SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Baixar para ler offline
LINGUAGEM JURÍDICA
PROFª MSc. ZILDA M. FANTIN
UNIDADE I
REFLEXÕES SOBRE A
LÍNGUA E A LINGUAGEM
1.1 LÍNGUA, LINGUAGEM E FALA
Na origem de toda atividade
comunicativa do ser humano está
a linguagem, que é a capacidade
de se comunicar por meio de uma
língua.
Em sentido amplo, Linguagem é a
competência humana para a produção
de sentidos por meio dos mais diversos
códigos: cores, sons, imagens, gestos,
expressões faciais, desenhos, letras,
palavras etc. e é atividade humana,
histórica e social constituída pelos
recursos expressivos da língua de uma
comunidade; pelo sistema cultural de
representação da realidade e pelos
meios linguísticos que permitem situar
essas expressões no contexto real em
que são produzidas. Em sentido
restrito, é a linguagem verbal.
As diversas linguagens que o ser
humano utiliza para comunicar-se
podem ser divididas em dois grupos:
linguagem verbal – aquela que utiliza
palavras (a língua escrita ou falada) e
linguagem não-verbal – aquela que
utiliza outros signos (desenhos, gestos
etc.). As características inerentes à
linguagem verbal são o dialogismo: a
linguagem sempre se dirige a alguém e
a argumentatividade: por meio da
linguagem, o enunciador tenta sempre
persuadir o outro.
O homem utiliza a linguagem para
comunicar-se. Ela, além de propiciar o
progresso (já que o ser humano, por
meio da linguagem, pode codificar e
armazenar suas experiências e
descobertas para transmiti-las a outras
gerações), é um fator de coesão social.
A finalidade da linguagem não é
somente possibilitar ao homem sua
relação e interação com o mundo que o
cerca, ou com os seus semelhantes,
mas criar sua própria história.
Pela posse da linguagem, segundo
Azeredo (2001, p. 16), o homem liberta-
se das circunstâncias imediatas:
 pode, com o auxílio da memória ou da
imaginação, nomear seres não-
presentes na situação de fala;
 pode reportar-se a experiências
passadas, pode projetar experiências
futuras, criar seres que compõem
cenários imaginários.
Isso é possível graças à capacidade
humana de criar símbolos e servir-se
deles na comunicação. A linguagem
possibilita ao homem a capacidade
de acumular e transmitir
conhecimento a partir de
experiências estruturadas e
adquiridas no mundo.
Língua é um sistema de signos
convencionais usados pelos
membros de uma mesma
comunidade. Em outras palavras:
um grupo social convenciona e
utiliza um conjunto organizado de
elementos representativos.
Individualmente, cada pessoa pode
utilizar a língua de seu grupo social de
uma maneira particular, personalizada,
desenvolvendo assim a fala. Por mais
original e criativa que seja, no entanto,
a fala deve estar contida no conjunto
mais amplo que é a língua.
Fala é o uso individual da língua,
aberto à criatividade e ao
desenvolvimento da liberdade de
compreensão e expressão.
A fala é a realização concreta de
uma língua, feita por um
indivíduo de uma comunidade
num determinado ato de
comunicação.” Portanto a fala é
individual e a língua é coletiva.
Objetivo da Língua Materna:
desenvolver a competência
comunicativa que compreende:
 Competência linguística ou
gramatical: gerar sequências
linguísticas (frases) gramaticalmente
aceitáveis.
 Competência textual: produzir,
compreender, transformar, avaliar e
classificar os mais diversos gêneros
de texto.
1.2 O SIGNO LINGUÍSTICO
Uma língua, portanto, pode ser
conceituada como um código, um
conjunto de signos (linguísticos)
convencionais e arbitrários
(significantes + significados) que,
atendendo a leis combinatórias
específicas, se une em frases e textos –
orais e escritos – para atender às
necessidades comunicativas dos
membros de uma mesma comunidade.
Código é um conjunto de sinais
convencionados socialmente para a
transmissão de mensagens. Código
é um sistema de signos.
O signo linguístico é formado por
dois elementos: o material, concreto
(significante) e o conceptual,
abstrato (significado).
Natureza do Signo:
Significado  conceito.
Significante  imagem acústica
(representação natural da palavra
enquanto fato da língua virtual, fora de
toda realização pela fala).
Princípio do Signo:
Linearidade  desenvolve-se no
tempo.
Arbitrariedade  o laço que une o
significante ao significado é arbitrário,
convencional.
Atividades
I, II
“Jus non succurrit
dormientibus”
(O direito não acode aos que
dormem).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Linguagem, língua e fala
Linguagem, língua e falaLinguagem, língua e fala
Linguagem, língua e falaSeduc/AM
 
