SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 36
Baixar para ler offline
A CATEGORIA DE MÉDIUNS
DE EFEITOS FÍSICOS
Moldes das mãos obtidos pelo médium FRANEK KLUSKI
na sessão do Institut Metapsychique de Paris, em 1920
Médium PEIXOTINHO
Materialização parcial do
espírito de Dona Maria
Gonçalves Duarte
Experiências com mesa girante
O LIVRO DOS MÉDIUNS
TEORIA DAS MANIFESTAÇÕES FÍSICAS
2ª parte - capítulo IV
FLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL:
- É uma criação de Deus não sendo, portanto, sua emanação.
- É o princípio elementar de todas as coisas.
- Nos Espíritos puros é onde o encontramos na sua simplicidade absoluta.
- Modificado, forma a matéria compacta que nos rodeia.
- Serve para animar a matéria. O princípio vital nele reside.
- Modificado de acordo com cada mundo, forma o perispírito dos seus habitantes.
- Fluido básico para a formação dos fenômenos de efeitos físicos.
Há então dois elementos gerais do Universo: a matéria e o espírito?
“Sim e acima de tudo Deus, o criador, o pai de todas as coisas. Deus,
espírito e matéria constituem o princípio de tudo o que existe, a trindade universal.
Mas, ao elemento material se tem que juntar o fluido universal, que desempenha o
papel de intermediário entre o espírito e a matéria propriamente dita, por demais
grosseira para que o espírito possa exercer ação sobre ela (...)”.
(O LIVRO DOS ESPÍRITOS, Allan Kardec - questão 27)
As manifestações espontâneas não se limitam sempre aos ruídos e às
pancadas. (...) Vê-se móveis e objetos diversos desordenarem-se, portas e
janelas serem abertas e fechadas, ladrilhos serem quebrados, objetos serem
lançados de fora, não sendo, portanto, efeito de uma ilusão.
(...) Algumas vezes, ouve-se barulho em uma parte vizinha, louça que
cai e se quebra com estrondo, lenhas rolando sobre o soalho e, ao chegar no
local, encontra-se tudo tranquilo e em ordem. Afastando-se, o tumulto
recomeça.
Se se tomasse a sábia atitude de rir-se de suas malvadezas, acabariam
por cansar e por tranquilizarem. (...) Mas, é sempre útil saber o que querem. Se
pedem algo, cessarão suas visitas sendo atendidos.
O LIVRO DOS MÉDIUNS
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
2ª parte - capítulo V - itens 87 e 90
O LIVRO DOS MÉDIUNS
LABORATÓRIO DO MUNDO INVISÍVEL
2ª parte - capítulo VIII
“(...) o Espírito tem, sobre os elementos materiais, disseminados por toda parte
no espaço, na vossa atmosfera, um poder que estais longe de supor. Pode, à sua
vontade, concentrar esses elementos e dar-lhes a forma aparente própria para os
seus projetos.”
São Luís – item 128
129 (...) O Espírito age sobre a matéria; ele tira da matéria cósmica universal os
elementos necessários para formar, de acordo com sua vontade, objetos com a
aparência dos diversos corpos que existem na Terra. Ele pode igualmente atuar
sobre a matéria elementar, de acordo com sua vontade, uma transformação íntima,
dando-lhe propriedades determinadas. Essa faculdade é inerente à natureza do
Espírito, que, muitas vezes, exerce-a instintivamente, quando necessário, e sem se
dar conta disso. Os objetos formados pelo Espírito possuem existência temporária,
subordinada à sua vontade ou a uma necessidade; ele pode fazê-los ou desfazê-
los como quiser. Esses objetos podem, em certos casos, ter aos olhos das
pessoas vivas todas as aparências da realidade, ou seja, podem tornar-se visíveis
e até mesmo tangíveis. Existe uma formação, e não uma criação, porque o Espírito
não pode tirar nada do nada.
FENÔMENOS DE EFEITOS FÍSICOS
ESPÍRITO:
- Para movimentar um corpo sólido, combina seu próprio fluido, uma parte do
Fluido Cósmico Universal com outro fluido (ectoplasma) liberado por um
médium e apropriado para este fim.
- Sendo este corpo muito pesado, solicita o auxílio de outros Espíritos que
estão em suas mesmas condições.
- Em razão de sua natureza etérea o Espírito não pode agir sobre a matéria
grosseira sem a presença do perispírito, ou seja, do laço que o une à
matéria.
- Os Espíritos que produzem esses efeitos são sempre inferiores, pois não
encontram-se, ainda, inteiramente desligados de toda a influência material.
- Os Espíritos superiores possuem a força moral. Havendo a necessidade da
utilização da força, utilizam-se dos que lhes são inferiores.
São Luís
O LIVRO DOS MÉDIUNS, Allan Kardec
TEORIA DAS MANIFESTAÇÕES FÍSICAS - 2ª parte - cap. IV item 74
MÉDIUM:
- Seus trabalhos têm a finalidade de chamar a atenção da incredulidade
humana para a existência dos Espíritos e do mundo invisível. Produzem
fenômenos materiais, tais como: movimento de corpos inertes, ruídos, voz
direta, curas fenomênicas, transportes, etc.
- Tem a capacidade orgânica de doar o fluido para a produção do efeito
físico.
- Pode servir de instrumento para o Espírito sem disso desconfiar.
- Sua vontade ajuda a força, mas o movimento (do objeto) poderá ocorrer
contra e malgrado essa vontade.
- Há uma espécie de emanação deste fluido, por consequência de seu
organismo. A emissão do fluido animalizado pode ser mais ou menos
abundante, sua combinação mais ou menos fácil e daí os médiuns mais ou
menos potentes.
FENÔMENOS DE EFEITOS FÍSICOS
O LIVRO DOS MÉDIUNS, Allan Kardec
TEORIA DAS MANIFESTAÇÕES FÍSICAS - 2ª parte - cap. IV item 74, 75
MECANISMO
- Para a movimentação de algum objeto, o Espírito anima ficticiamente esta matéria
grosseira envolvendo-a com parte do princípio vital que retira do Fluido Cósmico
Universal. Portanto, no caso de uma mesa que se ergue, não é o Espírito que a
levanta, mas ela por si só comandada pela vontade do Espírito.
- No exemplo da mesa, a vida é momentânea; ela se extingue com a ação ou
antes mesmo do seu término, tão logo que a quantidade de fluido não seja
mais suficiente para animá-la.
- O Espírito é a causa preponderante na produção deste fenômeno. O fluido é o
instrumento.
- Quando o Espírito pousa os dedos sobre as teclas de um piano, os pousa
realmente, e mesmo as movimenta; mas não é pela força muscular que
pressiona sobre a tecla; anima-a e a tecla, obedecendo à sua vontade, se
movimenta e golpeia a corda.
- Espíritos pouco avançados presos a influenciação da matéria creem agir como
quando tinham seus corpos; acham que tocam o piano pela pressão exercida por
seus dedos sobre as teclas. O efeito se produz instintivamente neles, não
percebendo ser pela sua vontade.
- Para a produção do fenômeno, necessário é que o Espírito primeiramente o
queira e que tenha um objetivo, um motivo, sem isso não faz nada. Após, a
necessidade de encontrar, precisamente no lugar que gostaria de agir, uma
pessoa apta a oferecer o fluido, o que é uma rara coincidência.
FENÔMENOS DE EFEITOS FÍSICOS
“(...) as pessoas cujos nervos vibram ao menor sentimento, à menor
sensação, que a influência moral ou física, interna ou externa, sensibiliza, são as
mais aptas a se tornarem excelentes médiuns de efeitos físicos de tangibilidade
e de transporte. De fato, seu sistema nervoso, quase inteiramente desprovido do
envoltório refratário que isola esse sistema na maioria dos outros encarnados,
torna-os apropriados para a realização dos diversos fenômenos. Em
consequência, com uma pessoa dessa natureza, e cujas outras faculdades não
sejam hostis à mediunização, mais facilmente se obterão os fenômenos da
tangibilidade, as batidas nas paredes e nos móveis, os movimentos inteligentes
e mesmo a suspensão no espaço da matéria inerte mais pesada. (...)”
Erasto
(O LIVRO DOS MÉDIUNS, Allan Kardec - 2ª parte – cap. V item 98)
VARIEDADES DE MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS
Podem ser divididos em dois grupos:
Facultativos = que têm consciência dos fenômenos que produzem;
Involuntários = ou naturais, que não possuem consciência de suas faculdades e são
usados pelos Espíritos para promoverem manifestações sem que o saibam.
(Erasto e Sócrates = principais Espíritos que catalogaram as variedades de médiuns. (it.186)
TIPTÓLOGOS - AQUELES QUE POR CUJA INFLUÊNCIA SE PRODUZEM OS RUÍDOS E AS
PANCADAS, COM OU SEM A PARTICIPAÇÃO DA VONTADE.
A tiptologia constitui um meio de comunicação como qualquer outro, e que
não é, mais do que o da escrita, ou da palavra, indigno dos Espíritos elevados. Todos
os Espíritos, bons e maus, podem servir-se dele, como dos diversos outros existentes.
O que caracteriza os Espíritos superiores é a elevação das ideias e não o instrumento
de que se utilizem para exprimi-las. Sem dúvida, eles preferem os meios mais cômodos
e, sobretudo, mais rápidos; mas, em falta de lápis e papel, não escrupulizarão de valer-
se da vulgar mesa falante e a prova é que, por esse meio, se obtém os mais sublimes
ditados. (item 145)
O LIVRO DOS MÉDIUNS, Allan Kardec - 2ª parte - cap. XI
TIPTÓLOGOS, MOTORES, de TRANSPORTES, CURADORES, EXCITADORES, de EFEITOS
