Olm 100811-método, sistema, manif.física-mesas girantes

457 visualizações

Publicada em

Estudo do livro da codificação espirita em ppt " O LIVRO DOS MÉDIUNS

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
457
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
38
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Olm 100811-método, sistema, manif.física-mesas girantes

  1. 1. 1/27 O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS PARIS 1861
  2. 2. 2/27 Introdução Primeira Parte NOÇÕES PRELIMINARES Capítulo l: Existem Espíritos? Capítulo II: O Maravilhoso e o Sobrenatural Capítulo III: Método Capítulo IV: Sistemas Segunda Parte DAS MANIFESTAÇÕES ESPÍRITAS Capítulo l: Ação dos Espíritos sobre a Matéria Capítulo II: Manifestações Físicas e Mesas Girantes Capítulo III: Manifestações Inteligentes Capítulo IV: Teoria da Manifestações Físicas Capítulo V: Manifestações Físicas Espontâneas Capítulo VI: Manifestações Visuais Sumário de “O livro dos médiuns”Sumário de “O livro dos médiuns” O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  3. 3. 3/27 Parte 1 - Capítulo III - MétodoParte 1 - Capítulo III - Método  “O Espiritismo se relaciona com todos os problemas da Humanidade. Seu campo é imenso e devemos encará-lo sobretudo quanto às suas conseqüências.”  “Que os adeptos não se assustem com a palavra ensino. Não se ensina apenas do alto da cátedra ou da tribuna, mas também na simples conversação. Toda pessoa que procura persuadir outra por meio de explicações ou de experiências, ensina.” O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  4. 4. 4/27 Parte 1 - Capítulo III - MétodoParte 1 - Capítulo III - Método  “Acredita-se geralmente que para convencer é suficiente apresentar os fatos. Esse parece realmente o procedimento mais lógico, e no entanto a experiência mostra que nem sempre é o melhor, pois frequentemente encontramos pessoas que os fatos mais evidentes não convencem de maneira alguma.”  Existem pessoas que dizem: “Mesmo vendo eu não acredito” O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  5. 5. 5/27 Parte 1 - Capítulo III - MétodoParte 1 - Capítulo III - Método  “Todo ensino metódico deve participar do conhecido para o desconhecido. Para o materialista, o conhecido é a matéria. Parti, pois, da matéria e tratai de lhe demonstrar, antes de tudo, que há nele próprio alguma coisa que escapa às leis materiais. Numa palavra: antes de torná-lo espírita procurai fazê-lo ESPIRITUALISTA.” O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  6. 6. 6/27 Parte 1 - Capítulo III - MétodoParte 1 - Capítulo III - Método  Duas classes de materialistas – Por sistema – Para eles não há dúvida, mas a negação absoluta – Por indiferença – São por falta de algo melhor. Esses são os mais numerosos  Ao lado dos materialistas, há algumas classes de incrédulos: os de má vontade, os de má fé ou interesseiros, os por decepção  E por fim, temos os vacilantes O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  7. 7. 7/27 Parte 1 - Capítulo III - MétodoParte 1 - Capítulo III - Método  Com relação às categorias de crentes no espiritismo, temos inicialmente os espíritas sem saber;  Os que se convenceram estudando, temos: 1. Experimentadores – Espiritismo é uma simples ciência de observação 2. Imperfeitos – Compreendem o aspecto filosófico e a moral do espiritismo, mas não a praticam O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  8. 8. 8/27 Parte 1 - Capítulo III - MétodoParte 1 - Capítulo III - Método  … continuando: 1. Verdadeiros espíritas ou espíritas cristãos – A caridade é a regra de conduta 2. Exaltados – Aceitam muito facilmente e sem controle aquilo que a reflexão e o exame demonstrariam ser absurdo ou impossível. São movidos pelo entusiasmo O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  9. 9. 9/27 Parte 1 - Capítulo III - MétodoParte 1 - Capítulo III - Método  Será útil procurar convencer um incrédulo obstinado?  Aquele que não se convence pelo raciocínio nem pelos fatos, deve ainda sofrer a prova da incredulidade.  Há muita gente que só deseja receber a luz, porque perder tempo com os que a repelem. Dirigi-vos, pois, aos homens de boa vontade, cujo número é maior do que se pensa O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  10. 