SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 34
ESTUDO E PRÁTICAESTUDO E PRÁTICA
DA MEDIUNIDADEDA MEDIUNIDADE
ESTUDO E PRÁTICA DA MEDIUNIDADE
Página 141
Programa 1
Módulo 2
Tema 5
REUNIÕES
MEDIÚNICAS
SÉRIAS
REUNIÕES MEDIÚNICAS SÉRIAS
CONCEITO
• ATIVIDADE PRIVATIVA, NA QUAL SE
REALIZA ASSISTÊNCIA AOS ESPÍRITOS
NECESSITADOS (ENCARNADOS OU
DESENCARNADOS), CONSTITUÍDA DE
PESSOAS QUE TENHAM CONHECIMENTO
DA DOUTRINA, QUE POSSUAM CONDUTA
MORAL EQUIVALENTE COM O TRABALHO
A SER REALIZADO E QUE ESTEJAM
SINTONIZADAS NUM MESMO OBJETIVO.
SEGUNDO A SUASEGUNDO A SUA
NATUREZA, ASNATUREZA, AS
REUNIÕES PODEM SER:REUNIÕES PODEM SER:
• FRÍVOLAS
• EXPERIMENTAIS
• INSTRUTIVAS
(CAP. 29)
QUAL O PAPEL DA PRÁTICA
MEDIÚNICA NA DOUTRINA
ESPÍRITA?
• Servir de instrumento para educação
moral dos espíritos encarnados e
desencarnados.
QUAL O OBJETIVO DE SE FORMAR
UM GRUPO MEDIÚNICO?
• O estudo e a prática do espiritismo.
PORQUE OS ESPÍRITOS
NECESSITAM DE ATENDIMENTO
MEDIÚNICO?• “Reparei que os sentidos do
insensível perseguidor ganharam
inesperada percepção. Visão, audi­
ção, tato e olfato foram nele
súbitamente acordados e
intensificados. Parecia um
sonâmbulo, desper­tando. À medida
que se lhe casavam as forças às
energias da médium, mais se
acentuava o fenômeno de
reavivamento sensorial. Apossando­
se proviso­riamente dos recursos
orgânicos de Dona Isaura [...]”
Cap. 15
O concurso do médium é
imprescindível?
• O médium (choque anímico) ajuda na
recuperação do sofredor.
• “não é um recurso imprescindível. [...] Os
postos de socorro e as organizações de
emergência, nos diversos departamentos
de nossas esferas de ação, contam com
avançados núcleos de serviço da mesma
ordem. Em determinados casos, porém, a
cooperação do magnetismo humano pode
influir mais intensamente, em beneficio dos
necessitados que se encontrem cativos das
zonas de sensação, na crosta do Mundo.
Mesmo aí, contudo, a colaboração dos
amigos terrenos, embora seja apreciável,
não constitui fator absoluto e
imprescindível”
Cap. 17
PORQUE OS ENCARNADOS
PARTICIPAM DE TRABALHOS
MEDIÚNICOS?• Servir ao próximo.
• Aperfeiçoamento individual.
• Educação proporcionada pelos exemplos
que a atividade mediúnica revela.
"(...) quando é possível e útil, valemo-nos
do concurso de médiuns e doutrinadores
humanos, não só para facilitar a solução
desejada, senão também para
proporcionar ensinamentos vive aos
companheiros envolvidos na carne
despertando-lhe o coração para a
espiritualidade." [...] Ajudando as
entidades em desequilíbrio ajudarão a si
mesmos; doutrinando acabarão
igualmente doutrinados."
Cap. 17
PORQUE A TAREFA MEDIÚNICA É
INTERESSANTE PARA A CASA
ESPÍRITA?
• Trás vantagens no âmbito
