SlideShare uma empresa Scribd logo
PROJETO: Cultura, Literatura e Criatividade: Do erudito ao popular – CLIC
COORDENADORA DA ÁREA DE LETRAS: Magliana Rodrigues da Silva
ESCOLA PARTICIPANTE: E.E.E. Fundamental e Médio Professor Raul Córdula
SUPERVISORA DA ESCOLA: Diana Nunes Ramalho
LICENCIANDOS EM LETRAS:Ana Daniele Félix da Silva
Andreia Aparecida Medeiros Martins
Arthur Velázquez Florentino de Carvalho
Nathalia Pinto Souza
PROGRAMA DE ATIVIDADES
TEMÁTICA PRINCIPAL:
Ôxente! Isso aqui é Nordeste: um passeio entre a literatura e a dramaturgia
GÊNEROS:
 Texto dramático, romance, poemas, conto, músicas, literatura de cordel, artigo de opinião,
reportagem, charge, HQ e sinopse.
CONTEÚDO:
 Discussão e conhecimento de textos dramáticos através de leituras dramatizadas;
 Abordagem acerca das influências da literatura e nas diversas manifestações artístico-
culturais do nordeste;
 Apresentação dos aspectos temáticos e estruturais dos textos abordados;
 Aspectos da oralidade no folheto nordestino.
OBJETIVO GERAL:
 Conhecer a literatura nordestina através de textos dramáticos e outros gêneros, de forma que
despertem nos discentes o interesse de escreverem uma peça teatral, que será elaborada e
apresentada por eles a toda escola.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
1
 Desenvolver o senso crítico e reflexivo dos alunos através do contato com diversos textos;
 Aperfeiçoar a competência de leitura e interpretação de textos literários e não literários;
 Valorizar a cultura nordestina, assim como a literatura e criatividade do povo dessa região;
 Estimular o conhecimento da literatura nordestina através de dinâmicas que incentivem a
participação oral;
 Exercitar a competência de leitura e interpretação de textos literários e não literários;
 Produzir um texto dramático com os discentes;
 Identificar os preconceitos que os nordestinos ainda enfrentam.
 Compreender a importância do Nordeste do ponto de vista da divisão territorial brasileira;
PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS
 18º MÓDULO: ÔXENTE! ISSO AQUI É NORDESTE: UM PASSEIO ENTRE A
LITERATURA E A DRAMATURGIA
1º ENCONTRO: Pode procurar, duvido você encontrar beleza e vivacidade, todos juntos em
um só lugar: O Nordeste é, o Nordeste tem! (29/03)
Elemento motivador: “Conhecendo o Nordeste”
Descrição das ações:
 Primeiramente haverá um momento de apresentação entre professores e alunos;
 Ambientação: a sala estará ornamentada com cartazes que contenham frases baseadas em
nossa temática. Para introduzirmos a temática “Ôxente! Isso aqui é Nordeste: um passeio
entre a literatura e a dramaturgia”, levaremos em uma caixa, alguns objetos que remetam ao
Nordeste, bem como, ao teatro. Para isto, pediremos que todos fiquem em pé, de costas para
o quadro e com os olhos fechados, passaremos esses objetos de mãos em mãos, com a
finalidade de que acertem o objeto e relacione ele ao tema na nossa SD. O aluno que mais se
aproximar da temática, ganhará uma premiação surpresa.
 Para introduzir a aula, realizaremos a dinâmica “Conhecendo o Nordeste” que se procederá
da seguinte forma: ao som da música “Nordeste independente”, de Elba Ramalho, levaremos
alguns quebra-cabeças com imagens de filmes, livros, tipos de comidas e festas relacionados
ao teatro e a literatura nordestina, para que eles montem e relatem sobre tal obra, se já leu ou
assistiu, e quais impressões tiveram acerca das demais imagens. O objetivo dessa dinâmica
é observar o conhecimento que os alunos têm sobre o Nordeste, como uma forma de sondar
o grau de intimidade deles em relação à região em que vivem.
2
 Após a realização dessa dinâmica, leremos o poema “O Nordeste é poesia”, de Patativa do
Assaré, destacando a exaltação que o poeta faz ao nordeste quando afirma que na região
tudo é poesia;
 Em seguida, executaremos a música “Norte Nordeste Me Veste”, de Rapadura XC,
analisando a letra da música, que condiz com o que é retratado no poema lido anteriormente.
A música é um RAP que enfatiza com propriedade o Nordeste, engrandecendo de maneira
mais descritiva que o próprio poema;
 Por fim, leremos o cordel “Nordeste: aqui é o meu lugar”, de Carlinhos do Cordel, com o
objetivo de retomar tudo o que foi visto na aula de hoje, e destacar a forma expressiva que
essa leitura proporciona, e assim também falaremos que no início, esse tipo de literatura era
apresentada em peças de teatro escritas por Gil Vicente, um dramaturgo e poeta
revolucionário de Portugal; além disso apresentaremos as características deste gênero,
dizendo que o mesmo também é conhecido como folheto, é um tipo de poesia popular
impressa e divulgada em folhetos, com imagens feitas através da xilogravura.
Comentaremos também o porquê do nome literatura de cordel, explicando que tem origem
na forma como esses folhetos são vendidos, pois são pendurados em barbantes, cordas ou
cordéis. Por isso o nome Literatura de Cordel.
2º ENCONTRO: A criatividade de um ser tão nordestino: sua sina, Suassuna (30/03)
Elemento motivador: Dinâmica “15 fatos sobre mim”
Material: Mensagens correlacionadas sobre a vida e obra de Ariano Suassuna.
Descrição das ações:
 Primeiramente, fixaremos em baixo de quinze cadeiras diferentes mensagens relacionadas
ao poeta. Os alunos deverão descobrir em quais cadeiras estarão às quinzes mensagens, em
ordem cronológica, com o intuito de estimular a participação de todos. As mensagens
estarão conectadas entre si e, ao chegar no último fato, os alunos precisarão identificar que
as informações obtidas anteriormente fazem referência a Ariano Suassuna. O objetivo dessa
dinâmica é aproximar a figura do romancista, dramaturgo, poeta, advogado e professor
Ariano Suassuna ao cotidiano dos alunos, atestando para a importância do poeta na literatura
brasileira e, principalmente, na cultura popular nordestina;
 Em seguida, exibiremos o trecho do filme “Auto da Compadecida”, referente à falsa
ressurreição ao som do instrumento mágico, contextualizando com a perspicácia utilizada
pelo personagem João Grilo para escapar da morte, e sendo assim falaremos sobre este
personagem, pois Ariano Suassuna vai buscá-lo na literatura de cordel, por isto o estilo de
3
esperteza de João é tão rápido e espontâneo, esta é uma das principais características dos
personagens deste gênero;
 Logo após, realizaremos uma leitura colaborativa entre professores e alunos do mesmo
trecho que foi exibido em vídeo, todavia, utilizaremos o livro “Auto da Compadecida”, de
Ariano Suassuna. Nosso propósito é esclarecer aos alunos as semelhanças e diferenças
encontradas entre os gêneros peça teatral e filme, considerando as particularidades de cada
um, como aspectos semânticos, sintáticos e estilísticos;
 Posteriormente para aumentar os debates, exibiremos o vídeo “Sobre o auto da compadecida
e parte final da aula”, disponível no Youtube, em que o poeta Ariano Suassuna comenta sua
concepção sobre o teatro e suascaracterísticas. Assim, desejaremos ouvir a opinião do aluno
sobre o que é teatro para ele e seu grau de intimidade com peças teatrais.
 Finalizaremos o encontro exibindo o vídeo “Paisagem de Interior – Jessier Quirino”,
disponível no canal Jessier Quirino, no Youtube. Destacando as peculiaridades que só
encontramos no Nordeste e que foi transmitida pelo poeta. Nosso objetivo é fazer com que
os alunos participem dos debates, com posicionamentos sobre o tema abordado e que
percebam a criatividade que foi empregada pelo poeta na construção da poesia matuta.
3º ENCONTRO: O Nordeste além dos estereótipos: a importância das variações linguísticas
como elemento da identidade regional (05/04)
Elemento motivador: Dinâmica “Xô preconceito!”
Material: Cartaz e mensagens retiradas de redes sociais, algumas relacionadas ao vocabulário do
nordestino e a valorização da cultura e outras, com mensagens ofensivas a identidade regional do
povo.
Descrição das ações:
 Fixado ao quadro branco estará disposto um grande cartaz com a seguinte frase: “Xô
preconceito!”. Ao redor desse cartaz, teremos diversas mensagens viradas para baixo, a fim
de despertar a curiosidade dos alunos. Nas mensagens, apresentaremos diversas situações,
tanto em desrespeito ao povo nordestino, quanto em apoio e valorização da região, sendo
assim, cada aluno escolherá uma mensagem e falará sobre suas impressões sobre aquilo,
avaliando a sua reação com placas de aprovação ou negação para cada mensagem, a partir
disso, indagaremos qual a correlação existente entre as mensagens e a frase escrita no cartaz.
O objetivo dessa dinâmica é desconstruir representações preconceituosas no âmbito cultural,
social, político e religioso do Nordeste, evidenciando de fato, o que verdadeiramente
caracteriza a região;
4
 Posteriormente, exibiremos o vídeo “Dialeto Nordestino - Uma resposta ao preconceito”,
disponível no canal Bráulio Bessa, no Youtube, com o objetivo de aumentar as reflexões
sobre os estereótipos nordestinos, servindo como conexão entre o elemento motivador e a
leitura da poesia que virá a seguir;
 Em seguida, realizaremos a leitura da charge “No consultório médico”, e de uma História
em quadrinhos (HQ) “ Chico Bento em...Bom Português”, de Maurício Souza, na finalidade
de discutir a temática abordada referente ao preconceito linguístico, que está presente nesse
gênero tanto de forma verbal como não verbal, sendo essa uma das características dos
mesmos;
 Logo após, realizaremos a leitura do poema “Eu não troco meu ôxente, pelo ok de seu
ninguém”, de Marcílio Siqueira, nele, destacaremos os aspectos de ordem semântica e o
modo de como o texto literário possui caráter de expressividade, abordando ainda, a postura
do eu lírico diante das suas raízes nordestinas;
 Terminada a discussão do poema, realizaremos a atividade “Eu moro onde você passa
férias”. Essa atividade tem por finalidade permitir que os alunos produzam um comentário,
no qual eles possam desenvolver de seu ponto de vista de modo criativo, utilizando o dialeto
nordestino sobre as mensagens preconceituosas acerca do Nordeste, discutidas neste
encontro.
4°ENCONTRO: Sertanejo, cabra macho sim sinhô! (06/04)
Elemento motivador: Dinâmica “Monte seu vaqueiro”
Material: Cartaz e imagens referentes a vestimenta, instrumentos de trabalho e utensílios dos
vaqueiros.
Descrição das ações:
 Afixaremos ao quadro branco um desenho de um menino de corpo inteiro e próximo ao
quadro estarão virados para baixo, imagens das partes da vestimenta que compõe a roupa de
um vaqueiro, além dos instrumentos de trabalho e utensílios. Com isso, os alunos devem
colar junto a imagem central do quadro as devidas figuras, em seus respectivos lugares,
referentes ao traje do vaqueiro. Nosso objetivo é apresentar para os alunos as indumentárias
comuns do vaqueiro, explicando a sua função, importância e contexto histórico de cada uma.
 Iniciaremos o encontro executando as músicas “A Morte do Vaqueiro”, regravada por
Dominguinhos e Alcymar Monteiro e “Vida de Vaqueiro”; de Nelson Barbalho , analisando
suas respectivas letras, levantando problemáticas e por fim estabelecendo uma conexão entre
ambas e sobretudo, destacando a força e valentia do sertanejo.
5
 Em seguida, vincularemos as músicas com a leitura e interpretação do conto “O Regresso”,
de José Condé, objetivando construir juntamente com os alunos informações e
características típicas do sertanejo nordestino. Além disso, buscaremos propor uma reflexão
sobre os valores culturais e práticas nordestinas que gradativamente vem se perdendo com o
avanço da modernidade e das novas tecnologias.
 Seguidamente, apresentaremos a reportagem, “Relembrando fatos de 2016 – Proibição da
vaquejada”, possibilitando discussões acerca do tema e levantando posicionamentos
divergentes. Ou em apoio a tradição cultural e religiosa do esporte ou em desaprovação,
devido à violência empregada nos animais participantes da vaquejada como evento de
entretenimento.
 Logo após, utilizando a dicotomia instaurada com o texto anterior, exibiremos o
documentário “Vida de Vaqueiro”, disponível no Youtube, debatendo sobre a real figura do
vaqueiro e seu contexto histórico. Encerraremos esse encontro solicitando aos alunos que
discorram em um pequeno parágrafo suas opiniões sobre a temática da vaquejada,
considerando as discussões realizadas neste encontro.
5°ENCONTRO: Sertaneja, mulher macho sim sinhô! (12/04)
Elemento motivador: Dinâmica “A mulher sertaneja é...”
Descrição das ações:
 Primeiramente, realizaremos a dinâmica “A mulher sertaneja é...”, que se procederá da
seguinte forma: distribuiremos papeis e lápis para os discentes, neste papel estará escrito a
subtemática “Sertaneja, mulher macho sim sinhô!”, e assim, pediremos que escrevam uma
palavra que descreva uma característica da mulher sertaneja. O objetivo dessa dinâmica é
identificar o conhecimento que os discentes têm sobre a mulher sertaneja e os estereótipos
formados sobre elas;
 Em seguida, apresentaremos o poema “Vietnã”, de Wislawa Szymborska e logo após, o
cordel “A mulher que vendeu o marido por R$ 1,99”, de Janduhi Dantas, para efetuarmos
uma análise comparativa evidenciando a figura da mulher nordestina e suas características
nos diferentes gêneros, enfatizando a força da mulher nordestina, desmistificando a ideia de
