Estrutura, fisiologia e bioquímica da pele
aplicadas à ciência cosmética.
Alexandre Ferreira
Celulite & Estrias
Celulite
• Pouca atenção do meio acadêmico
• Considerado um tópico frívolo
• Dificuldade de compreender a etiologia
– Muit...
Definição
• Distúrbio estético
• Distorção localizada da arquitetura da pele
que é acompanhado pelo aumento da
espessura d...
Prevalência
• Não existe dado epidemiológico disponível
– Dito de 80 a 90%
• Alta prevalência entre mulheres
– Maiores pre...
Sítios Acometidos
• Barriga
• Cintura
• Nádegas
• Coxas
A Hipoderme
Epiderme
Derme
Órgão subjacente
(musculo, osso)
• Frouxo
• Frágil
• Pouca gordura
Mamíferos com pelo
Varia ent...
Estrutura de camadas
Órgão subjacente
(musculo, osso)
Fáscia Profunda
Epiderme + Derme
Panniculus adiposum
• Bem desenvolv...
A Hipoderme
Fáscia Superficial
Tecido conectivo
Define a
forma da pele
Fáscia Profunda
Panniculus adiposum
Ancoragem da pe...
Diversidade da Fáscia
Profunda
Grossa
Não extensiva Extensiva
Frouxa
Algumas Regiões
abdominais
Muito fina/ausente
Osso
Pe...
O Tecido Conectivo
♀♂
≠ Tecido conetivo
9 mês de
gravidez
Andrógenos
Atividade dos
Fibroblastos
Septos fibrosos
Mais espes...
Resposta ao pinçamento
Alterações anatômicas
• Excesso local tecido adiposo subdermal-
subcutâneo
• Alteração da arquitetura da pele
Alterações Gerais
> Lobos Adiposos
< fibras entre lobos adiposos
> Evaginações na derme
Celulite
Derme mais fina
< relação...
Circulação Sanguínea
Padrão Clássico
• Ausência de Anastomoses
Arteriovenosas
• Mais abundante do que na derme
• Parede do...
Circulação Linfática
Sistema linfático não é
extensivamente presente
Desnecessário para
a função normal do
tecido adiposo
...
Fatores de risco
Celulite
Capacidade de distensão
Índice de massa corpórea
Massa corpórea
Rigidez do tecido (-)
Arquitetur...
Influências
Fatores gravitacionais
Alteração de Volume
Ciclo Menstrual
Fatores Ambientais
Hiperinsulemia
Genética
Comporta...
Etiologia Multifuncional
Celulite
Influências Genéticas
Ciclo Menstrual
Atividade hormonal
Inflamação crônica 2aria
Altera...
Características da pele
• Normal
– Melhor qualidade
– Mais firme
– < flacidez
– < capacidade de deformação
• Celulite
– Fl...
Tecido Conjuntivo
• Mais fraco
• Menos denso
Área Acometida
• ↑ Volume aquoso
• ↑ Adipócitos
Índice de
Massa corpórea
Celu...
Tecido Conectivo
Afinamento / diminuição da
densidade da derme
Aumento da interface
derme-Hipoderme
Características de pel...
Tecido Conectivo
Proliferação do tecido
conjuntivo
Adipócitos divididos
em Clusters menores
↑ da Rigidez do Tecido
↑ fibra...
Alterações na Circulação
Esclerotização de válvulas que controlam
fluxo sanguíneo
Alteração do Balanço de
Fluídos
Estase
V...
Edema
Ausência de
drenagem linfática
efetiva
Ação de
Estrógenos
↑ deposição de
mucopolissacárideos
Eliminação
↑ Colágeno /...
Fibrose
Fibrose
Falha na
circulação
periférica
Adipócitos
Falha
metabólica
Degeneração do
tecido adiposo
Inflamação Crônica
HOMÔNIOS
OVARIANOS
Manutenção da
integridade de
fibras colágenas
Armazenamento
de adiposidade
Ciclo Men...
Efeitos Genéticos
Enzima conversora de
Angiotensina
POLIMORFISMO
Desregulação do fluxo
sanguíneo
Facilita hipertrofia do
a...
