SlideShare uma empresa Scribd logo
SIGMUND FREUD
Fonte: “Fundamentos psicanalíticos, teoria, técnica e
clínica” DAVID E. ZIMERMAN, Ed. Artmed, 1999
Trajetória resumida de Freud
 Diploma de médico com 25 anos, na Universidade de
Viena, com um longo aprendizado em neurologia,
dedicando-se a pesquisas;
 Publicou inúmeros trabalhos, dos quais vieram
expressivo reconhecimento científico;
 Viajou a Paris para conhecer o trabalho de Charcot,
com hipnoterapia;
 Não sendo bem sucedido nessa área, criou o método
de associação livre, que possibilitasse um acesso às
repressões inconscientes de suas pacientes histéricas;
Trajetória resumida de Freud
 Trocou 284 cartas com seu amigo e médico berlinense
Wiess, publicando mais de 300 títulos, entre livros e
artigos.
 Estudos de Freud:
 Historiais clínicos;
 Metapsicologia;
 Teoria e técnica;
 Aplicações da Psicanálise;
Josef Breuer
 Josef Breuer
 Josef Breuer foi um médico e fisiologista austríaco,
cujas obras lançaram as bases da psicanálise. Seu pai,
Leopold Breuer, era professor de religião na
comunidade judaica de Viena.
 Nascimento: 15 de janeiro de 1842, Viena, Áustria
 Falecimento: 20 de junho de 1925, Viena, Áustria
 Educação: Universidade de Viena
 Obra: Estudos sobre a histeria
Estudos de Freud com Breuer
 Atendimentos de curto prazo com pacientes portadoras de
sistemas histéricos conversivos, como Emmy von Nuccy,
Lucy R, Katherina e outras mais.
 Elisabeth von R. uma paciente que sofria de violentas dores
nas pernas e sentia uma grande dificuldade em andar, não
se deixando hipnotizar.
 Uma paciente que introduziu o médico no fenômeno da
resistência do paciente, chamda de resistência
inconsciente;
 A memória viva é o verdadeiro código dos conflitos, que
transparecem através da linguagem conversiva do corpo;
Elizabeth Von R. Dora
Ana o.
Ana O.
 1882; Método da terapia catártica, “cura pela conversa”;
 Elisabeth R. e Anna O. impulsionaram a criação da
psicanálise científica;
 O caso “Dora”, fez com que Freud enfatizasse a arte da
interpretação para vencer as resistências dos conflitos
reprimidos.
 Interrompeu a análise após três meses, porque ele não
fora capaz de analisar os múltiplos aspectos
transferenciais que estavam subjacentes nos relatos de
Dora e que aludiam aos triângulos edípicos com os pais
dela e com o casal K;
A análise da fobia de um menino
de 05 anos
 Experiência psicanalítica de um menino de 05 anos,
levada a efeito pelo pai da criança e seu primeiro caso
de análise com crianças;
 Um menino que apresentava uma fobia,
especialmente por cavalos, que comprovou a teoria da
“angústia de castração”, em ligação direta com o
complexo de Édipo.
 O cientista comprovou a existência de “teorias”
existentes na mente da criança, com as quais elas
tentam decifrar o mistério do nascimento;
COMPLEXO DE ÉDIPO
 Complexo de Édipo é um dos conceitos
fundamentais de Freud, na Psicanálise. Este conceito
refere-se a uma fase no desenvolvimento infantil em
que existe uma “disputa” entre a criança e o progenitor
do mesmo sexo pelo amor do progenitor do sexo
oposto. Complexo de Édipo foi introduzido por
Freud na Psicanálise.
COMPLEXO DE CASTRAÇÃO
 O complexo de castração tem um lugar fundamental na evolução da sexualidade infantil. Sua estruturação e seus
efeitos são diferentes no menino e na menina. O menino teme a castração como a realização de uma ameaça
paterna em resposta às suas atividades sexuais (cujo objeto original é a mãe), do que advém a intensa angústia
de castração. Na menina, a ausência do pênis é vivenciada como um dano sofrido e que ela procura negar,
compensar ou reparar.
Em relação ao complexo de Édipo, o complexo de castração também situa-se de maneira diferente em cada sexo:
para a menina, a busca do pênis paterno (e seus equivalentes simbólicos, como ter um filho do pai) equivale ao
momento de entrada no Édipo, enquanto que, no menino, o surgimento da angústia de castração sinaliza a crise
final do Édipo, interditando à criança o objeto materno.
A fantasia de castração é encontrada sob diferentes variações: o objeto ameaçado pode ser deslocado (cegueira
de Édipo, arrancar os dentes, amputação de uma perna etc), o ato pode ser substituído por outros danos à
integridade corporal (acidente, cirurgia, etc.) ou psíquica (loucura como conseqüência da masturbação) e o agente
(pai) pode ser substituído (animais).
Seus efeitos clínicos vão desde a inveja do pênis, sentimento de inferioridade, tabu da virgindade, algumas
fenômenos psicopatológicos presentes no homossexualismo e no fetichismo até à impotência e frigidez.
O pequeno Hans e a fobia por cavalos, análise do
inconsciente
 “No Caso do Pequeno Hans (FREUD, 1909) este tinha no cavalo o objeto
fóbico representante das funções parentais onde o medo de que o cavalo
caísse e morresse era uma representação substitutiva de seu desejo
inconsciente (insuportável ) de morte contra o pai, figura
paradoxalmente amada e admirada. Na fobia a realidade externa é
transformada, apropriada pelo sujeito como peça fundamental dessa
estrutura de desejos (castração/Édipo) que causa seu sofrimento
neurótico.”
 Fonte: http://joaorego.com/2014/04/28/o-complexo-de-castracao-e-o-
percurso-da-analise/
Teoria da Sexualidade infantil
 Um advogado de 29 anos, Paul Lorenz, que
apresentava graves sintomas obsessivos desde a
infância , com a ideia de que “ratos pudessem ser
introduzidos pelo ânus”, além de constantes angústias
de que ele poderia provocar tragédias as suas pessoas
queridas;