que “mulher só serve para reprodução”. Com isto, também aproveitaremos a dramatização
do cordel para comparar com o texto dramático, uma vez que esse gênero proporciona um
diálogo com humor e crítica social, assim como alguns textos dramáticos, e através dele,
ainda focaremos no figurino dos personagens, pois é um elemento importante da linguagem
visual do espetáculo formado por, além das vestimentas, pelos acessórios.
6
 Exibiremos o vídeo Maria's interview - BRAZIL - #HUMAN, disponível no Youtube, com
o objetivo de mostrar a força da sertaneja, galgando novos sonhos e construindo uma nova
identidade de uma mulher que além de cuidar da casa, também procura crescimento
educacional;
 Logo em seguida, executaremos as músicas “Paraíba”, de Luiz Gonzaga e “Mulher
Rendeira”, de Elba Ramalho, para promovermos o reconhecimento do contexto histórico da
sertaneja, apreciando de tal forma, a representação feminina no cangaço, destacado pela
figura de Maria Bonita e a sua força de mulher valente para o cenário daquela época,
transfigurando para as mulheres nordestinas dos dias atuais.
 Posteriormente, exibiremos o vídeo Maria Bonita - A Rainha do Cangaço, disponível no
Youtube, que retrata um pouco da história e valentia de Maria Bonita diante do cangaço e
logo depois, executaremos a música “Maria, Maria”, de Milton Nascimento para refletirmos
sobre a expressividade e importância que existe no nome Maria, nome este, tão comum no
Nordeste brasileiro.
 Por fim, realizaremos uma atividade oral intitulada como “batata quente”. O objetivo é
relembrar os principais pontos abordados no quarto e quinto encontros. Para isso,
colocaremos algumas perguntas dentro de uma caixa, e eles deverão repassar um para o
outro, neste momento executaremos a música “Paraíba masculina”, para pausarmos no
momento em que a caixa estiver de mãos em mãos, e o aluno que ficar com a caixa deverá
pegar uma pergunta e responder, dependendo do seu desempenho a partir da argumentação,
ganhará um prêmio surpresa.
6º ENCONTRO: Eu só quero um xodó pra chamar de meu: casamento nordestino e suas
singularidades (13/04)
Ambientação: A sala estará ornamentada com objetos que remetam ao romantismo, como: imagens
de casais, aliança, corações, flores, balões vermelhos e frases românticas, na finalidade de propor
um ambiente de descontração e introdução a subtemática.
Elemento motivador: Dinâmica “Dinâmica dos pares”
Descrição das ações:
 Inicialmente, realizaremos a dinâmica dos pares, que será da seguinte maneira: dividiremos
a sala em dois grupos, meninos e meninas, cada grupo terá um saquinho com algumas frases
dentro, e cada frase será enumerada, por exemplo, o primeiro aluno de um grupo que pegar
uma frase de número “1”, terá a resposta completa de sua frase lida pelo integrante do outro
grupo com a mesma enumeração. Ex: 1) Eu sou um relógio sem ponteiro / 1) eu sou o
7
ponteiro do seu relógio; 2) Eu sou uma noite sem estrelas / 2) Eu sou as estrelas da sua noite,
e assim sucessivamente. O objetivo dessa dinâmica é propor um momento de descontração,
bem como introduzir a subtemática de forma que todos demonstrem uma afetividade e
espontaneidade uns para com os outros;
 Em seguida, realizaremos a leitura do texto “Hábitos dos nordestinos (séc. XIX)”, extraído
do livro “Genealogia sertaneja”– Capítulo IV. Destacaremos as características e costumes
dos nordestinos apresentados nos textos, de modo a resgatar do aluno opiniões e
considerações à cerca do tema abordado no texto.
 Logo após, executaremos a música “Eu Só Quero Um Xodó”, de Dominguinhos, na
intenção de aprofundar uma discussão em torno dessa temática, e introduzindo a leitura que
será realizada a seguir;
 Por fim, nós professores, faremos a leitura dramatizada do segundo ato (parte da celebração
do casamento) da obra “O casamento suspeitoso”, de Ariano Suassuna, objetivando mostrar
aos alunos possíveis adversidades recorrentes aos costumes e a cultura nordestina, além
disso, possibilitar um contato maior com a caracterização, fala e desenvolvimento de cada
personagem, despertando nos discentes o interesse por participarem de uma apresentação
teatral e, ainda retomaremos uma análise sobre caracterização e figurino dos personagens,
elemento importante na linguagem visual do espetáculo.
7º ENCONTRO: O sertão vai virar mar e o mar vai virar sertão: a força de um povo diante
da seca na região (19/04)
Elemento motivador: “Charges, memes e imagens sobre a seca do nordeste”
Descrição das ações:
 Inicialmente, dividiremos a turma em quatro grupos, para distribuirmos cópias de algumas
charges, imagens e memes entre eles. Em seguida, eles serão incentivados e auxiliados a
realizarem a leitura e interpretação dos gêneros que lhes foram entregues, na finalidade de
trabalhar e de explorar a subtemática, assim como a argumentação através da oralidade;
 Depois da leitura realizada entre eles, cada grupo deverá selecionar um participante para
expor e explicar o significado temático que os gêneros transmitem. O objetivo da dinâmica,
além de introduzir esta subtemática, é estimular a participação oral e observar as possíveis
formas de interpretação de cada gênero;
 Seguidamente, entregaremos letras de duas músicas, sendo elas “Súplica Cearense”, de O
Rappa, e “Sobradinho”, de Biquíni Cavadão, na intenção de analisarmos as letras
8
juntamente com os alunos, permitindo que eles percebam que as duas abordam uma mesma
temática, porém de formas diferentes;
 Após a análise das músicas, faremos a leitura do cordel “Abc do nordeste flagelado”, de
Patativa do Assaré, essa leitura será realizada de forma dinâmica, por exemplo,
distribuiremos as partes de cada verso entre os alunos, para que cada um leia sua parte,
assim que o “A” terminar de ler seu verso, quem tiver com o “B” dará continuidade, e assim
sucessivamente. Esse cordel tem como tema principal a seca do nordeste, objetivando que
após a leitura, seja feita uma análise e reflexão do cordel, trazendo a discussão para
realidade dos alunos, e através dessa leitura de forma dramatizada e dinâmica, destacaremos
outros importantes aspectos teatrais, que são a organização do espaço, tempo e ordem de
fala de cada personagem, bem como a sintonia entre a fala deles.
 Em seguida, realizaremos uma leitura com pausas estratégicas do capítulo “Baleia”, do livro
Vidas Secas, de Graciliano Ramos, enfatizando a seca no Nordeste e a difícil jornada de uma
família em meio a seca, como também o triste estado em que se encontrava a cachorra, xodó
dos filhos de Fabiano e Sinhá Vitória. Além de enfatizar o posicionamento, linguagem e a
forma como o autor faz descrições em sua obra.
 Encerraremos com o documentário “A seca no sertão: a terra, a luta, a gente”, que mostra a
realidade das famílias que vivem em extremas condições de vida em decorrência da seca.
Nosso objetivo é mostrar aos alunos que a seca é uma realidade não muito distante de nós,
com isso, o documentário irá resgatar tudo que foi discutido durante a aula e por fim,
colaborará para a reflexão final em torno do tema.
8º ENCONTRO: CINE-CLIC (O quinze) (20/04)
Descrição das ações:
 Nesta aula, realizaremos a leitura e discussão da sinopse do filme “O quinze”, baseado na
obra literária de Raquel de Queiroz, destacando os aspectos temáticos, como: seca, e a difícil
jornada em uma região com escassez de chuvas; e estruturais, como: texto expositivo que
apresenta de forma resumida o conteúdo de um objeto cultural, normalmente com a intenção
de antecipar o que é a obra. Ainda nesse quesito, falaremos que esse procedimento também é
utilizado nas peças teatrais, pois é essencial que para divulgação de uma peça, antes seja
elaborado uma sinopse para resumir e anteceder o leitor, ou espectador, do que tal obra irá
retratar;
 E logo em seguida, exibiremos o filme “O quinze”, que foi baseado na obra literária da
escritora cearense Raquel de Queiroz. A partir dele, pretendemos aprofundar o tema do
encontro anterior, destacando aspectos enfatizados na obra da escritora, como: a realidade da
9
seca, a pobreza através da descrição crítica e, ao mesmo tempo, emocionante a triste
realidade do povo nordestino que, assolado pela seca e a miséria social, é forçado a migrar
da sua região de origem em busca de melhores condições de vida nos grandes centros
urbanos.
9º ENCONTRO: Uma nação dentro de um grande país: orgulho de ser nordestino (26/04)
Elemento motivador: “Jogo de perguntas e respostas”
Descrição das ações:
 Primeiramente, colocaremos dentro de alguns balões, algumas perguntas referentes ao
encontro de hoje, para isto, elaboraremos perguntas que estejam relacionadas ao nordeste, e,
assim, comentaremos à cerca de cada resposta de modo que possibilite um momento de
reflexão entre os discentes em relação a grande importância que esta região possui dentro do
Brasil;
 Em seguida, ouviremos a música “Orgulho de ser nordestino”, de Flávio José, fazendo uma
relação entre a dinâmica e a letra da música, com a finalidade de despertar nos discentes um
olhar de valorização pela região em que vivem;
 Posteriormente, realizaremos a leitura do artigo de opinião “Eu tenho vergonha dos
nordestinos que se envergonham do Nordeste”, de Gerado José, para fazermos um
contraponto com a letra da música anterior, como também, apresentarmos as características
estruturais do gênero, enfatizando que é um texto no qual o autor expõe o seu
posicionamento em relação a algum tema, utilizando-se de argumentos convincentes para
exposição do seu ponto de vista. A leitura é acessível, uma vez que a intenção é atingir todo
tipo de leitor e é comum a circulação em jornais e revistas.
 Logo após, apresentaremos em slides, algumas imagens que mostram a exuberância de
lugares que são uma referência dessa região, bem como as festas e comidas que são
referências em todo o Brasil e, a partir da exibição dessas imagens, deixaremos que eles
falem sobre o que estão vendo, se conheciam ou não, os lugares, mitos e cultura que lhes
estão sendo apresentados;
 Por fim, solicitaremos a produção de cartazes, em que os discentes serão incentivados a
demonstrarem o quanto sentem orgulho de ser do nordeste. Para isto, levaremos revistas e
jornais, para que eles se utilizem dos materiais necessários para essas produções. OBS: estes
cartazes serão expostos no pátio da escola, no dia da culminância do projeto, na finalidade
de divulgar os trabalhos do projeto CLIC por toda escola.
10º ENCONTRO: Nordestinos famosos na TV, no teatro, na literatura e na música (27/04)
10
Elemento motivador: “Quem sou eu?”
Descrição das ações:
 Inicialmente, realizaremos a dinâmica “Quem sou eu?”, que se realizará da seguinte forma:
espalharemos pela sala de aula, diversos cartazes com imagens de nordestinos famosos,
sendo eles:Romero Britto, artista plástico pernambucano; Tom Cavalcante, humorista e
apresentador cearense; Marco Nanini, ator pernambucano; Chico César, músico paraibano;
Cacá Diegues, cineasta alagoano; Lourdes Ramalho, dramaturga paraibana; Roberta
Miranda, cantora paraibana; Ariano Suassuna, escritor paraibano; Chico Anysio, ator
cearense; Jorge Amado (1912-2001), escritor baiano; Lucy Ramos, atriz pernambucana ;
Luiz Gonzaga (1912-1989), compositor e cantor pernambucano; Mayana Neiva,
paraibana;Hulk, jogador de futebol;Fulô de mandacaru, Banda nordestina; Lucas Veloso,
ator paraibano; eWhindersson Nunes, comediante, blogueiro e youtuber brasileiro conhecido
pelos seus vídeos de humor no Youtube. Após as imagens de todos eles estarem expostas,
dentro de uma caixa, colocaremos a biografia dos respectivos famosos, para que os alunos
colem as descrições na imagem em que achar correspondente a tal famoso;
 Em seguida, após verificar o conhecimento deles, iremos relatar sobre os famosos que eles
mais tenham apresentado uma certa dificuldade, e também, pediremos que exponham
outros famosos que não estavam inseridos nos cartazes. O objetivo desta dinâmica é avaliar
o grau de conhecimento dos alunos referente aos famosos nordestinos abordados.
 Dando continuidade, exibiremos o vídeo “Bráulio Bessa e João Neto recitam cordel pelo Dia
do Nordestino”, vídeo este que foi exibido no quadro “poesia com rapadura”, do programa
“Encontro com Fátima Bernardes”, a partir dele faremos uma discussão sobre a temática do
vídeo e em seguida, leremos a biografia de Bráulio Bessa, apontando a importância desse
grande representante da região nordeste;
 Posteriormente, como o vídeo faz uma rápida introdução sobre Patativa do Assaré, traremos
a biografia dele, para que os alunos, que ainda não o conheceram, passem a tomar
conhecimento de um dos maiores poetas populares do Brasil, e assim, tenham contato com a
vida e obras deste grande poeta;
 Logo após, leremos o poema “A terra é nossa”, de Patativa do Assaré, analisando a estrutura
e a temática do poema, mostrando o cuidado e a forma em que ele relata sobre a terra e a
criação dela;
 Em seguida, realizaremos a leitura do cordel “O vôodo Patativa”, de Dideus Sales, este
cordel é uma homenagem que descreve sobre a importância dos escritos de Patativa, e nos
permite fazer uma retrospectiva de como ele se portava diante dos seus textos e a
