SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Sede PerfeitosSede Perfeitos
"Sede Perfeitos como"Sede Perfeitos como
vosso Pai Celestial évosso Pai Celestial é
perfeito.”perfeito.”
JesusJesus
 „„Amai aos vossos inimigos; fazeiAmai aos vossos inimigos; fazei
o bem àqueles que vos odeiam eo bem àqueles que vos odeiam e
orai por aqueles que vosorai por aqueles que vos
perseguem e que vos caluniam;perseguem e que vos caluniam;
porque se não amais senãoporque se não amais senão
aqueles que vos amam queaqueles que vos amam que
recompensa tereis? Osrecompensa tereis? Os
publicanos não o fazem também?publicanos não o fazem também?
E se vós não saudardes senãoE se vós não saudardes senão
vossos irmãos, que fazei nissovossos irmãos, que fazei nisso
mais que os outros? Os Pagãosmais que os outros? Os Pagãos
não o fazem também?não o fazem também?
Sede pois, vós outros, perfeitosSede pois, vós outros, perfeitos
como Vosso Pai Celestial écomo Vosso Pai Celestial é
perfeito.”perfeito.”
(São Mateus, capV, v.44,46,47 e 48)(São Mateus, capV, v.44,46,47 e 48)
AMORAMOR
caridadecaridade
Alegria sãAlegria sã
piedadepiedade
mansidãomansidão
perdãoperdão
CaridadeCaridade
desinteressadadesinteressada
féfé
paciênciapaciência
indulgênciaindulgência
bondadebondade
O Espírito prova a suaO Espírito prova a sua
elevação quandoelevação quando
todos os atos de suatodos os atos de sua
vida corporal são avida corporal são a
prática da lei deprática da lei de
Deus e quandoDeus e quando
compreende, porcompreende, por
antecipação, a vidaantecipação, a vida
espiritualespiritual..
 É aquele que pratica a lei de justiça,É aquele que pratica a lei de justiça,
amor e caridadeamor e caridade na sua maior pureza...na sua maior pureza...
 Se interroga à sua consciênciaSe interroga à sua consciência
sobre seus próprios atossobre seus próprios atos
 Tem fé em Deus...Tem fé em Deus...
 Tem fé no futuro...Tem fé no futuro...
 Sabe que todas as vicissitudes...Sabe que todas as vicissitudes...
são provas ou expiações, e assão provas ou expiações, e as
aceita sem murmurar.aceita sem murmurar.
 Faz o bem pelo bem, sem esperançaFaz o bem pelo bem, sem esperança
de recompensade recompensa
O HOMEM DE BEMO HOMEM DE BEM
O HOMEM DE BEMO HOMEM DE BEM
 Bom e humano, benevolente para com todosBom e humano, benevolente para com todos
sem preferência desem preferência de raçasraças nemnem crençascrenças
 Respeita nos outros todas as convicçõesRespeita nos outros todas as convicções
sinceras e não lança anátema àquele que nãosinceras e não lança anátema àquele que não
pensam como ele.pensam como ele.
 A caridade é o seu guiaA caridade é o seu guia
 Não tem ódio, nem rancor, nem desejo deNão tem ódio, nem rancor, nem desejo de
vingança: a exemplo de Jesus perdoa...vingança: a exemplo de Jesus perdoa...
O HOMEM DE BEMO HOMEM DE BEM
 É indulgente com as faltasÉ indulgente com as faltas
alheiasalheias
 Não se compraz em procurarNão se compraz em procurar
os defeitos alheios e nem emos defeitos alheios e nem em
colocá-los em evidência...colocá-los em evidência...
 Estuda as suas própriasEstuda as suas próprias
imperfeições e trabalha, semimperfeições e trabalha, sem
cessar, em combatê-las...cessar, em combatê-las...
 Não se envaidece nem com aNão se envaidece nem com a
fortuna, nem com asfortuna, nem com as
vantagens pessoais, porquevantagens pessoais, porque
sabe que tudo o que lhe foisabe que tudo o que lhe foi
dado pode lhe ser retirado.dado pode lhe ser retirado.
O HOMEM DE BEMO HOMEM DE BEM
 Usa, mas não abusa dos bens que lhe sãoUsa, mas não abusa dos bens que lhe são
concedidos, porque sabe que é um depósito doconcedidos, porque sabe que é um depósito do
qual terá que prestar contas, e que o emprego,qual terá que prestar contas, e que o emprego,
o mais prejudicial para si mesmo é de fazê-loo mais prejudicial para si mesmo é de fazê-lo
servir à satisfaçao de suas paixõesservir à satisfaçao de suas paixões
 Se a ordem social colocou homem sob suaSe a ordem social colocou homem sob sua
dependência ele os trata com bondade edependência ele os trata com bondade e
benevolência...benevolência...
 O subordinado, por sua vez, compreende osO subordinado, por sua vez, compreende os
deveres de sua posição e tem o escrúpulo emdeveres de sua posição e tem o escrúpulo em
cumprí-los conscienciosamente...cumprí-los conscienciosamente...
As virtudes e os víciosAs virtudes e os vícios
(L.E.)(L.E.)
 893. Qual é a mais meritória de todas as893. Qual é a mais meritória de todas as
virtudes?virtudes?
Todas as virtudes tem seu mérito...Todas as virtudes tem seu mérito...
Mas o sublime da virtude consiste noMas o sublime da virtude consiste no
SACRIFÍCIO DO INTERESSE PESSOAL para oSACRIFÍCIO DO INTERESSE PESSOAL para o
bem do próximo, sem oculta intenção.bem do próximo, sem oculta intenção.
As virtudes e os víciosAs virtudes e os vícios
(L.E.)(L.E.)
 895. ... Qual é o sinal mais característico da895. ... Qual é o sinal mais característico da
imperfeição?imperfeição?
 - O interesse pessoal. ... O apego às coisas- O interesse pessoal. ... O apego às coisas
materiais é um sinal notório de inferioridade,materiais é um sinal notório de inferioridade,
poque quanto mais o homem prende-se aospoque quanto mais o homem prende-se aos
bens do mundo, menos compreende a suabens do mundo, menos compreende a sua
destinação.destinação.
Auto-conhecimentoAuto-conhecimento
““Conhece-te a ti mesmo.”Conhece-te a ti mesmo.”
É a chave para o progresso individualÉ a chave para o progresso individual
Quem somos, afinal?Quem somos, afinal?
 Somos uma alma, um espírito que evolui aoSomos uma alma, um espírito que evolui ao
