José lins do rego

243 visualizações

Publicada em

José Lins do Rego

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
243
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

José lins do rego

  1. 1. oi
  2. 2. 2º Tempo Modernista no Brasil, prosa (Neorrealismo) José Lins do Rego
  3. 3. rego = arroio, regato, córrego, riacho, ribeiro e veio
  4. 4. Ciclo da cana-de-açúcar: − tematiza a decadência do engenho e a ascensão da usina − linguagem coloquial e poética − Deus do céu e o meu santo mártir S. Sebastião te mandou para perto de mim. (Cangaceiros)
  5. 5. Menino de Engenho, Doidinho, Banguê: Romances (1ª pessoa) sobre a formação de Carlos Melo (“alter ego” do autor) no engenho Santa Rosa (Pilar-PB) do avô José Paulino
  6. 6. Fogo Morto (romance, 3ª pessoa, 3 partes) Todas as partes estão entrelaçadas, o enredo todo é ambientado no engenho Santa Fé.
  7. 7. a) O Mestre José Amaro: descreve a arrogância do seleiro b) O Engenho de Seu Lula: narra a decadência do Santa Fé e de seu dono
  8. 8. c) O Capitão Vitorino: narra as aventuras do idealista O Santa Fé “não bota mais, está de fogo morto.”

×