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Freud. slide
Freud. slideFreud. slide
Freud. slide
silvanacastellan
 
Psicanálise - Estudo da Teoria de Sigmund Freud
Psicanálise - Estudo da Teoria de Sigmund FreudPsicanálise - Estudo da Teoria de Sigmund Freud
Psicanálise - Estudo da Teoria de Sigmund Freud
Isabella Ruas
 
Aula sobre Psicanalise/Freud - FPE
Aula sobre Psicanalise/Freud - FPEAula sobre Psicanalise/Freud - FPE
Aula sobre Psicanalise/Freud - FPE
Rodrigo Castro
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
Paulo Gomes
 
Psicologia Aplicada
Psicologia AplicadaPsicologia Aplicada
Psicologia Aplicada
Henrique Vieira
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
Bruno Carrasco
 
Teorias de freud
Teorias de freudTeorias de freud
Teorias de freud
astraquinasns
 
Freud e o inconsciente
Freud e o inconscienteFreud e o inconsciente
Freud e o inconsciente
psicologiaazambuja
 
10.psicologia aplicada
10.psicologia aplicada10.psicologia aplicada
10.psicologia aplicada
norberto faria
 
Introdução à psicologia
Introdução à psicologiaIntrodução à psicologia
Introdução à psicologia
Laércio Góes
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
Thiago de Almeida
 
Psicanalise dissolucao do complexo de edipo e sexualidade
Psicanalise   dissolucao do complexo de edipo e sexualidadePsicanalise   dissolucao do complexo de edipo e sexualidade
Psicanalise dissolucao do complexo de edipo e sexualidade
Marcus Teixeira
 