longo dos processos reencarnatórios.longo dos processos reencarnatórios.
Precisamos conhecer aPrecisamos conhecer a
origem, a natureza do queorigem, a natureza do que
somos como Espíritos.somos como Espíritos.
 É universal o conhecimento de queÉ universal o conhecimento de que
o Espírito engloba qualidades eo Espírito engloba qualidades e
potenciais que necessitam serpotenciais que necessitam ser
conhecidos e, obviamente,conhecidos e, obviamente,
despertados, a fim de se tornaremdespertados, a fim de se tornarem
úteis na caminhada.úteis na caminhada.
““ a alma dorme na pedra,a alma dorme na pedra,
sonha na planta,sonha na planta,
agita-se no animalagita-se no animal
e desperta no homem”e desperta no homem”
(ensinamento hindu)(ensinamento hindu)
““A pedra se converte em planta; aA pedra se converte em planta; a
planta em animal; o animal em homem,planta em animal; o animal em homem,
em Espírito; o Espírito em Deus”em Espírito; o Espírito em Deus”
(Hermes Trimegisto- no antigo Egito(Hermes Trimegisto- no antigo Egito ))
Possuo: virtudes,Possuo: virtudes,
potencialidades, vícios…potencialidades, vícios…
Mas como se
julgar?
Não se tem a
ilusão do amor-
próprio que
ameniza as faltas
e as desculpa?
Como julgar, se…Como julgar, se…
O avarento se vê
simplesmente econômico
O orgulhoso crê não
haver senão dignidade
Benjamin Franklin- estadista, escritorBenjamin Franklin- estadista, escritor
e inventor norte-americanoe inventor norte-americano
(do pára-raios, Boston 17.jan.1706-Filadélfia 17.04.1779(do pára-raios, Boston 17.jan.1706-Filadélfia 17.04.1779
Escreveu em sua auto-biografia como conseguiuEscreveu em sua auto-biografia como conseguiu
superar muitas de suas imperfeições morais.superar muitas de suas imperfeições morais.
Imaginou um método simples, porém tão
prático, que qualquer pessoa poderia
empregá-lo.
Franklin escolheu treze princípios que julgava
ser necessário ou desejável aprender e
procurar praticar. Escreveu-os em pequenos
pedaços de cartolina, com breve resumo do
assunto, e dedicou uma semana da mais
rigorosa atenção a cada um desses princípios
separadamente. Desse modo, pode percorrer
a lista toda em treze semanas, e repetir o
processo quatro vezes por ano.
Os 13 princípios de BenjaminOs 13 princípios de Benjamin
Franklin…Franklin…
1. Temperança1. Temperança-- Não coma até o embotamento;Não coma até o embotamento;
não beba até a exaltação;não beba até a exaltação;
2. Silêncio2. Silêncio-- Não fale sem proveito para osNão fale sem proveito para os
outros ou para si mesmo; evite a conversaçãooutros ou para si mesmo; evite a conversação
fútilfútil
3. Ordem-3. Ordem- Tenha um lugar para cada coisa;Tenha um lugar para cada coisa;
que cada parte do trabalho tenha seu tempoque cada parte do trabalho tenha seu tempo
certo;certo;
Os 13 princípios deOs 13 princípios de
B.FranklinB.Franklin
4. Resolução4. Resolução-- Resolva executar aquilo queResolva executar aquilo que
deve; execute sem falta o que resolve.deve; execute sem falta o que resolve.
5. Frugalidade-5. Frugalidade- Não faça despesa semNão faça despesa sem
proveito para os outros ou para si mesmo;proveito para os outros ou para si mesmo;
ou seja, nada desperdiceou seja, nada desperdice
6. Diligência-6. Diligência- Não perca tempo; esteja sempreNão perca tempo; esteja sempre
ocupado em algo útil; dispense toda atividadeocupado em algo útil; dispense toda atividade
desnecessária.desnecessária.
Os 13 princípios de BenjaminOs 13 princípios de Benjamin
Franklin…Franklin…
7. Sinceridade7. Sinceridade -- Não use de artifíciosNão use de artifícios
enganosos; pense de maneira reta e justa e,enganosos; pense de maneira reta e justa e,
quando falar, fale de acordo.quando falar, fale de acordo.
8. Justiça-8. Justiça- A ninguém prejudique por mauA ninguém prejudique por mau
juízo, ou pela omissão de benefícios que sãojuízo, ou pela omissão de benefícios que são
dever.dever.
9. Moderação9. Moderação -- Evite extremos; não nutraEvite extremos; não nutra
ressentimentos por injúrias recebidas tantoressentimentos por injúrias recebidas tanto
quanto julga que o merecemquanto julga que o merecem
Os 13 princípios de deOs 13 princípios de de
Benjamin Franklin…Benjamin Franklin…
10. Asseio10. Asseio – N– Não tolere falta de asseio no corpo, noão tolere falta de asseio no corpo, no
vesturário, ou na habitação.vesturário, ou na habitação.
11. Tranqüilidade11. Tranqüilidade -- Não se perturbe por coisas triviais,Não se perturbe por coisas triviais,
acidentes comuns ou inevitáveisacidentes comuns ou inevitáveis
12. Castidade12. Castidade- E- Evite a prática sexual sem ser para avite a prática sexual sem ser para a
saúde, ou para a procriação; nunca chegue ao abusosaúde, ou para a procriação; nunca chegue ao abuso
que o enfraqueça, nem prejudique a reputação deque o enfraqueça, nem prejudique a reputação de
outrem.outrem.
13. Humildade-13. Humildade- Imite a Jesus e a Sócrates.Imite a Jesus e a Sócrates.
O auto-conhecimento seja por esse ou outroO auto-conhecimento seja por esse ou outro
método qualquer nmétodo qualquer não é um caminho fácil. Nãoão é um caminho fácil. Não
existe caminho fácil. Mas é um caminho seguro.existe caminho fácil. Mas é um caminho seguro.
Lembremos:
“ Reconhece-se o verdadeiro Espírita pela sua
transformação moral, e pelos esforços que
emprega para domar as suas más inclinações”.
 Bibliografia:Bibliografia:
 O L.Esp CapXII, ESE- cap XVIIO L.Esp CapXII, ESE- cap XVII
 Palestra Reforma Intima-João B.ArmaniPalestra Reforma Intima-João B.Armani
 Organização do conteúdo : A.Länzlinger-CEEAKOrganização do conteúdo : A.Länzlinger-CEEAK

