SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Baixar para ler offline
EFEITOS DA CONDENAÇÃO
ARTIGOS 91 E 92 DO CP
EFEITOS DA CONDENAÇÃO
• PRINCIPAL – PENA
• SECUNDÁRIOS
- PENAIS: impedir ou revogar sursis,
livramento condicional, reabilitação, nome no
rol dos culpados, propiciar reincidência, etc.
- EXTRAPENAIS: arts. 91 e 92, CP.
EXTRAPENAIS GENÉRICOS
• Art. 91 - São efeitos da condenação:
• I - tornar certa a obrigação de indenizar o dano
causado pelo crime;
• II a) - a perda em favor da União, ressalvado o
direito do lesado ou de terceiro de boa-fé: a) dos
instrumentos do crime, desde que consistam em
coisas cujo fabrico, alienação, uso, porte ou
detenção constitua fato ilícito;
• b) do produto do crime ou de qualquer bem ou
valor que constitua proveito auferido pelo agente
com a prática do fato criminoso.
EXTRAPENAIS GENÉRICOS
• Art. 91
• § 1º Poderá ser decretada a perda de bens ou valores
equivalentes ao produto ou proveito do crime quando
estes não forem encontrados ou quando se localizarem
no exterior.
• § 2º Na hipótese do § 1º, as medidas assecuratórias
previstas na legislação processual poderão abranger
bens ou valores equivalentes do investigado ou
acusado para posterior decretação de perda.
EXTRAPENAIS ESPECÍFICOS
• Art. 92 - São também efeitos da condenação:
• I - a perda de cargo, função pública ou mandato eletivo:
a) quando aplicada pena privativa de liberdade por tempo igual ou superior a
um ano, nos crimes praticados com abuso de poder ou violação de dever para
com a Administração Pública;
b) quando for aplicada pena privativa de liberdade por tempo superior a 4
(quatro) anos nos demais casos.
• II - a incapacidade para o exercício do pátrio poder, tutela ou curatela, nos
crimes dolosos, sujeitos à pena de reclusão, cometidos contra filho,
tutelado ou curatelado;
• III - a inabilitação para dirigir veículo, quando utilizado como meio para a
prática de crime doloso.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trabalho de calculo da dosimetria da pena - Kleiton Barbosa
Trabalho  de calculo da dosimetria da pena - Kleiton BarbosaTrabalho  de calculo da dosimetria da pena - Kleiton Barbosa
Trabalho de calculo da dosimetria da pena - Kleiton BarbosaKleiton Barbosa
 
Juizados especiais criminais – lei 9099
Juizados especiais criminais – lei 9099Juizados especiais criminais – lei 9099
Juizados especiais criminais – lei 9099thiago sturmer
 
Módulo de prescrição power point
Módulo de prescrição power pointMódulo de prescrição power point
Módulo de prescrição power pointJorge65sp
 
DPP - jurisdição e competência
DPP - jurisdição e competênciaDPP - jurisdição e competência
DPP - jurisdição e competênciadireitoturmamanha
 
Direito penal ii uneb - causas extintivas de punibilidade
Direito penal ii   uneb - causas extintivas de punibilidadeDireito penal ii   uneb - causas extintivas de punibilidade
Direito penal ii uneb - causas extintivas de punibilidadeUrbano Felix Pugliese
 
Direito Penal II - 4º Semestre - Teoria da Pena
Direito Penal II - 4º Semestre - Teoria da PenaDireito Penal II - 4º Semestre - Teoria da Pena
Direito Penal II - 4º Semestre - Teoria da PenaFábio Peres
 
2014. 5. apelação joão
2014. 5. apelação   joão2014. 5. apelação   joão
2014. 5. apelação joãoKamila Pereira
 
FACELI - D4 - Paulo Braga - Direito Penal II - Aula 01 - Sursis
FACELI - D4 - Paulo Braga - Direito Penal II - Aula 01 - SursisFACELI - D4 - Paulo Braga - Direito Penal II - Aula 01 - Sursis
FACELI - D4 - Paulo Braga - Direito Penal II - Aula 01 - SursisJordano Santos Cerqueira
 
