SlideShare uma empresa Scribd logo
Sistemas de Informação Geográfica (SIG)
na identificação de padrões e modelos de distribuição de
fenômenos
Disciplina Desenvolvimento urbano e plano diretor: padrões emergentes
Profa. Daniela Dietz Viana
Tramandaí - 26/10/2021
Ricardo S. Dagnino
Professor do Departamento Interdisciplinar
Campus Litoral Norte - UFRGS
Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Programa de Pós-Graduação em Dinâmicas Regionais e Desenvolvimento - PGDREDES
1
Definição
• Sistema de Informação
Geográfica (SIG) é um
conjunto de hardware,
software, métodos, dados e
usuários integrados, que
possibilita a coleta,
manuseio, armazenamento,
processamento, análise e
apresentação de
informações geográficas
(D’ANTONA et al., 2010).
As seis partes de um SIG
Fonte: Longley et al. (2013, p. 25) 2
“A Geografia serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra.”
A geografia, enquanto descrição
metodológica dos espaços, deve ser pensada
no quadro das funções estratégicas,
sobretudo estatais, para o controle e a
organização da população que povoa seu
território e para a guerra.
O mapa é a forma de representação
geográfica por excelência, muito mais eficaz
que uma série de estatísticas ou um conjunto
de escritos. É sobre o mapa que devem ser
colocadas todas as informações necessárias
para a elaboração de táticas e de estratégias.
O mapa é uma formalização do espaço, que
não é nem gratuita, nem desinteressada:
ferramenta indispensável para a dominação
do espaço.
A produção de um mapa, desde o
momento de aquisição dos dados,
permite a conversão de um concreto
mal conhecido em uma
representação abstrata, eficaz e
confiável.
A confecção de um mapa implica
num certo domínio político e
matemático do espaço
representado, e é um instrumento
de poder sobre esse espaço e sobre
as pessoas que ali vivem.
Trechos adaptados do Capítulo “Uma disciplina simplória e enfadonha” de Yves Lacoste (1988) - http://goo.gl/tF2MP 3
4
(TOBLER, 1970)
(1970)
Gráfico elaborado por Ibiporã
Possanti (2020)
Sistema de Informação Geográfica
Fonte: D’ANTONA et al. (2010)
DADOS ESPACIAIS:
Elementos vetoriais (estradas, rios, por
exemplo), imagens de sensoriamento remoto
(que permitem identificar padrões de expansão
urbana e recursos naturais), pontos
(coordenadas) registrados através de receptores
de sistemas de navegação por satélite (tais
como residências, hospitais, escolas)
DADOS ALFANUMÉRICOS: tabelas de atributos
que podem conter variáveis estatísticas,
endereços ou coordenadas de latitude e
longitude
5
• As informações são
alinhadas ou encaixadas
em uma base
georreferenciada (sistema
de coordenadas).
• Permite alterar a escala
de análise com muita
facilidade.
Fonte: Lacoste (1988)
6
7
Perspectivas: SIG participativo
• A “terceira onda” dos SIG (“Geospatial Web 2.0 platforms”)
proporcionam um grande aumento no uso dos sistemas por
parte dos cidadãos para obter informação e para alimentar os
sistemas com dados.
• Há grande potencial de uso do SIG no incremento da
participação dos cidadãos no planejamento e tomada de
decisões.
Ganapati, Sukumar.2010. Using Geographic Information Systems to Increase Citizen Participation. IBM Center for The Business of Government. Mar. 2010.
8
9
Fonte: BATISTA et al. (2020)
https://www.ufrgs.br/sig/ma
pas/solidariedade-covid19/
Exemplos de usos do SIG na localização,
modelização e identificação de padrões
• Identificação de padrões de ocupação a assentamentos
• Saúde: projeto SIG Litoral www.ufrgs.br/sig
• Modelização coremática: exemplos de H. Théry e I. Tartaruga.
• Localização e armazenamento de dados: Prefeitura de Porto Alegre
10
Padrões da forma urbana
Compacidade: cidade compacta com
uso intensivo da terra, redução das
distâncias entre as localidades e
redução nas distâncias e tempo entre
as viagens. Elevada diversidade social
e vitalidade urbana.
Dispersão: forma dispersa com
reduzida intensidade de uso do solo
urbano reduzindo os custos de
moradia e produção. Reflete a
demanda por espaço acessível e
menos lotado.
Expansão pelo desenvolvimento
periférico planejado e novos
assentamentos: o desenvolvimento
de comunidades que não são
abarrotadas e protegem o espaço
abertos pode entregar as vantagens
da cidade compacta e da dispersa
minimizando as desvantagens.
Fonte: ECHENIQUE et al. (2012), SOLUTIONS (2012), COLUSSO (2015) 11
E o litoral
norte?
Mapas do trabalho
“Elaboração de banco de
dados do zoneamento
regional da Aulinor”
(SILVA, 2016)
Como medir a
concentração
e dispersão
em uma forma
linear
alongada
como a costa?
12
Padrões da
forma urbana
Fonte: Lopes et al. (2018)
“A partir da Estrada do Mar,
surgem novos acessos aos
municípios e é principalmente no
encontro desses acessos com a
Avenida Paraguassú que se
concentram, com maior
intensidade, as centralidades
urbanas dos municípios.”
13
Padrões da forma urbana:
spinality
No caso do litoral,
além da dispersão e
concentração é
importante medir o
“alongamento” ou a
“espinhalidade”
(spinality).
Fonte: Marshall; Gong, 2019
Configurações de
graduação de maior (a)
para menor (g)
alongamento.
As configurações
apresentam uma
combinação do limite da
área construída (em
amarelo) e uma coluna
de transporte
estratégica.
14
Padrões da forma
urbana:
Compacidade e
espinhalidade em
áreas urbanas
selecionadas.
Fonte: Marshall; Gong (2019) 15
Fluxos estão
relacionados ao
desenvolvimento
da forma urbana
Fonte: Marshall; Gong, 2019
População se
movimenta pelo
espaço com
intencionalidade:
Sazonalidade
16
Padrões de mobilidade
Padrões de forma urbana estão
relacionados a padrões de
mobilidade: (monocêntrica,
policêntrica, organizada e
desorganizada) envolvendo fluxos
primários e secundários (Bertaud &
Malpezzi, 1999; Bertaud, 2001)
A avaliação do desempenho
urbano e regional podem ser
medidos por indicadores de
eficiência, equidade, qualidade e
sustentabilidade (Colusso, 2015)
FONTE: Rodrigue (2020) adapted from A. Bertaud (2001) Metropolis: A
Measure of the Spatial Organization of 7 Large Cities. 17
Modelização gráfica e o
método coremático
Desenvolvido pelo geógrafo Roger Brunet (1986), a
modelização gráfica baseada em Coremas é um método pós-
cartográfico de comunicação e de apoio à pesquisa.
Busca compatibilizar informações quantitativas com
conhecimento qualitativo, de modo a facilitar a compreensão
de uma realidade ou de um território.
Utilizado com maestria pelo professor Hervé Théry (THÉRY
2004, 2007; ARCHELA e THÉRY, 2008; THÉRY e Mello, 2009)
18
Tabela de estruturas elementares do espaço ou
o alicerce da coremática
Brunet, Roger. O mapa – modelo e os coremas, Confins,
50, 2021. https://doi.org/10.4000/confins.36575 19
Modelização do
potencial de
inovação do RS
Fonte: Ivan Tartaruga (2014)
20
Modelização do
potencial de
inovação do RS
Fonte: Ivan Tartaruga (2014)
21
Modelização do
potencial de
inovação do RS
Fonte: Ivan Tartaruga (2014)
22
Modelização do
potencial de
inovação do RS
Fonte: Ivan Tartaruga (2014)
23
Modelização do
potencial de
inovação do RS
Fonte: Ivan Tartaruga (2014)
24
Modelização do
potencial de
inovação do RS
Fonte: Ivan Tartaruga (2014)
Nós ainda
não
estávamos
aqui!!!
25
Modelização do potencial de
inovação do RS
Fonte: Ivan Tartaruga (2014)
26
Modelização do potencial de
inovação do RS
Fonte: Ivan Tartaruga (2014)
Aglomerações e
conexões População
Pós-graduação
Pesquisa e Desenvolvimento
27
Modelização
BRASIL
Fonte: Hervé Théry (2007)
28
29
Saúde:
projeto SIG Litoral
www.ufrgs.br/sig
Fonte:
DAGNINO et al.
(2020a, 2020b)
dados atualizados
30
dados atualizados
31
Cada ponto é um município.
Pontos maiores tem mais
casos de Covid-19.
32
Fonte: Rodrigues et al. (2020)
Centros geográficos (médios) dos
municípios calculados pela
localização e ponderados pela
população e pelo número de
casos em cada mês, Rio Grande
do Sul - Brasil.
Fonte: Rodrigues et al. (2020)
33
Visualizador de mapas e download de dados de Porto Alegre/RS
Mapas digitais da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Urbanismo e Sustentabilidade –
