACT
(Hayes, 2005;)
Modelo Hexaflex (Hayes, 2005), adapt Matos,
2020
Deixar de evitar
sempre
Flexibilidade
Psicologica
Aproximar
Aproximar
CRIAP
inSTITUTD
Observar
CRIAP
inSTITUTD
Flexibilidade Psicologica / Curiosidade/ Abertura
✓No momento presente, persistir ou modificar o curso de suas agoes, para se manter perto do que e importante,
(mesmo na presenga ocasional de pensamentos ou emogoes desagradaveis).
✓ Agir de acordo com o que e importante e nao em fungao das experiencias internas ou circunstancias
passageiras ou pouco importantes (sem evitamentos que nos afastem do que e importante)
(Matos, 2020)
CRIAP
inSTITUTQ
Intervengoes baseadas na ACT para criangas e adolescentes
E MESMO
IMPORTANTE?
*>
v'■>
— • - —
V ,
• V;’-
—» v'
 TV •
L . • I/.
Margando Gospar de
Matos
■ fOR '
THERAPISTS.
TEACHERS
4SCH001
COUNSELORS
THE THRIVING
ADOLESCENT
Using Acceptance and Commitment
Therapy aitd Positive Psychology to
Help Teens Manage Emotion .cliicvc
Goals, and Build Connection
Louisf: L. HAYES. PHD lOSt
1*11 ClARKQQII. PHD
FORT WORD AV STEVEN C. HAYES. PHD
ACT
FOR TREATING
CHILDREN
The Essential Guide to Acceptance and
Commitment Therapy for Kids
• Learn to use simple, age-appropriate language
• Discover new activities and exercises
• Develop confidence using ACT
• Teach parents quick and easy strategies
• Help kids regulate emotions and deal with anxiety,
depression, and more
TAMAR D. B L A C K , P H D
Foreword by RUSS HARRIS
CRIAP
inBTITUTD
Intervengoes baseadas na ACT para pais e em condigoes especi'ficas
How to
Pivot Toward
What Matters
Originator of
Acceptance and Commitment Therapy
A
Liberated
Mind
CRIAP
IHSTITUTO
• Focar no que valorizamos, no que e importante, passo a passo!
• Gostar de nos, com curiosidade e afeto, como fomos e somos!
*
Flexibilidade, curiosidade, abertura VS rigidez e sofrimento psicologico
• O nosso pensamento nao tem de ser "a realidade"
• Atengao ao aqui e agora!
Prevengao/Promogao/Psicoeducagao/Psicoterapia
Nao ha "coisas boas"universais...
Ha percursos individuals de observagao, abertura, motivagao, competencia e
flexibilidade •para cada um de nos estar e otimizar "o seu melhor",
•consigo e com os outros,
•reconhecer esse estado como positive), e alinhado com os seus valores/prioridades
•ter tempo e modo para usufruir dele .
CRIAP
inSTITUTD
(epreciso tambem criaroportunidades... e conseguirveras oportunidades)"(Matos, 2020)
CRIAP
IflSTITUTD
Grupo nominal
• ACT:
Flexibilidade Psicologica:
Alinhada com o que
valoriza?
• Barreiras •
Incentivos?
CRIAP
Sofia, 19 anos de idade, frequenta a Licenciatura em DesignGrafico. Foi uma aluna irregular na escolaridade pre-universitaria. Desistiu diversas vezes e foi
mudando diversas vezes de escola quando cursava o ensino pre universitario, alegando que os professores nao tinham nada para ensinar, que eram injustos e
"nao percebiam nada" e muitas vezes nao entregava os trabalhos a tempo porque nao estava satisfeita consigo e acabava pedindo adiamentos ate desistir e
mudar de escola. O computador e o seu refugio, onde se diz sempre "muito ocupada" e com muito trabalho, sendo que acha que a familia e os mais proximos nao
entendem ao certo a natureza desse trabalho. Desde que concluiu o secundario nao se lhe conhece nenhuma atividade social nem academica, embora se refira
sempre "ao seu trabalho", para justificar nunca comparecer em eventos de caracter familiar ou social.Vive em casa dos pais que tambem lhe fornecem
alimentagao e alguma contribuigao financeira que vai solicitando alegando "atraso no pagamento de um trabalho que esta a concluir".
E uma jovem muito calada, considerada com um feitio bizarro, evitando encontros sociais, filha unica e com uma vida familiar sem nada a assinalar de especial.
Nunca se deu muito com os colegas da escola e nao tem amigos. Os pais descrevem-na como com alguma tendencia para arranjar amuos com as pessoas
proximas, nomeadamente ocasionais amigas e namorados com quem mantem sempre alguma distancia e relagoes muito breves.Vai para o computador desde
que se levanta (sempre tarde), ate que se deita (sempre tarde) e cada vez mais foi abandonando as (poucas) saidas com os amigos e passou a nao participar nas
refeigoes familiares, alimentando-se praticamente de pizza e outra "fast-food", deixando a cozinha sempre muito pouco cuidada, quando por la passa.
Os pais relatam ter receio de a ofender ou que saia de casa deixando-os na preocupagao, ate porque na verdade nao tem meios de subsistencia. Tambem a sua
higiene corporal se foi deteriorando, bem como a higiene da roupa sempre com um cheiro caracteristico entre o tabaco e o mofo. Desde adolescente que fuma
muito (um pacote por dia), embora recentemente tenha aderido ao tabaco vaporizado, e e consumidora regular de alcool e ocasional de marijuana.