TCC AS CONCEPÇÕES DE LÍNGUAGEM: Diagnóstico para proposta de intervenção no c...
TCC AS CONCEPÇÕES DE LÍNGUAGEM: Diagnóstico para proposta de intervenção no c...TCC AS CONCEPÇÕES DE LÍNGUAGEM: Diagnóstico para proposta de intervenção no c...
TCC AS CONCEPÇÕES DE LÍNGUAGEM: Diagnóstico para proposta de intervenção no c...Joyce Nascimento
 
Língua(s), linguagens e comunicação
Língua(s), linguagens e comunicaçãoLíngua(s), linguagens e comunicação
Língua(s), linguagens e comunicaçãoArnaldoSobrinho
 
Linguagem e Comunicação
Linguagem e ComunicaçãoLinguagem e Comunicação
Linguagem e Comunicação7 de Setembro
 
Cultura linguagem e língua
Cultura linguagem e línguaCultura linguagem e língua
Cultura linguagem e línguaKaren Olivan
 
Interpretação de texto
Interpretação de textoInterpretação de texto
Interpretação de textoCicero Luciano
 
A Linguagem a Cultura e a Comunicação de Vigostki a Silverstone - LP I
A Linguagem a Cultura e a Comunicação de Vigostki a Silverstone - LP IA Linguagem a Cultura e a Comunicação de Vigostki a Silverstone - LP I
A Linguagem a Cultura e a Comunicação de Vigostki a Silverstone - LP IJulia Travaglini
 
Língua e linguagem, código linguístico, funções da linguagem
Língua e linguagem, código linguístico, funções da linguagemLíngua e linguagem, código linguístico, funções da linguagem
Língua e linguagem, código linguístico, funções da linguagemÉric Santos
 
Aula de imersão linguagem, língua e fala
Aula  de  imersão  linguagem, língua e falaAula  de  imersão  linguagem, língua e fala
Aula de imersão linguagem, língua e falaRenato Oliveira
 
Aula 24 abril concepção de língua e linguagem, signo e fala
Aula 24 abril concepção de língua e linguagem, signo e falaAula 24 abril concepção de língua e linguagem, signo e fala
Aula 24 abril concepção de língua e linguagem, signo e falaStela Cabral de Andrade
 
Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas.
Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas. Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas.
Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas. Ailton Moreira
 
Ppt plano de aula a linguagem humana
Ppt plano de aula a linguagem humanaPpt plano de aula a linguagem humana
Ppt plano de aula a linguagem humanaMarcia Dias
 

Mais procurados (20)

Linguagem, língua e fala
Linguagem, língua e falaLinguagem, língua e fala
Linguagem, língua e fala
 
TCC AS CONCEPÇÕES DE LÍNGUAGEM: Diagnóstico para proposta de intervenção no c...
TCC AS CONCEPÇÕES DE LÍNGUAGEM: Diagnóstico para proposta de intervenção no c...TCC AS CONCEPÇÕES DE LÍNGUAGEM: Diagnóstico para proposta de intervenção no c...
TCC AS CONCEPÇÕES DE LÍNGUAGEM: Diagnóstico para proposta de intervenção no c...
 