Estudos sobre a Extinção da punibilidade Título VIII Cod.Penal
Estudos sobre a Extinção da punibilidade Título VIII Cod.PenalEstudos sobre a Extinção da punibilidade Título VIII Cod.Penal
Estudos sobre a Extinção da punibilidade Título VIII Cod.Penal Marcos Emerick
 
Direito Penal III - UNEB - Prescrição
Direito Penal III - UNEB - PrescriçãoDireito Penal III - UNEB - Prescrição
Direito Penal III - UNEB - PrescriçãoUrbano Felix Pugliese
 
Atos de Ofício - Dos prazos
Atos de Ofício - Dos prazosAtos de Ofício - Dos prazos
Atos de Ofício - Dos prazosPreOnline
 

Mais procurados (20)

Trabalho de calculo da dosimetria da pena - Kleiton Barbosa
Trabalho  de calculo da dosimetria da pena - Kleiton BarbosaTrabalho  de calculo da dosimetria da pena - Kleiton Barbosa
Trabalho de calculo da dosimetria da pena - Kleiton Barbosa
 
Direito penal ii sursis
Direito penal ii    sursisDireito penal ii    sursis
Direito penal ii sursis
 
Direito penal ii prescrição
Direito penal ii   prescriçãoDireito penal ii   prescrição
Direito penal ii prescrição
 
Juizados especiais criminais – lei 9099
Juizados especiais criminais – lei 9099Juizados especiais criminais – lei 9099
Juizados especiais criminais – lei 9099
 
Módulo de prescrição power point
Módulo de prescrição power pointMódulo de prescrição power point
Módulo de prescrição power point
 
DPP - jurisdição e competência
DPP - jurisdição e competênciaDPP - jurisdição e competência
DPP - jurisdição e competência
 
Espécies de Pena
Espécies de PenaEspécies de Pena
Espécies de Pena
 
Direito penal ii uneb - causas extintivas de punibilidade
Direito penal ii   uneb - causas extintivas de punibilidadeDireito penal ii   uneb - causas extintivas de punibilidade
Direito penal ii uneb - causas extintivas de punibilidade
 
Direito Penal II - 4º Semestre - Teoria da Pena
Direito Penal II - 4º Semestre - Teoria da PenaDireito Penal II - 4º Semestre - Teoria da Pena
Direito Penal II - 4º Semestre - Teoria da Pena
 
Processo civil Art. 1031
Processo civil Art. 1031Processo civil Art. 1031
Processo civil Art. 1031
 
2014. 5. apelação joão
2014. 5. apelação   joão2014. 5. apelação   joão
2014. 5. apelação joão
 
DPP - Conexão continência
DPP - Conexão continênciaDPP - Conexão continência
DPP - Conexão continência
 
Sursis
SursisSursis
Sursis
 
Procedimento Lei 9.099/95
Procedimento Lei 9.099/95Procedimento Lei 9.099/95
Procedimento Lei 9.099/95
 
Direito penal iii furto
Direito penal iii   furtoDireito penal iii   furto
Direito penal iii furto
 
FACELI - D4 - Paulo Braga - Direito Penal II - Aula 01 - Sursis
FACELI - D4 - Paulo Braga - Direito Penal II - Aula 01 - SursisFACELI - D4 - Paulo Braga - Direito Penal II - Aula 01 - Sursis
FACELI - D4 - Paulo Braga - Direito Penal II - Aula 01 - Sursis
 
Estudos sobre a Extinção da punibilidade Título VIII Cod.Penal
Estudos sobre a Extinção da punibilidade Título VIII Cod.PenalEstudos sobre a Extinção da punibilidade Título VIII Cod.Penal
Estudos sobre a Extinção da punibilidade Título VIII Cod.Penal
 
Direito Penal III - UNEB - Prescrição
Direito Penal III - UNEB - PrescriçãoDireito Penal III - UNEB - Prescrição
Direito Penal III - UNEB - Prescrição
 
Resumo Lei 9099/95
Resumo Lei 9099/95Resumo Lei 9099/95
Resumo Lei 9099/95
 
Atos de Ofício - Dos prazos
Atos de Ofício - Dos prazosAtos de Ofício - Dos prazos
Atos de Ofício - Dos prazos
 