Os pais descrevem-na na sua adolescencia como uma figura atraente e elegante, mas recentemente ganhou muito peso e exibe alguma obesidade.Traz
regulamente para casa animais abandonados a quem tenta arranjar um dono, para alem dos 3 caes e 1 gato de que se ocupa regulamente. Os pais, preocupados e
sem solugao para ela, ameagaram cortar a internet se caso ela nao aceitasse ir a uma consulta, e ela, como resposta, desapareceu uns dias deixando os pais
aflitos. No entanto, passados tres meses, aceitou ir a consulta.
Na consulta, corrobora a historia e as queixas dos pais. Diz que os pais nao a entendem, e que ela esta a construir uma aplicagao que lhe vai dar muito dinheiro,
mas que os pais "nao percebem nada desse mercado" e nao a valorizam. Inquirida sobre a aplicagao, explica que nao consegue explicar a "leigos".
Acha as pessoas desinteressantes e uma verdadeira "perca de tempo" , sente-se mal em publico, sente-se observada, criticada e comparada com as primas que
tem emprego, familia, amigos. Por um lado sente-se " posta de lado", por outro lado acha os outros "ignorantes e desinteressantes".
Basicamente sente-se muito so e isolada, acha que ninguem a compreende e nao esta a ver um futuro diferente porque nao tem amigos, nem um namorado que
goste dela e dos seus caes e gato. Refere que em adolescente houve um periodo em que se "cortava", nem sabe bem porque, porque se sentia irritada e sem paz,
porque na escola se sentia posta de lado pelos outros alunos.
Os pais na altura levaram-na a um pedopsiquiatra onde ainda vai anualmente, embora sempre contrariada porque "nao adianta nada", que lhe receitou "uns
comprimidos", o que a fez ficar zangada porque nao precisa de comprimidos para nada, e com comprimidos sente-se ainda mais mole.
Gruponominal
•EagoraSofia?
• Analise funcional
• Formulagao do caso
• Estrategia terapeutica
CRIAP
IflSTITUTO
A
CRIAP
inSTITUTD
Sofia
• Numa primeira fase uma estrategia de estabelecimento da relagao terapeutica, escuta
ativa, monitorizagao e ativagao comportamental
• Num segundo tempo um foco no aumento da flexibilidade psicologica, atraves da
definigao de valores/ o que e importante, na agao comprometida, na auto-
observagao, na atengao plena, na aceitagao e na cisao cognitiva.
TPCparaaultimasessao
1) ACT com Criangas e
Adolescentes
2) ACT na Prevengao / em
grupo
3) ACT e Polfticas
Publicas
CRIAP
inSTITUTD
REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS
• Cottraux, J ( 2011) les therapies cognitive- comportementales , Parid : Masson
• Cottraux, J ( 2014) Therapie cognitive et emotions- 3eme vague, Paris Masson
• Harris, R ( 2009) ACT with Love, Oakland, CA, New Harbinger
• Hayes, S (2005) Get out of your mind and into your life , Oakland New Harbinger
• Hayes, L.; Ciarrochi, J (2015) The Thriving adolescent; Oakland: New Harbinger
• Mandol, J.; Quijntere, P.; Maero, F. ( 2017) ACTTerapia de aceptaciony compromiso con adolescentes; AKADIA
• Matos, M. G., Wainwright, T., Gaspar, T., Bianca, B., & Neufeld, C. B. (2019). Prevention and Psychotherapy: Downstream and Upstream Models and Methods. Acta Psychopathologica, 5(2), 2, 1-5. doi:
10.4172/2469-6676.10018
• Matos, M. G. & Ramiro, L. (2018). Challenges for Prevention and Promotion in the 21st Century. Journal of Education, Society and Behavioural Science, 26(2), 1-7.
• Matos, M.G. (2015). Aventura Social: da Investigagao a Intervengao em Grupos com jovens e no espago intergeracional. In C. Neufeld (eds.). Terapia cognitivo-comportamental em grupo para criangas e
adolescentes. Porto Alegre: Artmed. ISBN - 978-85-8271-210-8.
• Matos, M. G., Gaspar, T., Ferreira, M., Tome, G., Camacho, I., Reis, M., Melo, P., Simoes, C., Machado, R., Ramiro, L., & Equipa Aventura Social (2012). Keeping a focus on self-regulation and competence:
"find your own style", A school based program targeting at risk adolescents. Journal of Cognitive and Behavioral Psychotherapies, 12(1), 39-48.
• Matos, M. G., Gaspar, T., Ferreira, M., Tome, G., Camacho, I., Reis, M., Melo, P., Simoes, C., Machado, R., & Ramiro, L. (2011). Programa de promogao de competencias pessoais e sociais, auto-regulagao e
capital social com adolescentes. Revista de Psicologia da crianga e do adolescente/Journal of child and adolescent Psychology, 3,165-187.
• Matos, M. G., & Sampaio, D. (Coord.) (2009). Jovens com saude: dialogos com uma geragao. Lisboa: Texto Editores, Lda.
• Matos, M.G. (2020) E Mesmo Importante? Lisboa: OPP
• Matos, M.G. (2020) Adolescentes, suas vidas , seu Futuro, FFMS
• Matos, M.G. (2022) Adolescentes, LEYA
• Tamar, B (2022) ACT for Treating Children,
CRIAP
inSTITUTD
& margarida.gaspardematos@gmail.com
margaridagasparmatos@medicina.ulisboa
.pt