Efeitos Genéticos
Adipontecina
Bloqueio na melhora
da microcirculação
CELULITE
↓ do mRNA na
região glútea
Supressão da açã...
Efeitos Genéticos
CELULITE
-
Alelo T
Subunidade a do fator 1
induzido por Hipóxia
Angiogênesis ↓ processos fibro-
inflamat...
Efeito da Massa Corpórea
Aumento da
espessura
Menos
afetadas
Amento dos Lóbulos
Mais
afetadas
Alteração da
qualidade de CT
Efeito da Perda de Massa
Maioria Minoria
= espessura da
derme / interface
derme-hipoderme
↑ frouxidão ↑
distensabilidade e...
Tratamentos
• Muitos são aplicados de forma empírica sem
embasamento científico
• Medicação oral ou tópica
– Muito pouco b...
Perspectivas futuras
Exercício físico
↓ vasoconstrição
Prover fluxo sanguíneo
adequado ao Tecido
Adiposo subcutâne
Farmaco...
ESTRIAS
Características
• Cicatriz dermal muito comum
• Tratamento terapêutico desafiador
• Muito a se compreender
– Epidemiologia...
Fatores de Risco
• Gravidez
• Idade da mãe
• Índice de massa
corpórea
• Peso ao nascer
• Idade gestacional
• Ganho de peso...
Prevalência
Grupo
Região
Afetada
Mecanismo de formação
Idade
média (aa)
Prevalência
(%)
Mulher
grávida
adulta
Abdômen
Seio...
Prevalência
Nádegas (89%)
Lombar (28%)
Joelho (25%)
Nádegas (86%)
Panturrilha (30%)
Coxas(46%)
Abdômen (48%)
Seios (25%)
C...
Tipos
Striae Distensae (SD)
• Marcas semelhantes a cicatriz
• atrófica
• Enrugada
• hipopigmentada
(estria atrófica cutâne...
Alterações na Pele
Striaealba
• Atrofia epiderme
• Perda de cristas epiteliais
• Ausência de folículos pilosos
• Redução d...
Células inflamatórias
Edema Dermal
Adesão de linfócitos ao
redor dos vasos
Ausência de mastóticos /
fibroblastos proeminen...
Outros Tipos
Striae Distensae (SD)
(estria atrófica cutânea)
Striae nigrae
Striae CaeruleaStriae Gravidarum
Gravidez
Pele ...
Alteração de Cor
COR
Estado de evolução
Hipopigmentada HiperpigmentadaVermelha
Melanização
Etiologia - Teorias
Striae
Distensae
Desequilíbrio
endócrino
Alongamento
mecânico da pele
Distúrbio estrutural
congênito d...
Alongamento mecânico
• Formação perpendicular da SD
• Teoria polêmica
– Não existe correlação com SD e superfícies
extenso...
Alteração Hormonal
• SD associada a alterações hormonais
• Acredita-se haver relação de hormônios
associados a gravidez
Ação Hormonal
Hormônio
AdrenocorticotróficoCortisol
Fibroblasto
+
Catabolismo
Proteico
Alteração em fibras
elásticas e col...
Características
Celulares/Moleculares
Fibroblasto
↓ Capacidade
proliferativa e migratória
SD
Associado com
Prolapso
↓ Cont...
Alterações
histopatológicas
Alterações
Recentes
Degranulação
Ativação
Mastócito
Macrófago
Elastósis na derme
média
Elastas...
Pele Normal
Colágeno
Elastina
Substância
Amorfa
Derme
PapilarReticular
• Feixes grossos de Fibras
colágenas paralela a pel...
Striae RubraDerme
• Predominância de fibras
elásticas finas + fibras mais
grossas na periferia
• ↓ e reorganização da
elas...
Striae AlbaDerme
• Feixes de colágenos finos
densamente empacotadas
• Arranjo paralelo à
superfície da pele
• Parecido com...
Avaliação
• Não existe método universal
• Pontuação visual ou modalidades
baseadas em imagens tem sido usadas
• Métodos nã...
