SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 27
exercícios de história da literatura
o Realismo e o Naturalismo, 02
               Manoel Neves
QUESTÃO 01
                                 literatura imperial
A relação essência versus aparência, muito explorada por Machado de Assis, aparece nas
seguintes passagens, EXCETO:
Vamos aos fatos. Vamos ver como, ao tempo em que a consciência do homem se obliterava, a
do alferes tornava-se viva e intensa. As dores humanas, as alegrias humanas, se eram só isso,
mal obtinham de mim uma compaixão apática ou um sorriso de favor. No fim de três semanas.
Todas as manhãs, continuou ele, receberá o Nicolau um jornal que vou mandar imprimir com o
único fim de lhe dizer as coisas mais agradáveis do mundo, e dizê-las nominalmente, recordando
os seus modestos, mas profícuos trabalhos da Constituinte, e atribuindo-lhe muitas aventuras
namoradas, agudezas de espírito, rasgos de coragem.
Era decisivo, Simão Bacamarte curvou a cabeça juntamente alegre e triste, e ainda mais alegre
do que triste. Ato contínuo, recolheu-se à Casa Verde. Em vão a mulher e os amigos lhe disseram
que ficasse.
Lembrou-me congregar os principais de Fuchéu para que me ouvissem tanger o instrumento, os
quais vieram, escutaram e foram-se repetindo que nunca antes tinham ouvido coisa tão
extraordinária. E confesso que alcancei um tal resultado com o só recurso de ademanes, da
graça em arquear os braços para tomar a charamela, que me foi trazida em uma bandeja de
prata, da rigidez do busto, da unção com que alcei os olhos ao ar, e do desdém e ufania com que
os baixei à mesma assembleia.
QUESTÃO 01
                                 solução comentada
Os trechos transcritos nas alternativas “a”, “b” e “d” problematizam a relação aparência x
essência [a) alma exterior x alma interior; b) prefere-se a fantasia à realidade; e d) a aparência
substituindo a realidade]. A alternativa “c” apresenta Simão Bacamarte, única personagem de
“O alienista” que vive apenas a interioridade, a essência.
QUESTÃO 02
                                  literatura imperial
(UFV) Em O cortiço, Aluísio Azevedo reafirma a ideologia do Naturalismo e cumpre à risca alguns
princípios cientificistas vigentes na segunda metade do século XIX. Dentre as afirmativas abaixo,
assinale aquela que NÃO corresponde às propostas da escola naturalista:
O caráter determinista da obra tem como símbolo a personagem Pombinha, que, se antes era
“pura” e de boa conduta moral, acaba prostituindo-se por força daquele meio sórdido e
animalesco.
O narrador de O cortiço acentua o lado instintivo do ser humano através de um processo de
zoomorfização, identificando seus personagens a diferentes animais, sobretudo a insetos e
vermes, quando os descreve em seu vaivém pelo cortiço.
Ao enfatizar as atitudes inescrupulosas de João Romão para com os habitantes do cortiço, em
especial para com a negra Bertoleza, o autor confirma as preocupações sociais do Naturalismo
em sua inclinação reformadora.
Os personagens de O cortiço constituem-se, em sua maioria, dos operários das pedreiras, das
lavadeiras e de outros miseráveis que ali vivem de forma degradante, o que evidencia a
preferência do escritor naturalista pelas camadas mais baixas da sociedade.
Em O cortiço, Aluísio Azevedo exprime um conceito naturalista da vida e, ao idealizar seus
personagens, integra-os a elementos de uma natureza convencional.
QUESTÃO 02
                               solução comentada
A abordagem dos aspectos sórdidos e grotescos da sociedade é incompatível com a idealização.
Assinale-se, pois, a alternativa “e”.
QUESTÃO 03
                                  literatura imperial
      (UEL-PR 1999 – Adaptada) Indique a afirmação INCORRETA sobre Machado de Assis.
Memórias póstumas de Brás Cubas, romance, e Papéis avulsos, contos, representam o ingresso
do autor em sua “segunda fase”, certamente mais importante que a primeira.
Nos anos 1880, adotou francamente os princípios filosóficos do Naturalismo, abandonando o
idealismo romântico das primeiras obras.
No extraordinário romance em que adotou o ponto de vista de um “defunto autor”, o enredo é
frequentemente interrompido por referências ao processo de composição do livro.
Tal como ocorreu com outros autores da época, parte de sua obra, antes de ser recolhida em
livro, foi publicada em jornais; no caso dos romances, em capítulos, ou “folhetins”.
Sua ficção madura não se põe a serviço de causas históricas ou de teses científicas; revela, com
precisão e ironia, o que está por trás das situações e do comportamento humano.
QUESTÃO 03
                                 solução comentada
A partir de 1881, com Papeis avulsos e Memórias póstumas de Brás Cubas, Machado de Assis
entra em sua fase realista, que se caracteriza, além da análise dos mecanismos psicológicos da
elite fluminense de fins do século XIX, pelo exercício da narrativa dubitativa, metalinguística e
digressiva, o que, para muitos críticos, confere-lhe modernidade século XIX.
QUESTÃO 04
                                     literatura imperial
                                          Leia atentamente
I. A segunda Revolução Industrial, o cientificismo, o progresso tecnológico, o socialismo utópico,
a filosofia positivista de Auguste Comte, o evolucionismo formam o contexto sociopolítico-
econômico-filosófico-científico em que se desenvolveu a estética realista.
II. O escritor realista acerca-se dos objetos e das pessoas de um modo pessoal, apoiando-se na
intuição e nos sentimentos.
III. Um representantes da estética realista/naturalista em Portugal foi Eça de Queirós.
IV. Poderíamos citar como características da estética realista: o individualismo, a linguagem
erudita e a visão fantasiosa da sociedade.
      Verificamos que em relação ao Realismo/Naturalismo está (estâo) correta (corretas):
             I e II.                           I e III.                        II e IV.
                             II e III.                        III e IV.
QUESTÃO 04
                               solução comentada
Assinale-se a alternativa “b”, pois apenas os enunciados I e III apresentam características
pertinentes ao Realismo e ao Naturalismo.
QUESTÃO 05
                                  literatura imperial
(MACKENZIE) Vários autores afirmam que a diferença entre Realismo e Naturalismo é muito
sutil. Um dos trechos a seguir é claramente naturalista. Assinale a alternativa em que ele
aparece.
Desesperado, deixou o cravo, pegou do papel escrito e rasgou-o. Nesse momento, a moça,
embebida no olhar do marido, começou a cantarolar à toa, inconscientemente, uma cousa
nunca antes cantada nem sabida...
Enfim chegou a hora da encomendação e da partida. Sancha quis despedir-se do marido, e o
desespero daquele lance consternou a todos.
Entretanto, das portas surgiam cabeças congestionadas de sono; ouviam-se amplos bocejos,
fortes como o marulhar das ondas; pigarreava-se grosso por toda a parte; começavam as xícaras
a tilintar; o cheiro do café aquecia, suplantando todos os outros...
Foi por esse tempo que eu me reconciliei outra vez com o Cotrim, sem chegar a saber a causa
do dissentimento. Reconciliação oportuna, porque a solidão pesava-me, e a vida era para mim a
pior das fadigas, que é a fadiga sem trabalho.