Língua(s), linguagens e comunicação
Língua(s), linguagens e comunicaçãoLíngua(s), linguagens e comunicação
Língua(s), linguagens e comunicação
 
Lingua e fala
Lingua e falaLingua e fala
Lingua e fala
 
Língua e linguagem 1
Língua e linguagem 1Língua e linguagem 1
Língua e linguagem 1
 
AULA 1 - LINGUAGEM
AULA 1 - LINGUAGEMAULA 1 - LINGUAGEM
AULA 1 - LINGUAGEM
 
Linguagem e Comunicação
Linguagem e ComunicaçãoLinguagem e Comunicação
Linguagem e Comunicação
 
LÍNGUA & LINGUAGEM
LÍNGUA & LINGUAGEMLÍNGUA & LINGUAGEM
LÍNGUA & LINGUAGEM
 
Cultura linguagem e língua
Cultura linguagem e línguaCultura linguagem e língua
Cultura linguagem e língua
 
Linguagem
LinguagemLinguagem
Linguagem
 
Interpretação de texto
Interpretação de textoInterpretação de texto
Interpretação de texto
 
Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2
 
A Linguagem a Cultura e a Comunicação de Vigostki a Silverstone - LP I
A Linguagem a Cultura e a Comunicação de Vigostki a Silverstone - LP IA Linguagem a Cultura e a Comunicação de Vigostki a Silverstone - LP I
A Linguagem a Cultura e a Comunicação de Vigostki a Silverstone - LP I
 
Língua e linguagem, código linguístico, funções da linguagem
Língua e linguagem, código linguístico, funções da linguagemLíngua e linguagem, código linguístico, funções da linguagem
Língua e linguagem, código linguístico, funções da linguagem
 
Aula de imersão linguagem, língua e fala
Aula  de  imersão  linguagem, língua e falaAula  de  imersão  linguagem, língua e fala
Aula de imersão linguagem, língua e fala
 
Língua e fala
Língua e falaLíngua e fala
Língua e fala
 
Aula 24 abril concepção de língua e linguagem, signo e fala
Aula 24 abril concepção de língua e linguagem, signo e falaAula 24 abril concepção de língua e linguagem, signo e fala
Aula 24 abril concepção de língua e linguagem, signo e fala
 
Linguagem conceito
Linguagem   conceitoLinguagem   conceito
Linguagem conceito
 
Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas.
Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas. Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas.
Concepções de linguagem e sua implicação para o ensino de línguas.
 
Ppt plano de aula a linguagem humana
Ppt plano de aula a linguagem humanaPpt plano de aula a linguagem humana
Ppt plano de aula a linguagem humana
 

Destaque

Contenido unidad 5 estrategia y ventaja competitiva by jirodriguez
Contenido unidad 5 estrategia y ventaja competitiva by jirodriguezContenido unidad 5 estrategia y ventaja competitiva by jirodriguez
Contenido unidad 5 estrategia y ventaja competitiva by jirodriguezJuan Ignacio Rodriguez
 
Comment optimiser et booster son recrutement ?
Comment optimiser et booster son recrutement ?Comment optimiser et booster son recrutement ?
Comment optimiser et booster son recrutement ?STATIM RH
 
O FENÔMENO DOS REFUGIADOS HAITIANOS NO MUNICÍPIO DE LINHARES, ESPÍRITO SANTO,...
O FENÔMENO DOS REFUGIADOS HAITIANOS NO MUNICÍPIO DE LINHARES, ESPÍRITO SANTO,...O FENÔMENO DOS REFUGIADOS HAITIANOS NO MUNICÍPIO DE LINHARES, ESPÍRITO SANTO,...
O FENÔMENO DOS REFUGIADOS HAITIANOS NO MUNICÍPIO DE LINHARES, ESPÍRITO SANTO,...Jordano Santos Cerqueira
 
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 03 - Sis...
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 03 - Sis...D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 03 - Sis...
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 03 - Sis...Jordano Santos Cerqueira
 
