Seminário 01 Parte II: Noções básicas sobre estrutura, bioquímica e fisiologia da pele

576 visualizações

Publicada em

A apresentação faz parte do curso: Estrutura, fisiologia e bioquímica da pele aplicada à ciência cosmética. Esta é a segunda parte da apresentação que tem como objetivo apresentar os aspectos anatômicos, fisiológicos e bioquímicos importantes para o desenvolvimento de produtos de uso tópico sejam eles: cosméticos, dermo-cosméticos ou fármacos.

Publicada em: Ciências
  • Seja o primeiro a comentar

Seminário 01 Parte II: Noções básicas sobre estrutura, bioquímica e fisiologia da pele

  1. 1. Estrutura, fisiologia da pele aplicada à ciência cosmética. Noções básicas sobre estrutura, bioquímica e fisiologia da Pele - Parte II - Alexandre Ferreira
  2. 2. Vitamina D • Funções – Absorção de Ca2+, Fe2+, Mg2+, Zn2+ pelo intestino – Regulação de Ca2+ e P sangue e manutenção do conteúdo do osso – Função neuromuslcular – Imunológica – Diferenciação da Epiderme • Deficiência – Criança: raquitismo – Adulto: osteomalácia
  3. 3. Vitamina D - Dose • Vitamina não essencial • Fontes: – Óleos de Peixe – Óleo de fígado de Bacalhau – Cogumelos (Vitamina D2) • Dose Idade Dose Recomendada Dose Máxima 0 a 12 meses 10 µg/dia 25 µg/dia 1 a 3 anos 15 µg/dia 50 µg/dia 4 a 8 anos 75 µg/dia 9 a 70 anos 100 µg/dia > 71 anos 20 µg/dia Toxicidade > 1.000 µg/dia
  4. 4. Síntese Vitamina D 7-Dehidrocolesterol (via da síntese do colesterol) (270 – 300 nm) (ótimo 295 a 297 nm) UVB Pré-Vitamina D Síntese Spinosum Basale FPS 15 ↓ em 98 %
  5. 5. Síntese Vitamina D Pré-Vitamina D Vitamina D3 Processo Natural - Lento • 0° = não há • 37° = 12 dias UVB - Lumisterol ↑ - Taquisterol (até um nível)
  6. 6. Dose de UVB • Não há indicação de tempo de exposição – Risco de Câncer por UVB • Corpo Inteiro X 30 min – 250 a 500 µg • Depois de um tempo estabiliza
  7. 7. Síntese Vitamina D Vitamina D3 Calcidiol -Absorção Ca2+, Fe2+, Mg2+, Zn2+ -Reabsorção do osso (↑ osteoclastos) Calcitriol Ação Hormonal -receptor nuclear ATIVA
  8. 8. Papel Imunológico • Epiderme é um tecido imunológico • Células de Langerhans – Célula dendrítica – Apresentadora de antígenos – Origem mesenquimal – medula óssea • Migração lenta entre tecidos • Multiplicação limitada • Papel – dermatite alérgica de contato – Imunossupressão por UV
  9. 9. Anexos epidérmicos • Glândulas – Sebácea – Sudorípara • Apócrina • Merócrina • Pelo • Unhas
  10. 10. Tipo de Secreção Holocrina Merócrina ou Écrina Apócrina
  11. 11. Glândula Sebácea
  12. 12. Glândula Sudorípara Sudorípara Apócrina Sudorípara Merócrina/Écrina Pelo Poro
  13. 13. Sudorípara Merócrina • Encontrada por todo o corpo • Termo regulação • Secreção estéril de eletrólitos – Maior parte • Água, NaCl, Bicarbonato, K+ – Menor Parte • glicose, piruvato, lactato, citocinas, imunoglobulinas, peptídeos antimicrobianos, outros.
  14. 14. Sudorípara Apócrina • Axilas, auréola mamária, nariz, pálpebra, genitália externa, região perineal • Secreção oleosa opaca – Proteínas, lipídeos, esteroides
  15. 15. Junção Dermo-Epidermal
  16. 16. Junção Dermo-Epidermal
  17. 17. A Derme Células Matriz Extracelular Vasos Sangüíneos
  18. 18. Funções da Derme • Dar sustentação e nutrição à epiderme • Elasticidade e tônus da pele • Ação imunológica • Sensorial
  19. 19. Componentes da Derme • Matriz extracelular – Fibras • 80% - COLÁGENO (I, III, IV e VII) • 2-4% - ELASTINA – Substância amorfa • 0,1-0,3% - glicosaminoglicanas/proteoglicanas • Células – Residentes • FIBROBLASTOS, adipócitos, mastócitos, macrófagos – Imigrantes • linfócitos, monócitos e neutrófilos
  20. 20. Vascularização Papilar Reticular Subcutâneo
  21. 21. O Fibroblasto
  22. 22. A Matriz Extracelular
  23. 23. Componentes da Matriz Extracelular Componente Tipos Papel funcional Colágeno Colágeno I Suportar forças de compressão Colágeno III Suportar forças de tensão Colágeno IV Maior componente estrutural da membrana basal Colágeno VII Componente estrutural das fibrilas de ancoramento Elastina Elastina Resistência e elasticidade Componentes Microfibrilares Sustentação para a formação das fibras elásticas Fibrilina Estabilização da estrutura microfibrilar
  24. 24. Componente Tipos Papel funcional Substância Amorfa Glicosamioglicanas/ Proteoglicanas Manutenção de água e balanço iônico; regulação do crescimento; migração e adesão celular Outras Laminina Componente da membrana basal; adesão celular e diferenciação. Nidigen Adesão celular Fibronectina Superfície celular; adesão das células à matriz extracelular Componentes da Matriz Extracelular