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a F005_ECTGCA_01_1.pptx

Gerenciamento de enfermagem: tomada de decisão
Gerenciamento de enfermagem: tomada de decisãoGerenciamento de enfermagem: tomada de decisão
Gerenciamento de enfermagem: tomada de decisãoAroldo Gavioli
 
M2.d2.a7.s entrevista motivacional editado
M2.d2.a7.s entrevista motivacional editadoM2.d2.a7.s entrevista motivacional editado
M2.d2.a7.s entrevista motivacional editadoInaiara Bragante
 
Orientação de Carreiras e Dinâmicas
Orientação de Carreiras e DinâmicasOrientação de Carreiras e Dinâmicas
Orientação de Carreiras e DinâmicasSNAGES
 
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria das Idéias
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria das IdéiasResenha - Teoria Comportamental: Teoria das Idéias
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria das Idéiasadmetz01
 
Aprendizagem Ativa. Profº Stewart mennin
Aprendizagem Ativa. Profº Stewart menninAprendizagem Ativa. Profº Stewart mennin
Aprendizagem Ativa. Profº Stewart menninEdson Felix Dos Santos
 
Teoria ou abordagem comportamental na administração
Teoria ou abordagem comportamental na administraçãoTeoria ou abordagem comportamental na administração
Teoria ou abordagem comportamental na administraçãoRafael Butruce
 
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptxMotivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptxwesleysenaigo
 
Mudança do Modelo de Gestão Organizacional
Mudança do Modelo de Gestão OrganizacionalMudança do Modelo de Gestão Organizacional
Mudança do Modelo de Gestão OrganizacionalAdão Ladeira
 
Trabalho Power point
Trabalho Power point Trabalho Power point
Trabalho Power point Helena13dias
 
Design thinking - Aula 1 MFN 2014 UFRJ/FIRJAN - Bizzie
Design thinking - Aula 1 MFN 2014 UFRJ/FIRJAN - BizzieDesign thinking - Aula 1 MFN 2014 UFRJ/FIRJAN - Bizzie
Design thinking - Aula 1 MFN 2014 UFRJ/FIRJAN - BizzieRafaella Cavalca
 
Estilos de aprendizagem2
Estilos de aprendizagem2Estilos de aprendizagem2
Estilos de aprendizagem2Céu Kemp
 
Caderno - Comportamento organizacional
Caderno - Comportamento organizacionalCaderno - Comportamento organizacional
Caderno - Comportamento organizacionalCadernos PPT
 
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAIS
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAISANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAIS
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAISRutileia Feliciano
 
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAIS
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAISANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAIS
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAISRutileia Feliciano
 

Semelhante a F005_ECTGCA_01_1.pptx (20)

Prática de Serviço Social Psicossocial
Prática de Serviço Social PsicossocialPrática de Serviço Social Psicossocial
Prática de Serviço Social Psicossocial
 
Sibi Modelos Mentais
Sibi Modelos MentaisSibi Modelos Mentais
Sibi Modelos Mentais
 
Gerenciamento de enfermagem: tomada de decisão
Gerenciamento de enfermagem: tomada de decisãoGerenciamento de enfermagem: tomada de decisão
Gerenciamento de enfermagem: tomada de decisão
 
Atitudes e persuasão
Atitudes e persuasãoAtitudes e persuasão
Atitudes e persuasão
 
M2.d2.a7.s entrevista motivacional editado
M2.d2.a7.s entrevista motivacional editadoM2.d2.a7.s entrevista motivacional editado
M2.d2.a7.s entrevista motivacional editado
 
Avaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagemAvaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagem
 
Orientação de Carreiras e Dinâmicas
Orientação de Carreiras e DinâmicasOrientação de Carreiras e Dinâmicas
Orientação de Carreiras e Dinâmicas
 
Atitudes
AtitudesAtitudes
Atitudes
 
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria das Idéias
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria das IdéiasResenha - Teoria Comportamental: Teoria das Idéias
Resenha - Teoria Comportamental: Teoria das Idéias
 
Aprendizagem Ativa. Profº Stewart mennin
Aprendizagem Ativa. Profº Stewart menninAprendizagem Ativa. Profº Stewart mennin
Aprendizagem Ativa. Profº Stewart mennin
 
Teoria ou abordagem comportamental na administração
Teoria ou abordagem comportamental na administraçãoTeoria ou abordagem comportamental na administração
Teoria ou abordagem comportamental na administração
 
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptxMotivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
 
Mudança do Modelo de Gestão Organizacional
Mudança do Modelo de Gestão OrganizacionalMudança do Modelo de Gestão Organizacional
Mudança do Modelo de Gestão Organizacional
 
Trabalho Power point
Trabalho Power point Trabalho Power point
Trabalho Power point
 
Desing thinking
Desing thinkingDesing thinking
Desing thinking
 
Design thinking - Aula 1 MFN 2014 UFRJ/FIRJAN - Bizzie
Design thinking - Aula 1 MFN 2014 UFRJ/FIRJAN - BizzieDesign thinking - Aula 1 MFN 2014 UFRJ/FIRJAN - Bizzie
Design thinking - Aula 1 MFN 2014 UFRJ/FIRJAN - Bizzie
 
