SlideShare uma empresa Scribd logo

Psicogênese da Língua Escrita

Bruna Braga
Bruna Braga
Bruna BragaPrefeitura Municipal de Salvador

Destaque para o nível Pré-Silábico.

Psicogênese da Língua Escrita

1 de 55
Baixar para ler offline
PSICOGÊNESE DA
LÍNGUA ESCRITA
Emília Ferreiro e Ana Teberosky
AS INFLUÊNCIAS DA CONCEPÇÃO PIAGETIANA
  NA COMPREENSÃO DOS PROCESSOS DE
    AQUISIÇÃO DA LEITURA E DA ESCRITA.
6- Conflito
  Cognitivo: permite
 que a criança avance
     na produção e
 elaboração de novos
    conhecimentos.

                                     1- Objeto do
                                 Conhecimento: o sistema
                                          de escrita.
 5- Erro Construtivo:
 indica-nos o quê e como
a criança está elaborando              2- Sujeito da
      suas hipóteses .             Aprendizagem – sujeito
                                   cognoscente: a criança –
                                  produtor do conhecimento .

   4- Conhecimento:
  aparece como aquisição    3- Aprendizagem: resultado
   não-linear e não como      da própria ação do sujeito
    um dado inicial a ser         sobre o objeto do
       conquistado .               conhecimento.
CARACTERÍSTICAS DA PESQUISA
               REALIZADA

1. Defendiam que a aprendizagem da leitura e da escrita não poderia se
   reduzir a um conjunto de técnicas percepto-motoras, nem à vontade ou
   à motivação, mas que deveria se tratar de uma aquisição conceitual.


2. Aquisição conceitual: aquisição de conhecimentos baseada na
   atividade do sujeito em interação com o objeto do conhecimento     -
   estudo da criança confrontada com esse objeto cultural que
   constitui a escrita.
PRINCÍPIOS BÁSICOS DA PESQUISA
                   REALIZADA


1. Não identificar a leitura como decifrado;
2. Não identificar escrita como cópia de um modelo
   externo;
3. Não identificar progressos na conceitualização com
   avanços no decifrado ou na exatidão da cópia gráfica.
Níveis de
conceitualização da
leitura e da escrita.
Anúncio

Recomendados

Apresentação psicogênese da língua escrita
Apresentação psicogênese da língua escritaApresentação psicogênese da língua escrita
Apresentação psicogênese da língua escritaMARILENE RANGEL
 
Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro
Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro
Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro augustafranca7
 
Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Magda Marques
 
Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)
Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)
Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)Edeil Reis do Espírito Santo
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sea sistema de escrita alfabética slide
Sea   sistema de escrita alfabética  slideSea   sistema de escrita alfabética  slide
Sea sistema de escrita alfabética slidetlfleite
 
Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)PamelaAschoff
 
Planejamento pedagógico alinhado à BNCC
Planejamento pedagógico alinhado à BNCCPlanejamento pedagógico alinhado à BNCC
Planejamento pedagógico alinhado à BNCCThalesSantos36
 
Hipóteses de escrita
Hipóteses de escritaHipóteses de escrita
Hipóteses de escritasielcs
 
Relatório de observação
Relatório de observaçãoRelatório de observação
Relatório de observaçãoArte Tecnologia
 
Sistema de Escrita Alfabética - PNAIC
Sistema de Escrita Alfabética - PNAICSistema de Escrita Alfabética - PNAIC
Sistema de Escrita Alfabética - PNAICVera Marlize Schröer
 
Psicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua EscritaPsicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua EscritaJessica Nuvens
 
Oficina leitura e escrita
Oficina leitura e escritaOficina leitura e escrita
Oficina leitura e escritaLuciana Sá
 
Hipóteses da Psicogêse da Língua Escríta
Hipóteses da Psicogêse da Língua EscrítaHipóteses da Psicogêse da Língua Escríta
Hipóteses da Psicogêse da Língua EscrítaAnne Cunha Silveira
 
Consciência Fonológica
Consciência FonológicaConsciência Fonológica
Consciência FonológicaAnanda Lima
 
