091028 conclusão de o livro dos espíritos

1.911 visualizações

Publicada em

Estudo espirita de "O LIVRO DOS ESPIRITOS" em ppt

Publicada em: Espiritual
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.911
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
77
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

091028 conclusão de o livro dos espíritos

  1. 1. 1/22 O LIVRO DOS ESPÍRITOSO LIVRO DOS ESPÍRITOS “Amai-vos e instruí-vos” Espírito de verdade
  2. 2. 2/22 O LIVRO DOS ESPIRITOSO LIVRO DOS ESPIRITOS “O que caracteriza um estudo sério é a continuidade que se lhe dá.” Allan Kardec Introdução de “O livro dos espíritos”
  3. 3. 3/22 O LIVRO DOS ESPIRITOSO LIVRO DOS ESPIRITOS Em 08 de Junho de 2008 Iniciávamos o estudo … 64 semanas de “O Livro dos espíritos” Estudo detalhado, sério e continuado
  4. 4. 4/22 O LIVRO DOS ESPIRITOSO LIVRO DOS ESPIRITOS PRIMEIRO QUADRO Como O Livro dos Espíritos é estruturado • Introdução • Prolegômenos • PARTE PRIMEIRA - Das causas primárias 4 Capítulos • PARTE SEGUNDA - Do mundo espírita ou mundo dos Espíritos 11 Capítulos • PARTE TERCEIRA – Das leis morais 12 Capítulos • PARTE QUARTA – Das esperanças e consolações 2 Capítulos • Conclusão 1018 Perguntas e respostas
  5. 5. 5/22 O LIVRO DOS ESPIRITOSO LIVRO DOS ESPIRITOS CONCLUSÃO • 22 últimas páginas do livro • Divididos em 9 ítens • Colocações de Kardec, onde se destaca o seu bom senso, a sua sabedoria e a análise profunda da doutrina que estava iniciando • É um verdadeiro fecho de “ouro” dessa obra monumental
  6. 6. 6/22 O LIVRO DOS ESPIRITOSO LIVRO DOS ESPIRITOS CONCLUSÃO Item I • Kardec fala dos críticos ao espiritismo; • “Zombar de uma coisa que se não conhece, que se não sondou com o escalpelo do observador consciencioso, não é criticar, é dar prova de leviandade e triste mostra de falta de critério”
  7. 7. 7/22 O LIVRO DOS ESPIRITOSO LIVRO DOS ESPIRITOS CONCLUSÃO Item II • Kardec indica que o espiritismo é o maior adversário do materialismo; • “Assim, pois, o Espiritismo se apóia menos no maravilhoso e no sobrenatural do que a própria religião. Conseguintemente, os que o atacam por esse lado mostram que o não conhecem e, ainda quando fossem os maiores sábios, lhes diríamos: se a vossa ciência, que vos instruiu em tantas coisas, não vos ensinou que o domínio da Natureza é infinito, sois apenas meio sábios.”
  8. 8. 8/22 O LIVRO DOS ESPIRITOSO LIVRO DOS ESPIRITOS CONCLUSÃO Item III • Ainda se referindo ao céticos, Kardec diz; • “A que se deve atribuir o relaxamento dos laços de família e a maior parte das desordens que minam a sociedade, senão à ausência de toda crença? Demonstrando a existência e a imortalidade da alma, o Espiritismo reaviva a fé no futuro, levanta os ânimos abatidos, faz suportar com resignação as vicissitudes da vida. Ousaríeis chamar a isto um mal?.”
  9. 9. 9/22 O LIVRO DOS ESPIRITOSO LIVRO DOS ESPIRITOS CONCLUSÃO Item IV • Kardec fala do progresso da humanidade ao longo da história; • “O progresso da Humanidade tem seu princípio na aplicação da lei de justiça, de amor e de caridade, lei que se funda na certeza do futuro. Tirai-lhe essa certeza e lhe tirareis a pedra fundamental.”
  10. 10. 10/22 O LIVRO DOS ESPIRITOSO LIVRO DOS ESPIRITOS CONCLUSÃO Item V • Repetidas vezes os Espíritos hão dito: “Não vos inquieteis com a oposição; tudo o que contra vós fizerem se tornará a vosso favor e os vossos maiores adversários, sem o quererem, servirão à vossa causa. Contra a vontade de Deus não poderá prevalecer a má vontade dos homens.”
  11. 11. 11/22 O LIVRO DOS ESPIRITOSO LIVRO DOS ESPIRITOS CONCLUSÃO Item V • Kardec fala da da rapidez com que as idéias espíritas se propagam. • Três períodos distintos apresenta o desenvolvimento dessas idéias: primeiro, o da curiosidade, que a singularidade dos fenômenos produzidos desperta; segundo, o do raciocínio e da filosofia; terceiro, o da aplicação e das conseqüências
