Produção de Texto

4.899 visualizações

Publicada em

Como trabalhar com produção de texto através de gêneros textuais.

Publicada em: Educação

Produção de Texto

  1. 1. LPT : ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DO TEMPO PEDAGÓGICO• Processos de aprendizagem da leitura e daescrita, num contexto de usos e funçõessociais.• Objetivo central do ensino da língua:favorecer a conquista da capacidade de usoda linguagem.• Necessidade de usar linguagens variadasem contextos diversos - meio de expressar ecomunicar ideias, interpretar e usufruir dasproduções culturais.
  2. 2. • O trabalho escolar com os diferentes gênerostextuais deve levar em conta certos critérios:a)ao selecionar conteúdosb)ao propor atividades linguísticas que contemplem oescutar, o ler, o falar e o escrever.•A organização dos conteúdos deve seguir omovimento uso/reflexão/uso e deixar claro que autilização da linguagem é ponto de partida e tambémde chegada do trabalho pedagógico com a línguaportuguesa.
  3. 3. Para pensar em organização do tempopedagógico, é necessário levar em conta asdiferentes modalidades didáticas para o ensinode linguagem: • projetos de leitura, escuta, e produção detextos;• as sequências de atividades e• as atividades independentes. 
  4. 4. Atividades independentes• permanentes (habituais): leitura em voz altapelo professor, todo início de aula; roda deleitores, com escolhas pessoais, uma vez acada quinze dias;• ocasionais: quando selecionadas para darconta de um conteúdo eventualmenteconsiderado necessário: leituras esporádicasde notícias do jornal; leitura de uma crônicasobre um determinado tema em evidêncianum momento específico.
  5. 5. Sequências de atividades ousequências didáticas de atividades sãoorganizadas para trabalhar determinadoconteúdo, quer seja discursivo, textual ougramatical:sequências planejadas para se estudar- as características de um determinadogênero textual; - os recursos linguísticos e estéticosutilizados pelo autor, para a apresentaçãodo cenário em que se desenvolve umconto; - certas características depersonagens;- desenvolvimento do conflito até odesfecho.
  6. 6. Projetoas atividades que compõem essa modalidadedidática devem ser• organizadas de forma sequenciada e• orientadas para a elaboração de um produto finalque se destina a interlocutores e espaços decirculação, que podem estar fora da sala de aula emesmo da escola.
  7. 7. Projetos envolvendo leitura e escrita: • Organização de um seminário sobre autilização do “internetês” e seusdesdobramentos na comunicação docotidiano.• Elaboração e gravação de um CD comcontação de lendas urbanas pesquisadaspelos alunos.• Elaboração e publicação de uma coletâneade poemas de amor, no “varal poético”, numdeterminado espaço na escola.
  8. 8. • Elaboração de uma publicação com resenhas dediferentes obras de um autor, ou de vários autoresselecionados por determinado critério (por tema,por momento histórico, por exemplo) uma análisedas principais características estéticas eestilísticas, para ficar disponível na sala de leitura.• Elaboração e publicação de uma coletânea decontos de fadas modificados para o momentohistórico-cultural da atualidade.
  9. 9. • Elaboração e publicação de uma coletânea delendas de diferentes regiões brasileiras, ou deSão Paulo, ou de outros locais, reescritas ouadaptadas pelos alunos.
  10. 10. A rotina de trabalho em sala de aula• a organização da rotina de trabalho deve serequilibrada e as modalidades didáticas devemser selecionadas para possibilitar odesenvolvimento de atividades com osdiferentes conteúdos de leitura e de produçãode textos, passando inclusive pela análiselinguística.
  11. 11. Sugestão de etapas para sequênciasdidáticas que envolvam leitura eescrita:• preparando o momento;• aquecendo para a leitura;• saboreando o texto;• entrelaçando leituras coletivas;• desdobramentos para outros momentos.
  12. 12. O objetivo é sugerir que as atividades de leiturapropostas ao aluno, quando este se debruça sobre umtexto literário, têm sempre de ser centradas nosignificado mais amplo do texto, significado que nãose confunde com o que o texto diz, mas reside nomodo como o texto diz o que diz. Nesse sentido, énecessário que os elementos do texto selecionadocomo gerador de atividades levem o aluno a observarmais de perto procedimentos realmente relevantespara o significado geral do texto. Marisa Lajolo
  13. 13. Preparando o momento: observar mais de pertoprocedimentos relevantes para o significado geral do textoAquecendo para a leitura: estimular os alunos a fazerantecipações sobre o texto a ser lido. Essas antecipaçõesserão verificadas após a leitura.Saboreando o texto: leitura em voz alta, ou silenciosa,do professor para os alunos, com os alunos.Entrelaçando leituras coletivas: compartilhar asleituras, sentimentos, opiniões.Desdobramentos para outros momentos/produçãoescrita.
  14. 14. A seleção de textos e a organização dasatividades-Uma questão de bom senso?Os critérios de seleção e utilização dos textos compropósitos pedagógicos devem considerar sempre:• a complexidade do gênero;• o nível de dificuldade da atividade em relação aogênero;• a familiaridade dos alunos com o gênero;• a adequação do conteúdo do texto ao nível deconhecimento dos alunos e às necessidades daclasse.
