O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Pneumonia

1.477 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Pneumonia

  1. 1. O que é pneumonia?  São infecções que se instalam nos pulmões, órgãos duplos localizados um de cada lado da caixa torácica. Podem acometer a região dos alvéolos pulmonares onde desembocam as ramificações terminais dos brônquios e, às vezes, os interstícios (espaço entre um alvéolo e outro).  Basicamente, pneumonias são provocadas pela penetração de um agente infeccioso ou irritante (bactérias, vírus, fungos e por reações alérgicas) no espaço alveolar, onde ocorre a troca gasosa. Esse local deve estar sempre muito limpo, livre de substâncias que possam impedir o contacto do ar com o sangue. Diferentes do vírus da gripe, que é altamente infectante, os agentes infecciosos da pneumonia não costumam ser transmitidos facilmente.
  2. 2. Sinais e sintomas  Febre e suor intenso;  Calafrios e temores;  Falta de apetite;  Tosse com catarro esverdeado, marrom ou com raias de sangue;  Respiração ofegante, gemência e prostração;  Aceleração dos pulsos;  Em casos graves, os lábios e unhas ficam roxos por falta de oxigênio no sangue e pode haver confusão mental;  Dor no peito que piora a respiração, em crianças maiores.
  3. 3. O que causa a pneumonia?  A pneumonia bacteriana é a mais freqüente, ocorrendo em aproximadamente 50% dos casos. A causa mais comum de pneumonia bacteriana em adultos é uma bactéria chamada Pneumococo. As bactérias estão presentes na cavidade oral de algumas pessoas normais. Quando as defesas do organismo enfraquecem, elas podem ser aspiradas para os pulmões e causar a pneumonia.  As pneumonias virais podem ser causadas por muitos tipos diferentes de vírus, incluindo o vírus da gripe. Ocorrem mais comumente no outono e no inverno. As pneumonias virais podem ser complicadas por pneumonias bacterianas. As crianças com doença cardíacas ou pulmonares crônicas podem ter pneumonias graves pelo vírus da gripe.
  4. 4.  Outros microorganismos causadores da pneumonia são o Mycoplasma (segunda causa mais freqüente de pneumonia), Chlamydia (relativamente freqüente), e Legionella (incomum, mas causa muitos casos de pneumonia grave). Esses agentes, assim como os vírus, podem ser contagiosos, acometendo várias pessoas que convivem em um mesmo ambiente.  Pessoas com uma diminuição do sistema de defesa do organismo, como os portadores de HIV e pacientes com câncer em tratamento com quimioterapia, podem ter pneumonia por agentes infecciosos incomuns. O Pneumocystis carinii é um fungo que comumente causa pneumonia em pessoas com AIDS.
  5. 5. Complicações na pneumonia  As conseqüências de uma pneumonia dependem muito da idade da pessoa acometida, do tipo de pneumonia e do estado geral de saúde anterior à pneumonia. As pessoas com doença cardíaca ou pulmonar prévias têm mais risco de complicações.  A complicação mais comum da pneumonia é o derrame pleural. Os pulmões são revestidos por duas membranas, as pleuras. O derrame pleural é o acúmulo de líquido entre essas membranas. Algumas vezes esse líquido pode se transformar em pus, que deverá ser drenado para o controle da infecção.  A bacteremia é uma complicação bastante grave da pneumonia, ocorre quando as bactérias alcançam o sangue, podendo se espalhar por todo o corpo, apresentando risco de vida. Bebês apresentam com freqüência este quadro, quando a pneumonia não é tratada a tempo.
  6. 6. TRATAMENTO:  Quanto mais rápido a pneumonia for diagnosticada, maior é a chance de cura.  A maior parte das pneumonias é tratada com o uso de antibióticos, entretanto, não existe tratamento efetivo para as pneumonias virais. Após o uso de um antibiótico adequado, espera-se que ocorra melhora dos sintomas após 48 a 72 horas. A criança deve fazer um controle ambulatorial, no segundo dia de antibióticos, para que seja avaliada sua melhora. Rx são feitos no momento do diagnostico, mas se a evolução for boa, não é necessário um Rx de controle, evitando-se assim a irradiação da criança, baseando-se o médico na evolução clinica, melhora da febre, melhora do apetite e diminuição da prostração.
  7. 7. TRATAMENTO  A maioria das pneumonias em pacientes previamente saudáveis pode ser tratada em casa. Nos casos mais graves, entretanto, é necessária a hospitalização para receber antibiótico venoso e oxigênio. È muito importante que o paciente beba muito líquido, que evita a desidratação e ajuda na expectoração.
  8. 8. PREVENÇÃO:  A pneumonia pode ser uma complicação de uma gripe, assim a vacina da gripe é uma boa forma de prevenção da pneumonia.  Está disponível também a vacina contra o pneumococo, o principal agente causador da pneumonia. Ela está indicada para pessoas com maior risco de adquirir a doença e de ter suas complicações: pessoas com doenças crônicas pulmonares, cardíacas, renais, diabéticas, residentes de asilos e pessoas com 65 anos ou mais.  Como a pneumonia freqüentemente ocorre após um resfriado ou gripe comuns, deve-se estar atento ao prolongamento dos sintomas por mais de uma semana a dez dias, e procurar um médico sempre que estiverem presentes os sintomas da pneumonia.  Palavras chave: Pneumonia, antibióticos, sintomas da pneumonia, bactérias.
  9. 9. RISCO DE TER PNEUMONIA  Idosos acima dos 65 anos e crianças muito novas têm maior risco de ter pneumonia.  O risco de ter pneumonia também aumenta nas seguintes situações:  Portadores de doenças crônicas como diabetes, câncer, enfisema pulmonar ou doenças cardiovasculares (infarto do coração ou derrame cerebral).  Pessoas cuja imunidade esteja baixa (baixa defesa do organismo), como portadores da AIDS e pessoas que utilizam medicamentos para quimioterapia ou drogas imunossupressoras (no caso de câncer, transplante de órgão ou doenças auto-imunes).  Fumantes ou alcoólatras.  Indivíduos internados em unidades de terapia intensiva (UTI).  Pessoas expostas a certos tipos de produtos químicos (agrotóxicos, químicas industriais) ou à poluição atmosférica.  Politraumatizados ou que tenham sofrido alguma cirurgia ou lesão cerebral importante.
  10. 10. Organismo pneumocócico Essa fotografia mostra o o Pneumococci. Essas bactérias geralmente vem aos pares (diplococosou se apresentam em cadeias. Os Pneumococci estão, tipicamente, associados com a pneumonia, mas podem causar infecção em outros órgãos tais como o cérebro (meningite pneumocócica) e na corrente sangüínea (septicemia pneumocócica) (Centros de Controle e Prevenção de Doenças).
  11. 11. Pneumonia pneumocóccica Este é um fotomicrógrafo do organismo que provoca a pneumonia pneumocóccica. As bactérias são redondas, mas unem-se para formar cadeias, em geral aos pares, sendo chamadas de diplococos. O prefixo di significa dois.

×