Estilos de aprendizagem2
Estilos de aprendizagem2Estilos de aprendizagem2
Estilos de aprendizagem2
 
Caderno - Comportamento organizacional
Caderno - Comportamento organizacionalCaderno - Comportamento organizacional
Caderno - Comportamento organizacional
 
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAIS
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAISANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAIS
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAIS
 
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAIS
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAISANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAIS
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAIS
 

Mais de CarlosSpencer3

25 Artigos Sobre Vitaminas e Suplementos - Renildo Freire da Silva.pdf
25 Artigos Sobre Vitaminas e Suplementos - Renildo Freire da Silva.pdf25 Artigos Sobre Vitaminas e Suplementos - Renildo Freire da Silva.pdf
25 Artigos Sobre Vitaminas e Suplementos - Renildo Freire da Silva.pdfCarlosSpencer3
 
aula-cuidadospaliativosesegurancadopaciente-.pptx
aula-cuidadospaliativosesegurancadopaciente-.pptxaula-cuidadospaliativosesegurancadopaciente-.pptx
aula-cuidadospaliativosesegurancadopaciente-.pptxCarlosSpencer3
 
Ética e Deontologia.pptx
Ética e Deontologia.pptxÉtica e Deontologia.pptx
Ética e Deontologia.pptxCarlosSpencer3
 
Ferramentas Essenciais 1.pdf
Ferramentas Essenciais 1.pdfFerramentas Essenciais 1.pdf
Ferramentas Essenciais 1.pdfCarlosSpencer3
 
Apresentação Reunião de Pais.pptx
Apresentação Reunião de Pais.pptxApresentação Reunião de Pais.pptx
Apresentação Reunião de Pais.pptxCarlosSpencer3
 
CSPNSC - Acolhimento trabalhadores _Agosto22.ppt
CSPNSC - Acolhimento trabalhadores _Agosto22.pptCSPNSC - Acolhimento trabalhadores _Agosto22.ppt
CSPNSC - Acolhimento trabalhadores _Agosto22.pptCarlosSpencer3
 
Árvore problemas Carlos Spencer.pptx
Árvore problemas Carlos Spencer.pptxÁrvore problemas Carlos Spencer.pptx
Árvore problemas Carlos Spencer.pptxCarlosSpencer3
 
Árvore objetivos.pptx
Árvore objetivos.pptxÁrvore objetivos.pptx
Árvore objetivos.pptxCarlosSpencer3
 
Trabalho em Equipa e Gestão de relações.pptx
Trabalho em Equipa e Gestão de relações.pptxTrabalho em Equipa e Gestão de relações.pptx
Trabalho em Equipa e Gestão de relações.pptxCarlosSpencer3
 
pp_codigo conduta.pptx
pp_codigo conduta.pptxpp_codigo conduta.pptx
pp_codigo conduta.pptxCarlosSpencer3
 
Codigo Conduta 18-11-2022.pptx
Codigo Conduta 18-11-2022.pptxCodigo Conduta 18-11-2022.pptx
Codigo Conduta 18-11-2022.pptxCarlosSpencer3
 

Mais de CarlosSpencer3 (13)

25 Artigos Sobre Vitaminas e Suplementos - Renildo Freire da Silva.pdf
25 Artigos Sobre Vitaminas e Suplementos - Renildo Freire da Silva.pdf25 Artigos Sobre Vitaminas e Suplementos - Renildo Freire da Silva.pdf
25 Artigos Sobre Vitaminas e Suplementos - Renildo Freire da Silva.pdf
 
aula-cuidadospaliativosesegurancadopaciente-.pptx
aula-cuidadospaliativosesegurancadopaciente-.pptxaula-cuidadospaliativosesegurancadopaciente-.pptx
aula-cuidadospaliativosesegurancadopaciente-.pptx
 
Ética e Deontologia.pptx
Ética e Deontologia.pptxÉtica e Deontologia.pptx
Ética e Deontologia.pptx
 
Caso da Ana.pptx
Caso da Ana.pptxCaso da Ana.pptx
Caso da Ana.pptx
 
Ferramentas Essenciais 1.pdf
Ferramentas Essenciais 1.pdfFerramentas Essenciais 1.pdf
Ferramentas Essenciais 1.pdf
 
Apresentação Reunião de Pais.pptx
Apresentação Reunião de Pais.pptxApresentação Reunião de Pais.pptx
Apresentação Reunião de Pais.pptx
 
CSPNSC - Acolhimento trabalhadores _Agosto22.ppt
CSPNSC - Acolhimento trabalhadores _Agosto22.pptCSPNSC - Acolhimento trabalhadores _Agosto22.ppt
CSPNSC - Acolhimento trabalhadores _Agosto22.ppt
 
Árvore problemas Carlos Spencer.pptx
Árvore problemas Carlos Spencer.pptxÁrvore problemas Carlos Spencer.pptx
Árvore problemas Carlos Spencer.pptx
 
Árvore objetivos.pptx
Árvore objetivos.pptxÁrvore objetivos.pptx
Árvore objetivos.pptx
 