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Missão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terraMissão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terraEduardo Ottonelli Pithan
 
Fora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvaçãoFora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvaçãoAnderson Dias
 
Cuidar do Corpo e do Espírito
Cuidar do Corpo e do EspíritoCuidar do Corpo e do Espírito
Cuidar do Corpo e do EspíritoCEENA_SS
 
Palestra beneficência
Palestra beneficênciaPalestra beneficência
Palestra beneficênciaDenise Tamaê
 
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildadeCapítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildadealice martins
 
De graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça daiDe graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça daiGraça Maciel
 
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de VidaJesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vidaigmateus
 
Missão do homem inteligente na terra (Leonardo Pereira).
Missão do homem inteligente na terra (Leonardo Pereira).Missão do homem inteligente na terra (Leonardo Pereira).
Missão do homem inteligente na terra (Leonardo Pereira).Leonardo Pereira
 
Justiça das Aflições
Justiça das AfliçõesJustiça das Aflições
Justiça das Afliçõesigmateus
 
ESE CAP XVII - Sede Perfeitos
ESE CAP XVII - Sede PerfeitosESE CAP XVII - Sede Perfeitos
ESE CAP XVII - Sede Perfeitosgrupodepaisceb
 
Evangeliza - Diferentes categorias de mundos habitados
Evangeliza - Diferentes categorias de mundos habitadosEvangeliza - Diferentes categorias de mundos habitados
Evangeliza - Diferentes categorias de mundos habitadosAntonino Silva
 