importância dele para os poetas nordestinos;
11
 Por fim, exibiremos o vídeo “Qual é a senha do wifi”, uma paródia da música da cantora
Adelle, realizada por Windersson Nunes. Após a apresentação do vídeo, falaremos a respeito
deste grande comediante, atualmente renomado como o maior Youtuber do Brasil.A partir
deste vídeo, destacaremos a importância que o figurino, cenário e expressão facial do
humorista possuem para uma reprodução com maior nível de compreensão e objetividade,
estes são fatores essenciais que também devem estar contidos na encenação de uma peça
teatral.
11º ENCONTRO: PASSEIO AO TEATRO (03/05)
 Neste encontro, realizaremos uma aula de campo, através de um passeio ao Teatro Facisa,
com o objetivo de:
 Apresentar a estrutura do teatro aos alunos;
 Seremos conduzidos pela professora de teatro da Instituição, Valquíria Gonçalves,
que nos esclarecerá sobre a origem, a importância do teatro no Nordeste e as
características básicas que compõe a formação de um teatro, como a conceituação do
que é um palco italiano, o que é urdimento, rotunda, ciclorama dentre outros
aspectos relevantes à serem apresentados;
 Despertar nos alunos o desejo de escrever a peça, a qual será nosso produto final;
 Propor um momento de descontração e aprendizagem.
12º ENCONTRO: Texto Dramático – Características do Gênero (04/05)
Elemento motivador: “Sem pé nem cabeça”
Descrição das ações:
 Primeiramente, realizaremos a dinâmica “Sem pé nem cabeça”, que se procederá da seguinte
forma: pegaremos fragmentos de textos dramáticos diversificados, e, distribuiremos para os
alunos, cada fragmento será enumerado, para que eles leiam na ordem em que vamos lhes
propor, e, ao decorrer da leitura perceberão que o texto não apresenta uma ordem
cronológica, e esta completamente sem sentido algum. O objetivo dessa dinâmica é
despertar nos discentes a importância da lógica para o texto dramático, principalmente
quando ele dramatizado como peça teatral;
 Em seguida, faremos uma atividade intitulada “jogo dos sentimentos”. Para este jogo,
iremos precisar de duas caixas. Em uma caixa estarão contidas algumas falas de uma peça
teatral, e frases escrita por nós, como por exemplo “Você é a pessoa mais incrível que já
conheci”, nisto, quem pegar tal frase, terá que ver na outra caixa um papel com um
12
sentimento escrito, como: raiva, carinho, ódio, e assim por diante, e assim deverá dizer a
frase incorporando a tal sentimento. O objetivo dessa atividade, é desenvolver a
espontaneidade e diminuir a timidez.
 Posteriormente, trabalharemos as características gerais do texto dramático em slides,
mostrando que é uma ficção em forma de diálogo, cuja ação não é simplesmente narrada,
mas sim representada, nelas, destacaremos a estrutura dramática e localização espacial: Ato
e cena, e ainda a sinopse, personagens, função/desempenho de cada fala no decorrer do
gênero. Com isto, enfatizaremos todas as partes, mas em especial, traremos a sinopse da
peça “As velhas”, de Lourdes Ramalho, para que eles percebam com mais nitidez a função
da sinopse para o gênero dramático;
 Após a leitura da sinopse, leremos a cena 1, da peça “As velhas”, autoria de Lourdes
Ramalho, com isso objetivamos amarrar as discussões realizadas até o momento,
identificando e discutindo no decorrer da leitura as características do gênero através do
contato como mesmo.
 Por fim, leremos a biografia de Lourdes Ramalho, mostrando sua grande importância e
influencia na literatura nordestina.
13º ENCONTRO: GINCANA NO CLIC: “Refrescando a memória” (10/05)
 Neste encontro, iremos retomar os assuntos estudados em nossas subtemáticas, através da
realização de uma “Gincana”. Nela, realizaremos algumas brincadeiras que incentivarão na
retomada dos conteúdos estudados, destacando, principalmente, as leituras das peças
teatrais, e os demais gêneros trabalhados em sala. Os alunos realizarão diversas atividades
recreativas, como: mímicas, dramatizações, e outras brincadeiras típicas do Nordeste.
 Os objetivos principais para a realização da gincana serão:
 Refletir sobre as funções da leitura e os aspectos das peças teatrais e demais
gêneros;
 Possibilitar um ambiente de troca de conhecimentos de forma atrativa e
participativa por parte dos discentes;
 Retomar discussões realizadas com as leituras dos encontros de forma
atraente e estimulante;
 Despertar o espírito de liderança, atenção, motivação e criatividade.
14º ENCONTRO: INÍCIO DA PRODUÇÃO DO TEXTO DRAMÁTICO (11/05)
13
 Nesse encontro,discutiremos sobre os principais pontos da temática, especificamente sobre a
visita ao teatro. Após esse momento de diálogo, sentaremos com eles para orientá-los na
escrita de uma peça teatral, enfatizando uma ideia geral que será fundamental na elaboração
da sinopse da peça. O tema será definido por eles após uma roda de discussão, para isto,
estimularemos os discentes, orientando todo o processo dessa escrita;
 Após a apresentação dessa proposta, diremos que a peça deve conter no máximo quatro atos,
e deixaremos que cada grupo escreva sobre um ato, desde que o tema esteja de acordo com
uma temática geral, proposta por eles após a discussão entre todos.
15º ENCONTRO: REESCRITA DO TEXTO DRAMÁTICO (17/05)
 Após o início da escrita do texto dramático pelos alunos, iremos avaliar o ATO de cada
grupo, observando questões como: erros de ortografia, coesão e coerência do texto,
adequação ao gênero proposto e o sentido como um todo do texto, incentivando-os na
reescrita e adaptação do que for necessário para que a peça apresente um sentido completo,
de acordo com as ideias descritas na sinopse.
16º ENCONTRO: ESCRITA DA SINOPSE E PRIMEIRO ENSAIO DA PEÇA: leitura de
mesa (18/05)
 Nesse encontro, iniciaremos a escrita da sinopse da peça, bem como os ensaios da mesma,
que será nossa atividade final, tendo como base os assuntos discutidos em sala de aula;
 Será definido com os alunos, a temática central da peça e logo em seguida, com o auxílio
dos professores, a definição dos personagens, as primeiras leituras acerca do roteiro da peça
e o primeiro ensaio para que os alunos entrem em contato com esse ambiente, tornando-se
aptos para encená-la para toda a escola.
17º ENCONTRO: Segundo ensaio da peça: indumentária e marcações (24/05)
 Realizaremos neste dia, alguns exercícios sobre jogos teatrais e como se comportar
em uma apresentação teatral, de modo que os alunos desenvolvam melhor suas encenações;
 Neste encontro, daremos continuidade acertando os últimos detalhes do roteiro da
peça, como também um intensivo ensaio e a definição do figurino, para que os alunos no dia
da apresentação diante de toda a comunidade escolar estejam preparados para a encenação.
18º ENCONTRO: Terceiro ensaio da peça: presença de palco (25/05)
14
 Neste encontro, realizaremos o ensaio final para peça, repassando com os alunos os
ajustes finais, como a marcação de cena e o roteiro. Além disso, estaremos trabalhando com
os demais alunos que não farão parte do elenco, porém, trabalharão nos bastidores.
19º ENCONTRO: CULMINÂNCIA DO PROJETO (31/05)
 Neste encontro, iremos fazer a apresentação da peça teatral que foi escrita pelos discentes.
Para esta apresentação, elaboraremos alguns convites e cartazes que estarão espalhados pela
escola, nestes cartazes iremos divulgar o título da peça, como se realmente fôssemos
apresentar em um teatro. O objetivo dessa apresentação é em divulgar o projeto na escola,
assim como encerrar os períodos de aulas, dando a oportunidade de alunos, professores e
funcionários da escola verem o resultado do projeto, além de despertar nos alunos assíduos,
a possibilidade de desenvolverem sua oralidade e criatividade.
20º ENCONTRO: CONFRATERNIZAÇÃO - VIVA O CLIC! (01/06)
 Para finalizarmos as atividades de 2017.1, prepararemos, nesse vigésimo encontro,
um momento de descontração com os discentes através de atividades recreativas e lanche
coletivo.
REFERÊNCIAS:
ANDRADE, Clériston.Eu tenho vergonha dos nordestinos que se envergonham do nordeste!
https://www.geraldojose.com.br/index.php?sessao=noticia&cod_noticia=56601.Acesso em: 19 de fevereiro
de 2017.
ASSARÉ, Patativa. ONordeste é poesia. Disponível em: http://www.overmundo.com.br/banco/o-nordeste-e-
poesia. Acesso em: 20 de fevereiro de 2017.
______, Patativa. Biografia. Disponível em: https://www.ebiografia.com/patativa_assare/. Acesso em 22 de
fevereiro de 2017.
______, Patativa. A terra é nossa. Disponível em: http://cacalopes.com.br/literatura-cordel/a-terra-e-nossa/.
Acesso em: 22 de fevereiro de 2017.
BESSA, Bráulio. Quem é esse cabra? – Biografia. Disponível em: https://www.brauliobessa.com/ acesso em
22 de fevereiro de 2017.
CAVADÃO, Biquini. Sobradinho. Disponível em: https://www.letras.mus.br/biquini-cavadao/199940/ acesso
em 23 de fevereiro de 2017.
CHARGE: No consultório médico. Disponível em:https://1.bp.blogspot.com/-
iNV0S7VG1fw/Uifh4FzuT_I/AAAAAAAAVlc/z_Ds6C8Ok-8/s640/charge+medicos.jpg. Acesso em 11 de
março de 2017.
CORDEL, Carlinhos. Nordeste: aqui é o meu lugar!. Disponível em:
http://www.recantodasletras.com.br/cordel/2149968. Acesso em: 23 de fevereiro de 2017.
15
CONDÉ, José. Santa Rita: Histórias da cidade morta e Os dias antigos. 3. ed. Rio de Janeiro/Brasília:
Civilização Brasileira/ INL, 1977, p. 11-17
DANTAS, Janduhi. A mulher que vendeu o marido por 1,99. Disponível em: http://leiacordel.com.br/1/72-a-
mulher-que-vendeu-o-marido-por-r-199.html
Acesso em 24 de fevereiro de 2017.
SALES, Dideus. O vôodo patativa. Disponível em: http://mundocordel.blogspot.com.br/2007/09/patativa-do-
assar.html. Acesso em: 22 de fevereiro de 2017.
DOMINGUINHOS. Eu só quero um xodó. Disponível em: https://www.vagalume.com.br/dominguinhos/eu-
so-quero-um-xodo.html. Acesso em 20 de fevereiro de 2017.
FILME: O quinze. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=Uu1i1U4EiPc.
GONZAGA, Luiz. Paraíba. Disponivel em: https://www.letras.mus.br/luiz-gonzaga/47095/ acesso em 23 de
fevereiro de 2017.
HQ. Chico Bento em... Bom Português. Disponível em:
http://sopadeletrasunip.blogspot.com.br/2012/10/pluralidade-cultural-pluralidade.html. Acesso em 11 de
março de 2017.
JOSÉ, Flávio. Orgulho de ser nordestinho. Disponível em: https://www.letras.mus.br/flavio-jose/788355/.
Acesso em: 21 de fevereiro de 2017.
NASCIMENTO, Milton. Maria, Maria. Disponível em: https://www.letras.mus.br/milton-nascimento/47431/
acesso em 24 de fevereiro de 2017.
PINTO, Isabel. Hábitos dos nordestinos (século xix). Disponível
em:http://genealogiasertaneja.blogspot.com.br/2013/06/habitos-dos-nordestinos-seculo-xix.html acesso em
21 de fevereiro de 2017.
QUIRINO, Jessier. Paisagem de interior. Disponível em:https://www.letras.mus.br/jessier-quirino/718316/.
Acesso em: 23 de fevereiro de 2017.
RAMALHO, Elba. Mulher Rendeira. Disponível em: https://www.letras.mus.br/elba-ramalho/mulher-
rendeira/
Acesso em 24 de fevereiro de 2017.
RAMALHO, Zé. Admirável gado novo, avohaí. Disponível em: https://www.letras.mus.br/ze-
ramalho/49361/ acesso em 23 de fevereiro de 2017.
RAMOS, Graciliano. Baleia. In:Vidas secas. Disponível em:
http://www.lettere.uniroma1.it/sites/default/files/528/GRACILIANO-RAMOS-Vidas-secas-livro-
completo.pdf. Acesso em 24 de fevereiro de 2017.
RAPPA. Súplica cearense. Disponível em https://www.letras.mus.br/o-rappa/1333721/
acesso em 24 de fevereiro de 2017.
REPORTAGEM: Relembrando fatos de 2016 – Proibição da vaquejada. Disponível
em:http://osdivergentes.com.br/orlando-brito/proibicao-da-vaquejada-de-simples-questao-a-grande-
polemica/ . Acesso em: 24 de fevereiro de 2017.
SIQUEIRA, Marcílio. Eu não troco meu ôxente, pelo ok de ninguém. Disponível
em:http://blognoticiasemdestaque.blogspot.com.br/2014/04/poesia-eu-nao-troco-o-meu-oxente-pelo.html.
Acesso em: 09 de fevereiro de 2017 acesso em 23 de fevereiro de 2017.
SINOPSE: O quinze. Disponível em: http://www.adorocinema.com/filmes/filme-202245/. Acesso em: 19 de
fevereiro de 2017.
16
SINOPSE: As velhas. Disponível em: http://www.passeiweb.com/estudos/livros/as_velhas. Acesso em: 23 de
fevereiro de 2017.
SUASSUNA, Ariano. Auto da Compadecida. ed. 35ª. Rio de Janeiro: Agir,2005, p. 100 – 112.
________, Ariano. O casamento suspeito. 1961.
SZYMBORSKA, Wislawa. Poema Vietnã. Disponível
em:http://casulotemporario.blogspot.com.br/2009/11/vietna-um-poema-de-wislawa-szymborska.html?m=1.
Acesso em 22 de fevereiro de 2017.
VÍDEO: A gaita. https://www.youtube.com/watch?v=iqS12X-NR7I. Acesso em: 11 de março de 2017.
VÍDEO: https://www.youtube.com/watch?v=npErliDE1xg. Acesso em: 11 de março de 2017.
VÍDEO DOCUMENTÁRIO: Vida de vaqueiro. https://www.youtube.com/watch?
v=R2HZqvNlYrw&t=843s. Acesso em: 11 de março de 2017.
VÍDEO: https://www.youtube.com/watch?v=Lp4YcKygK2s. Acesso em: 11 de março de 2017.
VÍDEO: https://www.youtube.com/watch?v=Yog7XuKruIo. Acesso em: 11 de março de 2017.
VÍDEO: https://www.youtube.com/watch?v=tWs1E2BfNZE. Acesso em: 11 de março de 2017.
WALTER, Mano. Vida de Vaqueiro. Disponível em: https://www.vagalume.com.br/mano-walter/vida-de-
vaqueiro.html acesso em 24 de fevereiro de 2017.
XC, Rapadura. Norte nordeste me veste. Disponível em:
https://www.vagalume.com.br/rapadura/nortenordeste-me-veste.htmlAcesso em: 20 de fevereiro de 2017.
17