Psicologia: Diferentes Abordagens
Psicologia: Diferentes AbordagensPsicologia: Diferentes Abordagens
Psicologia: Diferentes Abordagens
Bruno Carrasco
 
Psicologia humanista
Psicologia humanistaPsicologia humanista
Psicologia humanista
Juliermeson Morais
 
Teoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Teoria e Pratica - Abordagem PsicanaliticaTeoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Teoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Deisiane Cazaroto
 
Gestalt-Terapia
Gestalt-TerapiaGestalt-Terapia
GESTALT
GESTALTGESTALT
Os mecanismos de defesa
Os mecanismos de defesa Os mecanismos de defesa
Os mecanismos de defesa
MandyNeres7
 
NEUROSE, PSICOSE & PERVERSÃO.pdf
NEUROSE, PSICOSE & PERVERSÃO.pdfNEUROSE, PSICOSE & PERVERSÃO.pdf
NEUROSE, PSICOSE & PERVERSÃO.pdf
Luiz Henrique Pimentel Novais Silva
 
Desenvolvimento psicossexual segundo freud
Desenvolvimento psicossexual segundo freudDesenvolvimento psicossexual segundo freud
Desenvolvimento psicossexual segundo freud
UNESC
 

Mais procurados (20)

Freud. slide
Freud. slideFreud. slide
Freud. slide
 
Psicanálise - Estudo da Teoria de Sigmund Freud
Psicanálise - Estudo da Teoria de Sigmund FreudPsicanálise - Estudo da Teoria de Sigmund Freud
Psicanálise - Estudo da Teoria de Sigmund Freud
 
Aula sobre Psicanalise/Freud - FPE
Aula sobre Psicanalise/Freud - FPEAula sobre Psicanalise/Freud - FPE
Aula sobre Psicanalise/Freud - FPE
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
 
Psicologia Aplicada
Psicologia AplicadaPsicologia Aplicada
Psicologia Aplicada
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
 
Teorias de freud
Teorias de freudTeorias de freud
Teorias de freud
 
Freud e o inconsciente
Freud e o inconscienteFreud e o inconsciente
Freud e o inconsciente
 
10.psicologia aplicada
10.psicologia aplicada10.psicologia aplicada
10.psicologia aplicada
 
Introdução à psicologia
Introdução à psicologiaIntrodução à psicologia
Introdução à psicologia
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
 
Psicanalise dissolucao do complexo de edipo e sexualidade
Psicanalise   dissolucao do complexo de edipo e sexualidadePsicanalise   dissolucao do complexo de edipo e sexualidade
Psicanalise dissolucao do complexo de edipo e sexualidade
 
Psicologia: Diferentes Abordagens
Psicologia: Diferentes AbordagensPsicologia: Diferentes Abordagens
Psicologia: Diferentes Abordagens
 
Psicologia humanista
Psicologia humanistaPsicologia humanista
Psicologia humanista
 
Teoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Teoria e Pratica - Abordagem PsicanaliticaTeoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Teoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
 
Gestalt-Terapia
Gestalt-TerapiaGestalt-Terapia
Gestalt-Terapia
 
GESTALT
GESTALTGESTALT
GESTALT
 
Os mecanismos de defesa
Os mecanismos de defesa Os mecanismos de defesa
Os mecanismos de defesa
 
NEUROSE, PSICOSE & PERVERSÃO.pdf
NEUROSE, PSICOSE & PERVERSÃO.pdfNEUROSE, PSICOSE & PERVERSÃO.pdf
NEUROSE, PSICOSE & PERVERSÃO.pdf
 
Desenvolvimento psicossexual segundo freud
Desenvolvimento psicossexual segundo freudDesenvolvimento psicossexual segundo freud
Desenvolvimento psicossexual segundo freud
 