Mais procurados (20)

Missão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terraMissão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terra
 
O Homem No Mundo
O Homem No MundoO Homem No Mundo
O Homem No Mundo
 
Fora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvaçãoFora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvação
 
providência divina
providência divinaprovidência divina
providência divina
 
Cuidar do Corpo e do Espírito
Cuidar do Corpo e do EspíritoCuidar do Corpo e do Espírito
Cuidar do Corpo e do Espírito
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
 
Palestra beneficência
Palestra beneficênciaPalestra beneficência
Palestra beneficência
 
Lei de causa e efeito
Lei de causa e efeitoLei de causa e efeito
Lei de causa e efeito
 
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildadeCapítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
 
Da encarnação dos espíritos
Da encarnação dos espíritosDa encarnação dos espíritos
Da encarnação dos espíritos
 
De graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça daiDe graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça dai
 
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de VidaJesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
 
A eficácia da Prece
A eficácia da PreceA eficácia da Prece
A eficácia da Prece
 
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMOREFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
 
Reencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familiaReencarnação e os laços de familia
Reencarnação e os laços de familia
 
Missão do homem inteligente na terra (Leonardo Pereira).
Missão do homem inteligente na terra (Leonardo Pereira).Missão do homem inteligente na terra (Leonardo Pereira).
Missão do homem inteligente na terra (Leonardo Pereira).
 
QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?
QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?
QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?
 
Justiça das Aflições
Justiça das AfliçõesJustiça das Aflições
Justiça das Aflições
 
ESE CAP XVII - Sede Perfeitos
ESE CAP XVII - Sede PerfeitosESE CAP XVII - Sede Perfeitos
ESE CAP XVII - Sede Perfeitos
 
Evangeliza - Diferentes categorias de mundos habitados
Evangeliza - Diferentes categorias de mundos habitadosEvangeliza - Diferentes categorias de mundos habitados
Evangeliza - Diferentes categorias de mundos habitados
 

Semelhante a Sede perfeitos

Semelhante a Sede perfeitos (20)

Mistérios ocultos aos sábios e prudentes
Mistérios ocultos aos sábios e prudentesMistérios ocultos aos sábios e prudentes
Mistérios ocultos aos sábios e prudentes
 
As bem aventuranças
As bem aventuranças As bem aventuranças
As bem aventuranças
 
O "Eu Humano" e o "Eu Divino"
O "Eu Humano" e o "Eu Divino"O "Eu Humano" e o "Eu Divino"
O "Eu Humano" e o "Eu Divino"
 
Viver Bem
Viver BemViver Bem
Viver Bem
 
Lição 03
Lição 03Lição 03
Lição 03
 
Seminário: Hipocrisia mal que assola a humanidade
Seminário: Hipocrisia mal que assola a humanidadeSeminário: Hipocrisia mal que assola a humanidade
Seminário: Hipocrisia mal que assola a humanidade
 
Aprenda a ser um vidente em 10 lições
Aprenda a ser um vidente em 10 liçõesAprenda a ser um vidente em 10 lições
Aprenda a ser um vidente em 10 lições
 
Atributos da dinvindade
Atributos da dinvindadeAtributos da dinvindade
Atributos da dinvindade
 
Heranças do passado
Heranças do passadoHeranças do passado
Heranças do passado
 
Pra pensar e_praticar
Pra pensar e_praticarPra pensar e_praticar
Pra pensar e_praticar
 
25 toques
25 toques25 toques
25 toques
 
20 regras de_vida
20 regras de_vida20 regras de_vida
20 regras de_vida
 
20 regras de_vida
20 regras de_vida20 regras de_vida
20 regras de_vida
 
Gente nutritiva 2010
Gente nutritiva  2010Gente nutritiva  2010
Gente nutritiva 2010
 
Entendendo a Geração Y
Entendendo a Geração YEntendendo a Geração Y
Entendendo a Geração Y
 
Segundo Módulo - Aula 13 - Perfição moral as virtudes e os vicios
Segundo Módulo - Aula 13 - Perfição moral as virtudes e os viciosSegundo Módulo - Aula 13 - Perfição moral as virtudes e os vicios
Segundo Módulo - Aula 13 - Perfição moral as virtudes e os vicios
 
mentes brilhantes mentes treinadas1.pptx
mentes brilhantes mentes treinadas1.pptxmentes brilhantes mentes treinadas1.pptx
mentes brilhantes mentes treinadas1.pptx
 
As cinco pessoas que habitam dentro do nosso ser
As cinco pessoas que habitam dentro do nosso serAs cinco pessoas que habitam dentro do nosso ser
As cinco pessoas que habitam dentro do nosso ser
 