individual para os trabalhadores.
• E também vantagens para a
Casa, como instituição.
DESENVOLVIMENTO DE UMA
REUNIÃO
• FASE PREPARATÓRIA:
– LEITURA INICIAL PARA HARMONIZAÇÃO
– PRECE INICIAL (BREVE, CLARA E CONCISA)
• FASE DA MANIFESTAÇÃO DOS
DESENCARNADOS
• FASE DE ENCERRAMENTO:
– IRRADIAÇÕES OU VIBRAÇÕES
– PRECE
– AVALIAÇÃO
DESENVOLVIMENTO DE UMA
REUNIÃO
Comunicações dos
desencarnados
25 Min 5
Min
75 Min 10 Min 5
Min
Horário de
início
Sugestão
CARACTERÍSTICAS DOS GRUPOS
MEDIÚNICOS
CARACTERÍSTICAS DOS GRUPOS MEDIÚNICOS
Dirigente /
Dialogador
Secretário (a)
Passe
Médiuns
Apoio
Vibratório
Exemplo de desenvolvimento da reunião
Exemplo de desenvolvimento da reunião
Assistido
Exemplo de desenvolvimento da reunião
QUESTÃO 341 DO LIVRO DOS
MÉDIUNS
• PERFEITA COMUNHÃO DE IDEIAS E
SENTIMENTOS;
• BENEVOLÊNCIA RECÍPROCA ENTRE
TODOS OS MEMBROS;
• RENÚNCIA DE TODO SENTIMENTO
CONTRÁRIO À VERDADEIRA CARIDADE
CRISTÃ;
• DESEJO UNÍSSONO DE SE INSTRUIR E DE
MELHORAR PELO ENSINAMENTO DOS
ESPÍRITOS BONS E APROVEITAMENTO DE
SEUS CONSELHOS;
QUESTÃO 341 DO LIVRO DOS
MÉDIUNS• EXCLUSÃO DE TUDO O QUE NAS
COMUNICAÇÕES SOLICITADAS AOS ESPÍRITOS
SÓ TENHA POR OBJETIVO A CURIOSIDADE;
• CONCENTRAÇÃO E SILÊNCIO RESPEITOSO
DURANTE AS CONVERSAÇÕES COM OS
ESPÍRITOS;
• ASSOCIAÇÃO DE TODOS OS ASSISTENTES
PELO PENSAMENTO NO APELO AOS
ESPÍRITOS EVOCADOS;
• CONCURSO DE TODOS OS MÉDIUNS, COM
RENÚNCIA DE QUALQUER SENTIMENTO DE
ORGULHO, DE AMOR-PRÓPRIO E DE
SUPREMACIA, COM DESEJO ÚNICO DE SE
QUANTO AOS MÉDIUNS E
DIRIGENTES:
•CABE O ESTUDO CONTÍNUO E O
ESFORÇO PESSOAL DENTRO DE
UM COMPORTAMENTO MORAL
SADIO, PERMITINDO ASSIM QUE
POSSAM ESTAR SEMPRE EM
SINTONIA COM A
ESPIRITUALIDADE MAIOR E
TAMBÉM SIRVAM DE EXEMPLO
AOS ESPÍRITOS SOFREDORES
ATENDIDOS.
•A VAIDADE E O ORGULHO
REPRESENTAM AS PRINCIPAIS
CAUSAS DE FRACASSOS EM
GRUPOS MEDIÚNICOS, LEVANDO
OS MÉDIUNS A SEREM
ENGANADOS
Tradução
de José
Herculan
o Pires
OS REQUISITOS PARA
PARTICIPAÇÃO
• DISCIPLINA
• HUMILDADE
• INTERESSE
FRATERNO
• CONDUTA ESPÍRITA
ÉTICA E MORAL
BASEADA NO
EVANGELHO DE
JESUS
Item 1.4.3
LOCAL APROPRIADO
• A questão é delicada [...] Se for possível um
local apropriado, num centro espírita bem
orientado, o trabalho deve ser feito aí.
• [...] num lar tumultuado por disputas,
rivalidades, ciúmes, paixões subalternas e
desajus-tes de toda sorte, a realização de
trabalhos de desobsessão poderá agravar as
condições, [...] Num lar normal, porém, o
trabalho mediúnico equilibrado e bem dirigido,
sob a proteção de orientadores espirituais [...],
pode funcionar sem problemas e até com
benefícios para a vida doméstica.
• [...] O que garante a estabilidade de um bom
grupo mediúnico não é a sua localização física,
