Escrita coletiva e individual

1.329 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.329
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
680
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Crianças recém alfabetizadas leem com muita dificuldade e ficam cansadas rapidamente, isso pode desencorajar as crianças.
  • Crianças recém alfabetizadas leem com muita dificuldade e ficam cansadas rapidamente, isso pode desencorajar as crianças.
  • Escrita coletiva e individual

    1. 1. Coletiva Individual
    2. 2. Situações de escrita coletiva Situações de escrita sozinho(a) - Há aprendizagens que podem iniciar antes que as crianças escrevam de acordo com os princípios do SEA. - Prever situações compartilhadas em que o professor seja o escriba. Essas produções coletivas são ricas, por possibilitarem a explicitação de estratégias de escrita. - Nas situações em que as crianças escrevem sozinhas mobilizam conhecimentos e estratégias aprendidos nas situações partilhadas, mas há outras aprendizagens em jogo.
    3. 3. Unidade 5 - Ano 1
    4. 4. A importância do texto coletivo Propicia ao aluno uma reflexão sobre todos os conteúdos linguísticos que compõem o texto e demonstra – fazendo – como as ideias e as palavras se transformam em escrita. Nesse trabalho, vários conteúdos de Língua Portuguesa são sistematizados, como:  Função social da escrita;  Relação oralidade escrita;  Alfabeto como conjunto de símbolos próprios da escrita;  Outros sinais utilizados para a veiculação de ideias;  Direção da escrita;  Espaçamento entre as palavras;  Elementos de apresentação do texto.
    5. 5. Aspectos que os professores (mediadores) devem observar na produção de textos coletivos:  Demonstrar a possibilidade de se comunicar com alguém através da escrita, a despeito da distância ou do tempo;  Suscitar no aluno a vontade de escrever;  Proporcionar a produção escrita em situações comunicativas reais aque fazem parte de um contexto/esfera social . Quando seleciono um gênero, opto por um formato;  Deixar claro quem é o interlocutor daquela produção;  Definir, juntamente com a classe, a intenção do texto (por quê se está escrevendo);
    6. 6. Aspectos que os professores (mediadores) devem observar na produção de textos coletivos: Fazer uma síntese oral das ideias que sustentarão o texto a ser redigido;  Anotar, num canto do quadro, as ideias básicas que estruturarão o texto;  Ouvir as ideias dos alunos sobre o tema e redigi-las na norma padrão, explicitando a necessidade de adaptação entre a linguagem oral e escrita;  Pensar na visualização dos alunos no momento (tipo de letra);  Chamar atenção para cronologia dos fatos que serão escritos;  Chamar os alunos individualmente para participar;
    7. 7. Aspectos que os professores (mediadores) devem observar na produção de textos coletivos: Chamar atenção para as diferenças entre o que se diz e o que se escreve, pois várias informações precisam ser detalhada para que, quem ler o texto possa compreender;  Enfatizar o uso de alguns conteúdos (os mais elementares) que garantam ao texto coesão e coerência;  Reescrita durante o processo se acharmos um jeito melhor para se expressar (reler o texto várias vezes durante a escrita);  Chamar atenção para a necessidade dos elementos de apresentação (título ou vocativo, margem, data, espaços para evidenciar parágrafo e assinatura);
    8. 8. Aspectos que os professores (mediadores) devem observar na produção de textos coletivos: Acatar as contribuições dos alunos, adequando-as para o mais apropriado num texto escrito;  Proceder à leitura apontada do texto diversas vezes para que o aluno possa compreender que, apesar de possuir características específicas, a escrita pode registrar o que se fala ou o que se pensa;  Incentivar o fechamento do texto;
    9. 9. Aspectos que os professores (mediadores) devem observar na produção de textos coletivos: Quando possível, solicitar que todos registrem o texto produzido para ser lido ou mostrado em casa, comentando sobre seu tema ou sobre o interlocutor;  Encaminhar uma cópia ao interlocutor, solicitando a resposta por escrito, texto este que reverterá em material de leitura e reflexão sobre os conteúdos utilizados.
    10. 10. ATIVIDADES ROTINEIRAS  Priorizar a sistematização do desenvolvimento do SEA a partir de práticas que tenham SENTIDO para o educando (trabalho com o “nome”; cantigas, parlendas, adivinhas, etc.);  Explorar textos que circulam socialmente (gêneros textuais) favorecendo o processo de USOREFLEXÃO-USO (bilhetes, cartões, listas, receitas, etc).
    11. 11. Unidade 5 - Ano 1

    ×