Trabalho em Equipa e Gestão de relações.pptx
Trabalho em Equipa e Gestão de relações.pptxTrabalho em Equipa e Gestão de relações.pptx
Trabalho em Equipa e Gestão de relações.pptx
 
pp_codigo conduta.pptx
pp_codigo conduta.pptxpp_codigo conduta.pptx
pp_codigo conduta.pptx
 
Codigo Conduta 18-11-2022.pptx
Codigo Conduta 18-11-2022.pptxCodigo Conduta 18-11-2022.pptx
Codigo Conduta 18-11-2022.pptx
 
Causas_humanas_8A.ppt
Causas_humanas_8A.pptCausas_humanas_8A.ppt
Causas_humanas_8A.ppt
 

F005_ECTGCA_01_1.pptx

  • 1. CRIAP inSTITUTO ▼ Curso Avangado em Terapias Cognitivo Comportamentais de Terceira Geragao para Criangas e Adolescentes [E-learning] Modulo: Modelos teoricos da ACT Formador: Margarida Gaspar de Matos 1 A T T A Wm
  • 2. CRIAP inSTITUTD A Terceira vaga TCC nao suprime as anteriores - Os principios gerais sao identicos - Apoia-se nos mecanismos da APRENDIZAGEM (o comportamento no sentido lato incorpora movimento, linguagem, pensamentos, emogoes, relagoes, respostas fisiologicas, valores...) 2
  • 3. CRIAP inSTITUTD Primeira Vaga TCC- a aprendizagem e a mudanga de comportamento, no seu sentido restrito Comportamento visivel ou aberto (publico) - comportamento motor e comportamento verbal Teorias da Aprendizagem: • Aprendizagem por Associagao (modelo Pavlov) • Aprendizagem pelas contingencias de reforgo (modelo Skinner) • Aprendizagem Social / Aprendizagem sociocognitiva/ Aprendizagem por imitagao de modelos / reforgo vicariante (modelo Bandura)
  • 4. CRIAP inSTITUTD Segunda Vaga TCC- a aprendizagem e a mudanga de comportamento no seu sentido lato • Comportamento nao visivel ou coberto (privado) - cognigoes, emogoes, respostas fisiologicas (Modelo Beck; Modelo Ellis) Segue as mesmas regras : Teorias da Aprendizagem: • Aprendizagem por Associagao • Aprendizagem pelas contingencias de reforgo • Aprendizagem Social / Aprendizagem socio cognitiva/ Aprendizagem socioemocional/ Aprendizagem por imitagao de modelos / reforgo vicariante
  • 5. CRIAP TerceiraVagaTCC- a aprendizagem e a mudanga de comportamento relacional A Aprendizagem relacional e a importancia dos contextos - Modelo Hayes (Hayes, 2005; Harris, 2009) Teoria dos Enquadramentos Relacionais (RFT em ingles) / Ciencia Comportamental Contextual (Behavioral Contextual Science) • As palavras tem conotagoes diferentes para cada um de nos - rede de significados • As palavras podem assumir conotagoes diferentes em fungao dos contextos • O pensamento e uma linguagem interiorizada • A relagao das pessoas com os seus pensamentos e com as suas emogoes, mais do que com o seu conteudo • A mudanga tem a ver mais com a fungao que os pensamentos e emogoes tem nas nossas vidas • Mudar os comportamentos (em sentido lato)? • Mudar a nossa relagao com eles, em contextos especificos • Mudar a sua fungao nas nossas vidas?
  • 6. CRIAP inSTITUTD A Terceira vaga TCC nao suprime as anteriores vagas de TCC - Compreensao da aprendizagem relacional e da flexibilidade psicoloqica -A linguagem e um comportamento interno e interpessoal O pensamento e o nosso “ discurso interior” - Enquadramento relacional / contextualizagao/ relagao com os ambientes/ (Terapia da Aceitagao e do Compromisso - ACT - na ACBS - Association for Contextual Behavioral Science)
  • 7. As TCC - visam uma "mudanga ativa" A mudanga e possfvel? A possibilidade depende de si, dos outros, dos contextos? A mudanga e desejavel? A mudanga e prioritaria? A melhor mudanga pode ser a mudanga da nossa relagao com os comportamentos ou com as situagdes A melhor mudanga pode ser a da fungao dos pensamentos e emogoes CRIAP inSTITUT D Mas implica sempre uma mudanga
  • 8. O Modelo ACT Modelo Hexaflex (Hayes, 2005) Aceitagao CIsao Contato com o momento presente (Hayes, 2005;) O que valorize/ o que e importante Agao util, passo a passo CRIAP IflSTITUTD "Eu como contexto”
  • 9. Modelo Hexaflex (Hayes, 2005) O Modelo ACT (Hayes, 2005) CRIAP inSTITUTD Contato com o momento presente Atengao plena (being “mind full" / Mindfulness) • Aqui e agora: • Ancorar • Atender • Gerir a atengao, o pensamento e a emogao Nao nos perdermos, entre o futuro que nao conhecemos, e o passado que nao se muda ( mas pode mudar a nossa relagao com ele, a sua fungao na nossa vida) (exercfcio: observar e registar todos os objetos verdes a sua volta; todos os sons; “cheiros"; sensagoes corporais)
  • 10. O Modelo ACT Modelo Hexaflex (Hayes, 2005) Aceitagao CIsao Contato com o momento presente (Hayes, 2005) O que valorize/ o que e importante Agao util, passo a passo CRIAP IflSTITUTD "Eu como contexto”
