Olm 100922-médiuns escreventes-especiais-formação dos médiuns

329 visualizações

Publicada em

Estudo do livro da codificação espirita em ppt " O LIVRO DOS MÉDIUNS

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
329
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
52
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Olm 100922-médiuns escreventes-especiais-formação dos médiuns

  1. 1. 1/22 O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS PARIS 1861
  2. 2. 2/22 Capítulo XII: Pneumatografia ou Escrita Direta-Pneumatofonia Capítulo XIII: Psicografia Capítulo XIV: Os médiuns Capítulo XV: Médiuns escreventes ou psicógrafos Capítulo XVI: Médiuns especiais Capítulo XVII: Formação dos médiuns - Desenvolvimento da Mediunidade - Mudança de Caligrafia - Perda e Suspensão da Mediunidade Capítulo XVIII: Inconvenientes e perigos da mediunidade Capítulo XIX: Papel dos médiuns nas comunicações Capítulo XX: Influência moral do médium Sumário de “O livro dos médiuns”Sumário de “O livro dos médiuns” O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  3. 3. 3/22 O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS MEIOMEIOMÉDIUNSMÉDIUNSFENÔMENOSFENÔMENOS VIII- laboratório invisívellaboratório invisível Síntese do ÍNDICE da 2ª PARTE do LM: Das manifestações espíritas I - ação dos espíritos...ação dos espíritos... II -II - manifestações físicasmanifestações físicas III- man. inteligentesman. inteligentes IV-teoria das man. físicasteoria das man. físicas V– man. fís. espontâneasman. fís. espontâneas VI- man. visuaisman. visuais VII-bicorporeidade transf.bicorporeidade transf. IX- locais assombradoslocais assombrados X- a natureza das comun.a natureza das comun. XI-sematologia tiptologiasematologia tiptologia XII - escrita diretaescrita direta XIV- os médiunsXIV- os médiuns XV- dos escreventes XVI- médiuns especiais XVII- a formação XVIII- os perigos XIX- seu papel XX- a influência moral XIII - psicografiapsicografia XXVIII- dodo charlatanismocharlatanismo ee dada prestidigitaçãoprestidigitação XXI-dada influência do meioinfluência do meio XXII -XXII - dosdos animaisanimais XXIII- dada obsessãoobsessão XXIV- dada identificaçãoidentificação XXV - dasdas evocaçõesevocações XXVI- dasdas perguntasperguntas XXVII- dasdas contradições econtradições e mistificaçõesmistificações XXIX- dasdas reuniões e soc.reuniões e soc. XXX - regulamento SPEEregulamento SPEE XXXI - dissertaçõesdissertações XXXII - vocabuláriovocabulário
  4. 4. 4/22 Cap. XV – Médiuns escreventes os psicógrafosCap. XV – Médiuns escreventes os psicógrafos  De todas as formas de comunicação, a escrita manual é a mais simples, a mais cômoda e sobretudo a mais completa. Todos os esforços devem ser feitos para o seu desenvolvimento, porque ela permite estabelecer relações tão permanentes e regulares com os Espíritos, como as que mantemos entre nós.  A essa importância que Kardec coloca a psicografia, basta atentarmos para a obra de Chico Xavier O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  5. 5. 5/22 Cap. XVI – Médiuns especiaisCap. XVI – Médiuns especiais O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS SABER DO ESPÍRITOSABER DO ESPÍRITO APTIDÃO DO MÉDIUMAPTIDÃO DO MÉDIUM POETAS MÚSICOS DESENHISTAS MORALISTAS SÁBIOS MÉDICOS, etc DEPENDE A BOADEPENDE A BOA COMUNICAÇÃOCOMUNICAÇÃO 1. DAS QUALIDADES DO ESPÍRITO 2. DAS APTIDÕES DO MÉDIUM 3. DAS INTENÇÕES DE QUEM INTERROGA Além das aptidões, os espíritos se comunicam dando preferência à médiuns, de acordo com as suas simpatias
  6. 6. 6/22 Cap. XVI – Médiuns especiaisCap. XVI – Médiuns especiais O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS EFEITOS FÍSICOSEFEITOS FÍSICOS TIPTÓLOGOS MOTORES DE TRANSLAÇÕES / SUSPENSÕES DE EFEITOS MUSICAIS DE APARIÇÕES DE TRANSPORTES NOTURNOS PNEUMATÓGRAFOS CURADORES EFEITOS INTELECTUAISEFEITOS INTELECTUAIS AUDITIVOS FALANTES VIDENTES INSPIRADOS DE PRESSENTIMENTOS PROFÉTICOS SONÂMBULOS EXTÁTICOS PINTORES E DESENHISTAS