E enquanto uma chora, outra ri; é a lei do mundo, meu rico senhor; é a perfeição universal. Tudo
chorando seria monótono, tudo rindo, cansativo; mas uma boa distribuição de lágrimas e
polcas, soluços e sarabandas, acaba por trazer à alma do mundo a variedade necessária, e faz-se
o equilíbrio da vida.
QUESTÃO 05
                              solução comentada
O fragmento transcrito na alternativa “c” apresenta apenas elementos referentes ao mundo
exterior à personagem. Trata-se, pois, de um excerto de obra naturalista.
INSTRUÇÃO
    literatura imperial
Leia o fragmento transcrito a seguir.
TEXTO
                                literatura imperial
O tísico do número 7 há dias esperava o seu momento de morrer, estendido na cama, os olhos
cravados no ar, a boca muito aberta, porque já lhe ia faltando o fôlego.
Não tossia; apenas, de quando em quando, o esforço convulsivo para atravessar os pulmões
desfeitos sacudia-lhe todo o corpo e arrancava-lhe da garganta uma ronqueira lúgubre, que
lembrava o arrular ominoso dos pombos.
QUESTÃO 06
                                  literatura imperial
(ITA) Das características a seguir, pertencentes ao realismo-naturalismo, apenas uma não
aparece no excerto anterior. Assinale-a.
Animalização do homem.
Visão determinista e mecanicista do homem.
Patologismo.
Veracidade.
Retrato da realidade cotidiana.
QUESTÃO 06
                            solução comentada
O trecho citado não apresenta traços deterministas. Assinale-se, pois, a alternativa “b”.
QUESTÃO 07
                                 literatura imperial
                        (UEL) Na obra-prima que é o romance O cortiço
podemos surpreender as características básicas da prosa romântica: narrativa passional, tipos
humanos idealizados, disputa entre o interesse material e os sentimentos mais nobres.
as personagens são apresentadas sob o ponto de vista psicológico, desnudando-se ante os olhos
do leitor graças à delicada sutileza com que o autor as analisa e expressa.
o leitor é transportado ao doloroso universo dos miseráveis e oprimidos migrantes que, tangidos
pela seca, abrigam-se em acomodações coletivas, à espera de uma oportunidade.
vemos renascer, na década de 1930, uma prosa viril, de cunho regionalista, atenta às nossas
mazelas sociais e capaz de objetivar em estilo seco parte de nossa dura realidade.
consagra-se entre nós a prosa naturalista, marcada pela associação direta entre meio e
personagens e pelo estilo agressivo que está a serviço das teses deterministas da época.
QUESTÃO 07
                   solução comentada
O comentário pertinente ao romance O cortiço está na alternativa “e”.
QUESTÃO 08
                                 literatura imperial
(Mackenzie) Por suas características, não se encaixa na prosa machadiana o trecho que aparece
na alternativa:
Este último capítulo é todo de negativas. Não alcancei a celebridade do emplasto, não fui
ministro, não fui califa, não conheci o casamento.
A leitora, que é minha amiga e abriu este livro com o fim de descansar da cavatina de ontem
para a valsa de hoje, quer fechá-lo ás pressas, ao ver que beiramos um abismo. Não faça isso
querida; eu mudo de rumo.
Não sei se lhe meti algumas rabugens de pessimismo. Pode ser. Obra de finado. Escrevia-a com
a pena da galhofa e a tinta da melancolia, e não é difícil antever o que poderá sair desse
conúbio.
Não sou criança, nem idiota; vivo só e vejo de longe; mas vejo. Não pode imaginar. Os gênios
fazem aqui dois sexos como se fosse uma escala mista. Os rapazes tímidos, ingênuos, sem
sangue, são brandamente impelidos para o sexo da fraqueza; são dominados,.
O pior é que era coxa. Uns olhos tão lúcidos, uma boca tão fresca, uma compostura tão senhoril;
e coxa! Esse contraste faria suspeitar que a natureza é às vezes um imenso escárnio. Por que
bonita, se coxa? Por que coxa, se bonita?
QUESTÃO 08
                          solução comentada
O fragmento transcrito na alternativa “d” apresenta caráter claramente determinista.
INSTRUÇÃO
    literatura imperial
Leia o fragmento transcrito a seguir.
TEXTO
                                        literatura imperial
Imagine a leitora que está em 1813, na Igreja do Carmo, ouvindo uma daquelas boas festas
amigas, que eram todo o recreio público e toda a arte musical. Sabem o que é uma missa
cantada; podem imaginar o que seria uma missa cantada daqueles tempos remotos. Não lhe
chamo a atenção para os padres e os sacristãos, nem para o sermão, nem para os olhos das
moças cariocas, que já eram bonitos nesse tempo, nem para as mantilhas, das senhoras graves,
os calções, as cabeleiras, as sanefas, as luzes, os incensos, nada. Não falo sequer da orquestra,
que é excelente; limito-me a mostrar-lhes uma cabeça branca, a cabeça desse velho que rege a
orquestra, com alma e devoção.
   ASSIS, Machado de. Cantiga de esponsais. Disponível em: http://www.releituras.com/machadodeassis_cantiga.asp
QUESTÃO 09
                                 literatura imperial
(Mackenzie) O trecho anterior, que inicia “Cantiga de esponsais”, extraordinário conto de
Machado de Assis, apresenta uma das características de sua prosa. Trata-se:
do pessimismo.
do humor.
da denúncia da hipocrisia e do egoísmo.
da análise psicológica da personagem.
do leitor incluso.
QUESTÃO 09
                           solução comentada
No fragmento transcrito, percebe-se a inclusão do leitor. Marque-se, pois, a letra “e”.
INSTRUÇÃO
literatura imperial
  Leia o trecho a seguir.
TEXTO
                                      O senão do livro
Começo a arrepender-me deste livro. Não que ele me canse; eu não tenho que fazer; e,
realmente, expedir alguns magros capítulos para esse mundo sempre é tarefa que distrai um
pouco da eternidade. Mas o livro é enfadonho, cheira a sepulcro, traz certa contração
cadavérica; vício grave, e aliás ínfimo, porque o maior defeito deste livro és tu, leitor. Tu tens
pressa de envelhecer, e o livro anda devagar; tu amas a narração direita e nutrida, o estilo
regular e fluente, e este livro e o meu estilo são como os ébrios, guinam à direita e à esquerda,
andam e param, resmungam, urram, gargalham, ameaçam o céu, escorregam e caem...
                 ASSIS, Machado de. Memórias póstumas de Brás Cubas. São Paulo: Ática, 2005.
QUESTÃO 10
                                  literatura imperial
Tendo em vista o contexto das Memórias póstumas de Brás Cubas, é CORRETO afirmar que,
nesse excerto,
as imagens que se referem ao próprio livro, mesmo exageradas, apontam para características
que esse romance de fato apresenta.
ao ponderar a opinião do leitor, o narrador novamente evidencia o respeito e a consideração
que tem por ele.
o movimento autocrítico põe em relevo, principalmente, a modéstia e a contenção
características do narrador.
o fato de o narrador dirigir-se diretamente ao leitor configura um momento de exceção no livro.
A atitude do narrador contradiz a constância e a persistência com que habitualmente executa
seus projetos.
QUESTÃO 10
                              solução comentada
Os traços estilísticos apontados pelo narrador no fragmento em análise são os mesmos que
desenvolve em sua narrativa, o que nos permite assinalar a alternativa “a”.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Realismo e naturalismo
Realismo e naturalismoRealismo e naturalismo
Realismo e naturalismoLuciene Gomes
 
