Cinética e Equilíbrio Velocidade média de uma reação: é a relação entre a variação da quantidade ( massa, mols, moléculas,...
EQUILÍBRIO TEORIA
OBS: Em algumas faculdades (ITA), geralmente cai uma questão envolvendo velocidade de reação onde tem-se que trabalhar com...
<ul><li>Fatores necessários para que ocorra uma reação química: </li></ul><ul><li>afinidade entre os reagentes ; </li></ul...
<ul><li>Fatores que influenciam na velocidade das reações: </li></ul><ul><li>Superfície de contato : reagentes triturados ...
Concentração: um aumento na concentração dos reagentes, provoca um aumento no números de colisões efetivas, aumentando a v...
Equilíbrio Para que um sistema esteja em equilíbrio, é preciso que a reação ocorra em recipiente fechado, onde vamos verif...
Quando tratar-se de sistemas envolvendo gases, poderemos expressar a constante de equilíbrio em função de pressões parciai...
Tabela a ser seguida para resolvermos, os exercícios envolvendo constante de equilíbrio Kc ou Kp. H 2   +  I 2      2 HI ...
Deslocamento de equilíbrio N 2(g)   +  3 H 2(g)     2 NH 3 (g)  + calor Concentração :  aumento de reagentes    desloca ...
Equilíbrio Iônico HA     H +   +  A -  BOH    B +   + OH - No caso de bases, substitua Ka por Kb
Equilíbrio Iônico da água H 2 O    H +   +  OH - Kw =   H +  .  OH -  Produto iônico da água 25 0 C    Kw = 10 -14  ...
Soluções ácidas e básicas Ácidas [H + ] > 10 -7  mol/L     [OH - ] < 10 -7  mol/L pH = - log [H + ]     p OH = - log [OH...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Teoria do Equilibrio

12.238 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.238
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
42
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
161
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Teoria do Equilibrio