Cuidados
CuidadosCuidados
Cuidados
 
Cuidados
CuidadosCuidados
Cuidados
 

Mais de Carlos Alberto Freire De Souza

091021 ação dos espíritos sobre a natureza-combates-bençãos e maldições – cap...
091021 ação dos espíritos sobre a natureza-combates-bençãos e maldições – cap...091021 ação dos espíritos sobre a natureza-combates-bençãos e maldições – cap...
091021 ação dos espíritos sobre a natureza-combates-bençãos e maldições – cap...Carlos Alberto Freire De Souza
 
091014 possessos-pressentimentos-influência dos espíritos-livro ii,cap9
091014 possessos-pressentimentos-influência dos espíritos-livro ii,cap9091014 possessos-pressentimentos-influência dos espíritos-livro ii,cap9
091014 possessos-pressentimentos-influência dos espíritos-livro ii,cap9Carlos Alberto Freire De Souza
 
091007 funerais-cap6-a infância-simpatias e antipatias terrenas-cap7-livro ii
091007 funerais-cap6-a infância-simpatias e antipatias terrenas-cap7-livro ii091007 funerais-cap6-a infância-simpatias e antipatias terrenas-cap7-livro ii
091007 funerais-cap6-a infância-simpatias e antipatias terrenas-cap7-livro iiCarlos Alberto Freire De Souza
 
090930 a prece-politeismo-cap2–liii - duração da penas futuras-ressurreição-c...
090930 a prece-politeismo-cap2–liii - duração da penas futuras-ressurreição-c...090930 a prece-politeismo-cap2–liii - duração da penas futuras-ressurreição-c...
090930 a prece-politeismo-cap2–liii - duração da penas futuras-ressurreição-c...Carlos Alberto Freire De Souza
 
090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6
090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6
090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6Carlos Alberto Freire De Souza
 
090902 sexo nos espíritos-semelhanças físicas e morais-ideias inatas–livro ii...
090902 sexo nos espíritos-semelhanças físicas e morais-ideias inatas–livro ii...090902 sexo nos espíritos-semelhanças físicas e morais-ideias inatas–livro ii...
090902 sexo nos espíritos-semelhanças físicas e morais-ideias inatas–livro ii...Carlos Alberto Freire De Souza
 

Mais de Carlos Alberto Freire De Souza (20)

Principio da acao e reacao
Principio da acao e reacaoPrincipio da acao e reacao
Principio da acao e reacao
 
Os milagres na_visao_espirita-clea alves
Os milagres na_visao_espirita-clea alvesOs milagres na_visao_espirita-clea alves
Os milagres na_visao_espirita-clea alves
 
9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma
9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma
9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma
 
2 maneira-de-orar
2 maneira-de-orar2 maneira-de-orar
2 maneira-de-orar
 
O que é o perespirito?
O que é o perespirito?O que é o perespirito?
O que é o perespirito?
 
Funesdoperespirito 151017123618-lva1-app6892
Funesdoperespirito 151017123618-lva1-app6892Funesdoperespirito 151017123618-lva1-app6892
Funesdoperespirito 151017123618-lva1-app6892
 
A palestra doutrinaria na casa espirita
A palestra doutrinaria na casa espiritaA palestra doutrinaria na casa espirita
A palestra doutrinaria na casa espirita
 
Liberdade, Igualdade e Fraternidade
Liberdade, Igualdade e FraternidadeLiberdade, Igualdade e Fraternidade
Liberdade, Igualdade e Fraternidade
 
Passe 4
Passe 4Passe 4
Passe 4
 
Foto kirlian
Foto kirlianFoto kirlian
Foto kirlian
 
Abenção da vida 2
Abenção da vida 2Abenção da vida 2
Abenção da vida 2
 
091028 conclusão de o livro dos espíritos
091028 conclusão de o livro dos espíritos091028 conclusão de o livro dos espíritos
091028 conclusão de o livro dos espíritos
 
091021 ação dos espíritos sobre a natureza-combates-bençãos e maldições – cap...
091021 ação dos espíritos sobre a natureza-combates-bençãos e maldições – cap...091021 ação dos espíritos sobre a natureza-combates-bençãos e maldições – cap...
091021 ação dos espíritos sobre a natureza-combates-bençãos e maldições – cap...
 
091014 possessos-pressentimentos-influência dos espíritos-livro ii,cap9
091014 possessos-pressentimentos-influência dos espíritos-livro ii,cap9091014 possessos-pressentimentos-influência dos espíritos-livro ii,cap9
091014 possessos-pressentimentos-influência dos espíritos-livro ii,cap9
 
091007 funerais-cap6-a infância-simpatias e antipatias terrenas-cap7-livro ii
091007 funerais-cap6-a infância-simpatias e antipatias terrenas-cap7-livro ii091007 funerais-cap6-a infância-simpatias e antipatias terrenas-cap7-livro ii
091007 funerais-cap6-a infância-simpatias e antipatias terrenas-cap7-livro ii
 
090930 a prece-politeismo-cap2–liii - duração da penas futuras-ressurreição-c...
090930 a prece-politeismo-cap2–liii - duração da penas futuras-ressurreição-c...090930 a prece-politeismo-cap2–liii - duração da penas futuras-ressurreição-c...
090930 a prece-politeismo-cap2–liii - duração da penas futuras-ressurreição-c...
 