Plano aula modelo gasparim genero textual
Plano aula modelo gasparim  genero textualPlano aula modelo gasparim  genero textual
Plano aula modelo gasparim genero textualLuis Carlos Santos
 
Projeto "Quem sou eu"
Projeto "Quem sou eu"Projeto "Quem sou eu"
Projeto "Quem sou eu"Graça Sousa
 
Slides planejamento escolar
Slides planejamento escolarSlides planejamento escolar
Slides planejamento escolarAnanda Lima
 
PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012
PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012
PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012Ðouglas Rocha
 

Mais procurados (20)

Sea sistema de escrita alfabética slide
Sea   sistema de escrita alfabética  slideSea   sistema de escrita alfabética  slide
Sea sistema de escrita alfabética slide
 
Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)
 
Modelos relatorios
Modelos relatoriosModelos relatorios
Modelos relatorios
 
Planejamento pedagógico alinhado à BNCC
Planejamento pedagógico alinhado à BNCCPlanejamento pedagógico alinhado à BNCC
Planejamento pedagógico alinhado à BNCC
 
Hipóteses de escrita
Hipóteses de escritaHipóteses de escrita
Hipóteses de escrita
 
Relatório de observação
Relatório de observaçãoRelatório de observação
Relatório de observação
 
EDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTILEDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Sistema de Escrita Alfabética - PNAIC
Sistema de Escrita Alfabética - PNAICSistema de Escrita Alfabética - PNAIC
Sistema de Escrita Alfabética - PNAIC
 
Planejamento 1º periodo
Planejamento 1º periodoPlanejamento 1º periodo
Planejamento 1º periodo
 
Plano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógicaPlano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógica
 
Psicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua EscritaPsicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua Escrita
 
Slides leitura
Slides leituraSlides leitura
Slides leitura
 
Oficina leitura e escrita
Oficina leitura e escritaOficina leitura e escrita
Oficina leitura e escrita
 
Hipóteses da Psicogêse da Língua Escríta
Hipóteses da Psicogêse da Língua EscrítaHipóteses da Psicogêse da Língua Escríta
Hipóteses da Psicogêse da Língua Escríta
 
Consciência Fonológica
Consciência FonológicaConsciência Fonológica
Consciência Fonológica
 
Plano aula modelo gasparim genero textual
Plano aula modelo gasparim  genero textualPlano aula modelo gasparim  genero textual
Plano aula modelo gasparim genero textual
 
Metodos
MetodosMetodos
Metodos
 
Projeto "Quem sou eu"
Projeto "Quem sou eu"Projeto "Quem sou eu"
Projeto "Quem sou eu"
 
Slides planejamento escolar
Slides planejamento escolarSlides planejamento escolar
Slides planejamento escolar
 
PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012
PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012
PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012
 

Semelhante a Psicogênese da Língua Escrita

Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...
Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...
Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...Bete Feliciano
 
Alfabetização e letramento psicogenese
Alfabetização e letramento   psicogeneseAlfabetização e letramento   psicogenese
Alfabetização e letramento psicogeneseAnanda Lima
 
Apresentação psicogênese da língua escrita
Apresentação psicogênese da língua escritaApresentação psicogênese da língua escrita
Apresentação psicogênese da língua escritaAna Paula Epifanio
 
Nivel de desenvolvimento da escrita
Nivel de desenvolvimento da escritaNivel de desenvolvimento da escrita
Nivel de desenvolvimento da escritaEdinei Messias
 
Intervenções no processo da aquisição da escrita
Intervenções no processo da aquisição da escritaIntervenções no processo da aquisição da escrita
Intervenções no processo da aquisição da escritaElaine Mesquita
 
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01pedagogia para licenciados
 
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01pedagogia para licenciados
 
2. Apostila da Oficina da Psicogênese em 2021.pdf
2. Apostila da Oficina da Psicogênese em 2021.pdf2. Apostila da Oficina da Psicogênese em 2021.pdf
2. Apostila da Oficina da Psicogênese em 2021.pdfArislaneOliveira2
 