Destaque

Técnicas de investigação de personalidade Rorschach
Técnicas de investigação de personalidade RorschachTécnicas de investigação de personalidade Rorschach
Técnicas de investigação de personalidade Rorschach
Patricia Ruiz
 
Quadro evol. escolas psicanálise _
Quadro evol. escolas psicanálise  _Quadro evol. escolas psicanálise  _
Quadro evol. escolas psicanálise _
Ricardo Flores
 
Teoria PsicanalíTica
Teoria PsicanalíTicaTeoria PsicanalíTica
Teoria PsicanalíTica
Andréa Forgiarni Cechin
 
Psicanalise sobre os autores
Psicanalise sobre os autoresPsicanalise sobre os autores
Psicanalise sobre os autores
lelilana
 
Psicanalistas
PsicanalistasPsicanalistas
Psicanalistas
Felix J Lescinskiene
 
8 fundamentos da psicanálise
8 fundamentos da psicanálise8 fundamentos da psicanálise
8 fundamentos da psicanálise
faculdadeteologica
 
Os Neufredianos
Os NeufredianosOs Neufredianos
Os Neufredianos
Andréa Forgiarni Cechin
 
Escolas da Psicologia 1a. Aula
Escolas da Psicologia 1a. AulaEscolas da Psicologia 1a. Aula
Escolas da Psicologia 1a. Aula
rosariasperotto
 
5 conceitos gerais da psicanálise
5 conceitos gerais da psicanálise5 conceitos gerais da psicanálise
5 conceitos gerais da psicanálise
faculdadeteologica
 
Introdução À Psicanálise
Introdução À PsicanáliseIntrodução À Psicanálise
Introdução À Psicanálise
psicologiaisecensa
 
PSICOLOGIA, SELF E COMUNIDADE
PSICOLOGIA, SELF E COMUNIDADEPSICOLOGIA, SELF E COMUNIDADE
PSICOLOGIA, SELF E COMUNIDADE
augustodefranco .
 
Rorschach 2 atual
Rorschach 2 atualRorschach 2 atual
Rorschach 2 atual
Francisco Brito Souza
 
Pós freudianos e pós-kleinianos
Pós freudianos e pós-kleinianosPós freudianos e pós-kleinianos
Pós freudianos e pós-kleinianos
Vanessa Cardoso
 
psicanálise e religião
psicanálise e religiãopsicanálise e religião
psicanálise e religião
faculdadeteologica
 
Psicanálise
PsicanálisePsicanálise
Psicanálise
IsmaelOQueiroz
 
Aula INTRODUÇÃO À PSICANÁLISE
Aula  INTRODUÇÃO À PSICANÁLISEAula  INTRODUÇÃO À PSICANÁLISE
Aula INTRODUÇÃO À PSICANÁLISE
Ludmila Moura
 
spi9 psicologia e psicanálise cristã
spi9 psicologia e psicanálise cristãspi9 psicologia e psicanálise cristã
spi9 psicologia e psicanálise cristã
faculdadeteologica
 
Manual test de Rorschach
Manual test de RorschachManual test de Rorschach
Manual test de Rorschach
ericapmm
 
Test De Rorschach
Test De RorschachTest De Rorschach
Test De Rorschach
Gilberto Cabrera Molina
 
1 introdução á psicanálise
1 introdução á psicanálise1 introdução á psicanálise
1 introdução á psicanálise
faculdadeteologica
 

Destaque (20)

Técnicas de investigação de personalidade Rorschach
Técnicas de investigação de personalidade RorschachTécnicas de investigação de personalidade Rorschach
Técnicas de investigação de personalidade Rorschach
 
Quadro evol. escolas psicanálise _
Quadro evol. escolas psicanálise  _Quadro evol. escolas psicanálise  _
Quadro evol. escolas psicanálise _
 
Teoria PsicanalíTica
Teoria PsicanalíTicaTeoria PsicanalíTica
Teoria PsicanalíTica
 