Terceira geração modernista
Terceira geração modernista Terceira geração modernista
Terceira geração modernista Claudio Soares
 
Exemplos de Artigo de Opinião
Exemplos de Artigo de OpiniãoExemplos de Artigo de Opinião
Exemplos de Artigo de Opinião7 de Setembro
 
Gêneros literários - 1º Ano do Ensino Médio
Gêneros literários - 1º Ano do Ensino MédioGêneros literários - 1º Ano do Ensino Médio
Gêneros literários - 1º Ano do Ensino MédioElaine Chiullo
 
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdfFICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdfNatália Moura
 
Revisão literatura - quinhentismo - barroco - arcadismo - romantismo
Revisão   literatura - quinhentismo - barroco - arcadismo - romantismoRevisão   literatura - quinhentismo - barroco - arcadismo - romantismo
Revisão literatura - quinhentismo - barroco - arcadismo - romantismojasonrplima
 
Pré modernismo-slides
Pré modernismo-slidesPré modernismo-slides
Pré modernismo-slidesZenia Ferreira
 
Oficina de texto - Intertextualidades
Oficina de texto - IntertextualidadesOficina de texto - Intertextualidades
Oficina de texto - IntertextualidadesVera Lucia Paganini
 
"Se Eu Fosse Eu" - Clarice Lispector (Questões)
"Se Eu Fosse Eu" - Clarice Lispector (Questões)"Se Eu Fosse Eu" - Clarice Lispector (Questões)
"Se Eu Fosse Eu" - Clarice Lispector (Questões)Paula Meyer Piagentini
 
Aula 04 variacao linguistica
Aula 04   variacao linguisticaAula 04   variacao linguistica
Aula 04 variacao linguisticaMarcia Simone
 
Análise de os ratos, de dyonélio machado
Análise de os ratos, de dyonélio machadoAnálise de os ratos, de dyonélio machado
Análise de os ratos, de dyonélio machadoma.no.el.ne.ves
 