Concepcao de alfabetizacao
Concepcao de alfabetizacaoConcepcao de alfabetizacao
Concepcao de alfabetizacaoangelafreire
 
Apresentação planejamento psicogênese da língua escrita
Apresentação planejamento   psicogênese da língua escritaApresentação planejamento   psicogênese da língua escrita
Apresentação planejamento psicogênese da língua escritaAlekson Morais
 
Hipóteses da escrita
Hipóteses da escritaHipóteses da escrita
Hipóteses da escritachagasl
 
Hipóteses da escrita
Hipóteses da escritaHipóteses da escrita
Hipóteses da escritachagasl
 
Organizando o trabalho a partir dos níveis da escrita
Organizando o trabalho a partir dos níveis da escritaOrganizando o trabalho a partir dos níveis da escrita
Organizando o trabalho a partir dos níveis da escritaassessoriapedagogica
 
Slides unidade 3 texto 1
Slides unidade 3   texto 1Slides unidade 3   texto 1
Slides unidade 3 texto 1Lais Renata
 
Processo e objetivos da alfabetizacao
Processo e objetivos da alfabetizacaoProcesso e objetivos da alfabetizacao
Processo e objetivos da alfabetizacaoJean Carvalho
 
Atividadesparanvelpr silbico-130601023708-phpapp01
Atividadesparanvelpr silbico-130601023708-phpapp01Atividadesparanvelpr silbico-130601023708-phpapp01
Atividadesparanvelpr silbico-130601023708-phpapp01Kreusa Martins
 
Apresentação Atividades realizadas Turma Pré I Creche Escola Ladybug
Apresentação Atividades realizadas Turma Pré I Creche Escola LadybugApresentação Atividades realizadas Turma Pré I Creche Escola Ladybug
Apresentação Atividades realizadas Turma Pré I Creche Escola LadybugCreche Escola Ladybug
 

Semelhante a Psicogênese da Língua Escrita (20)

Planejamento anual 1
Planejamento anual 1Planejamento anual 1
Planejamento anual 1
 
Slides 8 de junho 2013
Slides 8 de junho 2013Slides 8 de junho 2013
Slides 8 de junho 2013
 
Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...
Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...
Unidade 3 ano 2 A compreensão do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidaç...
 
Alfabetização e letramento psicogenese
Alfabetização e letramento   psicogeneseAlfabetização e letramento   psicogenese
Alfabetização e letramento psicogenese
 
Apresentação psicogênese da língua escrita
Apresentação psicogênese da língua escritaApresentação psicogênese da língua escrita
Apresentação psicogênese da língua escrita
 
Nivel de desenvolvimento da escrita
Nivel de desenvolvimento da escritaNivel de desenvolvimento da escrita
Nivel de desenvolvimento da escrita
 
Apresentação marice
Apresentação marice Apresentação marice
Apresentação marice
 
Intervenções no processo da aquisição da escrita
Intervenções no processo da aquisição da escritaIntervenções no processo da aquisição da escrita
Intervenções no processo da aquisição da escrita
 
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01
 
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01
 
2. Apostila da Oficina da Psicogênese em 2021.pdf
2. Apostila da Oficina da Psicogênese em 2021.pdf2. Apostila da Oficina da Psicogênese em 2021.pdf
2. Apostila da Oficina da Psicogênese em 2021.pdf
 
Concepcao de alfabetizacao
Concepcao de alfabetizacaoConcepcao de alfabetizacao
Concepcao de alfabetizacao
 
Apresentação planejamento psicogênese da língua escrita
Apresentação planejamento   psicogênese da língua escritaApresentação planejamento   psicogênese da língua escrita
Apresentação planejamento psicogênese da língua escrita
 
Hipóteses da escrita
Hipóteses da escritaHipóteses da escrita
Hipóteses da escrita
 
Hipóteses da escrita
Hipóteses da escritaHipóteses da escrita
Hipóteses da escrita
 
Organizando o trabalho a partir dos níveis da escrita
Organizando o trabalho a partir dos níveis da escritaOrganizando o trabalho a partir dos níveis da escrita
Organizando o trabalho a partir dos níveis da escrita
 