geográfica; é o equilíbrio psíquico, emo-cional,
daqueles que o compõem.
Cap. 1
EQUIPE DE TRABALHADORES
ENCARNADOS
• O DIRIGENTE
• SECRETÁRIO (A)
• O DIALOGADOR
• MÉDIUNS
• APOIO VIBRATÓRIO
• PASSES DE AUXÍLIO
PARTICIPAÇÃO DE CONVIDADOS
EQUIPE DE TRABALHADORES
DESENCARNADOS
• OS MENTORES
• OS TRABALHADORES ESPIRITUAIS
• AÇÃO ESPIRITUAL NOS TRABALHOS
MEDIÚNICOS
– PREPARAÇÃO DO AMBIENTE PARA A REUNIÃO
– SELEÇÃO E PREPARAÇÃO DOS ESPÍRITOS
TRAZIDOS À COMUNICAÇÃO MEDIÚNICA.
– ATENDIMENTO OFERECIDO AOS ESPÍRITOS NA
REUNIÃO MEDIÚNICA.
EQUIPE DE TRABALHADORES
DESENCARNADOS
EQUIPE DE TRABALHADORES
DESENCARNADOS
EQUIPE DE TRABALHADORES
DESENCARNADOS
INTERAÇÃO ENTRE AS EQUIPES
ENCARNADA E
DESENCARNADA
• PREPARAÇÃO DURANTE A SEMANA E NO DIA DA
REUNIÃO.
• DURANTE O SONO.
• AS CONSULTAS AOS TRABALHADORES
ESPIRITUAIS.
COMO RECONHECER OS ESPÍRITOS
TRABALHADORES?
• “Os bons Espíritos irradiam em
torno de si, fluidos leves,
agradáveis, suaves, calmos,
harmônicos que nos despertam
uma sensação de bem-estar,
harmonia, otimismo. Os maus
emanam fluidos pesados,
desagradáveis, fortes,
violentos, desarmônicos que
nos podem fazer sentir um mal-
estar geral [...]” Item 5.5
ELEMENTOS DEFINIDORES DE UMA
MENSAGEM DOS ESPÍRITOS
SUPERIORES
ENTRE OS ESPÍRITOS
SUPERIORES A MAIORIA
NÃO DEVE TER NOMES
PARA NÓS. MAS
PRECISAMOS DE NOMES
PARA FIXAR IDÉIAS
ENTRE OS ESPÍRITOS
SUPERIORES A MAIORIA
NÃO DEVE TER NOMES
PARA NÓS. MAS
PRECISAMOS DE NOMES
PARA FIXAR IDÉIAS
ELES TOMAM O NOME DE
PERSONAGEM CONHECIDO
(CUJA NATUREZA MAIS SE
IDENTIFIQUE COM A DELES)
ELES TOMAM O NOME DE
PERSONAGEM CONHECIDO
(CUJA NATUREZA MAIS SE
IDENTIFIQUE COM A DELES)
AO LONGO DA SUA
PURIFICAÇÃO AS
CARACTERÍSTICAS DA
PERSONALIDADE DOS
ESPÍRITOS
DESAPARECEM NA
UNIFORMIDADE
DA PERFEIÇÃO
AO LONGO DA SUA
PURIFICAÇÃO AS
CARACTERÍSTICAS DA
PERSONALIDADE DOS
ESPÍRITOS
DESAPARECEM NA
UNIFORMIDADE
DA PERFEIÇÃO
FORMAM POR
ASSIM DIZER UM
TODO COLETIVO
MAS
CONSERVAM A
SUA
INDIVIDUALIDADE
FORMAM POR
ASSIM DIZER UM
TODO COLETIVO
MAS
CONSERVAM A
SUA
INDIVIDUALIDADE
NASNAS
INSTRUÇÕESINSTRUÇÕES
GERAISGERAIS
O NOME É
INDIFERENTE
INTERESSA APENAS
O ENSINO
NASNAS
COMUNICAÇÕESCOMUNICAÇÕES
ÍNTIMASÍNTIMAS
INTERESSA-NOS
O INDIVÍDUO
MAS OS ESPÍRITOS
INFERIORES PODEM SE
ENFEITAR COM UM NOME
RESPEITÁVEL
(CASO MUITO COMUM)
MAS OS ESPÍRITOS
INFERIORES PODEM SE
ENFEITAR COM UM NOME
RESPEITÁVEL
(CASO MUITO COMUM)
DÚVIDAS FREQUENTES
• ATENDIMENTOS SIMULTÂNEOS
• APLICAÇÃO DE PASSES DURANTE AS
COMUNICAÇÕES
• COMPARECER A REUNIÃO MEDIÚNICA
MESMO PASSANDO MAL.
• REUNIÃO MEDIÚNICA PÚBLICA.
• ANIMISMO DE MÉDIUNS INICIANTES.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula o perispirito
Aula o perispiritoAula o perispirito
Aula o perispirito
duadv
 