SMAMUS – conforme o decreto municipal Nº 18.624, de 24 de abril de 2014 (Institui na
internet o endereço eletrônico www2.portoalegre.rs.gov.br/dm/).
https://prefeitura.poa.br/carta-de-servicos/mapas-digitais-da-smamus
Visualizador de Mapas online e download em vários formatos como PDF, shapefile e DWG:
• PDDUA (Plano Diretor e Anexos),
• Bairros,
• Eixo de Logradouros,
• Zonal Rural,
• Zona do Uso por Unidade,
• AEIS,
• APP (Áreas de Preservação
Permanente),
• RP (Região do Planejamento),
• ROP (Região de Orçamento
Participativo),
• PBZPA (Leg. Aeroportuária) e
• ERB (Estação Rádio Base),
• resoluções,
• Cartas de aerolevantamento de 2010,
• Aerolevantamentos Históricos,
• REURB´s - projetos urbanísticos
aprovados na PMPA.
34
Visualizador
Porto Alegre
https://dmweb.p
rocempa.com.br
/dmweb/search
Box.seam
1
2
3
4
35
Porto
Alegre
Rua Sampaulo
https://dmweb.p
rocempa.com.br
/dmweb/search
Box.seam
O programa não mostra a
localização do endereço mas eu
vou facilitar colocando aqui!
36
Porto
Alegre
Rua Sampaulo
https://dmweb.p
rocempa.com.br
/dmweb/search
Box.seam 37
Porto
Alegre
Rua Sampaulo
https://dmweb.p
rocempa.com.br
/dmweb/search
Box.seam 38
Porto
Alegre
Rua Sampaulo
https://dmweb.p
rocempa.com.br
/dmweb/search
Box.seam
Risco baixo de
movimento
gravitacional
de massa
39
Porto
Alegre
Rua Sampaulo
https://dmweb.p
rocempa.com.br
/dmweb/search
Box.seam 40
Porto
Alegre
Rua Sampaulo
https://dmweb.p
rocempa.com.br
/dmweb/search
Box.seam
Alinhamento
41
Porto
Alegre
Rua Sampaulo
https://dmweb.p
rocempa.com.br
/dmweb/search
Box.seam
DEP
Dep. Esgoto
Pluvial
42
Porto
Alegre
Rua Sampaulo
https://dmweb.p
rocempa.com.br
/dmweb/search
Box.seam
DMAE
Carta de rede
de água
43
Referências
ARCHELA, Rosely Sampaio; THÉRY, Hervé. Orientação metodológica para construção e
leitura de mapas temáticos. Confins – Revista Franco-Brasileira de Geografia, n. 3, p. 1- 21,
2008. Disponível em: <https://journals.openedition.org/confins/3483>. Acesso em 20 out.
2021.
BATISTA, S.; SCHWEIZER, P.; FRANCO, G.; SILVA, I.; PINZON, S.; CAMBOIM, J.; FABRÍCIO, M.;
LOPES, N.; GALVÃO, H.; AMARAL, H.; BORBA, J.; MUNIZ, C.; CARVALHO, M.; ZANELLA, P.;
COSTA, B.; SANTOS, P.; SOUZA, C.; DOEBBER, M.; AYALA, I. Solidariedade e assistência no
enfrentamento da pandemia de coronavírus (Covid-19) no litoral do Rio Grande do Sul. Site
do Projeto SIG Litoral UFRGS (Publicado em 13 de abril de 2020, 15:30). Tramandaí:
UFRGS, 2020. Disponível em: <https://www.ufrgs.br/sig/mapas/solidariedade-covid19/>.
Acesso 26 out. 2020.
Bertaud, A. Metropolis: A Measure of the Spatial Organization of 7 Large Cities. 2001.
https://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.360.4420&rep=rep1&type=p
df
Bertaud, A.; Malpezzi, S. The spatial distribution of population in 35 world cities: the role
of markets, planning and topography. Center of Urban Land Economics Research. 1999.
Brunet, R. La carte-modèle et les chorèmes. Mappemonde , n°4, 1986, p. 2-6.
http://www.mgm.fr/PUB/Mappemonde/Mappe486R.html
Brunet, Roger. O mapa – modelo e os coremas, Confins, 50, 2021.
https://doi.org/10.4000/confins.36575
Colusso, I. Forças regionais, formas urbanas e estrutura interna da cidade : um estudo de
relações. Tese (Doutorado) -- Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de
Arquitetura, Programa de Pós-Graduação em Planejamento Urbano e Regional, Porto
Alegre, 2015. https://lume.ufrgs.br/handle/10183/122508
D’ANTONA, A.; DAGNINO, R.; BUENO, M. Geotecnologias e gestão de políticas
públicas: uso de dados demográficos. In: BAENINGER, R. (Org.). População e Cidades:
subsídios para o planejamento e para as políticas sociais. Campinas: Núcleo de
Estudos de População/UNFPA, 2010, p. 99-115. ISBN: 9788588258235.
www.unfpa.org.br/Arquivos/populacao_cidade.pdf
DAGNINO, R.; WEBER, E. J.; PANITZ, L. M. Monitoramento do Coronavírus (Covid-19)
nos municípios do Rio Grande do Sul, Brasil. SocArXiv Papers, 28 Mar. 2020a.
Disponível em: <https://doi.org/10.31235/osf.io/3uqn5>. Acesso em: 31 out. 2020.
DAGNINO, R.; WEBER, E.; PANITZ, L.; MEGIATO, E.; RODRIGUES, M.; SARMIENTO, D.;
PRESSER, M. UFRGS. Covid-19 no Rio Grande do Sul: Painel de casos de coronavírus
(Covid-19) confirmados nos municípios do Rio Grande do Sul. (Página publicada em
27 de março de 2020 e atualizada diariamente pela equipe do projeto). Tramandaí:
Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2020b Disponível em:
<https://www.ufrgs.br/sig/mapas/covid19-rs/>. Acesso em: 28 set. 2020.
Echenique, M. H., Barton, H., Hargreaves, A. J., & Mitchell, G. (2010). SOLUTIONS
Final report sustainability of land use and transport in outer neighbourhoods.
http://www.suburbansolutions.ac.uk/documents/SOLUTIONSFinalReport.pdf
Echenique, M. H., Barton, H., Hargreaves, A. J., & Mitchell, G., Namdeo, A. (2012):
Growing Cities Sustainably, Journal of the American Planning Association, 78:2, 121-
137
Ganapati, Sukumar.2010. Using Geographic Information Systems to Increase Citizen
Participation. IBM Center for The Business of Government. Mar. 2010.
44
Referências
Lacoste, Yves. A Geografia, isso serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra.
Campinas: Papirus, 1988. https://issuu.com/ricardodagnino/docs/lacoste_yves-
geografia
LONGLEY, P.A.; GOODCHILD, M.F.; MAGUIRE, D.J.; RHIND, D.W. Sistemas e ciência da
informação geográfica. 3 ed. Bookman: Porto Alegre, 2013. 540p.
https://www.google.com.br/books/edition/Sistemas_e_Ci%C3%AAncia_da_Inform
a%C3%A7%C3%A3o_Geog/LOKqt5V6yvMC
LOPES, Eduardo; RUIZ, Thays; ANJOS, Francisco. A ocupação urbana no Litoral Norte
do Rio Grande do Sul, Brasil, e suas implicações no turismo de segunda residência.
Urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana. 2018, v. 10, n. 2, pp. 426-441. Disponível
em: <https://doi.org/10.1590/2175-3369.010.002.AO03>.
Marshall, S.; Gong, Y. Urban Pattern Specification - WP4 Deliverable Report.
London: Bartlett School of Planning, University College London, 2009. 136 p.
http://www.suburbansolutions.ac.uk/documents/WP4DeliverableReportNov2009.
pdf
POSSANTI, Iporã. Triangulação (e a Primeira Lei da Geografia). Mapas Abertos,
18/08/2020. https://mapasabertos.com/2020/08/18/triangulacao-e-a-primeira-lei-
da-geografia/
Rodrigue, Jean-Paul. The Geography of Transport Systems. New York: Routledge,
2020. 456 pages.
https://transportgeography.org/contents/chapter8/transportation-urban-
form/urban-movement-patterns/
RODRIGUES, M. d. S.; MEGIATO, É. I.; DAGNINO, R., PANITZ, L. M., WEBER, E. J.
Análise da evolução do Sars-Cov-2 no Rio Grande do Sul e reflexões acerca do
modelo de distanciamento controlado. SocArXiv, 2020.
https://doi.org/10.31235/osf.io/64dq8
SILVA, Tiago et al. Elaboração de banco de dados do zoneamento regional da
Aulinor. Porto Alegre: 3c Arquitetos, 2016.
http://www.3c.arq.br/portfolio/068_aln/
TARTARUGA, I. G. P. Inovação, território e cooperação: Um novo panorama da
Geografia Econômica do Rio Grande do Sul. 2014. 334 f. Tese (Doutorado em
Geografia) – Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do
Sul, Porto Alegre, 2014. Disponível em:
<http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/106435>. Acesso em: 20 out. 2021.
THÉRY, Hervé. Modelização gráfica para a análise regional: um método.
GEOUSP – Espaço e Tempo, São Paulo, n. 15, p. 179-188, 2004. Disponível em:
<https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2004.123894>. Acesso em:
20 out. 2021.
THÉRY, Hervé. Chaves para a leitura do território paulista. Confins – Revista
Franco Brasileira de Geografia, n. 1, p. 1-13, 2007. Disponível em:
<https://journals.openedition.org/confins/25>. Acesso em 20 out. 2021.
THÉRY, Hervé; MELLO, Neli Aparecida de. Atlas do Brasil: Disparidades e
dinâmicas do território. 2. ed. São Paulo: Edusp, 2009.
TOBLER, W. A computer movie simulating urban growth in the Detroit region.
Economic Geography, 46 (Supplement): 234–240, 1970.
45