SEMINÁRIO DE LITERATURA - JORGE DE LIMA
SEMINÁRIO DE LITERATURA - JORGE DE LIMASEMINÁRIO DE LITERATURA - JORGE DE LIMA
SEMINÁRIO DE LITERATURA - JORGE DE LIMAMarcelo Fernandes
 
Prosa romântica brasileira
Prosa romântica brasileiraProsa romântica brasileira
Prosa romântica brasileiraSeduc/AM
 
Literatura afro brasileira
Literatura afro brasileiraLiteratura afro brasileira
Literatura afro brasileiraangelamariagomes
 

Mais procurados (20)

Realismo e naturalismo
Realismo e naturalismoRealismo e naturalismo
Realismo e naturalismo
 
Terceira geração modernista
Terceira geração modernista Terceira geração modernista
Terceira geração modernista
 
Exemplos de Artigo de Opinião
Exemplos de Artigo de OpiniãoExemplos de Artigo de Opinião
Exemplos de Artigo de Opinião
 
Gêneros literários - 1º Ano do Ensino Médio
Gêneros literários - 1º Ano do Ensino MédioGêneros literários - 1º Ano do Ensino Médio
Gêneros literários - 1º Ano do Ensino Médio
 
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdfFICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
 
Conto
ContoConto
Conto
 
Revisão literatura - quinhentismo - barroco - arcadismo - romantismo
Revisão   literatura - quinhentismo - barroco - arcadismo - romantismoRevisão   literatura - quinhentismo - barroco - arcadismo - romantismo
Revisão literatura - quinhentismo - barroco - arcadismo - romantismo
 
Os sertões
Os sertõesOs sertões
Os sertões
 
Resumo
ResumoResumo
Resumo
 
Pré modernismo-slides
Pré modernismo-slidesPré modernismo-slides
Pré modernismo-slides
 
Oficina de texto - Intertextualidades
Oficina de texto - IntertextualidadesOficina de texto - Intertextualidades
Oficina de texto - Intertextualidades
 
"Se Eu Fosse Eu" - Clarice Lispector (Questões)
"Se Eu Fosse Eu" - Clarice Lispector (Questões)"Se Eu Fosse Eu" - Clarice Lispector (Questões)
"Se Eu Fosse Eu" - Clarice Lispector (Questões)
 
Aula 04 variacao linguistica
Aula 04   variacao linguisticaAula 04   variacao linguistica
Aula 04 variacao linguistica
 
Pontuação
PontuaçãoPontuação
Pontuação
 
Literatura afrobrasileira
Literatura afrobrasileiraLiteratura afrobrasileira
Literatura afrobrasileira
 
Análise de os ratos, de dyonélio machado
Análise de os ratos, de dyonélio machadoAnálise de os ratos, de dyonélio machado
Análise de os ratos, de dyonélio machado
 
SEMINÁRIO DE LITERATURA - JORGE DE LIMA
SEMINÁRIO DE LITERATURA - JORGE DE LIMASEMINÁRIO DE LITERATURA - JORGE DE LIMA
SEMINÁRIO DE LITERATURA - JORGE DE LIMA
 
Poesias rima e metrica
Poesias rima e metricaPoesias rima e metrica
Poesias rima e metrica
 
Prosa romântica brasileira
Prosa romântica brasileiraProsa romântica brasileira
Prosa romântica brasileira
 
Literatura afro brasileira
Literatura afro brasileiraLiteratura afro brasileira
Literatura afro brasileira
 

Semelhante a Análise do Realismo e Naturalismo na literatura

Exercícios sobre o realismo e o naturalismo, 01
Exercícios sobre o realismo e o naturalismo, 01Exercícios sobre o realismo e o naturalismo, 01
Exercícios sobre o realismo e o naturalismo, 01ma.no.el.ne.ves
 
Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis
Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de AssisMemórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis
Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assisjasonrplima
 
Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...
Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...
Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...ma.no.el.ne.ves
 
Aula 15 realismo - naturalismo no brasil
Aula 15   realismo - naturalismo no brasilAula 15   realismo - naturalismo no brasil
Aula 15 realismo - naturalismo no brasilJonatas Carlos
 
Memórias póstumas de brás cubas
Memórias póstumas de brás cubasMemórias póstumas de brás cubas
Memórias póstumas de brás cubasSeduc/AM
 
Aula 16 machado de assis
Aula 16   machado de assisAula 16   machado de assis
Aula 16 machado de assisJonatas Carlos
 
Realismo e naturalismo
Realismo e naturalismoRealismo e naturalismo
Realismo e naturalismoLuizBraz9
 
Revisão literatura - realismo - naturalismo
Revisão   literatura - realismo - naturalismoRevisão   literatura - realismo - naturalismo
Revisão literatura - realismo - naturalismojasonrplima
 
Slides Seminário de Literatura Brasileira_ Memorias Póstumas de Brás Cubas
Slides Seminário de Literatura Brasileira_ Memorias Póstumas de Brás CubasSlides Seminário de Literatura Brasileira_ Memorias Póstumas de Brás Cubas
Slides Seminário de Literatura Brasileira_ Memorias Póstumas de Brás CubasKalyne Saadh
 
Machado de Assis: pioneiro na descoberta da alma humana
Machado de Assis: pioneiro na descoberta da alma humana Machado de Assis: pioneiro na descoberta da alma humana
Machado de Assis: pioneiro na descoberta da alma humana Natalia Salgado
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).pptANDRESSASILVADESOUSA
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptAliceEmanuelladeOliv
 
realismo-naturalismo resumo slides.ppt
realismo-naturalismo resumo slides.pptrealismo-naturalismo resumo slides.ppt
realismo-naturalismo resumo slides.pptCarlos100coliCoimbra
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptLeandroBolivar1
 
Trabalho de língua portuguesa
Trabalho de língua portuguesaTrabalho de língua portuguesa
Trabalho de língua portuguesaRonaldo Mesquita
 

Semelhante a Análise do Realismo e Naturalismo na literatura (20)

Exercícios sobre o realismo e o naturalismo, 01
Exercícios sobre o realismo e o naturalismo, 01Exercícios sobre o realismo e o naturalismo, 01
Exercícios sobre o realismo e o naturalismo, 01
 
Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis
Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de AssisMemórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis
Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis
 
Realismo x Romantismo
Realismo x RomantismoRealismo x Romantismo
Realismo x Romantismo
 
Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...
Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...
Revisando a literatura imperial, 02: Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parna...
 