  • 11. Modelo Hexaflex (Hayes, 2005) O Modelo ACT (Hayes, 2005) CRIAP inSTITUTD O que valorize/ o que e importante • (Os meus valores ) - O que valorizo / o que e importante • As aspirates pessoais que justificam os meus atos • Por tras “do que eu quero"... • “um emprego fantastico": dinheiro; desafio, seguranqa, conforto; tempo livre; admiraqao dos outros, poder ... (exercfcio: 3 coisas que que gostava que Ihe dissessem num discurso de homenagem; Ou 3 coisas que mais valoriza/ “ da valor" ... fazer)
  • 12. O Modelo ACT Modelo Hexaflex (Hayes, 2005) Aceitagao CIsao Contato com o momento presente (Hayes, 2005) O que valorize/ o que e importante Agao util, passo a passo , CRIAP IflSTITUTD "Eu como contexto”
  • 13. Modelo Hexaflex (Hayes, 2005) O Modelo ACT (Hayes, 2005) CRIAP inSTITUTD • E util para me aproximar do que valorizo? • E Importante para me aproximar do que e importante? • Pequenos passos • Aqao deliberada, e guiada pelo que se valoriza • A pergunta: “ e util para o que eu valorizo?" (exercfcio: ontem “ 1 dos 3" a que da valor) Agao util, passo a passo
  • 14. O Modelo ACT Modelo Hexaflex (Hayes, 2005) Aceitagao CIsao Contato com o momento presente (Hayes, 2005) O que valorize/ o que e importante Agao util, passo a passo CRIAP IflSTITUTD "Eu como contexto”
  • 15. O Modelo ACT (Hayes, 2005) CRIAP inSTITUTD Modelo Hexaflex (Hayes, 2005) • Eu sou o “ eu" que ja passou por isto / que ja ultrapassou aquilo/ que fracassou naquilo... • Eu sou o “eu" que permanece (“eu") ao longo da minha vida • Eu sou o “ eu" que ja teve esta boa experiencia e esta ma experiencia • Eu sou o “contexto" onde se passam todas as minhas experiencias pessoais. • Eu sou o sentido de “mim" ao longo de varios contextos, pensamentos, emoqoes, comportamentos) • (“ o jogo de futebol do ponto de vista dos jogadores, do arbitro, dos adeptos ...do campo")- perspetiva • Eu sou o lugar onde “as minhas coisas" se passam... • Eu ... sempre estou, estive, e estarei la... • O mesmo acontece com “os outros" ( “por-se nos sapatos dos outros"; “ por-se nos seus sapatos")- tomar a sua perspetiva (exercfcio: um evento bem sucedido (“ fazer um bolo") - recente e com 16 anos. O ponto de vista de mim agora, pelos olhos dos 16 anos; O meu ponto de vista agora, face meus 16 anos . O igual e o diferente: o mesmo “ EU")
  • 16. O Modelo ACT Contato com o momento presente Modelo Hexaflex (Hayes, 2005) (Hayes, 2005) O que valorize/ o que e importante Agao util, passo a passo CRIAP IflSTITUTD "Eu como contexto”
  • 17. Modelo Hexaflex (Hayes, 2005) O Modelo ACT (Hayes, 2005) CRIAP inSTITUTD • Isto nao e a "realidade" em si, e o meu pensamento sobre ela.. • " regras" e " previsoes "pessoais: “ se eu falar, vou gaguejar" • " fusao" com as ideias, por " etiquetas" : “ sou feio" ; “ sou timido" • Nao e preciso evitar, mas englobar / incorporar e... • Se e importante para o que me e importante ... incorporo e avango • Se nao e importante.. Nao e importante deixar ir. ( cindir/ (“desfundir; desfusionar", “difundir") • Incorporar, englobar.. criando uma distancia de observador atento, de investigador curioso • exercfcio : “ eu tenho o pensamento que."; “ tonta,..taton"
  • 18. O Modelo ACT Modelo Hexaflex (Hayes, 2005) Aceitagao CIsao Contato com o momento presente (Hayes, 2005) O que valorize/ o que e importante Agao util, passo a passo CRIAP IflSTITUTD "Eu como contexto”
  • 19. Modelo Hexaflex (Hayes, 2005) Aceitagao (exerci'cio-w alegre e tenso": observar-se, de fora, com curiosidade, atenqao e afeto e seguir...)
  • 20. CRIAP . „ inSTITUTD O Modelo ACT (Hayes, 2005) A aceitagao e um processo ativo de mudanga Nao e um ato passivo de resignagao Observador, curioso e distanciado; investigador curioso e atento. "Desespero criativo": nao lutar contra, incorporar e seguir... Aceita-se o que nao se pode mudar, para seguir em frente, Em diregao ao que valorizamos Ao que e importante Valorizagao pessoal/" gostar de si"
  • 21. Hexaflex (Hayes, 2005) Aceitagao Menos- "Evitar o que traz sofrimento Relagao com os acontecimentos Observar Contato com o momento presente "Eu como contexto” O Modelo ACT (Hayes, 2005) CRIAP inSTITUTQ Mais -"Aproximar do que e importante" Cisao Agao util, passo a passo Observar Agao util e transformadora
  • 25. Observar O Modelo ACT (Hayes, 2005;) Modelo Hexaflex (Hayes, 2005), adapt Matos, 2020 Deixar de evitar sempre Flexibilidade Psicologica Aproximar Aproximar CRIAP inSTITUTD Observar