Função Normativa e Agências Reguladoras: Uma Contribuição da Teoria dos Siste...
Função Normativa e Agências Reguladoras: Uma Contribuição da Teoria dos Siste...Função Normativa e Agências Reguladoras: Uma Contribuição da Teoria dos Siste...
Função Normativa e Agências Reguladoras: Uma Contribuição da Teoria dos Siste...Jordano Santos Cerqueira
 
Direito 1º Período - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito...
Direito 1º Período - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito...Direito 1º Período - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito...
Direito 1º Período - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito...Jordano Santos Cerqueira
 
http://Accountants.InColumbusRegion.com
http://Accountants.InColumbusRegion.comhttp://Accountants.InColumbusRegion.com
http://Accountants.InColumbusRegion.comSteve Peck
 
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...Jordano Santos Cerqueira
 
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 02 - Noções
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 02 - NoçõesD1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 02 - Noções
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 02 - NoçõesJordano Santos Cerqueira
 
Powerpoint
PowerpointPowerpoint
Powerpointkrusan03
 
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...Jordano Santos Cerqueira
 
Histórico Faceli e Ceamar (por Luciana Romana)
Histórico Faceli e Ceamar (por Luciana Romana)Histórico Faceli e Ceamar (por Luciana Romana)
Histórico Faceli e Ceamar (por Luciana Romana)Jordano Santos Cerqueira
 
on wikis, blogs and creative innovation
on wikis, blogs and creative innovation on wikis, blogs and creative innovation
on wikis, blogs and creative innovation vivi_and
 
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...Jordano Santos Cerqueira
 

Destaque (20)

Sanwaad presentation
Sanwaad presentationSanwaad presentation
Sanwaad presentation
 
Contenido unidad 5 estrategia y ventaja competitiva by jirodriguez
Contenido unidad 5 estrategia y ventaja competitiva by jirodriguezContenido unidad 5 estrategia y ventaja competitiva by jirodriguez
Contenido unidad 5 estrategia y ventaja competitiva by jirodriguez
 
Comment optimiser et booster son recrutement ?
Comment optimiser et booster son recrutement ?Comment optimiser et booster son recrutement ?
Comment optimiser et booster son recrutement ?
 
O FENÔMENO DOS REFUGIADOS HAITIANOS NO MUNICÍPIO DE LINHARES, ESPÍRITO SANTO,...
O FENÔMENO DOS REFUGIADOS HAITIANOS NO MUNICÍPIO DE LINHARES, ESPÍRITO SANTO,...O FENÔMENO DOS REFUGIADOS HAITIANOS NO MUNICÍPIO DE LINHARES, ESPÍRITO SANTO,...
O FENÔMENO DOS REFUGIADOS HAITIANOS NO MUNICÍPIO DE LINHARES, ESPÍRITO SANTO,...
 
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 03 - Sis...
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 03 - Sis...D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 03 - Sis...
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 03 - Sis...
 
Função Normativa e Agências Reguladoras: Uma Contribuição da Teoria dos Siste...
Função Normativa e Agências Reguladoras: Uma Contribuição da Teoria dos Siste...Função Normativa e Agências Reguladoras: Uma Contribuição da Teoria dos Siste...
Função Normativa e Agências Reguladoras: Uma Contribuição da Teoria dos Siste...
 
Direito 1º Período - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito...
Direito 1º Período - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito...Direito 1º Período - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito...
Direito 1º Período - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito...
 
http://Accountants.InColumbusRegion.com
http://Accountants.InColumbusRegion.comhttp://Accountants.InColumbusRegion.com
http://Accountants.InColumbusRegion.com
 
Periodico
PeriodicoPeriodico
Periodico
 
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...
 
SWA presentation
SWA presentationSWA presentation
SWA presentation
 
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 02 - Noções
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 02 - NoçõesD1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 02 - Noções
D1 - Marcos Rodrigues Saúde - Informática Aplicada ao Direito - Aula 02 - Noções
 
Auto xparts
Auto xpartsAuto xparts
Auto xparts
 
Tarea Fotosnovelas 3
Tarea Fotosnovelas 3Tarea Fotosnovelas 3
Tarea Fotosnovelas 3
 
Powerpoint
PowerpointPowerpoint
Powerpoint
 
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...
 