  7. 7. 7/22 O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS Cap. XVI – Formação dos médiunsCap. XVI – Formação dos médiuns - Desenvolvimento da mediunidade- Desenvolvimento da mediunidade Eclosão da mediunidade Educação da mediunidade - Mudança de caligrafia- Mudança de caligrafia - Perda e suspensão da mediunidade- Perda e suspensão da mediunidade
  8. 8. 8/22 O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS Cap. XVI – Formação dos médiunsCap. XVI – Formação dos médiuns Desenvolvimento da mediunidadeDesenvolvimento da mediunidade  Trataremos aqui, especialmente, dos médiuns escreventes (psicógrafos), porque é este o gênero de mediunidade que mais se expandiu, e também porque é há um tempo o mais simples, o mais cômodo, o que proporciona resultados mais satisfatórios e mais completos.
  9. 9. 9/22 O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS Cap. XVI – Formação dos médiunsCap. XVI – Formação dos médiuns Desenvolvimento da mediunidadeDesenvolvimento da mediunidade  “Infelizmente não há, até o presente, nenhum meio de diagnosticar, mesmo de maneira aproximativa, que se possui essa faculdade. Os sinais físicos que alguns tomam por indícios nada têm de certo.”  ”Só há um meio de constatar a existência da mediunidade: é experimentar.”  Cuidado com os médiuns que vêem mediunidade em tudo
  10. 10. 10/22 O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS Cap. XVI – Formação dos médiunsCap. XVI – Formação dos médiuns Desenvolvimento da mediunidadeDesenvolvimento da mediunidade  “O desejo de todo aspirante a médium é poder conversar com Espíritos de pessoas queridas, mas essa impaciência deve ser moderada, porque a comunicação com um Espírito apresenta quase sempre dificuldades materiais que a tornam quase impossível”  Muitas vezes acontece não ser com ele que as relações fluídicas se estabeleçam com maior facilidade, por maior simpatia que lhe devote.
  11. 11. 11/22 O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS Cap. XVI – Formação dos médiunsCap. XVI – Formação dos médiuns Desenvolvimento da mediunidadeDesenvolvimento da mediunidade  Não há para isso fórmulas sacramentais.  Mais importante a se observar, do que a maneira de fazer o apelo, é a calma e o recolhimento que se deve ter, junto a um desejo ardente e uma firme vontade de êxito.  Uma vontade séria, perseverante, sustentada com firmeza, sem impaciência nem ansiedade.
  12. 12. 12/22 O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS Cap. XVI – Formação dos médiunsCap. XVI – Formação dos médiuns Desenvolvimento da mediunidadeDesenvolvimento da mediunidade  Os primeiros sinais da psicografia é uma espécie de frêmito no braço e na mão. Aos poucos a mão é arrastada por um impulso que não pode dominar. No início, pode acontecer escrita sem significação. Depois, a escrita torna-se mais precisa e rápida.  Nessa fase de treino, é prudente não tornar pública essas mensagens
  13. 13. 13/22 O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS Cap. XVI – Formação dos médiunsCap. XVI – Formação dos médiuns Desenvolvimento da mediunidadeDesenvolvimento da mediunidade  A psicografia mecânica pura é muito rara, juntando-se a ela, muito frequentemente, em maior ou menor grau, a intuição.  O médium, tendo consciência do que escreve, é naturalmente levado a duvidar da sua faculdade: não sabe se a escrita é dele mesmo ou de outro Espírito. Mas ele não deve absolutamente inquietar-se com isso e deve prosseguir apesar da dúvida.
  14. 14. 14/22 O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS Cap. XVI – Formação dos médiunsCap. XVI – Formação dos médiuns Desenvolvimento da mediunidadeDesenvolvimento da mediunidade  É indiferente saber se o pensamento provém do médium ou de um Espírito. Isso acontece, sobretudo, quando um médium puramente intuitivo ou inspirado realiza por si mesmo um trabalho de imaginação. Pouco importa que então se atribua um pensamento que lhe foi sugerido. Se boas idéias lhe ocorrem,