Psicanalise sobre os autores
Psicanalise sobre os autoresPsicanalise sobre os autores
Psicanalise sobre os autores
 
Psicanalistas
PsicanalistasPsicanalistas
Psicanalistas
 
8 fundamentos da psicanálise
8 fundamentos da psicanálise8 fundamentos da psicanálise
8 fundamentos da psicanálise
 
Os Neufredianos
Os NeufredianosOs Neufredianos
Os Neufredianos
 
Escolas da Psicologia 1a. Aula
Escolas da Psicologia 1a. AulaEscolas da Psicologia 1a. Aula
Escolas da Psicologia 1a. Aula
 
5 conceitos gerais da psicanálise
5 conceitos gerais da psicanálise5 conceitos gerais da psicanálise
5 conceitos gerais da psicanálise
 
Introdução À Psicanálise
Introdução À PsicanáliseIntrodução À Psicanálise
Introdução À Psicanálise
 
PSICOLOGIA, SELF E COMUNIDADE
PSICOLOGIA, SELF E COMUNIDADEPSICOLOGIA, SELF E COMUNIDADE
PSICOLOGIA, SELF E COMUNIDADE
 
Rorschach 2 atual
Rorschach 2 atualRorschach 2 atual
Rorschach 2 atual
 
Pós freudianos e pós-kleinianos
Pós freudianos e pós-kleinianosPós freudianos e pós-kleinianos
Pós freudianos e pós-kleinianos
 
psicanálise e religião
psicanálise e religiãopsicanálise e religião
psicanálise e religião
 
Psicanálise
PsicanálisePsicanálise
Psicanálise
 
Aula INTRODUÇÃO À PSICANÁLISE
Aula  INTRODUÇÃO À PSICANÁLISEAula  INTRODUÇÃO À PSICANÁLISE
Aula INTRODUÇÃO À PSICANÁLISE
 
spi9 psicologia e psicanálise cristã
spi9 psicologia e psicanálise cristãspi9 psicologia e psicanálise cristã
spi9 psicologia e psicanálise cristã
 
Manual test de Rorschach
Manual test de RorschachManual test de Rorschach
Manual test de Rorschach
 
Test De Rorschach
Test De RorschachTest De Rorschach
Test De Rorschach
 
1 introdução á psicanálise
1 introdução á psicanálise1 introdução á psicanálise
1 introdução á psicanálise
 

Semelhante a As sete escolas da psicanálise

PsicanáLise e Educação
PsicanáLise e EducaçãoPsicanáLise e Educação
PsicanáLise e Educação
Silvia Marina Anaruma
 
Freudalemdaalma 120911112453-phpapp01
Freudalemdaalma 120911112453-phpapp01Freudalemdaalma 120911112453-phpapp01
Freudalemdaalma 120911112453-phpapp01
L R
 
Piscicanálise 3 faifa
Piscicanálise 3 faifaPiscicanálise 3 faifa
Piscicanálise 3 faifa
27101992
 
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptxTeorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
JessicaDassi
 
O CASO CLINICO SOBRE O HOMEM DOS RATOS
O CASO CLINICO SOBRE O HOMEM DOS RATOSO CASO CLINICO SOBRE O HOMEM DOS RATOS
O CASO CLINICO SOBRE O HOMEM DOS RATOS
Psicologia_2015
 
Psicologia freud
Psicologia freudPsicologia freud
Psicologia freud
Márcio Roberto de Mattos
 
Introdução à psicologia para game designers
Introdução à psicologia para game designersIntrodução à psicologia para game designers
Introdução à psicologia para game designers
Gamecultura
 
Sigmund_FREUD .pdf
Sigmund_FREUD .pdfSigmund_FREUD .pdf
J. herculano pires obsessão passe e doutrinação
J. herculano pires   obsessão passe e doutrinaçãoJ. herculano pires   obsessão passe e doutrinação
J. herculano pires obsessão passe e doutrinação
Helio Cruz
 