  15. 15. O lugar da leitura do texto literárioA proposta do desenvolvimento da disciplinaLeitura e Produção de Textos (LPT), comduas aulas semanais, na grade curricular do cicloII do Ensino Fundamental, foi concebida naperspectiva de uma contribuição para oletramento literário
  16. 16. Destaques:• Necessidade de se chamar a atenção para ovalor da literatura e sua função social, bem comopara as relações possíveis entre literatura eeducação. • Concentração de esforços na formação deleitores literários e na constituição de umacomunidade de leitores e produtores de textosque sejam capazes de atender às demandas dasdiferentes esferas comunicativas da sociedade.
  17. 17. • A escola deve fazer a escolarização daliteratura, com a leitura das obras e, nãoapenas, das informações teóricas ou críticasa respeito do autor, ou do texto.• Os livros falam por si mesmos?• Ler é um ato solitário?•Não existem palavras para expressar o quesentimos quando lemos um texto literário...
  18. 18. Compartilhar sentidos construídos a partirda leitura é um convite a explorar a obrasob vários aspectos e participar daampliação dos horizontes de interpretação ede escolhas de leituras.
  19. 19. Propostas de produção textualé necessário• prever que os alunos sejam capazes decoordenar procedimentos, muitas vezes,complexos, relacionados tanto com oplanejamento do que querem expressar,quanto da própria escrita;• estabelecer comandos e fornecerorientações que deixem clara a proposta.
  20. 20. PlanejamentoAo planejar a rotinasemanal/quinzenal/mensal/bimestral, épreciso que o professor leve em contacertos critérios e organize asatividades de modo a garantir o ler, oouvir, o falar, o escrever de memória,o criar, o reescrever, o revisar.
  21. 21. Os ambientes propícios• às práticas de leitura• à produção textualacervo circulantecom planejamento e organização, a própriasala de aula pode se transformar em localprivilegiado.
  22. 22. Os livros e a leituraA escola deve favorecer a relação com os livros ecom a leitura, pois é o espaço que deve garantir oacesso à cultura letrada. Não se pode deixar delado, a importância de “ler para alguém” ou “contarhistórias”.Socializar as leituras realizadas com os colegas, emrodas de leitura, para expressar-se oralmente ecompartilhar com os outros o que se leu, o que sesentiu, o que se descobriu, as opiniões.
  23. 23. A decodificação é apenas um dosprocedimentos que se utiliza para ler. Há outrasestratégias utilizadas para que o leitor construao significado daquilo que lê: seleção,antecipação, inferência, verificação.O leitor competente utiliza todas as estratégiasquase que ao mesmo tempo.
  24. 24. As estratégias de seleção permitem que o leitormantenha-se atento apenas aos indícios quelhe são úteis para decifrar o texto escrito. As estratégias de antecipação, com base eminformações explícitas e em suposições,permitem que o leitor tenha condições deprever o que poderá encontrar em um texto. Ogênero, o autor, o título, por exemplo, podemajudar o leitor a antecipar significados. 
  25. 25. As estratégias de inferência permitem aoleitor captar o que não apareceexplicitamente no texto. O texto, em seucontexto, apresenta pistas que articuladasaos conhecimentos que o leitor já possui,possibilitam que ele infira significados. As estratégias de verificação permitemconfirmar ou não as hipóteses formuladas.
  26. 26. Produzir bons textos é resultado da leitura demuitos textos diferentes, mas é também fruto dapossibilidade de pensar e trocar ideias sobreoutros textos lidos e sobre a própria produçãotextual.
  27. 27. O trabalho pedagógico para a produção detextos deve estar apoiado em certasreferências: • um amplo repertório de textos lidos ou ouvidos é condição para se escrever textos; • além do repertório de leitura, há necessidade de ensinar a organizar o texto e observar como é possível escrever as mesmas coisas de maneira diferente;
  28. 28. • as propostas de produção de textos devemser contextualizadas, funcionais esignificativas;• é necessário incentivar a elaboração derascunhos, bem como guardá-los paraanalisar o percurso de construção do texto,para favorecer a compreensão de que todotexto é provisório;• produzir textos próprios depende dapossibilidade de operar com textosproduzidos por outras pessoas.
  29. 29. Escrever, revisar, reescreverPara quem? Para quê? O quê? Onde vai publicar?Isto significa que quando alguém escreve deveconsiderar: •a quem o texto se destina; •a finalidade da produção; •o que vai ser dito; •o gênero: um poema, um conto, um relato, uma crônica, uma carta, uma notícia, um cartaz; •o portador: um livro, o mural, o caderno. •todos os aspectos relacionados à escrita: coerência, adequação da linguagem, gramática, ortografia, pontuação; •a necessidade de revisão e de reescrita.
  30. 30. Algumas sugestões de atividades quepodem compor uma sequência• reescrever ou parafrasear textos lidos;• escrever uma notícia policial, a partir da leiturade um conto de mistério;• produzir textos a partir de outros lidos: porexemplo um bilhete ou email que umpersonagem de uma crônica teria escrito a outro;um trecho do diário de um personagem; umareportagem sobre o desfecho de um conto;• planejar coletivamente a escrita de um conto, apartir da sugestão de um enredo para que depoiscada aluno (ou grupo) escreva sua versão; 
  31. 31. • transformar a trama original de um conto, apartir de um ponto de vista diferente;• compor novos textos com personagens eacontecimentos de outros textos lidos;• revisar e reescrever textos em parceria comos colegas.

×