  15. 15. 15/22 O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS Cap. XVI – Formação dos médiunsCap. XVI – Formação dos médiuns Mudança da caligrafiaMudança da caligrafia  Fenômeno muito comum entre os médiuns escreventes é o da mudança de caligrafia, segundo os Espíritos que se comunicam.  Favorece a identificação do espírito  Mas a uniformidade da escrita, mesmo num médium mecânico, nada prova contra a sua faculdade, pois a mudança de caligrafia não é condição absoluta na psicografia, mas decorre de uma aptidão especial
  16. 16. 16/22 O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS Cap. XVI – Formação dos médiunsCap. XVI – Formação dos médiuns Perda e suspensão da mediunidadePerda e suspensão da mediunidade  Os médiuns podem perder sua faculdade? — Isso acontece com freqüência, qualquer que seja o gênero da faculdade. Mas quase sempre, também, não passa de uma interrupção momentânea, que cessa com a causa que a produziu.
  17. 17. 17/22 O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS Cap. XVI – Formação dos médiunsCap. XVI – Formação dos médiuns Perda e suspensão da mediunidadePerda e suspensão da mediunidade  A causa da perda da mediunidade seria o esgotamento do fluido? — Qualquer que seja a faculdade do médium, ele não tem podai sem o concurso simpático dos Espíritos. Quando nada obtém, nem sempre é porque a faculdade lhe falta, mas frequentemente são Espíritos que não querem ou não podem servir-se dele.
  18. 18. 18/22 O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS Cap. XVI – Formação dos médiunsCap. XVI – Formação dos médiuns Perda e suspensão da mediunidadePerda e suspensão da mediunidade  Qual a causa do abandono do médium pelos Espíritos? — O uso que ele faz da mediunidade é o que mais influi sobre os Espíritos bons.  Se o médium pratica a mediunidade em proveito próprio, nessas ocasiões podem surgir a mistificação
  19. 19. 19/22 O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS Cap. XVI – Formação dos médiunsCap. XVI – Formação dos médiuns Perda e suspensão da mediunidadePerda e suspensão da mediunidade  Os espíritos podem, momentaneamente, se se afastar para que isso lhe sirva de lição e lhe prove que a sua faculdade não depende só dele, dando um freio a sua vaidade. Tem ainda o fim de provar ao médium que ele escreve sob influência de outro, pois de outro modo não haveria intermitências. De resto, a interrupção da faculdade não é sempre uma punição, pode ser uma oportunidade de repouso.
  20. 20. 20/22 O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS Cap. XVI – Formação dos médiunsCap. XVI – Formação dos médiuns Perda e suspensão da mediunidadePerda e suspensão da mediunidade  Os bons espíritos se afastam no sentido de não promoverem comunicações, mas não abandonam os médiuns.  Vê-se, desde já, a importância do aspecto moral do médium, para que possa merecer as boas companhias, e por consequencia, receber boas comunicações.
  21. 21. 21/22 Capítulo XIV: Os médiuns Capítulo XV: Médiuns escreventes ou psicógrafos Capítulo XVI: Médiuns especiais Capítulo XVII: Formação dos médiuns Capítulo XVIII: Inconvenientes e perigos da mediunidade - Influência do exercício da mediunidade sobre a saúde sobre o cérebro e sobre as crianças. Capítulo XIX: Papel dos médiuns nas comunicações - Influência do espírito do médium - Aptidão de certos médiuns para língua, música, desenho, etc Capítulo XX: Influência moral do médium Capítulo XXI: Influência do meio Capítulo XXII: Da mediunidade nos animais Sumário de “O livro dos médiuns”Sumário de “O livro dos médiuns” O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  22. 22. 22/22 O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS “Diga-me com quem andas e te direi quem és” PROVÉRBIO POPULAR

×