Destaque

Powerpoint
PowerpointPowerpoint
Powerpointkrusan03
 
on wikis, blogs and creative innovation
on wikis, blogs and creative innovation on wikis, blogs and creative innovation
on wikis, blogs and creative innovation vivi_and
 
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 12
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 12FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 12
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 12Jordano Santos Cerqueira
 
Multimedia in the classroom powerpoint 4
Multimedia in the classroom powerpoint 4Multimedia in the classroom powerpoint 4
Multimedia in the classroom powerpoint 4trittrot2
 
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 04 - Int...
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 04 - Int...D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 04 - Int...
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 04 - Int...Jordano Santos Cerqueira
 
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 03
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 03FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 03
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 03Jordano Santos Cerqueira
 
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada a Administração - Aula 01 ...
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada a Administração - Aula 01 ...D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada a Administração - Aula 01 ...
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada a Administração - Aula 01 ...Jordano Santos Cerqueira
 
Comissão Nacional da Verdade - Considerações e Conclusões
Comissão Nacional da Verdade - Considerações e ConclusõesComissão Nacional da Verdade - Considerações e Conclusões
Comissão Nacional da Verdade - Considerações e ConclusõesJordano Santos Cerqueira
 
Histórico Faceli e Ceamar (por Luciana Romana)
Histórico Faceli e Ceamar (por Luciana Romana)Histórico Faceli e Ceamar (por Luciana Romana)
Histórico Faceli e Ceamar (por Luciana Romana)Jordano Santos Cerqueira
 
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 01
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 01FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 01
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 01Jordano Santos Cerqueira
 
#windows8 launching Oct 2012, by Mediawave
#windows8 launching Oct 2012, by Mediawave#windows8 launching Oct 2012, by Mediawave
#windows8 launching Oct 2012, by MediawaveDwi Wahyono
 
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...Jordano Santos Cerqueira
 
Resumen cifras transporte by juan rodriguez 2013
Resumen cifras transporte by juan rodriguez 2013Resumen cifras transporte by juan rodriguez 2013
Resumen cifras transporte by juan rodriguez 2013Juan Ignacio Rodriguez
 

Destaque (20)

Sanwaad presentation
Sanwaad presentationSanwaad presentation
Sanwaad presentation
 
Powerpoint
PowerpointPowerpoint
Powerpoint
 
Liteputer 2011-en
Liteputer 2011-enLiteputer 2011-en
Liteputer 2011-en
 
Breaking news
Breaking newsBreaking news
Breaking news
 
on wikis, blogs and creative innovation
on wikis, blogs and creative innovation on wikis, blogs and creative innovation
on wikis, blogs and creative innovation
 
O PRINCÍPIO RECURSAL DA VOLUNTARIEDADE
O PRINCÍPIO RECURSAL DA VOLUNTARIEDADEO PRINCÍPIO RECURSAL DA VOLUNTARIEDADE
O PRINCÍPIO RECURSAL DA VOLUNTARIEDADE
 
SWA presentation
SWA presentationSWA presentation
SWA presentation
 
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 12
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 12FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 12
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 12
 
Multimedia in the classroom powerpoint 4
Multimedia in the classroom powerpoint 4Multimedia in the classroom powerpoint 4
Multimedia in the classroom powerpoint 4
 
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 04 - Int...
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 04 - Int...D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 04 - Int...
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 04 - Int...
 
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 03
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 03FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 03
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 03
 
Yordinmnmn
YordinmnmnYordinmnmn
Yordinmnmn
 
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada a Administração - Aula 01 ...
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada a Administração - Aula 01 ...D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada a Administração - Aula 01 ...
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada a Administração - Aula 01 ...
 
Comissão Nacional da Verdade - Considerações e Conclusões
Comissão Nacional da Verdade - Considerações e ConclusõesComissão Nacional da Verdade - Considerações e Conclusões
Comissão Nacional da Verdade - Considerações e Conclusões
 
Histórico Faceli e Ceamar (por Luciana Romana)
Histórico Faceli e Ceamar (por Luciana Romana)Histórico Faceli e Ceamar (por Luciana Romana)
Histórico Faceli e Ceamar (por Luciana Romana)
 
Novo Código de Processo Civil
Novo Código de Processo CivilNovo Código de Processo Civil
Novo Código de Processo Civil
 
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 01
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 01FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 01
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 01
 
#windows8 launching Oct 2012, by Mediawave
#windows8 launching Oct 2012, by Mediawave#windows8 launching Oct 2012, by Mediawave
#windows8 launching Oct 2012, by Mediawave
 
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...
 