Slides unidade 3 texto 1
Slides unidade 3   texto 1Slides unidade 3   texto 1
Slides unidade 3 texto 1
 
Processo e objetivos da alfabetizacao
Processo e objetivos da alfabetizacaoProcesso e objetivos da alfabetizacao
Processo e objetivos da alfabetizacao
 
Atividadesparanvelpr silbico-130601023708-phpapp01
Atividadesparanvelpr silbico-130601023708-phpapp01Atividadesparanvelpr silbico-130601023708-phpapp01
Atividadesparanvelpr silbico-130601023708-phpapp01
 
Apresentação Atividades realizadas Turma Pré I Creche Escola Ladybug
Apresentação Atividades realizadas Turma Pré I Creche Escola LadybugApresentação Atividades realizadas Turma Pré I Creche Escola Ladybug
Apresentação Atividades realizadas Turma Pré I Creche Escola Ladybug
 

Último

Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaQuiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!Psyc company
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfkeiciany
 
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...manoelaarmani
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba InicialTeresaCosta92
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfalexandrerodriguespk
 
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxSlides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...pj989014
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Mary Alvarenga
 
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxssuser86fd77
 
CURRICULO ed integral.pdf
CURRICULO ed integral.pdfCURRICULO ed integral.pdf
CURRICULO ed integral.pdfdaniele690933
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfalexandrerodriguespk
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaQuiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
 
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxSlides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
 
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
 
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
 
CURRICULO ed integral.pdf
CURRICULO ed integral.pdfCURRICULO ed integral.pdf
CURRICULO ed integral.pdf
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
 