MUSICAIS, PNEUMATOFÔNICOS, PNEUMATÓGRAFOS, APARIÇÕES, de TRANSLAÇÕES -
SUSPENSÕES.
VARIEDADES DE MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS
DIFERENÇA ENTRE TIPTOLOGIA E SEMATOLOGIA
SEMATOLOGIA: É a comunicação dos Espíritos por meio de sinais, tais como
ruídos, batidas, movimento de objetos, etc. Em se tratando da sematologia por
meio de batidas, é usado o termo tiptologia, ou seja, se as pancadas visam
corresponder às letras do alfabeto para formarem frases inteiras, os sinais
tentam representar a qualidade das emoções que empolgam o Espírito
manifestante. Dessa forma, a mesa pode apresentar movimentos bruscos ou
suaves, ou de outras tantas formas quanto são os sentimentos que se quer
expressar.
TIPTOLOGIA: Consiste na linguagem das pancadas, barulhos e ruídos
provocados pelos Espíritos; por isso dizer que é uma manifestação inteligente,
porque há a possibilidade rudimentar de comunicação. De início, convencionou-
se um determinado número de batidas para sim e não, mas esse meio evoluiu
rapidamente para a tiptologia alfabética, onde cada letra possuía um número
correspondente de pancadas.
O LIVRO DOS MÉDIUNS, Allan Kardec - 2ª parte - cap. XI
VARIEDADES DE MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS
MOTORES - OS QUE PRODUZEM MOVIMENTOS DOS CORPOS INERTES.
de TRANSPORTES - OS QUE PODEM SERVIR AOS ESPÍRITOS PARA O TRANSPORTE DE
OBJETOS MATERIAIS. VARIEDADE DE MÉDIUNS MOTORES E DE TRANSLAÇÕES.
FENÔMENO DE TRANSPORTE
“(...) A presença de pessoas, antipáticas ao Espírito que opera, entrava
radicalmente sua ação. É importante acrescentar que os transportes necessitam
sempre de maior concentração, e ao mesmo tempo, de maior difusão de certos fluidos
obtidos por médiuns cujo aparelho eletromedianímico é de melhores condições. (...)”
“(...) se é absurdo repelir sistematicamente todos os fenômenos produzidos
pelos Espíritos, não é prudente aceitá-los cegamente. Quando um fenômeno de
tangibilidade, de aparição, de visibilidade ou transporte se manifesta
espontaneamente e de um modo instantâneo, aceitai-o; mas, (...) que cada fato sofra
um exame minucioso, aprofundado e severo. (...) O Espiritismo nada tem a ganhar
com essas pequenas manifestações que hábeis prestidigitadores podem imitar.”
“Necessariamente, é preciso, para se obterem fenômenos desta ordem, ter
consigo médiuns que eu chamaria sensitivos, quer dizer, dotados, no mais alto grau,
de faculdades medianímicas de expansão e de penetrabilidade; porque o sistema
nervoso destes médiuns, facilmente excitável, lhes permite, por meio de certas
vibrações, projetar ao seu redor, com profusão, seu fluido animalizado.”
(Erasto - O LIVRO DOS MÉDIUNS, capítulo V item 98)
VARIEDADES DE MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS
“A força gravitacional é nula para os Espíritos podendo transportar objetos de
peso volumoso. Porém, este peso está em relação à quantidade de fluido combinado
entre o Espírito e o médium, ou seja, se o Espírito transporta uma flor ou um objeto leve,
frequentemente, é porque não encontra no médium, ou nele mesmo, os elementos
necessários para um esforço mais considerável.”
(O LIVRO DOS MÉDIUNS, cap. V - resumo da nota de Erasto referente à pergunta 14 – item 99)
Lírio de aproximadamente
1,82m surgido numa das
sessões de Mme. Esperance
- Espírito Yolande.
FENÔMENO DE TRANSPORTE
(...) um risonho companheiro de nossa esfera tomou pequena porção das forças
materializantes do médium sobre as mãos e afastou-se para trazer, daí a instantes, algumas flores
que foram distribuídas com os irmãos encarnados, no intuito de sossegar-lhes a mente excitadiça.
Calmando-nos a curiosidade, Áulus esclareceu:
– É o transporte comum, realizado com reduzida cooperação das energias
medianímicas. Nosso amigo (...) apenas tomou diminuta quantidade de força ectoplásmica,
formando somente pequeninas cristalizações superficiais do polegar e do indicador, em ambas as
mãos, a fim de colher as flores e trazê-las até nós.
(...) – E se fosse o médium o objeto do transporte? traspassaria a barreira nas mesmas
circunstâncias?
– Perfeitamente, desde que esteja mantido sob nosso controle, intimamente associado
às nossas forças, porque dispomos entre nós de técnicos bastante competentes para
desmaterializar os elementos físicos e reconstituí-los de imediato, cônscios da responsabilidade
que assumem.
E sorrindo:
– Você não pode esquecer que as flores transpuseram o tapume de alvenaria,
penetrando aqui com semelhante auxílio. De idêntica maneira, caso encontrássemos utilidade
num lance dessa natureza, o instrumento que nos serve de base ao trabalho poderia ser removido
para o exterior com a mesma facilidade. As cidadelas atômicas, em qualquer construção da forma
física, não são fortalezas maciças, qual acontece em nossa própria esfera de ação. O espaço
persiste em todas as formações e, através dele, os elementos se interpenetram. Chegará o dia
em que a ciência dos homens poderá reintegrar as unidades e as constituições atômicas, com a
segurança dentro da qual vai aprendendo a desintegrá-las.
NOS DOMÍNIOS DA MEDIUNIDADE
André Luiz por Francisco Xavier
EFEITOS FÍSICOS - cap. 28
MÉDIUNS CURADORES - (...) CONSISTE PRINCIPALMENTE NOS DONS QUE CERTAS
PESSOAS TEM DE CURAR PELO SIMPLES TOQUE, PELO OLHAR, POR UM GESTO MESMO, SEM
A UTILIZAÇÃO DE NENHUMA MEDICAÇÃO.
(...) O fluido magnético desempenha aqui um grande papel; mas,
examinando-se o fenômeno com mais cuidado, percebe-se, em alguns, a influência
de uma força oculta, de um Espírito. (item 175)
“(...) A potência magnética reside no homem, mas é aumentada pela ação
dos Espíritos que chama em sua ajuda. Se tu magnetizas para curar, por exemplo, e
evocas um bom Espírito que se interessa por ti e pelo teu doente, ele aumenta tua
força e tua vontade, dirige teu fluido e lhe dá as qualidades necessárias.”
(item 176 – resposta à questão 2)
“Esta faculdade não é essencialmente
mediúnica; possuem-na todos os verdadeiros crentes,
sejam médiuns ou não. As mais das vezes, é apenas
uma exaltação do poder magnético, fortalecido, se
necessário, pelo concurso de bons Espíritos.”
(O LIVRO DOS MÉDIUNS, 2ª. parte cap. XVI item 189)
VARIEDADES DE MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS
(O LIVRO DOS MÉDIUNS, 2ª. Parte cap. XIV)
VARIEDADES DE MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS
EXCITADORES - OS QUE TÊM A FACULDADE DE DESENVOLVER NOS OUTROS POR SUA
INFLUÊNCIA, A FACULDADE DE ESCREVER.
É antes um efeito magnético do que um fato de mediunidade, porque nada
prova a intervenção de um Espírito.
EFEITOS MUSICAIS - PROVOCAM A EXECUÇÃO DE MÚSICA EM CERTOS INSTRUMENTOS,
SEM CONTATO.
PNEUMATÓGRAFOS - OS QUE OBTÊM A ESCRITA DIRETA. PROVAVELMENTE SE
DESENVOLVE POR EXERCÍCIO.
Só a experiência pode revelar se o médium a possui.
PNEUMATOFÔNICOS - PRODUZEM A VOZ DIRETA.
O LIVRO DOS MÉDIUNS - 2ª parte - capítulo XII
Se produz espontaneamente sem a utilização da mão do médium e de um
lápis. Essa faculdade não é dada a todos os médiuns escreventes. Só a experiência
pode fazer conhecer se se a possui. Conforme o médium, obtêm-se simples traços,
sinais, letras, palavras, frases, e mesmo páginas inteiras.
VARIEDADES DE MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS
PNEUMATOGRAFIA
26: em grego a palavra "Apolônio"
27: a palavra "Hannibal“
28: O nome "Livia"
26
27
28
Barão Luis Guldenstubbé
médium sueco pneumatógrafo
(1820 - 1873)
150. (...) Os Espíritos podem fazer se ouçam gritos de toda espécie e sons
vocais que imitam a voz humana, assim ao nosso lado, como nos ares. A este
fenômeno é que damos o nome de pneumatofonia. (...) Podemos supor que, dentre
eles, alguns, de ordem inferior, se iludem e julgam falar como quando vivos.
Devemos preservar-nos de tomar por vozes ocultas todos os sons que não
tenham causa conhecida, ou simples zumbidos, e, sobretudo, de dar o menor crédito à
crença vulgar de que, quando o ouvido nos zune, é que nalguma parte estão falando
de nós. Nenhuma significação têm esses zunidos, cuja causa é puramente fisiológica,
ao passo que os sons pneumatofônicos exprimem pensamentos e nisso está o que
nos faz reconhecer que são devidos a uma causa inteligente e não acidental.
151. Os sons pneumatofônicos se produzem de duas maneiras distintas:
- às vezes, é uma voz interior que repercute no nosso foro íntimo, nada tendo,
porém, de material as palavras, conquanto sejam claramente perceptíveis;
- outras vezes, são exteriores e nitidamente articuladas, como se proviessem de
uma pessoa que nos estivesse ao lado.
De um modo, ou de outro, o fenômeno da pneumatofonia é quase sempre
espontâneo e só muito raramente pode ser provocado.
VARIEDADES DE MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS
PNEUMATOFONIA