Aula 15 realismo - naturalismo no brasil
Aula 15   realismo - naturalismo no brasilAula 15   realismo - naturalismo no brasil
Aula 15 realismo - naturalismo no brasil
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 
Realismo em Portugal
Realismo em PortugalRealismo em Portugal
Realismo em Portugal
 
Memórias póstumas de brás cubas
Memórias póstumas de brás cubasMemórias póstumas de brás cubas
Memórias póstumas de brás cubas
 
Aula 16 machado de assis
Aula 16   machado de assisAula 16   machado de assis
Aula 16 machado de assis
 
Realismo e naturalismo
Realismo e naturalismoRealismo e naturalismo
Realismo e naturalismo
 
Revisão literatura - realismo - naturalismo
Revisão   literatura - realismo - naturalismoRevisão   literatura - realismo - naturalismo
Revisão literatura - realismo - naturalismo
 
Slides Seminário de Literatura Brasileira_ Memorias Póstumas de Brás Cubas
Slides Seminário de Literatura Brasileira_ Memorias Póstumas de Brás CubasSlides Seminário de Literatura Brasileira_ Memorias Póstumas de Brás Cubas
Slides Seminário de Literatura Brasileira_ Memorias Póstumas de Brás Cubas
 
Machado de Assis: pioneiro na descoberta da alma humana
Machado de Assis: pioneiro na descoberta da alma humana Machado de Assis: pioneiro na descoberta da alma humana
Machado de Assis: pioneiro na descoberta da alma humana
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).ppt
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
 
realismo-naturalismo resumo slides.ppt
realismo-naturalismo resumo slides.pptrealismo-naturalismo resumo slides.ppt
realismo-naturalismo resumo slides.ppt
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
 
Revisão-Pro-Campus-2018.pptx
Revisão-Pro-Campus-2018.pptxRevisão-Pro-Campus-2018.pptx
Revisão-Pro-Campus-2018.pptx
 
Os maias
Os maiasOs maias
Os maias
 
Trabalho de língua portuguesa
Trabalho de língua portuguesaTrabalho de língua portuguesa
Trabalho de língua portuguesa
 

Mais de ma.no.el.ne.ves

Segunda aplicação do ENEM-2019: Literatura
Segunda aplicação do ENEM-2019: LiteraturaSegunda aplicação do ENEM-2019: Literatura
Segunda aplicação do ENEM-2019: Literaturama.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologias
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologiasSegunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologias
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologiasma.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileiras
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileirasSegunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileiras
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileirasma.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação Física
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação FísicaSegunda aplicação do ENEM-2019: Educação Física
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação Físicama.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textual
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textualSegunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textual
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textualma.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticaisSegunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticaisma.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Artes
Segunda aplicação do ENEM-2019: ArtesSegunda aplicação do ENEM-2019: Artes
Segunda aplicação do ENEM-2019: Artesma.no.el.ne.ves
 
ENEM-2019: Internet e Tecnologias
ENEM-2019: Internet e TecnologiasENEM-2019: Internet e Tecnologias
ENEM-2019: Internet e Tecnologiasma.no.el.ne.ves
 
ENEM-2019: Identidades brasileiras
ENEM-2019: Identidades brasileirasENEM-2019: Identidades brasileiras
ENEM-2019: Identidades brasileirasma.no.el.ne.ves
 
ENEM-2019: Aspectos Gramaticais
ENEM-2019: Aspectos GramaticaisENEM-2019: Aspectos Gramaticais
ENEM-2019: Aspectos Gramaticaisma.no.el.ne.ves
 
ENEM-2019: Educação Física
ENEM-2019: Educação FísicaENEM-2019: Educação Física
ENEM-2019: Educação Físicama.no.el.ne.ves
 
ENEM-2019: Compreensão Textual
ENEM-2019: Compreensão TextualENEM-2019: Compreensão Textual
ENEM-2019: Compreensão Textualma.no.el.ne.ves
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internet
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e InternetTerceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internet
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internetma.no.el.ne.ves
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Literatura
Terceira aplicação do ENEM-2017: LiteraturaTerceira aplicação do ENEM-2017: Literatura
Terceira aplicação do ENEM-2017: Literaturama.no.el.ne.ves
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação Física
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação FísicaTerceira aplicação do ENEM-2017: Educação Física
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação Físicama.no.el.ne.ves
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textual
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão TextualTerceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textual
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textualma.no.el.ne.ves
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Artes
Terceira aplicação do ENEM-2017: ArtesTerceira aplicação do ENEM-2017: Artes
Terceira aplicação do ENEM-2017: Artesma.no.el.ne.ves
 
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010Análise da Prova de Redação da UERJ-2010
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010ma.no.el.ne.ves
 

Mais de ma.no.el.ne.ves (20)