Psicogênese da Língua Escrita

  • 1. PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA Emília Ferreiro e Ana Teberosky
  • 2. AS INFLUÊNCIAS DA CONCEPÇÃO PIAGETIANA NA COMPREENSÃO DOS PROCESSOS DE AQUISIÇÃO DA LEITURA E DA ESCRITA.
  • 3. 6- Conflito Cognitivo: permite que a criança avance na produção e elaboração de novos conhecimentos. 1- Objeto do Conhecimento: o sistema de escrita. 5- Erro Construtivo: indica-nos o quê e como a criança está elaborando 2- Sujeito da suas hipóteses . Aprendizagem – sujeito cognoscente: a criança – produtor do conhecimento . 4- Conhecimento: aparece como aquisição 3- Aprendizagem: resultado não-linear e não como da própria ação do sujeito um dado inicial a ser sobre o objeto do conquistado . conhecimento.
  • 4. CARACTERÍSTICAS DA PESQUISA REALIZADA 1. Defendiam que a aprendizagem da leitura e da escrita não poderia se reduzir a um conjunto de técnicas percepto-motoras, nem à vontade ou à motivação, mas que deveria se tratar de uma aquisição conceitual. 2. Aquisição conceitual: aquisição de conhecimentos baseada na atividade do sujeito em interação com o objeto do conhecimento - estudo da criança confrontada com esse objeto cultural que constitui a escrita.
  • 5. PRINCÍPIOS BÁSICOS DA PESQUISA REALIZADA 1. Não identificar a leitura como decifrado; 2. Não identificar escrita como cópia de um modelo externo; 3. Não identificar progressos na conceitualização com avanços no decifrado ou na exatidão da cópia gráfica.
  • 7. A TRAJETÓRIA NA CONSTRUÇÃO DE UM SISTEMA DE ESCRITA 1- A distinção entre os modos de representação- Níveis Icônico e Não-icônico 2- A construção das formas de diferenciação da escrita - Nível Pré-silábico. 3- A fonetização da escrita - do Nível Silábico até o Nível Alfabético.
  • 8. DIFERENCIAÇÃO NOS MODOS DE REPRESENTAÇÃO NÍVEIS ICÔNICOS E NÃO- ICÔNICOS.
  • 9. CARACTERÍSTICAS DAS ESCRITAS 1- HIPÓTESE CENTRAL: busca nas diferenciações entre desenhar e escrever. A- Icônica: escrever é a mesma coisa que desenhar – as formas do grafismo devem reproduzir as formas dos objetos. B- Não-icônica: escrever é reproduzir os traços típicos da escrita, identificados pela criança como a forma básica da escrita. 2- CONSTRUÇÃO GRÁFICA: A- Icônica: • escritas formadas por grafias não convencionais: garatujas e/ou pseudoletras; • uma só grafia para cada nome.
  • 12. CARACTERÍSTICAS DAS ESCRITAS 2- CONSTRUÇÃO GRÁFICA: B – Não- Icônica: diferenciação do desenho da escrita. • presença de escritas convencionais, mas sem o controle de quantidade; • não-diferenciação de letras e números; •Formas básicas utilizadas:  grafismos separados (linhas curvas e retas)- letra imprensa maiúscula, Grafismos ligados entre si com uma linha ondulada – letra cursiva; •Surgimento da linearidade da escrita - esquerda para a direita.
  • 15. CARACTERÍSTICAS DAS ESCRITAS 3- ESCRITA - NÍVEIS DE CONCEITUALIZAÇÃO A –Icônica: desenhar é a mesma coisa que escrever. • as formas dos grafismos importam porque reproduzem as formas dos objetos. • Há a intenção subjetiva quanto ao significado atribuído à escrita. • Escrita do nome próprio: é impossível.
  • 16. CARACTERÍSTICAS DAS ESCRITAS 3- ESCRITA - NÍVEIS DE CONCEITUALIZAÇÃO B- Não-Icônica: escrever é produzir um traçado que se diferencia do desenho por possuir traços típicos da escrita. • Há a intenção subjetiva quanto ao significado atribuído à escrita. • Escrita do nome próprio: se realiza segundo as características das outras escritas, com um número indefinido ou variável de grafismos. • As diferenças dos significados não são demonstradas objetivamente na produção gráfica – escritas iguais para palavras diferentes, significados diferentes. •Tentativa de correspondência da escrita e do tamanho do objeto.