Histórico Faceli e Ceamar (por Luciana Romana)
Histórico Faceli e Ceamar (por Luciana Romana)Histórico Faceli e Ceamar (por Luciana Romana)
Histórico Faceli e Ceamar (por Luciana Romana)
 
Breaking news
Breaking newsBreaking news
Breaking news
 
on wikis, blogs and creative innovation
on wikis, blogs and creative innovation on wikis, blogs and creative innovation
on wikis, blogs and creative innovation
 
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...
FACELI - D1 - Helga Catarina Pereira de Magalhães Faria - Teoria Geral do Dir...
 

Semelhante a Língua Jurídica

Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?Turma Olímpica
 
Concepções de linguagem
Concepções de linguagemConcepções de linguagem
Concepções de linguagemKelly Moraes
 
Orientações Curricular de Mato Grosso- Área de Linguagens
Orientações Curricular de Mato Grosso- Área de LinguagensOrientações Curricular de Mato Grosso- Área de Linguagens
Orientações Curricular de Mato Grosso- Área de LinguagensIRACI SARTORI
 
Didatica da Lingua Portuguesa. Linguagem e língua
Didatica da Lingua Portuguesa. Linguagem e línguaDidatica da Lingua Portuguesa. Linguagem e língua
Didatica da Lingua Portuguesa. Linguagem e línguaVelasco Carneiro Francisco
 
Parte 2 linguística geral saussure - apresentação
Parte 2   linguística geral saussure - apresentaçãoParte 2   linguística geral saussure - apresentação
Parte 2 linguística geral saussure - apresentaçãoMariana Correia
 
Linguagens codigos e tecnologias
Linguagens codigos e tecnologiasLinguagens codigos e tecnologias
Linguagens codigos e tecnologiasCristina Carvalho
 
Estudos da linguagem
Estudos da linguagemEstudos da linguagem
Estudos da linguagemDllubia
 
Adequação e inadequação linguística
Adequação e inadequação linguísticaAdequação e inadequação linguística
Adequação e inadequação linguísticaKaren Olivan
 
Texto 7 linguagem lngua e fala
Texto 7   linguagem lngua e falaTexto 7   linguagem lngua e fala
Texto 7 linguagem lngua e falaFlávio Ferreira
 
DA FALA PARA A ESCRITA: A EXPRESSIVIDADE DOS USUÁRIOS DO INTERNETÊS NA ESFER...
DA FALA PARA A ESCRITA:  A EXPRESSIVIDADE DOS USUÁRIOS DO INTERNETÊS NA ESFER...DA FALA PARA A ESCRITA:  A EXPRESSIVIDADE DOS USUÁRIOS DO INTERNETÊS NA ESFER...
DA FALA PARA A ESCRITA: A EXPRESSIVIDADE DOS USUÁRIOS DO INTERNETÊS NA ESFER...christianceapcursos
 
APOSTILA-LINGUA-BRASILEIRA-DE-SINAIS-LIBRAS-8.pdf
APOSTILA-LINGUA-BRASILEIRA-DE-SINAIS-LIBRAS-8.pdfAPOSTILA-LINGUA-BRASILEIRA-DE-SINAIS-LIBRAS-8.pdf
APOSTILA-LINGUA-BRASILEIRA-DE-SINAIS-LIBRAS-8.pdfAdrianaFontoura10
 
Disciplina comunicação aplicada 2a aula- 28/02/2011
Disciplina comunicação aplicada   2a aula- 28/02/2011Disciplina comunicação aplicada   2a aula- 28/02/2011
Disciplina comunicação aplicada 2a aula- 28/02/2011Unip e Uniplan
 

Semelhante a Língua Jurídica (20)

Linguagem E Sociedade
Linguagem E SociedadeLinguagem E Sociedade
Linguagem E Sociedade
 
