A prática psicanalítica com Lacan 
Coordenação Alexandre Simões 
Tema de hoje: 
Significante e estrutura (referência Semin...
INCONSCIENTE 
SUJEITO 
CORTE
Ruptura de Lacan com a visão do sujeito como 
essência
Sujeito como algo novo no que se refere ao inconsciente 
Sujeito como uma referência arquimediana: “valor arquimédico” (p....
Inconsciente e pensamento: 
“Quando Freud compreendeu que era no campo do sonho que devia encontrar confirmação do que lhe...
Ruptura de Lacan com a visão do inconsciente como 
algo abissal
Há uma homologia (cf. p. 47) entre o encaminhamento freudiano e o cartesiano: 
PALAVRA-CHAVE: SIGNIFICANTE 
“... tal como ...
Wo es war, soll Ich werden. 
O eu deve deslocar o isso 
Aqui, no campo do sonho, o sujeito está em casa
O analista deve reconhecer o ‘lugar’ do sujeito em Freud: 
rede/tecido dos significantes
Efeito prático da observação de Lacan: 
confiem nas palavras: elas conduzem a análise
Wo es war, soll Ich werden. 
O sujeito deve advir ali onde estava 
“Ali onde estava”: o real
O que é o significante? 
É aquilo que subverte o sujeito (p. 51)
Significante, em Lacan, não se iguala a palavras 
transmite-se pelas palavras, mas refere-se à dimensão discursiva
Sincronia, retorno, repetição: 
há sempre algo pouco claro na repetição: 
“A repetição aparece primeiro numa forma que não...
Prosseguiremos com 
Dois aspectos da repetição: Tiquê e Autômaton 
(referência Seminário 11 – Tique e Autômaton, pp. 55- 6...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

2014 - CURSO A prática psicanalítica com Lacan – Aula 6: Significante e estrutura (referência Seminário 11 – Da rede dos significantes)

1.004 visualizações

Publicada em

CURSO A prática psicanalítica com Lacan (conduzido pelo psicanalista Alexandre Simoes – alexandresimoes@terra.com.br)
Proposta: buscaremos percorrer a interlocução que Jacques Lacan estabelece com Freud, enfatizando a prática cotidiana da psicanálise, especialmente no que se refere à condução das demandas contemporâneas que chegam ao analista. Para tal, neste momento, acompanharemos as lições iniciais do Seminário 11 de Lacan, onde são apresentados quatro conceitos fundamentais para a condução de uma análise: inconsciente, repetição, transferência e pulsão.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.004
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
47
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2014 - CURSO A prática psicanalítica com Lacan – Aula 6: Significante e estrutura (referência Seminário 11 – Da rede dos significantes)

  1. 1. A prática psicanalítica com Lacan Coordenação Alexandre Simões Tema de hoje: Significante e estrutura (referência Seminário 11 – Da rede dos significantes, pp. 45- 54) ALEXANDRE SIMÕES ® Todos os direitos de autor reservados.
  2. 2. INCONSCIENTE SUJEITO CORTE
  3. 3. Ruptura de Lacan com a visão do sujeito como essência
  4. 4. Sujeito como algo novo no que se refere ao inconsciente Sujeito como uma referência arquimediana: “valor arquimédico” (p.46)
  5. 5. Inconsciente e pensamento: “Quando Freud compreendeu que era no campo do sonho que devia encontrar confirmação do que lhe havia ensinado sua experiência com a histérica, e que começou a se adiantar com uma audácia verdadeiramente sem precedente, o que nos disse então do inconsciente? Afirma- o constituído, essencialmente, não pelo que a consciência pode evocar, estender, discernir, fazer sair do subliminar, mas pelo que lhe e, por essência, recusado. E como e que Freud chama isto? Com o termo mesmo com que Descartes designa o que chamei ha pouco seu ponto de apoio — Gedanken, pensamentos.” (Seminário 11, p. 46)
  6. 6. Ruptura de Lacan com a visão do inconsciente como algo abissal
  7. 7. Há uma homologia (cf. p. 47) entre o encaminhamento freudiano e o cartesiano: PALAVRA-CHAVE: SIGNIFICANTE “... tal como eles resultam da narrativa, do comentário, da associação, pouco importando a retratação” (Seminário 11, p. 47)
  8. 8. Wo es war, soll Ich werden. O eu deve deslocar o isso Aqui, no campo do sonho, o sujeito está em casa
  9. 9. O analista deve reconhecer o ‘lugar’ do sujeito em Freud: rede/tecido dos significantes
  10. 10. Efeito prático da observação de Lacan: confiem nas palavras: elas conduzem a análise
  11. 11. Wo es war, soll Ich werden. O sujeito deve advir ali onde estava “Ali onde estava”: o real
  12. 12. O que é o significante? É aquilo que subverte o sujeito (p. 51)
  13. 13. Significante, em Lacan, não se iguala a palavras transmite-se pelas palavras, mas refere-se à dimensão discursiva
  14. 14. Sincronia, retorno, repetição: há sempre algo pouco claro na repetição: “A repetição aparece primeiro numa forma que não é clara, que não é espontânea, como uma reprodução, ou uma presentificação, em ato.” (p. 52)
  15. 15. Prosseguiremos com Dois aspectos da repetição: Tiquê e Autômaton (referência Seminário 11 – Tique e Autômaton, pp. 55- 65) Até lá! Acesso a este conteúdo: www.alexandresimoes.com.br ALEXANDRE SIMÕES ® Todos os direitos de autor reservados.

×