Resumen cifras transporte by juan rodriguez 2013
Resumen cifras transporte by juan rodriguez 2013Resumen cifras transporte by juan rodriguez 2013
Resumen cifras transporte by juan rodriguez 2013
 

Mais de Jordano Santos Cerqueira

2022. UBER: RECONHECIMENTO DO VÍNCULO DE EMPREGO
2022. UBER: RECONHECIMENTO DO VÍNCULO DE EMPREGO2022. UBER: RECONHECIMENTO DO VÍNCULO DE EMPREGO
2022. UBER: RECONHECIMENTO DO VÍNCULO DE EMPREGOJordano Santos Cerqueira
 
Processo penal 05 recursos - rev. criminal
Processo penal 05   recursos - rev. criminalProcesso penal 05   recursos - rev. criminal
Processo penal 05 recursos - rev. criminalJordano Santos Cerqueira
 
Direito do Consumidor Elementos da Relação Jurídica de Consumo
Direito do Consumidor Elementos da Relação Jurídica de ConsumoDireito do Consumidor Elementos da Relação Jurídica de Consumo
Direito do Consumidor Elementos da Relação Jurídica de ConsumoJordano Santos Cerqueira
 

Mais de Jordano Santos Cerqueira (20)

2022. UBER: RECONHECIMENTO DO VÍNCULO DE EMPREGO
2022. UBER: RECONHECIMENTO DO VÍNCULO DE EMPREGO2022. UBER: RECONHECIMENTO DO VÍNCULO DE EMPREGO
2022. UBER: RECONHECIMENTO DO VÍNCULO DE EMPREGO
 
Projeto de Extensão 'Direito na Escola'
Projeto de Extensão 'Direito na Escola'Projeto de Extensão 'Direito na Escola'
Projeto de Extensão 'Direito na Escola'
 
Processo penal ii
Processo penal iiProcesso penal ii
Processo penal ii
 
Processo penal 05 recursos - rev. criminal
Processo penal 05   recursos - rev. criminalProcesso penal 05   recursos - rev. criminal
Processo penal 05 recursos - rev. criminal
 
Processo penal 03 procedimentos
Processo penal 03   procedimentosProcesso penal 03   procedimentos
Processo penal 03 procedimentos
 
Processo penal 01 avisos processuais
Processo penal 01   avisos processuaisProcesso penal 01   avisos processuais
Processo penal 01 avisos processuais
 
Prática Jurídica 01
Prática Jurídica 01Prática Jurídica 01
Prática Jurídica 01
 
Curso Oratória Aristotélica Parte II
Curso Oratória Aristotélica Parte IICurso Oratória Aristotélica Parte II
Curso Oratória Aristotélica Parte II
 
Curso Oratória Aristotélica Parte I
Curso Oratória Aristotélica Parte ICurso Oratória Aristotélica Parte I
Curso Oratória Aristotélica Parte I
 
Direito Ambiental aula 2
Direito Ambiental aula 2Direito Ambiental aula 2
Direito Ambiental aula 2
 
Direito Ambiental aula 3
Direito Ambiental aula 3Direito Ambiental aula 3
Direito Ambiental aula 3
 
Direito Ambiental aula 1
Direito Ambiental aula 1Direito Ambiental aula 1
Direito Ambiental aula 1
 
Direito do Consumidor Elementos da Relação Jurídica de Consumo
Direito do Consumidor Elementos da Relação Jurídica de ConsumoDireito do Consumidor Elementos da Relação Jurídica de Consumo
Direito do Consumidor Elementos da Relação Jurídica de Consumo
 
Direito do Consumidor introdução
Direito do Consumidor introduçãoDireito do Consumidor introdução
Direito do Consumidor introdução
 
Função Social da Propriedade
Função Social da PropriedadeFunção Social da Propriedade
Função Social da Propriedade
 
Direito do Consumidor Direitos Básicos
Direito do Consumidor Direitos BásicosDireito do Consumidor Direitos Básicos
Direito do Consumidor Direitos Básicos
 
