Tremor

1.988 visualizações

Publicada em

Aula Simposio UH Geriatria Enfermaria Março 2013

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.988
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
27
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
32
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tremor

  1. 1. Escola Paulista de Medicina/Universidade Federal de São Paulo – EPM/UNIFESPDisciplina de Geriatria e Gerontologia – DIGG Lucíulo Melo – R3 Geriatria Março 2013
  2. 2. Tremor é definido como um movimento rítmico e oscilatório de uma parte do corpo com uma relativa frequência constante e amplitude variável É causado por contração sincrônica ou alternada de músculos antagonistas. É a mais comum desordem de movimento
  3. 3. Repouso Estático PosturalTREMOR Ação Cinético Intenção
  4. 4. Repouso Estático Postural determinadas posiçõesOR não mudam durante Ação movimento Cinético pioram/aumentam Intenção durante a realização de movimentos
  5. 5.  Doença de Parkinson e outras síndromes parkinsonianas são as principais causas de tremor de repouso Caracteristicamente, o tremor é evidente com a parte do corpo afetada apoiada e completamente em repouso e temporariamente diminui ou desaparece durante atividades voluntárias Geralmente flutua em em amplitude e pode aparecer e desaparecer dependendo do grau de repouso do paciente, se ele percebe que está sendo observado e outros fatores
  6. 6.  É tipicamente menos incapacitante do que postural, ação, ou tremores de intenção por causa de sua ausência durante a atividade voluntária. No entanto, o tremor pode reaparecer rapidamente, logo que a parte de corpo assume uma nova postura de repouso e podem, portanto, interferir com o uso de utensílios de cozinha, de escrita, com posturas ou movimentos intencionais No exame, tremor de repouso é geralmente ativado durante a realização de movimentos repetitivos do membro oposto, ou durante a caminhada
  7. 7.  DOENÇA DE PARKINSON  Assimétrico - o tremor aparece em primeiro lugar em uma das mãos. Pode ou não se espalhar para envolver a perna ipsilateral e / ou o membro contra-lateral superior.  Tremor perna ou pé é mais comumente devido a Doença de Parkinson do que a tremor essencial.  Apenas ocasionalmente produz tremor de toda a cabeça (ao contrário das outras patologias)  “Pill-rolling" tremor (4 to 6 Hz). (mesmo com o aumento da amplitude, com a severidade da doença, a frequência se mantém a mesma)
  8. 8.  TREMOR DOMINANT PARKINSON DISEASE  Um tremor de baixa amplitude de repouso da mão ou na mandíbula, desacompanhada de outras manifestações de parkinsonismo, por vezes, ocorre como um achado isolado e não pode progredir para PD mais generalizada.  No entanto, o tremor é um primeiro sinal tão comum da DP que frequentemente leva o caminho para que progridam sintomas incapacitantes, como bradicinesia generalizada, distúrbios da marcha e instabilidade postural  Evolução de anos apenas como tremor  Diagnóstico retrospectivo
  9. 9. São também associados com tremor de repouso: Wilsons disease non-Wilsonian hepatocerebral degeneration midbrain injury due to stroke, trauma, or demyelinating disease.
  10. 10.  SWEDDs (Scans Without Evidence of Dopaminergic Deficit)  Tremor extremidade superior relativamente isolado, de repouso e postural , semelhante à doença de Parkinson em fase inicial, que não evolui ao longo do tempo para doença de Parkinson generalizada  SEM evidência de deficiência de dopamina nigroestriatal em imagens de transportador de dopamina (DaTSCAN)  SEM bradicinesia – diferencial com Doença de Parkinson Tremor Dominante