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
Marta Gomes
 
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
Wagner Quadros
 
De graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça daiDe graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça dai
Graça Maciel
 

Mais procurados (20)

Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!
 
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade  - SintoniaMecanismo das comunicações - Afinidade  - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
 
Aula o perispirito
Aula o perispiritoAula o perispirito
Aula o perispirito
 
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
 
Obsessão e Desobsessão
Obsessão e Desobsessão Obsessão e Desobsessão
Obsessão e Desobsessão
 
Perturbação espiritual. Vida no mundo espiritual
Perturbação espiritual. Vida no mundo espiritualPerturbação espiritual. Vida no mundo espiritual
Perturbação espiritual. Vida no mundo espiritual
 
Mediunidade através dos tempos, A-2,0h
Mediunidade através dos tempos, A-2,0hMediunidade através dos tempos, A-2,0h
Mediunidade através dos tempos, A-2,0h
 
O Poder do Pensamento
O Poder do PensamentoO Poder do Pensamento
O Poder do Pensamento
 
01 o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
01   o médium conceito e classif. mediunidade com jesus01   o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
01 o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
 
Separação da alma e do corpo
Separação da alma e do corpoSeparação da alma e do corpo
Separação da alma e do corpo
 
Desencarne na visão espírita
Desencarne na visão espíritaDesencarne na visão espírita
Desencarne na visão espírita
 
Mediunidade efeitos físicos e intelectuais
Mediunidade efeitos físicos e intelectuaisMediunidade efeitos físicos e intelectuais
Mediunidade efeitos físicos e intelectuais
 
Esquecimento do passado
Esquecimento do passadoEsquecimento do passado
Esquecimento do passado
 
Roteiro 1 influência dos espíritos
Roteiro 1   influência dos espíritosRoteiro 1   influência dos espíritos
Roteiro 1 influência dos espíritos
 
Cm 21 - cérebro espiritual
Cm  21 - cérebro espiritualCm  21 - cérebro espiritual
Cm 21 - cérebro espiritual
 
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
 
Como Os EspíRitos Podem Penetrar Nossos Pensamentos
Como Os EspíRitos Podem Penetrar Nossos PensamentosComo Os EspíRitos Podem Penetrar Nossos Pensamentos
Como Os EspíRitos Podem Penetrar Nossos Pensamentos
 
04 A categoria de médiuns de efeitos físicos
04   A categoria de médiuns de efeitos físicos04   A categoria de médiuns de efeitos físicos
04 A categoria de médiuns de efeitos físicos
 
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDASINFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
 
De graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça daiDe graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça dai
 

Destaque

Como avaliar se a reunião mediúnica esta bem
Como avaliar  se a reunião mediúnica esta bemComo avaliar  se a reunião mediúnica esta bem
Como avaliar se a reunião mediúnica esta bem
Graça Maciel
 

Destaque (16)

Dairson: Reunião Mediúnica
Dairson: Reunião MediúnicaDairson: Reunião Mediúnica
Dairson: Reunião Mediúnica
 
Como avaliar se a reunião mediúnica esta bem
Como avaliar  se a reunião mediúnica esta bemComo avaliar  se a reunião mediúnica esta bem
Como avaliar se a reunião mediúnica esta bem
 
O centro espírita os médiuns e a prática cópia
O centro espírita os médiuns e a prática   cópiaO centro espírita os médiuns e a prática   cópia
O centro espírita os médiuns e a prática cópia
 
Curso para doutrinadores
Curso para doutrinadoresCurso para doutrinadores
Curso para doutrinadores
 
Avaliação da reunião mediúnica ( estudo sistematizado da mediunidade ( Leonar...
Avaliação da reunião mediúnica ( estudo sistematizado da mediunidade ( Leonar...Avaliação da reunião mediúnica ( estudo sistematizado da mediunidade ( Leonar...
Avaliação da reunião mediúnica ( estudo sistematizado da mediunidade ( Leonar...
 
Qualificação e prática da mediunidade
Qualificação e prática da mediunidadeQualificação e prática da mediunidade
Qualificação e prática da mediunidade
 
Reuniões Mediúnicas
Reuniões MediúnicasReuniões Mediúnicas
Reuniões Mediúnicas
 
Dimensões espirituais do centro espírita!
Dimensões espirituais do centro espírita!Dimensões espirituais do centro espírita!
Dimensões espirituais do centro espírita!
 
Mediunidadecomjesus 130429221907-phpapp02
Mediunidadecomjesus 130429221907-phpapp02Mediunidadecomjesus 130429221907-phpapp02
Mediunidadecomjesus 130429221907-phpapp02
 
Aula 8 Identidade dos Espíritos
Aula 8   Identidade dos EspíritosAula 8   Identidade dos Espíritos
Aula 8 Identidade dos Espíritos
 
Doutrinacao desobsessao - Rosana
Doutrinacao desobsessao - RosanaDoutrinacao desobsessao - Rosana
Doutrinacao desobsessao - Rosana
 
Aula 6 Mecanismo das Comunicações Mediúnicas
Aula 6   Mecanismo das Comunicações MediúnicasAula 6   Mecanismo das Comunicações Mediúnicas
Aula 6 Mecanismo das Comunicações Mediúnicas
 
Doutrinação, desobsessão e animismo
Doutrinação, desobsessão e animismoDoutrinação, desobsessão e animismo
Doutrinação, desobsessão e animismo
 
O PAPEL SOCIAL DA CASA ESPÍRITA
O PAPEL SOCIAL DA CASA ESPÍRITAO PAPEL SOCIAL DA CASA ESPÍRITA
O PAPEL SOCIAL DA CASA ESPÍRITA
 
O CENTRO ESPÍRITA SEGUNDO ALLAN KARDEC
O CENTRO ESPÍRITA SEGUNDO ALLAN KARDECO CENTRO ESPÍRITA SEGUNDO ALLAN KARDEC
O CENTRO ESPÍRITA SEGUNDO ALLAN KARDEC
 
Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!
 