090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6
090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6
090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6
 
090923 da lei de liberdade-penas temporais
090923 da lei de liberdade-penas temporais090923 da lei de liberdade-penas temporais
090923 da lei de liberdade-penas temporais
 
090909 da perfeição moral – cap. 12 – livro iii
090909 da perfeição moral – cap. 12 – livro iii090909 da perfeição moral – cap. 12 – livro iii
090909 da perfeição moral – cap. 12 – livro iii
 
090902 sexo nos espíritos-semelhanças físicas e morais-ideias inatas–livro ii...
090902 sexo nos espíritos-semelhanças físicas e morais-ideias inatas–livro ii...090902 sexo nos espíritos-semelhanças físicas e morais-ideias inatas–livro ii...
090902 sexo nos espíritos-semelhanças físicas e morais-ideias inatas–livro ii...
 

Último

Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............MilyFonceca
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaNilson Almeida
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoNilson Almeida
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.Priscilatrigodecamar
 
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024LeonardoQuintanilha4
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptxPIB Penha
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxViniciusPetersen1
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...M.R.L
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfStelaWilbert
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoFabioLofrano
 
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - ApresentaçãoCurso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentaçãoantonio211075
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 

Último (14)

Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De Cássia
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
 
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
 
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
 
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - ApresentaçãoCurso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 