O LIVRO DOS MÉDIUNS - 2ª parte - capítulo XII
de APARIÇÕES (ectoplasmia) - PODEM PROVOCAR APARIÇÕES FLUÍDICAS OU TANGÍVEIS,
VISÍVEIS PARA OS ASSISTENTES.
VARIEDADES DE MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS
“(...) Se houvesse perfeita compreensão geral, respeito aos dons da vida, e se
pudéssemos contar com valores morais espontâneos e legitimamente consolidados no
espírito coletivo, essas manifestações seriam as mais naturais possíveis, sem qualquer
prejuízo para o médium e assistentes. Acontece, porém, que são muito raros os
companheiros encarnados dispostos às condições espirituais que semelhantes trabalhos
exigem. Por isso mesmo, na incerteza de colaboração eficiente, as sessões de
materialização efetuam-se com grandes riscos para a organização mediúnica e requisitam
número dilatado de cooperadores do nosso plano.”
“Todo o perigo desses trabalhos está na ausência de preparo dos nossos amigos
da Crosta, os quais, na maioria das vezes, alegando impositivos científicos, se furtam a
comezinhos princípios de elevação moral. Quando não se verifica o devido cuidado por
parte deles, o fracasso pode assumir características terríveis, porque os irmãos que
estabelecem as fronteiras vibratórias, no exterior do recinto, não podem impedir a entrada
das entidades inferiores, absolutamente integradas com as suas vítimas terrenas. Há
obsidiados que se sentem tão bem na companhia dos perseguidores, que imitam as mães
terrestres agarradas aos filhos pequeninos, penetrando recintos consagrados a certos
serviços, com que não se compadece ainda o espírito infantil. Quando os amigos menos
avisados ingressam na tarefa em tais condições, as ameaças são verdadeiramente
inquietantes.” Instrutor Alexandre
MISSIONÁRIOS DA LUZ, André Luiz por Francisco Xavier - Materialização - capítulo 10
77. (...) quando um objeto é posto em movimento,
levantado ou atirado para o ar, não é que o Espírito o
tome, empurre e suspenda, como o faríamos com a mão.
O Espírito o satura, por assim dizer, do seu fluido,
combinado com o do médium, e o objeto,
momentaneamente vivificado desta maneira, obra como o
faria um ser vivo, com a diferença apenas de que, não
tendo vontade própria, segue o impulso que lhe dá a
vontade do Espírito.
(O LIVRO DOS MÉDIUNS, Allan Kardec - 2ª. Parte - cap. IV)
Carlos Mirabelli (1889-1951), brasileiro, foi médium telepata, de materialização,
desmaterialização e levitação, clarividente, musical (em transe tocava piano e violino, e
cantava com voz de tenor, barítono e baixo, várias árias em vários idiomas), pintor,
psicofônico (em transe falava 26 idiomas), e psicógrafo (psicografava em 28 línguas,
vivas ou mortas e, enquanto o fazia, conversava em outra língua).
levitando (em transe)
VARIEDADES DE MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS
TRANSLAÇÕES E SUSPENSÕES - PRODUZEM A TRANSLAÇÃO DE OBJETOS ATRAVÉS
DO ESPAÇO OU A SUA SUSPENSÃO, OU SEJA, PODEM ELEVAR-SE A SI PRÓPRIOS.
LEVITAÇÃO
TRANSFIGURAÇÃO
A transfiguração consiste na mudança de aspecto de um corpo vivo.
Uma simples contração muscular pode dar à fisionomia expressão muito
diferente da habitual, a ponto de tornar quase irreconhecível a pessoa.
Esse fenômeno, estranho e raro, parece explicar-se assim:
TRANSFIGURAÇÃO VOLUNTÁRIA:
- O perispírito irradia-se ao redor do corpo (por expansão perispiritual, sem chegar ao
desdobramento completo);
- Forma-se uma espécie de vapor fluídico, envolvendo o corpo;
- Esse vapor fluídico perde a transparência e, como nuvem brumosa, oculta a visão do
corpo físico;
- O Espírito encarnado, se puder e quiser, plasmará nesse vapor fluídico sua forma
perispiritual ou outro aspecto determinado.
TRANSFIGURAÇÃO MEDIÚNICA:
- Um Espírito aproveita a expansão perispiritual do encarnado (ou mesmo a provoca);
- Combina os seus fluidos com os do encarnado;
- Imprime ao vapor fluídico, assim preparado, a aparência que lhe é própria (a do seu
perispírito) ou outra aparência que desejar.
(Mediunidade – cap. 32, Therezinha Oliveira)
ALGUNS FENÔMENOS DE EFEITOS FÍSICOS
Médium DIVALDO PEREIRA FRANCO,
na psicofonia do Espírito Bezerra de Menezes, alterando suas feições.
BICORPOREIDADE: (bilocação)
(...) Isolado do corpo, o Espírito de um vivo pode, como o de um morto, mostrar-
se com todas as aparências da realidade, adquirir momentânea tangibilidade. Este
fenômeno, foi que deu lugar às histórias de homens duplos, isto é, de Indivíduos cuja
presença simultânea em dois lugares diferentes se chegou a comprovar.
(O LIVRO DOS MÉDIUNS, capítulo VII - item 119)
“(...) Quando o homem, por suas virtudes,
chegou a desmaterializar-se completamente;
quando conseguiu elevar sua alma para Deus, pode
aparecer em dois lugares ao mesmo tempo. Eis
como: o Espírito encarnado, ao sentir que lhe vem o
sono, pode pedir a Deus lhe seja permitido
transportar-se a um lugar qualquer. Seu Espírito, ou
sua alma, como quiseres, abandona então o corpo,
acompanhado de uma parte do seu perispírito, e
deixa a matéria imunda num estado próximo do da
morte. Digo próximo do da morte, porque no corpo
ficou um laço que liga o perispírito e a alma à
matéria, laço este que não pode ser definido. O
corpo aparece, então, no lugar desejado. Creio ser
isto o que queres saber.” Santo Alfonso de Liguori
Santo Antônio de Pádua
e a bicorporeidade em Pádua
ALGUNS FENÔMENOS DE EFEITOS FÍSICOS
162. A razão se revolta à lembrança das torturas morais e corporais a que a ciência
tem por vezes sujeitado criaturas fracas e delicadas, para se certificar da existência de
fraude da parte delas. Tais experimentações, amiúde feitas maldosamente, são
sempre prejudiciais às organizações sensitivas, podendo mesmo dar lugar a graves
desordens na economia orgânica. Fazer semelhantes experiências é brincar com a
vida. O observador de boa-fé não precisa lançar mão desses meios. Aquele que está
familiarizado com os fenômenos desta espécie sabe, aliás, que eles são mais de
ordem moral, do que de ordem física e que será inútil procurar-lhes uma solução nas
nossas ciências exatas.
O LIVRO DOS MÉDIUNS
DOS MÉDIUNS
2ª parte - capítulo XIV
Jack Webber
(1907-1940)
Médium escocês.Carlos Mirabelli
Materialização do Espírito Ana, em 14/12/1953, onde pode se observar o
médium PEIXOTINHO deitado, em transe. Este médium realizou experiências
na casa de Francisco Cândido Xavier permitindo a materialização de amigos
conhecidos do Chico.
Médium Francisco Peixoto Lins – Peixotinho – 1905 - 1966
Na foto abaixo, vê-se o espírito materializado Katie King, através da
mediunidade de FLORENCE COOK, junto ao cientista Sir William Crookes. No
verso desta foto o sábio escreveu sensibilizado pela beleza do espírito
materializado. ( Arquivo "O Clarim“)
Albert von Schrenck-Notzing com a médium francesa EVA CARRIÉRE
maio 1912
Laringe ectoplásmica tomada
do médium britânico LESLIE FLINT
(1911 – 1994)
Testes para avaliar possíveis fraudes
Fotografia de Thomas Glendenning Hamilton e Mary M. – 25/02/1934
Médium HELEN DUNCAN
maio de 1931
(...) Em novembro de 1956, a policia
invadiu uma sessão na cidade de Nottingham.
Agarraram a médium e fizeram uma revista
corporal, alegando procurarem máscaras e
barbas que evidenciassem uma fraude. A
médium era Helen, que estava em pleno
trabalho de materialização, em profundo transe.
No início de sua Mediunidade os
Espíritos orientadores tinham dito que ela
jamais poderia ser tocada enquanto a
materialização estivesse em andamento, sob
pena de trazer danos irreparáveis. Helen
Duncan passou mal e foi levada para
atendimento médico.
O profissional descobriu que ela
estava com graves queimaduras no estomago.
Ela foi levada de volta para sua casa e depois
hospitalizada. Cinco semanas depois
desencarnou em virtude das queimaduras.
Um busto de bronze homenageia
Helen Duncan em Callander, Escócia, sua
cidade natal.
http://www.autoresespiritasclassicos.com
Médium ANTÔNIO ALVES FEITOSA
aparição de Irmã Josefa, em Uberaba, 1965, na presença de Chico Xavier.
Um dos mais perfeitos
trabalhos de Anita, a florista de
além-túmulo.
lindíssima cattleya feita por Anita
na sessão de 24 de junho de 1920
Fenômenos ocorridos através da médium brasileira ANNA PRADO
Materialização do Espírito de Bien-Boa
Mesas girantes
Ectoplasmia
Médium polonesa STANISLAWA TOMCZYK - 23 junho 1913
Imagens: http://www.dieselpunks.org
foto de Sven Turck – levitação de uma mesa, 1940
PESQUISA:
- O Livro dos Médiuns, Allan Kardec
- O Livro dos Espíritos, Allan Kardec
- O Trabalho dos Mortos, Nogueira de Faria
- Mediunidade, Therezinha Oliveira
- Missionários da Luz, André Luiz por Chico Xavier
- Nos Domínios da Mediunidade, André Luiz por Chico Xavier
- http://oespiritoeotempo.wordpress.com
- http://www.guia.heu.nom.br
- http://www.autoresespiritasclassicos.com
Elaboração: Júlio César Evadro