Semelhante a Mediunidade aula 15 - reunioes mediunicas

O centro espírita na era de regeneração
O centro espírita na era de regeneraçãoO centro espírita na era de regeneração
O centro espírita na era de regeneração
umecamaqua
 
Curso para doutrinadores
Curso para doutrinadoresCurso para doutrinadores
Curso para doutrinadores
Alencar Santana
 
Uem apostila curso_basicomediunidade
Uem apostila curso_basicomediunidadeUem apostila curso_basicomediunidade
Uem apostila curso_basicomediunidade
rosane melo
 

Semelhante a Mediunidade aula 15 - reunioes mediunicas (20)

Mediunidade e Obsessão - Doutrina Espírita
Mediunidade e Obsessão - Doutrina EspíritaMediunidade e Obsessão - Doutrina Espírita
Mediunidade e Obsessão - Doutrina Espírita
 
Slides Seminário: Reunião Mediúnica - 05052018
Slides Seminário: Reunião Mediúnica - 05052018Slides Seminário: Reunião Mediúnica - 05052018
Slides Seminário: Reunião Mediúnica - 05052018
 
Reunião mediúnica - 17-10-2022.pptx
Reunião mediúnica - 17-10-2022.pptxReunião mediúnica - 17-10-2022.pptx
Reunião mediúnica - 17-10-2022.pptx
 
A CASA ESPIRITA- Organização e estrutura NA ATUALIDADE.pptx
A CASA ESPIRITA- Organização e estrutura NA ATUALIDADE.pptxA CASA ESPIRITA- Organização e estrutura NA ATUALIDADE.pptx
A CASA ESPIRITA- Organização e estrutura NA ATUALIDADE.pptx
 
O centro espírita na era de regeneração
O centro espírita na era de regeneraçãoO centro espírita na era de regeneração
O centro espírita na era de regeneração
 
Mediunidadeevolucaol10
Mediunidadeevolucaol10Mediunidadeevolucaol10
Mediunidadeevolucaol10
 
Nos dominios da mediunidade Cap. 4 Ante o Servico
Nos dominios da mediunidade   Cap. 4 Ante o ServicoNos dominios da mediunidade   Cap. 4 Ante o Servico
Nos dominios da mediunidade Cap. 4 Ante o Servico
 
Curso para doutrinadores
Curso para doutrinadoresCurso para doutrinadores
Curso para doutrinadores
 
A importância do centro espírita na nossa atual existência
A importância do centro espírita na nossa atual existênciaA importância do centro espírita na nossa atual existência
A importância do centro espírita na nossa atual existência
 
ENTRENAT 2012 - DAM
ENTRENAT 2012 - DAMENTRENAT 2012 - DAM
ENTRENAT 2012 - DAM
 
Até que a morte nos separe 4
Até que a morte nos separe 4Até que a morte nos separe 4
Até que a morte nos separe 4
 
Seminário sobre Mediunidade
Seminário sobre MediunidadeSeminário sobre Mediunidade
Seminário sobre Mediunidade
 
15 apostila [15]..
15 apostila [15]..15 apostila [15]..
15 apostila [15]..
 
Uem apostila curso_basicomediunidade
Uem apostila curso_basicomediunidadeUem apostila curso_basicomediunidade
Uem apostila curso_basicomediunidade
 
Curso de médiuns
Curso de médiunsCurso de médiuns
Curso de médiuns
 
BENEFÍCIOS DO EVANGELHO NO LAR
BENEFÍCIOS DO EVANGELHO NO LARBENEFÍCIOS DO EVANGELHO NO LAR
BENEFÍCIOS DO EVANGELHO NO LAR
 
Mediunidade aula 00 inaugural
Mediunidade   aula 00 inauguralMediunidade   aula 00 inaugural
Mediunidade aula 00 inaugural
 
Assistencia espiritual-e-espiritismo
Assistencia espiritual-e-espiritismoAssistencia espiritual-e-espiritismo
Assistencia espiritual-e-espiritismo
 