Sede perfeitos

  • 2. "Sede Perfeitos como"Sede Perfeitos como vosso Pai Celestial évosso Pai Celestial é perfeito.”perfeito.” JesusJesus
  • 3.  „„Amai aos vossos inimigos; fazeiAmai aos vossos inimigos; fazei o bem àqueles que vos odeiam eo bem àqueles que vos odeiam e orai por aqueles que vosorai por aqueles que vos perseguem e que vos caluniam;perseguem e que vos caluniam; porque se não amais senãoporque se não amais senão aqueles que vos amam queaqueles que vos amam que recompensa tereis? Osrecompensa tereis? Os publicanos não o fazem também?publicanos não o fazem também? E se vós não saudardes senãoE se vós não saudardes senão vossos irmãos, que fazei nissovossos irmãos, que fazei nisso mais que os outros? Os Pagãosmais que os outros? Os Pagãos não o fazem também?não o fazem também? Sede pois, vós outros, perfeitosSede pois, vós outros, perfeitos como Vosso Pai Celestial écomo Vosso Pai Celestial é perfeito.”perfeito.” (São Mateus, capV, v.44,46,47 e 48)(São Mateus, capV, v.44,46,47 e 48)
  • 5. O Espírito prova a suaO Espírito prova a sua elevação quandoelevação quando todos os atos de suatodos os atos de sua vida corporal são avida corporal são a prática da lei deprática da lei de Deus e quandoDeus e quando compreende, porcompreende, por antecipação, a vidaantecipação, a vida espiritualespiritual..
  • 6.  É aquele que pratica a lei de justiça,É aquele que pratica a lei de justiça, amor e caridadeamor e caridade na sua maior pureza...na sua maior pureza...  Se interroga à sua consciênciaSe interroga à sua consciência sobre seus próprios atossobre seus próprios atos  Tem fé em Deus...Tem fé em Deus...  Tem fé no futuro...Tem fé no futuro...  Sabe que todas as vicissitudes...Sabe que todas as vicissitudes... são provas ou expiações, e assão provas ou expiações, e as aceita sem murmurar.aceita sem murmurar.  Faz o bem pelo bem, sem esperançaFaz o bem pelo bem, sem esperança de recompensade recompensa O HOMEM DE BEMO HOMEM DE BEM
  • 7. O HOMEM DE BEMO HOMEM DE BEM  Bom e humano, benevolente para com todosBom e humano, benevolente para com todos sem preferência desem preferência de raçasraças nemnem crençascrenças  Respeita nos outros todas as convicçõesRespeita nos outros todas as convicções sinceras e não lança anátema àquele que nãosinceras e não lança anátema àquele que não pensam como ele.pensam como ele.  A caridade é o seu guiaA caridade é o seu guia  Não tem ódio, nem rancor, nem desejo deNão tem ódio, nem rancor, nem desejo de vingança: a exemplo de Jesus perdoa...vingança: a exemplo de Jesus perdoa...
  • 8. O HOMEM DE BEMO HOMEM DE BEM  É indulgente com as faltasÉ indulgente com as faltas alheiasalheias  Não se compraz em procurarNão se compraz em procurar os defeitos alheios e nem emos defeitos alheios e nem em colocá-los em evidência...colocá-los em evidência...  Estuda as suas própriasEstuda as suas próprias imperfeições e trabalha, semimperfeições e trabalha, sem cessar, em combatê-las...cessar, em combatê-las...  Não se envaidece nem com aNão se envaidece nem com a fortuna, nem com asfortuna, nem com as vantagens pessoais, porquevantagens pessoais, porque sabe que tudo o que lhe foisabe que tudo o que lhe foi dado pode lhe ser retirado.dado pode lhe ser retirado.
  • 9. O HOMEM DE BEMO HOMEM DE BEM  Usa, mas não abusa dos bens que lhe sãoUsa, mas não abusa dos bens que lhe são concedidos, porque sabe que é um depósito doconcedidos, porque sabe que é um depósito do qual terá que prestar contas, e que o emprego,qual terá que prestar contas, e que o emprego, o mais prejudicial para si mesmo é de fazê-loo mais prejudicial para si mesmo é de fazê-lo servir à satisfaçao de suas paixõesservir à satisfaçao de suas paixões  Se a ordem social colocou homem sob suaSe a ordem social colocou homem sob sua dependência ele os trata com bondade edependência ele os trata com bondade e benevolência...benevolência...  O subordinado, por sua vez, compreende osO subordinado, por sua vez, compreende os deveres de sua posição e tem o escrúpulo emdeveres de sua posição e tem o escrúpulo em cumprí-los conscienciosamente...cumprí-los conscienciosamente...
  • 10. As virtudes e os víciosAs virtudes e os vícios (L.E.)(L.E.)  893. Qual é a mais meritória de todas as893. Qual é a mais meritória de todas as virtudes?virtudes? Todas as virtudes tem seu mérito...Todas as virtudes tem seu mérito... Mas o sublime da virtude consiste noMas o sublime da virtude consiste no SACRIFÍCIO DO INTERESSE PESSOAL para oSACRIFÍCIO DO INTERESSE PESSOAL para o bem do próximo, sem oculta intenção.bem do próximo, sem oculta intenção.
  • 11. As virtudes e os víciosAs virtudes e os vícios (L.E.)(L.E.)  895. ... Qual é o sinal mais característico da895. ... Qual é o sinal mais característico da imperfeição?imperfeição?  - O interesse pessoal. ... O apego às coisas- O interesse pessoal. ... O apego às coisas materiais é um sinal notório de inferioridade,materiais é um sinal notório de inferioridade, poque quanto mais o homem prende-se aospoque quanto mais o homem prende-se aos bens do mundo, menos compreende a suabens do mundo, menos compreende a sua destinação.destinação.
  • 12. Auto-conhecimentoAuto-conhecimento ““Conhece-te a ti mesmo.”Conhece-te a ti mesmo.” É a chave para o progresso individualÉ a chave para o progresso individual
  • 13. Quem somos, afinal?Quem somos, afinal?  Somos uma alma, um espírito que evolui aoSomos uma alma, um espírito que evolui ao longo dos processos reencarnatórios.longo dos processos reencarnatórios.