Tratamentos
• Não existe tratamento eficaz se efeito adverso
• Depende de
– Tipo SD
– Tipo de pele de Fitzpatrick
• Tipos
...
Classificação de
Fitzpatrick
Tipo Cor Características
I
Branca, muito claro, cabelo loiro ou ruivo, olhos azuis,
com sarda...
Agentes de uso tópico
Fibroblasto
Ac. Retinóico
Cremes
Loções
Pomadas
Colágeno
Não mostrou efeito ou
resultados não
confiá...
Tratamentos
químicos/mecânicos
Peeling
Ac. Glcólico
Ac. Tricloroacético
Striae AlbaStriae Rubra
Microdermoabrasão
Óxido de...
Laser Não-ablativo
Laser corante
pulsado - PDL
(585nm)
Fibras elásticas
retomam
aparência normal
YAG dopado com
neodímio –...
Laser Ablativo
Laser CO2 de
pulso curto
• Vaporização Epidermal
• Coagulação da Derme Próxima
Fototermólisis
fracional
Pel...
Luz Intensa
Pulsada (LIP)
Terapia com
Radiação UV
Radiofrequência
(RF)
Luz Visível
(515–1200 nm)
Organiza fibras
colágenas...
KnowWhy treinamentos especializados
Alexandre HP Ferreira, Ph.D.
www.linkedin.com/company/knowwhy
alexhpf@yahoo.com.br
Cam...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Seminário 09: Celulite e Estrias

418 visualizações

Publicada em

A apresentação faz parte do curso: Estrutura, fisiologia e bioquímica da pele aplicadas à ciência cosmética. Ela aborda duas alterações na estrutura da pele de interesse estético, a celulite e as estrias. Essas alterações são descritas na sua constituição tecidual e etiologia. São descritos também procedimentos usados no combate dessas alterações.

Publicada em: Ciências
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
418
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
120
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminário 09: Celulite e Estrias

  1. 1. Estrutura, fisiologia e bioquímica da pele aplicadas à ciência cosmética. Alexandre Ferreira Celulite & Estrias
  2. 2. Celulite • Pouca atenção do meio acadêmico • Considerado um tópico frívolo • Dificuldade de compreender a etiologia – Muitos fatores envolvidos – Ocorrem simultaneamente e sequencialmente • Não existe publicação que tenha descrito precisamente o estado fisiológico da celulite • Fator de risco/fator de proteção doenças cardíacas
  3. 3. Definição • Distúrbio estético • Distorção localizada da arquitetura da pele que é acompanhado pelo aumento da espessura do tecido adiposo subcutâneo
  4. 4. Prevalência • Não existe dado epidemiológico disponível – Dito de 80 a 90% • Alta prevalência entre mulheres – Maiores preocupações de mulheres para tratamentos cosméticos • Sem dados mostrando diferenças raciais – Raças asiáticas menos acometidas comparado com Caucasoide
  5. 5. Sítios Acometidos • Barriga • Cintura • Nádegas • Coxas
  6. 6. A Hipoderme Epiderme Derme Órgão subjacente (musculo, osso) • Frouxo • Frágil • Pouca gordura Mamíferos com pelo Varia entre espécies Mamíferos sem Pelo • Rico em gordura • Presença de bandas fibrosas • Adesão a fáscia profunda Hipoderme Tecido Conjuntivo Frouxo Homem; Porco; Cetáceos
  7. 7. Estrutura de camadas Órgão subjacente (musculo, osso) Fáscia Profunda Epiderme + Derme Panniculus adiposum • Bem desenvolvido no ser humano • Passagem de: – Nervos – Vasos Sanguíneos/Linfáticos • Gordura subcutânea • Tecido subcutâneo
  8. 8. A Hipoderme Fáscia Superficial Tecido conectivo Define a forma da pele Fáscia Profunda Panniculus adiposum Ancoragem da pele Confere estrutura ao tecido
  9. 9. Diversidade da Fáscia Profunda Grossa Não extensiva Extensiva Frouxa Algumas Regiões abdominais Muito fina/ausente Osso Periósteo Músculo Fáscia Profunda
  10. 10. O Tecido Conectivo ♀♂ ≠ Tecido conetivo 9 mês de gravidez Andrógenos Atividade dos Fibroblastos Septos fibrosos Mais espesso ♂ Deficiência em Andrógenos Tecido Adiposo mais fino