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 09 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 09 docApostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 09 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 09 doc
 
OrganizacaoFuncionamentoReuniaoMediunicao.ppt
OrganizacaoFuncionamentoReuniaoMediunicao.pptOrganizacaoFuncionamentoReuniaoMediunicao.ppt
OrganizacaoFuncionamentoReuniaoMediunicao.ppt
 

Último

Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
anapsuls
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 

Último (20)

TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxTIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 

Mediunidade aula 15 - reunioes mediunicas

  • 1. ESTUDO E PRÁTICAESTUDO E PRÁTICA DA MEDIUNIDADEDA MEDIUNIDADE
  • 2. ESTUDO E PRÁTICA DA MEDIUNIDADE Página 141 Programa 1 Módulo 2 Tema 5 REUNIÕES MEDIÚNICAS SÉRIAS
  • 3.
  • 5. CONCEITO • ATIVIDADE PRIVATIVA, NA QUAL SE REALIZA ASSISTÊNCIA AOS ESPÍRITOS NECESSITADOS (ENCARNADOS OU DESENCARNADOS), CONSTITUÍDA DE PESSOAS QUE TENHAM CONHECIMENTO DA DOUTRINA, QUE POSSUAM CONDUTA MORAL EQUIVALENTE COM O TRABALHO A SER REALIZADO E QUE ESTEJAM SINTONIZADAS NUM MESMO OBJETIVO.
  • 6. SEGUNDO A SUASEGUNDO A SUA NATUREZA, ASNATUREZA, AS REUNIÕES PODEM SER:REUNIÕES PODEM SER: • FRÍVOLAS • EXPERIMENTAIS • INSTRUTIVAS (CAP. 29)
  • 7. QUAL O PAPEL DA PRÁTICA MEDIÚNICA NA DOUTRINA ESPÍRITA? • Servir de instrumento para educação moral dos espíritos encarnados e desencarnados.
  • 8. QUAL O OBJETIVO DE SE FORMAR UM GRUPO MEDIÚNICO? • O estudo e a prática do espiritismo.
  • 9. PORQUE OS ESPÍRITOS NECESSITAM DE ATENDIMENTO MEDIÚNICO?• “Reparei que os sentidos do insensível perseguidor ganharam inesperada percepção. Visão, audi­ ção, tato e olfato foram nele súbitamente acordados e intensificados. Parecia um sonâmbulo, desper­tando. À medida que se lhe casavam as forças às energias da médium, mais se acentuava o fenômeno de reavivamento sensorial. Apossando­ se proviso­riamente dos recursos orgânicos de Dona Isaura [...]” Cap. 15
  • 10. O concurso do médium é imprescindível? • O médium (choque anímico) ajuda na recuperação do sofredor. • “não é um recurso imprescindível. [...] Os postos de socorro e as organizações de emergência, nos diversos departamentos de nossas esferas de ação, contam com avançados núcleos de serviço da mesma ordem. Em determinados casos, porém, a cooperação do magnetismo humano pode influir mais intensamente, em beneficio dos necessitados que se encontrem cativos das zonas de sensação, na crosta do Mundo. Mesmo aí, contudo, a colaboração dos amigos terrenos, embora seja apreciável, não constitui fator absoluto e imprescindível” Cap. 17
  • 11. PORQUE OS ENCARNADOS PARTICIPAM DE TRABALHOS MEDIÚNICOS?• Servir ao próximo. • Aperfeiçoamento individual. • Educação proporcionada pelos exemplos que a atividade mediúnica revela. "(...) quando é possível e útil, valemo-nos do concurso de médiuns e doutrinadores humanos, não só para facilitar a solução desejada, senão também para proporcionar ensinamentos vive aos companheiros envolvidos na carne despertando-lhe o coração para a espiritualidade." [...] Ajudando as entidades em desequilíbrio ajudarão a si mesmos; doutrinando acabarão igualmente doutrinados." Cap. 17