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Bancos de Dados Geográficos
Bancos de Dados GeográficosBancos de Dados Geográficos
Bancos de Dados Geográficos
Suzana Viana Mota
 
Sistemas de Informações Geográficas
Sistemas de Informações GeográficasSistemas de Informações Geográficas
Geoprocessamento aula unip
Geoprocessamento aula unipGeoprocessamento aula unip
Geoprocessamento aula unip
jfelipe17
 
Bacia Hidrográfica
Bacia HidrográficaBacia Hidrográfica
Bacia Hidrográfica
Hidrologia UFC
 
Introdução ao sig
Introdução ao sigIntrodução ao sig
Introdução ao sig
Agnobel Silva
 
Sensoriamento Remoto em R
Sensoriamento  Remoto em RSensoriamento  Remoto em R
Sensoriamento Remoto em R
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Coordenadas Geográficas e Pesquisa de Campo
Coordenadas Geográficas  e Pesquisa de CampoCoordenadas Geográficas  e Pesquisa de Campo
Coordenadas Geográficas e Pesquisa de Campo
unesp
 
Aula 01 noções de cartografia e geoprocessamento
Aula 01   noções de cartografia e geoprocessamentoAula 01   noções de cartografia e geoprocessamento
Aula 01 noções de cartografia e geoprocessamento
42549299272
 
Dados espaciais em R
Dados espaciais em RDados espaciais em R
Dados espaciais em R
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Elaboração de Mapas no QGIS
Elaboração de Mapas no QGISElaboração de Mapas no QGIS
Elaboração de Mapas no QGIS
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Planejamento ambiental cap. ii etapas , estrutura e instrumentos do planejame...
Planejamento ambiental cap. ii etapas , estrutura e instrumentos do planejame...Planejamento ambiental cap. ii etapas , estrutura e instrumentos do planejame...
Planejamento ambiental cap. ii etapas , estrutura e instrumentos do planejame...
Paulo Orlando
 
Aula 02 cartografia sistemática e temática
Aula 02   cartografia sistemática e temáticaAula 02   cartografia sistemática e temática
Aula 02 cartografia sistemática e temática
Pedro Paulo Gomes de Oliveira
 
Análise espacial de doenças transmissíveis
Análise espacial de doenças transmissíveisAnálise espacial de doenças transmissíveis
Análise espacial de doenças transmissíveis
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Mapeamento de Geossistemas - Prática no QGis
Mapeamento de Geossistemas - Prática no QGisMapeamento de Geossistemas - Prática no QGis
Mapeamento de Geossistemas - Prática no QGis
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Análise de dependência espacial em R
Análise de dependência espacial em RAnálise de dependência espacial em R
Análise de dependência espacial em R
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Análise de Eventos Pontuais - Distância padrão, Agregação, Mapas de Kernel, P...
Análise de Eventos Pontuais - Distância padrão, Agregação, Mapas de Kernel, P...Análise de Eventos Pontuais - Distância padrão, Agregação, Mapas de Kernel, P...
Análise de Eventos Pontuais - Distância padrão, Agregação, Mapas de Kernel, P...
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Aula 1 parte_2
Aula 1 parte_2Aula 1 parte_2
Aula 1 parte_2
Daiane Regina
 
Tutorial QGIS sobre Análise Fisiográfica
Tutorial QGIS sobre Análise FisiográficaTutorial QGIS sobre Análise Fisiográfica
Tutorial QGIS sobre Análise Fisiográfica
nlourei
 
Operações com dados espaciais (Vetor) em R
Operações com dados espaciais (Vetor) em ROperações com dados espaciais (Vetor) em R
Operações com dados espaciais (Vetor) em R
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Coremática e Mapeamento Participativo
Coremática e Mapeamento ParticipativoCoremática e Mapeamento Participativo
Coremática e Mapeamento Participativo
Vitor Vieira Vasconcelos
 

Mais procurados (20)

Bancos de Dados Geográficos
Bancos de Dados GeográficosBancos de Dados Geográficos
Bancos de Dados Geográficos
 
Sistemas de Informações Geográficas
Sistemas de Informações GeográficasSistemas de Informações Geográficas
Sistemas de Informações Geográficas
 
Geoprocessamento aula unip
Geoprocessamento aula unipGeoprocessamento aula unip
Geoprocessamento aula unip
 
Bacia Hidrográfica
Bacia HidrográficaBacia Hidrográfica
Bacia Hidrográfica
 
Introdução ao sig
Introdução ao sigIntrodução ao sig
Introdução ao sig
 
Sensoriamento Remoto em R
Sensoriamento  Remoto em RSensoriamento  Remoto em R
Sensoriamento Remoto em R
 
Coordenadas Geográficas e Pesquisa de Campo
Coordenadas Geográficas  e Pesquisa de CampoCoordenadas Geográficas  e Pesquisa de Campo
Coordenadas Geográficas e Pesquisa de Campo
 
Aula 01 noções de cartografia e geoprocessamento
Aula 01   noções de cartografia e geoprocessamentoAula 01   noções de cartografia e geoprocessamento
Aula 01 noções de cartografia e geoprocessamento
 
Dados espaciais em R
Dados espaciais em RDados espaciais em R
Dados espaciais em R
 
Elaboração de Mapas no QGIS
Elaboração de Mapas no QGISElaboração de Mapas no QGIS
Elaboração de Mapas no QGIS
 
Planejamento ambiental cap. ii etapas , estrutura e instrumentos do planejame...
Planejamento ambiental cap. ii etapas , estrutura e instrumentos do planejame...Planejamento ambiental cap. ii etapas , estrutura e instrumentos do planejame...
Planejamento ambiental cap. ii etapas , estrutura e instrumentos do planejame...
 