  11. 11. Resposta ao pinçamento
  12. 12. Alterações anatômicas • Excesso local tecido adiposo subdermal- subcutâneo • Alteração da arquitetura da pele
  13. 13. Alterações Gerais > Lobos Adiposos < fibras entre lobos adiposos > Evaginações na derme Celulite Derme mais fina < relação CT/tecido adiposo na junção dermo-hipodérmica
  14. 14. Circulação Sanguínea Padrão Clássico • Ausência de Anastomoses Arteriovenosas • Mais abundante do que na derme • Parede dos vasos mais finas • Interação próxima com adipócitos com mínima substância intersticial • Baixa presença de mastócitos/fibroblastos • Mais glicosaminoglicanas fibras colágenas e elastina VênulasArteríolas Artérias Veias Capilares Favorecer troca de substâncias
  15. 15. Circulação Linfática Sistema linfático não é extensivamente presente Desnecessário para a função normal do tecido adiposo normal Importante em edemas ricos em macromoléculas VálvulasSistemas Linfático Linfoedema Processo Fibroesclerótico
  16. 16. Fatores de risco Celulite Capacidade de distensão Índice de massa corpórea Massa corpórea Rigidez do tecido (-) Arquitetura da interface entre derme-hipoderme % de gordura do segmento corpóreo Diâmetro da Coxa
  17. 17. Influências Fatores gravitacionais Alteração de Volume Ciclo Menstrual Fatores Ambientais Hiperinsulemia Genética Comportamento Fatores Metabólicas Produção de gordura Celulite Envelhecimento Gavidez Alterações Hormonais
  18. 18. Etiologia Multifuncional Celulite Influências Genéticas Ciclo Menstrual Atividade hormonal Inflamação crônica 2aria Alterações vasculares Edema da região intercelular da hipoderme Diferenças na estrutura do tecido subcutâneo entre os gêneros e alterações no tecido conectivo
  19. 19. Características da pele • Normal – Melhor qualidade – Mais firme – < flacidez – < capacidade de deformação • Celulite – Flacidez e fraqueza da derme e Tecido conjuntivo – Até superfície da fáscia profunda – > pressão intersticial + envelhecimento Disrupção do Tecido conjuntivo Facilitação da formação de hérnia do tecido gorduroso na derme
  20. 20. Tecido Conjuntivo • Mais fraco • Menos denso Área Acometida • ↑ Volume aquoso • ↑ Adipócitos Índice de Massa corpórea Celulite Causado por envelhecimento prematuro Regressão Melhora mas não resolve Não varia com perda de massa Padrão Permanente ↑ mitose Diminuição das fibras colágenas 70% (20aa) – 40% (60aa)
  21. 21. Tecido Conectivo Afinamento / diminuição da densidade da derme Aumento da interface derme-Hipoderme Características de pele envelhecida Envelhecimento Prematuro ↑ a-actina miofibroblastos ↓ da Elasticidade extensibilidade da pele Orientação vertical Orientação Horizontal Striae
  22. 22. Tecido Conectivo Proliferação do tecido conjuntivo Adipócitos divididos em Clusters menores ↑ da Rigidez do Tecido ↑ fibras elásticas / colágenas
  23. 23. Alterações na Circulação Esclerotização de válvulas que controlam fluxo sanguíneo Alteração do Balanço de Fluídos Estase Venosa ↑ permeabilidade dos vasos ao plasma Sistema Linfático dissociado • Facilita • Acelera • Piora não dispara Não há dilatação de vasos linfáticos Afetado por desbalanço hídrico Aumento da permeabilidade Fator desconhecido Compressão ↑ adipócito Congestão Degeneração Vacuolar células endoteliais
  24. 24. Edema Ausência de drenagem linfática efetiva Ação de Estrógenos ↑ deposição de mucopolissacárideos Eliminação ↑ Colágeno / Elastina / Glicosaminoglicanas ↑ deposição CT + Dificulta eliminação Fibrose Grânulos fibrosos ↑ miofibroblastos Alteração na forma e desenho geral das fibras elásticas Empobrecimento do desenvolvimento de vasos sanguíneos no subcutâneo + Fibroblasto EDEMA