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mediunidade com Jesus - n.17
Mediunidade com Jesus - n.17Mediunidade com Jesus - n.17
Mediunidade com Jesus - n.17Graça Maciel
 
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coemWagner Quadros
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Voz direta
Mocidade Espírita Chico Xavier - Voz diretaMocidade Espírita Chico Xavier - Voz direta
Mocidade Espírita Chico Xavier - Voz diretaSergio Lima Dias Junior
 
Aula 6 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de transporte
Aula 6 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de transporteAula 6 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de transporte
Aula 6 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de transporteSergio Lima Dias Junior
 
FLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL
FLUIDO CÓSMICO UNIVERSALFLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL
FLUIDO CÓSMICO UNIVERSALDenise Aguiar
 
Aula 8 Identidade dos Espíritos
Aula 8   Identidade dos EspíritosAula 8   Identidade dos Espíritos
Aula 8 Identidade dos EspíritosEHMANA
 
Mundos Transitórios
Mundos TransitóriosMundos Transitórios
Mundos Transitóriosigmateus
 
Mediunidade aula 08 - efeitos inteligentes 1
Mediunidade   aula 08 - efeitos inteligentes 1Mediunidade   aula 08 - efeitos inteligentes 1
Mediunidade aula 08 - efeitos inteligentes 1Augusto Luvisotto
 
Aula 6 Mecanismo das Comunicações Mediúnicas
Aula 6   Mecanismo das Comunicações MediúnicasAula 6   Mecanismo das Comunicações Mediúnicas
Aula 6 Mecanismo das Comunicações MediúnicasEHMANA
 
Mediunidade doença mental ou oportunidade!
Mediunidade doença mental ou oportunidade!Mediunidade doença mental ou oportunidade!
Mediunidade doença mental ou oportunidade!Leonardo Pereira
 
Palestra laboratório do mundo invisível - seja - daura alves - 2012
Palestra   laboratório do mundo invisível - seja - daura alves - 2012Palestra   laboratório do mundo invisível - seja - daura alves - 2012
Palestra laboratório do mundo invisível - seja - daura alves - 2012Daura Alves
 
Animismo e Espiritismo
Animismo e EspiritismoAnimismo e Espiritismo
Animismo e EspiritismoGraça Maciel
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Marcos Antônio Alves
 
Terceiro Módulo - 6ª aula - Influência moral do médium
Terceiro Módulo - 6ª aula - Influência moral do médiumTerceiro Módulo - 6ª aula - Influência moral do médium
Terceiro Módulo - 6ª aula - Influência moral do médiumCeiClarencio
 
Resumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
Resumo dos Pontos Principais Doutrina EspíritaResumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
Resumo dos Pontos Principais Doutrina EspíritaGraça Maciel
 

Mais procurados (20)

Mediunidade com Jesus - n.17
Mediunidade com Jesus - n.17Mediunidade com Jesus - n.17
Mediunidade com Jesus - n.17
 
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Voz direta
Mocidade Espírita Chico Xavier - Voz diretaMocidade Espírita Chico Xavier - Voz direta
Mocidade Espírita Chico Xavier - Voz direta
 
Aula 6 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de transporte
Aula 6 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de transporteAula 6 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de transporte
Aula 6 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de transporte
 
FLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL
FLUIDO CÓSMICO UNIVERSALFLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL
FLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL
 
Fluido Cósmico Universal
Fluido Cósmico UniversalFluido Cósmico Universal
Fluido Cósmico Universal
 
Aula 8 Identidade dos Espíritos
Aula 8   Identidade dos EspíritosAula 8   Identidade dos Espíritos
Aula 8 Identidade dos Espíritos
 
Criações fluídicas
Criações fluídicasCriações fluídicas
Criações fluídicas
 
Mundos Transitórios
Mundos TransitóriosMundos Transitórios
Mundos Transitórios
 
Mediunidade aula 08 - efeitos inteligentes 1
Mediunidade   aula 08 - efeitos inteligentes 1Mediunidade   aula 08 - efeitos inteligentes 1
Mediunidade aula 08 - efeitos inteligentes 1
 
Aula 6 Mecanismo das Comunicações Mediúnicas
Aula 6   Mecanismo das Comunicações MediúnicasAula 6   Mecanismo das Comunicações Mediúnicas
Aula 6 Mecanismo das Comunicações Mediúnicas
 
Mediunidade doença mental ou oportunidade!
Mediunidade doença mental ou oportunidade!Mediunidade doença mental ou oportunidade!
Mediunidade doença mental ou oportunidade!
 
Palestra laboratório do mundo invisível - seja - daura alves - 2012
Palestra   laboratório do mundo invisível - seja - daura alves - 2012Palestra   laboratório do mundo invisível - seja - daura alves - 2012
Palestra laboratório do mundo invisível - seja - daura alves - 2012
 
Animismo e Espiritismo
Animismo e EspiritismoAnimismo e Espiritismo
Animismo e Espiritismo
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
 
Obsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessãoObsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessão
 
Terceiro Módulo - 6ª aula - Influência moral do médium
Terceiro Módulo - 6ª aula - Influência moral do médiumTerceiro Módulo - 6ª aula - Influência moral do médium
Terceiro Módulo - 6ª aula - Influência moral do médium
 
Resumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
Resumo dos Pontos Principais Doutrina EspíritaResumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
Resumo dos Pontos Principais Doutrina Espírita
 
Desencarne na visão espírita
Desencarne na visão espíritaDesencarne na visão espírita
Desencarne na visão espírita
 
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão EspíritaAFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
AFINIDADE E SINTONIA ESPIRITUAL na visão Espírita
 

Semelhante a 04 A categoria de médiuns de efeitos físicos

Laboratorio do mundo invisivel
Laboratorio do mundo invisivel Laboratorio do mundo invisivel
Laboratorio do mundo invisivel Ceile Bernardo
 
Fluidos e perispirito-rosana_c
Fluidos e perispirito-rosana_cFluidos e perispirito-rosana_c
Fluidos e perispirito-rosana_ccarlos freire
 
Espiritismo e mediunidade 05
Espiritismo e mediunidade 05Espiritismo e mediunidade 05
Espiritismo e mediunidade 05Leonardo Pereira
 
33 fenômenos de efeitos físicos
33 fenômenos de efeitos físicos33 fenômenos de efeitos físicos
33 fenômenos de efeitos físicosAntonio SSantos
 
A mente e as Causas de Adoecimento - femh set2012
A mente e as Causas de Adoecimento - femh set2012A mente e as Causas de Adoecimento - femh set2012
A mente e as Causas de Adoecimento - femh set2012Eduardo Henrique Marçal
 
Aula 14 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Mediunidade de Efeitos Físicos
Aula 14 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Mediunidade de Efeitos FísicosAula 14 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Mediunidade de Efeitos Físicos
Aula 14 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Mediunidade de Efeitos FísicosSergio Lima Dias Junior
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo IV - Automatismo e Corpo ...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo IV - Automatismo e Corpo ...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo IV - Automatismo e Corpo ...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo IV - Automatismo e Corpo ...Cynthia Castro
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIII - Alma e Fluidos - 0...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIII - Alma e Fluidos - 0...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIII - Alma e Fluidos - 0...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIII - Alma e Fluidos - 0...Cynthia Castro
 
Terceiro Módulo - 11ª aula - O fluido cósmico (ou universal) e seus derivados
Terceiro Módulo - 11ª aula - O fluido cósmico (ou universal) e seus derivadosTerceiro Módulo - 11ª aula - O fluido cósmico (ou universal) e seus derivados
Terceiro Módulo - 11ª aula - O fluido cósmico (ou universal) e seus derivadosCeiClarencio
 
Perispírito e magnetismo
Perispírito e magnetismoPerispírito e magnetismo
Perispírito e magnetismoDalila Melo
 
mediunidadedeefeitosfsicos-131018185100-phpapp01 (2).pdf
mediunidadedeefeitosfsicos-131018185100-phpapp01 (2).pdfmediunidadedeefeitosfsicos-131018185100-phpapp01 (2).pdf
mediunidadedeefeitosfsicos-131018185100-phpapp01 (2).pdfDorotiaCZSilveira
 
01 o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
01   o médium conceito e classif. mediunidade com jesus01   o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
01 o médium conceito e classif. mediunidade com jesusjcevadro
 
2aula mediunidadeclassificao-coem-121124153606-phpapp01
2aula mediunidadeclassificao-coem-121124153606-phpapp012aula mediunidadeclassificao-coem-121124153606-phpapp01
2aula mediunidadeclassificao-coem-121124153606-phpapp01Daniele Pireda
 
Livro dos Espíritos Q368 ESE cap.28 item30
Livro dos Espíritos Q368 ESE cap.28 item30Livro dos Espíritos Q368 ESE cap.28 item30
Livro dos Espíritos Q368 ESE cap.28 item30Patricia Farias
 
Espirito perispírito-corpo
Espirito perispírito-corpoEspirito perispírito-corpo
Espirito perispírito-corpoAilton Guimaraes
 
Espiritismo e mediunidade 07
Espiritismo e mediunidade  07Espiritismo e mediunidade  07
Espiritismo e mediunidade 07Leonardo Pereira
 
Terceiro Módulo - 10ª aula - Espirito, corpo e perispirito
Terceiro Módulo - 10ª aula - Espirito, corpo e perispiritoTerceiro Módulo - 10ª aula - Espirito, corpo e perispirito
Terceiro Módulo - 10ª aula - Espirito, corpo e perispiritoCeiClarencio
 

Semelhante a 04 A categoria de médiuns de efeitos físicos (20)

Laboratorio do mundo invisivel
Laboratorio do mundo invisivel Laboratorio do mundo invisivel
Laboratorio do mundo invisivel
 
Fluidos e perispirito-rosana_c
Fluidos e perispirito-rosana_cFluidos e perispirito-rosana_c
Fluidos e perispirito-rosana_c
 
Fluidos e perispírito
Fluidos e perispíritoFluidos e perispírito
Fluidos e perispírito
 
Espiritismo e mediunidade 05
Espiritismo e mediunidade 05Espiritismo e mediunidade 05
Espiritismo e mediunidade 05
 
O Perispirito
O PerispiritoO Perispirito
O Perispirito
 
33 fenômenos de efeitos físicos
33 fenômenos de efeitos físicos33 fenômenos de efeitos físicos
33 fenômenos de efeitos físicos
 
A mente e as Causas de Adoecimento - femh set2012
A mente e as Causas de Adoecimento - femh set2012A mente e as Causas de Adoecimento - femh set2012
A mente e as Causas de Adoecimento - femh set2012
 
Aula 14 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Mediunidade de Efeitos Físicos
Aula 14 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Mediunidade de Efeitos FísicosAula 14 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Mediunidade de Efeitos Físicos
Aula 14 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Mediunidade de Efeitos Físicos
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo IV - Automatismo e Corpo ...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo IV - Automatismo e Corpo ...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo IV - Automatismo e Corpo ...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo IV - Automatismo e Corpo ...
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIII - Alma e Fluidos - 0...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIII - Alma e Fluidos - 0...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIII - Alma e Fluidos - 0...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo XIII - Alma e Fluidos - 0...
 
