Epidemiologia ris

3.249 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.249
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
200
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Epidemiologia ris

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL INTEGRADA EM SAÚDE DISCIPLINA DE EPIDEMIOLOGIA E VIGILÂNCIA I e IIEPIDEMIOLOGIAUma introdução jessyesm@hotmail.com
  2. 2. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL INTEGRADA EM SAÚDE DISCIPLINA DE EPIDEMIOLOGIA E VIGILÂNCIA I e IIEPI DEMOS LOGIA PovoSobre Estudo
  3. 3. Conceito de Epidemiologia: “A ciência que estuda o processo saúde-doença nasociedade, analisando a distribuição populacional e os fatores determinantes das enfermidades, danos à saúde e eventos associados à saúde coletiva,propondo medidas específicas de prevenção, controle ou erradicação de doenças e fornecendo indicadores que sirvam de suporte ao planejamento, administração e avaliação das ações de saúde.“ (Almeida-Filho & Rouquayrol, 1993)
  4. 4. Conceito de Epidemiologia:“É o estudo da distribuição do estado de saúde-doença (ou de eventos a ele relacionados) e de seus determinantes em populações específicas, e a aplicação desse estudo para o controle dos problemas de saúde.” (Last, JM. A Dictionary of Epidemiology, 2nded. New York, Oxford University Press, 1988).
  5. 5. A ocorrência edistribuição doseventos relacionados àsaúde não se dão poracaso.
  6. 6. LEI 8080 CAPÍTULO IIDos Princípios e Diretrizes Art. 7º As ações e serviços públicos de saúde e os serviços privados contratados ou conveniados que integram oSistema Único de Saúde (SUS), são desenvolvidos de acordo com as diretrizes previstas no art. 198 da ConstituiçãoFederal, obedecendo ainda aos seguintes princípios:... VII - utilização da epidemiologia para o estabelecimento deprioridades, a alocação de recursos e a orientação programática; ... Da Gestão FinanceiraArt. 35. Para o estabelecimento de valores a serem transferidos a Estados, Distrito Federal e Municípios, será utilizadaa combinação dos seguintes critérios, segundo análise técnica de programas e projetos:... II - perfil epidemiológico da população a ser coberta; ...  CAPÍTULO IIIDo Planejamento e do Orçamento  Art. 37. O Conselho Nacional de Saúde estabelecerá as diretrizes a serem observadas na elaboração dos planosde saúde, em função das características epidemiológicas e da organização dos serviços emcada jurisdição administrativa .
  7. 7. HISTÓRIA Epidemiologia, séculos XVIII e XIX- Ano 5 AC: Hipócrates: doença humana poderia estar relacionada ao ambiente;- 1662, John Graunt: registros de nascimento e óbitos em Londres, sugerindo sazonalidade da mortalidade infantil- 1840, William Farr : diferentes padrões de mortalidade segundo estado civil e padrões de doenças ocupacionais (trabalhadores em minas de carvão e na indústria).
  8. 8. HISTÓRIAExemplos: Doenças carenciais:–Lind: escorbuto (deficiência de vitamina c) – estudo experimental em tripulações de navio–Goldberger: pelagra (deficiência de niacina VitB3 ou vit PP) – estudo experimental em orfanatos e presídios Doenças infecciosas:–Jenner: varíola - experimento vacina–Semmelwies: comparação do perfil de mortalidade entre 2 maternidades febre puerperal x lavar as mãos
  9. 9. HISTÓRIA John Snow - 1854
  10. 10. HISTÓRIA Início da década de 80: Centers of Disease Control (CDC-USA) - aumento da demanda de pentamidina, droga sob controle usada para o tratamento de pneumonia por Pneumocisti carini. Epidemiologistas investigaram o fato e constataram um aumento desta infecção e de outras condições associadas como o sarcoma de Kaposi, infecções oportunistas e deficiência imunológica. AIDS
  11. 11. HISTÓRIAIntervenção visando o controle, mesmo sem conhecer seu agente etiológico !Segunda metade do século XIX - microbiologia
  12. 12. INDICADORES DE SAÚDE
  13. 13. TRANSIÇÃO TRANSIÇÃO DEMOGRÁFICA EPIDEMIOLÓGICA Processo de Estudo da evolução modernização global dos padrões de com base em mortalidade, de forma determinado padrão destacada dos outros demográfico elementos da “ tradicional” , até sua dinâmica conversão em um padrão populacional. demográfico moderno.PAES-SOUSA, R. Diferenciais intra-urbanos de mortalidade em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, 1994: revisitando o debatesobre transições demográfica e epidemiológica. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 18(5):1411-1421, set-out, 2002 .
  14. 14.  Um indicador (índice ou taxa) é uma forma de medir e avaliar determinadas tendências, contextos e realidade.
  15. 15. INDICADORES MAISUTILIZADOSPREVALÊNCIA Proporção de indivíduos de uma população afetados por uma enfermidade em um momento ou período de tempo determinado.
  16. 16. INDICADORES MAISUTILIZADOSINCIDÊNCIANúmero de casos novos de umadoença que surgem em umapopulação durante um períododeterminado de tempo.
  17. 17. Alguns Conceitos ... EPIDEMIA: ocorrência coletiva de uma doença, elevando significativamente a incidência; ENDEMIA: ocorrência coletiva de uma doença, com incidência constante; PANDEMIA: é uma epidemia que atinge várias nações; SURTO EPIDÊMICO: é uma ocorrência epidêmica restrita a um espaço delimitado;
  18. 18. INDICADORES MAIS UTILIZADOS- Cobertura vacinal = nº de vacinados no grupo etário com vacina A 0 0 (%) nº de pessoas no grupo etário X1- Coeficiente de mort. Infantil = nº de óbitos <1ano, ano x, área x 1 00 0 X nº de nascidos vivos, ano x, área x- Coeficiente de morbidade = nº de casos de uma doença 0 10 (%) população X
  19. 19. DELINEAMENTOS
  20. 20. APLICAÇÕESPRÁTICAS
  21. 21. ESTUDO DIRIGIDO 1. Número de casos incidentes em 2003? 2. Número de casos prevalentes em 2003? 3. Os casos prevalentes em 01/01/04 somaram? 4. Os casos prevalentes em 31/12/02 totalizaram? 5. Número de casos incidentes em 2002?

×