Aula 02 cartografia sistemática e temática
Aula 02   cartografia sistemática e temáticaAula 02   cartografia sistemática e temática
Aula 02 cartografia sistemática e temática
 
Análise espacial de doenças transmissíveis
Análise espacial de doenças transmissíveisAnálise espacial de doenças transmissíveis
Análise espacial de doenças transmissíveis
 
Mapeamento de Geossistemas - Prática no QGis
Mapeamento de Geossistemas - Prática no QGisMapeamento de Geossistemas - Prática no QGis
Mapeamento de Geossistemas - Prática no QGis
 
Análise de dependência espacial em R
Análise de dependência espacial em RAnálise de dependência espacial em R
Análise de dependência espacial em R
 
Análise de Eventos Pontuais - Distância padrão, Agregação, Mapas de Kernel, P...
Análise de Eventos Pontuais - Distância padrão, Agregação, Mapas de Kernel, P...Análise de Eventos Pontuais - Distância padrão, Agregação, Mapas de Kernel, P...
Análise de Eventos Pontuais - Distância padrão, Agregação, Mapas de Kernel, P...
 
Aula 1 parte_2
Aula 1 parte_2Aula 1 parte_2
Aula 1 parte_2
 
Tutorial QGIS sobre Análise Fisiográfica
Tutorial QGIS sobre Análise FisiográficaTutorial QGIS sobre Análise Fisiográfica
Tutorial QGIS sobre Análise Fisiográfica
 
Operações com dados espaciais (Vetor) em R
Operações com dados espaciais (Vetor) em ROperações com dados espaciais (Vetor) em R
Operações com dados espaciais (Vetor) em R
 
Coremática e Mapeamento Participativo
Coremática e Mapeamento ParticipativoCoremática e Mapeamento Participativo
Coremática e Mapeamento Participativo
 

Semelhante a Sistemas de Informação Geográfica (SIG) na identificação de padrões e modelos de distribuição de fenômenos

Qualidade Ambiental Urbana de Imperatriz - MA
Qualidade Ambiental Urbana de Imperatriz - MAQualidade Ambiental Urbana de Imperatriz - MA
Qualidade Ambiental Urbana de Imperatriz - MA
Rodrigo Lima Santos
 
Introdução ao geoprocessamento
Introdução ao geoprocessamento Introdução ao geoprocessamento
Introdução ao geoprocessamento
Pedro Nelson
 
Matosinhos Valoriza - solos paisagem
Matosinhos Valoriza - solos paisagemMatosinhos Valoriza - solos paisagem
Matosinhos Valoriza - solos paisagem
Paulo Cabral
 
Projeto de Pesquisa: Intervenção e o Desenho Urbano no Planejamento das Cidades
Projeto de Pesquisa: Intervenção e o Desenho Urbano no Planejamento das CidadesProjeto de Pesquisa: Intervenção e o Desenho Urbano no Planejamento das Cidades
Projeto de Pesquisa: Intervenção e o Desenho Urbano no Planejamento das Cidades
UNAERP
 
Mapeamento de Cenários para Planejamento Ambiental - Coremas
Mapeamento de Cenários para Planejamento Ambiental - CoremasMapeamento de Cenários para Planejamento Ambiental - Coremas
Mapeamento de Cenários para Planejamento Ambiental - Coremas
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Planejamento Urbano
Planejamento Urbano Planejamento Urbano
Planejamento Urbano
Jubsilva
 
Geoprocessamento
Geoprocessamento Geoprocessamento
Geoprocessamento
Felipe Nunes
 
Mapas colaborativos no Google My Maps
Mapas colaborativos no Google My MapsMapas colaborativos no Google My Maps
Mapas colaborativos no Google My Maps
Ricardo de Sampaio Dagnino
 
Palestra IAB/RS 2012
Palestra IAB/RS 2012Palestra IAB/RS 2012
Palestra IAB/RS 2012
gaup_geo
 
Geoprocessamento na gestão urbana municipal – a experiência dos municípios mi...
Geoprocessamento na gestão urbana municipal – a experiência dos municípios mi...Geoprocessamento na gestão urbana municipal – a experiência dos municípios mi...
Geoprocessamento na gestão urbana municipal – a experiência dos municípios mi...
Sheila Moreira Bezerra
 
Phd Marcirio Chaves
Phd Marcirio ChavesPhd Marcirio Chaves
Phd Marcirio Chaves
Marcirio Chaves
 
Geoprocessamento no estudo do espaço urbano
Geoprocessamento no estudo do espaço urbanoGeoprocessamento no estudo do espaço urbano
Geoprocessamento no estudo do espaço urbano
André Gavlak
 
Geotecnologias - Conceitos e Histórico
Geotecnologias - Conceitos e HistóricoGeotecnologias - Conceitos e Histórico
Geotecnologias - Conceitos e Histórico
Vitor Vieira Vasconcelos
 
AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE BASES ESPACIAIS NO MAPEAMENTO DE ÁREAS DE RISCO NO...
AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE BASES ESPACIAIS NO MAPEAMENTO DE ÁREAS DE RISCO NO...AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE BASES ESPACIAIS NO MAPEAMENTO DE ÁREAS DE RISCO NO...
AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE BASES ESPACIAIS NO MAPEAMENTO DE ÁREAS DE RISCO NO...
Maria José Brollo
 
Aula1 forma arq_gis
Aula1 forma arq_gisAula1 forma arq_gis
Aula1 forma arq_gis
Lucy Donegan
 
Ações voltadas para reduzir acidentes viários no Rio de Janeiro - Cláudia Bap...
Ações voltadas para reduzir acidentes viários no Rio de Janeiro - Cláudia Bap...Ações voltadas para reduzir acidentes viários no Rio de Janeiro - Cláudia Bap...
Ações voltadas para reduzir acidentes viários no Rio de Janeiro - Cláudia Bap...
WRI Ross Center for Sustainable Cities
 
Resgate Cambui/Planejamento da arborização urbana como fazer e ferramentas di...
Resgate Cambui/Planejamento da arborização urbana como fazer e ferramentas di...Resgate Cambui/Planejamento da arborização urbana como fazer e ferramentas di...
Resgate Cambui/Planejamento da arborização urbana como fazer e ferramentas di...
resgate cambui ong
 
Ct06 128 1404176751
Ct06 128 1404176751Ct06 128 1404176751
Ct06 128 1404176751
Lídia Pereira
 
2018 - Experiência da CODEPLAN na utilização de Software Livre na Construção ...
2018 - Experiência da CODEPLAN na utilização de Software Livre na Construção ...2018 - Experiência da CODEPLAN na utilização de Software Livre na Construção ...
2018 - Experiência da CODEPLAN na utilização de Software Livre na Construção ...
George Porto Ferreira
 
Minerva 05(02) 06
Minerva 05(02) 06Minerva 05(02) 06
Minerva 05(02) 06
Sheila Moreira Bezerra
 

Semelhante a Sistemas de Informação Geográfica (SIG) na identificação de padrões e modelos de distribuição de fenômenos (20)

Qualidade Ambiental Urbana de Imperatriz - MA
Qualidade Ambiental Urbana de Imperatriz - MAQualidade Ambiental Urbana de Imperatriz - MA
Qualidade Ambiental Urbana de Imperatriz - MA
 
Introdução ao geoprocessamento
Introdução ao geoprocessamento Introdução ao geoprocessamento
Introdução ao geoprocessamento
 
Matosinhos Valoriza - solos paisagem
Matosinhos Valoriza - solos paisagemMatosinhos Valoriza - solos paisagem
Matosinhos Valoriza - solos paisagem
 
Projeto de Pesquisa: Intervenção e o Desenho Urbano no Planejamento das Cidades
Projeto de Pesquisa: Intervenção e o Desenho Urbano no Planejamento das CidadesProjeto de Pesquisa: Intervenção e o Desenho Urbano no Planejamento das Cidades
Projeto de Pesquisa: Intervenção e o Desenho Urbano no Planejamento das Cidades
 