Capitulo 1
Capitulo 1Capitulo 1
Capitulo 1
 
Linguagem
LinguagemLinguagem
Linguagem
 
Linguagem_lingua
Linguagem_linguaLinguagem_lingua
Linguagem_lingua
 
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
 
Domínio da linguagem
Domínio da linguagemDomínio da linguagem
Domínio da linguagem
 
Concepções de linguagem
Concepções de linguagemConcepções de linguagem
Concepções de linguagem
 
Orientações Curricular de Mato Grosso- Área de Linguagens
Orientações Curricular de Mato Grosso- Área de LinguagensOrientações Curricular de Mato Grosso- Área de Linguagens
Orientações Curricular de Mato Grosso- Área de Linguagens
 
Didatica da Lingua Portuguesa. Linguagem e língua
Didatica da Lingua Portuguesa. Linguagem e línguaDidatica da Lingua Portuguesa. Linguagem e língua
Didatica da Lingua Portuguesa. Linguagem e língua
 
Parte 2 linguística geral saussure - apresentação
Parte 2   linguística geral saussure - apresentaçãoParte 2   linguística geral saussure - apresentação
Parte 2 linguística geral saussure - apresentação
 
Claudia pre alfa
Claudia pre alfaClaudia pre alfa
Claudia pre alfa
 
Linguagens codigos e tecnologias
Linguagens codigos e tecnologiasLinguagens codigos e tecnologias
Linguagens codigos e tecnologias
 
Pcn em
Pcn emPcn em
Pcn em
 
Estudos da linguagem
Estudos da linguagemEstudos da linguagem
Estudos da linguagem
 
Adequação e inadequação linguística
Adequação e inadequação linguísticaAdequação e inadequação linguística
Adequação e inadequação linguística
 
Texto 7 linguagem lngua e fala
Texto 7   linguagem lngua e falaTexto 7   linguagem lngua e fala
Texto 7 linguagem lngua e fala
 
DA FALA PARA A ESCRITA: A EXPRESSIVIDADE DOS USUÁRIOS DO INTERNETÊS NA ESFER...
DA FALA PARA A ESCRITA:  A EXPRESSIVIDADE DOS USUÁRIOS DO INTERNETÊS NA ESFER...DA FALA PARA A ESCRITA:  A EXPRESSIVIDADE DOS USUÁRIOS DO INTERNETÊS NA ESFER...
DA FALA PARA A ESCRITA: A EXPRESSIVIDADE DOS USUÁRIOS DO INTERNETÊS NA ESFER...
 
APOSTILA-LINGUA-BRASILEIRA-DE-SINAIS-LIBRAS-8.pdf
APOSTILA-LINGUA-BRASILEIRA-DE-SINAIS-LIBRAS-8.pdfAPOSTILA-LINGUA-BRASILEIRA-DE-SINAIS-LIBRAS-8.pdf
APOSTILA-LINGUA-BRASILEIRA-DE-SINAIS-LIBRAS-8.pdf
 
Disciplina comunicação aplicada 2a aula- 28/02/2011
Disciplina comunicação aplicada   2a aula- 28/02/2011Disciplina comunicação aplicada   2a aula- 28/02/2011
Disciplina comunicação aplicada 2a aula- 28/02/2011
 
Comunicação e redação organizacional-parte 1
Comunicação e redação organizacional-parte 1Comunicação e redação organizacional-parte 1
Comunicação e redação organizacional-parte 1
 

Mais de Jordano Santos Cerqueira

2022. UBER: RECONHECIMENTO DO VÍNCULO DE EMPREGO
2022. UBER: RECONHECIMENTO DO VÍNCULO DE EMPREGO2022. UBER: RECONHECIMENTO DO VÍNCULO DE EMPREGO
2022. UBER: RECONHECIMENTO DO VÍNCULO DE EMPREGOJordano Santos Cerqueira
 
Processo penal 05 recursos - rev. criminal
Processo penal 05   recursos - rev. criminalProcesso penal 05   recursos - rev. criminal
Processo penal 05 recursos - rev. criminalJordano Santos Cerqueira
 