  • 12. PORQUE A TAREFA MEDIÚNICA É INTERESSANTE PARA A CASA ESPÍRITA? • Trás vantagens no âmbito individual para os trabalhadores. • E também vantagens para a Casa, como instituição.
  • 13. DESENVOLVIMENTO DE UMA REUNIÃO • FASE PREPARATÓRIA: – LEITURA INICIAL PARA HARMONIZAÇÃO – PRECE INICIAL (BREVE, CLARA E CONCISA) • FASE DA MANIFESTAÇÃO DOS DESENCARNADOS • FASE DE ENCERRAMENTO: – IRRADIAÇÕES OU VIBRAÇÕES – PRECE – AVALIAÇÃO
  • 14. DESENVOLVIMENTO DE UMA REUNIÃO Comunicações dos desencarnados 25 Min 5 Min 75 Min 10 Min 5 Min Horário de início Sugestão
  • 16. CARACTERÍSTICAS DOS GRUPOS MEDIÚNICOS Dirigente / Dialogador Secretário (a) Passe Médiuns Apoio Vibratório
  • 18. Exemplo de desenvolvimento da reunião Assistido
  • 20. QUESTÃO 341 DO LIVRO DOS MÉDIUNS • PERFEITA COMUNHÃO DE IDEIAS E SENTIMENTOS; • BENEVOLÊNCIA RECÍPROCA ENTRE TODOS OS MEMBROS; • RENÚNCIA DE TODO SENTIMENTO CONTRÁRIO À VERDADEIRA CARIDADE CRISTÃ; • DESEJO UNÍSSONO DE SE INSTRUIR E DE MELHORAR PELO ENSINAMENTO DOS ESPÍRITOS BONS E APROVEITAMENTO DE SEUS CONSELHOS;
  • 21. QUESTÃO 341 DO LIVRO DOS MÉDIUNS• EXCLUSÃO DE TUDO O QUE NAS COMUNICAÇÕES SOLICITADAS AOS ESPÍRITOS SÓ TENHA POR OBJETIVO A CURIOSIDADE; • CONCENTRAÇÃO E SILÊNCIO RESPEITOSO DURANTE AS CONVERSAÇÕES COM OS ESPÍRITOS; • ASSOCIAÇÃO DE TODOS OS ASSISTENTES PELO PENSAMENTO NO APELO AOS ESPÍRITOS EVOCADOS; • CONCURSO DE TODOS OS MÉDIUNS, COM RENÚNCIA DE QUALQUER SENTIMENTO DE ORGULHO, DE AMOR-PRÓPRIO E DE SUPREMACIA, COM DESEJO ÚNICO DE SE
  • 22. QUANTO AOS MÉDIUNS E DIRIGENTES: •CABE O ESTUDO CONTÍNUO E O ESFORÇO PESSOAL DENTRO DE UM COMPORTAMENTO MORAL SADIO, PERMITINDO ASSIM QUE POSSAM ESTAR SEMPRE EM SINTONIA COM A ESPIRITUALIDADE MAIOR E TAMBÉM SIRVAM DE EXEMPLO AOS ESPÍRITOS SOFREDORES ATENDIDOS. •A VAIDADE E O ORGULHO REPRESENTAM AS PRINCIPAIS CAUSAS DE FRACASSOS EM GRUPOS MEDIÚNICOS, LEVANDO OS MÉDIUNS A SEREM ENGANADOS Tradução de José Herculan o Pires
  • 23. OS REQUISITOS PARA PARTICIPAÇÃO • DISCIPLINA • HUMILDADE • INTERESSE FRATERNO • CONDUTA ESPÍRITA ÉTICA E MORAL BASEADA NO EVANGELHO DE JESUS Item 1.4.3
  • 24. LOCAL APROPRIADO • A questão é delicada [...] Se for possível um local apropriado, num centro espírita bem orientado, o trabalho deve ser feito aí. • [...] num lar tumultuado por disputas, rivalidades, ciúmes, paixões subalternas e desajus-tes de toda sorte, a realização de trabalhos de desobsessão poderá agravar as condições, [...] Num lar normal, porém, o trabalho mediúnico equilibrado e bem dirigido, sob a proteção de orientadores espirituais [...], pode funcionar sem problemas e até com benefícios para a vida doméstica. • [...] O que garante a estabilidade de um bom grupo mediúnico não é a sua localização física, geográfica; é o equilíbrio psíquico, emo-cional, daqueles que o compõem. Cap. 1
  • 25. EQUIPE DE TRABALHADORES ENCARNADOS • O DIRIGENTE • SECRETÁRIO (A) • O DIALOGADOR • MÉDIUNS • APOIO VIBRATÓRIO • PASSES DE AUXÍLIO
  • 27. EQUIPE DE TRABALHADORES DESENCARNADOS • OS MENTORES • OS TRABALHADORES ESPIRITUAIS • AÇÃO ESPIRITUAL NOS TRABALHOS MEDIÚNICOS – PREPARAÇÃO DO AMBIENTE PARA A REUNIÃO – SELEÇÃO E PREPARAÇÃO DOS ESPÍRITOS TRAZIDOS À COMUNICAÇÃO MEDIÚNICA. – ATENDIMENTO OFERECIDO AOS ESPÍRITOS NA REUNIÃO MEDIÚNICA.