  25. 25. Fibrose Fibrose Falha na circulação periférica Adipócitos Falha metabólica Degeneração do tecido adiposo
  26. 26. Inflamação Crônica HOMÔNIOS OVARIANOS Manutenção da integridade de fibras colágenas Armazenamento de adiposidade Ciclo Menstrual Resposta 2aria Degradação da malha de colágeno Protrusão da Hipoderme Descamação do endométrio Ação estende à derme ↑ colagenases / gelatinase Infiltração de leucócitos polimorfonucleados (Eosinófilo; Basófilo; Neutrófilo) ↑ colagenases Produção de GAGs Retenção de Água Destruição contínua de colágeno Enfraquecimento da derme papilar e reticular Extrusão do conteúdo adiposo Inflamação Crônica
  27. 27. Efeitos Genéticos Enzima conversora de Angiotensina POLIMORFISMO Desregulação do fluxo sanguíneo Facilita hipertrofia do adipócito ↑ deposição de matriz extracelular Cigarro + Celulite formação de malha complexa no CT ↑ angiotensina II
  28. 28. Efeitos Genéticos Adipontecina Bloqueio na melhora da microcirculação CELULITE ↓ do mRNA na região glútea Supressão da ação anti-inflamatória local Hormônio Proteico Secretado por adipócitos Regulação de processos metabólicos regulação glicemia e o catabolismo de ácidos graxos
  29. 29. Efeitos Genéticos CELULITE - Alelo T Subunidade a do fator 1 induzido por Hipóxia Angiogênesis ↓ processos fibro- inflamatórios ↑ HIF1A Mutado (raro)
  30. 30. Efeito da Massa Corpórea Aumento da espessura Menos afetadas Amento dos Lóbulos Mais afetadas Alteração da qualidade de CT
  31. 31. Efeito da Perda de Massa Maioria Minoria = espessura da derme / interface derme-hipoderme ↑ frouxidão ↑ distensabilidade e deformação elástica ↓ densidade dermal e rigidez da pele Reduz a severidade da celulite Aumenta severidade da celulite
  32. 32. Tratamentos • Muitos são aplicados de forma empírica sem embasamento científico • Medicação oral ou tópica – Muito pouco benefícios • Laser, Ultrassom, Radiofrequência – Falham em trazer efeitos significativos • Terapia Laser baseado em diodo verde de baixa energia – Mostrou eficácia (não mostrado longa duração)
  33. 33. Perspectivas futuras Exercício físico ↓ vasoconstrição Prover fluxo sanguíneo adequado ao Tecido Adiposo subcutâne Farmacológica Inibição de Enzima Conversora de Angiotensina Bloqueio do receptor de angiotensina II tipo 1 ↑ Fluxo sanguíneo ↑ TGF-b↓ Fibrose Inibição da proteína HIF1A Frações ricas em polifenóis de fontes naturais ↓ ½ vida
  34. 34. ESTRIAS
  35. 35. Características • Cicatriz dermal muito comum • Tratamento terapêutico desafiador • Muito a se compreender – Epidemiologia, diagnóstico e tratamento
  36. 36. Fatores de Risco • Gravidez • Idade da mãe • Índice de massa corpórea • Peso ao nascer • Idade gestacional • Ganho de peso durante gestação • Polihidrâmnio • Adolescência • Obesidade na infância • Índice de massa corpórea • Histórico Familiar • Condição clínica • Algumas Intervenções cirúrgica • Medicação
  37. 37. Prevalência Grupo Região Afetada Mecanismo de formação Idade média (aa) Prevalência (%) Mulher grávida adulta Abdômen Seios Coxas • Extensão devido a crescimento abdominal • Hiperatividade adrenal cortical 23-27 43-88 Mulher adulta Seios Coxas • Pós-parto 29 35 Mulher adolescente Seios Coxas Nádegas • Alongamento da pele durante crescimento • Hiper-reatividade Adrenocortical 13-14 72-77 Homem Adolescente Nádegas Coxas Panturrilha Costas • Alongamento da pele durante crescimento • Hiper-reatividade Adrenocortical 14 6-86 Homem Adulto Nádegas • Perda/ganho rápido de massa corpórea • Exercício muscular ND 11
  38. 38. Prevalência Nádegas (89%) Lombar (28%) Joelho (25%) Nádegas (86%) Panturrilha (30%) Coxas(46%) Abdômen (48%) Seios (25%) Coxas(25%) ♂ ♀ Adolescente Adolescente Grávida