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Plano de ação 2011
Plano de ação 2011Plano de ação 2011
Plano de ação 2011
GERALDOGOMESDEBARROS
 
Projeto contra racismo na escola
Projeto contra racismo na escolaProjeto contra racismo na escola
Projeto contra racismo na escola
nivalda
 
Plano de aula História em quadrinhos
Plano de aula História em quadrinhos Plano de aula História em quadrinhos
Plano de aula História em quadrinhos
Miriã Cristina
 
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANOINTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
tacianarangel
 
Gênero textual: Cordel
Gênero textual: CordelGênero textual: Cordel
Gênero textual: Cordel
Mary Alvarenga
 
Projeto de leitura para o 3º bimestre
Projeto de leitura para o 3º bimestreProjeto de leitura para o 3º bimestre
Projeto de leitura para o 3º bimestre
heliane
 
Sequência didática: O Leão e o Ratinho
Sequência didática: O Leão e o RatinhoSequência didática: O Leão e o Ratinho
Sequência didática: O Leão e o Ratinho
Shirley Lauria
 
Notícia gênero textual
Notícia gênero textualNotícia gênero textual
Notícia gênero textual
Ana Lúcia Moura Neves
 
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aulaOficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Josilene Borges
 
Projeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em Comunidade
Projeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em ComunidadeProjeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em Comunidade
Projeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em Comunidade
Vania Brasileiro
 
Produção textual
Produção textual Produção textual
Produção textual
Mary Alvarenga
 
SLIDES – TIRINHAS.
SLIDES – TIRINHAS.SLIDES – TIRINHAS.
SLIDES – TIRINHAS.
Tissiane Gomes
 
Projeto semana da pátria
Projeto semana da pátriaProjeto semana da pátria
Projeto semana da pátria
Luana Maria Ferreira Fernandes
 
Gênero textual: Fabulas e contos
Gênero textual: Fabulas e contos Gênero textual: Fabulas e contos
Gênero textual: Fabulas e contos
Mary Alvarenga
 
Sequencia didatica poesia
Sequencia didatica poesiaSequencia didatica poesia
Sequencia didatica poesia
Keila Arruda
 
Plano de ensino religião
Plano de ensino  religiãoPlano de ensino  religião
Plano de ensino religião
simonclark
 
Cidadania e direitos sociais (1)
Cidadania e direitos sociais (1)Cidadania e direitos sociais (1)
Cidadania e direitos sociais (1)
Atividades Diversas Cláudia
 
Aulas de protagonismo juvenil ef
Aulas de protagonismo juvenil efAulas de protagonismo juvenil ef
Aulas de protagonismo juvenil ef
Marina da Costa Lima
 
1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras
1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras
1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras
Eleúzia Lins Silva
 

Mais procurados (20)

Plano de ação 2011
Plano de ação 2011Plano de ação 2011
Plano de ação 2011
 
Projeto contra racismo na escola
Projeto contra racismo na escolaProjeto contra racismo na escola
Projeto contra racismo na escola
 
Plano de aula História em quadrinhos
Plano de aula História em quadrinhos Plano de aula História em quadrinhos
Plano de aula História em quadrinhos
 
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANOINTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
 
Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
 
Gênero textual: Cordel
Gênero textual: CordelGênero textual: Cordel
Gênero textual: Cordel
 
Projeto de leitura para o 3º bimestre
Projeto de leitura para o 3º bimestreProjeto de leitura para o 3º bimestre
Projeto de leitura para o 3º bimestre
 
Sequência didática: O Leão e o Ratinho
Sequência didática: O Leão e o RatinhoSequência didática: O Leão e o Ratinho
Sequência didática: O Leão e o Ratinho
 
Notícia gênero textual
Notícia gênero textualNotícia gênero textual
Notícia gênero textual
 
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aulaOficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
 
Projeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em Comunidade
Projeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em ComunidadeProjeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em Comunidade
Projeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em Comunidade
 
Produção textual
Produção textual Produção textual
Produção textual
 
SLIDES – TIRINHAS.
SLIDES – TIRINHAS.SLIDES – TIRINHAS.
SLIDES – TIRINHAS.
 
Projeto semana da pátria
Projeto semana da pátriaProjeto semana da pátria
Projeto semana da pátria
 
Gênero textual: Fabulas e contos
Gênero textual: Fabulas e contos Gênero textual: Fabulas e contos
Gênero textual: Fabulas e contos
 
Sequencia didatica poesia
Sequencia didatica poesiaSequencia didatica poesia
Sequencia didatica poesia
 
Plano de ensino religião
Plano de ensino  religiãoPlano de ensino  religião
Plano de ensino religião
 
Cidadania e direitos sociais (1)
Cidadania e direitos sociais (1)Cidadania e direitos sociais (1)
Cidadania e direitos sociais (1)
 
Aulas de protagonismo juvenil ef
Aulas de protagonismo juvenil efAulas de protagonismo juvenil ef
Aulas de protagonismo juvenil ef
 
1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras
1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras
1ª Sequência Didática - Género textual: Lista de compras
 

Semelhante a Sequência Didática: Ôxente! Isso Aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatura e a Dramaturgia (2017.1)

Sequência didática 2016.2
Sequência didática   2016.2Sequência didática   2016.2
Sequência didática 2016.2
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Sd versão final
Sd versão finalSd versão final
Sd versão final
Benilde Cassandra
 
Sequência didática 2014.2 pibid
Sequência didática 2014.2   pibidSequência didática 2014.2   pibid
Sequência didática 2014.2 pibid
Renally Arruda
 
Apresentação sd 2016.2
Apresentação sd 2016.2Apresentação sd 2016.2
Apresentação sd 2016.2
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Sequência Folclore
Sequência FolcloreSequência Folclore
Sequência Folclore
Bruna Maria
 
Portfólio do projeto poesias 1º ano2 º trimestre 2010
Portfólio do projeto poesias 1º ano2 º trimestre 2010Portfólio do projeto poesias 1º ano2 º trimestre 2010
Portfólio do projeto poesias 1º ano2 º trimestre 2010
Colégio Degraus
 
Sequência Didática: Luz, CLIC e Ação: a reciprocidade cultural entre a Litera...
Sequência Didática: Luz, CLIC e Ação: a reciprocidade cultural entre a Litera...Sequência Didática: Luz, CLIC e Ação: a reciprocidade cultural entre a Litera...
Sequência Didática: Luz, CLIC e Ação: a reciprocidade cultural entre a Litera...
Pibid-Letras Córdula
 
Sequência II - Cordel
Sequência II - CordelSequência II - Cordel
Sequência II - Cordel
Bruna Maria
 
Ethos e pathos discursivos em semiolinguística: Uma proposta de análise do co...
Ethos e pathos discursivos em semiolinguística: Uma proposta de análise do co...Ethos e pathos discursivos em semiolinguística: Uma proposta de análise do co...
Ethos e pathos discursivos em semiolinguística: Uma proposta de análise do co...
viviannapoles
 
Nastrilhasdalinguaportuguesa/sequência-didática-2017.2
Nastrilhasdalinguaportuguesa/sequência-didática-2017.2 Nastrilhasdalinguaportuguesa/sequência-didática-2017.2
Nastrilhasdalinguaportuguesa/sequência-didática-2017.2
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
CULTURA DE CORDEL_A MULTIPLICIDADE E O SINGULAR
CULTURA DE CORDEL_A MULTIPLICIDADE E O SINGULARCULTURA DE CORDEL_A MULTIPLICIDADE E O SINGULAR
CULTURA DE CORDEL_A MULTIPLICIDADE E O SINGULAR
Rita Almeida
 
Projeto 3 bimestre 2º ano f
Projeto 3 bimestre 2º ano fProjeto 3 bimestre 2º ano f
Projeto 3 bimestre 2º ano f
caic-2
 
Mamulengo: História e linguagem
Mamulengo: História e linguagemMamulengo: História e linguagem
Mamulengo: História e linguagem
PIBID_Teatro2014
 
Projeto encantos do cordel
Projeto encantos do cordelProjeto encantos do cordel
Projeto encantos do cordel
Andrea Nogueira
 
Literatura Popular Regional - Alessandra Favero
Literatura Popular Regional  - Alessandra FaveroLiteratura Popular Regional  - Alessandra Favero
Literatura Popular Regional - Alessandra Favero
Lisvaldo Azevedo
 
Rogerio francisco
Rogerio franciscoRogerio francisco
“Paraísos e Infernos na Poética do Enredo Escrito de Joãosinho Trinta”.
“Paraísos e Infernos na Poética do Enredo Escrito de Joãosinho Trinta”.“Paraísos e Infernos na Poética do Enredo Escrito de Joãosinho Trinta”.
“Paraísos e Infernos na Poética do Enredo Escrito de Joãosinho Trinta”.
Joilton Lemos
 
Dialogando com a linguagem visual das historias em quadrinhos em sala de aula...
Dialogando com a linguagem visual das historias em quadrinhos em sala de aula...Dialogando com a linguagem visual das historias em quadrinhos em sala de aula...
Dialogando com a linguagem visual das historias em quadrinhos em sala de aula...
Gustavo Araújo
 
DIALOGANDO COM A LINGUAGEM VISUAL DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS EM SALA DE AULA...
DIALOGANDO COM A LINGUAGEM VISUAL DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS EM SALA DE AULA...DIALOGANDO COM A LINGUAGEM VISUAL DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS EM SALA DE AULA...
DIALOGANDO COM A LINGUAGEM VISUAL DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS EM SALA DE AULA...
Gustavo Araújo
 

Semelhante a Sequência Didática: Ôxente! Isso Aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatura e a Dramaturgia (2017.1) (20)

Sequência didática 2016.2
Sequência didática   2016.2Sequência didática   2016.2
Sequência didática 2016.2
 
Sd versão final
Sd versão finalSd versão final
Sd versão final
 
Sequência didática 2014.2 pibid
Sequência didática 2014.2   pibidSequência didática 2014.2   pibid
Sequência didática 2014.2 pibid
 
Apresentação sd 2016.2
Apresentação sd 2016.2Apresentação sd 2016.2
Apresentação sd 2016.2
 
Sequência Folclore
Sequência FolcloreSequência Folclore
Sequência Folclore
 
Portfólio do projeto poesias 1º ano2 º trimestre 2010
Portfólio do projeto poesias 1º ano2 º trimestre 2010Portfólio do projeto poesias 1º ano2 º trimestre 2010
Portfólio do projeto poesias 1º ano2 º trimestre 2010
 
Sequência Didática: Luz, CLIC e Ação: a reciprocidade cultural entre a Litera...
Sequência Didática: Luz, CLIC e Ação: a reciprocidade cultural entre a Litera...Sequência Didática: Luz, CLIC e Ação: a reciprocidade cultural entre a Litera...
Sequência Didática: Luz, CLIC e Ação: a reciprocidade cultural entre a Litera...
 
