Caquexia

2.260 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
2 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.260
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
2
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Caquexia

  1. 1. Caquexia Definição, Diagnóstico, Fisiopatologia e Tratamento ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CUIDADOS PALIATIVOS Consenso Brasileiro de Caquexia/Anorexia em Cuidados Paliativos Revista Brasileira de Cuidados Paliativos 2011, 3 (3) – Suplemento 1 Mariana Eid e Mayara Moreira Rogerio Carvalho Residente de Nutrição em Envelhecimento – UNIFESP/EPM
  2. 2. Caquexia – Definição e Estágios • Origem: do grego  “kakos” má e “hexis” condição • Atinge pacientes oncológicos, com falência cardíaca congestiva, moléstias digestivasa, defeitos tubulares renais, queimaduras, sepsis e AIDS. • Constitui causa direta da mortalidade em até 40% dos pacientes, mas é uma síndrome raramente identificada ou diagnosticada, e ainda com menor frequência, tratada – em função da ausência de definição apropriada. Revista Brasileira de Cuidados Paliativos 2011, 3 (3) – Suplemento 1
  3. 3. Caquexia – Definição e Estágios
  4. 4. Caquexia – Definição e Estágios
  5. 5. Caquexia – Fisiopatologia • Síndrome com múltiplas características, de etiologia complexa e diretamente relacionada ao prognóstico adverso e à redução da sobrevida; • Pacientes caquéticos: de morbidade em tto quimio e radioterápico; • Grande compromentimento da qualidade de vida! Revista Brasileira de Cuidados Paliativos 2011, 3 (3) – Suplemento 1
  6. 6. Caquexia – Fisiopatologia • Etiologia e terapia efetiva ainda desconhecidas; • No câncer: mais frequente em pacientes com tumores sólidos, não apresentando associação evidente com o tamanho da massa ou a localização; • Síndrome aparece ainda que em detrimento de ingestão adequada de energia e proteína. Revista Brasileira de Cuidados Paliativos 2011, 3 (3) – Suplemento 1
  7. 7. Caquexia – Fisiopatologia Revista Brasileira de Cuidados Paliativos 2011, 3 (3) – Suplemento 1
  8. 8. Caquexia – Av. Nutricional • Importante para:  triagem de pacientes em risco ou com diagnóstico de desnutrição,  planejamento individualizado em conjunto com avaliação funcional e de qualidade de vida, e  acompanhamento da eficácia da terapia nutricional. Revista Brasileira de Cuidados Paliativos 2011, 3 (3) – Suplemento 1
  9. 9. Caquexia – Av. Nutricional • O que deve ser avaliado:  Antropometria (peso, estatura, CB, CP e IMC);  Estado emocional e clínico;  Velocidade de perda de peso;  Avaliação dietética;  Marcadores bioquímicos: albumina (considerar a meia vida de 20 dias), PCR, hemograma completo, função renal e hepática. Revista Brasileira de Cuidados Paliativos 2011, 3 (3) – Suplemento 1
  10. 10. Caquexia – Av. Global • O tratamento quimioterápico e radioterápico frequentemente induz anorexia, náusea, vômitos, diarreia, mucosites, anemia e imunossupressão; • Excluir dças infeccionas e inflamatórias; • Avaliar queixas gastroenterológicas; • Perfil metabólico: av. tireoide, DM, metabolismo de Ca, creatinofosfoquinase, perfil renal e hepático; Revista Brasileira de Cuidados Paliativos 2011, 3 (3) – Suplemento 1
  11. 11. Caquexia – Av. Global • Avaliação da saúde mental: depressão, estresse, isolamento social; • Alterações do sono, avaliar a presença de confusão mental, agitação, dependência ao álcool e drogas ilícitas; • Avaliação da intensidade da dor deve ser monitorada durante todo o trajeto da enfermidade. Revista Brasileira de Cuidados Paliativos 2011, 3 (3) – Suplemento 1
  12. 12. Caquexia – Av. Global IMPORTANT E: Pacientes idosos apresentam enfermidades associadas que se somam ao câncer atual. A relação entre perda de peso e mortalidade do idoso em um ano de doença é muito significante. No idoso, a recuperação do peso, após a cura da doença causadora da perda ponderal, é mais lenta do que em indivíduos jovens e, em alguns casos, o idoso continua perdendo peso, mesmo após cura. Revista Brasileira de Cuidados Paliativos 2011, 3 (3) – Suplemento 1
  13. 13. Caquexia – Av. Global  Questões simples que devem ser feitas: • Paciente recebe assistência para se alimentar? • Paciente consegue mastigar o alimento? • Qual estado oral e dentário do paciente? • Paciente consegue deglutir? Apresenta refluxo? • Paciente mora sozinho? • Apresenta períodos de confusão mental ou desorientação? • Paciente é capaz de tomar medicações e realizar auto- cuidado? • Apresenta regras rígidas para alimentação? • Paciente gosta da comida ofertada? Quem prepara o alimento? • Paciente tem condições econômicas suficientes? • Paciente escuta bem? Enxerga bem? Revista Brasileira de Cuidados Paliativos 2011, 3 (3) – Suplemento 1
  14. 14. Caquexia Estratégias Dietéticas Revista Brasileira de Cuidados Paliativos 2011, 3 (3) – Suplemento 1
  15. 15. Caquexia – Terapia Nutricional Revista Brasileira de Cuidados Paliativos 2011, 3 (3) – Suplemento 1
  16. 16. Caquexia – Aspectos Psicológicos • Sensação de perda do controle sobre a própria vida: impossibilidade de cumprir obrigações ou eventos sociais e familiares, dependência de terceiros para comprar, preparar e ingerir os alimentos; • Pacientes associam a alteração na imagem corporal à proximidade da morte, perda da autonomia, fraqueza física e psicológica. • Recusa voluntária de alimentação e hidratação • Tentativa de abreviar a própria vida em casos de depressão grave Revista Brasileira de Cuidados Paliativos 2011, 3 (3) – Suplemento 1

×