J herculano pires obsessao passe e doutrinacao
J herculano pires   obsessao passe e doutrinacaoJ herculano pires   obsessao passe e doutrinacao
J herculano pires obsessao passe e doutrinacao
Claudia Ruzicki Kremer
 
Freud
FreudFreud
Freud
AbLaZe
 
Freud
FreudFreud
Freud
AbLaZe
 
Freud aprendizagem desenvolvimento e fases
Freud aprendizagem desenvolvimento e fasesFreud aprendizagem desenvolvimento e fases
Freud aprendizagem desenvolvimento e fases
Universidade Federal do Ceará
 
Psiquiatria no brasil_e_no_mundo
Psiquiatria no brasil_e_no_mundoPsiquiatria no brasil_e_no_mundo
Psiquiatria no brasil_e_no_mundo
Gustavo Henrique
 
Psicanálise Freudiana
Psicanálise FreudianaPsicanálise Freudiana
Psicanálise Freudiana
Leninha Moreira
 
55471364 sexualidade-infantil
55471364 sexualidade-infantil55471364 sexualidade-infantil
55471364 sexualidade-infantil
Cre Educação
 
55471364 sexualidade-infantil
55471364 sexualidade-infantil55471364 sexualidade-infantil
55471364 sexualidade-infantil
Cre Educação
 
Ana Mercês Bahia Bock & Outros - Psicologias (pdf)(rev).pdf
Ana Mercês Bahia Bock & Outros - Psicologias (pdf)(rev).pdfAna Mercês Bahia Bock & Outros - Psicologias (pdf)(rev).pdf
Ana Mercês Bahia Bock & Outros - Psicologias (pdf)(rev).pdf
JordanPrazeresFreita
 
Cap 5 - Psicanalise.pdf
Cap 5 - Psicanalise.pdfCap 5 - Psicanalise.pdf
Cap 5 - Psicanalise.pdf
FlaviadosSantosNasci
 
As sete escolas da psicanálise Russélia Godoy.pptx
As sete escolas da psicanálise Russélia Godoy.pptxAs sete escolas da psicanálise Russélia Godoy.pptx
As sete escolas da psicanálise Russélia Godoy.pptx
AbimaelCorradaSilva1
 

Semelhante a As sete escolas da psicanálise (20)

PsicanáLise e Educação
PsicanáLise e EducaçãoPsicanáLise e Educação
PsicanáLise e Educação
 
Freudalemdaalma 120911112453-phpapp01
Freudalemdaalma 120911112453-phpapp01Freudalemdaalma 120911112453-phpapp01
Freudalemdaalma 120911112453-phpapp01
 
Piscicanálise 3 faifa
Piscicanálise 3 faifaPiscicanálise 3 faifa
Piscicanálise 3 faifa
 
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptxTeorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
 
O CASO CLINICO SOBRE O HOMEM DOS RATOS
O CASO CLINICO SOBRE O HOMEM DOS RATOSO CASO CLINICO SOBRE O HOMEM DOS RATOS
O CASO CLINICO SOBRE O HOMEM DOS RATOS
 
Psicologia freud
Psicologia freudPsicologia freud
Psicologia freud
 
Introdução à psicologia para game designers
Introdução à psicologia para game designersIntrodução à psicologia para game designers
Introdução à psicologia para game designers
 
Sigmund_FREUD .pdf
Sigmund_FREUD .pdfSigmund_FREUD .pdf
Sigmund_FREUD .pdf
 
J. herculano pires obsessão passe e doutrinação
J. herculano pires   obsessão passe e doutrinaçãoJ. herculano pires   obsessão passe e doutrinação
J. herculano pires obsessão passe e doutrinação
 
J herculano pires obsessao passe e doutrinacao
J herculano pires   obsessao passe e doutrinacaoJ herculano pires   obsessao passe e doutrinacao
J herculano pires obsessao passe e doutrinacao
 