  39. 39. Tipos Striae Distensae (SD) • Marcas semelhantes a cicatriz • atrófica • Enrugada • hipopigmentada (estria atrófica cutânea) • Lesões violáceas e eritematosas Ligadas evolutivamente Striae Rubra Striae alba Distintos Implicações terapêuticas
  40. 40. Alterações na Pele Striaealba • Atrofia epiderme • Perda de cristas epiteliais • Ausência de folículos pilosos • Redução de melanócitos • Edema entre melanócitos / queratinócitos • ↑ melanogênesis Striaerubra • Ectasia Vascular • Possível Angiogênesis • Sem alterações vasculares Epiderme Papilar Derme Reticular • Alteração de fibras colágenas • ↓ Fibras elásticas • Reorganizadas = delgadas com fibras periféricas grossas e tortuosas • ↓ microfibrilas de fibrilina na junção demal-epidermal • Colágeno densamente empacotado paralelo à superfície de pele • Fibras elásticas grossas com aparências normal na periferia
  41. 41. Células inflamatórias Edema Dermal Adesão de linfócitos ao redor dos vasos Ausência de mastóticos / fibroblastos proeminentes Predominância de mastócitos entre as fibras colágenas Striae albaStriae rubra ↑ Aumento conteúdo de Glicosaminoglicanas
  42. 42. Outros Tipos Striae Distensae (SD) (estria atrófica cutânea) Striae nigrae Striae CaeruleaStriae Gravidarum Gravidez Pele escura • ↑ da melanização da pele
  43. 43. Alteração de Cor COR Estado de evolução Hipopigmentada HiperpigmentadaVermelha Melanização
  44. 44. Etiologia - Teorias Striae Distensae Desequilíbrio endócrino Alongamento mecânico da pele Distúrbio estrutural congênito da pele (fibras colágenas e elásticas)
  45. 45. Alongamento mecânico • Formação perpendicular da SD • Teoria polêmica – Não existe correlação com SD e superfícies extensoras das juntas
  46. 46. Alteração Hormonal • SD associada a alterações hormonais • Acredita-se haver relação de hormônios associados a gravidez
  47. 47. Ação Hormonal Hormônio AdrenocorticotróficoCortisol Fibroblasto + Catabolismo Proteico Alteração em fibras elásticas e colágenas Pele ↑ Receptores de Andrógenos e Estrógenos Gravidez SD ↑ excreção urinária Corticosteróide (17-cetosteroide) ↑ risco de danos estruturais a fibras elásticas ↓ Pele menos flexível ↓ nível sérico de Relaxina
  48. 48. Características Celulares/Moleculares Fibroblasto ↓ Capacidade proliferativa e migratória SD Associado com Prolapso ↓ Conteúdo de Colágeno ↓ Expressão Pró-colágeno / Fibronectina
  49. 49. Alterações histopatológicas Alterações Recentes Degranulação Ativação Mastócito Macrófago Elastósis na derme média Elastase Enzimas Processo Inflamatório Importante para Iniciação de SD Reorganização ↓ Fibrilina Alteração no conteúdo • Colágeno • Elastina • Fibrilina
  50. 50. Pele Normal Colágeno Elastina Substância Amorfa Derme PapilarReticular • Feixes grossos de Fibras colágenas paralela a pele • Fibras elásticas grosseiras • Fibras colágenas finas randomicamente distribuídas • Fibras elásticas finas
  51. 51. Striae RubraDerme • Predominância de fibras elásticas finas + fibras mais grossas na periferia • ↓ e reorganização da elastina e fibras de fibrilina • Alteração estrutural no colágeno
  52. 52. Striae AlbaDerme • Feixes de colágenos finos densamente empacotadas • Arranjo paralelo à superfície da pele • Parecido com cicatriz • Atrofia • Perda de cristas epidermais Epiderme
  53. 53. Avaliação • Não existe método universal • Pontuação visual ou modalidades baseadas em imagens tem sido usadas • Métodos não validos • Alternativas para a medição objetiva – Avaliação de Topografia da pele – Uso de equipamentos de imagem • Câmeras 3D; microscopia confocal de reflectante, colorimetria de epifluorescência.