Segunda aplicação do ENEM-2019: Literatura
Segunda aplicação do ENEM-2019: LiteraturaSegunda aplicação do ENEM-2019: Literatura
Segunda aplicação do ENEM-2019: Literatura
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologias
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologiasSegunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologias
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologias
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileiras
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileirasSegunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileiras
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileiras
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação Física
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação FísicaSegunda aplicação do ENEM-2019: Educação Física
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação Física
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textual
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textualSegunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textual
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textual
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticaisSegunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticais
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Artes
Segunda aplicação do ENEM-2019: ArtesSegunda aplicação do ENEM-2019: Artes
Segunda aplicação do ENEM-2019: Artes
 
ENEM-2019: Literatura
ENEM-2019: LiteraturaENEM-2019: Literatura
ENEM-2019: Literatura
 
ENEM-2019: Internet e Tecnologias
ENEM-2019: Internet e TecnologiasENEM-2019: Internet e Tecnologias
ENEM-2019: Internet e Tecnologias
 
ENEM-2019: Identidades brasileiras
ENEM-2019: Identidades brasileirasENEM-2019: Identidades brasileiras
ENEM-2019: Identidades brasileiras
 
ENEM-2019: Aspectos Gramaticais
ENEM-2019: Aspectos GramaticaisENEM-2019: Aspectos Gramaticais
ENEM-2019: Aspectos Gramaticais
 
ENEM-2019: Educação Física
ENEM-2019: Educação FísicaENEM-2019: Educação Física
ENEM-2019: Educação Física
 
ENEM-2019: Compreensão Textual
ENEM-2019: Compreensão TextualENEM-2019: Compreensão Textual
ENEM-2019: Compreensão Textual
 
ENEM-2019: Artes
ENEM-2019: ArtesENEM-2019: Artes
ENEM-2019: Artes
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internet
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e InternetTerceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internet
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internet
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Literatura
Terceira aplicação do ENEM-2017: LiteraturaTerceira aplicação do ENEM-2017: Literatura
Terceira aplicação do ENEM-2017: Literatura
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação Física
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação FísicaTerceira aplicação do ENEM-2017: Educação Física
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação Física
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textual
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão TextualTerceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textual
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textual
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Artes
Terceira aplicação do ENEM-2017: ArtesTerceira aplicação do ENEM-2017: Artes
Terceira aplicação do ENEM-2017: Artes
 
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010Análise da Prova de Redação da UERJ-2010
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010
 