10. 10/27 Parte 1 - Capítulo III - MétodoParte 1 - Capítulo III - Método  O ensino do espíritismo deve começar pela teoria.  “Falamos, portanto, por experiência, e por isso afirmamos que o melhor método de ensino espírita é o que se dirige à razão e não aos olhos.”  Ao pé da página, Kardec acrescentou esta nota: "Nosso ensino teórico e prático é sempre gratuito". O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  11. 11. 11/27 Parte 1 - Capítulo III - MétodoParte 1 - Capítulo III - Método  “São esses os motivos que nos levam a só admitir em nossas sessões experimentais pessoas suficientemente preparadas para compreender o que se passa, pois sabemos que as outras perderiam o seu tempo ou nos fariam perder o nosso.“  Ou seja, reunião mediúnica não deve ser para iniciantes O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  12. 12. 12/27 Parte 1 - Capítulo IV - SistemasParte 1 - Capítulo IV - Sistemas  A onda de fenômenos surgidas no século XIX suscitaram a dúvida sobre a sua realidade e mais ainda sobre a sua causa.  Cada qual os interpretou a seu modo, de acordo com suas idéias pessoais, suas crenças e seus preconceitos. Daí surgirem numerosos sistemas que uma observação mais atenta deveria reduzir ao seu justo valor.  Essas mesmas dúvidas e discursões surgiram tempos depois com a parapsicologia. O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  13. 13. 13/27 Parte 1 - Capítulo IV - SistemasParte 1 - Capítulo IV - Sistemas O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS FENÔMENOS DE EFEITOS FÍSICOS FENÔMENOS DE EFEITOS FÍSICOS FENÔMENOS DE EFEITOS INTELIGENTES FENÔMENOS DE EFEITOS INTELIGENTES Nenhum dos sistemas tem a explicação que abrange todos os fenômenos CHARLATANISMO LOUCURA ALUCINAÇÃO MÚSCULO ESTALANTE CAUSAS FÍSICAS REFLEXO ALMA COLETIVA SONAMBÚLICO DEMONÍACO OTIMISTA MONOESPÍRITO ALMA MATERIAL
  14. 14. 14/27 Parte 1 - Capítulo IV - SistemasParte 1 - Capítulo IV - Sistemas  Sistema do músculo estalante - É verdade que um médico deu para os casos de batidas nas mesas, uma explicação decisiva, segundo pensava: "A causa, disse ele, está nas contrações voluntárias ou involuntárias do tendão muscular do pequeno perônio". Entra nas mais completas minúcias anatômicas para demonstrar o mecanismo dessa produção de estalos, que pode imitar o tambor e mesmo executar árias ritmadas O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  15. 15. 15/27 Parte 1 - Capítulo IV - SistemasParte 1 - Capítulo IV - Sistemas  Sistema do reflexo - Reconhecida a ação inteligente, restava saber qual seria a fonte dessa inteligência. Pensou-se que poderia ser a do médium ou dos assistentes, que se refletiria como a luz ou as ondas sonoras.  Sistema da alma coletiva – é uma variante da anterior. Segundo este sistema, somente a alma do médium se manifesta, mas identificando-se com a de muitas outras pessoas presentes ou ausentes, para formar um todo coletivo O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  16. 16. 16/27 Parte 1 - Capítulo IV - SistemasParte 1 - Capítulo IV - Sistemas  Sistema sonanbúlico – Tudo procede do médium, que estaria em uma super-excitação momentânea de suas faculdades mentais, a uma espécie de estado sonambúlico ou extático, que exalta e desenvolve a sua inteligência.  Sistema otimista – uns só vêem a ação dos Demônios, outros que só vêem a dos Espíritos bons. Dizem que, liberta da matéria, a alma está livre de qualquer véu e deve possuir a soberana ciência e a soberana sabedoria. O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  17. 17. 17/27 Parte 1 - Capítulo IV - SistemasParte 1 - Capítulo IV - Sistemas  Sistema monoespírito – Tudo provém de um único espírito e seria o Cristo. E as comunicações más? Seria o demônio?  Sistema da alma material – consiste apenas numa opinião particular sobre a natureza íntima da alma, segundo a qual a alma e o perispírito não seriam distintos, ou melhor, o perispírito seria a própria alma em depuração gradual por meio das transmigrações, como o álcool se depura nas destilações. O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  18. 