  • 18. CARACTERÍSTICAS DAS ESCRITAS 3- LEITURA - NÍVEIS DE CONCEITUALIZAÇÃO A - Icônica e Não-Icônica: leitura global – idéia. • Não há a correspondência grafo-fonêmica. • Cada um pode interpretar sua própria escrita mas não a dos outros: a escrita é individual e instável. • Leitura de Palavras: não há diferenças entre texto e desenhos (ICÔNICO). • O texto é considerado uma etiqueta do desenho (NÃO-ICÔNICO). A MENINA ESTÁ FELIZ. MENINA
  • 19. A CONSTRUÇÃO NAS FORMAS DE DIFERENCIAÇÃO. NÍVEL PRÉ-SILÁBICO.
  • 20. CARACTERÍSTICAS DAS ESCRITAS 1- HIPÓTESE CENTRAL: coisas diferentes, isto é, atribuir significados diferentes, deve haver uma diferença objetiva nas escritas. • Importante : elaboração de hipóteses de que faz falta uma certa quantidade mínima de grafismos para escrever algo, bem como a hipótese da variedade nos grafismos. 2- CONSTRUÇÃO GRÁFICA: • A forma dos grafismos é mais definida, mais próxima das letras. • Predomínio da escrita de imprensa em maiúscula (influência dos estímulos do meio). • Possibilidade de memorização de escritas de palavras - reprodução de formas fixas, na ausência do modelo. •Diferenciação das formas gráficas: letras e números.
  • 23. CARACTERÍSTICAS DAS ESCRITAS 3- ESCRITA - NÍVEIS DE CONCEITUALIZAÇÃO A- ASPECTO QUANTITATIVO: • uma letra para representar o nome de JOÃOZINHO: M; •muitas letras para representar o nome do ZEZÉ: MCLUDIALSTURIA; •Muitas letras, nunca menos de três para representar nomes; •As palavras se diferenciam de acordo com o tamanho e quantidades de objetos a serem representados.
  • 27. CARACTERÍSTICAS DAS ESCRITAS 3- ESCRITA - NÍVEIS DE CONCEITUALIZAÇÃO B- ASPECTO QUALITATIVO: • Ao escreverem coisas diferentes, ora as crianças variam o repertório de letras, ora variam a posição das letras. • Também é comum aumentar o número de letras conforme as crianças representam através da escrita coisas diferentes. • O nome próprio geralmente é o ponto de partida (primeira forma estável dotada de significação) para o uso de letras na escrita.
  • 30. CARACTERÍSTICAS DAS ESCRITAS 3- LEITURA - NÍVEIS DE CONCEITUALIZAÇÃO • Não há a correspondência grafo-fonêmica. • A correspondência entre a escrita e o nome é ainda global e não- analisável: à totalidade da escrita corresponde o nome. • As propriedades do texto fornecem indicadores que permitem sustentar a antecipação feita a partir da imagem.
  • 31. P. O que está dito? C. MENINA. P. Poderá estar dito “A MENINA SEGURA A CAIXA? C. Não, porque é muito pequenininho e não alcança. CAIXA P. O que está dito? C. URSINHO. P. Estão aí as letras de URSINHO? C. Não, acho que não. BRINQUEDO
  • 32. A FONETIZAÇÃO DA ESCRITA. NÍVEL SILÁBICO
  • 33. CARACTERÍSTICAS DAS ESCRITAS 1- HIPÓTESE CENTRAL: tentativa de dar um valor sonoro a cada uma das letras que compõem a escrita. 2- CONSTRUÇÃO GRÁFICA: • Podem aparecer grafias distantes das formas das letras e também grafias bem diferenciadas. • Escrita de letras com ou sem valor sonoro convencional. • Uso da primeira letra da palavra, cujo valor sonoro é importante. • A quantidade de estoque gráfico pode variar de acordo com a imersão da criança no contexto social.
  • 34. 1- BRIGADEIRO 2- ROCAMBOLE 3-TORTA 4- PIRULITO 5- MEL 6- QUERO MUITOS DOCES NA MINHA FESTA DE ANIVERSÁRIO.
  • 35. 1- BRIGADEIRO 2- ROCAMBOLE 3-TORTA 4- PIRULITO 5- MEL 6- QUERO MUITOS DOCES NA MINHA FESTA DE ANIVERSÁRIO.
  • 36. CARACTERÍSTICAS DAS ESCRITAS 3- ESCRITA - NÍVEIS DE CONCEITUALIZAÇÃO • Tentativa de fonetização da escrita, com valores silábicos; •Antecipação progressiva e regular da quantidade de grafias: procura escrever uma letra para representar cada bloco de som da palavra; •Ainda há a influência da questão quantitativa para a escrita das palavras dissílabas e monossílabas: não se pode ler e escrever com menos de 3 letras, por isso a criança aumenta o número de letras – SAPO/ A P E I; • O conflito cognitivo da variedade interna de letras e a quantidade a ser utilizada, obriga a criança a abandonar progressivamente a hipótese silábica em favor de uma análise fonêmica mais exaustiva da palavra.