Análise do Realismo e Naturalismo na literatura

  • 1. exercícios de história da literatura o Realismo e o Naturalismo, 02 Manoel Neves
  • 2. QUESTÃO 01 literatura imperial A relação essência versus aparência, muito explorada por Machado de Assis, aparece nas seguintes passagens, EXCETO: Vamos aos fatos. Vamos ver como, ao tempo em que a consciência do homem se obliterava, a do alferes tornava-se viva e intensa. As dores humanas, as alegrias humanas, se eram só isso, mal obtinham de mim uma compaixão apática ou um sorriso de favor. No fim de três semanas. Todas as manhãs, continuou ele, receberá o Nicolau um jornal que vou mandar imprimir com o único fim de lhe dizer as coisas mais agradáveis do mundo, e dizê-las nominalmente, recordando os seus modestos, mas profícuos trabalhos da Constituinte, e atribuindo-lhe muitas aventuras namoradas, agudezas de espírito, rasgos de coragem. Era decisivo, Simão Bacamarte curvou a cabeça juntamente alegre e triste, e ainda mais alegre do que triste. Ato contínuo, recolheu-se à Casa Verde. Em vão a mulher e os amigos lhe disseram que ficasse. Lembrou-me congregar os principais de Fuchéu para que me ouvissem tanger o instrumento, os quais vieram, escutaram e foram-se repetindo que nunca antes tinham ouvido coisa tão extraordinária. E confesso que alcancei um tal resultado com o só recurso de ademanes, da graça em arquear os braços para tomar a charamela, que me foi trazida em uma bandeja de prata, da rigidez do busto, da unção com que alcei os olhos ao ar, e do desdém e ufania com que os baixei à mesma assembleia.
  • 3. QUESTÃO 01 solução comentada Os trechos transcritos nas alternativas “a”, “b” e “d” problematizam a relação aparência x essência [a) alma exterior x alma interior; b) prefere-se a fantasia à realidade; e d) a aparência substituindo a realidade]. A alternativa “c” apresenta Simão Bacamarte, única personagem de “O alienista” que vive apenas a interioridade, a essência.
  • 4. QUESTÃO 02 literatura imperial (UFV) Em O cortiço, Aluísio Azevedo reafirma a ideologia do Naturalismo e cumpre à risca alguns princípios cientificistas vigentes na segunda metade do século XIX. Dentre as afirmativas abaixo, assinale aquela que NÃO corresponde às propostas da escola naturalista: O caráter determinista da obra tem como símbolo a personagem Pombinha, que, se antes era “pura” e de boa conduta moral, acaba prostituindo-se por força daquele meio sórdido e animalesco. O narrador de O cortiço acentua o lado instintivo do ser humano através de um processo de zoomorfização, identificando seus personagens a diferentes animais, sobretudo a insetos e vermes, quando os descreve em seu vaivém pelo cortiço. Ao enfatizar as atitudes inescrupulosas de João Romão para com os habitantes do cortiço, em especial para com a negra Bertoleza, o autor confirma as preocupações sociais do Naturalismo em sua inclinação reformadora. Os personagens de O cortiço constituem-se, em sua maioria, dos operários das pedreiras, das lavadeiras e de outros miseráveis que ali vivem de forma degradante, o que evidencia a preferência do escritor naturalista pelas camadas mais baixas da sociedade. Em O cortiço, Aluísio Azevedo exprime um conceito naturalista da vida e, ao idealizar seus personagens, integra-os a elementos de uma natureza convencional.
  • 5. QUESTÃO 02 solução comentada A abordagem dos aspectos sórdidos e grotescos da sociedade é incompatível com a idealização. Assinale-se, pois, a alternativa “e”.
  • 6. QUESTÃO 03 literatura imperial (UEL-PR 1999 – Adaptada) Indique a afirmação INCORRETA sobre Machado de Assis. Memórias póstumas de Brás Cubas, romance, e Papéis avulsos, contos, representam o ingresso do autor em sua “segunda fase”, certamente mais importante que a primeira. Nos anos 1880, adotou francamente os princípios filosóficos do Naturalismo, abandonando o idealismo romântico das primeiras obras. No extraordinário romance em que adotou o ponto de vista de um “defunto autor”, o enredo é frequentemente interrompido por referências ao processo de composição do livro. Tal como ocorreu com outros autores da época, parte de sua obra, antes de ser recolhida em livro, foi publicada em jornais; no caso dos romances, em capítulos, ou “folhetins”. Sua ficção madura não se põe a serviço de causas históricas ou de teses científicas; revela, com precisão e ironia, o que está por trás das situações e do comportamento humano.
  • 7. QUESTÃO 03 solução comentada A partir de 1881, com Papeis avulsos e Memórias póstumas de Brás Cubas, Machado de Assis entra em sua fase realista, que se caracteriza, além da análise dos mecanismos psicológicos da elite fluminense de fins do século XIX, pelo exercício da narrativa dubitativa, metalinguística e digressiva, o que, para muitos críticos, confere-lhe modernidade século XIX.
  • 8. QUESTÃO 04 literatura imperial Leia atentamente I. A segunda Revolução Industrial, o cientificismo, o progresso tecnológico, o socialismo utópico, a filosofia positivista de Auguste Comte, o evolucionismo formam o contexto sociopolítico- econômico-filosófico-científico em que se desenvolveu a estética realista. II. O escritor realista acerca-se dos objetos e das pessoas de um modo pessoal, apoiando-se na intuição e nos sentimentos. III. Um representantes da estética realista/naturalista em Portugal foi Eça de Queirós. IV. Poderíamos citar como características da estética realista: o individualismo, a linguagem erudita e a visão fantasiosa da sociedade. Verificamos que em relação ao Realismo/Naturalismo está (estâo) correta (corretas): I e II. I e III. II e IV. II e III. III e IV.
  • 9. QUESTÃO 04 solução comentada Assinale-se a alternativa “b”, pois apenas os enunciados I e III apresentam características pertinentes ao Realismo e ao Naturalismo.
  • 10. QUESTÃO 05 literatura imperial (MACKENZIE) Vários autores afirmam que a diferença entre Realismo e Naturalismo é muito sutil. Um dos trechos a seguir é claramente naturalista. Assinale a alternativa em que ele aparece. Desesperado, deixou o cravo, pegou do papel escrito e rasgou-o. Nesse momento, a moça, embebida no olhar do marido, começou a cantarolar à toa, inconscientemente, uma cousa nunca antes cantada nem sabida... Enfim chegou a hora da encomendação e da partida. Sancha quis despedir-se do marido, e o desespero daquele lance consternou a todos. Entretanto, das portas surgiam cabeças congestionadas de sono; ouviam-se amplos bocejos, fortes como o marulhar das ondas; pigarreava-se grosso por toda a parte; começavam as xícaras a tilintar; o cheiro do café aquecia, suplantando todos os outros... Foi por esse tempo que eu me reconciliei outra vez com o Cotrim, sem chegar a saber a causa do dissentimento. Reconciliação oportuna, porque a solidão pesava-me, e a vida era para mim a pior das fadigas, que é a fadiga sem trabalho. E enquanto uma chora, outra ri; é a lei do mundo, meu rico senhor; é a perfeição universal. Tudo chorando seria monótono, tudo rindo, cansativo; mas uma boa distribuição de lágrimas e polcas, soluços e sarabandas, acaba por trazer à alma do mundo a variedade necessária, e faz-se o equilíbrio da vida.