18. 18/27 Segunda Parte DAS MANIFESTAÇÕES ESPÍRITAS Capítulo l: Ação dos Espíritos sobre a Matéria Capítulo II: Manifestações Físicas e Mesas Girantes Capítulo III: Manifestações Inteligentes Capítulo IV: Teoria da Manifestações Físicas Capítulo V: Manifestações Físicas Espontâneas Capítulo VI: Manifestações Visuais Sumário de “O livro dos médiuns”Sumário de “O livro dos médiuns” O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  19. 19. 19/27 Cap. I – Ação dos espíritos sobre a matériaCap. I – Ação dos espíritos sobre a matéria  Numerosas observações e fatos irrecusáveis, de que trataremos mais tarde, demonstraram a existência no homem de três componentes: – 1°) a alma ou Espírito, princípio inteligente em que se encontra o senso moral; – 2°) o corpo, invólucro material e grosseiro; – 3°) o perispírito, invólucro fluídico, semi- material, que serve de liame entre a alma e o corpo. O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  20. 20. 20/27 Cap. I – Ação dos espíritos sobre a matériaCap. I – Ação dos espíritos sobre a matéria  “O conhecimento do perispírito é a chave de uma infinidade de problemas até agora inexplicáveis.”  Herculano Pires diz que o desenvolvimento da Psicoterapêutica, e mais recentemente da Medicina psicossomática, confirmam o acerto de Kardec nesta observação.  A natureza semi-material do perispírito faz a intermediação entre o espírito e a matéria O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  21. 21. 21/27 Cap. I – Ação dos espíritos sobre a matériaCap. I – Ação dos espíritos sobre a matéria  A natureza semi-material do perispírito é decisiva para a realização de todos os fenômenos da mediunidade (efeito físicos e inteligentes) Sintonia O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS ESPÍRITO ESPÍRITO PERISPÍRITO PERISPÍRITO CORPO Pensamento
  22. 22. 22/27 Cap. II – Manif. Físicas e mesas girantesCap. II – Manif. Físicas e mesas girantes  Os efeitos físicos com as irmãs Fox, na cidadezinha de Hydesville nos EUA em 1848 e que marca o início da Doutrina Espírita. O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  23. 23. 23/27 Cap. II – Manif. Físicas e mesas girantesCap. II – Manif. Físicas e mesas girantes  Reunião “das mesas girantes” na época de Kardec O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  24. 24. 24/27 Cap. II – Manif. Físicas e mesas girantesCap. II – Manif. Físicas e mesas girantes  Para a produção do fenômeno é necessária a participação de uma ou muitas pessoas dotadas de aptidão especial e designadas pelo nome de médiuns. O número dos participantes é indiferente, a menos que entre eles se encontrem alguns médiuns ainda ignorados. O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  25. 25. 25/27 Cap. II – Manif. Físicas e mesas girantesCap. II – Manif. Físicas e mesas girantes  No princípio, como as causas do fenômeno eram ignoradas, indicavam-se numerosas precauções, depois reconhecidas como inúteis. Por exemplo: a alternância de sexos, o contato dos dedos mínimos das pessoas para formar uma cadeia ininterrupta. Esta última precaução parecia necessária porque se acreditava na ação de uma espécie de corrente elétrica, mas a experiência mostrou a sua inutilidade. O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  26. 26. 26/27 Segunda Parte DAS MANIFESTAÇÕES ESPÍRITAS Capítulo l: Ação dos Espíritos sobre a Matéria Capítulo II: Manifestações Físicas e Mesas Girantes Capítulo III: Manifestações Inteligentes Capítulo IV: Teoria da Manifestações Físicas Capítulo V: Manifestações Físicas Espontâneas Capítulo VI: Manifestações Visuais Capítulo VII: Da bicorporeidade e da transfiguração Capítulo VIII: Do laboratório do mundo invisível Capítulo IX: Dos lugares assombrados Capítulo X: Da natureza das comunicações Capítulo XI: Da sematologia e da tiptologia Sumário de “O livro dos médiuns”Sumário de “O livro dos médiuns” O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS
  27. 27. 27/27 O LIVRO DOS MÉDIUNSO LIVRO DOS MÉDIUNS “O VERDADEIRO ESPIRITISMO JAMAISJAMAIS SERVIRÁ PARA EXIBIÇÕES, NEM SUBIRÁ JAMAISJAMAIS AOS PALCOS.” Allan Kardec

×