Febre amarela e hanseníase - Epidemiologia

1.450 visualizações

Publicada em

Seminário de epidemiologia com o tema: Febre amarela e Hanseníase

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.450
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Febre amarela e hanseníase - Epidemiologia

  1. 1. FEBRE AMARELA E HANSENÍASE JAINE OLIVEIRA JOSÉ DANILO
  2. 2. FEBRE AMARELA
  3. 3. FEBRE AMARELA  O que é?  A febre amarela é uma doença infecciosa causada por um tipo de vírus chamado flavivírus que ocorre na América do Sul e na África;  Silvestre: transmitida pela picada do mosquito Haemagogus;  Urbana: transmitida pela picada do Aedes aegypti;
  4. 4.  Transmissão:  Não é transmitida de uma pessoa para a outra;  A transmissão do vírus ocorre quando a fêmea do mosquito Aedes Aegypti e Haemagogus pica uma pessoa ou primata infectados, normalmente em regiões de floresta e cerrado, e depois pica uma pessoa saudável que não tenha tomado a vacina;
  5. 5.  Epidemiologia:  No Brasil, as áreas de risco incluem as regiões Norte, Centro Oeste, o estado do Maranhão e mais a parte ocidental dos estados da Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
  6. 6.  Sintomas:  febre alta, mal-estar, dor de cabeça, dor muscular muito forte, cansaço, calafrios, vômito e diarréia, aparecem de três a seis dias após a picada;  Podem apresentar além dos já citados, sintomas graves como icterícia, hemorragias comprometimento dos rins, fígado, pulmão e problemas cardíacos que podem levar à morte;  Uma vez recuperado, o paciente não apresenta sequelas;
  7. 7.  Diagnóstico:  Exames específicos:  O diagnóstico definitivo da febre amarela pode ser feito pelo isolamento do vírus, detecção de antígenos virais e do RNA viral, e por métodos sorológicos;  MAC ELISA (captura de IgM em ensaio enzimático);  Exames inespecíficos:  Diversos exames devem ser realizados durante a evolução do quadro de febre amarela, começamos pelo hemograma, sumário de urina;
  8. 8.  Prevenção:  As formas que se tem de evitar é a vacinação, e combater o transmissor;  A vacina é gratuita e está disponível nos postos de saúde em qualquer época do ano. Ela deve ser aplicada 10 dias antes da viagem para as áreas de risco de transmissão da doença;  A vacinação é indicada para todas as pessoas que vivem em áreas de risco;
  9. 9.  Tratamento:  Como ainda não existe um medicamento específico para o tratamento da doença, o tratamento de suporte deve ser iniciado imediatamente, sendo aconselhado o internamento do paciente com formas graves de preferência em UTI, pois a uma série de procedimentos que só se dispõe com mais facilidade nessas unidades;  A medicação a ser prescrita depende das manifestações clínicas, mas é comum o uso de analgésicos e antitérmicos nas doses usualmente indicadas para o peso e a idade;  Se o paciente não receber assistência médica, ele pode morrer;
  10. 10. HANSENÍASE
  11. 11. HANSENÍASE  Lepra;  Mycobacterium leprae;  Doença curável;  Descoberta em 1873;  Campanhas de erradicação.
  12. 12. TRANSMISSÃO  Contato íntimo e contínuo;  Gotículas que saem do nariz;  Saliva do paciente.
  13. 13. SINAIS E SINTOMAS  Afeta a pele;  Manchas de cor parda ou eritematosas;  Perda de sensibilidade térmica;  Perda de pelos;  Ausência de transpiração;  Dormência;  Perda de tônus muscular na área;  Caroços e/ou inchaços nas partes frias co corpo;  Alteração na musculatura esquelética.
  14. 14. SINAIS E SINTOMAS
  15. 15. DIAGNÓSTICO  Testes de sensibilidade;  Biópsia;  Exame laboratorial.  Paucibacilar;  Multibacilar .
  16. 16. PREVENÇÃO  Manter o sistema imunológico eficiente;  Manter condições aceitáveis de higiene;  Incentivar pessoas com a doença a procurarem um médico.
  17. 17. TRATAMENTO  Paucibacilares: rifampicina, dapsona;  Multibacilares: rifampicina, dapsona e clofazimina.
  18. 18.  Referências:  http://www.scielo.br/scielo  http://www.saude.gov.br  http://pt.wikipedia.org/wiki/  http://www.sbd.org.br/  http://www.saude.pr.gov.br/

×