  12. 12. 12/22 O LIVRO DOS ESPIRITOSO LIVRO DOS ESPIRITOS CONCLUSÃO Item VI • Kardec diz: “Falsíssima idéia formaria do Espiritismo quem julgasse que a sua força lhe vem da prática das manifestações materiais e que, portanto, obstando-se a tais manifestações, se lhe terá minado a base. Sua força está na sua filosofia, no apelo que dirige à razão, ao bom-senso.”
  13. 13. 13/22 O LIVRO DOS ESPIRITOSO LIVRO DOS ESPIRITOS CONCLUSÃO Item VI • “Que faz a moderna ciência espírita? Reúne em corpo de doutrina o que estava esparso; explica, com os termos próprios, o que só era dito em linguagem alegórica; poda o que a superstição e a ignorância engendraram, para só deixar o que é real e positivo.”
  14. 14. 14/22 O LIVRO DOS ESPIRITOSO LIVRO DOS ESPIRITOS CONCLUSÃO Item VII • “O Espiritismo se apresenta sob três aspectos diferentes: o das manifestações, o dos princípios e da filosofia que delas decorrem e o da aplicação desses princípios. Daí, três classes, ou, antes, três graus de adeptos: 1º os que crêem nas manifestações e se limitam a comprová-las; para esses, o Espiritismo é uma ciência experimental; 2º os que lhe percebem as conseqüências morais; 3º os que praticam ou se esforçam por praticar essa moral.”
  15. 15. 15/22 O LIVRO DOS ESPIRITOSO LIVRO DOS ESPIRITOS CONCLUSÃO Item VII • “Quanto aos adversários, também podemos classificá-los em três categorias. 1ª — A dos que negam sistematicamente tudo o que é novo, ou deles não venha, e que falam sem conhecimento de causa. A esta classe pertencem todos os que não admitem senão o que possa ter o testemunho dos sentidos. Nada viram, nada querem ver e ainda menos aprofundar.”
  16. 16. 16/22 O LIVRO DOS ESPIRITOSO LIVRO DOS ESPIRITOS CONCLUSÃO Item VII • “2ª — A dos que, sabendo muito bem o que pensar da realidade dos fatos, os combatem, todavia, por motivos de interesse pessoal. Para estes, o Espiritismo existe, mas lhe receiam as conseqüências. Atacam-no como a um inimigo.”
  17. 17. 17/22 O LIVRO DOS ESPIRITOSO LIVRO DOS ESPIRITOS CONCLUSÃO Item VII • “3ª — A dos que acham na moral espírita uma censura por demais severa aos seus atos ou às suas tendências. Tomado ao sério, o Espiritismo os embaraçaria; não o rejeitam, nem o aprovam: preferem fechar os olhos.”
  18. 18. 18/22 O LIVRO DOS ESPIRITOSO LIVRO DOS ESPIRITOS CONCLUSÃO Item VIII • Kardec reafirma que a moral do espiritismo é a mesma ensinada pelo Cristo nos evangelhos •“Mas, perguntamos, por nossa vez: Antes que viesse o Cristo, não tinham os homens a lei dada por Deus a Moisés? A doutrina do Cristo não se acha contida no Decálogo? Dir- -se-á, por isso, que a moral de Jesus era inútil? Perguntaremos, ainda, aos que negam utilidade à moral espírita: Por que tão pouco praticada é a do Cristo?”
  19. 19. 19/22 O LIVRO DOS ESPIRITOSO LIVRO DOS ESPIRITOS CONCLUSÃO Item IX • Kardec fala sobre as divergências entre os adeptos do espiritismo • “Os Espíritos sempre disseram que nos não inquietássemos com essas divergências e que a unidade se estabeleceria. Ora, a unidade já se fez quanto à maioria dos pontos e as divergências tendem cada vez mais a desaparecer”
  20. 20. 20/22 O LIVRO DOS ESPIRITOSO LIVRO DOS ESPIRITOS CONCLUSÃO Item IX • Sobre as questões relacionadas às divergências, reproduz conselho de Santo Agostinho • “Por bem largo tempo, os homens se têm estraçalhado e anatematizado mutuamente em nome de um Deus de paz e misericórdia, ofendendo-o com semelhante sacrilégio. O Espiritismo é o laço que um dia os unirá, porque lhes mostrará onde está a verdade, onde o erro.”
  21. 21. 21/22 O LIVRO DOS ESPIRITOSO LIVRO DOS ESPIRITOS CONCLUSÃO Item IX • “Jamais os bons Espíritos foram os instigadores do mal; jamais aconselharam ou legitimaram o assassínio e a violência; jamais estimularam os ódios dos partidos, nem a sede das riquezas e das honras, nem a avidez dos bens da Terra. Os que são bons, humanitários e benevolentes para com todos, esses os seus prediletos e prediletos de Jesus, porque seguem a estrada que este lhes indicou para chegarem até ele.”
  22. 22. 22/22 O LIVRO DOS ESPIRITOSO LIVRO DOS ESPIRITOS “O Espiritismo pode não ser a religião do futuro, mas é o futuro das religiões.” Leon Denis

×