  • 26. CRIAP inSTITUTD Flexibilidade Psicologica / Curiosidade/ Abertura ✓No momento presente, persistir ou modificar o curso de suas agoes, para se manter perto do que e importante, (mesmo na presenga ocasional de pensamentos ou emogoes desagradaveis). ✓ Agir de acordo com o que e importante e nao em fungao das experiencias internas ou circunstancias passageiras ou pouco importantes (sem evitamentos que nos afastem do que e importante) (Matos, 2020)
  • 27. CRIAP inSTITUTQ Intervengoes baseadas na ACT para criangas e adolescentes E MESMO IMPORTANTE? *> v'■> — • - — V , • V;’- —» v' TV • L . • I/. Margando Gospar de Matos ■ fOR ' THERAPISTS. TEACHERS 4SCH001 COUNSELORS THE THRIVING ADOLESCENT Using Acceptance and Commitment Therapy aitd Positive Psychology to Help Teens Manage Emotion .cliicvc Goals, and Build Connection Louisf: L. HAYES. PHD lOSt 1*11 ClARKQQII. PHD FORT WORD AV STEVEN C. HAYES. PHD ACT FOR TREATING CHILDREN The Essential Guide to Acceptance and Commitment Therapy for Kids • Learn to use simple, age-appropriate language • Discover new activities and exercises • Develop confidence using ACT • Teach parents quick and easy strategies • Help kids regulate emotions and deal with anxiety, depression, and more TAMAR D. B L A C K , P H D Foreword by RUSS HARRIS
  • 28. CRIAP inBTITUTD Intervengoes baseadas na ACT para pais e em condigoes especi'ficas How to Pivot Toward What Matters Originator of Acceptance and Commitment Therapy A Liberated Mind
  • 29. CRIAP IHSTITUTO • Focar no que valorizamos, no que e importante, passo a passo! • Gostar de nos, com curiosidade e afeto, como fomos e somos! * Flexibilidade, curiosidade, abertura VS rigidez e sofrimento psicologico • O nosso pensamento nao tem de ser "a realidade" • Atengao ao aqui e agora!
  • 30. Prevengao/Promogao/Psicoeducagao/Psicoterapia Nao ha "coisas boas"universais... Ha percursos individuals de observagao, abertura, motivagao, competencia e flexibilidade •para cada um de nos estar e otimizar "o seu melhor", •consigo e com os outros, •reconhecer esse estado como positive), e alinhado com os seus valores/prioridades •ter tempo e modo para usufruir dele . CRIAP inSTITUTD (epreciso tambem criaroportunidades... e conseguirveras oportunidades)"(Matos, 2020)
  • 31. CRIAP IflSTITUTD Grupo nominal • ACT: Flexibilidade Psicologica: Alinhada com o que valoriza? • Barreiras • Incentivos?
  • 32. CRIAP Sofia, 19 anos de idade, frequenta a Licenciatura em DesignGrafico. Foi uma aluna irregular na escolaridade pre-universitaria. Desistiu diversas vezes e foi mudando diversas vezes de escola quando cursava o ensino pre universitario, alegando que os professores nao tinham nada para ensinar, que eram injustos e "nao percebiam nada" e muitas vezes nao entregava os trabalhos a tempo porque nao estava satisfeita consigo e acabava pedindo adiamentos ate desistir e mudar de escola. O computador e o seu refugio, onde se diz sempre "muito ocupada" e com muito trabalho, sendo que acha que a familia e os mais proximos nao entendem ao certo a natureza desse trabalho. Desde que concluiu o secundario nao se lhe conhece nenhuma atividade social nem academica, embora se refira sempre "ao seu trabalho", para justificar nunca comparecer em eventos de caracter familiar ou social.Vive em casa dos pais que tambem lhe fornecem alimentagao e alguma contribuigao financeira que vai solicitando alegando "atraso no pagamento de um trabalho que esta a concluir". E uma jovem muito calada, considerada com um feitio bizarro, evitando encontros sociais, filha unica e com uma vida familiar sem nada a assinalar de especial. Nunca se deu muito com os colegas da escola e nao tem amigos. Os pais descrevem-na como com alguma tendencia para arranjar amuos com as pessoas proximas, nomeadamente ocasionais amigas e namorados com quem mantem sempre alguma distancia e relagoes muito breves.Vai para o computador desde que se levanta (sempre tarde), ate que se deita (sempre tarde) e cada vez mais foi abandonando as (poucas) saidas com os amigos e passou a nao participar nas refeigoes familiares, alimentando-se praticamente de pizza e outra "fast-food", deixando a cozinha sempre muito pouco cuidada, quando por la passa. Os pais relatam ter receio de a ofender ou que saia de casa deixando-os na preocupagao, ate porque na verdade nao tem meios de subsistencia. Tambem a sua higiene corporal se foi deteriorando, bem como a higiene da roupa sempre com um cheiro caracteristico entre o tabaco e o mofo. Desde adolescente que fuma muito (um pacote por dia), embora recentemente tenha aderido ao tabaco vaporizado, e e consumidora regular de alcool e ocasional de marijuana. Os pais descrevem-na na sua adolescencia como uma figura