Precedentes
PrecedentesPrecedentes
Precedentes
 
Internet
InternetInternet
Internet
 
Exercicio recurso extraordinario
Exercicio recurso extraordinarioExercicio recurso extraordinario
Exercicio recurso extraordinario
 
Agravo interno
Agravo internoAgravo interno
Agravo interno
 

Último

atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSdjgsantos1981
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceRonisHolanda
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 

Último (20)

atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 

FACELI - D4 - Paulo Braga - Direito Penal II - Aula 02 - Efeitos da Condenação

  • 2. EFEITOS DA CONDENAÇÃO • PRINCIPAL – PENA • SECUNDÁRIOS - PENAIS: impedir ou revogar sursis, livramento condicional, reabilitação, nome no rol dos culpados, propiciar reincidência, etc. - EXTRAPENAIS: arts. 91 e 92, CP.
  • 3. EXTRAPENAIS GENÉRICOS • Art. 91 - São efeitos da condenação: • I - tornar certa a obrigação de indenizar o dano causado pelo crime; • II a) - a perda em favor da União, ressalvado o direito do lesado ou de terceiro de boa-fé: a) dos instrumentos do crime, desde que consistam em coisas cujo fabrico, alienação, uso, porte ou detenção constitua fato ilícito; • b) do produto do crime ou de qualquer bem ou valor que constitua proveito auferido pelo agente com a prática do fato criminoso.
  • 4. EXTRAPENAIS GENÉRICOS • Art. 91 • § 1º Poderá ser decretada a perda de bens ou valores equivalentes ao produto ou proveito do crime quando estes não forem encontrados ou quando se localizarem no exterior. • § 2º Na hipótese do § 1º, as medidas assecuratórias previstas na legislação processual poderão abranger bens ou valores equivalentes do investigado ou acusado para posterior decretação de perda.
  • 5. EXTRAPENAIS ESPECÍFICOS • Art. 92 - São também efeitos da condenação: • I - a perda de cargo, função pública ou mandato eletivo: a) quando aplicada pena privativa de liberdade por tempo igual ou superior a um ano, nos crimes praticados com abuso de poder ou violação de dever para com a Administração Pública; b) quando for aplicada pena privativa de liberdade por tempo superior a 4 (quatro) anos nos demais casos. • II - a incapacidade para o exercício do pátrio poder, tutela ou curatela, nos crimes dolosos, sujeitos à pena de reclusão, cometidos contra filho, tutelado ou curatelado; • III - a inabilitação para dirigir veículo, quando utilizado como meio para a prática de crime doloso.

Notas do Editor

  1. O que nos interessa. Efeitos extrapenais, genéricos e específicos da condenação
  2. Primeiro efeito – principal IMPOSIÇÃO DE PENA MAS TEM MAIS EFEITOS EXTRA PODE SER DENTRO E FORA DO DIREITO PENAL Revogação da suspensão condicional da pena SURSIS (Hipoteses de revogação obrigatória) Sujeito é condenado novamente, se já tive sido concedido será revogado, se não tiver sido concedido não será concedido mais Gera reincidência. Condenação gera efeitos pra fora do direito penal, EXTRAPENAL
  3. SÂO EFEITOS AUTOMÁTICOS I – ressarcimento do dano causado, a sentença penal gera título executivo judicial > Entra com ação de execução. No juízo civil tem a 1. fase de liquidação, apura o valor se não sendo certo II – Confisco, da arma. II b – terceiro de boa-fé não pode, tipo emprestar carro pra irmão que comete crime, você não perde o bem. Ex. 2: armas ilícitas em posse de alguém que não tem direito de ter posse, mas estas armas com registro colecionador deve ser devolvida ao legítimo dono.
  4. 1, O Estado por pegar outros bens com valor equivalente para substituir os bens que seriam perdidos 2, (arresto, sequestro, hipoteca equatorial???) uso das medidas assecuratórias (tipo cautelar) do bem, para não ter desfazimento e venda dos bens. Depois faz perdimento em favor da União (fraude de licitação e administração pública)
  5. O juiz tem que se manifestar – NÃO SÃO AUTOMATICOS Somente alguns crimes: crimes de colarinho branco [e responde solto], A PERDA É PERMANENTE