Terceiro Módulo - 11ª aula - O fluido cósmico (ou universal) e seus derivados
Terceiro Módulo - 11ª aula - O fluido cósmico (ou universal) e seus derivadosTerceiro Módulo - 11ª aula - O fluido cósmico (ou universal) e seus derivados
Terceiro Módulo - 11ª aula - O fluido cósmico (ou universal) e seus derivados
 
Perispírito e magnetismo
Perispírito e magnetismoPerispírito e magnetismo
Perispírito e magnetismo
 
mediunidadedeefeitosfsicos-131018185100-phpapp01 (2).pdf
mediunidadedeefeitosfsicos-131018185100-phpapp01 (2).pdfmediunidadedeefeitosfsicos-131018185100-phpapp01 (2).pdf
mediunidadedeefeitosfsicos-131018185100-phpapp01 (2).pdf
 
01 o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
01   o médium conceito e classif. mediunidade com jesus01   o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
01 o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
 
2aula mediunidadeclassificao-coem-121124153606-phpapp01
2aula mediunidadeclassificao-coem-121124153606-phpapp012aula mediunidadeclassificao-coem-121124153606-phpapp01
2aula mediunidadeclassificao-coem-121124153606-phpapp01
 
Principio vital
Principio vitalPrincipio vital
Principio vital
 
Livro dos Espíritos Q368 ESE cap.28 item30
Livro dos Espíritos Q368 ESE cap.28 item30Livro dos Espíritos Q368 ESE cap.28 item30
Livro dos Espíritos Q368 ESE cap.28 item30
 
Espirito perispírito-corpo
Espirito perispírito-corpoEspirito perispírito-corpo
Espirito perispírito-corpo
 
Espiritismo e mediunidade 07
Espiritismo e mediunidade  07Espiritismo e mediunidade  07
Espiritismo e mediunidade 07
 
Terceiro Módulo - 10ª aula - Espirito, corpo e perispirito
Terceiro Módulo - 10ª aula - Espirito, corpo e perispiritoTerceiro Módulo - 10ª aula - Espirito, corpo e perispirito
Terceiro Módulo - 10ª aula - Espirito, corpo e perispirito
 

Mais de jcevadro

Mistificações, contradições e animismo
Mistificações, contradições e animismoMistificações, contradições e animismo
Mistificações, contradições e animismojcevadro
 
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucuraO processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucurajcevadro
 
Conceito,causas e graus da obsessão
Conceito,causas e graus da obsessãoConceito,causas e graus da obsessão
Conceito,causas e graus da obsessãojcevadro
 
A audiência, a psicopictografia, psicometria e o sonambulismo
A audiência, a psicopictografia, psicometria e o sonambulismoA audiência, a psicopictografia, psicometria e o sonambulismo
A audiência, a psicopictografia, psicometria e o sonambulismojcevadro
 
A psicofonia, a vidência e as manifestações visuais
A psicofonia, a vidência e as manifestações visuaisA psicofonia, a vidência e as manifestações visuais
A psicofonia, a vidência e as manifestações visuaisjcevadro
 
A categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a psicografia
A categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a  psicografiaA categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a  psicografia
A categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a psicografiajcevadro
 
Sintomas precursores da mediunidade
Sintomas precursores da mediunidadeSintomas precursores da mediunidade
Sintomas precursores da mediunidadejcevadro
 
Desobsessão-profilaxia e terapêutica
Desobsessão-profilaxia e terapêuticaDesobsessão-profilaxia e terapêutica
Desobsessão-profilaxia e terapêuticajcevadro
 
18 transe - conceito e tipos
18   transe - conceito e tipos18   transe - conceito e tipos
18 transe - conceito e tiposjcevadro
 
07 sono e sonhos
07   sono e sonhos07   sono e sonhos
07 sono e sonhosjcevadro
 
16 o passe, responsabilidade do médium e assistidos
16   o  passe, responsabilidade do médium e assistidos16   o  passe, responsabilidade do médium e assistidos
16 o passe, responsabilidade do médium e assistidosjcevadro
 
15 o passe-conceito, tipos e mecanismos
15   o passe-conceito, tipos e mecanismos15   o passe-conceito, tipos e mecanismos
15 o passe-conceito, tipos e mecanismosjcevadro
 
2.o fenômeno mediúnico através dos tempos. médiuns precursores
2.o fenômeno mediúnico através dos tempos. médiuns precursores2.o fenômeno mediúnico através dos tempos. médiuns precursores
2.o fenômeno mediúnico através dos tempos. médiuns precursoresjcevadro
 
08 o ectoplasma
08   o ectoplasma08   o ectoplasma
08 o ectoplasmajcevadro
 
11 centros vitais frontal e laríngeo
11   centros vitais frontal e laríngeo11   centros vitais frontal e laríngeo
11 centros vitais frontal e laríngeojcevadro
 
18 transe. conceito - tipos
18   transe. conceito - tipos18   transe. conceito - tipos
18 transe. conceito - tiposjcevadro
 
14 atividade espiritual no centro espírita
14   atividade espiritual no centro espírita14   atividade espiritual no centro espírita
14 atividade espiritual no centro espíritajcevadro
 
06 perispírito
06   perispírito06   perispírito
06 perispíritojcevadro
 
07 perispírito e doenças
07   perispírito e doenças07   perispírito e doenças
07 perispírito e doençasjcevadro
 
Aula 8 o ectoplasma
Aula 8 o  ectoplasmaAula 8 o  ectoplasma
Aula 8 o ectoplasmajcevadro
 

Mais de jcevadro (20)

Mistificações, contradições e animismo
Mistificações, contradições e animismoMistificações, contradições e animismo
Mistificações, contradições e animismo
 
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucuraO processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
 
Conceito,causas e graus da obsessão
Conceito,causas e graus da obsessãoConceito,causas e graus da obsessão
Conceito,causas e graus da obsessão
 
A audiência, a psicopictografia, psicometria e o sonambulismo
A audiência, a psicopictografia, psicometria e o sonambulismoA audiência, a psicopictografia, psicometria e o sonambulismo
A audiência, a psicopictografia, psicometria e o sonambulismo
 
A psicofonia, a vidência e as manifestações visuais
A psicofonia, a vidência e as manifestações visuaisA psicofonia, a vidência e as manifestações visuais
A psicofonia, a vidência e as manifestações visuais
 
A categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a psicografia
A categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a  psicografiaA categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a  psicografia
A categoria de médiuns de efeitos intelectuais - a psicografia
 
Sintomas precursores da mediunidade
Sintomas precursores da mediunidadeSintomas precursores da mediunidade
Sintomas precursores da mediunidade
 
Desobsessão-profilaxia e terapêutica
Desobsessão-profilaxia e terapêuticaDesobsessão-profilaxia e terapêutica
Desobsessão-profilaxia e terapêutica
 
18 transe - conceito e tipos
18   transe - conceito e tipos18   transe - conceito e tipos
18 transe - conceito e tipos
 
07 sono e sonhos
07   sono e sonhos07   sono e sonhos
07 sono e sonhos
 
16 o passe, responsabilidade do médium e assistidos
16   o  passe, responsabilidade do médium e assistidos16   o  passe, responsabilidade do médium e assistidos
16 o passe, responsabilidade do médium e assistidos
 
15 o passe-conceito, tipos e mecanismos
15   o passe-conceito, tipos e mecanismos15   o passe-conceito, tipos e mecanismos
15 o passe-conceito, tipos e mecanismos
 
2.o fenômeno mediúnico através dos tempos. médiuns precursores
2.o fenômeno mediúnico através dos tempos. médiuns precursores2.o fenômeno mediúnico através dos tempos. médiuns precursores
2.o fenômeno mediúnico através dos tempos. médiuns precursores
 
08 o ectoplasma
08   o ectoplasma08   o ectoplasma
08 o ectoplasma
 
11 centros vitais frontal e laríngeo
11   centros vitais frontal e laríngeo11   centros vitais frontal e laríngeo
11 centros vitais frontal e laríngeo
 
18 transe. conceito - tipos
18   transe. conceito - tipos18   transe. conceito - tipos
18 transe. conceito - tipos
 
14 atividade espiritual no centro espírita
14   atividade espiritual no centro espírita14   atividade espiritual no centro espírita
14 atividade espiritual no centro espírita
 
06 perispírito
06   perispírito06   perispírito
06 perispírito
 
07 perispírito e doenças
07   perispírito e doenças07   perispírito e doenças
07 perispírito e doenças
 