Sequência II - Cordel
Sequência II - CordelSequência II - Cordel
Sequência II - Cordel
 
Ethos e pathos discursivos em semiolinguística: Uma proposta de análise do co...
Ethos e pathos discursivos em semiolinguística: Uma proposta de análise do co...Ethos e pathos discursivos em semiolinguística: Uma proposta de análise do co...
Ethos e pathos discursivos em semiolinguística: Uma proposta de análise do co...
 
Nastrilhasdalinguaportuguesa/sequência-didática-2017.2
Nastrilhasdalinguaportuguesa/sequência-didática-2017.2 Nastrilhasdalinguaportuguesa/sequência-didática-2017.2
Nastrilhasdalinguaportuguesa/sequência-didática-2017.2
 
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
 
CULTURA DE CORDEL_A MULTIPLICIDADE E O SINGULAR
CULTURA DE CORDEL_A MULTIPLICIDADE E O SINGULARCULTURA DE CORDEL_A MULTIPLICIDADE E O SINGULAR
CULTURA DE CORDEL_A MULTIPLICIDADE E O SINGULAR
 
Projeto 3 bimestre 2º ano f
Projeto 3 bimestre 2º ano fProjeto 3 bimestre 2º ano f
Projeto 3 bimestre 2º ano f
 
Mamulengo: História e linguagem
Mamulengo: História e linguagemMamulengo: História e linguagem
Mamulengo: História e linguagem
 
Projeto encantos do cordel
Projeto encantos do cordelProjeto encantos do cordel
Projeto encantos do cordel
 
Literatura Popular Regional - Alessandra Favero
Literatura Popular Regional  - Alessandra FaveroLiteratura Popular Regional  - Alessandra Favero
Literatura Popular Regional - Alessandra Favero
 
Rogerio francisco
Rogerio franciscoRogerio francisco
Rogerio francisco
 
“Paraísos e Infernos na Poética do Enredo Escrito de Joãosinho Trinta”.
“Paraísos e Infernos na Poética do Enredo Escrito de Joãosinho Trinta”.“Paraísos e Infernos na Poética do Enredo Escrito de Joãosinho Trinta”.
“Paraísos e Infernos na Poética do Enredo Escrito de Joãosinho Trinta”.
 
Dialogando com a linguagem visual das historias em quadrinhos em sala de aula...
Dialogando com a linguagem visual das historias em quadrinhos em sala de aula...Dialogando com a linguagem visual das historias em quadrinhos em sala de aula...
Dialogando com a linguagem visual das historias em quadrinhos em sala de aula...
 
DIALOGANDO COM A LINGUAGEM VISUAL DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS EM SALA DE AULA...
DIALOGANDO COM A LINGUAGEM VISUAL DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS EM SALA DE AULA...DIALOGANDO COM A LINGUAGEM VISUAL DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS EM SALA DE AULA...
DIALOGANDO COM A LINGUAGEM VISUAL DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS EM SALA DE AULA...
 

Mais de Pibid-Letras Córdula

Clic cordel
Clic cordelClic cordel
Slide entre a espada e a rosa
Slide entre a espada e a rosaSlide entre a espada e a rosa
Slide entre a espada e a rosa
Pibid-Letras Córdula
 
Paisagens do Nordeste brasileiro
Paisagens do Nordeste brasileiroPaisagens do Nordeste brasileiro
Paisagens do Nordeste brasileiro
Pibid-Letras Córdula
 
Características gerais do texto dramático
Características gerais do texto dramáticoCaracterísticas gerais do texto dramático
Características gerais do texto dramático
Pibid-Letras Córdula
 
Módulo Didático: Luz, CLIC e Ação: A Reciprocidade Cultural entre a Literatur...
Módulo Didático: Luz, CLIC e Ação: A Reciprocidade Cultural entre a Literatur...Módulo Didático: Luz, CLIC e Ação: A Reciprocidade Cultural entre a Literatur...
Módulo Didático: Luz, CLIC e Ação: A Reciprocidade Cultural entre a Literatur...
Pibid-Letras Córdula
 
Módulo Didático: Ôxente! Isso aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatura ...
Módulo Didático: Ôxente! Isso aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatura ...Módulo Didático: Ôxente! Isso aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatura ...
Módulo Didático: Ôxente! Isso aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatura ...
Pibid-Letras Córdula
 
Sequência didática Identidade feminina (versão final)
Sequência didática   Identidade feminina (versão final)Sequência didática   Identidade feminina (versão final)
Sequência didática Identidade feminina (versão final)
Pibid-Letras Córdula
 
Florbela Espanca (DADOS BIOGRÁFICOS)
Florbela Espanca  (DADOS BIOGRÁFICOS)Florbela Espanca  (DADOS BIOGRÁFICOS)
Florbela Espanca (DADOS BIOGRÁFICOS)
Pibid-Letras Córdula
 
SLIDES CONTOS ATUALIZADOS
SLIDES CONTOS ATUALIZADOSSLIDES CONTOS ATUALIZADOS
SLIDES CONTOS ATUALIZADOS
Pibid-Letras Córdula
 
Elementos da narrativa 2016.2
Elementos da narrativa 2016.2Elementos da narrativa 2016.2
Elementos da narrativa 2016.2
Pibid-Letras Córdula
 
Dramatização clic entrevista a algumas personagens dos contos maravilhosos-
Dramatização clic   entrevista a algumas personagens dos contos maravilhosos-Dramatização clic   entrevista a algumas personagens dos contos maravilhosos-
Dramatização clic entrevista a algumas personagens dos contos maravilhosos-
Pibid-Letras Córdula
 
Módulo 19 - IDENTIDADE FEMININA: ATUAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA MULHER
Módulo 19 - IDENTIDADE FEMININA: ATUAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA MULHERMódulo 19 - IDENTIDADE FEMININA: ATUAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA MULHER
Módulo 19 - IDENTIDADE FEMININA: ATUAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA MULHER
Pibid-Letras Córdula
 
Artigo de opinião - Aspectos gerais
Artigo de opinião - Aspectos geraisArtigo de opinião - Aspectos gerais
Artigo de opinião - Aspectos gerais
Pibid-Letras Córdula
 
Slide - Profissões antigas
Slide - Profissões antigas Slide - Profissões antigas
Slide - Profissões antigas
Pibid-Letras Córdula
 
Artigo de opinião - SLIDE
Artigo de opinião - SLIDEArtigo de opinião - SLIDE
Artigo de opinião - SLIDE
Pibid-Letras Córdula
 
Módulo avulso - A arte de Adultecer
Módulo avulso - A arte de AdultecerMódulo avulso - A arte de Adultecer
Módulo avulso - A arte de Adultecer
Pibid-Letras Córdula
 
Módulo 17: A arte de Adultecer
Módulo 17: A arte de AdultecerMódulo 17: A arte de Adultecer
Módulo 17: A arte de Adultecer
Pibid-Letras Córdula
 
Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1
Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1
Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1
Pibid-Letras Córdula
 
AS FASES DA VIDA - TIPOS DE VIOLÊNCIA
AS FASES DA VIDA - TIPOS DE VIOLÊNCIAAS FASES DA VIDA - TIPOS DE VIOLÊNCIA
AS FASES DA VIDA - TIPOS DE VIOLÊNCIA
Pibid-Letras Córdula
 
FASES DA VIDA - TIPOS DE FAMÍLIA
FASES DA VIDA - TIPOS DE FAMÍLIAFASES DA VIDA - TIPOS DE FAMÍLIA
FASES DA VIDA - TIPOS DE FAMÍLIA
Pibid-Letras Córdula
 

Mais de Pibid-Letras Córdula (20)

Clic cordel
Clic cordelClic cordel
Clic cordel
 
Slide entre a espada e a rosa
Slide entre a espada e a rosaSlide entre a espada e a rosa
Slide entre a espada e a rosa
 
Paisagens do Nordeste brasileiro
Paisagens do Nordeste brasileiroPaisagens do Nordeste brasileiro
Paisagens do Nordeste brasileiro
 
Características gerais do texto dramático
Características gerais do texto dramáticoCaracterísticas gerais do texto dramático
Características gerais do texto dramático
 
Módulo Didático: Luz, CLIC e Ação: A Reciprocidade Cultural entre a Literatur...
Módulo Didático: Luz, CLIC e Ação: A Reciprocidade Cultural entre a Literatur...Módulo Didático: Luz, CLIC e Ação: A Reciprocidade Cultural entre a Literatur...
Módulo Didático: Luz, CLIC e Ação: A Reciprocidade Cultural entre a Literatur...
 
Módulo Didático: Ôxente! Isso aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatura ...
Módulo Didático: Ôxente! Isso aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatura ...Módulo Didático: Ôxente! Isso aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatura ...
Módulo Didático: Ôxente! Isso aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatura ...
 
Sequência didática Identidade feminina (versão final)
Sequência didática   Identidade feminina (versão final)Sequência didática   Identidade feminina (versão final)
Sequência didática Identidade feminina (versão final)
 
Florbela Espanca (DADOS BIOGRÁFICOS)
Florbela Espanca  (DADOS BIOGRÁFICOS)Florbela Espanca  (DADOS BIOGRÁFICOS)
Florbela Espanca (DADOS BIOGRÁFICOS)
 
SLIDES CONTOS ATUALIZADOS
SLIDES CONTOS ATUALIZADOSSLIDES CONTOS ATUALIZADOS
SLIDES CONTOS ATUALIZADOS
 
Elementos da narrativa 2016.2
Elementos da narrativa 2016.2Elementos da narrativa 2016.2
Elementos da narrativa 2016.2
 
Dramatização clic entrevista a algumas personagens dos contos maravilhosos-
Dramatização clic   entrevista a algumas personagens dos contos maravilhosos-Dramatização clic   entrevista a algumas personagens dos contos maravilhosos-
Dramatização clic entrevista a algumas personagens dos contos maravilhosos-
 
Módulo 19 - IDENTIDADE FEMININA: ATUAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA MULHER
Módulo 19 - IDENTIDADE FEMININA: ATUAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA MULHERMódulo 19 - IDENTIDADE FEMININA: ATUAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA MULHER
Módulo 19 - IDENTIDADE FEMININA: ATUAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA MULHER
 
Artigo de opinião - Aspectos gerais
Artigo de opinião - Aspectos geraisArtigo de opinião - Aspectos gerais
Artigo de opinião - Aspectos gerais
 
Slide - Profissões antigas
Slide - Profissões antigas Slide - Profissões antigas
Slide - Profissões antigas
 
Artigo de opinião - SLIDE
Artigo de opinião - SLIDEArtigo de opinião - SLIDE
Artigo de opinião - SLIDE
 
Módulo avulso - A arte de Adultecer
Módulo avulso - A arte de AdultecerMódulo avulso - A arte de Adultecer
Módulo avulso - A arte de Adultecer
 
Módulo 17: A arte de Adultecer
Módulo 17: A arte de AdultecerMódulo 17: A arte de Adultecer
Módulo 17: A arte de Adultecer
 
Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1
Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1
Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1
 
AS FASES DA VIDA - TIPOS DE VIOLÊNCIA
AS FASES DA VIDA - TIPOS DE VIOLÊNCIAAS FASES DA VIDA - TIPOS DE VIOLÊNCIA
AS FASES DA VIDA - TIPOS DE VIOLÊNCIA
 
FASES DA VIDA - TIPOS DE FAMÍLIA
FASES DA VIDA - TIPOS DE FAMÍLIAFASES DA VIDA - TIPOS DE FAMÍLIA
FASES DA VIDA - TIPOS DE FAMÍLIA
 

Último

AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdfNorma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Pastor Robson Colaço
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
EdimaresSilvestre
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdfNorma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 

Sequência Didática: Ôxente! Isso Aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatura e a Dramaturgia (2017.1)

