Fundamentos   da   Psicanálise<br />Tema: <br />Sexualidade e psicanálise: <br />uma nova paisagem<br />Coordenação   Alex...
4 grandes momentos clínicos do percurso freudiano:<br />a cura através da catarse e suas ambiguidades;<br />2) a análise d...
A clínica da neurose na atualidade:<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos  de autor reservados.<br />
Sexualidade e Psicanálise: a instauração de uma paisagem<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos  de autor reserva...
A psicanálise freudiana assumirá boa parte do vocabulário da Sexologia vigente ao final do século XIX.<br />Todavia, não d...
Saberes e práticas acerca da sexualidade:<br />Psicanálise<br />Sexologia<br />Instaura, sob diversos modos, a desconfianç...
A trajetória dos Três ensaios sobre a teoria da sexualidadee suas implicações<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direi...
Primeira implicação:Deslocamento do corpo:<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos  de autor reservados.<br />
Os corpos iniciam-se na interioridade do organismo e terminam na pele ?<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos  d...
Segunda implicação:Abordar o campo da sexualidade (e, por extensão, a dimensão psíquica) como composto por elementos díspa...
A sexualidade, habitando corpos,revela estes corpos<br />como retalhos costurados<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os d...
A sexualidade e seus compósitos<br />
Estabelecimento de um circuito:<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos  de autor reservados.<br />
Estabelecimento de um circuito:<br />
Opacidade no objeto<br />Opacidade no <br />sujeito<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos  de autor reservados.<...
Entre sujeito e objeto ... uma solda, ao invés da ligação inerente de um com o outro<br />“Chamou-nos a atenção que imagin...
A grande novidade teórica  -  com amplas repercussões clínicas  -  dos Três ensaios sobre a teoria da sexualidade: <br />a...
Pulsão, em Freud:<br />estabelecerá uma conexão entre elementos <br />(que se encontram separados)<br />ALEXANDRE SIMÕES <...
Prosseguiremos com o tema: A pulsão e sua ruptura com a natureza.<br />Até lá!<br />Acesso a este conteúdo:<br />www.alexa...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 2: Sexualidade e psicanálise: uma nova paisagem

2.882 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.882
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
32
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
212
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 2: Sexualidade e psicanálise: uma nova paisagem

  1. 1. Fundamentos da Psicanálise<br />Tema: <br />Sexualidade e psicanálise: <br />uma nova paisagem<br />Coordenação Alexandre Simões<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos de autor reservados.<br />
  2. 2. 4 grandes momentos clínicos do percurso freudiano:<br />a cura através da catarse e suas ambiguidades;<br />2) a análise das formações do inconsciente: o recalque e sua suspensão na transferência;<br />3) o período da ‘transferência como resistência’ e da análise terminável;<br />4) a análise da resistência, a ‘reação terapêutica negativa’ e a análise interminável;<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos de autor reservados.<br />
  3. 3. A clínica da neurose na atualidade:<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos de autor reservados.<br />
  4. 4. Sexualidade e Psicanálise: a instauração de uma paisagem<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos de autor reservados.<br />
  5. 5. A psicanálise freudiana assumirá boa parte do vocabulário da Sexologia vigente ao final do século XIX.<br />Todavia, não devemos perder de vista o robusto trabalho de transformação conceitual que será empreendido por Freud nesse âmbito<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos de autor reservados.<br />
  6. 6. Saberes e práticas acerca da sexualidade:<br />Psicanálise<br />Sexologia<br />Instaura, sob diversos modos, a desconfiança face ao óbvio;<br />Por exemplo, desconfiança quanto ao modelo da complementariedade (calcado na sexualidade heterocentrada);<br />Atrelada à linhagem Biologicista:<br />Aborda a sexualidade pela perspectiva da função (chegando a demarcar, pois, disfunções);<br />Estabelece o destino da sexualidade como uma inerência já inscrita nos corpos (em seus traçados anatômicos e genitais);<br />Daí, a obviedade dos corpos;<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos de autor reservados.<br />
  7. 7. A trajetória dos Três ensaios sobre a teoria da sexualidadee suas implicações<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos de autor reservados.<br />
  8. 8. Primeira implicação:Deslocamento do corpo:<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos de autor reservados.<br />
  9. 9. Os corpos iniciam-se na interioridade do organismo e terminam na pele ?<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos de autor reservados.<br />
  10. 10. Segunda implicação:Abordar o campo da sexualidade (e, por extensão, a dimensão psíquica) como composto por elementos díspares:<br />ou seja, a sexualidade não é uma paisagem contínua, porém, um território composto por zonas erógenas (que são buracos circundados), objetos (alvos), etc.<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos de autor reservados.<br />
  11. 11. A sexualidade, habitando corpos,revela estes corpos<br />como retalhos costurados<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos de autor reservados.<br />
  12. 12. A sexualidade e seus compósitos<br />
  13. 13. Estabelecimento de um circuito:<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos de autor reservados.<br />
  14. 14. Estabelecimento de um circuito:<br />
  15. 15. Opacidade no objeto<br />Opacidade no <br />sujeito<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos de autor reservados.<br />
  16. 16. Entre sujeito e objeto ... uma solda, ao invés da ligação inerente de um com o outro<br />“Chamou-nos a atenção que imaginávamos como demasiadamente íntima a ligação entre a pulsão sexual e o objeto sexual. A experiência obtida nos casos considerados anormais nos ensina que, neles, há entre a pulsão sexual e o objeto sexual apenas uma solda, que corríamos o risco de não ver em consequência da uniformidade do quadro normal, em que a pulsão parece trazer consigo o objeto. Assim, somos instruídos a afrouxar o vínculo que existe em nossos pensamentos entre a pulsão e o objeto. É provável que, de início, a pulsão sexual seja independente de seu objeto, e tampouco deva ela sua origem aos encantos deste.” <br />(FREUD, S., Três ensaios sobre a teoria da sexualidade, p. 138/139)<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos de autor reservados.<br />
  17. 17. A grande novidade teórica - com amplas repercussões clínicas - dos Três ensaios sobre a teoria da sexualidade: <br />a pulsão<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos de autor reservados.<br />
  18. 18. Pulsão, em Freud:<br />estabelecerá uma conexão entre elementos <br />(que se encontram separados)<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos de autor reservados.<br />
  19. 19. Prosseguiremos com o tema: A pulsão e sua ruptura com a natureza.<br />Até lá!<br />Acesso a este conteúdo:<br />www.alexandresimoes.com.br<br />ALEXANDRE SIMÕES <br />® Todos os direitos de autor reservados.<br />

×