  • 14. Precisamos conhecer aPrecisamos conhecer a origem, a natureza do queorigem, a natureza do que somos como Espíritos.somos como Espíritos.  É universal o conhecimento de queÉ universal o conhecimento de que o Espírito engloba qualidades eo Espírito engloba qualidades e potenciais que necessitam serpotenciais que necessitam ser conhecidos e, obviamente,conhecidos e, obviamente, despertados, a fim de se tornaremdespertados, a fim de se tornarem úteis na caminhada.úteis na caminhada.
  • 15. ““ a alma dorme na pedra,a alma dorme na pedra, sonha na planta,sonha na planta, agita-se no animalagita-se no animal e desperta no homem”e desperta no homem” (ensinamento hindu)(ensinamento hindu) ““A pedra se converte em planta; aA pedra se converte em planta; a planta em animal; o animal em homem,planta em animal; o animal em homem, em Espírito; o Espírito em Deus”em Espírito; o Espírito em Deus” (Hermes Trimegisto- no antigo Egito(Hermes Trimegisto- no antigo Egito ))
  • 16. Possuo: virtudes,Possuo: virtudes, potencialidades, vícios…potencialidades, vícios… Mas como se julgar? Não se tem a ilusão do amor- próprio que ameniza as faltas e as desculpa?
  • 17. Como julgar, se…Como julgar, se… O avarento se vê simplesmente econômico O orgulhoso crê não haver senão dignidade
  • 18. Benjamin Franklin- estadista, escritorBenjamin Franklin- estadista, escritor e inventor norte-americanoe inventor norte-americano (do pára-raios, Boston 17.jan.1706-Filadélfia 17.04.1779(do pára-raios, Boston 17.jan.1706-Filadélfia 17.04.1779 Escreveu em sua auto-biografia como conseguiuEscreveu em sua auto-biografia como conseguiu superar muitas de suas imperfeições morais.superar muitas de suas imperfeições morais. Imaginou um método simples, porém tão prático, que qualquer pessoa poderia empregá-lo. Franklin escolheu treze princípios que julgava ser necessário ou desejável aprender e procurar praticar. Escreveu-os em pequenos pedaços de cartolina, com breve resumo do assunto, e dedicou uma semana da mais rigorosa atenção a cada um desses princípios separadamente. Desse modo, pode percorrer a lista toda em treze semanas, e repetir o processo quatro vezes por ano.
  • 19. Os 13 princípios de BenjaminOs 13 princípios de Benjamin Franklin…Franklin… 1. Temperança1. Temperança-- Não coma até o embotamento;Não coma até o embotamento; não beba até a exaltação;não beba até a exaltação; 2. Silêncio2. Silêncio-- Não fale sem proveito para osNão fale sem proveito para os outros ou para si mesmo; evite a conversaçãooutros ou para si mesmo; evite a conversação fútilfútil 3. Ordem-3. Ordem- Tenha um lugar para cada coisa;Tenha um lugar para cada coisa; que cada parte do trabalho tenha seu tempoque cada parte do trabalho tenha seu tempo certo;certo;
  • 20. Os 13 princípios deOs 13 princípios de B.FranklinB.Franklin 4. Resolução4. Resolução-- Resolva executar aquilo queResolva executar aquilo que deve; execute sem falta o que resolve.deve; execute sem falta o que resolve. 5. Frugalidade-5. Frugalidade- Não faça despesa semNão faça despesa sem proveito para os outros ou para si mesmo;proveito para os outros ou para si mesmo; ou seja, nada desperdiceou seja, nada desperdice 6. Diligência-6. Diligência- Não perca tempo; esteja sempreNão perca tempo; esteja sempre ocupado em algo útil; dispense toda atividadeocupado em algo útil; dispense toda atividade desnecessária.desnecessária.
  • 21. Os 13 princípios de BenjaminOs 13 princípios de Benjamin Franklin…Franklin… 7. Sinceridade7. Sinceridade -- Não use de artifíciosNão use de artifícios enganosos; pense de maneira reta e justa e,enganosos; pense de maneira reta e justa e, quando falar, fale de acordo.quando falar, fale de acordo. 8. Justiça-8. Justiça- A ninguém prejudique por mauA ninguém prejudique por mau juízo, ou pela omissão de benefícios que sãojuízo, ou pela omissão de benefícios que são dever.dever. 9. Moderação9. Moderação -- Evite extremos; não nutraEvite extremos; não nutra ressentimentos por injúrias recebidas tantoressentimentos por injúrias recebidas tanto quanto julga que o merecemquanto julga que o merecem
  • 22. Os 13 princípios de deOs 13 princípios de de Benjamin Franklin…Benjamin Franklin… 10. Asseio10. Asseio – N– Não tolere falta de asseio no corpo, noão tolere falta de asseio no corpo, no vesturário, ou na habitação.vesturário, ou na habitação. 11. Tranqüilidade11. Tranqüilidade -- Não se perturbe por coisas triviais,Não se perturbe por coisas triviais, acidentes comuns ou inevitáveisacidentes comuns ou inevitáveis 12. Castidade12. Castidade- E- Evite a prática sexual sem ser para avite a prática sexual sem ser para a saúde, ou para a procriação; nunca chegue ao abusosaúde, ou para a procriação; nunca chegue ao abuso que o enfraqueça, nem prejudique a reputação deque o enfraqueça, nem prejudique a reputação de outrem.outrem. 13. Humildade-13. Humildade- Imite a Jesus e a Sócrates.Imite a Jesus e a Sócrates.
  • 23. O auto-conhecimento seja por esse ou outroO auto-conhecimento seja por esse ou outro método qualquer nmétodo qualquer não é um caminho fácil. Nãoão é um caminho fácil. Não existe caminho fácil. Mas é um caminho seguro.existe caminho fácil. Mas é um caminho seguro. Lembremos: “ Reconhece-se o verdadeiro Espírita pela sua transformação moral, e pelos esforços que emprega para domar as suas más inclinações”.
  • 24.  Bibliografia:Bibliografia:  O L.Esp CapXII, ESE- cap XVIIO L.Esp CapXII, ESE- cap XVII  Palestra Reforma Intima-João B.ArmaniPalestra Reforma Intima-João B.Armani  Organização do conteúdo : A.Länzlinger-CEEAKOrganização do conteúdo : A.Länzlinger-CEEAK