  • 31. INTERAÇÃO ENTRE AS EQUIPES ENCARNADA E DESENCARNADA • PREPARAÇÃO DURANTE A SEMANA E NO DIA DA REUNIÃO. • DURANTE O SONO. • AS CONSULTAS AOS TRABALHADORES ESPIRITUAIS.
  • 32. COMO RECONHECER OS ESPÍRITOS TRABALHADORES? • “Os bons Espíritos irradiam em torno de si, fluidos leves, agradáveis, suaves, calmos, harmônicos que nos despertam uma sensação de bem-estar, harmonia, otimismo. Os maus emanam fluidos pesados, desagradáveis, fortes, violentos, desarmônicos que nos podem fazer sentir um mal- estar geral [...]” Item 5.5
  • 33. ELEMENTOS DEFINIDORES DE UMA MENSAGEM DOS ESPÍRITOS SUPERIORES ENTRE OS ESPÍRITOS SUPERIORES A MAIORIA NÃO DEVE TER NOMES PARA NÓS. MAS PRECISAMOS DE NOMES PARA FIXAR IDÉIAS ENTRE OS ESPÍRITOS SUPERIORES A MAIORIA NÃO DEVE TER NOMES PARA NÓS. MAS PRECISAMOS DE NOMES PARA FIXAR IDÉIAS ELES TOMAM O NOME DE PERSONAGEM CONHECIDO (CUJA NATUREZA MAIS SE IDENTIFIQUE COM A DELES) ELES TOMAM O NOME DE PERSONAGEM CONHECIDO (CUJA NATUREZA MAIS SE IDENTIFIQUE COM A DELES) AO LONGO DA SUA PURIFICAÇÃO AS CARACTERÍSTICAS DA PERSONALIDADE DOS ESPÍRITOS DESAPARECEM NA UNIFORMIDADE DA PERFEIÇÃO AO LONGO DA SUA PURIFICAÇÃO AS CARACTERÍSTICAS DA PERSONALIDADE DOS ESPÍRITOS DESAPARECEM NA UNIFORMIDADE DA PERFEIÇÃO FORMAM POR ASSIM DIZER UM TODO COLETIVO MAS CONSERVAM A SUA INDIVIDUALIDADE FORMAM POR ASSIM DIZER UM TODO COLETIVO MAS CONSERVAM A SUA INDIVIDUALIDADE NASNAS INSTRUÇÕESINSTRUÇÕES GERAISGERAIS O NOME É INDIFERENTE INTERESSA APENAS O ENSINO NASNAS COMUNICAÇÕESCOMUNICAÇÕES ÍNTIMASÍNTIMAS INTERESSA-NOS O INDIVÍDUO MAS OS ESPÍRITOS INFERIORES PODEM SE ENFEITAR COM UM NOME RESPEITÁVEL (CASO MUITO COMUM) MAS OS ESPÍRITOS INFERIORES PODEM SE ENFEITAR COM UM NOME RESPEITÁVEL (CASO MUITO COMUM)
  • 34. DÚVIDAS FREQUENTES • ATENDIMENTOS SIMULTÂNEOS • APLICAÇÃO DE PASSES DURANTE AS COMUNICAÇÕES • COMPARECER A REUNIÃO MEDIÚNICA MESMO PASSANDO MAL. • REUNIÃO MEDIÚNICA PÚBLICA. • ANIMISMO DE MÉDIUNS INICIANTES.

Notas do Editor

  1. Frívolas: Composta por pessoas com interesses fúteis e pessoais. Espíritos levianos e Brincalhões. Experimentais: Tem por principal objetivo a produção de fenômenos físicos. São reuniões sérias, que tem por objetivo principal a orientação dos encarnados e desencanados.
  2. Servir de instrumento para educação moral dos espíritos encarnados e desencarnados.
  3. O estudo e a prática do espiritismo.
  4. Choque anímico.
  5. Questão 459 de L.E. (...Frequentemente são eles que vos dirigem)
  6. Manifestação de mentores – Ideal no inicio ou final, nunca entre as manifestações.
  7. Fase preparatória: Estudo – Harmonização - Prece de abertura
  8. Fluidoterapia Médiuns de costas para a porta (?)
  9. Dialogo
  10. Projeto Imagem (Américo Sucena) – Missionários da Luz
  11. Projeto Imagem (Américo Sucena) – Missionários da Luz
  12. Projeto Imagem (Américo Sucena) – Missionários da Luz
  13. Atender o maior número possível de desencarnados (NÃO) Qualidade é mais importante. Desrespeito a privacidade as entidades viciar pessoas a assistir o que elas não entendem ou/e não acreditam