Mapeamento de Cenários para Planejamento Ambiental - Coremas
Mapeamento de Cenários para Planejamento Ambiental - CoremasMapeamento de Cenários para Planejamento Ambiental - Coremas
Mapeamento de Cenários para Planejamento Ambiental - Coremas
 
Planejamento Urbano
Planejamento Urbano Planejamento Urbano
Planejamento Urbano
 
Geoprocessamento
Geoprocessamento Geoprocessamento
Geoprocessamento
 
Mapas colaborativos no Google My Maps
Mapas colaborativos no Google My MapsMapas colaborativos no Google My Maps
Mapas colaborativos no Google My Maps
 
Palestra IAB/RS 2012
Palestra IAB/RS 2012Palestra IAB/RS 2012
Palestra IAB/RS 2012
 
Geoprocessamento na gestão urbana municipal – a experiência dos municípios mi...
Geoprocessamento na gestão urbana municipal – a experiência dos municípios mi...Geoprocessamento na gestão urbana municipal – a experiência dos municípios mi...
Geoprocessamento na gestão urbana municipal – a experiência dos municípios mi...
 
Phd Marcirio Chaves
Phd Marcirio ChavesPhd Marcirio Chaves
Phd Marcirio Chaves
 
Geoprocessamento no estudo do espaço urbano
Geoprocessamento no estudo do espaço urbanoGeoprocessamento no estudo do espaço urbano
Geoprocessamento no estudo do espaço urbano
 
Geotecnologias - Conceitos e Histórico
Geotecnologias - Conceitos e HistóricoGeotecnologias - Conceitos e Histórico
Geotecnologias - Conceitos e Histórico
 
AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE BASES ESPACIAIS NO MAPEAMENTO DE ÁREAS DE RISCO NO...
AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE BASES ESPACIAIS NO MAPEAMENTO DE ÁREAS DE RISCO NO...AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE BASES ESPACIAIS NO MAPEAMENTO DE ÁREAS DE RISCO NO...
AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE BASES ESPACIAIS NO MAPEAMENTO DE ÁREAS DE RISCO NO...
 
Aula1 forma arq_gis
Aula1 forma arq_gisAula1 forma arq_gis
Aula1 forma arq_gis
 
Ações voltadas para reduzir acidentes viários no Rio de Janeiro - Cláudia Bap...
Ações voltadas para reduzir acidentes viários no Rio de Janeiro - Cláudia Bap...Ações voltadas para reduzir acidentes viários no Rio de Janeiro - Cláudia Bap...
Ações voltadas para reduzir acidentes viários no Rio de Janeiro - Cláudia Bap...
 
Resgate Cambui/Planejamento da arborização urbana como fazer e ferramentas di...
Resgate Cambui/Planejamento da arborização urbana como fazer e ferramentas di...Resgate Cambui/Planejamento da arborização urbana como fazer e ferramentas di...
Resgate Cambui/Planejamento da arborização urbana como fazer e ferramentas di...
 
Ct06 128 1404176751
Ct06 128 1404176751Ct06 128 1404176751
Ct06 128 1404176751
 
2018 - Experiência da CODEPLAN na utilização de Software Livre na Construção ...
2018 - Experiência da CODEPLAN na utilização de Software Livre na Construção ...2018 - Experiência da CODEPLAN na utilização de Software Livre na Construção ...
2018 - Experiência da CODEPLAN na utilização de Software Livre na Construção ...
 
Minerva 05(02) 06
Minerva 05(02) 06Minerva 05(02) 06
Minerva 05(02) 06
 

Mais de Ricardo de Sampaio Dagnino

Mapeamento Ambiental Participativo (MAP): Relatos de experiências
Mapeamento Ambiental Participativo (MAP): Relatos de experiênciasMapeamento Ambiental Participativo (MAP): Relatos de experiências
Mapeamento Ambiental Participativo (MAP): Relatos de experiências
Ricardo de Sampaio Dagnino
 
A agricultura urbana e periurbana aproximando a população da agroecologia e p...
A agricultura urbana e periurbana aproximando a população da agroecologia e p...A agricultura urbana e periurbana aproximando a população da agroecologia e p...
A agricultura urbana e periurbana aproximando a população da agroecologia e p...
Ricardo de Sampaio Dagnino
 
População e disponibilidade de alimentos: revisitando um debate ultrapassado?
População e disponibilidade de alimentos: revisitando um debate ultrapassado?População e disponibilidade de alimentos: revisitando um debate ultrapassado?
População e disponibilidade de alimentos: revisitando um debate ultrapassado?
Ricardo de Sampaio Dagnino
 
População: Elementos demográficos para compreender o Brasil e suas transições
População: Elementos demográficos para compreender o Brasil e suas transiçõesPopulação: Elementos demográficos para compreender o Brasil e suas transições
População: Elementos demográficos para compreender o Brasil e suas transições
Ricardo de Sampaio Dagnino
 
Migração e mobilidade como fatores de risco em tempos de pandemia
Migração e mobilidade como fatores de risco em tempos de pandemiaMigração e mobilidade como fatores de risco em tempos de pandemia
Migração e mobilidade como fatores de risco em tempos de pandemia
Ricardo de Sampaio Dagnino
 
Apresentação: Entendo os Riscos para pensar Cidades Inteligentes e Sustentáveis
Apresentação: Entendo os Riscos para pensar Cidades Inteligentes e SustentáveisApresentação: Entendo os Riscos para pensar Cidades Inteligentes e Sustentáveis
Apresentação: Entendo os Riscos para pensar Cidades Inteligentes e Sustentáveis
Ricardo de Sampaio Dagnino
 
Direito à cidade, Participação e Mapeamento - Ricardo Dagnino - I SiBOGU 2017
Direito à cidade, Participação e Mapeamento - Ricardo Dagnino - I SiBOGU 2017Direito à cidade, Participação e Mapeamento - Ricardo Dagnino - I SiBOGU 2017
Direito à cidade, Participação e Mapeamento - Ricardo Dagnino - I SiBOGU 2017
Ricardo de Sampaio Dagnino
 
Mapeamento participativo de riscos ambientais como subsídio para políticas pú...
Mapeamento participativo de riscos ambientais como subsídio para políticas pú...Mapeamento participativo de riscos ambientais como subsídio para políticas pú...
Mapeamento participativo de riscos ambientais como subsídio para políticas pú...
Ricardo de Sampaio Dagnino
 
Panoramas do Ribeirão das Pedras: Área da Fazenda Santa Genebra, Distrito de ...
Panoramas do Ribeirão das Pedras: Área da Fazenda Santa Genebra, Distrito de ...Panoramas do Ribeirão das Pedras: Área da Fazenda Santa Genebra, Distrito de ...
Panoramas do Ribeirão das Pedras: Área da Fazenda Santa Genebra, Distrito de ...
Ricardo de Sampaio Dagnino
 
Antropossolo
AntropossoloAntropossolo
(In)sustentabilidade e riscos ambientais: o caso da bacia hidrográfica do Rib...
(In)sustentabilidade e riscos ambientais: o caso da bacia hidrográfica do Rib...(In)sustentabilidade e riscos ambientais: o caso da bacia hidrográfica do Rib...
(In)sustentabilidade e riscos ambientais: o caso da bacia hidrográfica do Rib...
Ricardo de Sampaio Dagnino
 
Riscos ambientais na Bacia Hidrográfica do Ribeirão das Pedras (Apresentação ...
Riscos ambientais na Bacia Hidrográfica do Ribeirão das Pedras (Apresentação ...Riscos ambientais na Bacia Hidrográfica do Ribeirão das Pedras (Apresentação ...
Riscos ambientais na Bacia Hidrográfica do Ribeirão das Pedras (Apresentação ...
Ricardo de Sampaio Dagnino
 
Risco: o conceito e sua aplicação
Risco: o conceito e sua aplicaçãoRisco: o conceito e sua aplicação
Risco: o conceito e sua aplicação
Ricardo de Sampaio Dagnino
 