  11. 11.  TREMOR RUBRAL  Ocorre em lesões do mesencéfalo (provavelmente devido a lesões combinadas dos pedúnculo cerebelar superior, substantia nigra, e núcleo rubro, que interrompem a via de fluxo de saída do cerebelo para o tálamo motor).  Tremor em repouso, que tende a ter um menor frequência (3-5 Hz) do que o tremor de Parkinson típica (5-7 Hz).  Persiste inalterada ou aumenta com alterações posturais ou atividade dirigida a objetivos/movimentação voluntária - combinação de tremores de repouso, postural, ação e intenção (cinética).
  12. 12.  Constatados durante o exame em duas circunstâncias: com os braços suspensos contra a gravidade em uma postura fixa e durante o curso de movimentação voluntária/atividade dirigida a objetivos.
  13. 13.  TREMOR FISIOLÓGICO  Os indivíduos normais têm tremor deamplitude muito baixa e de alta frequência (~10 a 12 Hz), que não é visível em circunstâncias normais. Muitos fatores podem aumentar o tremor ao ponto de detecção, o mais frequentemente por aumento da actividade simpática!  DROGAS: beta-adrenérgicos, como terbutalina, isoproterenol, epinefrina, anfetaminas, seletivos da recaptação de serotonina (ISRS) e antidepressivos tricíclicos, levodopa, nicotina e xantinas.  Ansiedade, excitação, medo, fadiga muscular, hipoglicemia, álcool e retirada de opiáceos, tireotoxicose, febre, feocromocitoma também aumentar a atividade adrenérgica.
  14. 14.  TREMOR FISIOLÓGICO  Diversos medicamentos /toxinas aumentam tremor fisiológico por outros meios incertos: lítio, antidepressivos, corticosteróides, valproato de sódio, brometos, mercúrio, chumbo, arsénico.  Valorização do tremor fisiológico é a causa mais comum de tremores posturais e ação. Deste modo, um causa clínica e não uma causa neurológica primária deve ser considerada na maioria dos casos para tremores posturais e de ação .
  15. 15.  TREMOR ESSENCIAL  é a mais comum desordem neurológica que causa tremor postural ou de ação, com uma prevalência mundial estimada de até 5 % da população  Incidência de ET aumenta com a idade, embora muitas vezes afete indivíduos jovens, em especial quando é familiar.  Desordem heterogênea com considerável variabilidade no caráter do tremor, nas circunstâncias em que o exacerbam, e sua associação com outros déficits neurológicos  Mais freqüentemente afeta as mãos e braços e pode ser assimétrica. Também pode afetar a cabeça, a voz, o queixo, tronco e pernas.
  16. 16.  TREMOR ESSENCIAL  ET se torna imediatamente aparente nos braços quando são mantidos extendidos, e normalmente aumenta no final de movimentos alvo- dirigidos, tais como beber de um copo ou teste índex-nariz.  Tremor cerebelar deve ser considerado quando as oscilações tremor aumentar de forma constante antes de chegar ao alvo, e não ao término da atividade dirigida a objetivos, embora a distinção entre os dois é muitas vezes difícil.  Por definição, o tremor deve ser a única manifestação neurológica da ET. “No entanto, em alguns casos mais graves, distúrbios da marcha discretos e sinais cerebelares podem estar presentes”.
  17. 17.  TREMOR ESSENCIAL “Pacientes idosos com ET pode ter leve bradicinesia e rigidez do membro como uma evolução inespecífica do envelhecimento.”
  18. 18.  Decorrem de lesões em qualquer lugar ao longo do caminho de fluxo do sistema de projeção do cerebelo, a partir do núcleo denteado do cerebelo, para a divisão do motor (núcleo lateral ventral) do tálamo Esclerose Múltipla, Trauma em mesencéfalo, AVCs Tremores de intenção são geralmente muito grandes em amplitude, devido ao envolvimento dos músculos proximais e são por vezes difíceis de distinguir da ataxia cerebelar severa. A associação freqüente com ataxia, dismetria, titubation, e outros sinais cerebelares serve para identificar a origem cerebelar do tremor de intenção.
  19. 19.  História Exame Físico Exames Complementares
  20. 20. FIM!

×