O slideshow foi denunciado.
ETA SRA. Do Desterro
Breve introdução <ul><li>Uma estação de tratamento de águas para consumo humano, envolve varias etapas no processo de trat...
Captação <ul><li>As captações consistem uma parte fundamental dos sistemas de abastecimento de água necessárias a qualquer...
Adução <ul><li>A adução, é o conjunto de obras destinadas a transportar a água desde a origem até à distribuição. A  aduçã...
Distribuição <ul><li>A distribuição dos efluentes tratados nesta ETA, é feita através de condutas até aos seus consumidore...
ETA (funções)
Adução de água bruta <ul><li>Chegada à ETA da senhora do Desterro, fomos recebidos pela Dra. Sara Proença e por alguns fun...
Câmara de contacto de dióxido de cloro <ul><li>A água segue para uma câmara de contacto onde se faz a pré-oxidação da maté...
Torre de CO 2  e câmara de mistura rápida <ul><li>De seguida segue parra a torre de contacto, onde a água entra em contact...
Decantação e floculação <ul><li>Depois, segue para a decantação e floculação, onde a água passa nos decantadores horizonta...
Tratamento das lamas <ul><li>As lamas depois de separadas são encaminhadas para um espessador, mas como não têm lamas sufi...
Filtração e reservatório de agua filtrada. <ul><li>De seguida a água passa por um processo de filtração com filtros de are...
Cisterna de água tratada <ul><li>A  água já tratada, então é expedida para a rede de abastecimento público, que é da respo...
Finalidade do tratamento <ul><li>Visa a melhoria da qualidade para o abastecimento ao nível:  </li></ul><ul><li>Higiénico:...
Conclusão <ul><li>No final desta visita à ETA d Sra. do Desterro, ficámos com a ideia que os objectivos propostos foram re...
Realização:   12ºM <ul><li>Armando Alves Nº5 </li></ul><ul><li>Pedro Santos Nº14 </li></ul><ul><li>Tiago Cabral Nº18 </li>...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Eta