Freud
FreudFreud
Freud
 
Freud
FreudFreud
Freud
 
Freud aprendizagem desenvolvimento e fases
Freud aprendizagem desenvolvimento e fasesFreud aprendizagem desenvolvimento e fases
Freud aprendizagem desenvolvimento e fases
 
Psiquiatria no brasil_e_no_mundo
Psiquiatria no brasil_e_no_mundoPsiquiatria no brasil_e_no_mundo
Psiquiatria no brasil_e_no_mundo
 
Psicanálise Freudiana
Psicanálise FreudianaPsicanálise Freudiana
Psicanálise Freudiana
 
55471364 sexualidade-infantil
55471364 sexualidade-infantil55471364 sexualidade-infantil
55471364 sexualidade-infantil
 
55471364 sexualidade-infantil
55471364 sexualidade-infantil55471364 sexualidade-infantil
55471364 sexualidade-infantil
 
Ana Mercês Bahia Bock & Outros - Psicologias (pdf)(rev).pdf
Ana Mercês Bahia Bock & Outros - Psicologias (pdf)(rev).pdfAna Mercês Bahia Bock & Outros - Psicologias (pdf)(rev).pdf
Ana Mercês Bahia Bock & Outros - Psicologias (pdf)(rev).pdf
 
Cap 5 - Psicanalise.pdf
Cap 5 - Psicanalise.pdfCap 5 - Psicanalise.pdf
Cap 5 - Psicanalise.pdf
 
As sete escolas da psicanálise Russélia Godoy.pptx
As sete escolas da psicanálise Russélia Godoy.pptxAs sete escolas da psicanálise Russélia Godoy.pptx
As sete escolas da psicanálise Russélia Godoy.pptx
 

Último

Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
AntonioVieira539017
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 