Aula 8 o ectoplasma
Aula 8 o  ectoplasmaAula 8 o  ectoplasma
Aula 8 o ectoplasma
 

Último

Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxCelso Napoleon
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresAntonino Silva
 
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdfRoteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdfLehonanSouza
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024RaniereSilva14
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaWillemarSousa1
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptxPIB Penha
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaFranklinOliveira30
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalAmaroJunior21
 

Último (9)

Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
 
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdfO Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
 
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdfRoteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarística
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
 

04 A categoria de médiuns de efeitos físicos

  • 1. A CATEGORIA DE MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS Moldes das mãos obtidos pelo médium FRANEK KLUSKI na sessão do Institut Metapsychique de Paris, em 1920 Médium PEIXOTINHO Materialização parcial do espírito de Dona Maria Gonçalves Duarte Experiências com mesa girante
  • 2. O LIVRO DOS MÉDIUNS TEORIA DAS MANIFESTAÇÕES FÍSICAS 2ª parte - capítulo IV FLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL: - É uma criação de Deus não sendo, portanto, sua emanação. - É o princípio elementar de todas as coisas. - Nos Espíritos puros é onde o encontramos na sua simplicidade absoluta. - Modificado, forma a matéria compacta que nos rodeia. - Serve para animar a matéria. O princípio vital nele reside. - Modificado de acordo com cada mundo, forma o perispírito dos seus habitantes. - Fluido básico para a formação dos fenômenos de efeitos físicos. Há então dois elementos gerais do Universo: a matéria e o espírito? “Sim e acima de tudo Deus, o criador, o pai de todas as coisas. Deus, espírito e matéria constituem o princípio de tudo o que existe, a trindade universal. Mas, ao elemento material se tem que juntar o fluido universal, que desempenha o papel de intermediário entre o espírito e a matéria propriamente dita, por demais grosseira para que o espírito possa exercer ação sobre ela (...)”. (O LIVRO DOS ESPÍRITOS, Allan Kardec - questão 27)
  • 3. As manifestações espontâneas não se limitam sempre aos ruídos e às pancadas. (...) Vê-se móveis e objetos diversos desordenarem-se, portas e janelas serem abertas e fechadas, ladrilhos serem quebrados, objetos serem lançados de fora, não sendo, portanto, efeito de uma ilusão. (...) Algumas vezes, ouve-se barulho em uma parte vizinha, louça que cai e se quebra com estrondo, lenhas rolando sobre o soalho e, ao chegar no local, encontra-se tudo tranquilo e em ordem. Afastando-se, o tumulto recomeça. Se se tomasse a sábia atitude de rir-se de suas malvadezas, acabariam por cansar e por tranquilizarem. (...) Mas, é sempre útil saber o que querem. Se pedem algo, cessarão suas visitas sendo atendidos. O LIVRO DOS MÉDIUNS MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS 2ª parte - capítulo V - itens 87 e 90
  • 4. O LIVRO DOS MÉDIUNS LABORATÓRIO DO MUNDO INVISÍVEL 2ª parte - capítulo VIII “(...) o Espírito tem, sobre os elementos materiais, disseminados por toda parte no espaço, na vossa atmosfera, um poder que estais longe de supor. Pode, à sua vontade, concentrar esses elementos e dar-lhes a forma aparente própria para os seus projetos.” São Luís – item 128 129 (...) O Espírito age sobre a matéria; ele tira da matéria cósmica universal os elementos necessários para formar, de acordo com sua vontade, objetos com a aparência dos diversos corpos que existem na Terra. Ele pode igualmente atuar sobre a matéria elementar, de acordo com sua vontade, uma transformação íntima, dando-lhe propriedades determinadas. Essa faculdade é inerente à natureza do Espírito, que, muitas vezes, exerce-a instintivamente, quando necessário, e sem se dar conta disso. Os objetos formados pelo Espírito possuem existência temporária, subordinada à sua vontade ou a uma necessidade; ele pode fazê-los ou desfazê- los como quiser. Esses objetos podem, em certos casos, ter aos olhos das pessoas vivas todas as aparências da realidade, ou seja, podem tornar-se visíveis e até mesmo tangíveis. Existe uma formação, e não uma criação, porque o Espírito não pode tirar nada do nada.
  • 5. FENÔMENOS DE EFEITOS FÍSICOS ESPÍRITO: - Para movimentar um corpo sólido, combina seu próprio fluido, uma parte do Fluido Cósmico Universal com outro fluido (ectoplasma) liberado por um médium e apropriado para este fim. - Sendo este corpo muito pesado, solicita o auxílio de outros Espíritos que estão em suas mesmas condições. - Em razão de sua natureza etérea o Espírito não pode agir sobre a matéria grosseira sem a presença do perispírito, ou seja, do laço que o une à matéria. - Os Espíritos que produzem esses efeitos são sempre inferiores, pois não encontram-se, ainda, inteiramente desligados de toda a influência material. - Os Espíritos superiores possuem a força moral. Havendo a necessidade da utilização da força, utilizam-se dos que lhes são inferiores. São Luís O LIVRO DOS MÉDIUNS, Allan Kardec TEORIA DAS MANIFESTAÇÕES FÍSICAS - 2ª parte - cap. IV item 74
  • 6. MÉDIUM: - Seus trabalhos têm a finalidade de chamar a atenção da incredulidade humana para a existência dos Espíritos e do mundo invisível. Produzem fenômenos materiais, tais como: movimento de corpos inertes, ruídos, voz direta, curas fenomênicas, transportes, etc. - Tem a capacidade orgânica de doar o fluido para a produção do efeito físico. - Pode servir de instrumento para o Espírito sem disso desconfiar. - Sua vontade ajuda a força, mas o movimento (do objeto) poderá ocorrer contra e malgrado essa vontade. - Há uma espécie de emanação deste fluido, por consequência de seu organismo. A emissão do fluido animalizado pode ser mais ou menos abundante, sua combinação mais ou menos fácil e daí os médiuns mais ou menos potentes. FENÔMENOS DE EFEITOS FÍSICOS O LIVRO DOS MÉDIUNS, Allan Kardec TEORIA DAS MANIFESTAÇÕES FÍSICAS - 2ª parte - cap. IV item 74, 75
  • 7. MECANISMO - Para a movimentação de algum objeto, o Espírito anima ficticiamente esta matéria grosseira envolvendo-a com parte do princípio vital que retira do Fluido Cósmico Universal. Portanto, no caso de uma mesa que se ergue, não é o Espírito que a levanta, mas ela por si só comandada pela vontade do Espírito. - No exemplo da mesa, a vida é momentânea; ela se extingue com a ação ou antes mesmo do seu término, tão logo que a quantidade de fluido não seja mais suficiente para animá-la. - O Espírito é a causa preponderante na produção deste fenômeno. O fluido é o instrumento. - Quando o Espírito pousa os dedos sobre as teclas de um piano, os pousa realmente, e mesmo as movimenta; mas não é pela força muscular que pressiona sobre a tecla; anima-a e a tecla, obedecendo à sua vontade, se movimenta e golpeia a corda. - Espíritos pouco avançados presos a influenciação da matéria creem agir como quando tinham seus corpos; acham que tocam o piano pela pressão exercida por seus dedos sobre as teclas. O efeito se produz instintivamente neles, não percebendo ser pela sua vontade. - Para a produção do fenômeno, necessário é que o Espírito primeiramente o queira e que tenha um objetivo, um motivo, sem isso não faz nada. Após, a necessidade de encontrar, precisamente no lugar que gostaria de agir, uma pessoa apta a oferecer o fluido, o que é uma rara coincidência. FENÔMENOS DE EFEITOS FÍSICOS
  • 8. “(...) as pessoas cujos nervos vibram ao menor sentimento, à menor sensação, que a influência moral ou física, interna ou externa, sensibiliza, são as mais aptas a se tornarem excelentes médiuns de efeitos físicos de tangibilidade e de transporte. De fato, seu sistema nervoso, quase inteiramente desprovido do envoltório refratário que isola esse sistema na maioria dos outros encarnados, torna-os apropriados para a realização dos diversos fenômenos. Em consequência, com uma pessoa dessa natureza, e cujas outras faculdades não sejam hostis à mediunização, mais facilmente se obterão os fenômenos da tangibilidade, as batidas nas paredes e nos móveis, os movimentos inteligentes e mesmo a suspensão no espaço da matéria inerte mais pesada. (...)” Erasto (O LIVRO DOS MÉDIUNS, Allan Kardec - 2ª parte – cap. V item 98)