Direito do Consumidor Elementos da Relação Jurídica de Consumo
Direito do Consumidor Elementos da Relação Jurídica de ConsumoDireito do Consumidor Elementos da Relação Jurídica de Consumo
Direito do Consumidor Elementos da Relação Jurídica de ConsumoJordano Santos Cerqueira
 

Mais de Jordano Santos Cerqueira (20)

2022. UBER: RECONHECIMENTO DO VÍNCULO DE EMPREGO
2022. UBER: RECONHECIMENTO DO VÍNCULO DE EMPREGO2022. UBER: RECONHECIMENTO DO VÍNCULO DE EMPREGO
2022. UBER: RECONHECIMENTO DO VÍNCULO DE EMPREGO
 
Projeto de Extensão 'Direito na Escola'
Projeto de Extensão 'Direito na Escola'Projeto de Extensão 'Direito na Escola'
Projeto de Extensão 'Direito na Escola'
 
Processo penal ii
Processo penal iiProcesso penal ii
Processo penal ii
 
Processo penal 05 recursos - rev. criminal
Processo penal 05   recursos - rev. criminalProcesso penal 05   recursos - rev. criminal
Processo penal 05 recursos - rev. criminal
 
Processo penal 03 procedimentos
Processo penal 03   procedimentosProcesso penal 03   procedimentos
Processo penal 03 procedimentos
 
Processo penal 01 avisos processuais
Processo penal 01   avisos processuaisProcesso penal 01   avisos processuais
Processo penal 01 avisos processuais
 
Prática Jurídica 01
Prática Jurídica 01Prática Jurídica 01
Prática Jurídica 01
 
Curso Oratória Aristotélica Parte II
Curso Oratória Aristotélica Parte IICurso Oratória Aristotélica Parte II
Curso Oratória Aristotélica Parte II
 
Curso Oratória Aristotélica Parte I
Curso Oratória Aristotélica Parte ICurso Oratória Aristotélica Parte I
Curso Oratória Aristotélica Parte I
 
Direito Ambiental aula 2
Direito Ambiental aula 2Direito Ambiental aula 2
Direito Ambiental aula 2
 
Direito Ambiental aula 3
Direito Ambiental aula 3Direito Ambiental aula 3
Direito Ambiental aula 3
 
Direito Ambiental aula 1
Direito Ambiental aula 1Direito Ambiental aula 1
Direito Ambiental aula 1
 
Direito do Consumidor Elementos da Relação Jurídica de Consumo
Direito do Consumidor Elementos da Relação Jurídica de ConsumoDireito do Consumidor Elementos da Relação Jurídica de Consumo
Direito do Consumidor Elementos da Relação Jurídica de Consumo
 
Direito do Consumidor introdução
Direito do Consumidor introduçãoDireito do Consumidor introdução
Direito do Consumidor introdução
 
Função Social da Propriedade
Função Social da PropriedadeFunção Social da Propriedade
Função Social da Propriedade
 
Direito do Consumidor Direitos Básicos
Direito do Consumidor Direitos BásicosDireito do Consumidor Direitos Básicos
Direito do Consumidor Direitos Básicos
 
Precedentes
PrecedentesPrecedentes
Precedentes
 
Internet
InternetInternet
Internet
 
Exercicio recurso extraordinario
Exercicio recurso extraordinarioExercicio recurso extraordinario
Exercicio recurso extraordinario
 
Agravo interno
Agravo internoAgravo interno
Agravo interno
 

Último

Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimWashingtonSampaio5
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 

Último (20)

Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 

Língua Jurídica

  • 2. UNIDADE I REFLEXÕES SOBRE A LÍNGUA E A LINGUAGEM
  • 3. 1.1 LÍNGUA, LINGUAGEM E FALA Na origem de toda atividade comunicativa do ser humano está a linguagem, que é a capacidade de se comunicar por meio de uma língua.
  • 4. Em sentido amplo, Linguagem é a competência humana para a produção de sentidos por meio dos mais diversos códigos: cores, sons, imagens, gestos, expressões faciais, desenhos, letras, palavras etc. e é atividade humana, histórica e social constituída pelos recursos expressivos da língua de uma comunidade; pelo sistema cultural de representação da realidade e pelos meios linguísticos que permitem situar essas expressões no contexto real em que são produzidas. Em sentido restrito, é a linguagem verbal.
  • 5. As diversas linguagens que o ser humano utiliza para comunicar-se podem ser divididas em dois grupos: linguagem verbal – aquela que utiliza palavras (a língua escrita ou falada) e linguagem não-verbal – aquela que utiliza outros signos (desenhos, gestos etc.). As características inerentes à linguagem verbal são o dialogismo: a linguagem sempre se dirige a alguém e a argumentatividade: por meio da linguagem, o enunciador tenta sempre persuadir o outro.
  • 6. O homem utiliza a linguagem para comunicar-se. Ela, além de propiciar o progresso (já que o ser humano, por meio da linguagem, pode codificar e armazenar suas experiências e descobertas para transmiti-las a outras gerações), é um fator de coesão social. A finalidade da linguagem não é somente possibilitar ao homem sua relação e interação com o mundo que o cerca, ou com os seus semelhantes, mas criar sua própria história.
  • 7. Pela posse da linguagem, segundo Azeredo (2001, p. 16), o homem liberta- se das circunstâncias imediatas:  pode, com o auxílio da memória ou da imaginação, nomear seres não- presentes na situação de fala;  pode reportar-se a experiências passadas, pode projetar experiências futuras, criar seres que compõem cenários imaginários.
  • 8. Isso é possível graças à capacidade humana de criar símbolos e servir-se deles na comunicação. A linguagem possibilita ao homem a capacidade de acumular e transmitir conhecimento a partir de experiências estruturadas e adquiridas no mundo.
  • 9. Língua é um sistema de signos convencionais usados pelos membros de uma mesma comunidade. Em outras palavras: um grupo social convenciona e utiliza um conjunto organizado de elementos representativos.
  • 10. Individualmente, cada pessoa pode utilizar a língua de seu grupo social de uma maneira particular, personalizada, desenvolvendo assim a fala. Por mais original e criativa que seja, no entanto, a fala deve estar contida no conjunto mais amplo que é a língua.
  • 11. Fala é o uso individual da língua, aberto à criatividade e ao desenvolvimento da liberdade de compreensão e expressão.
  • 12. A fala é a realização concreta de uma língua, feita por um indivíduo de uma comunidade num determinado ato de comunicação.” Portanto a fala é individual e a língua é coletiva.
  • 13. Objetivo da Língua Materna: desenvolver a competência comunicativa que compreende:  Competência linguística ou gramatical: gerar sequências linguísticas (frases) gramaticalmente aceitáveis.  Competência textual: produzir, compreender, transformar, avaliar e classificar os mais diversos gêneros de texto.
  • 14. 1.2 O SIGNO LINGUÍSTICO Uma língua, portanto, pode ser conceituada como um código, um conjunto de signos (linguísticos) convencionais e arbitrários (significantes + significados) que, atendendo a leis combinatórias específicas, se une em frases e textos – orais e escritos – para atender às necessidades comunicativas dos membros de uma mesma comunidade.
  • 15. Código é um conjunto de sinais convencionados socialmente para a transmissão de mensagens. Código é um sistema de signos. O signo linguístico é formado por dois elementos: o material, concreto (significante) e o conceptual, abstrato (significado).
  • 16. Natureza do Signo: Significado  conceito. Significante  imagem acústica (representação natural da palavra enquanto fato da língua virtual, fora de toda realização pela fala). Princípio do Signo: Linearidade  desenvolve-se no tempo. Arbitrariedade  o laço que une o significante ao significado é arbitrário, convencional.
  • 18. “Jus non succurrit dormientibus” (O direito não acode aos que dormem).