  25. 25. Número Enzima Substratos MMP-1 Colagenase de Matriz (Colagenase de Fibroblasto) Colágeno I, II, III. VII, X MMP-2 Gelatinase A (PM 72K) Gelatinas, Colágeno I, IV, VII, fibronectina, Laminina, Elastina MMP-3 Stromelisina 1 Agrecan, Gelatina, Fibronectina, Laminina, Colágeno III, IV MMP-8 Colagenase de Neutrófilo Colágeno I, II, III, Agrecan MMP-9 Gelatinase B (PM 92K) Gelatinas, Colágeno IV, V, Agrecan, Elastina MMP-11 Stromelyisina 3 Fibronectina MMP-12 Metaloelastase (Macrófago) Elastina Metaloproteinases de Matriz (MMPs)
  26. 26. Inibidores Tecido-específico de MMPs (TIMPs) Número Enzimas Inibidas TIMP-1 MMP-1 ; MMP-9 TIMP-2 MMP-2 ; MMP-8 TIMP-3 MMP-2 ; MMP-3 ; MMP-9
  27. 27. Formação das Fibras de Colágeno
  28. 28. Organização do Colágeno
  29. 29. Organização da Elastina
  30. 30. Degradação da MEC FIBRAS DE ELASTINA MMP 2 MPM 9 ELASTASE MPM 1 MPM 8 MPM 2 MPM 3 MPM 9 FIBRAS DE COLÁGENO GELATINA PEPTÍDEOS PEPTÍDEOS TIMP-1 TIMP-2 TIMP-3
  31. 31. Proteoglicanas • Combinação de proteínas + polímeros de carboidratos
  32. 32. Proteoglicanas
  33. 33. TIMPs Colágeno Elastina MEC Balanço da MEC MMPs Elastase • Síntese – cicatrização • Degradação – processos inflamatórios – envelhecimento– quelóide
  34. 34. Sistema Nervoso da pele • Proteger o organismo das mudanças constantes no ambiente • Nervos sensoriais aferentes – Percepção de tato, temperatura, dor, coceira – Sistema Nervoso Central / disparar respostas imunológicas • Nervos autônomos eferentes – Homeostase cutânea: funções vasomotoras, pilomotoras + secreção de glândulas
  35. 35. Ação sensorial • Sensorial da pele percebido por receptores – terminações nervosas (TN) • Vários tipos de de TN – TN livres – TN Corpusculares • Associação dos tipos de receptores com funções sensoriais específicas - ESPECULATIVO
  36. 36. Tipos de TN na pele Terminações Nervosas Livres Corpúsculo de Ruffini Plexo da Raiz do Pelo Corpúsculo de Pacini Corpúsculo de Meissner Disco Tátil Célula de Merkel
  37. 37. TN Livres
  38. 38. TN Livres • Maioria dos receptores sensoriais • Localização: epiderme, derme Papilar, envolta de anexos • Tato, temperatura, dor, coceira • Interação com células de Langerhans / função imunológica
  39. 39. Disco tátil / Célula de Merkel
  40. 40. Disco tátil / Célula de Merkel • Pequena quantidade de células livres • Maioria faz contato com TN livres – Disco Tátil • Se encontram associado ao fio de cabelo e glândula sudorípara • Função: Controversa – Tato – Sensação espacial fina – Regulação de processos inflamatório
  41. 41. Corpúsculo de Pacini
  42. 42. Corpúsculo de Pacini • Capsula fibrosa contendo uma TN no seu interior • Amplifica / limita a intensidade do estimulo sensorial • Entre derme e hipoderme / ↑ sola dos pés e palma das mãos • Função: – Evidências de transmissão mecânica – Possível regulação de fluxo sanguíneo
  43. 43. Corpúsculo de Meissner
  44. 44. Corpúsculo de Meissner • Presente abaixo de junção dermo-epidérmica / Papila dérmica • ↑ sola dos pés e palma das mãos • Função: – Mecanoreceptores de resposta rápida – Percepção de toques leves
  45. 45. Plexo da Raiz do Pelo
  46. 46. Plexo da Raiz do Pelo • Fibras nervosas associadas a raiz do pelo • Mecano-receptores que respondem com o movimento do pelo.
  47. 47. Corpúsculo de Ruffini
  48. 48. Corpúsculo de Ruffini • Aparece na porção mais profunda da Derme • Respondem a estímulos de pressão contínua e de alongamento da pele
  49. 49. Pele é fonte de CTs Epidermal Stem Cells (EpiSC) Keratinocyte Stem Cells (KSCs) Skin Precursor Cells (SKPs) Bone Marrow–Derived Cells (BMDCs) Processed Lipoaspirate (PLA) cells
  50. 50. EpiSC Epiderme Células Tronco Epidermais Interfoliculares
  51. 51. KSCs
  52. 52. BMDCs • Contribuem em para apenas 0,0001% dos queratinócitos após lesão • Não são encontrados na epiderme • Contribue com ~20% fibroblastos da Derme • Aumenta em queimados
  53. 53. CTs da pele • Alta capacidade de diferenciação – Células mesenquimais, neurônios, músculo liso • Dinâmica no tecido ainda para ser desvendada • Relação com envelhecimento??? • Estresse oxidativo elimina nichos • Possível caminho futuro para combater sinais de envelhecimento. • Uso de culturas de células tronco como modelo de estudo e testes de eficácia
  54. 54. KnowWhy treinamentos especializados Alexandre HP Ferreira, Ph.D. www.linkedin.com/company/knowwhy alexhpf@yahoo.com.br Campinas - SP www.facebook.com/KnowWhy.br twitter.com/knowwhy_br br.linkedin.com/in/alexandrehpferreira/

×