As sete escolas da psicanálise

  • 1. SIGMUND FREUD Fonte: “Fundamentos psicanalíticos, teoria, técnica e clínica” DAVID E. ZIMERMAN, Ed. Artmed, 1999
  • 2. Trajetória resumida de Freud  Diploma de médico com 25 anos, na Universidade de Viena, com um longo aprendizado em neurologia, dedicando-se a pesquisas;  Publicou inúmeros trabalhos, dos quais vieram expressivo reconhecimento científico;  Viajou a Paris para conhecer o trabalho de Charcot, com hipnoterapia;  Não sendo bem sucedido nessa área, criou o método de associação livre, que possibilitasse um acesso às repressões inconscientes de suas pacientes histéricas;
  • 3. Trajetória resumida de Freud  Trocou 284 cartas com seu amigo e médico berlinense Wiess, publicando mais de 300 títulos, entre livros e artigos.  Estudos de Freud:  Historiais clínicos;  Metapsicologia;  Teoria e técnica;  Aplicações da Psicanálise;
  • 4. Josef Breuer  Josef Breuer  Josef Breuer foi um médico e fisiologista austríaco, cujas obras lançaram as bases da psicanálise. Seu pai, Leopold Breuer, era professor de religião na comunidade judaica de Viena.  Nascimento: 15 de janeiro de 1842, Viena, Áustria  Falecimento: 20 de junho de 1925, Viena, Áustria  Educação: Universidade de Viena  Obra: Estudos sobre a histeria
  • 5. Estudos de Freud com Breuer  Atendimentos de curto prazo com pacientes portadoras de sistemas histéricos conversivos, como Emmy von Nuccy, Lucy R, Katherina e outras mais.  Elisabeth von R. uma paciente que sofria de violentas dores nas pernas e sentia uma grande dificuldade em andar, não se deixando hipnotizar.  Uma paciente que introduziu o médico no fenômeno da resistência do paciente, chamda de resistência inconsciente;  A memória viva é o verdadeiro código dos conflitos, que transparecem através da linguagem conversiva do corpo;
  • 8. Ana O.  1882; Método da terapia catártica, “cura pela conversa”;  Elisabeth R. e Anna O. impulsionaram a criação da psicanálise científica;  O caso “Dora”, fez com que Freud enfatizasse a arte da interpretação para vencer as resistências dos conflitos reprimidos.  Interrompeu a análise após três meses, porque ele não fora capaz de analisar os múltiplos aspectos transferenciais que estavam subjacentes nos relatos de Dora e que aludiam aos triângulos edípicos com os pais dela e com o casal K;
  • 9. A análise da fobia de um menino de 05 anos  Experiência psicanalítica de um menino de 05 anos, levada a efeito pelo pai da criança e seu primeiro caso de análise com crianças;  Um menino que apresentava uma fobia, especialmente por cavalos, que comprovou a teoria da “angústia de castração”, em ligação direta com o complexo de Édipo.  O cientista comprovou a existência de “teorias” existentes na mente da criança, com as quais elas tentam decifrar o mistério do nascimento;
  • 10.
  • 11. COMPLEXO DE ÉDIPO  Complexo de Édipo é um dos conceitos fundamentais de Freud, na Psicanálise. Este conceito refere-se a uma fase no desenvolvimento infantil em que existe uma “disputa” entre a criança e o progenitor do mesmo sexo pelo amor do progenitor do sexo oposto. Complexo de Édipo foi introduzido por Freud na Psicanálise.
  • 12. COMPLEXO DE CASTRAÇÃO  O complexo de castração tem um lugar fundamental na evolução da sexualidade infantil. Sua estruturação e seus efeitos são diferentes no menino e na menina. O menino teme a castração como a realização de uma ameaça paterna em resposta às suas atividades sexuais (cujo objeto original é a mãe), do que advém a intensa angústia de castração. Na menina, a ausência do pênis é vivenciada como um dano sofrido e que ela procura negar, compensar ou reparar. Em relação ao complexo de Édipo, o complexo de castração também situa-se de maneira diferente em cada sexo: para a menina, a busca do pênis paterno (e seus equivalentes simbólicos, como ter um filho do pai) equivale ao momento de entrada no Édipo, enquanto que, no menino, o surgimento da angústia de castração sinaliza a crise final do Édipo, interditando à criança o objeto materno. A fantasia de castração é encontrada sob diferentes variações: o objeto ameaçado pode ser deslocado (cegueira de Édipo, arrancar os dentes, amputação de uma perna etc), o ato pode ser substituído por outros danos à integridade corporal (acidente, cirurgia, etc.) ou psíquica (loucura como conseqüência da masturbação) e o agente (pai) pode ser substituído (animais). Seus efeitos clínicos vão desde a inveja do pênis, sentimento de inferioridade, tabu da virgindade, algumas fenômenos psicopatológicos presentes no homossexualismo e no fetichismo até à impotência e frigidez.
  • 13. O pequeno Hans e a fobia por cavalos, análise do inconsciente  “No Caso do Pequeno Hans (FREUD, 1909) este tinha no cavalo o objeto fóbico representante das funções parentais onde o medo de que o cavalo caísse e morresse era uma representação substitutiva de seu desejo inconsciente (insuportável ) de morte contra o pai, figura paradoxalmente amada e admirada. Na fobia a realidade externa é transformada, apropriada pelo sujeito como peça fundamental dessa estrutura de desejos (castração/Édipo) que causa seu sofrimento neurótico.”  Fonte: http://joaorego.com/2014/04/28/o-complexo-de-castracao-e-o- percurso-da-analise/
  • 14. Teoria da Sexualidade infantil  Um advogado de 29 anos, Paul Lorenz, que apresentava graves sintomas obsessivos desde a infância , com a ideia de que “ratos pudessem ser introduzidos pelo ânus”, além de constantes angústias de que ele poderia provocar tragédias as suas pessoas queridas;