atraente e elegante, mas recentemente ganhou muito peso e exibe alguma obesidade.Traz regulamente para casa animais abandonados a quem tenta arranjar um dono, para alem dos 3 caes e 1 gato de que se ocupa regulamente. Os pais, preocupados e sem solugao para ela, ameagaram cortar a internet se caso ela nao aceitasse ir a uma consulta, e ela, como resposta, desapareceu uns dias deixando os pais aflitos. No entanto, passados tres meses, aceitou ir a consulta. Na consulta, corrobora a historia e as queixas dos pais. Diz que os pais nao a entendem, e que ela esta a construir uma aplicagao que lhe vai dar muito dinheiro, mas que os pais "nao percebem nada desse mercado" e nao a valorizam. Inquirida sobre a aplicagao, explica que nao consegue explicar a "leigos". Acha as pessoas desinteressantes e uma verdadeira "perca de tempo" , sente-se mal em publico, sente-se observada, criticada e comparada com as primas que tem emprego, familia, amigos. Por um lado sente-se " posta de lado", por outro lado acha os outros "ignorantes e desinteressantes". Basicamente sente-se muito so e isolada, acha que ninguem a compreende e nao esta a ver um futuro diferente porque nao tem amigos, nem um namorado que goste dela e dos seus caes e gato. Refere que em adolescente houve um periodo em que se "cortava", nem sabe bem porque, porque se sentia irritada e sem paz, porque na escola se sentia posta de lado pelos outros alunos. Os pais na altura levaram-na a um pedopsiquiatra onde ainda vai anualmente, embora sempre contrariada porque "nao adianta nada", que lhe receitou "uns comprimidos", o que a fez ficar zangada porque nao precisa de comprimidos para nada, e com comprimidos sente-se ainda mais mole.
  • 33. Gruponominal •EagoraSofia? • Analise funcional • Formulagao do caso • Estrategia terapeutica CRIAP IflSTITUTO A
  • 34. CRIAP inSTITUTD Sofia • Numa primeira fase uma estrategia de estabelecimento da relagao terapeutica, escuta ativa, monitorizagao e ativagao comportamental • Num segundo tempo um foco no aumento da flexibilidade psicologica, atraves da definigao de valores/ o que e importante, na agao comprometida, na auto- observagao, na atengao plena, na aceitagao e na cisao cognitiva.
  • 35. TPCparaaultimasessao 1) ACT com Criangas e Adolescentes 2) ACT na Prevengao / em grupo 3) ACT e Polfticas Publicas
  • 36. CRIAP inSTITUTD REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS • Cottraux, J ( 2011) les therapies cognitive- comportementales , Parid : Masson • Cottraux, J ( 2014) Therapie cognitive et emotions- 3eme vague, Paris Masson • Harris, R ( 2009) ACT with Love, Oakland, CA, New Harbinger • Hayes, S (2005) Get out of your mind and into your life , Oakland New Harbinger • Hayes, L.; Ciarrochi, J (2015) The Thriving adolescent; Oakland: New Harbinger • Mandol, J.; Quijntere, P.; Maero, F. ( 2017) ACTTerapia de aceptaciony compromiso con adolescentes; AKADIA • Matos, M. G., Wainwright, T., Gaspar, T., Bianca, B., & Neufeld, C. B. (2019). Prevention and Psychotherapy: Downstream and Upstream Models and Methods. Acta Psychopathologica, 5(2), 2, 1-5. doi: 10.4172/2469-6676.10018 • Matos, M. G. & Ramiro, L. (2018). Challenges for Prevention and Promotion in the 21st Century. Journal of Education, Society and Behavioural Science, 26(2), 1-7. • Matos, M.G. (2015). Aventura Social: da Investigagao a Intervengao em Grupos com jovens e no espago intergeracional. In C. Neufeld (eds.). Terapia cognitivo-comportamental em grupo para criangas e adolescentes. Porto Alegre: Artmed. ISBN - 978-85-8271-210-8. • Matos, M. G., Gaspar, T., Ferreira, M., Tome, G., Camacho, I., Reis, M., Melo, P., Simoes, C., Machado, R., Ramiro, L., & Equipa Aventura Social (2012). Keeping a focus on self-regulation and competence: "find your own style", A school based program targeting at risk adolescents. Journal of Cognitive and Behavioral Psychotherapies, 12(1), 39-48. • Matos, M. G., Gaspar, T., Ferreira, M., Tome, G., Camacho, I., Reis, M., Melo, P., Simoes, C., Machado, R., & Ramiro, L. (2011). Programa de promogao de competencias pessoais e sociais, auto-regulagao e capital social com adolescentes. Revista de Psicologia da crianga e do adolescente/Journal of child and adolescent Psychology, 3,165-187. • Matos, M. G., & Sampaio, D. (Coord.) (2009). Jovens com saude: dialogos com uma geragao. Lisboa: Texto Editores, Lda. • Matos, M.G. (2020) E Mesmo Importante? Lisboa: OPP • Matos, M.G. (2020) Adolescentes, suas vidas , seu Futuro, FFMS • Matos, M.G. (2022) Adolescentes, LEYA • Tamar, B (2022) ACT for Treating Children,