  • 1. PROJETO: Cultura, Literatura e Criatividade: Do erudito ao popular – CLIC COORDENADORA DA ÁREA DE LETRAS: Magliana Rodrigues da Silva ESCOLA PARTICIPANTE: E.E.E. Fundamental e Médio Professor Raul Córdula SUPERVISORA DA ESCOLA: Diana Nunes Ramalho LICENCIANDOS EM LETRAS:Ana Daniele Félix da Silva Andreia Aparecida Medeiros Martins Arthur Velázquez Florentino de Carvalho Nathalia Pinto Souza PROGRAMA DE ATIVIDADES TEMÁTICA PRINCIPAL: Ôxente! Isso aqui é Nordeste: um passeio entre a literatura e a dramaturgia GÊNEROS:  Texto dramático, romance, poemas, conto, músicas, literatura de cordel, artigo de opinião, reportagem, charge, HQ e sinopse. CONTEÚDO:  Discussão e conhecimento de textos dramáticos através de leituras dramatizadas;  Abordagem acerca das influências da literatura e nas diversas manifestações artístico- culturais do nordeste;  Apresentação dos aspectos temáticos e estruturais dos textos abordados;  Aspectos da oralidade no folheto nordestino. OBJETIVO GERAL:  Conhecer a literatura nordestina através de textos dramáticos e outros gêneros, de forma que despertem nos discentes o interesse de escreverem uma peça teatral, que será elaborada e apresentada por eles a toda escola. OBJETIVOS ESPECÍFICOS: 1
  • 2.  Desenvolver o senso crítico e reflexivo dos alunos através do contato com diversos textos;  Aperfeiçoar a competência de leitura e interpretação de textos literários e não literários;  Valorizar a cultura nordestina, assim como a literatura e criatividade do povo dessa região;  Estimular o conhecimento da literatura nordestina através de dinâmicas que incentivem a participação oral;  Exercitar a competência de leitura e interpretação de textos literários e não literários;  Produzir um texto dramático com os discentes;  Identificar os preconceitos que os nordestinos ainda enfrentam.  Compreender a importância do Nordeste do ponto de vista da divisão territorial brasileira; PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS  18º MÓDULO: ÔXENTE! ISSO AQUI É NORDESTE: UM PASSEIO ENTRE A LITERATURA E A DRAMATURGIA 1º ENCONTRO: Pode procurar, duvido você encontrar beleza e vivacidade, todos juntos em um só lugar: O Nordeste é, o Nordeste tem! (29/03) Elemento motivador: “Conhecendo o Nordeste” Descrição das ações:  Primeiramente haverá um momento de apresentação entre professores e alunos;  Ambientação: a sala estará ornamentada com cartazes que contenham frases baseadas em nossa temática. Para introduzirmos a temática “Ôxente! Isso aqui é Nordeste: um passeio entre a literatura e a dramaturgia”, levaremos em uma caixa, alguns objetos que remetam ao Nordeste, bem como, ao teatro. Para isto, pediremos que todos fiquem em pé, de costas para o quadro e com os olhos fechados, passaremos esses objetos de mãos em mãos, com a finalidade de que acertem o objeto e relacione ele ao tema na nossa SD. O aluno que mais se aproximar da temática, ganhará uma premiação surpresa.  Para introduzir a aula, realizaremos a dinâmica “Conhecendo o Nordeste” que se procederá da seguinte forma: ao som da música “Nordeste independente”, de Elba Ramalho, levaremos alguns quebra-cabeças com imagens de filmes, livros, tipos de comidas e festas relacionados ao teatro e a literatura nordestina, para que eles montem e relatem sobre tal obra, se já leu ou assistiu, e quais impressões tiveram acerca das demais imagens. O objetivo dessa dinâmica é observar o conhecimento que os alunos têm sobre o Nordeste, como uma forma de sondar o grau de intimidade deles em relação à região em que vivem. 2
  • 3.  Após a realização dessa dinâmica, leremos o poema “O Nordeste é poesia”, de Patativa do Assaré, destacando a exaltação que o poeta faz ao nordeste quando afirma que na região tudo é poesia;  Em seguida, executaremos a música “Norte Nordeste Me Veste”, de Rapadura XC, analisando a letra da música, que condiz com o que é retratado no poema lido anteriormente. A música é um RAP que enfatiza com propriedade o Nordeste, engrandecendo de maneira mais descritiva que o próprio poema;  Por fim, leremos o cordel “Nordeste: aqui é o meu lugar”, de Carlinhos do Cordel, com o objetivo de retomar tudo o que foi visto na aula de hoje, e destacar a forma expressiva que essa leitura proporciona, e assim também falaremos que no início, esse tipo de literatura era apresentada em peças de teatro escritas por Gil Vicente, um dramaturgo e poeta revolucionário de Portugal; além disso apresentaremos as características deste gênero, dizendo que o mesmo também é conhecido como folheto, é um tipo de poesia popular impressa e divulgada em folhetos, com imagens feitas através da xilogravura. Comentaremos também o porquê do nome literatura de cordel, explicando que tem origem na forma como esses folhetos são vendidos, pois são pendurados em barbantes, cordas ou cordéis. Por isso o nome Literatura de Cordel. 2º ENCONTRO: A criatividade de um ser tão nordestino: sua sina, Suassuna (30/03) Elemento motivador: Dinâmica “15 fatos sobre mim” Material: Mensagens correlacionadas sobre a vida e obra de Ariano Suassuna. Descrição das ações:  Primeiramente, fixaremos em baixo de quinze cadeiras diferentes mensagens relacionadas ao poeta. Os alunos deverão descobrir em quais cadeiras estarão às quinzes mensagens, em ordem cronológica, com o intuito de estimular a participação de todos. As mensagens estarão conectadas entre si e, ao chegar no último fato, os alunos precisarão identificar que as informações obtidas anteriormente fazem referência a Ariano Suassuna. O objetivo dessa dinâmica é aproximar a figura do romancista, dramaturgo, poeta, advogado e professor Ariano Suassuna ao cotidiano dos alunos, atestando para a importância do poeta na literatura brasileira e, principalmente, na cultura popular nordestina;  Em seguida, exibiremos o trecho do filme “Auto da Compadecida”, referente à falsa ressurreição ao som do instrumento mágico, contextualizando com a perspicácia utilizada pelo personagem João Grilo para escapar da morte, e sendo assim falaremos sobre este personagem, pois Ariano Suassuna vai buscá-lo na literatura de cordel, por isto o estilo de 3
  • 4. esperteza de João é tão rápido e espontâneo, esta é uma das principais características dos personagens deste gênero;  Logo após, realizaremos uma leitura colaborativa entre professores e alunos do mesmo trecho que foi exibido em vídeo, todavia, utilizaremos o livro “Auto da Compadecida”, de Ariano Suassuna. Nosso propósito é esclarecer aos alunos as semelhanças e diferenças encontradas entre os gêneros peça teatral e filme, considerando as particularidades de cada um, como aspectos semânticos, sintáticos e estilísticos;  Posteriormente para aumentar os debates, exibiremos o vídeo “Sobre o auto da compadecida e parte final da aula”, disponível no Youtube, em que o poeta Ariano Suassuna comenta sua concepção sobre o teatro e suascaracterísticas. Assim, desejaremos ouvir a opinião do aluno sobre o que é teatro para ele e seu grau de intimidade com peças teatrais.  Finalizaremos o encontro exibindo o vídeo “Paisagem de Interior – Jessier Quirino”, disponível no canal Jessier Quirino, no Youtube. Destacando as peculiaridades que só encontramos no Nordeste e que foi transmitida pelo poeta. Nosso objetivo é fazer com que os alunos participem dos debates, com posicionamentos sobre o tema abordado e que percebam a criatividade que foi empregada pelo poeta na construção da poesia matuta. 3º ENCONTRO: O Nordeste além dos estereótipos: a importância das variações linguísticas como elemento da identidade regional (05/04) Elemento motivador: Dinâmica “Xô preconceito!” Material: Cartaz e mensagens retiradas de redes sociais, algumas relacionadas ao vocabulário do nordestino e a valorização da cultura e outras, com mensagens ofensivas a identidade regional do povo. Descrição das ações:  Fixado ao quadro branco estará disposto um grande cartaz com a seguinte frase: “Xô preconceito!”. Ao redor desse cartaz, teremos diversas mensagens viradas para baixo, a fim de despertar a curiosidade dos alunos. Nas mensagens, apresentaremos diversas situações, tanto em desrespeito ao povo nordestino, quanto em apoio e valorização da região, sendo assim, cada aluno escolherá uma mensagem e falará sobre suas impressões sobre aquilo, avaliando a sua reação com placas de aprovação ou negação para cada mensagem, a partir disso, indagaremos qual a correlação existente entre as mensagens e a frase escrita no cartaz. O objetivo dessa dinâmica é desconstruir representações preconceituosas no âmbito cultural, social, político e religioso do Nordeste, evidenciando de fato, o que verdadeiramente caracteriza a região; 4
  • 5.  Posteriormente, exibiremos o vídeo “Dialeto Nordestino - Uma resposta ao preconceito”, disponível no canal Bráulio Bessa, no Youtube, com o objetivo de aumentar as reflexões sobre os estereótipos nordestinos, servindo como conexão entre o elemento motivador e a leitura da poesia que virá a seguir;  Em seguida, realizaremos a leitura da charge “No consultório médico”, e de uma História em quadrinhos (HQ) “ Chico Bento em...Bom Português”, de Maurício Souza, na finalidade de discutir a temática abordada referente ao preconceito linguístico, que está presente nesse gênero tanto de forma verbal como não verbal, sendo essa uma das características dos mesmos;  Logo após, realizaremos a leitura do poema “Eu não troco meu ôxente, pelo ok de seu ninguém”, de Marcílio Siqueira, nele, destacaremos os aspectos de ordem semântica e o modo de como o texto literário possui caráter de expressividade, abordando ainda, a postura do eu lírico diante das suas raízes nordestinas;  Terminada a discussão do poema, realizaremos a atividade “Eu moro onde você passa férias”. Essa atividade tem por finalidade permitir que os alunos produzam um comentário, no qual eles possam desenvolver de seu ponto de vista de modo criativo, utilizando o dialeto nordestino sobre as mensagens preconceituosas acerca do Nordeste, discutidas neste encontro. 4°ENCONTRO: Sertanejo, cabra macho sim sinhô! (06/04) Elemento motivador: Dinâmica “Monte seu vaqueiro” Material: Cartaz e imagens referentes a vestimenta, instrumentos de trabalho e utensílios dos vaqueiros. Descrição das ações:  Afixaremos ao quadro branco um desenho de um menino de corpo inteiro e próximo ao quadro estarão virados para baixo, imagens das partes da vestimenta que compõe a roupa de um vaqueiro, além dos instrumentos de trabalho e utensílios. Com isso, os alunos devem colar junto a imagem central do quadro as devidas figuras, em seus respectivos lugares, referentes ao traje do vaqueiro. Nosso objetivo é apresentar para os alunos as indumentárias comuns do vaqueiro, explicando a sua função, importância e contexto histórico de cada uma.  Iniciaremos o encontro executando as músicas “A Morte do Vaqueiro”, regravada por Dominguinhos e Alcymar Monteiro e “Vida de Vaqueiro”; de Nelson Barbalho , analisando suas respectivas letras, levantando problemáticas e por fim estabelecendo uma conexão entre ambas e sobretudo, destacando a força e valentia do sertanejo. 5
  • 6.  Em seguida, vincularemos as músicas com a leitura e interpretação do conto “O Regresso”, de José Condé, objetivando construir juntamente com os alunos informações e características típicas do sertanejo nordestino. Além disso, buscaremos propor uma reflexão sobre os valores culturais e práticas nordestinas que gradativamente vem se perdendo com o avanço da modernidade e das novas tecnologias.  Seguidamente, apresentaremos a reportagem, “Relembrando fatos de 2016 – Proibição da vaquejada”, possibilitando discussões acerca do tema e levantando posicionamentos divergentes. Ou em apoio a tradição cultural e religiosa do esporte ou em desaprovação, devido à violência empregada nos animais participantes da vaquejada como evento de entretenimento.  Logo após, utilizando a dicotomia instaurada com o texto anterior, exibiremos o documentário “Vida de Vaqueiro”, disponível no Youtube, debatendo sobre a real figura do vaqueiro e seu contexto histórico. Encerraremos esse encontro solicitando aos alunos que discorram em um pequeno parágrafo suas opiniões sobre a temática da vaquejada, considerando as discussões realizadas neste encontro. 5°ENCONTRO: Sertaneja, mulher macho sim sinhô! (12/04) Elemento motivador: Dinâmica “A mulher sertaneja é...” Descrição das ações:  Primeiramente, realizaremos a dinâmica “A mulher sertaneja é...”, que se procederá da seguinte forma: distribuiremos papeis e lápis para os discentes, neste papel estará escrito a subtemática “Sertaneja, mulher macho sim sinhô!”, e assim, pediremos que escrevam uma palavra que descreva uma característica da mulher sertaneja. O objetivo dessa dinâmica é identificar o conhecimento que os discentes têm sobre a mulher sertaneja e os estereótipos formados sobre elas;  Em seguida, apresentaremos o poema “Vietnã”, de Wislawa Szymborska e logo após, o cordel “A mulher que vendeu o marido por R$ 1,99”, de Janduhi Dantas, para efetuarmos uma análise comparativa evidenciando a figura da mulher nordestina e suas características nos diferentes gêneros, enfatizando a força da mulher nordestina, desmistificando a ideia de que “mulher só serve para reprodução”. Com isto, também aproveitaremos a dramatização do cordel para comparar com o texto dramático, uma vez que esse gênero proporciona um diálogo com humor e crítica social, assim como alguns textos dramáticos, e através dele, ainda focaremos no figurino dos personagens, pois é um elemento importante da linguagem visual do espetáculo formado por, além das vestimentas, pelos acessórios. 6