  • 9. VARIEDADES DE MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS Podem ser divididos em dois grupos: Facultativos = que têm consciência dos fenômenos que produzem; Involuntários = ou naturais, que não possuem consciência de suas faculdades e são usados pelos Espíritos para promoverem manifestações sem que o saibam. (Erasto e Sócrates = principais Espíritos que catalogaram as variedades de médiuns. (it.186) TIPTÓLOGOS - AQUELES QUE POR CUJA INFLUÊNCIA SE PRODUZEM OS RUÍDOS E AS PANCADAS, COM OU SEM A PARTICIPAÇÃO DA VONTADE. A tiptologia constitui um meio de comunicação como qualquer outro, e que não é, mais do que o da escrita, ou da palavra, indigno dos Espíritos elevados. Todos os Espíritos, bons e maus, podem servir-se dele, como dos diversos outros existentes. O que caracteriza os Espíritos superiores é a elevação das ideias e não o instrumento de que se utilizem para exprimi-las. Sem dúvida, eles preferem os meios mais cômodos e, sobretudo, mais rápidos; mas, em falta de lápis e papel, não escrupulizarão de valer- se da vulgar mesa falante e a prova é que, por esse meio, se obtém os mais sublimes ditados. (item 145) O LIVRO DOS MÉDIUNS, Allan Kardec - 2ª parte - cap. XI TIPTÓLOGOS, MOTORES, de TRANSPORTES, CURADORES, EXCITADORES, de EFEITOS MUSICAIS, PNEUMATOFÔNICOS, PNEUMATÓGRAFOS, APARIÇÕES, de TRANSLAÇÕES - SUSPENSÕES.
  • 10. VARIEDADES DE MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS DIFERENÇA ENTRE TIPTOLOGIA E SEMATOLOGIA SEMATOLOGIA: É a comunicação dos Espíritos por meio de sinais, tais como ruídos, batidas, movimento de objetos, etc. Em se tratando da sematologia por meio de batidas, é usado o termo tiptologia, ou seja, se as pancadas visam corresponder às letras do alfabeto para formarem frases inteiras, os sinais tentam representar a qualidade das emoções que empolgam o Espírito manifestante. Dessa forma, a mesa pode apresentar movimentos bruscos ou suaves, ou de outras tantas formas quanto são os sentimentos que se quer expressar. TIPTOLOGIA: Consiste na linguagem das pancadas, barulhos e ruídos provocados pelos Espíritos; por isso dizer que é uma manifestação inteligente, porque há a possibilidade rudimentar de comunicação. De início, convencionou- se um determinado número de batidas para sim e não, mas esse meio evoluiu rapidamente para a tiptologia alfabética, onde cada letra possuía um número correspondente de pancadas. O LIVRO DOS MÉDIUNS, Allan Kardec - 2ª parte - cap. XI
  • 11. VARIEDADES DE MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS MOTORES - OS QUE PRODUZEM MOVIMENTOS DOS CORPOS INERTES. de TRANSPORTES - OS QUE PODEM SERVIR AOS ESPÍRITOS PARA O TRANSPORTE DE OBJETOS MATERIAIS. VARIEDADE DE MÉDIUNS MOTORES E DE TRANSLAÇÕES. FENÔMENO DE TRANSPORTE “(...) A presença de pessoas, antipáticas ao Espírito que opera, entrava radicalmente sua ação. É importante acrescentar que os transportes necessitam sempre de maior concentração, e ao mesmo tempo, de maior difusão de certos fluidos obtidos por médiuns cujo aparelho eletromedianímico é de melhores condições. (...)” “(...) se é absurdo repelir sistematicamente todos os fenômenos produzidos pelos Espíritos, não é prudente aceitá-los cegamente. Quando um fenômeno de tangibilidade, de aparição, de visibilidade ou transporte se manifesta espontaneamente e de um modo instantâneo, aceitai-o; mas, (...) que cada fato sofra um exame minucioso, aprofundado e severo. (...) O Espiritismo nada tem a ganhar com essas pequenas manifestações que hábeis prestidigitadores podem imitar.” “Necessariamente, é preciso, para se obterem fenômenos desta ordem, ter consigo médiuns que eu chamaria sensitivos, quer dizer, dotados, no mais alto grau, de faculdades medianímicas de expansão e de penetrabilidade; porque o sistema nervoso destes médiuns, facilmente excitável, lhes permite, por meio de certas vibrações, projetar ao seu redor, com profusão, seu fluido animalizado.” (Erasto - O LIVRO DOS MÉDIUNS, capítulo V item 98)
  • 12. VARIEDADES DE MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS “A força gravitacional é nula para os Espíritos podendo transportar objetos de peso volumoso. Porém, este peso está em relação à quantidade de fluido combinado entre o Espírito e o médium, ou seja, se o Espírito transporta uma flor ou um objeto leve, frequentemente, é porque não encontra no médium, ou nele mesmo, os elementos necessários para um esforço mais considerável.” (O LIVRO DOS MÉDIUNS, cap. V - resumo da nota de Erasto referente à pergunta 14 – item 99) Lírio de aproximadamente 1,82m surgido numa das sessões de Mme. Esperance - Espírito Yolande. FENÔMENO DE TRANSPORTE
  • 13. (...) um risonho companheiro de nossa esfera tomou pequena porção das forças materializantes do médium sobre as mãos e afastou-se para trazer, daí a instantes, algumas flores que foram distribuídas com os irmãos encarnados, no intuito de sossegar-lhes a mente excitadiça. Calmando-nos a curiosidade, Áulus esclareceu: – É o transporte comum, realizado com reduzida cooperação das energias medianímicas. Nosso amigo (...) apenas tomou diminuta quantidade de força ectoplásmica, formando somente pequeninas cristalizações superficiais do polegar e do indicador, em ambas as mãos, a fim de colher as flores e trazê-las até nós. (...) – E se fosse o médium o objeto do transporte? traspassaria a barreira nas mesmas circunstâncias? – Perfeitamente, desde que esteja mantido sob nosso controle, intimamente associado às nossas forças, porque dispomos entre nós de técnicos bastante competentes para desmaterializar os elementos físicos e reconstituí-los de imediato, cônscios da responsabilidade que assumem. E sorrindo: – Você não pode esquecer que as flores transpuseram o tapume de alvenaria, penetrando aqui com semelhante auxílio. De idêntica maneira, caso encontrássemos utilidade num lance dessa natureza, o instrumento que nos serve de base ao trabalho poderia ser removido para o exterior com a mesma facilidade. As cidadelas atômicas, em qualquer construção da forma física, não são fortalezas maciças, qual acontece em nossa própria esfera de ação. O espaço persiste em todas as formações e, através dele, os elementos se interpenetram. Chegará o dia em que a ciência dos homens poderá reintegrar as unidades e as constituições atômicas, com a segurança dentro da qual vai aprendendo a desintegrá-las. NOS DOMÍNIOS DA MEDIUNIDADE André Luiz por Francisco Xavier EFEITOS FÍSICOS - cap. 28
  • 14. MÉDIUNS CURADORES - (...) CONSISTE PRINCIPALMENTE NOS DONS QUE CERTAS PESSOAS TEM DE CURAR PELO SIMPLES TOQUE, PELO OLHAR, POR UM GESTO MESMO, SEM A UTILIZAÇÃO DE NENHUMA MEDICAÇÃO. (...) O fluido magnético desempenha aqui um grande papel; mas, examinando-se o fenômeno com mais cuidado, percebe-se, em alguns, a influência de uma força oculta, de um Espírito. (item 175) “(...) A potência magnética reside no homem, mas é aumentada pela ação dos Espíritos que chama em sua ajuda. Se tu magnetizas para curar, por exemplo, e evocas um bom Espírito que se interessa por ti e pelo teu doente, ele aumenta tua força e tua vontade, dirige teu fluido e lhe dá as qualidades necessárias.” (item 176 – resposta à questão 2) “Esta faculdade não é essencialmente mediúnica; possuem-na todos os verdadeiros crentes, sejam médiuns ou não. As mais das vezes, é apenas uma exaltação do poder magnético, fortalecido, se necessário, pelo concurso de bons Espíritos.” (O LIVRO DOS MÉDIUNS, 2ª. parte cap. XVI item 189) VARIEDADES DE MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS (O LIVRO DOS MÉDIUNS, 2ª. Parte cap. XIV)
  • 15. VARIEDADES DE MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS EXCITADORES - OS QUE TÊM A FACULDADE DE DESENVOLVER NOS OUTROS POR SUA INFLUÊNCIA, A FACULDADE DE ESCREVER. É antes um efeito magnético do que um fato de mediunidade, porque nada prova a intervenção de um Espírito. EFEITOS MUSICAIS - PROVOCAM A EXECUÇÃO DE MÚSICA EM CERTOS INSTRUMENTOS, SEM CONTATO. PNEUMATÓGRAFOS - OS QUE OBTÊM A ESCRITA DIRETA. PROVAVELMENTE SE DESENVOLVE POR EXERCÍCIO. Só a experiência pode revelar se o médium a possui. PNEUMATOFÔNICOS - PRODUZEM A VOZ DIRETA.
  • 16. O LIVRO DOS MÉDIUNS - 2ª parte - capítulo XII Se produz espontaneamente sem a utilização da mão do médium e de um lápis. Essa faculdade não é dada a todos os médiuns escreventes. Só a experiência pode fazer conhecer se se a possui. Conforme o médium, obtêm-se simples traços, sinais, letras, palavras, frases, e mesmo páginas inteiras. VARIEDADES DE MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS PNEUMATOGRAFIA 26: em grego a palavra "Apolônio" 27: a palavra "Hannibal“ 28: O nome "Livia" 26 27 28 Barão Luis Guldenstubbé médium sueco pneumatógrafo (1820 - 1873)
  • 17. 150. (...) Os Espíritos podem fazer se ouçam gritos de toda espécie e sons vocais que imitam a voz humana, assim ao nosso lado, como nos ares. A este fenômeno é que damos o nome de pneumatofonia. (...) Podemos supor que, dentre eles, alguns, de ordem inferior, se iludem e julgam falar como quando vivos. Devemos preservar-nos de tomar por vozes ocultas todos os sons que não tenham causa conhecida, ou simples zumbidos, e, sobretudo, de dar o menor crédito à crença vulgar de que, quando o ouvido nos zune, é que nalguma parte estão falando de nós. Nenhuma significação têm esses zunidos, cuja causa é puramente fisiológica, ao passo que os sons pneumatofônicos exprimem pensamentos e nisso está o que nos faz reconhecer que são devidos a uma causa inteligente e não acidental. 151. Os sons pneumatofônicos se produzem de duas maneiras distintas: - às vezes, é uma voz interior que repercute no nosso foro íntimo, nada tendo, porém, de material as palavras, conquanto sejam claramente perceptíveis; - outras vezes, são exteriores e nitidamente articuladas, como se proviessem de uma pessoa que nos estivesse ao lado. De um modo, ou de outro, o fenômeno da pneumatofonia é quase sempre espontâneo e só muito raramente pode ser provocado. VARIEDADES DE MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS PNEUMATOFONIA O LIVRO DOS MÉDIUNS - 2ª parte - capítulo XII