(A)Gente na Sustentabilidade do Desenvolvimento Local
(A)Gente na Sustentabilidade do Desenvolvimento Local(A)Gente na Sustentabilidade do Desenvolvimento Local
(A)Gente na Sustentabilidade do Desenvolvimento Local
Ricardo de Sampaio Dagnino
 
Pesquisas em Geografia: Práticas e Vivências
Pesquisas em Geografia: Práticas e VivênciasPesquisas em Geografia: Práticas e Vivências
Pesquisas em Geografia: Práticas e Vivências
Ricardo de Sampaio Dagnino
 
Antropossolos em Picinguaba (Ubatuba, SP)
Antropossolos em Picinguaba (Ubatuba, SP)Antropossolos em Picinguaba (Ubatuba, SP)
Antropossolos em Picinguaba (Ubatuba, SP)
Ricardo de Sampaio Dagnino
 
Ecosolidariedade
EcosolidariedadeEcosolidariedade
Ecosolidariedade
Ricardo de Sampaio Dagnino
 
Mapeamento participativo de riscos ambientais na Bacia Hidrográfica do Ribeir...
Mapeamento participativo de riscos ambientais na Bacia Hidrográfica do Ribeir...Mapeamento participativo de riscos ambientais na Bacia Hidrográfica do Ribeir...
Mapeamento participativo de riscos ambientais na Bacia Hidrográfica do Ribeir...
Ricardo de Sampaio Dagnino
 
Construindo uma universidade sustentável, social e economicamente includente
Construindo uma universidade sustentável, social e economicamente includenteConstruindo uma universidade sustentável, social e economicamente includente
Construindo uma universidade sustentável, social e economicamente includente
Ricardo de Sampaio Dagnino
 

Mais de Ricardo de Sampaio Dagnino (20)

Mapeamento Ambiental Participativo (MAP): Relatos de experiências
Mapeamento Ambiental Participativo (MAP): Relatos de experiênciasMapeamento Ambiental Participativo (MAP): Relatos de experiências
Mapeamento Ambiental Participativo (MAP): Relatos de experiências
 
A agricultura urbana e periurbana aproximando a população da agroecologia e p...
A agricultura urbana e periurbana aproximando a população da agroecologia e p...A agricultura urbana e periurbana aproximando a população da agroecologia e p...
A agricultura urbana e periurbana aproximando a população da agroecologia e p...
 
População e disponibilidade de alimentos: revisitando um debate ultrapassado?
População e disponibilidade de alimentos: revisitando um debate ultrapassado?População e disponibilidade de alimentos: revisitando um debate ultrapassado?
População e disponibilidade de alimentos: revisitando um debate ultrapassado?
 
População: Elementos demográficos para compreender o Brasil e suas transições
População: Elementos demográficos para compreender o Brasil e suas transiçõesPopulação: Elementos demográficos para compreender o Brasil e suas transições
População: Elementos demográficos para compreender o Brasil e suas transições
 
Migração e mobilidade como fatores de risco em tempos de pandemia
Migração e mobilidade como fatores de risco em tempos de pandemiaMigração e mobilidade como fatores de risco em tempos de pandemia
Migração e mobilidade como fatores de risco em tempos de pandemia
 
Apresentação: Entendo os Riscos para pensar Cidades Inteligentes e Sustentáveis
Apresentação: Entendo os Riscos para pensar Cidades Inteligentes e SustentáveisApresentação: Entendo os Riscos para pensar Cidades Inteligentes e Sustentáveis
Apresentação: Entendo os Riscos para pensar Cidades Inteligentes e Sustentáveis
 
Direito à cidade, Participação e Mapeamento - Ricardo Dagnino - I SiBOGU 2017
Direito à cidade, Participação e Mapeamento - Ricardo Dagnino - I SiBOGU 2017Direito à cidade, Participação e Mapeamento - Ricardo Dagnino - I SiBOGU 2017
Direito à cidade, Participação e Mapeamento - Ricardo Dagnino - I SiBOGU 2017
 
Mapeamento participativo de riscos ambientais como subsídio para políticas pú...
Mapeamento participativo de riscos ambientais como subsídio para políticas pú...Mapeamento participativo de riscos ambientais como subsídio para políticas pú...
Mapeamento participativo de riscos ambientais como subsídio para políticas pú...
 
Panoramas do Ribeirão das Pedras: Área da Fazenda Santa Genebra, Distrito de ...
Panoramas do Ribeirão das Pedras: Área da Fazenda Santa Genebra, Distrito de ...Panoramas do Ribeirão das Pedras: Área da Fazenda Santa Genebra, Distrito de ...
Panoramas do Ribeirão das Pedras: Área da Fazenda Santa Genebra, Distrito de ...
 
Antropossolo
AntropossoloAntropossolo
Antropossolo
 
(In)sustentabilidade e riscos ambientais: o caso da bacia hidrográfica do Rib...
(In)sustentabilidade e riscos ambientais: o caso da bacia hidrográfica do Rib...(In)sustentabilidade e riscos ambientais: o caso da bacia hidrográfica do Rib...
(In)sustentabilidade e riscos ambientais: o caso da bacia hidrográfica do Rib...
 
Riscos ambientais na Bacia Hidrográfica do Ribeirão das Pedras (Apresentação ...
Riscos ambientais na Bacia Hidrográfica do Ribeirão das Pedras (Apresentação ...Riscos ambientais na Bacia Hidrográfica do Ribeirão das Pedras (Apresentação ...
Riscos ambientais na Bacia Hidrográfica do Ribeirão das Pedras (Apresentação ...
 
Risco: o conceito e sua aplicação
Risco: o conceito e sua aplicaçãoRisco: o conceito e sua aplicação
Risco: o conceito e sua aplicação
 
(A)Gente na Sustentabilidade do Desenvolvimento Local
(A)Gente na Sustentabilidade do Desenvolvimento Local(A)Gente na Sustentabilidade do Desenvolvimento Local
(A)Gente na Sustentabilidade do Desenvolvimento Local
 
Pesquisas em Geografia: Práticas e Vivências
Pesquisas em Geografia: Práticas e VivênciasPesquisas em Geografia: Práticas e Vivências
Pesquisas em Geografia: Práticas e Vivências
 
Universidade e (o)mito Campinas
Universidade e (o)mito Campinas Universidade e (o)mito Campinas
Universidade e (o)mito Campinas
 
Antropossolos em Picinguaba (Ubatuba, SP)
Antropossolos em Picinguaba (Ubatuba, SP)Antropossolos em Picinguaba (Ubatuba, SP)
Antropossolos em Picinguaba (Ubatuba, SP)
 
Ecosolidariedade
EcosolidariedadeEcosolidariedade
Ecosolidariedade
 
Mapeamento participativo de riscos ambientais na Bacia Hidrográfica do Ribeir...
Mapeamento participativo de riscos ambientais na Bacia Hidrográfica do Ribeir...Mapeamento participativo de riscos ambientais na Bacia Hidrográfica do Ribeir...
Mapeamento participativo de riscos ambientais na Bacia Hidrográfica do Ribeir...
 