  54. 54. Tratamentos • Não existe tratamento eficaz se efeito adverso • Depende de – Tipo SD – Tipo de pele de Fitzpatrick • Tipos – Agentes de ação tópica – Técnicas químicas/mecânicas de desbridamento – Técnicas a laser não ablativas
  55. 55. Classificação de Fitzpatrick Tipo Cor Características I Branca, muito claro, cabelo loiro ou ruivo, olhos azuis, com sardas Sempre queima, nunca bronzeia II Branco, claro, cabelo ruivo ou loiro, olhos claros Normalmente queima, bronzeia com dificuldade III Branco bege, claro com qualquer tipo de cor de cabelo ou olhos (mais comum) Algumas vezes com queimadura leve, bronzeia gradualmente IV Marrom, pele caucasoide típica do mediterrâneo Raramente queima, bronzeia facilmente V Marrom escuro, tipos de pele do oriente médio Muito raramente queimam, bronzeia facilmente VI Negro Nunca queima, bronzeia muito falcilmente
  56. 56. Agentes de uso tópico Fibroblasto Ac. Retinóico Cremes Loções Pomadas Colágeno Não mostrou efeito ou resultados não confiáveis Striae Rubra Eficácia máxima Striae Alba Pouco efeito Preventivo (Striae Gravidarum)
  57. 57. Tratamentos químicos/mecânicos Peeling Ac. Glcólico Ac. Tricloroacético Striae AlbaStriae Rubra Microdermoabrasão Óxido de Alumínio ↑ Colágeno Tipo 1 Eficaz ↓ largura do Sulco ↓ Hemoglobina ↓ largura do Sulco ↑ Melanina Deficiências no desenho experimental
  58. 58. Laser Não-ablativo Laser corante pulsado - PDL (585nm) Fibras elásticas retomam aparência normal YAG dopado com neodímio – Nd-YAG (1064-nm) laser de excímero de cloreto de xenônio - XeCl (308 nm) lasers de brometo de cobre (578 nm) • Atinge vasos dilatados • ↑ colágeno Ação Vascular Melhoria do estado da pele ↑ Pigmentação 6 meses
  59. 59. Laser Ablativo Laser CO2 de pulso curto • Vaporização Epidermal • Coagulação da Derme Próxima Fototermólisis fracional Pele Escura Apresenta risco de hiperpigmentação • Zonas Microtermais • Necrose epidermal • Síntese de colágeno
  60. 60. Luz Intensa Pulsada (LIP) Terapia com Radiação UV Radiofrequência (RF) Luz Visível (515–1200 nm) Organiza fibras colágenas Outras Técnicas Induz Expressão do mRNA de colágeno tipo 1 ↑ colágeno tipo 1 Indução percutânea de colágeno Terapia com agulhas Não existem procedimentos cirúrgicos
  61. 61. KnowWhy treinamentos especializados Alexandre HP Ferreira, Ph.D. www.linkedin.com/company/knowwhy alexhpf@yahoo.com.br Campinas - SP www.facebook.com/KnowWhy.br twitter.com/knowwhy_br br.linkedin.com/in/alexandrehpferreira/

×