As 7 escolas da psicanálise.pptx continuação

1.390 visualizações

Publicada em

Resumo da vida e da obra de Sigmund Freud, a partir do livro "Fundamentos Psicanalíticos" de David E. Zimerman

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

As 7 escolas da psicanálise.pptx continuação

  1. 1. As 7 escolas da Psicanálise  Estudos sobre a trajetória de Freud  Continuação  Fonte: “Fundamentos psicanalíticos, teoria, técnica e clínica” DAVID E. ZIMERMAN, Ed. Artmed, 1999  Por: Patrícia Rodrigues Ruiz  Dezembro de 2015
  2. 2. Teoria Metapsicológica (Crédito da imagem: http://pensar-seasi-mesmo.blogspot.com.br/2011/09/metapsicologia-das- organizacoes.html)  Sigmund Freud
  3. 3. Definição de Metapsicologia  Etimologia da palavra: Meta ( algo muito elevado)de natureza transcendental, com conjeturas imaginativas, que não podem ser provadas na realidade, como o instinto de morte(Thanatus), ou a vida psíquica do bebê;  Freud dividiu-a em três:  Topográfico: consciente, pré consciente e inconsciente;  Dinâmico: Id, ego e superego;  Econômico: quantidade de cátexis (energia libidinal disponível na psique) libidinal;  Em 1985, Freud postulou um trabalho chamado “Projeto de uma psicologia científica para neurólogos e no mesmo ano,Waelder descobriu o neurônio.
  4. 4. Um trabalho freudiano considerando o entendimento dos fatos psicológicos em termos de neurologia  Catexias ativadas por estímulos endógenos (pulsões de fome e de sexo), que são conduzidas por células diferenciadas dos neurônios, seriam as “perceptivas do consciente “ , encarregadas do “ registro da memória” ;  Freud também introduziu o conceito de ‘barreiras de contato’ para descrever os pontos onde os neurônios se encontravam, e sugeriu que a interação entre os neurônios através das barreiras de contato era o que tornava possível a memória, a consciência e outros aspectos da mente humana. Embora estes conceitos fossem absurdamente sofisticados e a frente de seu tempo, Freud imaginava que a neurociência iria evoluir em passos muito lentos para seu gosto, vindo a abandonar a teoria neural em favor de uma teoria puramente psicológica.
  5. 5. Inteligência fascinante de Freud  O que torna Freud fascinante é que com sua inteligência descobriu as sinapses, as quais chamava de barreiras de contato, isso se deve provavelmente ao seu trabalho de Neurologia, pois se tornou médico nessa área aos 25 anos de idade;  Em 1915, Freud publica quatro dos seus mais importantes trabalhos metapsicológicos:  “Sobre o narcisismo: uma introdução”;  “As pulsões e suas vicissitudes”;  “Repressão”;  “O inconsciente”;
  6. 6. Obras de Freud  “Além do principio do prazer” (1920);  Postula a existência de uma pulsão de morte com todas as repercussões imagináveis;  “O Ego e o Id” (1923)Teoria topográfica cede lugar aTeoria estrutural;  “A negação” (1925) As formas como o Ego utiliza os distintos mecanismos negatórios para expulsar as angústias dos conflitos neuróticos;  “Inibições, sintomas e angústias” (1926) angústia como preventiva dos perigos, que promove as repressões para proteger o Ego;  “Fetichismo” no qual o paciente nega ser verdadeiro aquilo que o angustia e que no fundo, sabe que é verdade;
  7. 7. “Clivagem do ego no processo de defesa” (1940) Subsídios indispensáveis para a compreensão do psiquismo humano;  Trabalhos de técnica: Em 1905, em uma Conferência, o autor apontava alguns aspectos técnicos da nova ciência que privilegiava a Dinâmica do inconsciente; Metáfora de Leonardo daVinci, publicada em um livro de Freud: Comporta duas concepções na aplicação da prática: O terapeuta, por meio das técnicas sugestivas, como a hipnose, põe seus conhecimentos na mente do paciente, da mesma forma como o pintor faz com as tintas em uma tela em branco;(Via de porre: via de posse) A segunda concepção surge como se o terapeuta esculpisse no paciente , e retirasse o excesso, como mármore em um bloco para que no autoconhecimento o despertar de aspectos vivos que estão presentes , mas perdidos ou ocultos nas profundezas do inconsciente dos pacientes;(Via de levare: subtração dos aspectos desconhecidos no inconsciente);
  8. 8. Dissidências no movimento psicanalítico (1912 a 1915)  Nesse período, Freud publica vários trabalhos sobre os cuidados que os psicólogos que fossem utilizar as técnicas da Psicanálise em seus consultórios, deveriam tomar, introduzindo o conceito de transferência ;  A transferência é um fenômeno que ocorre na relação paciente/terapeuta, onde o desejo do paciente irá se apresentar atualizado, com uma repetição dos modelos infantis, as figuras parentais e seus substitutos serão transpostas para o analista, e assim sentimentos, desejos, impressões dos primeiros vínculos afetivos serão vivenciados e sentidos na atualidade.  O manuseio da transferência é a parte mais importante da técnica de análise. Em Um Estudo Autobiográfico Freud (1925) faz uma explanação geral do mecanismo de transferência. A transferência logo que surge substitui na mente do paciente o desejo de ser curado, e, enquanto for afeiçoada e moderada, torna-se o agente da influência do médico e nem mais nem menos do que a mola mestra do trabalho conjunto de análise  Fonte: https://psicologado.com/abordagens/psicanalise/transferencia © Psicologado.com
  9. 9. Contribuições de Freud  Virtualmente, Freud cobriu todas as áreas do humanismo, procurando explicações de causas inconscientes para os diversos segmentos: de religião a ciência;  Nesse final de vida, Freud foi abandonado por alguns de seus colaboradores como Jung , Otto Rank, Ferenczi, Reich, que buscaram novas técnicas diferentes no estudo da mente humana;  Finalizando, como aluna de Psicologia, minha profunda admiração pelo autor estudado que tanto acrescentou no estudo do conhecimento psíquico humano;  Encerro com uma dica de filme que faz pensar e elaborar novas hipóteses para esse terreno tão complexo que é a Psicologia e suas vertentes:  Mindscape

×