Construindo uma universidade sustentável, social e economicamente includente
Construindo uma universidade sustentável, social e economicamente includenteConstruindo uma universidade sustentável, social e economicamente includente
Construindo uma universidade sustentável, social e economicamente includente
 

Último

Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 

Último (20)

Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 

Sistemas de Informação Geográfica (SIG) na identificação de padrões e modelos de distribuição de fenômenos

  • 1. Sistemas de Informação Geográfica (SIG) na identificação de padrões e modelos de distribuição de fenômenos Disciplina Desenvolvimento urbano e plano diretor: padrões emergentes Profa. Daniela Dietz Viana Tramandaí - 26/10/2021 Ricardo S. Dagnino Professor do Departamento Interdisciplinar Campus Litoral Norte - UFRGS Universidade Federal do Rio Grande do Sul Programa de Pós-Graduação em Dinâmicas Regionais e Desenvolvimento - PGDREDES 1
  • 2. Definição • Sistema de Informação Geográfica (SIG) é um conjunto de hardware, software, métodos, dados e usuários integrados, que possibilita a coleta, manuseio, armazenamento, processamento, análise e apresentação de informações geográficas (D’ANTONA et al., 2010). As seis partes de um SIG Fonte: Longley et al. (2013, p. 25) 2
  • 3. “A Geografia serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra.” A geografia, enquanto descrição metodológica dos espaços, deve ser pensada no quadro das funções estratégicas, sobretudo estatais, para o controle e a organização da população que povoa seu território e para a guerra. O mapa é a forma de representação geográfica por excelência, muito mais eficaz que uma série de estatísticas ou um conjunto de escritos. É sobre o mapa que devem ser colocadas todas as informações necessárias para a elaboração de táticas e de estratégias. O mapa é uma formalização do espaço, que não é nem gratuita, nem desinteressada: ferramenta indispensável para a dominação do espaço. A produção de um mapa, desde o momento de aquisição dos dados, permite a conversão de um concreto mal conhecido em uma representação abstrata, eficaz e confiável. A confecção de um mapa implica num certo domínio político e matemático do espaço representado, e é um instrumento de poder sobre esse espaço e sobre as pessoas que ali vivem. Trechos adaptados do Capítulo “Uma disciplina simplória e enfadonha” de Yves Lacoste (1988) - http://goo.gl/tF2MP 3
  • 4. 4 (TOBLER, 1970) (1970) Gráfico elaborado por Ibiporã Possanti (2020)
  • 5. Sistema de Informação Geográfica Fonte: D’ANTONA et al. (2010) DADOS ESPACIAIS: Elementos vetoriais (estradas, rios, por exemplo), imagens de sensoriamento remoto (que permitem identificar padrões de expansão urbana e recursos naturais), pontos (coordenadas) registrados através de receptores de sistemas de navegação por satélite (tais como residências, hospitais, escolas) DADOS ALFANUMÉRICOS: tabelas de atributos que podem conter variáveis estatísticas, endereços ou coordenadas de latitude e longitude 5
  • 6. • As informações são alinhadas ou encaixadas em uma base georreferenciada (sistema de coordenadas). • Permite alterar a escala de análise com muita facilidade. Fonte: Lacoste (1988) 6
  • 7. 7
  • 8. Perspectivas: SIG participativo • A “terceira onda” dos SIG (“Geospatial Web 2.0 platforms”) proporcionam um grande aumento no uso dos sistemas por parte dos cidadãos para obter informação e para alimentar os sistemas com dados. • Há grande potencial de uso do SIG no incremento da participação dos cidadãos no planejamento e tomada de decisões. Ganapati, Sukumar.2010. Using Geographic Information Systems to Increase Citizen Participation. IBM Center for The Business of Government. Mar. 2010. 8
  • 9. 9 Fonte: BATISTA et al. (2020) https://www.ufrgs.br/sig/ma pas/solidariedade-covid19/
  • 10. Exemplos de usos do SIG na localização, modelização e identificação de padrões • Identificação de padrões de ocupação a assentamentos • Saúde: projeto SIG Litoral www.ufrgs.br/sig • Modelização coremática: exemplos de H. Théry e I. Tartaruga. • Localização e armazenamento de dados: Prefeitura de Porto Alegre 10
  • 11. Padrões da forma urbana Compacidade: cidade compacta com uso intensivo da terra, redução das distâncias entre as localidades e redução nas distâncias e tempo entre as viagens. Elevada diversidade social e vitalidade urbana. Dispersão: forma dispersa com reduzida intensidade de uso do solo urbano reduzindo os custos de moradia e produção. Reflete a demanda por espaço acessível e menos lotado. Expansão pelo desenvolvimento periférico planejado e novos assentamentos: o desenvolvimento de comunidades que não são abarrotadas e protegem o espaço abertos pode entregar as vantagens da cidade compacta e da dispersa minimizando as desvantagens. Fonte: ECHENIQUE et al. (2012), SOLUTIONS (2012), COLUSSO (2015) 11
  • 12. E o litoral norte? Mapas do trabalho “Elaboração de banco de dados do zoneamento regional da Aulinor” (SILVA, 2016) Como medir a concentração e dispersão em uma forma linear alongada como a costa? 12
  • 13. Padrões da forma urbana Fonte: Lopes et al. (2018) “A partir da Estrada do Mar, surgem novos acessos aos municípios e é principalmente no encontro desses acessos com a Avenida Paraguassú que se concentram, com maior intensidade, as centralidades urbanas dos municípios.” 13
  • 14. Padrões da forma urbana: spinality No caso do litoral, além da dispersão e concentração é importante medir o “alongamento” ou a “espinhalidade” (spinality). Fonte: Marshall; Gong, 2019 Configurações de graduação de maior (a) para menor (g) alongamento. As configurações apresentam uma combinação do limite da área construída (em amarelo) e uma coluna de transporte estratégica. 14
  • 15. Padrões da forma urbana: Compacidade e espinhalidade em áreas urbanas selecionadas. Fonte: Marshall; Gong (2019) 15
  • 16. Fluxos estão relacionados ao desenvolvimento da forma urbana Fonte: Marshall; Gong, 2019 População se movimenta pelo espaço com intencionalidade: Sazonalidade 16
  • 17. Padrões de mobilidade Padrões de forma urbana estão relacionados a padrões de mobilidade: (monocêntrica, policêntrica, organizada e desorganizada) envolvendo fluxos primários e secundários (Bertaud & Malpezzi, 1999; Bertaud, 2001) A avaliação do desempenho urbano e regional podem ser medidos por indicadores de eficiência, equidade, qualidade e sustentabilidade (Colusso, 2015) FONTE: Rodrigue (2020) adapted from A. Bertaud (2001) Metropolis: A Measure of the Spatial Organization of 7 Large Cities. 17
  • 18. Modelização gráfica e o método coremático Desenvolvido pelo geógrafo Roger Brunet (1986), a modelização gráfica baseada em Coremas é um método pós- cartográfico de comunicação e de apoio à pesquisa. Busca compatibilizar informações quantitativas com conhecimento qualitativo, de modo a facilitar a compreensão de uma realidade ou de um território. Utilizado com maestria pelo professor Hervé Théry (THÉRY 2004, 2007; ARCHELA e THÉRY, 2008; THÉRY e Mello, 2009) 18
  • 19. Tabela de estruturas elementares do espaço ou o alicerce da coremática Brunet, Roger. O mapa – modelo e os coremas, Confins, 50, 2021. https://doi.org/10.4000/confins.36575 19
  • 20. Modelização do potencial de inovação do RS Fonte: Ivan Tartaruga (2014) 20
  • 21. Modelização do potencial de inovação do RS Fonte: Ivan Tartaruga (2014) 21
  • 22. Modelização do potencial de inovação do RS Fonte: Ivan Tartaruga (2014) 22
  • 23. Modelização do potencial de inovação do RS Fonte: Ivan Tartaruga (2014) 23
  • 24. Modelização do potencial de inovação do RS Fonte: Ivan Tartaruga (2014) 24
  • 25. Modelização do potencial de inovação do RS Fonte: Ivan Tartaruga (2014) Nós ainda não estávamos aqui!!! 25