  • 11. QUESTÃO 05 solução comentada O fragmento transcrito na alternativa “c” apresenta apenas elementos referentes ao mundo exterior à personagem. Trata-se, pois, de um excerto de obra naturalista.
  • 12. INSTRUÇÃO literatura imperial Leia o fragmento transcrito a seguir.
  • 13. TEXTO literatura imperial O tísico do número 7 há dias esperava o seu momento de morrer, estendido na cama, os olhos cravados no ar, a boca muito aberta, porque já lhe ia faltando o fôlego. Não tossia; apenas, de quando em quando, o esforço convulsivo para atravessar os pulmões desfeitos sacudia-lhe todo o corpo e arrancava-lhe da garganta uma ronqueira lúgubre, que lembrava o arrular ominoso dos pombos.
  • 14. QUESTÃO 06 literatura imperial (ITA) Das características a seguir, pertencentes ao realismo-naturalismo, apenas uma não aparece no excerto anterior. Assinale-a. Animalização do homem. Visão determinista e mecanicista do homem. Patologismo. Veracidade. Retrato da realidade cotidiana.
  • 15. QUESTÃO 06 solução comentada O trecho citado não apresenta traços deterministas. Assinale-se, pois, a alternativa “b”.
  • 16. QUESTÃO 07 literatura imperial (UEL) Na obra-prima que é o romance O cortiço podemos surpreender as características básicas da prosa romântica: narrativa passional, tipos humanos idealizados, disputa entre o interesse material e os sentimentos mais nobres. as personagens são apresentadas sob o ponto de vista psicológico, desnudando-se ante os olhos do leitor graças à delicada sutileza com que o autor as analisa e expressa. o leitor é transportado ao doloroso universo dos miseráveis e oprimidos migrantes que, tangidos pela seca, abrigam-se em acomodações coletivas, à espera de uma oportunidade. vemos renascer, na década de 1930, uma prosa viril, de cunho regionalista, atenta às nossas mazelas sociais e capaz de objetivar em estilo seco parte de nossa dura realidade. consagra-se entre nós a prosa naturalista, marcada pela associação direta entre meio e personagens e pelo estilo agressivo que está a serviço das teses deterministas da época.
  • 17. QUESTÃO 07 solução comentada O comentário pertinente ao romance O cortiço está na alternativa “e”.
  • 18. QUESTÃO 08 literatura imperial (Mackenzie) Por suas características, não se encaixa na prosa machadiana o trecho que aparece na alternativa: Este último capítulo é todo de negativas. Não alcancei a celebridade do emplasto, não fui ministro, não fui califa, não conheci o casamento. A leitora, que é minha amiga e abriu este livro com o fim de descansar da cavatina de ontem para a valsa de hoje, quer fechá-lo ás pressas, ao ver que beiramos um abismo. Não faça isso querida; eu mudo de rumo. Não sei se lhe meti algumas rabugens de pessimismo. Pode ser. Obra de finado. Escrevia-a com a pena da galhofa e a tinta da melancolia, e não é difícil antever o que poderá sair desse conúbio. Não sou criança, nem idiota; vivo só e vejo de longe; mas vejo. Não pode imaginar. Os gênios fazem aqui dois sexos como se fosse uma escala mista. Os rapazes tímidos, ingênuos, sem sangue, são brandamente impelidos para o sexo da fraqueza; são dominados,. O pior é que era coxa. Uns olhos tão lúcidos, uma boca tão fresca, uma compostura tão senhoril; e coxa! Esse contraste faria suspeitar que a natureza é às vezes um imenso escárnio. Por que bonita, se coxa? Por que coxa, se bonita?
  • 19. QUESTÃO 08 solução comentada O fragmento transcrito na alternativa “d” apresenta caráter claramente determinista.
  • 20. INSTRUÇÃO literatura imperial Leia o fragmento transcrito a seguir.
  • 21. TEXTO literatura imperial Imagine a leitora que está em 1813, na Igreja do Carmo, ouvindo uma daquelas boas festas amigas, que eram todo o recreio público e toda a arte musical. Sabem o que é uma missa cantada; podem imaginar o que seria uma missa cantada daqueles tempos remotos. Não lhe chamo a atenção para os padres e os sacristãos, nem para o sermão, nem para os olhos das moças cariocas, que já eram bonitos nesse tempo, nem para as mantilhas, das senhoras graves, os calções, as cabeleiras, as sanefas, as luzes, os incensos, nada. Não falo sequer da orquestra, que é excelente; limito-me a mostrar-lhes uma cabeça branca, a cabeça desse velho que rege a orquestra, com alma e devoção. ASSIS, Machado de. Cantiga de esponsais. Disponível em: http://www.releituras.com/machadodeassis_cantiga.asp
  • 22. QUESTÃO 09 literatura imperial (Mackenzie) O trecho anterior, que inicia “Cantiga de esponsais”, extraordinário conto de Machado de Assis, apresenta uma das características de sua prosa. Trata-se: do pessimismo. do humor. da denúncia da hipocrisia e do egoísmo. da análise psicológica da personagem. do leitor incluso.
  • 23. QUESTÃO 09 solução comentada No fragmento transcrito, percebe-se a inclusão do leitor. Marque-se, pois, a letra “e”.
  • 24. INSTRUÇÃO literatura imperial Leia o trecho a seguir.
  • 25. TEXTO O senão do livro Começo a arrepender-me deste livro. Não que ele me canse; eu não tenho que fazer; e, realmente, expedir alguns magros capítulos para esse mundo sempre é tarefa que distrai um pouco da eternidade. Mas o livro é enfadonho, cheira a sepulcro, traz certa contração cadavérica; vício grave, e aliás ínfimo, porque o maior defeito deste livro és tu, leitor. Tu tens pressa de envelhecer, e o livro anda devagar; tu amas a narração direita e nutrida, o estilo regular e fluente, e este livro e o meu estilo são como os ébrios, guinam à direita e à esquerda, andam e param, resmungam, urram, gargalham, ameaçam o céu, escorregam e caem... ASSIS, Machado de. Memórias póstumas de Brás Cubas. São Paulo: Ática, 2005.
  • 26. QUESTÃO 10 literatura imperial Tendo em vista o contexto das Memórias póstumas de Brás Cubas, é CORRETO afirmar que, nesse excerto, as imagens que se referem ao próprio livro, mesmo exageradas, apontam para características que esse romance de fato apresenta. ao ponderar a opinião do leitor, o narrador novamente evidencia o respeito e a consideração que tem por ele. o movimento autocrítico põe em relevo, principalmente, a modéstia e a contenção características do narrador. o fato de o narrador dirigir-se diretamente ao leitor configura um momento de exceção no livro. A atitude do narrador contradiz a constância e a persistência com que habitualmente executa seus projetos.
  • 27. QUESTÃO 10 solução comentada Os traços estilísticos apontados pelo narrador no fragmento em análise são os mesmos que desenvolve em sua narrativa, o que nos permite assinalar a alternativa “a”.