3.689 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Eta

  1. 1. ETA SRA. Do Desterro
  2. 2. Breve introdução <ul><li>Uma estação de tratamento de águas para consumo humano, envolve varias etapas no processo de tratamento de água, desde o ponto de colecta(onde se faz a captação da água bruta), até aos reservatórios de água. Entre os vários processos que constituem este tratamento, vai-se abordar os seguintes processos: </li></ul><ul><li>serviço de rede em alta </li></ul><ul><ul><ul><li> Captação </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Adução </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Serviço de tratamento de água Tratamento </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>serviço de rede em baixa </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Distribuição </li></ul></ul></ul>
  3. 3. Captação <ul><li>As captações consistem uma parte fundamental dos sistemas de abastecimento de água necessárias a qualquer tipo de utilização recolhendo a água na natureza(origem), tal qual ela existe, de acordo com as necessidades. No caso da ETA da SRA. Do Desterro, a captação era feita no rio Alva e era conduzida até a ETA através de tubagens. </li></ul><ul><li>2 </li></ul>
  4. 4. Adução <ul><li>A adução, é o conjunto de obras destinadas a transportar a água desde a origem até à distribuição. A adução faz-se por meio das chamadas adutoras que podem ser canais e galerias à superfície livre e condutas em pressão. O escoamento pode processar-se por acção da gravidade ou por um meio de bombagem. </li></ul><ul><li>2 </li></ul>
  5. 5. Distribuição <ul><li>A distribuição dos efluentes tratados nesta ETA, é feita através de condutas até aos seus consumidores, com a responsabilidade da Câmara Municipal de Seia. </li></ul><ul><li>2 </li></ul>
  6. 6. ETA (funções)
  7. 7. Adução de água bruta <ul><li>Chegada à ETA da senhora do Desterro, fomos recebidos pela Dra. Sara Proença e por alguns funcionários onde pudemos assistir em primeiro lugar e antes de iniciar a dita visita, foi-nos mostrado uma porção já tratada, de água onde pudemos ver o seu pH através de um medidor de pH portátil. </li></ul><ul><li>A água bruta, sem sofrer algum tipo de tratamento, e depois de captada, chegava à ETA através de tubagens e por gravidade entrava numa válvula de retenção de caudal que permitia medir e ter o caudal que interessa ter na ETA, e segue para uns aparelhos, que permitem ler a turvação e o pH. </li></ul><ul><li>6 </li></ul>
  8. 8. Câmara de contacto de dióxido de cloro <ul><li>A água segue para uma câmara de contacto onde se faz a pré-oxidação da matéria a partir de um reactor que faz a mistura do cloreto de sódio e ácido clorídrico. Depois segue outra câmara de contacto, neste caso, onde a água entrava em contacto com o dióxido de cloro para começar a retirar grande parte da matéria orgânica e outro tipo de matéria mais concretamente o ferro e o manganês, isto é obvio que é controlado com medições para garantir que tudo estava dentro dos parâmetros exigidos. </li></ul><ul><li>6 </li></ul>
  9. 9. Torre de CO 2 e câmara de mistura rápida <ul><li>De seguida segue parra a torre de contacto, onde a água entra em contacto com o CO2 (dióxido de carbono), o que faz acidificação da água e por outro lado adiciona-se cal para tornar a água com um carácter mais básico e acontece o equilíbrio calco-carbonico, o que é importante para controlar o pH da água final (na câmara de mistura) que é aproximadamente pH=7. </li></ul><ul><li>6 </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  10. 10. Decantação e floculação <ul><li>Depois, segue para a decantação e floculação, onde a água passa nos decantadores horizontais de lamelas e é separada a água, das lamas. As lamas depois de separadas são encaminhadas para um espessador, mas como não têm lamas suficientes para o seu tratamento, o tratamento das lamas ainda não está a ser utilizado…mas quando há lamas, são enviadas para um espessador, e são enviadas para filtros de tratamento de lamas, para depois serem desidratadas e prontas para serem levadas principalmente para aterros sanitários e para algumas indústrias (cerâmica, etc.) uma vez que as lamas são lamas químicas . </li></ul><ul><li>6 </li></ul>
  11. 11. Tratamento das lamas <ul><li>As lamas depois de separadas são encaminhadas para um espessador, mas como não têm lamas suficientes para o seu tratamento, o tratamento das lamas ainda não está a ser utilizado…mas quando há lamas, são enviadas para um espessador, e são enviadas para filtros de tratamento de lamas, para depois serem desidratadas e prontas para serem levadas principalmente para aterros sanitários e para algumas indústrias (cerâmica, etc.) uma vez que as lamas são lamas químicas. </li></ul><ul><li>6 </li></ul>
  12. 12. Filtração e reservatório de agua filtrada. <ul><li>De seguida a água passa por um processo de filtração com filtros de areia, que fazem uma lavagem a ar e a água, que retiram as partículas mais finas, que a decantação não retira as partículas a 100%, e aqui nesta filtração são retiradas as partículas mais finas. Depois disto, então a água fica sem nenhuma partícula contaminante, ficando uma água praticamente própria para consumo. Depois da água de lavagem que sai dos filtros, volta para o inicio da ETA e sofre uma reutilização para evitar desperdícios, enquanto a outra é enviada para reservatórios de água filtrada, onde se analisam e onde, através de medidores, dão as informações necessárias sobre o pH, turvação, do alumínio da água,etc.De seguida sofre a desinfecção que é feita com hipoclorito de sódio, antes de ser enviada para a cisterna de água tratada </li></ul><ul><li>6 </li></ul>
  13. 13. Cisterna de água tratada <ul><li>A água já tratada, então é expedida para a rede de abastecimento público, que é da responsabilidade pela Câmara Municipal de Seia. </li></ul><ul><li>6 </li></ul>
  14. 14. Finalidade do tratamento <ul><li>Visa a melhoria da qualidade para o abastecimento ao nível: </li></ul><ul><li>Higiénico: Remoção de bactérias; elementos venenoso ou nocivos; mineralização excessiva, entre outros… </li></ul><ul><li>Estético: Correcção da cor, sabor e turbidez </li></ul><ul><li>Económico: redução da corrosibilidade, dureza, cor, turbidez, ferro, odor, sabor e manganês, etc. </li></ul>
  15. 15. Conclusão <ul><li>No final desta visita à ETA d Sra. do Desterro, ficámos com a ideia que os objectivos propostos foram realizados com êxito uma vez que ficámos sensibilizados para a protecção do meio ambiente com as explicações dadas pelo Dra. Sara Proença que nos guiou e nos fez reconhecer a necessidade de tratar as águas para consumo humano. No decorrer da visita e em contacto com o funcionamento daquela ETA, promoveu-se uma aprendizagem contextualizada com o curso. Permitiu-nos também observar e registar os acontecimentos em cada sector da ETA com o auxílio da Doutora, a quem podemos colocar algumas perguntas que foram surgindo. Ficámos também a saber algumas espécies e reacções químicas se desenrolavam no tratamento das águas. </li></ul>
  16. 16. Realização: 12ºM <ul><li>Armando Alves Nº5 </li></ul><ul><li>Pedro Santos Nº14 </li></ul><ul><li>Tiago Cabral Nº18 </li></ul><ul><li>Tiago Félix Nº19 </li></ul>

×