  • 7.  Exibiremos o vídeo Maria's interview - BRAZIL - #HUMAN, disponível no Youtube, com o objetivo de mostrar a força da sertaneja, galgando novos sonhos e construindo uma nova identidade de uma mulher que além de cuidar da casa, também procura crescimento educacional;  Logo em seguida, executaremos as músicas “Paraíba”, de Luiz Gonzaga e “Mulher Rendeira”, de Elba Ramalho, para promovermos o reconhecimento do contexto histórico da sertaneja, apreciando de tal forma, a representação feminina no cangaço, destacado pela figura de Maria Bonita e a sua força de mulher valente para o cenário daquela época, transfigurando para as mulheres nordestinas dos dias atuais.  Posteriormente, exibiremos o vídeo Maria Bonita - A Rainha do Cangaço, disponível no Youtube, que retrata um pouco da história e valentia de Maria Bonita diante do cangaço e logo depois, executaremos a música “Maria, Maria”, de Milton Nascimento para refletirmos sobre a expressividade e importância que existe no nome Maria, nome este, tão comum no Nordeste brasileiro.  Por fim, realizaremos uma atividade oral intitulada como “batata quente”. O objetivo é relembrar os principais pontos abordados no quarto e quinto encontros. Para isso, colocaremos algumas perguntas dentro de uma caixa, e eles deverão repassar um para o outro, neste momento executaremos a música “Paraíba masculina”, para pausarmos no momento em que a caixa estiver de mãos em mãos, e o aluno que ficar com a caixa deverá pegar uma pergunta e responder, dependendo do seu desempenho a partir da argumentação, ganhará um prêmio surpresa. 6º ENCONTRO: Eu só quero um xodó pra chamar de meu: casamento nordestino e suas singularidades (13/04) Ambientação: A sala estará ornamentada com objetos que remetam ao romantismo, como: imagens de casais, aliança, corações, flores, balões vermelhos e frases românticas, na finalidade de propor um ambiente de descontração e introdução a subtemática. Elemento motivador: Dinâmica “Dinâmica dos pares” Descrição das ações:  Inicialmente, realizaremos a dinâmica dos pares, que será da seguinte maneira: dividiremos a sala em dois grupos, meninos e meninas, cada grupo terá um saquinho com algumas frases dentro, e cada frase será enumerada, por exemplo, o primeiro aluno de um grupo que pegar uma frase de número “1”, terá a resposta completa de sua frase lida pelo integrante do outro grupo com a mesma enumeração. Ex: 1) Eu sou um relógio sem ponteiro / 1) eu sou o 7
  • 8. ponteiro do seu relógio; 2) Eu sou uma noite sem estrelas / 2) Eu sou as estrelas da sua noite, e assim sucessivamente. O objetivo dessa dinâmica é propor um momento de descontração, bem como introduzir a subtemática de forma que todos demonstrem uma afetividade e espontaneidade uns para com os outros;  Em seguida, realizaremos a leitura do texto “Hábitos dos nordestinos (séc. XIX)”, extraído do livro “Genealogia sertaneja”– Capítulo IV. Destacaremos as características e costumes dos nordestinos apresentados nos textos, de modo a resgatar do aluno opiniões e considerações à cerca do tema abordado no texto.  Logo após, executaremos a música “Eu Só Quero Um Xodó”, de Dominguinhos, na intenção de aprofundar uma discussão em torno dessa temática, e introduzindo a leitura que será realizada a seguir;  Por fim, nós professores, faremos a leitura dramatizada do segundo ato (parte da celebração do casamento) da obra “O casamento suspeitoso”, de Ariano Suassuna, objetivando mostrar aos alunos possíveis adversidades recorrentes aos costumes e a cultura nordestina, além disso, possibilitar um contato maior com a caracterização, fala e desenvolvimento de cada personagem, despertando nos discentes o interesse por participarem de uma apresentação teatral e, ainda retomaremos uma análise sobre caracterização e figurino dos personagens, elemento importante na linguagem visual do espetáculo. 7º ENCONTRO: O sertão vai virar mar e o mar vai virar sertão: a força de um povo diante da seca na região (19/04) Elemento motivador: “Charges, memes e imagens sobre a seca do nordeste” Descrição das ações:  Inicialmente, dividiremos a turma em quatro grupos, para distribuirmos cópias de algumas charges, imagens e memes entre eles. Em seguida, eles serão incentivados e auxiliados a realizarem a leitura e interpretação dos gêneros que lhes foram entregues, na finalidade de trabalhar e de explorar a subtemática, assim como a argumentação através da oralidade;  Depois da leitura realizada entre eles, cada grupo deverá selecionar um participante para expor e explicar o significado temático que os gêneros transmitem. O objetivo da dinâmica, além de introduzir esta subtemática, é estimular a participação oral e observar as possíveis formas de interpretação de cada gênero;  Seguidamente, entregaremos letras de duas músicas, sendo elas “Súplica Cearense”, de O Rappa, e “Sobradinho”, de Biquíni Cavadão, na intenção de analisarmos as letras 8
  • 9. juntamente com os alunos, permitindo que eles percebam que as duas abordam uma mesma temática, porém de formas diferentes;  Após a análise das músicas, faremos a leitura do cordel “Abc do nordeste flagelado”, de Patativa do Assaré, essa leitura será realizada de forma dinâmica, por exemplo, distribuiremos as partes de cada verso entre os alunos, para que cada um leia sua parte, assim que o “A” terminar de ler seu verso, quem tiver com o “B” dará continuidade, e assim sucessivamente. Esse cordel tem como tema principal a seca do nordeste, objetivando que após a leitura, seja feita uma análise e reflexão do cordel, trazendo a discussão para realidade dos alunos, e através dessa leitura de forma dramatizada e dinâmica, destacaremos outros importantes aspectos teatrais, que são a organização do espaço, tempo e ordem de fala de cada personagem, bem como a sintonia entre a fala deles.  Em seguida, realizaremos uma leitura com pausas estratégicas do capítulo “Baleia”, do livro Vidas Secas, de Graciliano Ramos, enfatizando a seca no Nordeste e a difícil jornada de uma família em meio a seca, como também o triste estado em que se encontrava a cachorra, xodó dos filhos de Fabiano e Sinhá Vitória. Além de enfatizar o posicionamento, linguagem e a forma como o autor faz descrições em sua obra.  Encerraremos com o documentário “A seca no sertão: a terra, a luta, a gente”, que mostra a realidade das famílias que vivem em extremas condições de vida em decorrência da seca. Nosso objetivo é mostrar aos alunos que a seca é uma realidade não muito distante de nós, com isso, o documentário irá resgatar tudo que foi discutido durante a aula e por fim, colaborará para a reflexão final em torno do tema. 8º ENCONTRO: CINE-CLIC (O quinze) (20/04) Descrição das ações:  Nesta aula, realizaremos a leitura e discussão da sinopse do filme “O quinze”, baseado na obra literária de Raquel de Queiroz, destacando os aspectos temáticos, como: seca, e a difícil jornada em uma região com escassez de chuvas; e estruturais, como: texto expositivo que apresenta de forma resumida o conteúdo de um objeto cultural, normalmente com a intenção de antecipar o que é a obra. Ainda nesse quesito, falaremos que esse procedimento também é utilizado nas peças teatrais, pois é essencial que para divulgação de uma peça, antes seja elaborado uma sinopse para resumir e anteceder o leitor, ou espectador, do que tal obra irá retratar;  E logo em seguida, exibiremos o filme “O quinze”, que foi baseado na obra literária da escritora cearense Raquel de Queiroz. A partir dele, pretendemos aprofundar o tema do encontro anterior, destacando aspectos enfatizados na obra da escritora, como: a realidade da 9
  • 10. seca, a pobreza através da descrição crítica e, ao mesmo tempo, emocionante a triste realidade do povo nordestino que, assolado pela seca e a miséria social, é forçado a migrar da sua região de origem em busca de melhores condições de vida nos grandes centros urbanos. 9º ENCONTRO: Uma nação dentro de um grande país: orgulho de ser nordestino (26/04) Elemento motivador: “Jogo de perguntas e respostas” Descrição das ações:  Primeiramente, colocaremos dentro de alguns balões, algumas perguntas referentes ao encontro de hoje, para isto, elaboraremos perguntas que estejam relacionadas ao nordeste, e, assim, comentaremos à cerca de cada resposta de modo que possibilite um momento de reflexão entre os discentes em relação a grande importância que esta região possui dentro do Brasil;  Em seguida, ouviremos a música “Orgulho de ser nordestino”, de Flávio José, fazendo uma relação entre a dinâmica e a letra da música, com a finalidade de despertar nos discentes um olhar de valorização pela região em que vivem;  Posteriormente, realizaremos a leitura do artigo de opinião “Eu tenho vergonha dos nordestinos que se envergonham do Nordeste”, de Gerado José, para fazermos um contraponto com a letra da música anterior, como também, apresentarmos as características estruturais do gênero, enfatizando que é um texto no qual o autor expõe o seu posicionamento em relação a algum tema, utilizando-se de argumentos convincentes para exposição do seu ponto de vista. A leitura é acessível, uma vez que a intenção é atingir todo tipo de leitor e é comum a circulação em jornais e revistas.  Logo após, apresentaremos em slides, algumas imagens que mostram a exuberância de lugares que são uma referência dessa região, bem como as festas e comidas que são referências em todo o Brasil e, a partir da exibição dessas imagens, deixaremos que eles falem sobre o que estão vendo, se conheciam ou não, os lugares, mitos e cultura que lhes estão sendo apresentados;  Por fim, solicitaremos a produção de cartazes, em que os discentes serão incentivados a demonstrarem o quanto sentem orgulho de ser do nordeste. Para isto, levaremos revistas e jornais, para que eles se utilizem dos materiais necessários para essas produções. OBS: estes cartazes serão expostos no pátio da escola, no dia da culminância do projeto, na finalidade de divulgar os trabalhos do projeto CLIC por toda escola. 10º ENCONTRO: Nordestinos famosos na TV, no teatro, na literatura e na música (27/04) 10
  • 11. Elemento motivador: “Quem sou eu?” Descrição das ações:  Inicialmente, realizaremos a dinâmica “Quem sou eu?”, que se realizará da seguinte forma: espalharemos pela sala de aula, diversos cartazes com imagens de nordestinos famosos, sendo eles:Romero Britto, artista plástico pernambucano; Tom Cavalcante, humorista e apresentador cearense; Marco Nanini, ator pernambucano; Chico César, músico paraibano; Cacá Diegues, cineasta alagoano; Lourdes Ramalho, dramaturga paraibana; Roberta Miranda, cantora paraibana; Ariano Suassuna, escritor paraibano; Chico Anysio, ator cearense; Jorge Amado (1912-2001), escritor baiano; Lucy Ramos, atriz pernambucana ; Luiz Gonzaga (1912-1989), compositor e cantor pernambucano; Mayana Neiva, paraibana;Hulk, jogador de futebol;Fulô de mandacaru, Banda nordestina; Lucas Veloso, ator paraibano; eWhindersson Nunes, comediante, blogueiro e youtuber brasileiro conhecido pelos seus vídeos de humor no Youtube. Após as imagens de todos eles estarem expostas, dentro de uma caixa, colocaremos a biografia dos respectivos famosos, para que os alunos colem as descrições na imagem em que achar correspondente a tal famoso;  Em seguida, após verificar o conhecimento deles, iremos relatar sobre os famosos que eles mais tenham apresentado uma certa dificuldade, e também, pediremos que exponham outros famosos que não estavam inseridos nos cartazes. O objetivo desta dinâmica é avaliar o grau de conhecimento dos alunos referente aos famosos nordestinos abordados.  Dando continuidade, exibiremos o vídeo “Bráulio Bessa e João Neto recitam cordel pelo Dia do Nordestino”, vídeo este que foi exibido no quadro “poesia com rapadura”, do programa “Encontro com Fátima Bernardes”, a partir dele faremos uma discussão sobre a temática do vídeo e em seguida, leremos a biografia de Bráulio Bessa, apontando a importância desse grande representante da região nordeste;  Posteriormente, como o vídeo faz uma rápida introdução sobre Patativa do Assaré, traremos a biografia dele, para que os alunos, que ainda não o conheceram, passem a tomar conhecimento de um dos maiores poetas populares do Brasil, e assim, tenham contato com a vida e obras deste grande poeta;  Logo após, leremos o poema “A terra é nossa”, de Patativa do Assaré, analisando a estrutura e a temática do poema, mostrando o cuidado e a forma em que ele relata sobre a terra e a criação dela;  Em seguida, realizaremos a leitura do cordel “O vôodo Patativa”, de Dideus Sales, este cordel é uma homenagem que descreve sobre a importância dos escritos de Patativa, e nos permite fazer uma retrospectiva de como ele se portava diante dos seus textos e a importância dele para os poetas nordestinos; 11