  1. 1. Cinética e Equilíbrio Velocidade média de uma reação: é a relação entre a variação da quantidade ( massa, mols, moléculas, volume, etc..) de reagentes ou produtos pela variação de tempo. a A + b B  c C + d D Reagentes  Produtos Velocidade média de uma reação, sem especificarmos a substância, pode ser dada pela relação entre a velocidade média de consumo de reagentes ou pela velocidade média de formação de produtos pelos seus respectivos coeficientes na equação devidamente balanceada . Ex: N 2 + 3 H 2  2 NH 3
  2. 2. EQUILÍBRIO TEORIA
  3. 3. OBS: Em algumas faculdades (ITA), geralmente cai uma questão envolvendo velocidade de reação onde tem-se que trabalhar com logaritmos neperianos, matéria esta, dada somente em curso universitário. Para facilitar seus cálculos, como as questões geralmente se referem a reação de primeira ordem, você poderá bem rapidamente usar as seguintes expressões: Leia da Velocidade Constante da velocidade Meia vida Que também pode ser calculada simplificadamente por:
  4. 4. <ul><li>Fatores necessários para que ocorra uma reação química: </li></ul><ul><li>afinidade entre os reagentes ; </li></ul><ul><li>Colisão favorável : as colisões devem acontecer com geometria favorável e com energia suficiente( energia de ativação ) para que ocorra a formação de uma estrutura intermediária, chamada de “ complexo ativado ”. </li></ul>E ativação = E para que ocorra a reação – E própria dos reagentes Epr Epp R P E E at  H Epr Epp  H R P E Caminho de reação Caminho de reação
  5. 5. <ul><li>Fatores que influenciam na velocidade das reações: </li></ul><ul><li>Superfície de contato : reagentes triturados reagem mais rapidamente que reagentes em barras; </li></ul><ul><li>Natureza dos reagentes : reações iônicas são mais rápidas que as moleculares; </li></ul><ul><li>Temperatura : quando maior a temperatura maior a velocidade das reações. Aumento de temperatura favorece reações exotérmicas e endotérmicas, só que, favorece mais as endotérmicas; Regra de Van’t Hoff: para cada 10 0 C de aumento a velocidade duplica ou até triplica. </li></ul><ul><li>Luz e eletricidade : algumas reações são mais rápidas na presença de luz, ou de eletricidade; </li></ul><ul><li>Pressão : um aumento de pressão favorece reações que acontecem na fase gasosa, pois ocorrerá um aumento no número de colisões; </li></ul><ul><li>Catalisador : é uma substância que aumenta a velocidade das reações, pois diminui a energia de ativação; </li></ul><ul><li>Inibidor : são substâncias que diminuem a velocidade das reações; </li></ul>
  6. 6. Concentração: um aumento na concentração dos reagentes, provoca um aumento no números de colisões efetivas, aumentando a velocidade da reação. Aqui temos uma lei chamada de : Lei da ação das massas ou :Lei de Guldberg e Waage:” Para cada temperatura, a velocidade de uma reação é diretamente proporcional ao produto das concentrações molares dos reagentes”. a A + b B  c C + d D v = k . [A] a .[B] b V = velocidade em determinada temperatura K = constante nessa temperatura [A] e [B] = concentrações molares de A e B a e b = expoentes determinados experimentalmente. Se a reação for elementar ( única etapa) iguais aos coeficientes da equação. Se a reação for não elementar ( + de uma etapa) iguais ao coeficientes da + lenta. Esses expoentes indicam a ordem de uma reação. Molecularidade de uma reação: número mínimo de partículas dos reagentes que devem colidir para que ocorra uma reação elementar ou uma etapa de uma reação não elementar .
  7. 7. Equilíbrio Para que um sistema esteja em equilíbrio, é preciso que a reação ocorra em recipiente fechado, onde vamos verificar que as reações deverão ser reversíveis. Após atingido o equilíbrio temos a sensação macroscópica que a reação terminou, mas a nível microscópico, ela continua, só que as concentrações não mais se alteram porque o equilíbrio é dinâmico, o que forma para um lado, forma também para outro. a A + b B c C + d D direta inversa V 1 V 2 V 1 = k 1 . [A] a. .[B] b V 2 = k 2 . [C] c [D] d V 1 = V 2 K c = constante de equilíbrio em função de concentração molar.
  8. 8. Quando tratar-se de sistemas envolvendo gases, poderemos expressar a constante de equilíbrio em função de pressões parciais: N 2 (g) + 3 H 2 (g)  2 NH 3 (g) Kp = Kc . (R.T)  n Grau de equilíbrio: é a razão entre o números de mols de um reagente consumido e a quantidade de mols inicial desse reagente.
  9. 9. Tabela a ser seguida para resolvermos, os exercícios envolvendo constante de equilíbrio Kc ou Kp. H 2 + I 2  2 HI Início só temos reagentes geralmente Reage e forma obedece a estequiometria da reação Equilíbrio 1 a. – 2 a. Igual a 2 a. Concentração molar 3 a. /V 3 a. /V Exemplo: H 2 + I 2  2 HI 1 a. linha 2 mols 2 mols ---- 2 a. linha 0,5 mols 0,5mols 2 .0,5 mols=1,0 3 a. linha 2-0,5 = 1,5mols 1,5 mols 1,0 mol 4 a. linha 1,5/V 1,5/V 1,0/V
  10. 10. Deslocamento de equilíbrio N 2(g) + 3 H 2(g)  2 NH 3 (g) + calor Concentração : aumento de reagentes  desloca à direita retirada de reagentes  desloca à esquerda aumento de produtos  desloca à esquerda retirada de produtos  desloca à direita Pressão : aumento de pressão  desloca para menor volume diminuição de pressão  desloca para maior volume 4 volumes 2 volumes Temperatura : aumento de temperatura  favorece mais a reação endotérmica diminuição de temperatura  favorece mais a reação exotérmica Catalisador: não desloca um sistema em equilíbrio. Faz com que o equilíbrio seja atingido mais rapidamente.
  11. 11. Equilíbrio Iônico HA  H + + A - BOH  B + + OH - No caso de bases, substitua Ka por Kb
  12. 12. Equilíbrio Iônico da água H 2 O  H + + OH - Kw =  H +  .  OH -  Produto iônico da água 25 0 C  Kw = 10 -14  [H + ] = [OH - ] = 10 -7 mol/L
  13. 13. Soluções ácidas e básicas Ácidas [H + ] > 10 -7 mol/L  [OH - ] < 10 -7 mol/L pH = - log [H + ]  p OH = - log [OH - ] pH < 7  p OH > 7 Básicas [OH - ] > 10 -7 mol/L  [H + ] < 10 -7 mol/L p OH = - log [OH - ]  pH = - log [H + ] p OH < 7  pH > 7 Ka ou Kb = M.  2 [H + ] = M .  [OH - ] = M.  No caso de diácidos ou dibases use = 2.M. 

×