  • 18. de APARIÇÕES (ectoplasmia) - PODEM PROVOCAR APARIÇÕES FLUÍDICAS OU TANGÍVEIS, VISÍVEIS PARA OS ASSISTENTES. VARIEDADES DE MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS “(...) Se houvesse perfeita compreensão geral, respeito aos dons da vida, e se pudéssemos contar com valores morais espontâneos e legitimamente consolidados no espírito coletivo, essas manifestações seriam as mais naturais possíveis, sem qualquer prejuízo para o médium e assistentes. Acontece, porém, que são muito raros os companheiros encarnados dispostos às condições espirituais que semelhantes trabalhos exigem. Por isso mesmo, na incerteza de colaboração eficiente, as sessões de materialização efetuam-se com grandes riscos para a organização mediúnica e requisitam número dilatado de cooperadores do nosso plano.” “Todo o perigo desses trabalhos está na ausência de preparo dos nossos amigos da Crosta, os quais, na maioria das vezes, alegando impositivos científicos, se furtam a comezinhos princípios de elevação moral. Quando não se verifica o devido cuidado por parte deles, o fracasso pode assumir características terríveis, porque os irmãos que estabelecem as fronteiras vibratórias, no exterior do recinto, não podem impedir a entrada das entidades inferiores, absolutamente integradas com as suas vítimas terrenas. Há obsidiados que se sentem tão bem na companhia dos perseguidores, que imitam as mães terrestres agarradas aos filhos pequeninos, penetrando recintos consagrados a certos serviços, com que não se compadece ainda o espírito infantil. Quando os amigos menos avisados ingressam na tarefa em tais condições, as ameaças são verdadeiramente inquietantes.” Instrutor Alexandre MISSIONÁRIOS DA LUZ, André Luiz por Francisco Xavier - Materialização - capítulo 10
  • 19. 77. (...) quando um objeto é posto em movimento, levantado ou atirado para o ar, não é que o Espírito o tome, empurre e suspenda, como o faríamos com a mão. O Espírito o satura, por assim dizer, do seu fluido, combinado com o do médium, e o objeto, momentaneamente vivificado desta maneira, obra como o faria um ser vivo, com a diferença apenas de que, não tendo vontade própria, segue o impulso que lhe dá a vontade do Espírito. (O LIVRO DOS MÉDIUNS, Allan Kardec - 2ª. Parte - cap. IV) Carlos Mirabelli (1889-1951), brasileiro, foi médium telepata, de materialização, desmaterialização e levitação, clarividente, musical (em transe tocava piano e violino, e cantava com voz de tenor, barítono e baixo, várias árias em vários idiomas), pintor, psicofônico (em transe falava 26 idiomas), e psicógrafo (psicografava em 28 línguas, vivas ou mortas e, enquanto o fazia, conversava em outra língua). levitando (em transe) VARIEDADES DE MÉDIUNS DE EFEITOS FÍSICOS TRANSLAÇÕES E SUSPENSÕES - PRODUZEM A TRANSLAÇÃO DE OBJETOS ATRAVÉS DO ESPAÇO OU A SUA SUSPENSÃO, OU SEJA, PODEM ELEVAR-SE A SI PRÓPRIOS. LEVITAÇÃO
  • 20. TRANSFIGURAÇÃO A transfiguração consiste na mudança de aspecto de um corpo vivo. Uma simples contração muscular pode dar à fisionomia expressão muito diferente da habitual, a ponto de tornar quase irreconhecível a pessoa. Esse fenômeno, estranho e raro, parece explicar-se assim: TRANSFIGURAÇÃO VOLUNTÁRIA: - O perispírito irradia-se ao redor do corpo (por expansão perispiritual, sem chegar ao desdobramento completo); - Forma-se uma espécie de vapor fluídico, envolvendo o corpo; - Esse vapor fluídico perde a transparência e, como nuvem brumosa, oculta a visão do corpo físico; - O Espírito encarnado, se puder e quiser, plasmará nesse vapor fluídico sua forma perispiritual ou outro aspecto determinado. TRANSFIGURAÇÃO MEDIÚNICA: - Um Espírito aproveita a expansão perispiritual do encarnado (ou mesmo a provoca); - Combina os seus fluidos com os do encarnado; - Imprime ao vapor fluídico, assim preparado, a aparência que lhe é própria (a do seu perispírito) ou outra aparência que desejar. (Mediunidade – cap. 32, Therezinha Oliveira) ALGUNS FENÔMENOS DE EFEITOS FÍSICOS
  • 21. Médium DIVALDO PEREIRA FRANCO, na psicofonia do Espírito Bezerra de Menezes, alterando suas feições.
  • 22. BICORPOREIDADE: (bilocação) (...) Isolado do corpo, o Espírito de um vivo pode, como o de um morto, mostrar- se com todas as aparências da realidade, adquirir momentânea tangibilidade. Este fenômeno, foi que deu lugar às histórias de homens duplos, isto é, de Indivíduos cuja presença simultânea em dois lugares diferentes se chegou a comprovar. (O LIVRO DOS MÉDIUNS, capítulo VII - item 119) “(...) Quando o homem, por suas virtudes, chegou a desmaterializar-se completamente; quando conseguiu elevar sua alma para Deus, pode aparecer em dois lugares ao mesmo tempo. Eis como: o Espírito encarnado, ao sentir que lhe vem o sono, pode pedir a Deus lhe seja permitido transportar-se a um lugar qualquer. Seu Espírito, ou sua alma, como quiseres, abandona então o corpo, acompanhado de uma parte do seu perispírito, e deixa a matéria imunda num estado próximo do da morte. Digo próximo do da morte, porque no corpo ficou um laço que liga o perispírito e a alma à matéria, laço este que não pode ser definido. O corpo aparece, então, no lugar desejado. Creio ser isto o que queres saber.” Santo Alfonso de Liguori Santo Antônio de Pádua e a bicorporeidade em Pádua ALGUNS FENÔMENOS DE EFEITOS FÍSICOS
  • 23. 162. A razão se revolta à lembrança das torturas morais e corporais a que a ciência tem por vezes sujeitado criaturas fracas e delicadas, para se certificar da existência de fraude da parte delas. Tais experimentações, amiúde feitas maldosamente, são sempre prejudiciais às organizações sensitivas, podendo mesmo dar lugar a graves desordens na economia orgânica. Fazer semelhantes experiências é brincar com a vida. O observador de boa-fé não precisa lançar mão desses meios. Aquele que está familiarizado com os fenômenos desta espécie sabe, aliás, que eles são mais de ordem moral, do que de ordem física e que será inútil procurar-lhes uma solução nas nossas ciências exatas. O LIVRO DOS MÉDIUNS DOS MÉDIUNS 2ª parte - capítulo XIV Jack Webber (1907-1940) Médium escocês.Carlos Mirabelli
  • 24. Materialização do Espírito Ana, em 14/12/1953, onde pode se observar o médium PEIXOTINHO deitado, em transe. Este médium realizou experiências na casa de Francisco Cândido Xavier permitindo a materialização de amigos conhecidos do Chico. Médium Francisco Peixoto Lins – Peixotinho – 1905 - 1966
  • 25. Na foto abaixo, vê-se o espírito materializado Katie King, através da mediunidade de FLORENCE COOK, junto ao cientista Sir William Crookes. No verso desta foto o sábio escreveu sensibilizado pela beleza do espírito materializado. ( Arquivo "O Clarim“)
  • 26. Albert von Schrenck-Notzing com a médium francesa EVA CARRIÉRE maio 1912
  • 27. Laringe ectoplásmica tomada do médium britânico LESLIE FLINT (1911 – 1994) Testes para avaliar possíveis fraudes
  • 28. Fotografia de Thomas Glendenning Hamilton e Mary M. – 25/02/1934
  • 29. Médium HELEN DUNCAN maio de 1931 (...) Em novembro de 1956, a policia invadiu uma sessão na cidade de Nottingham. Agarraram a médium e fizeram uma revista corporal, alegando procurarem máscaras e barbas que evidenciassem uma fraude. A médium era Helen, que estava em pleno trabalho de materialização, em profundo transe. No início de sua Mediunidade os Espíritos orientadores tinham dito que ela jamais poderia ser tocada enquanto a materialização estivesse em andamento, sob pena de trazer danos irreparáveis. Helen Duncan passou mal e foi levada para atendimento médico. O profissional descobriu que ela estava com graves queimaduras no estomago. Ela foi levada de volta para sua casa e depois hospitalizada. Cinco semanas depois desencarnou em virtude das queimaduras. Um busto de bronze homenageia Helen Duncan em Callander, Escócia, sua cidade natal. http://www.autoresespiritasclassicos.com
  • 30. Médium ANTÔNIO ALVES FEITOSA aparição de Irmã Josefa, em Uberaba, 1965, na presença de Chico Xavier.
  • 31. Um dos mais perfeitos trabalhos de Anita, a florista de além-túmulo. lindíssima cattleya feita por Anita na sessão de 24 de junho de 1920 Fenômenos ocorridos através da médium brasileira ANNA PRADO
  • 32. Materialização do Espírito de Bien-Boa Mesas girantes
  • 33.
  • 34. Ectoplasmia Médium polonesa STANISLAWA TOMCZYK - 23 junho 1913 Imagens: http://www.dieselpunks.org
  • 35. foto de Sven Turck – levitação de uma mesa, 1940
  • 36. PESQUISA: - O Livro dos Médiuns, Allan Kardec - O Livro dos Espíritos, Allan Kardec - O Trabalho dos Mortos, Nogueira de Faria - Mediunidade, Therezinha Oliveira - Missionários da Luz, André Luiz por Chico Xavier - Nos Domínios da Mediunidade, André Luiz por Chico Xavier - http://oespiritoeotempo.wordpress.com - http://www.guia.heu.nom.br - http://www.autoresespiritasclassicos.com Elaboração: Júlio César Evadro