  • 26. Modelização do potencial de inovação do RS Fonte: Ivan Tartaruga (2014) 26
  • 27. Modelização do potencial de inovação do RS Fonte: Ivan Tartaruga (2014) Aglomerações e conexões População Pós-graduação Pesquisa e Desenvolvimento 27
  • 32. Cada ponto é um município. Pontos maiores tem mais casos de Covid-19. 32 Fonte: Rodrigues et al. (2020)
  • 33. Centros geográficos (médios) dos municípios calculados pela localização e ponderados pela população e pelo número de casos em cada mês, Rio Grande do Sul - Brasil. Fonte: Rodrigues et al. (2020) 33
  • 34. Visualizador de mapas e download de dados de Porto Alegre/RS Mapas digitais da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Urbanismo e Sustentabilidade – SMAMUS – conforme o decreto municipal Nº 18.624, de 24 de abril de 2014 (Institui na internet o endereço eletrônico www2.portoalegre.rs.gov.br/dm/). https://prefeitura.poa.br/carta-de-servicos/mapas-digitais-da-smamus Visualizador de Mapas online e download em vários formatos como PDF, shapefile e DWG: • PDDUA (Plano Diretor e Anexos), • Bairros, • Eixo de Logradouros, • Zonal Rural, • Zona do Uso por Unidade, • AEIS, • APP (Áreas de Preservação Permanente), • RP (Região do Planejamento), • ROP (Região de Orçamento Participativo), • PBZPA (Leg. Aeroportuária) e • ERB (Estação Rádio Base), • resoluções, • Cartas de aerolevantamento de 2010, • Aerolevantamentos Históricos, • REURB´s - projetos urbanísticos aprovados na PMPA. 34
  • 36. Porto Alegre Rua Sampaulo https://dmweb.p rocempa.com.br /dmweb/search Box.seam O programa não mostra a localização do endereço mas eu vou facilitar colocando aqui! 36
  • 44. Referências ARCHELA, Rosely Sampaio; THÉRY, Hervé. Orientação metodológica para construção e leitura de mapas temáticos. Confins – Revista Franco-Brasileira de Geografia, n. 3, p. 1- 21, 2008. Disponível em: <https://journals.openedition.org/confins/3483>. Acesso em 20 out. 2021. BATISTA, S.; SCHWEIZER, P.; FRANCO, G.; SILVA, I.; PINZON, S.; CAMBOIM, J.; FABRÍCIO, M.; LOPES, N.; GALVÃO, H.; AMARAL, H.; BORBA, J.; MUNIZ, C.; CARVALHO, M.; ZANELLA, P.; COSTA, B.; SANTOS, P.; SOUZA, C.; DOEBBER, M.; AYALA, I. Solidariedade e assistência no enfrentamento da pandemia de coronavírus (Covid-19) no litoral do Rio Grande do Sul. Site do Projeto SIG Litoral UFRGS (Publicado em 13 de abril de 2020, 15:30). Tramandaí: UFRGS, 2020. Disponível em: <https://www.ufrgs.br/sig/mapas/solidariedade-covid19/>. Acesso 26 out. 2020. Bertaud, A. Metropolis: A Measure of the Spatial Organization of 7 Large Cities. 2001. https://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.360.4420&rep=rep1&type=p df Bertaud, A.; Malpezzi, S. The spatial distribution of population in 35 world cities: the role of markets, planning and topography. Center of Urban Land Economics Research. 1999. Brunet, R. La carte-modèle et les chorèmes. Mappemonde , n°4, 1986, p. 2-6. http://www.mgm.fr/PUB/Mappemonde/Mappe486R.html Brunet, Roger. O mapa – modelo e os coremas, Confins, 50, 2021. https://doi.org/10.4000/confins.36575 Colusso, I. Forças regionais, formas urbanas e estrutura interna da cidade : um estudo de relações. Tese (Doutorado) -- Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Arquitetura, Programa de Pós-Graduação em Planejamento Urbano e Regional, Porto Alegre, 2015. https://lume.ufrgs.br/handle/10183/122508 D’ANTONA, A.; DAGNINO, R.; BUENO, M. Geotecnologias e gestão de políticas públicas: uso de dados demográficos. In: BAENINGER, R. (Org.). População e Cidades: subsídios para o planejamento e para as políticas sociais. Campinas: Núcleo de Estudos de População/UNFPA, 2010, p. 99-115. ISBN: 9788588258235. www.unfpa.org.br/Arquivos/populacao_cidade.pdf DAGNINO, R.; WEBER, E. J.; PANITZ, L. M. Monitoramento do Coronavírus (Covid-19) nos municípios do Rio Grande do Sul, Brasil. SocArXiv Papers, 28 Mar. 2020a. Disponível em: <https://doi.org/10.31235/osf.io/3uqn5>. Acesso em: 31 out. 2020. DAGNINO, R.; WEBER, E.; PANITZ, L.; MEGIATO, E.; RODRIGUES, M.; SARMIENTO, D.; PRESSER, M. UFRGS. Covid-19 no Rio Grande do Sul: Painel de casos de coronavírus (Covid-19) confirmados nos municípios do Rio Grande do Sul. (Página publicada em 27 de março de 2020 e atualizada diariamente pela equipe do projeto). Tramandaí: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2020b Disponível em: <https://www.ufrgs.br/sig/mapas/covid19-rs/>. Acesso em: 28 set. 2020. Echenique, M. H., Barton, H., Hargreaves, A. J., & Mitchell, G. (2010). SOLUTIONS Final report sustainability of land use and transport in outer neighbourhoods. http://www.suburbansolutions.ac.uk/documents/SOLUTIONSFinalReport.pdf Echenique, M. H., Barton, H., Hargreaves, A. J., & Mitchell, G., Namdeo, A. (2012): Growing Cities Sustainably, Journal of the American Planning Association, 78:2, 121- 137 Ganapati, Sukumar.2010. Using Geographic Information Systems to Increase Citizen Participation. IBM Center for The Business of Government. Mar. 2010. 44
  • 45. Referências Lacoste, Yves. A Geografia, isso serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra. Campinas: Papirus, 1988. https://issuu.com/ricardodagnino/docs/lacoste_yves- geografia LONGLEY, P.A.; GOODCHILD, M.F.; MAGUIRE, D.J.; RHIND, D.W. Sistemas e ciência da informação geográfica. 3 ed. Bookman: Porto Alegre, 2013. 540p. https://www.google.com.br/books/edition/Sistemas_e_Ci%C3%AAncia_da_Inform a%C3%A7%C3%A3o_Geog/LOKqt5V6yvMC LOPES, Eduardo; RUIZ, Thays; ANJOS, Francisco. A ocupação urbana no Litoral Norte do Rio Grande do Sul, Brasil, e suas implicações no turismo de segunda residência. Urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana. 2018, v. 10, n. 2, pp. 426-441. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/2175-3369.010.002.AO03>. Marshall, S.; Gong, Y. Urban Pattern Specification - WP4 Deliverable Report. London: Bartlett School of Planning, University College London, 2009. 136 p. http://www.suburbansolutions.ac.uk/documents/WP4DeliverableReportNov2009. pdf POSSANTI, Iporã. Triangulação (e a Primeira Lei da Geografia). Mapas Abertos, 18/08/2020. https://mapasabertos.com/2020/08/18/triangulacao-e-a-primeira-lei- da-geografia/ Rodrigue, Jean-Paul. The Geography of Transport Systems. New York: Routledge, 2020. 456 pages. https://transportgeography.org/contents/chapter8/transportation-urban- form/urban-movement-patterns/ RODRIGUES, M. d. S.; MEGIATO, É. I.; DAGNINO, R., PANITZ, L. M., WEBER, E. J. Análise da evolução do Sars-Cov-2 no Rio Grande do Sul e reflexões acerca do modelo de distanciamento controlado. SocArXiv, 2020. https://doi.org/10.31235/osf.io/64dq8 SILVA, Tiago et al. Elaboração de banco de dados do zoneamento regional da Aulinor. Porto Alegre: 3c Arquitetos, 2016. http://www.3c.arq.br/portfolio/068_aln/ TARTARUGA, I. G. P. Inovação, território e cooperação: Um novo panorama da Geografia Econômica do Rio Grande do Sul. 2014. 334 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/106435>. Acesso em: 20 out. 2021. THÉRY, Hervé. Modelização gráfica para a análise regional: um método. GEOUSP – Espaço e Tempo, São Paulo, n. 15, p. 179-188, 2004. Disponível em: <https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2004.123894>. Acesso em: 20 out. 2021. THÉRY, Hervé. Chaves para a leitura do território paulista. Confins – Revista Franco Brasileira de Geografia, n. 1, p. 1-13, 2007. Disponível em: <https://journals.openedition.org/confins/25>. Acesso em 20 out. 2021. THÉRY, Hervé; MELLO, Neli Aparecida de. Atlas do Brasil: Disparidades e dinâmicas do território. 2. ed. São Paulo: Edusp, 2009. TOBLER, W. A computer movie simulating urban growth in the Detroit region. Economic Geography, 46 (Supplement): 234–240, 1970. 45