  • 37. 1- BRIGADEIRO 2- ROCAMBOLE 3-TORTA 4- PIRULITO 5- MEL 6- QUERO MUITOS DOCES NA MINHA FESTA DE ANIVERSÁRIO.
  • 38. 1- SOL 2- OVO 3-COELHO 4- CHOCOLATE 5- O OVO DE PÁSCOA É GOSTOSO.
  • 39. CARACTERÍSTICAS DAS ESCRITAS 3- LEITURA - NÍVEIS DE CONCEITUALIZAÇÃO • Na leitura, há a passagem da correspondência global para a correspondência termos a termo. • Leitura de palavras monossílabas e dissílabas nos quais sobram letras – atribuição de significados complementares à interpretação da palavra ou à sua omissão na leitura . • Início da compreensão de que a escrita representa os sons da fala.
  • 40. CARACTERÍSTICAS DAS ESCRITAS 3- LEITURA - NÍVEIS DE CONCEITUALIZAÇÃO • Aparecimento de conflitos com relação à leitura de formas fixas aprendidas no meio, quando a criança propõe lê-las na forma silábica: SOL – S O L. • Leitura de palavras monossílabas e dissílabas nos quais sobram letras – atribuição de significados complementares à interpretação da palavra ou à sua omissão na leitura .
  • 41. 1- SOL 2- OVO 3-COELHO 4- CHOCOLATE 5- O OVO DE PÁSCOA É GOSTOSO.
  • 42. 1- SOL 2- OVO 3-COELHO 4- CHOCOLATE 5- O OVO DE PÁSCOA É GOSTOSO.
  • 43. A FONETIZAÇÃO DA ESCRITA. NÍVEL SILÁBICO-ALFABÉTICO
  • 44. CARACTERÍSTICAS DAS ESCRITAS 1- HIPÓTESE CENTRAL: coexistência de duas formas de corresponder sons e grafias: fonemas para algumas partes das palavras e sílabas para as outras. 2- CONSTRUÇÃO GRÁFICA: • Escritas diferenciadas com valor sonoro inicial semelhantes. • Quantidade e repertório de gráfico variáveis. • Escrita na qual algumas grafias representam uma sílaba e outras, um fonema- inclusão de letras na composição de uma sílaba na palavra: S PA T. • A construção total da palavra não está determinada por uma intenção de correspondência sonora: percepção fonêmica mais apurada que o estágio anterior.
  • 45. 1- MÃE 2- AMOR 3- CARINHO 4- SIMPÁTICA 5- MINHA MAMÃE É UM TESOURO.
  • 46. CARACTERÍSTICAS DAS ESCRITAS 3- ESCRITA - NÍVEIS DE CONCEITUALIZAÇÃO • Abandono da hipótese silábica: surge o conflito entre a hipótese silábica e a exigência de quantidade mínima de grafias. • Passagem da hipótese silábica para a hipótese alfabética; •As escritas aparecem com características de omissões de letras pela coexistência das hipóteses alfabética e silábica. • Surgimento de perguntas sobre qual letra ou sílaba usar.
  • 47. 1- MÃE 2- AMOR 3- CARINHO 4- SIMPÁTICA 5- MINHA MAMÃE É UM TESOURO.
  • 48. 1- BRIGADEIRO 2- ROCAMBOLE 3-TORTA 4- PIRULITO 5- MEL 6- QUERO MUITOS DOCES NA MINHA FESTA DE ANIVERSÁRIO.
  • 49. CARACTERÍSTICAS DAS ESCRITAS 3- LEITURA - NÍVEIS DE CONCEITUALIZAÇÃO • São feitas seguidas análises sonoras das palavras. • É típica a mistura, na leitura do nome, da hipótese silábica e de um começo da hipótese alfabética.
  • 50. 1- PA 2- BOLA 3- BALANÇO 4- PATINETE 5- AS CRIANÇAS BRINCAM NO BALANÇO.
  • 51. A FONETIZAÇÃO DA ESCRITA. NÍVEL ALFABÉTICO
  • 52. CARACTERÍSTICAS DAS ESCRITAS 1- HIPÓTESE CENTRAL: • Compreensão de que cada som (fonema) corresponde a uma letra; • As letras combinam-se para formar sílabas e palavras. 2- CONSTRUÇÃO GRÁFICA: • Escrita alfabética com valor sonoro convencionado.
  • 53. CARACTERÍSTICAS DAS ESCRITAS 3- ESCRITA - NÍVEIS DE CONCEITUALIZAÇÃO • Compreensão dos caracteres da escrita na correspondência grafo- fonêmica: antecipação quantitativa na representação escrita das palavras. • Presença de uma análise fonêmica na representação das palavras, sem contudo estar conforme os padrões ortográficos de escrita. •Compreensão da natureza alfabética do sistema de escrita: representação arbitrária dos sons da fala na escrita. • Presença de conflitos nas relações entre grafemas e fonemas, conforme o padrão ortográfico vigente.
  • 54. CARACTERÍSTICAS DAS ESCRITAS 3- LEITURA - NÍVEIS DE CONCEITUALIZAÇÃO • A criança já lê alfabeticamente, com ou sem fluência.