  • 12.  Por fim, exibiremos o vídeo “Qual é a senha do wifi”, uma paródia da música da cantora Adelle, realizada por Windersson Nunes. Após a apresentação do vídeo, falaremos a respeito deste grande comediante, atualmente renomado como o maior Youtuber do Brasil.A partir deste vídeo, destacaremos a importância que o figurino, cenário e expressão facial do humorista possuem para uma reprodução com maior nível de compreensão e objetividade, estes são fatores essenciais que também devem estar contidos na encenação de uma peça teatral. 11º ENCONTRO: PASSEIO AO TEATRO (03/05)  Neste encontro, realizaremos uma aula de campo, através de um passeio ao Teatro Facisa, com o objetivo de:  Apresentar a estrutura do teatro aos alunos;  Seremos conduzidos pela professora de teatro da Instituição, Valquíria Gonçalves, que nos esclarecerá sobre a origem, a importância do teatro no Nordeste e as características básicas que compõe a formação de um teatro, como a conceituação do que é um palco italiano, o que é urdimento, rotunda, ciclorama dentre outros aspectos relevantes à serem apresentados;  Despertar nos alunos o desejo de escrever a peça, a qual será nosso produto final;  Propor um momento de descontração e aprendizagem. 12º ENCONTRO: Texto Dramático – Características do Gênero (04/05) Elemento motivador: “Sem pé nem cabeça” Descrição das ações:  Primeiramente, realizaremos a dinâmica “Sem pé nem cabeça”, que se procederá da seguinte forma: pegaremos fragmentos de textos dramáticos diversificados, e, distribuiremos para os alunos, cada fragmento será enumerado, para que eles leiam na ordem em que vamos lhes propor, e, ao decorrer da leitura perceberão que o texto não apresenta uma ordem cronológica, e esta completamente sem sentido algum. O objetivo dessa dinâmica é despertar nos discentes a importância da lógica para o texto dramático, principalmente quando ele dramatizado como peça teatral;  Em seguida, faremos uma atividade intitulada “jogo dos sentimentos”. Para este jogo, iremos precisar de duas caixas. Em uma caixa estarão contidas algumas falas de uma peça teatral, e frases escrita por nós, como por exemplo “Você é a pessoa mais incrível que já conheci”, nisto, quem pegar tal frase, terá que ver na outra caixa um papel com um 12
  • 13. sentimento escrito, como: raiva, carinho, ódio, e assim por diante, e assim deverá dizer a frase incorporando a tal sentimento. O objetivo dessa atividade, é desenvolver a espontaneidade e diminuir a timidez.  Posteriormente, trabalharemos as características gerais do texto dramático em slides, mostrando que é uma ficção em forma de diálogo, cuja ação não é simplesmente narrada, mas sim representada, nelas, destacaremos a estrutura dramática e localização espacial: Ato e cena, e ainda a sinopse, personagens, função/desempenho de cada fala no decorrer do gênero. Com isto, enfatizaremos todas as partes, mas em especial, traremos a sinopse da peça “As velhas”, de Lourdes Ramalho, para que eles percebam com mais nitidez a função da sinopse para o gênero dramático;  Após a leitura da sinopse, leremos a cena 1, da peça “As velhas”, autoria de Lourdes Ramalho, com isso objetivamos amarrar as discussões realizadas até o momento, identificando e discutindo no decorrer da leitura as características do gênero através do contato como mesmo.  Por fim, leremos a biografia de Lourdes Ramalho, mostrando sua grande importância e influencia na literatura nordestina. 13º ENCONTRO: GINCANA NO CLIC: “Refrescando a memória” (10/05)  Neste encontro, iremos retomar os assuntos estudados em nossas subtemáticas, através da realização de uma “Gincana”. Nela, realizaremos algumas brincadeiras que incentivarão na retomada dos conteúdos estudados, destacando, principalmente, as leituras das peças teatrais, e os demais gêneros trabalhados em sala. Os alunos realizarão diversas atividades recreativas, como: mímicas, dramatizações, e outras brincadeiras típicas do Nordeste.  Os objetivos principais para a realização da gincana serão:  Refletir sobre as funções da leitura e os aspectos das peças teatrais e demais gêneros;  Possibilitar um ambiente de troca de conhecimentos de forma atrativa e participativa por parte dos discentes;  Retomar discussões realizadas com as leituras dos encontros de forma atraente e estimulante;  Despertar o espírito de liderança, atenção, motivação e criatividade. 14º ENCONTRO: INÍCIO DA PRODUÇÃO DO TEXTO DRAMÁTICO (11/05) 13
  • 14.  Nesse encontro,discutiremos sobre os principais pontos da temática, especificamente sobre a visita ao teatro. Após esse momento de diálogo, sentaremos com eles para orientá-los na escrita de uma peça teatral, enfatizando uma ideia geral que será fundamental na elaboração da sinopse da peça. O tema será definido por eles após uma roda de discussão, para isto, estimularemos os discentes, orientando todo o processo dessa escrita;  Após a apresentação dessa proposta, diremos que a peça deve conter no máximo quatro atos, e deixaremos que cada grupo escreva sobre um ato, desde que o tema esteja de acordo com uma temática geral, proposta por eles após a discussão entre todos. 15º ENCONTRO: REESCRITA DO TEXTO DRAMÁTICO (17/05)  Após o início da escrita do texto dramático pelos alunos, iremos avaliar o ATO de cada grupo, observando questões como: erros de ortografia, coesão e coerência do texto, adequação ao gênero proposto e o sentido como um todo do texto, incentivando-os na reescrita e adaptação do que for necessário para que a peça apresente um sentido completo, de acordo com as ideias descritas na sinopse. 16º ENCONTRO: ESCRITA DA SINOPSE E PRIMEIRO ENSAIO DA PEÇA: leitura de mesa (18/05)  Nesse encontro, iniciaremos a escrita da sinopse da peça, bem como os ensaios da mesma, que será nossa atividade final, tendo como base os assuntos discutidos em sala de aula;  Será definido com os alunos, a temática central da peça e logo em seguida, com o auxílio dos professores, a definição dos personagens, as primeiras leituras acerca do roteiro da peça e o primeiro ensaio para que os alunos entrem em contato com esse ambiente, tornando-se aptos para encená-la para toda a escola. 17º ENCONTRO: Segundo ensaio da peça: indumentária e marcações (24/05)  Realizaremos neste dia, alguns exercícios sobre jogos teatrais e como se comportar em uma apresentação teatral, de modo que os alunos desenvolvam melhor suas encenações;  Neste encontro, daremos continuidade acertando os últimos detalhes do roteiro da peça, como também um intensivo ensaio e a definição do figurino, para que os alunos no dia da apresentação diante de toda a comunidade escolar estejam preparados para a encenação. 18º ENCONTRO: Terceiro ensaio da peça: presença de palco (25/05) 14
  • 15.  Neste encontro, realizaremos o ensaio final para peça, repassando com os alunos os ajustes finais, como a marcação de cena e o roteiro. Além disso, estaremos trabalhando com os demais alunos que não farão parte do elenco, porém, trabalharão nos bastidores. 19º ENCONTRO: CULMINÂNCIA DO PROJETO (31/05)  Neste encontro, iremos fazer a apresentação da peça teatral que foi escrita pelos discentes. Para esta apresentação, elaboraremos alguns convites e cartazes que estarão espalhados pela escola, nestes cartazes iremos divulgar o título da peça, como se realmente fôssemos apresentar em um teatro. O objetivo dessa apresentação é em divulgar o projeto na escola, assim como encerrar os períodos de aulas, dando a oportunidade de alunos, professores e funcionários da escola verem o resultado do projeto, além de despertar nos alunos assíduos, a possibilidade de desenvolverem sua oralidade e criatividade. 20º ENCONTRO: CONFRATERNIZAÇÃO - VIVA O CLIC! (01/06)  Para finalizarmos as atividades de 2017.1, prepararemos, nesse vigésimo encontro, um momento de descontração com os discentes através de atividades recreativas e lanche coletivo. REFERÊNCIAS: ANDRADE, Clériston.Eu tenho vergonha dos nordestinos que se envergonham do nordeste! https://www.geraldojose.com.br/index.php?sessao=noticia&cod_noticia=56601.Acesso em: 19 de fevereiro de 2017. ASSARÉ, Patativa. ONordeste é poesia. Disponível em: http://www.overmundo.com.br/banco/o-nordeste-e- poesia. Acesso em: 20 de fevereiro de 2017. ______, Patativa. Biografia. Disponível em: https://www.ebiografia.com/patativa_assare/. Acesso em 22 de fevereiro de 2017. ______, Patativa. A terra é nossa. Disponível em: http://cacalopes.com.br/literatura-cordel/a-terra-e-nossa/. Acesso em: 22 de fevereiro de 2017. BESSA, Bráulio. Quem é esse cabra? – Biografia. Disponível em: https://www.brauliobessa.com/ acesso em 22 de fevereiro de 2017. CAVADÃO, Biquini. Sobradinho. Disponível em: https://www.letras.mus.br/biquini-cavadao/199940/ acesso em 23 de fevereiro de 2017. CHARGE: No consultório médico. Disponível em:https://1.bp.blogspot.com/- iNV0S7VG1fw/Uifh4FzuT_I/AAAAAAAAVlc/z_Ds6C8Ok-8/s640/charge+medicos.jpg. Acesso em 11 de março de 2017. CORDEL, Carlinhos. Nordeste: aqui é o meu lugar!. Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/cordel/2149968. Acesso em: 23 de fevereiro de 2017. 15
  • 16. CONDÉ, José. Santa Rita: Histórias da cidade morta e Os dias antigos. 3. ed. Rio de Janeiro/Brasília: Civilização Brasileira/ INL, 1977, p. 11-17 DANTAS, Janduhi. A mulher que vendeu o marido por 1,99. Disponível em: http://leiacordel.com.br/1/72-a- mulher-que-vendeu-o-marido-por-r-199.html Acesso em 24 de fevereiro de 2017. SALES, Dideus. O vôodo patativa. Disponível em: http://mundocordel.blogspot.com.br/2007/09/patativa-do- assar.html. Acesso em: 22 de fevereiro de 2017. DOMINGUINHOS. Eu só quero um xodó. Disponível em: https://www.vagalume.com.br/dominguinhos/eu- so-quero-um-xodo.html. Acesso em 20 de fevereiro de 2017. FILME: O quinze. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=Uu1i1U4EiPc. GONZAGA, Luiz. Paraíba. Disponivel em: https://www.letras.mus.br/luiz-gonzaga/47095/ acesso em 23 de fevereiro de 2017. HQ. Chico Bento em... Bom Português. Disponível em: http://sopadeletrasunip.blogspot.com.br/2012/10/pluralidade-cultural-pluralidade.html. Acesso em 11 de março de 2017. JOSÉ, Flávio. Orgulho de ser nordestinho. Disponível em: https://www.letras.mus.br/flavio-jose/788355/. Acesso em: 21 de fevereiro de 2017. NASCIMENTO, Milton. Maria, Maria. Disponível em: https://www.letras.mus.br/milton-nascimento/47431/ acesso em 24 de fevereiro de 2017. PINTO, Isabel. Hábitos dos nordestinos (século xix). Disponível em:http://genealogiasertaneja.blogspot.com.br/2013/06/habitos-dos-nordestinos-seculo-xix.html acesso em 21 de fevereiro de 2017. QUIRINO, Jessier. Paisagem de interior. Disponível em:https://www.letras.mus.br/jessier-quirino/718316/. Acesso em: 23 de fevereiro de 2017. RAMALHO, Elba. Mulher Rendeira. Disponível em: https://www.letras.mus.br/elba-ramalho/mulher- rendeira/ Acesso em 24 de fevereiro de 2017. RAMALHO, Zé. Admirável gado novo, avohaí. Disponível em: https://www.letras.mus.br/ze- ramalho/49361/ acesso em 23 de fevereiro de 2017. RAMOS, Graciliano. Baleia. In:Vidas secas. Disponível em: http://www.lettere.uniroma1.it/sites/default/files/528/GRACILIANO-RAMOS-Vidas-secas-livro- completo.pdf. Acesso em 24 de fevereiro de 2017. RAPPA. Súplica cearense. Disponível em https://www.letras.mus.br/o-rappa/1333721/ acesso em 24 de fevereiro de 2017. REPORTAGEM: Relembrando fatos de 2016 – Proibição da vaquejada. Disponível em:http://osdivergentes.com.br/orlando-brito/proibicao-da-vaquejada-de-simples-questao-a-grande- polemica/ . Acesso em: 24 de fevereiro de 2017. SIQUEIRA, Marcílio. Eu não troco meu ôxente, pelo ok de ninguém. Disponível em:http://blognoticiasemdestaque.blogspot.com.br/2014/04/poesia-eu-nao-troco-o-meu-oxente-pelo.html. Acesso em: 09 de fevereiro de 2017 acesso em 23 de fevereiro de 2017. SINOPSE: O quinze. Disponível em: http://www.adorocinema.com/filmes/filme-202245/. Acesso em: 19 de fevereiro de 2017. 16
  • 17. SINOPSE: As velhas. Disponível em: http://www.passeiweb.com/estudos/livros/as_velhas. Acesso em: 23 de fevereiro de 2017. SUASSUNA, Ariano. Auto da Compadecida. ed. 35ª. Rio de Janeiro: Agir,2005, p. 100 – 112. ________, Ariano. O casamento suspeito. 1961. SZYMBORSKA, Wislawa. Poema Vietnã. Disponível em:http://casulotemporario.blogspot.com.br/2009/11/vietna-um-poema-de-wislawa-szymborska.html?m=1. Acesso em 22 de fevereiro de 2017. VÍDEO: A gaita. https://www.youtube.com/watch?v=iqS12X-NR7I. Acesso em: 11 de março de 2017. VÍDEO: https://www.youtube.com/watch?v=npErliDE1xg. Acesso em: 11 de março de 2017. VÍDEO DOCUMENTÁRIO: Vida de vaqueiro. https://www.youtube.com/watch? v=R2HZqvNlYrw&t=843s. Acesso em: 11 de março de 2017. VÍDEO: https://www.youtube.com/watch?v=Lp4YcKygK2s. Acesso em: 11 de março de 2017. VÍDEO: https://www.youtube.com/watch?v=Yog7XuKruIo. Acesso em: 11 de março de 2017. VÍDEO: https://www.youtube.com/watch?v=tWs1E2BfNZE. Acesso em: 11 de março de 2017. WALTER, Mano. Vida de Vaqueiro. Disponível em: https://www.vagalume.com.br/mano-walter/vida-de- vaqueiro.html acesso em 24 de fevereiro de 2017. XC, Rapadura. Norte nordeste me veste. Disponível em: https://www.vagalume.com.br/rapadura/nortenordeste-me-veste.htmlAcesso em: 20 de fevereiro de 2017. 17